Você está na página 1de 36

GEOGRAFIA DE MATO GROSSO

POLÍCIA JUDICIÁRIA CIVIL 2017 11


MUNICÍPIOS DE MATO GROSSO
1 - ACORIZAL
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Em Acorizal foi instalado o primeiro posto telegráfico da Comissão
Rondon em 1907. Na hierarquia da rede urbana regional, Acorizal é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome Acorizal é referência a uma palmeira muito
comum na região, chamada acori.
 Criação do município: 12 de dezembro de 1953
 Gentílico: Acorizalense ou acorizano
 Área: 841,17 km2
 População: 5.516 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Rosário Oeste
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 59 km

2 - ÁGUA BOA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Colonizado por sulistas na década de 1950. Na hierarquia da rede
urbana regional, Água Boa é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: Água Boa recebeu este nome no período da abertura
da BR-158, devido a um ponto de abastecimento de água em um córrego
situado na beira da estrada.
 Criação do município: 26 de dezembro de 1979
 Gentílico: Aguaboense Área: 7.484,21 km2
 População: 20.844 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 736 km

3- ALTA FLORESTA
Projeto de colonização desenvolvido pela Indeco. Na década de 1980
foi palco de intensa atividade garimpeira. Na hierarquia da rede urbana
regional, Alta Floresta é classificada pelo IBGE como centro de zona A.
 Origem do nome: O município recebeu o nome de Alta Floresta por estar
localizado na floresta Amazônica.
 Criação do município: 18 de dezembro de 1979
 Gentílico: Alta-florestense ou florestense
 Área: 8.947,07 km2
 População: 49.233 (2010) (50 189 hab. estimativa IBGE/2017)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alta Floresta
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 800 km

4 - ALTO ARAGUAIA
A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária e a
exploração mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Alto Araguaia é
classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: O nome do município é uma referência ao rio Araguaia,
que margeia a sede municipal e serve de marco divisório entre Mato
Grosso e Goiás.
 Criação do município: 26 de outubro de 1938
 Gentílico: Alto-araguaiense
 Área: 5.538,02 km2
 População: 15.670 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Alto Araguaia Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 426 km
5 - ALTO BOA VISTA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Alto Boa Vista é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome Alto Boa Vista é uma referência à Imobiliária
Boa Vista, colonizadora local.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentílico: Alto boavistense
 Área: 2.241,83 km2
 População: 5.249 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião : Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia

6 - ALTO GARÇAS
O município é de origem bastante recente, o desbravamento,
propriamente dito de suas terras e a sua consequente formação populacional
está intimamente ligada à atividade garimpeira, a qual começou a se
desenvolver na região a partir de 1919, com a chegada dos primeiros
aventureiros do garimpo, sedentos de valiosíssima pedra ali existente: o
diamante. É classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O termo Alto Garças faz referência ao fato do rio
Garças ter as suas nascentes dentro do território municipal.
 Criação do município: A Lei Estadual nº. 660, de 10 de dezembro de
1953, criou o município com denominação de Alto Garças.
 Gentílico: alto-garcense
 Área: 3 660,387 km²
 População: 10.350 pessoas (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense
 Microrregião: Alto Araguaia
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 357 km

7 - ALTO PARAGUAI
A região que compreende o território de Alto Paraguai foi largamente
palmilhada por garimpeiros à procura de pedras preciosas e ouro. Sua
história está ligada a Diamantino desde 1728. Terminado o ciclo do ouro e do
diamante no século passado, restaram sítios e fazendas apenas. Novo ciclo
garimpeiro se iniciou em 1938, com o garimpo do Gatinho e outros mais. É
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: A alteração do nome deveu-se ao fato do município
abrigar em seu território as nascentes do rio Paraguai.
 Criação do município: O município de Alto Paraguai foi criado em 16 de
dezembro de 1953, pela Lei nº 709.
 Gentílico: alto-paraguaiense
 Área:1.846,145 km²
 População: 10.066 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-Grossense
 Microrregião: Alto Paraguai
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital

8 - ALTO TAQUARI
A primeira denominação da localidade foi Cabeceira, após alguns anos,
passou a ser chamada de Taquari em referência à nascente do rio Taquari,
que fica muito próxima à sede municipal. Povos indígenas, antigos habitantes
da área, usavam a haste da taquara, abundante na região do rio Taquari, para
fabricar cachimbos e flechas. É classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: A denominação Alto Taquari foi escolhida através da
Associação de Amigos, depois de ampla discussão com os moradores da
cidade. Cogitou-se, também, a possibilidade do nome da cidade ser São
José do Taquari, em homenagem ao santo padroeiro São José, e ao rio
Taquari.
 Criação do município: No dia 13 de maio de 1986, pela Lei nº 4.993, foi
criado o município de Alto Taquari.
 Gentílico: taquariense
 Area: 1 394,760 km²
 População: 8.072 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense
 Microrregião: Alto Araguaia
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 480 km
9 - APIACÁS
Em 07 de julho de 1891, no auge da economia da borracha, o
governador coronel João Nepomuceno de Medeiros Mallet criou no território do
atual município uma agência de arrecadação fiscal. A história da economia
seringueira declinou. A colonização efetiva de Apiacás deu-se através da
INDECO, empresa de Ariosto da Riva.
 Origem do nome: A denominação dada ao núcleo de origem do atual
município de Apiacás, além da serra e do rio, também homenageia o povo
indígena apiaká
 Criação do município: Em 06 de julho de 1988, pela lei estadual nº
5.322, foi criado o município com a denominação de Apiacás.
 Gentílico: apiacaense
 Area: 20.364 km²
 População: 8.855 (2012)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alta Floresta
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 953 km

10 - ARAGUAIANA
Araguaiana primeiro municipio criado no leste mato-grossense,
desmembrado diretamente de Cuyabá com território diminuído, do grande
município de Araguaya, em 8 de junho de 1913. O município era o quarto do
Estado em extensão territorial - 216.429 km² - menor apenas que Cuiabá, Vila
Bela da Santíssima Trindade e Diamantino. A lei nº 698, de 12 de junho de
1915, alterou a denominação de Araguaya para Registro do Araguaya,
instituindo a Comarca. Classificado pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: Deve-se a sua localização geográfica, vale médio do
Rio Araguaia.
 Criação do município: 8 de junho de 1913
 Gentílico: araguaianense
 Área: 6 415,109 km²
 População: 3 221(2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-Grossense
 Microrregião: Médio Araguaia
 Bioma:
 Distância até a capital: 454 km

11 - ARAGUAINHA
Araguainha foi ocupada por conta de atividades garimpeiras, sendo
Aprígio José de Lima o grande pioneiro da região. Foi a determinação de
Aprígio Lima que possibilitou a ocupação definitiva dessa porção territorial
situada na região do Vale do Rio Araguaia. Classificada como centro local.
 Origem do nome: Localização próxima ao Ribeirão Araguainha, no
município de Alto Araguaia.
 Criação do município: Foi criado através da lei estadual nº 1.946, de 22
de novembro de 1963.
 Gentílico: araguainhense
 Área: 688,676 km²
 População: 1 000
 Mesorregião: Sudeste Mato-Grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distancia da capital: 445 km

12 - ARAPUTANGA
Município surgido de movimento de colonização programada pelo
governo estadual na década de 1940. Na hierarquia da rede urbana regional,
Araputanga é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: A denominação Araputanga é uma referência a grande
quantidade de mogno (madeira também chamada de araputanga)
existente na região.
 Criação do município: 14 de dezembro de 1979
 Gentüico: Araputanguense
 Área: 1.602,73 km2
 População: 15.387 (2010) (16 223 hab. estimativa IBGE/2017)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 371 km
13 - ARENÁPOLIS
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Arenápolis é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Areias, em cujas
margens surgiu um povoado ligado ao garimpo de diamantes, origem do
município.
 Criação do município: 15 de dezembro de 1953
 Gentüico: Arenapolitano
 Área: 414,68 km2
 População: 10.355 (2010) (9 576 hab. estimativa IBGE/2016)
 Mesorregião: Centro-Sul Matogrossense
 Microrregião: Alto Paraguai
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 259 km

14 - ARIPUANÃ
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral e o extrativismo da borracha. De história e movimentação antiga, a
primeira sede municipal estava localizada cerca de 200 quilômetros de
distância da atual, na margem do rio Roosevelt. Os primeiros prefeitos
governavam o município a partir de um escritório montado em Cuiabá.
Na década de 1960 a sede do município foi mudada para a margem do
rio Aripuanã, na altura dos saltos Dardanelos e Andorinha. Na hierarquia da
rede urbana regional, Aripuanã é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é uma referência ao rio
Aripuanã, que margeia sede municipal.
 Criação do município: 31 de dezembro de 1943
 Gentüico: Aripuanense
 Área: 24.651,58 km2
 População: 18.581 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 976 km

15 - BARÃO DE MELGAÇO
Barão de Melgaço é considerado o mais pantaneiro de todos os
municípios mato- grossenses: do total de sua área territorial, pouco mais de
2% é formado por terra firme. Na hierarquia da rede urbana regional, Barão de
Melgaço é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é uma homenagem a Augusto
Leverger, o Barão de Melgaço, herói da Guerra do Paraguai.
 Criação do município: 12 de dezembro de 1953
 Gentüico: Melgascence
 Área: 11.182,85 km2
 População: 7.591 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Alto Pantanal Bioma: Pantanal
 Distância da capital: 121 km

16 - BARRA DO BUGRES
A atividade econômica que originou o município foi o extrativismo da
poaia. Na hierarquia da rede urbana regional, Barra do Bugres é classificada
pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio dos Bugres, afluente
do rio Paraguai.
 Criação do município: 31 de dezembro de 1943
 Gentüico: Barra-bugrense
 Área: 5.799,16 km2
 População: 31.058 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Tangará da Serra
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 169 km
17 - BARRA DO GARÇAS
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Barra do Garças é
classificada pelo IBGE como centro sub- regional A.
 Origem do nome: O primeiro nome da localidade foi Barra Cuiabana,
depois Barra do Rio das Garças. A junção dos dois nomes originou o
topônimo Barra do Garças. O vilarejo surgiu no encontro do rio das
Garças com o rio Araguaia.
 Criação do município: 15 de setembro de 1948
 Gentüico: Barra-garcence
 Área: 9.141,84 km2
 População: 56.423 (2010) (58 974 hab. estimativa IBGE/2017)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Médio Araguaia
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 516 km

18 - BOM JESUS DO ARAGUAIA


A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, Bom Jesus do Araguaia é classificada
pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo Bom Jesus do Araguaia é uma
homenagem ao santo padroeiro e ao vale do Araguaia, região onde está
inserido o município.
 Criação do município: 29 de setembro de 1999 Gentüico: Bom-
jesusense-do-araguaia
 Área: 4.279,09 km2
 População: 5.231 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 983 km

19 - BRASNORTE
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Brasnorte é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência à empresa colonizadora da
região, a Colonizadora Brasnort Ltda.
 Criação do município: 05 de setembro de 1986
 Gentüico: Brasnortense
 Área: 15.959,33 km2
 População: 15.280 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 580 km

20 - CÁCERES
Município fundado em 1778. Desenvolveu-se na segunda metade do
século XIX com a navegação pelo rio Paraguai, a instalação de charqueadas
e a exploração da poaia e da borracha. Na hierarquia da rede urbana regional,
Cáceres é classificada pelo IBGE como centro sub-regional A.
 Origem do nome: A denominação Cáceres é uma homenagem a Luís de
Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, quarto governador da capitania
de Mato Grosso e fundador da localidade.
 Criação do município: 28 de junho de 1850
 Gentüico: Cacerense Área: 24.398,40 km2
 População: 87.912 (2010) (91 271 (MT 6º) hab. estimativa IBGE/2017)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Alto Pantanal
 Bioma: Cerrado, Amazônia e Pantanal
 Distância da capital: 250 km
21 - CAMPINÁPOLIS
A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária.
Na hierarquia da rede urbana regional, Campinápolis é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: A denominação Campinápolis é resultante da união
dos termos Campinas de Goiânia e Anápolis, em homenagem a famílias
oriundas dessas duas localidades do estado de Goiás.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentüico: Campinapolense
 Área: 5.970,46 km2
 População: 14.222 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 565 km

22 - CAMPO NOVO DO PARECIS


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Campo Novo do Parecis é classificada pelo IBGE como centro de
zona B.
 Origem do nome: O primeiro nome da localidade foi Campos Novos,
mais tarde mudada para Campo Novo. Com a criação do município foi
acrescentado o termo Parecis, uma referência ao povo Paresi.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentílico: Campo-pareciense
 Área: 9.448,38 km2
 População: 27.574 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Parecis
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 397 km

23 - CAMPO VERDE
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Campo Verde é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência às lavouras de soja que
ocupam extensas áreas no município. Essa monocultura foi trazida pelos
colonos do Sul do país e se desenvolveu graças à topografia plana do
relevo e terras favoráveis ao seu cultivo.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentílico: Campo-verdense
 Área: 4.794,56 km2
 População: 31.612 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Primavera do Leste
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 139 km

24 - CAMPOS DE JÚLIO
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Campo de Júlio é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é uma homenagem ao ex-
governador de Mato Grosso Júlio Campos.
 Criação do município: 28 de novembro de 1994
 Gentüico: Campojuliense
 Área: 6.804,58 km2
 População: 5.019 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Parecis
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 692 km
25 - CANABRAVA DO NORTE
Município colonizado por goianos e maranhenses. Na hierarquia da
rede urbana regional, Canabrava do Norte é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome do município é referência a uma espécie de
cana de grande espessura que floresce nas margens de córregos.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentílico: Canabravense
 Área: 3.449,98 km2
 População: 4.767 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 1.132 km

26 - CANARANA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Canarana é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é referência a um capim da
região e foi escolhido pelo pastor luterano Norberto Schwantes, o
colonizador da região.
 Criação do município: 26 de dezembro de 1979
 Gentílico: Canaranense
 Área: 10.834,33 km2
 População: 18.701 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 838 km

27 - CARLINDA
Projeto de colonização desenvolvido pela Indeco. Na hierarquia da
rede urbana regional, Carlinda é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é uma referência ao rio
Carlinda.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1994
 Gentüico: Carlindense
 Área: 2.417,21 km2
 População: 10.985 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alta Floresta
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 724 km

28 - CASTANHEIRA
Projeto de colonização desenvolvido pela Codemat. Na hierarquia da
rede urbana regional, Castanheira é classificada pelo IBGE como centro
local.
 Origem do nome: A denominação do município é uma referência ao
castanheiro ou castanha-do-pará, árvore de grande porte existente na
região Amazônica.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentüico: Castanheirense
 Área: 3.948,86 km2
 População: 8.231 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 780 km
29 - CHAPADA DOS GUIMARÃES
A origem do núcleo urbano de Chapada dos Guimarães está ligada a
implantação da Missão de Santana do Sacramento, para a redução de
índios, no ano de 1751, pelo padre jesuíta Estevão de Castro. Na hierarquia
da rede urbana regional, Chapada dos Guimarães é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem a Guimarães, cidade
berço da nação portuguesa, e foi dado em 1769 pelo terceiro governador
da capitania de Mato Grosso, Luiz Pinto de Souza Coutinho.
 Criação do município: 15 de dezembro de 1953
 Gentüico: Chapadense
 Área: 6.206,57 km2
 População: 17.799 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Cuiabá
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 65

30 - CLÁUDIA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Cláudia é classificada pelo IBGE como centro local.
Origem do nome: O nome Cláudia foi dado pela diretoria da Colonizadora
Sinop, a empresa responsável pelo povoamento do núcleo que originou o
atual município.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentílico: Claudiense
 Área: 3.820,95 km2
 População: 10.972 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 608 km

31 - COCALIHO
Município surgido de movimento de colonização programada pelo
governo estadual na década de 1920. Na hierarquia da rede urbana
regional, Cocalinho é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome Cocalinho é diminutivo de coqueiro-da-baía,
palmeira que frutifica em locais quentes.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Cocalinhense
 Área: 16.538,83 km2
 População: 5.498 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Médio Araguaia
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 765 km

32- COLIDER
Projeto de colonização desenvolvido pela Colonizadora Líder. Na
hierarquia da rede urbana regional, Colíder é classificada pelo IBGE como
centro de zona B.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora
da região: Colonizadora Líder.
 Criação do município: 18 de dezembro de 1979
 Gentílico: Colidense
 Área: 3.038,25 km2
 População: 30.864 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Colider
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 648 km
33 - COLNIZA
Município colonizado inicialmente por sulistas. Recebeu,
posteriormente, grande número de migrantes oriundos do estado de
Rondônia. Foi palco de intensa atividade garimpeira. Na hierarquia da rede
urbana regional, Colniza é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora
da região: Colniza - Colonização Comércio e Indústria Ltda.
 Criação do município: 26 de novembro de 1998
 Gentílico: Colnizense
 Área: 27.947,65 km2 (maior município de Mato Grosso em extensão
territorial)
 População: 26.390 (2010) (36 161 hab. estimativa IBGE/2017)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 1.065 km

34 - COMODORO
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Comodoro é classificada pelo IBGE como centro local.
Origem do nome: O nome Comodoro foi dado por José Carlos Piovesan, o
colonizador da região.
Criação do município: 13 de maio de 1986
Gentílico: Comodorense
Área: 21.743,36 km2
População: 18.157 (2010)
Mesorregião: Norte Mato-grossense
Microrregião: Parecis
Bioma: Cerrado e Amazônia
Distância da capital: 677 km

35 - CONFRESA
Município colonizado por nordestinos. Na hierarquia da rede urbana
regional, Confresa é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora da
região: Colonizadora Frenova Sapeva.
Criação do município: 20 de dezembro de 1991
Gentílico: Confresense
Área: 5.796,38 km2
População: 25.127 (2010)
Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
Microrregião: Norte Araguaia
Bioma: Cerrado e Amazônia Distância da capital: 1.160 km

36 - CONQUISTA D’OESTE
A formação da vila se deu em virtude de um projeto de assentamento
implementado pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Conquista
d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência à fazenda Conquista,
em cuja sede foi implantado o projeto de colonização desenvolvido pelo
Incra.
 Criação do município: 28 de dezembro de 1999
 Gentílico: Conquistense d’oeste
 Área: 2.698,01 km2
 População: 3.388 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Alto Guaporé
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 571 km
37 - COTRIGUAÇU
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Cotriguaçu é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa colonizadora
da região: Cotriguaçu Colonizadora do Aripuanã S/A.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentílico: Cotriguaçuense
 Área: 9.490,99 km2
 População: 14.987 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 920 km

38 - CUIABÁ
Cidade fundada pelos bandeirantes paulistas no século XVIII. Na
hierarquia da rede urbana regional, Cuiabá é classificada pelo IBGE como
capital regional A.
 Origem do nome: Existem várias versões sobre a origem do nome
Cuiabá. A mais tradicional afirma que o nome tem origem na palavra
bororo ikuiapá, que significa lugar onde se pesca com flecha-arpão.
Outra tese, mais recente, é a de que Cuiabá seria uma aglutinação de
kyyaverá em cuyaverá, depois cuiavá e finalmente cuiabá. O termo
guarani kyyaverá significa rio da lontra brilhante.
 Criação do município: 08 de abril de 1719
 Gentílico: Cuiabano, cuiabense ou papa-peixe
 Área: 3.538,17 km2
 População: 551.350 (2010) 590 118 hab. MT: 1º IBGE/2017)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Cuiabá
 Bioma: Cerrado e Pantanal
 Distância da capital: 0

39 - CURVELÂNDIA
A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, Curvelândia é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: A primeira denominação do local foi “Curva do Boi”,
em referência a um acidente ocorrido em uma curva na estrada onde
morreram vários bois. A denominação foi alterada para Curvelândia
quando passou pelo processo de emancipação.
 Criação do município: 28 de janeiro de 1998
 Gentílico: Curvelandense
 Área: 748,36 km2
 População: 4.898 (2010)
Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
Microrregião: Alto Pantanal
Bioma: Amazônia e Pantanal
Distância da capital: 311 km

40 - DENISE
A atividade econômica que deu originou o município foi a agricultura
de subsistência e a pecuária extensiva. Na hierarquia da rede urbana
regional, Denise é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à filha de Júlio da
Costa Marques, o colonizador da região.
 Criação do município: 06 de maio de 1982
 Gentüico: Denisiense
 Área: 1.300,92 km2
 População: 8.494 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Tangará da Serra
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 208 km
41 - DIAMANTINO
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Diamantino é classificada
pelo IBGE como centro de zona A.
 Origem do nome: O nome é uma referência às minas de diamante
descobertas em 1728.
 Criação do município: 23 de novembro de 1820
 Gentüico: Diamantinense
 Área: 7.630,21 km2
 População: 20.420 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Parecis
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 209 km

42 - DOM AQUINO
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Dom Aquino é classificada
pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é uma homenagem a D.
Francisco de Aquino Corrêa, arcebispo de Cuiabá.
 Criação do município: 22 de dezembro de 1958
 Gentüico: Dom-aquinense
 Área: 2.205,08 km2
 População: 8.131 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 172 km

43 - FELIZ NATAL
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Feliz Natal é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: A denominação é uma referência ao rio Feliz Natal,
pequeno curso d’água que corta o município.
 Criação do município: 17 de novembro de 1995
 Gentüico: Feliz-natalense
 Área: 11.448,05 km2
 População: 10.933 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 538 km

44 - FIGUEIRÓPOLIS D’OESTE
Município colonizado por mineiros, goianos, paranaenses e
nordestinos. A pavimentação da BR-364 impulsionou o desenvolvimento
da região. Na hierarquia da rede urbana regional, Figueirópolis d’Oeste é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é uma homenagem a família
Figueiredo, desbravadora do local.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Figueiropolitano ou figueiropolense-do-oeste
 Área: 890,95 km2
 População: 3.805 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia e Pantanal
 Distância da capital: 402 km
45 - GAÚCHA DO NORTE
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Gaúcha do Norte é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à empresa
colonizadora da região- Colonizadora Gaúcha.
 Criação do município: 17 de novembro de 1995
 Gentílico: Gauchenses-do-norte
 Área: 16.898,57 km2
 População: 6.287 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Paranatinga
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 595 km

46 - GENERAL CARNEIRO
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral.
Em 1892 foi instalado um posto avançado da expedição que implantava a
linha telegráfica ligando Mato Grosso a Goiás. Na hierarquia da rede urbana
regional, General Carneiro é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao general Antônio
Ernesto Gomes Carneiro, comandante da Comissão Construtora de
Linhas Telegráficas que ligou Mato Grosso a Goiás.
 Criação do município: 03 de dezembro de 1963
 Gentüico: General-carneirense
 Área: 3.721,08 km2
 População: 5.018 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 449 km

47 - GLÓRIA D’OESTE
A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, Glória d’Oeste é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O nome primitivo do local era Cruzeiro d’Oeste.
Quando da emancipação foi realizado um plebiscito pela comunidade,
que optou pela denominação Glória d’Oeste (já existia um município com
o nome de Cruzeiro d’Oeste no estado do Paraná).
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentílico: Glorienses-do-oeste
 Área: 846,05 km2
 População: 3.125 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia e Pantanal
 Distância da capital: 304 km

48 - GUARANTÃ DO NORTE
Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra em parceria com a
Cotrel. Na hierarquia da rede urbana regional, Guarantã do Norte é
classificada pelo IBGE como centro local.
Origem do nome: O nome guarantã é referência a uma árvore típica da
região.
Criação do município: 13 de maio de 1986
Gentílico: Guarantanhense
Área: 4.713,04 km2
População: 32.150 (2010)
Mesorregião: Norte Mato-grossense
Microrregião: Colider
Bioma: Amazônia
Distância da capital: 721 km
49 - GUIRATINGA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Guiratinga é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: A primeira denominação do local foi Lageado. Como já
existia uma cidade no Rio Grande do Sul com o mesmo nome, em 1943 a
denominação foi alterada para Guiratinga, que em tupi-guarani tem o
significado de garça branca, ave abundante na região.
 Criação do município: 29 de março de 1938
 Gentüico: Guiratinguense
 Área: 5.358,32 km2
 População: 13.867 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 334 km

50 - INDIAVAÍ
A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, Indiavaí é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O termo Indiavaí ainda precisa de estudos para
compreender seu significado. Moradores locais afirmam que é de origem
indígena: indi (índia) e avaí{feia), ou seja, índia feia.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Indiavaiense
 Área: 600,33 km2
 População: 2.407 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 398 km

51 - IPIRANGA DO NORTE
Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Ipiranga do Norte é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao projeto original de colonização denominado Projeto Ipiranga, que tinha como
referência a fazenda Ipiranga.
 Criação do município: 29 de março de 2000
 Gentílico: Ipiranguense
 Área: 3.440,16 km2
 População: 5.123 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 455 km

52 - ITANHANGÁ
Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra. Na hierarquia da rede urbana regional, Itanhangá é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O nome foi escolhido em plebiscito pela comunidade por ocasião do processo de emancipação. Na língua
tupi-guarani a palavra Itanhangá significa pedra de fogo.
 Criação do município: 29 de março de 2000
 Gentüico: Itanhangaense
 Área: 2.896,10 km2
 População: 5.160 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 447 km
53 - ITAÚBA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Itaúba é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é referência a uma árvore típica da região.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentüico: Itaubense
 Área: 4.538,34 km2
 População: 4.570 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 599 km

54 - ITIQUIRA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Na hierarquia da rede urbana regional, Itiquira é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Itiquira, que atravessa
a sede municipal.
 Criação do município: Iº de dezembro de 1953
 Gentüico: Itiquirense
 Área: 8.638,69 km2
 População: 11.493 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado e Pantanal
 Distância da capital: 359 km

55 - JACIARA
Projeto de colonização desenvolvido pela Cipa. Recebeu migrantes
paulistas, mineiros, nordestinos e sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Jaciara é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: O nome Jaciara tem origem tupi-guarani e foi extraído
da obra A serpente de bronze, de Humberto de Campos, que conta a
lenda da índia Jaciara, a Senhora da Lua.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1958
 Gentüico: Jaciarense
 Área: 1.658,72 km²
 População: 25.666 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 148 km

56 - JANGADA
A atividade econômica que originou o município foi o comércio. Na
hierarquia da rede urbana regional, Jangada é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao ribeirão Jangada, que
corta a sede municipal.
 Criação do município: 11 de setembro de 1976
 Gentüico: Jangadense
 Área: 1.021,94 km²
 População: 7.696 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Rosário Oeste
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 82 km
57 - JAURU
Município colonizado por paulistas e mineiros. Na hierarquia da rede
urbana regional, Jauru é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Jauru, que corta o
território do município.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1979
 Gentüico: Jauruense
 Área: 1.832,78 km²
 População: 10.461 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 463 km

58 - JUARA
Projeto de colonização desenvolvido pela Sibal. Na hierarquia da rede
urbana regional Juara é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: Há duas versões para a origem do topônimo: uma, que
se originou da junção dos nomes dos rios Juruena e Arinos, formando a
palavra Juarinos, posteriormente simplificada para Juara; a outra que
Juara é palavra de origem tupi- guarani e significa menina-moça.
 Criação do município: 23 de setembro de 1981
 Gentüico: Juarense
 Área: 21.387,33 km²
 População: 32.769 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Arinos
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 690 km

59 - JUÍNA
Projeto de colonização desenvolvido pela Codemat. Na hierarquia da
rede urbana regional, Juína é classificada pelo IBGE como centro de zona A.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Juína, que na língua
paresi significa rio do gavião.
 Criação do município: 09 de maio de 1982
 Gentüico: Juinense
 Área: 26.251,28 km²
 População: 39.260 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 737 km

60 - JURUENA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Juruena é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: A denominação é uma referência ao rio Juruena e uma
homenagem à Juruena Empreendimentos de Colonização Ltda, a
empresa que colonizou a região.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentílico: Juruenense
 Área: 3.220,45 km2
 População: 11.269 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 893 km
61 - JUSCIMEIRA
Município colonizado por mineiros e paulistas. Na hierarquia da rede
urbana regional, Juscimeira é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma junção de Juscelândia (antigo nome da
cidade, em homenagem a Juscelino Kubitschek) com Limeira (cidade
paulista de onde alguns dos primeiros colonos eram oriundos).
 Criação do município: 10 de dezembro de 1979
 Gentílico: Juscimeirense
 Área: 2.205,02 km²
 População: 11.434 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Matogrossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado e Pantanal
 Distância da capital: 164 km

62- LAMBARI D’OESTE


Município colonizado por mineiros e capixabas. Na hierarquia da rede
urbana regional, Lambari d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: 0 nome do município é uma referência ao córrego
Lambari, curso d’água que atravessa o território municipal.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentüico: Lambariense
 Área: 1.337,25 km²
 População: 5.438 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia e Pantanal
 Distância da capital: 327 km

63 - LUCAS DO RIO VERDE


Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra. Na hierarquia da rede
urbana regional, Lucas do Rio Verde é classificada pelo IBGE como centro de
zona B.
 Origem do nome: O nome do município é referência ao seringalista
Francisco Lucas de Barros e ao rio Verde, curso d’água que corta o
território do município.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentílico: Luquense
 Área: 3.659,86 km²
 População: 45.545 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 360 km

64 - LUCIARA
Município surgido de movimento de colonização programada pelo
governo estadual na década de 1960. Na hierarquia da rede urbana regional,
Luciara é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem a Lúcio Pereira da Luz,
desbravador da região.
 Criação do município: 11 de novembro de 1963
 Gentílico: Luciarense
 Área: 4.145,26 km²
 População: 2.229 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 1.180 km
65 - MARCELÂNDIA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Marcelândia é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem a Marcelo, filho de José
Bianchini, proprietário da Colonizadora Maiká, a povoadora da região.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentüico: Marcelandense
 Área: 12.294,14 km²
 População: 11.994 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 712 km

66 - MATUPÁ
Projeto de colonização desenvolvido pela Agropecuária Cachimbo S/A.
Na hierarquia da rede urbana regional, Matupá é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome Matupá foi dado pela diretoria do Grupo
Ometto, e designa uma porção de terra, com vegetação, que se
desprende das barrancas dos rios da bacia Amazônica e desce à deriva
da correnteza.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentüico: Matupaense
 Área: 5.151,85 km²
 População: 14.172 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Colider
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 696 km

67 - MIRASSOL D’OESTE
Município colonizado por paulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Mirassol d’Oeste é classificada pelo IBGE como centro de zona A.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à cidade paulista de
Mirassol, localidade de origem das famüias dos idealizadores de Mirassol
d’Oeste, os Srs. Antonio Lopes Molon e Benedito Cesário da Cruz, que
vieram para a região por volta de 1958.
 Criação do município: 14 de maio de 1976
 Gentüico: Miradolense
 Área: 1.072,54 km²
 População: 25.331 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia e Pantanal
 Distância da capital: 329 km

68 - NOBRES
De ocupação antiga, Nobres era ponto de passagem entre Cuiabá,
Rosário Oeste e Diamantino no século XVIII. Na hierarquia da rede urbana
regional, Nobres é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à família do Sr. Francisco
Nobre, dono de uma das sesmarias que deu origem à localidade.
 Criação do município: 11 de novembro de 1963
 Gentílico: Nobrense
 Área: 3.859,51 km²
 População: 15.011 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 151 km
69 - NORTELÂNDIA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. A ocupação definitiva ocorreu a partir de 1937 com a migração de
nordestinos. Na hierarquia da rede urbana regional, Nortelândia é classificada
pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome da cidade é uma homenagem aos migrantes
nordestinos, chamados de nortistas, que colonizaram a região.
 Criação do município: 16 de dezembro de 1953
 Gentílico: Nortelandense
 Área: 1.350,78 km²
 População: 6.438 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Alto Paraguai
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 254 km

70 - NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO


A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral.
Na hierarquia da rede urbana regional, Nossa Senhora do Livramento é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à padroeira da localidade.
 Criação do município: 19 de maio de 1883
 Gentílico: Livramentense
 Área: 5.192,57 km²
 População: 11.592 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Cuiabá
 Bioma: Cerrado e Pantanal
 Distância da capital: 42 km

71 - NOVA BANDEIRANTES
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Nova Bandeirantes é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência à Colonizadora
Bandeirantes, companhia povoadora da região.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentílico: Nova bandeirantense
 Área: 9.531,21 km²
 População: 11.630 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alta Floresta Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 980 km

72 - NOVA BRASILÂNDIA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. No final da década de 1950 a região tornou-se área de pecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, Nova Brasilândia é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência à fazenda Brasil, onde
foi implantada a vila que originou a sede municipal.
 Criação do município: 10 de dezembro de 1979
 Gentílico: Brasilandense
 Área: 3.266,22 km²
 População: 4.593 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Paranatinga
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 223 km
73 - NOVA CANAÃ DO NORTE
Inicialmente o município foi projeto de colonização desenvolvido pela
Colonizadora Líder. Com o fracasso da empreitada, o Incra saiu em socorro
dos colonos, promovendo a regularização fundiária de 3.540 famílias. Na
hierarquia da rede urbana regional, Nova Canaã do Norte é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo Nova Canaã do Norte foi sugestão de D.
Henrique Froehlich, bispo de Sinop.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Canaense
 Área: 5.968,99 km²
 População: 12.132 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Colider
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 696 km

74 - NOVA GUARITA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Nova Guarita é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma homenagem à cidade gaúcha de
Guarita, local de origem de grande parte dos colonos migrantes.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentüico: Nova guaritense
 Área: 1.087,31 km²
 População: 4.929 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Colider
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 667 km

75 - NOVA LACERDA
A atividade econômica que originou o município foi a pecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, Nova Lacerda é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: A denominação Nova Lacerda é uma homenagem ao
ex-deputado José Lacerda, autor do projeto de lei que criou o município.
 Criação do município: 26 de dezembro de 1995
 Gentílico: Novo-lacerdense
 Área: 4.734,16 km²
 População: 5.469 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Alto Guaporé
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 546 km

76 - NOVA MARILÂNDIA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração
mineral. Recebeu migrantes de Minas Gerais, Bahia e Santa Catarina. Na
hierarquia da rede urbana regional, Nova Marilândia é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O topônimo Nova Marilândia é uma referência ao
ribeirão Maria Joana, curso d’água que atravessa a sede municipal.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentílico: Novo marilandense ou marilandense
 Área: 1.942,82 km² População: 2.925 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Alto Paraguai
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 261 km
77 - NOVA MARINGÁ
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Nova Maringá é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: 0 nome é uma homenagem à cidade paranaense de
Maringá, local de origem de Antônio José da Silva, fundador do núcleo de
colonização que originou o município.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentüico: Nova maringaense
 Área: 11.512,47 km² População: 6.590 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Arinos
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 392 km

78 - NOVA MONTE VERDE


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Nova Monte Verde é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: A denominação é de origem geográfica, em referência
ao Monte Verde, local elevado em que erguido o núcleo urbano inicial de
colonização.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentüico: Nova monteverdense
 Área: 6.500,17 km²
 População: 8.088 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alta Floresta
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 920 km

79 - NOVA MUTUM
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Nova Mutum é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: O nome deriva da ave mutum, um pássaro de cor preta,
típico da região.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentüico: Mutuense
 Área: 9.537,92 km²
 População: 31.633 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 269 km

80 - NOVA NAZARÉ
Região de muitos conflitos agrários, o povoado inicial foi formado a partir
de vários assentamentos promovidos pelo Incra. Recebeu muitos migrantes do
estado de Goiás. Na hierarquia da rede urbana regional, Nova Nazaré é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo foi dado em homenagem à cidade onde
Jesus Cristo passou sua infância.
 Criação do município: 28 de dezembro de 1999
 Gentílico: Nova-nazareense
 Área: 4.038,70 km²
 População: 3.021 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 800 km
81 - NOVA OLÍMPIA
A atividade econômica que originou o município foi o extrativismo da
borracha e da poaia. Na hierarquia da rede urbana regional, Nova Olímpia é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome foi dado por Belizário de Almeida, desbravador
da região, em homenagem à sua cidade de origem: Olímpia, no estado de
São Paulo.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Nova olimpiense
 Área: 1.567,67 km²
 População: 17.529 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Tangará da Serra
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 207 km

82 - NOVA SANTA HELENA


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Nova Santa Helena é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à padroeira da localidade.
 Criação do município: 28 de janeiro de 1998
 Gentílico: Nova-santa-helenense
 Área: 2.208,02 km²
 População: 3.475 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 622 km

83 - NOVA UBIRATÃ
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Nova Ubiratã é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome da localidade é uma referência à fazenda
Ubiratã, em cujo território desenvolveu-se o núcleo urbano que deu origem
ao município.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1995
 Gentílico: Novo-ubiratãense
 Área: 12.694,97 km²
 População: 9.245 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 506 km

84 - NOVA XAVANTINA
A criação de Nova Xavantina está ligada à implantação de um ponto de
apoio da Expedição Roncador-Xingu às margens do rio das Mortes no ano de
1944. Na hierarquia da rede urbana regional, Nova Xavantina é classificada pelo
IBGE como centro local. Origem do nome: O nome do município tem sua
origem na junção de dois povoados que possuíam denominações diferentes:
Xavantina, situado à margem direita do rio das Mortes, era assim denominado
devido ao povo primitivo da região - o Xavante; o segundo povoado, surgido
posteriormente à margem esquerda, era conhecido por Nova Brasília. Com a
criação do município ocorreu uma junção dos dois nomes em um só topônimo:
Nova Xavantina.
 Criação do município: 03 de março de 1980
 Gentílico: Nova xavantinense
 Área: 5.526,73
 População: 19.475 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 651 km
85 - NOVO HORIZONTE DO NORTE
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Novo Horizonte do Norte é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome foi dado por José Kara José, proprietário da
Imobiliária Mato Grosso, a colonizadora da região.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Novo-horizontino
 Área: 938,39 km² População: 3.746 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Arinos
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 663 km

86 - NOVO MUNDO
Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra. Na hierarquia da rede
urbana regional, Novo Mundo é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: Palco de intensa atividade garimpeira no começo dos
anos 1980, o nome da localidade é uma referência à Mineradora Ouro
Novo, que operou os garimpos da região. Posteriormente, moradores da
localidade modificaram para Novo Mundo, uma alusão ao mito do eldorado
provocado pelo garimpo.
 Criação do município: 17 de novembro de 1995
 Gentílico: Novo-mundense
 Área: 5.801,77 km²
 População: 7.069 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Colider
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 791 km

8 7 - NOVO SANTO ANTÔNIO


Município colonizado por nordestinos. Na hierarquia da rede urbana
regional, Novo Santo Antônio é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao padroeiro da localidade.
 Criação do município: 29 de setembro de 1999
 Gentílico: Novo-santo-antoniense
 Área: 4.368,46 km²
 População: 2.005 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 1.063 km

88 - NOVO SÃO JOAQUIM


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Novo São Joaquim é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência ao santo padroeiro da
localidade.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: São-joaquinense
 Área: 5.333,59 km²
 População: 6.043 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 493 km
89 - PARANAÍTA
Projeto de colonização desenvolvido pela Indeco. O município foi palco
de atividade garimpeira na década de 1980. Na hierarquia da rede urbana
regional, Paranaíta é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao Paraná, estado de
origem da maioria dos colonos migrantes.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Paranaitense
 Área: 4.830,14 km²
 População: 10.690 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alta Floresta
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 849 km

90 - PARANATINGA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral.
Na hierarquia da rede urbana regional, Paranatinga é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O nome do município é uma referência ao rio
Paranatinga, curso d’água que atravessa a sede municipal.
 Criação do município: 17 de dezembro de 1979
 Gentüico: Paranatinguense
 Área: 24.177,57 km2
 População: 19.280 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Paranatinga
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 411 km

91 - PEDRA PRETA
A atividade econômica que originou o município foi a agricultura. Na
hierarquia da rede urbana regional, Pedra Preta é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência às inúmeras pedras de cor
preta que emergem do leito de um córrego que corta a sede municipal.
 Criação do município: 13 de maio de 1976
 Gentílico: Pedra-pretense
 Área: 4.193,21 km2
 População: 15.693 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 243 km

92 - PEIXOTO DE AZEVEDO
Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra em parceria com a Cotrel.
O município foi palco de intensa atividade garimpeira na década de 1980. Na
hierarquia da rede urbana regional, Peixoto de Azevedo é classificada pelo IBGE
como centro de zona B.
 Origem do nome: A denominação é uma homenagem ao tenente de
milícias Antonio Peixoto de Azevedo, que em 1819 realizou a exploração do
rio Teles Pires.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Peixotense
 Área: 14.398,66 km2
 População: 30.762 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Colider
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 692 km
93 - PLANALTO DA SERRA
A atividade econômica que originou o município foi a agricultura. Na
hierarquia da rede urbana regional, Planalto da Serra é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência a Serra Azul, unidade de
relevo no qual está situado o núcleo urbano.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentüico: Planaltense-da-serra
 Área: 2.454,11 km²
 População: 2.726 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Paranatinga
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 254 km

94 - POCONÉ
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral.
Na hierarquia da rede urbana regional, Poconé é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência aos Beripoconé, tribo indígena
que habitava a região.
 Criação do município: 25 de outubro de 1831
 Gentüico: Poconeano
 Área: 17.260,86 km2
 População: 31.778 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Alto Pantanal
 Bioma: Cerrado e Pantanal
 Distância da capital: 104 km

95 - PONTAL DO ARAGUAIA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral.
Na hierarquia da rede urbana regional, Pontal do Araguaia é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Araguaia.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentüico: Pontalense
 Área: 2.755,10 km2
 População: 5.427 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 518 km

96 - PONTE BRANCA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral.
Na hierarquia da rede urbana regional, Ponte Branca é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: 0 nome é uma referência a uma ponte de madeira
branca construída sobre o rio Araguaia na década de 1930 a mando do
interventor do estado de Goiás.
 Criação do município: Io de dezembro de 1953
 Gentüico: Ponte-branquense
 Área: 687,81 km2
 População: 1.783 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 502 km
97 - PONTES E LACERDA
Município colonizado por paulistas, mineiros e sulistas. Na hierarquia da
rede urbana regional, Pontes e Lacerda é classificada pelo IBGE como centro de
zona B.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem aos cartógrafos e astrônomos
Antonio Pires da Silva Pontes e Francisco de José Lacerda e Almeida, que no
ano de 1874 elaboraram a primeira carta geográfica dos rios da região.
 Criação do município: 29 de dezembro de 1979
 Gentílico: Lacerdense
 Área: 8.423,35 km²
 População: 41.386 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Alto Guaporé
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distancia da capital: 48,3. km.

98 - PORTO ALEGRE DO NORTE


Município colonizado por goianos, nordestinos e sulistas. Na hierarquia da
rede urbana regional, Porto Alegre do Norte é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O topônimo é referência ao porto existente no rio Tapirapé,
utilizado pelos comerciantes procedentes de Luciara para se atingir o
povoado que deu origem ao núcleo urbano do município.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Porto-alegrense
 Área: 3.977,42 km²
 População: 10.754 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 1.143 km

99 - PORTO DOS GAÚCHOS


Porto dos Gaúchos tem origem na empresa CONOMALI - Colonizadora
Noroeste Matogrossense S/A, que na década de cinquenta era sediada em Santa
Rosa, no Estado do Rio Grande do Sul. A iniciativa da empresa era fruto do
esforço colonizador do Estado de Mato Grosso, na década de cinquenta. Na
hierarquia da rede urbana regional, Porto dos Gaúchos é classificada pelo IBGE
como centro local. O maior abalo já registrado em território nacional ocorreu em
31 de janeiro de 1955 nesta cidade. O abalo sísmico chegou a 6,6 graus na escala
Richter.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem aos migrantes gaúchos,
formadores do núcleo urbano inicial do município. A chegada ao povoado era
feita por um porto existente no rio Arinos, único meio de acesso à localidade
em seus primeiros tempos.
 Criação do município: 11 de novembro de 1963
 Gentílico: Porto-gauchense
 Área: 7.011,55 km2
 População: 5.448 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Arinos
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 644 km

100 - PORTO ESPERIDIÃO


O município teve sua origem em um posto telegráfico instalado pela
Comissão Rondon. Na hierarquia da rede urbana regional, Porto Esperidião é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao engenheiro Manoel
Esperidião da Costa Marques que realizou estudos sobre a viabilidade da
navegação no rio Jauru em 1898.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Portense
 Área: 5.815,31 km2
 População: 10.950 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia e Pantanal
 Distância da capital: 358 km
101 - PORTO ESTRELA
A atividade econômica que originou o município foi o extrativismo da poaia.
Na hierarquia da rede urbana regional, Porto Estrela é classificada pelo IBGE
como centro local.
 Origem do nome: O nome é referência ao solo rosado, adornado de pedras
brancas, que se formava no leito do rio Paraguai no período da estiagem.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentílico: Portoestrelense
 Área: 2.065,24 km²
 População: 3.639 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Tangará da Serra
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 198 km

102 - POXORÉO
As origens de Poxoréu são garimpeiras. O primeiro diamante foi
encontrado no dia 29 de junho de 1924 e por isso deram o nome de São Pedro ao
córrego. A notícia do diamante se espalhou e a região dos córregos São Paulo,
Pombas, Sete, São Pedro provocando uma corrida garimpeira para o local. Na
hierarquia da rede urbana regional, Poxoréo é classificada pelo IBGE como centro
local.
 Origem do nome: A primeira denominação foi Morro da Mesa, em referência
ao exuberante morro que tem a forma de mesa talhada. Posteriormente o
nome foi alterado para Poxoréu. Na língua bororo o termo Poxoréo significa
rio de água escura.
 Criação do município: 29 de março de 1938
 Gentüico: Poxoreano
 Área: 6.923,23 km²
 População: 17.602 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 259 km

103 - PRIMAVERA DO LESTE


Município colonizado por paulistas e sulistas. Na hierarquia da rede urbana
regional, Primavera do Leste é classificada pelo IBGE como centro de zona A.
 Origem do nome: O nome foi sugerido pela professora Lilian Maria Ometto
Cosentino, esposa de Edgard Cosentino, colonizador da região.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Primaverense
 Área: 5.472,21 km2 População: 52.114 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Primavera do Leste
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 239 km

104 - QUERÊNCIA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Querência é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: A denominação é uma homenagem aos migrantes
gaúchos, pois é nome típico das estâncias no Rio Grande do Sul.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentílico: Querenciano
 Área: 17.850,25 km²
 População: 13.021 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 912 km
105 - RESERVA DO CABAÇAL
Projeto de colonização desenvolvido pelo governo de Mato Grosso na
década de 1950. Na hierarquia da rede urbana regional, Reserva do Cabaçal é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Cabaçal, curso d’água que
corta a sede municipal.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Reservense
 Área: 1.350,09 km2
 População: 2.578 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 412 km

106 - RIBEIRÃO CASCALHEIRA


Município colonizado por goianos e nordestinos. Na hierarquia da rede
urbana regional, Ribeirão Cascalheira é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao córrego Suiazinho, em cujas
margens surgiu o núcleo urbano que deu origem ao município, e ao fato de o
solo da região ter muito cascalho.
 Criação do município: 03 de maio de 1988
 Gentílico: Cascalheirense
 Área: 11.356,47 km2
 População: 8.880 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 893 km

107 - RIBEIRÃOZINHO
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Na
hierarquia da rede urbana regional, Ribeirãozinho é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: A denominação é referência a um pequeno curso d’água que
banha a sede municipal.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentílico: Ribeirãozense
 Área: 623,45 km2
 População: 2.199 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 465 km

108 - RIO BRANCO


Projeto de colonização desenvolvido pelo governo de Mato Grosso na década
de 1950. Na hierarquia da rede urbana regional, Rio Branco é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é referência ao rio Branco, curso d’água que banha
a sede municipal.
 Criação do município: 13 de dezembro de 1979
 Gentílico: Rio-branquense
 Área: 501,50 km2
 População: 5.061 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 367 km
109 - RONDOLÂNDIA
Localizado em região de difícil acesso, Rondolândia só é alcançado pelo
estado de Rondônia, pois não há acesso terrestre ao município pelo espaço
territorial mato-grossense. Na hierarquia da rede urbana regional, Rondolândia é
classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência ao marechal Cândido Mariano
da Silva Rondon, patrono das comunicações no Brasil.
 Criação do município: 28 de janeiro de 1998
 Gentílico: Rondolandense
 Área: 12.653,69 km2 População: 3.538 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Aripuanã
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 1.600 km

110 - RONDONÓPOLIS
A ocupação da região de Rondonópolis iniciou-se no início do século XX e foi
estimulada pela Comissão Rondon, qu e estabeleceu um acampamento às margens
do rio Vermelho. Na hierarquia da rede urbana regional, Rondonópolis é classificada
pelo IBGE como centro sub-regional A.
 Origem do nome: O topônimo é uma homenagem ao marechal Cândido
Mariano da Silva Rondon.
 Criação do município: 10 de dezembro de 1953
 Gentílico: Rondonopolitano
 Área: 4.165,23 km²
 População: 195.550 (2010) (222 316 hab. MT: 3º) – Estimativa IBGE/2017
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 218 km
 Limites: Juscimeira, Poxoréo, São José do Povo, Itiquira, Pedra Preta, Santo
Antônio de Leverger.

111 - ROSÁRIO OESTE


A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Na
hierarquia da rede urbana regional, Rosário Oeste é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência a Nossa Senhora do Rosário,
padroeira da localidade.
 Criação do município: 25 de julho de 1861
 Gentílico: Rosariense
 Área: 7.504,96 km²
 População: 17.682 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Rosário Oeste
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 133 km

112 - SALTO DO CÉU


Projeto de colonização desenvolvido pelo governo de Mato Grosso na década
de 1950. Na hierarquia da rede urbana regional, Salto do Céu é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência ao Salto do Céu, queda d’água
de grande altura existente no território em que surgiu o município.
 Criação do município: 13 de dezembro de 1979
 Gentílico: Saltense
 Área: 1.741,27 km2
 População: 3.903 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 383 km
113 - SANTA CARMEN
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Santa Carmen é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à Carmen Ribeiro Pitombo, tia
de Nilza Pipino, esposa de Ênio Pipino, o colonizador da região.
 Criação do município: 19 de dezembro de 1991
 Gentílico: Santa-carmense
 Área: 3.920,28 km2
 População: 4.075 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 493 km

114 - SANTA CRUZ DO XINGU


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Santa Cruz do Xingu é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao Projeto Santa Cruz, uma
experiência de colonização desenvolvida pela Corebrasa - Colonizadora e
Representações do Brasil S.A. Criação do município: 28 de dezembro de 1999
Gentílico: Santa-cruzense-do-xingu Área: 5.625,40 km2
 População: 1.899 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 994 km

115 - SANTA RITA DO TRIVELATO


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Santa
Rita do Trivelato é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma homenagem a Colonizara Trivelato, a
empresa responsável pelo projeto de colonização que deu origem ao município.
 Criação do município: 28 de dezembro de 1999
 Gentüico: Trivelatense
 Área: 4.642,29 km2
 População: 2.466 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 445 km

116 - SANTA TEREZINHA


Município surgido de movimento de colonização programada pelo governo
estadual na década de 1950. Na hierarquia da rede urbana regional, Santa
Terezinha é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma homenagem à Santa Teresinha,
padroeira da localidade.
 Criação do município: 04 de março de 1980 *
 Gentüico: Santa-terezinhense
 Área: 6.450,84 km²
 População: 7.399 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 1.329 km
117 - SANTO AFONSO
A atividade econômica que originou o município foi o extrativismo da borracha e
da poaia. Na hierarquia da rede urbana regional, Santo Afonso é classificada pelo
IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo presta homenagem ao padroeiro do município.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentüico: Santo-afonsense
 Área: 1.169,50 km²
 População: 2.974 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Alto Paraguai
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 266 km

118 - SANTO ANTÔNIO DE LEVERGER


De ocupação contemporânea à de Cuiabá, a atividade econômica que
impulsionou o desenvolvimento da localidade foi a cana-de-açúcar. Na hierarquia da
rede urbana regional, Santo Antônio de Leverger é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao santo padroeiro e a Augusto
Leverger, o Barão de Melgaço, herói da Guerra do Paraguai.
 Criação do município: 04 de julho de 1890
 Gentüico: Santo-antoniense
 Área: 12.260,08 km²
 População: 18.409 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Cuiabá
 Bioma. Cerrado e Pantanal
 Distância da capital: 35 km

119 - SANTO ANTÔNIO DO LESTE


A atividade econômica que originou o município foi a agricultura. Na hierarquia
da rede urbana regional, Santo Antônio do Leste é classificada pelo IBGE como
centro local. Origem do nome: O topônimo é uma homenagem a Santo Antônio,
padroeiro da localidade.
 Criação do município: 28 de janeiro de 1998
 Gentílico: Santo-antoniense-do-leste
 Área: 3.285,69 km2
 População: 3.757 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Canarana
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 379 km

120 - SÃO FÉLIX DO ARAGUAIA


O povoamento da região foi estimulado pela Marcha para o Oeste, programa
criado pelo governo de Getúlio Vargas para incentivar a ocupação do Brasil Central.
Recebeu migrantes do Nordeste, de Goiás e de Minas Gerais. Na hierarquia da rede
urbana regional, São Félix do Araguaia é classificada pelo IBGE como centro de
zona A.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem a São Félix, padroeiro da
localidade.
 Criação do município: 13 de maio de 1976
 Gentílico: São-felixcense
 Área: 16.848,22 km2
 População: 10.531 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 1.159 km
121 - SÃO JOSÉ DO POVO
A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, São José do Povo é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: A denominação é uma homenagem ao santo padroeiro.
 Criação do município: 04 de julho de 1989
 Gentílico: Sãojoseense-do-povo
 Área: 444,11 km²
 População: 3.601 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 268 km

122 - SÃO JOSÉ DO RIO CLARO


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, São
José do Rio Claro é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao santo padroeiro e ao rio Claro,
que atravessa o território do município.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1979
 Gentílico: Rio-clarense
 Área: 5.057,85 km2 População: 17.128 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Arinos
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 325 km

123 - SÃO JOSÉ DO XINGU


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, São
José do Xingu é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao santo padroeiro e ao rio Xingu,
que atravessa o território do município.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentílico: São-xinguano
 Área: 7.463,65 km2
 População: 5.267 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 931 km

124 - SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS


Projeto de colonização desenvolvido pela Imobiliária Miras sol. Na hierarquia da
rede urbana regional, São José dos Quatro Marcos é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem ao santo padroeiro e a quatro
marcos assentados no centro do loteamento, que. deu. origem ao núcleo urbano
do projeto de colonização.
 Criação do município: 14 de dezembro de 1979
 Gentüico: Quatro-marquense
 Área: 1.280,85 km2
 População: 18.963 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Jauru
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 343 km
125 - SÃO PEDRO DA CIPA
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Na
hierarquia da rede urbana regional, São Pedro da Cipa é classificada pelo IBGE
como centro local. Origem do nome: O nome é uma homenagem ao santo padroeiro
e à Cipa, a empresa colonizadora que fomentou a ocupação da região.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentílico: Cipense
 Área: 344,46 km² (menor município de Mato Grosso em extensão territorial)
 População: 4.142 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Rondonópolis
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 149 km

126 - SAPEZAL
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Sapezal é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao rio Sapezal, que corta o território
municipal.
 Criação do município: 19 de setembro de 1994
 Gentílico: Sapezalense
 Área: 13.597,51 km²
 População: 18.080 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Parecis
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 473 km

127 - SERRA NOVA DOURADA


A atividade econômica que originou o município foi a agropecuária. Na
hierarquia da rede urbana regional, Serra Nova Dourada é classificada pelo IBGE
como centro local. Origem do nome: O topônimo é referência a uma serra existente
na região.
 Criação do município: 29 de setembro de 1999
 Gentílico: Serra douradense
 Área: 1.479,89 km²
 População: 1.365 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 1.125 km

128 - SINOP
Polo de referência do norte de Mato Grosso, as principais atividades
econômicas de Sinop são a prestação de serviços, a agropecuária e a indústria
madeireira. Na hierarquia da rede urbana regional, Sinop é classificada pelo IBGE
como centro sub-regional A.
 Origem do nome: O nome do município é uma homenagem à Colonizadora
Sinop, empresa responsável pela colonização da região.
 Criação do município: 17 de dezembro de 1979
 Gentílico: Sinopense
 Área: 3.964,00 km²
 População: 113.082 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 503 km
129 - SORRISO
Município colonizado por sulistas. Maior produtor de grãos do país. Na
hierarquia da rede urbana regional, Sorriso é classificada pelo IBGE como centro de
zona A.
 Origem do nome: O topônimo Sorriso foi dado pelo Sr. Alberto Francio, sócio da
Colonizadora Feliz, a empresa que colonizou a região, em homenagem à cidade
de Curitiba, conhecida pelo nome de fantasia cidade sorriso.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Sorrisiense
 Área: 9.345,76 km²
 População: 66.506 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 420 km

130 - TABAPORÃ
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
Tabaporã é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo foi sugerido pelo poeta Carlos Drummond de
Andrade, a pedido de Hermano Moisés, sogro de Isaías Apolinário, o colonizador
da gleba que deu origem ao município. Tabaporã em tupi-guarani significa
cidade bonita.
 Criação do município: 20 de dezembro de 1991
 Gentílico: Tabapoaense
 Área: 8.225,39 km²
 População: 9.917 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Arinos
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 643 km

131 - TANGARÁ DA SERRA


Município colonizado por paranaenses, paulistas e mineiros. Na hierarquia da
rede urbana regional, Tangará da Serra é classificada pelo IBGE como centro de
zona A.
 Origem do nome: O nome é uma referência ao tangará, pássaro pequeno muito
comum na região.
 Criação do município: 13 de maio de 1976
 Gentüico: Tangaraense
 Área: 10.972,07 km2 População: 84.076 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Tangará da Serra
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 242 km

132 - TAPURAH
A atividade econômica que originou o município foi a agricultura. Na
hierarquia da rede urbana regional, Tapurah é classificada pelo IBGE como centro
local.
 Origem do nome: O nome Tapurah é uma homenagem a José Tapurá, chefe
da tribo indígena Iránxe.
 Criação do município: 04 de julho de 1988
 Gentüico: Tapuraense
 Área: 4.494,22 km²
 População: 10.390 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Alto Teles Pires
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 414 km
133 - TERRA NOVA DO NORTE
Projeto de colonização desenvolvido pelo Incra em parceria com a
Coopercana. Na década de 1980 foi palco de intensa atividade garimpeira. Na
hierarquia da rede urbana regional, Terra Nova do Norte é classificada pelo IBGE
como centro de zona B.
 Origem do nome: Terra Nova era a denominação do núcleo central do projeto
de colonização, e deveria mostrar o ambiente de novidade, representado pela
floresta Amazônica, aos colonos.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentüico: Terra-novense
 Área: 2.722,14 km²
 População: 11.302 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Colider
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 648 km

134 - TESOURO
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Na
hierarquia da rede urbana regional, Tesouro é classificada pelo IBGE como centro
local.
 Origem do nome: O nome é uma referência às minas de diamante
encontradas na região do município.
 Criação do município: 10 de dezembro de 1953
 Gentílico: Tesourense
 Área: 4.017,27 km²
 População: 3.437 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 385 km

135 - TORIXORÉU
A atividade econômica que originou o município foi a exploração mineral. Na
hierarquia da rede urbana regional, Torixoréu é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: Na língua bororo, o termo torixoréu significa pedra preta.
 Criação do município: 10 de dezembro de 1953
 Gentílico: Torixorino
 Área: 2.397,93 km²
 População: 4.036 (2010)
 Mesorregião: Sudeste Mato-grossense
 Microrregião: Tesouro
 Bioma: Cerrado
 Distância da capital: 577 km

136 - UNIÃO DO SUL


Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional,
União do Sul é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O nome foi sugerido por Adelmo Ragnini, colono pioneiro,
em homenagem à região de onde veio a maioria dos migrantes da localidade:
o Sul do Brasil
 Criação do município: 22 de dezembro de 1995
 Gentílico: União-sulense
 Área: 4.581,12 km²
 População: 3.767 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 689 km
137 - VALE DE SÃO DOMINGOS
A atividade econômica que originou o município foi a pecuária. Na hierarquia
da rede urbana regional, Vale do São Domingos é classificada pelo IBGE como
centro local. Origem do nome: O nome é uma referência ao domingo, dia da
semana no qual os posseiros pioneiros se estabeleceram nas imediações da atual
sede municipal.
 Criação do município: 28 de dezembro de 1999
 Gentüico: Vale-dominguense
 Área: 2.001,35 km²
 População: 3.058 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Alto Guaporé
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 491 km

138 - VÁRZEA GRANDE


A formação da localidade está relacionada a um campo de refugiados
construído na época da Guerra do Paraguai. Na hierarquia da rede urbana regional,
o IBGE incorporou a cidade de Várzea Grande ao núcleo urbano de Cuiabá.
 Origem do nome: O nome Várzea Grande é uma referência às inúmeras
várzeas existentes no relevo plano e baixo situado à margem direita do rio
Cuiabá.
 Criação do município: 23 de setembro de 1948
 Gentüico: Várzea-grandense
 Área: 938,06 km²
 População: 252.709 (2010)
 Mesorregião: Centro-Sul Mato-grossense
 Microrregião: Cuiabá
 Bioma: Cerrado e Pantanal
 Distância da capital: 10 km

139 - VERA
Município colonizado por sulistas. Na hierarquia da rede urbana regional, Vera
é classificada pelo IBGE como centro local.
 Origem do nome: O topônimo é uma referência ao primeiro nome que foi dado
ao Brasil: Ilha de Vera Cruz.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentüico: Verense
 Área: 2.950,87 km²
 População: 10.235 (2010)
 Mesorregião: Norte Mato-grossense
 Microrregião: Sinop
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 486 km

140 - VILA BELA DA SANTÍSSIMA TRINDADE


Vila Bela da Santíssima Trindade foi construída no ano de 1752 com o objetivo
de sediar a capital da recém-criada capitania de Mato Grosso. Na hierarquia da rede
urbana regional, Vila Bela da Santíssima Trindade é classificada pelo IBGE como
centro local.
 Origem do nome: O nome foi dado por Antônio Rolim de Moura. Recebeu o
nome de Vila Bela provavelmente pelas suas belezas naturais, como o rio
Guaporé cujas águas banham a sede do município, e pela paisagem
circundante, onde se destaca a serra Ricardo Franco. As Três Pessoas da
Santíssima Trindade são os padroeiros da localidade.
 Criação do município: 19 de março de 1752
 Gentílico: Vilabelense
 Área: 13.630,95 km²
 População: 14.491 (2010)
 Mesorregião: Sudoeste Mato-grossense
 Microrregião: Alto Guaporé
 Bioma: Amazônia
 Distância da capital: 562 km
141 - VILA RICA
Município colonizado por mineiros, goianos e sulistas. Na hierarquia da rede
urbana regional, Vila Rica é classificada pelo IBGE como centro de zona B.
 Origem do nome: O nome é uma homenagem à Colonizadora Vila Rica, a
empresa que implantou o projeto de colonização.
 Criação do município: 13 de maio de 1986
 Gentílico: Vilariquense
 Área: 7.433,45 km²
 População: 21.403 (2010)
 Mesorregião: Nordeste Mato-grossense
 Microrregião: Norte Araguaia
 Bioma: Cerrado e Amazônia
 Distância da capital: 1.276 km

Interesses relacionados