Você está na página 1de 30

  

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA 

DOUTORAMENTO EM HISTÓRIA 
 

ESPECIALIDADES

1. História Antiga

2. História Medieval

3. História Moderna

4. História Contemporânea

5. História dos Descobrimentos e da Expansão

6. Paleografia e Diplomática

7. História de África

8. História e Cultura do Brasil

9. História Regional e Local

10. Metodologia e Teoria da História

O Doutoramento em História integra o diversificado programa de Estudos Pós-Graduados


oferecido pelo Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de
Lisboa. A sua estrutura foi integralmente renovada em 2011, tendo sido muito
recentemente acreditado pela autoridade competente, a A3ES. Na sua formulação actual,
resulta da reunião de vários cursos que anteriormente funcionavam autonomamente, de
forma a proporcionar uma oferta curricular muito ampla e um número mais substancial de
vertentes de especialização.

A estrutura de cada uma dessas especializações é similar, compreendendo uma


formação com as seguintes componentes:

1. Unidades de crédito obrigatórias:


a. Metodologia do Trabalho Científico (12 créditos ECTS)
b. Estado da Arte e Novas Perspectivas (12 créditos ECTS)
c. Seminário de Investigação (12 créditos ECTS)
d. Seminário de Orientação I (12 créditos ECTS)
e. Seminário de Orientação II (12 créditos ECTS)
f. Dissertação (60 créditos ECTS)
2. 24 Unidades de Crédito (ECTS) obtidas na especialidade escolhida
3. 36 Unidades de Crédito (ECTS) obtidas em qualquer domínio.

De uma forma geral as sessões das diferentes unidades de créditos funcionam em regime
pós-laboral, mas estas prevêem uma importante componente de trabalho individual do
doutorando. As sessões referidas desenrolam-se em regime de seminário, destinando-se
ao debate de ideias, problemas e perspectivas da investigação respeitantes aos
diferentes temas propostos nos conteúdos programáticos de cada unidade curricular (v.
infra).

Embora uma boa parte dos inscritos neste Doutoramento tenham realizado uma formação
anterior no âmbito da História, o Curso é acessível a candidatos portadores de qualquer
grau de Mestre, não havendo, por isso, outros pré-requisitos de acesso. De acordo com o
Regulamento de Estudos Pós-Graduados podem ainda candidatar-se os titulares de grau
de licenciado ou equivalente legal detentores de um currículo escolar ou científico
especialmente relevante que seja reconhecido como atestando capacidade para a
realização deste ciclo de estudos. Uma formação precedente em domínios diferentes da
História não deve encarada como um problema, mas como uma vantagem que contribui
para enriquecer o debate científico.

PARA INFORMAÇÕES GERAIS:


Candidaturas, documentos necessários, equivalências, prazos, etc
http://www.fl.ul.pt/processo_bolonha/cursos_3ciclo.htm

Endereço electrónico:
sa.posgraduados@fl.ul.pt

PARA INFORMAÇÃO ESPECÍFICA SOBRE ESTE DOUTORAMENTO:


Departamento de História
Faculdade de Letras
P-1600-214 LISBOA
Telefone: 21 7920045
Fax: 21 7960063

Endereços electrónicos:
dep.historia@fl.ul.pt
amilcarguerra@fl.ul.pt (Director)
UNIDADES CURRICULARES DO DOUTORAMENTO EM HISTÓRIA (2011-2012)

Unidades curriculares Sem. ECTS Docentes / Responsáveis


Metodologia do Trabalho Científico 1º S 12 Maria de Fátima Reis
Estado da Arte e Novas Perspectivas 1.º; 2.º 12 Sérgio Campos Matos; Amílcar
Guerra
Seminário de Investigação 3.º; 4.º 12 Ana Maria Rodrigues
Egiptologia 2º S 12 Luís Manuel Araújo
Assiriologia 1º S 12 António Ramos dos Santos
Mundo Bíblico 2º S 12 José Augusto Ramos
História da Grécia Antiga 1º S 12 Nuno Simões Rodrigues
História da Roma Antiga 2º S 12 Tatiana Resende
História da Hispânia Antiga 2.ºS 12 Amílcar Guerra
Crenças e Práticas em Torno da Vida e da 1º S 12 Ana Maria Rodrigues
Morte
Estruturas do Imaginário Medieval 1º S 12 Pedro Barbosa
História Medieval Peninsular 1º S 12 Julieta Araújo
Culturas de Fronteira 1º S 12 Hermenegildo Fernandes
História da População Portuguesa 1º S 12 João Cosme
História dos Federalismos e dos 1º S 12 Ernesto Castro Leal
Nacionalismos
Economia e Sociedade da Época Moderna 1º S 12 Maria Leonor García da Cruz
(séc. XV-XVIII)
Igreja Doutrina e Assistência Social 2º S 12 Maria de Fátima Reis
História Cultural: Práticas e 1º S 12 Isabel Drumond Braga
Representações
Inquisição e Sociedade 1º S 12 Isabel Drumond Braga
História, Memória, Esquecimento (séc. XIX 2º S 12 Sérgio Campos Matos
– XXI)
Monarquia e Casa Real 1º S 12 Maria Paula Lourenço; Ana Leal
Faria; Manuela Santos Silva
História das Relações Internacionais e da 2º S 12 Ana Maria Leal Faria
Diplomacia Moderna
Construção do Estado Moderno 1º S 12 Ana Maria Leal Faria
Quotidianos Femininos (séculos XVI-XIX) 2º S 12 Isabel Drumond Braga
História dos Descobrimentos 1º S 12 Francisco Contente Domingues
Cartografia e Arte de Navegar 2º S 12 Francisco Contente Domingues
História da Expansão Portuguesa e 2º S 12 Maria Leonor García da Cruz
Europeia
História do Atlântico 1º S 12 José da Silva Horta; Maria Leonor
García da Cruz
Tópicos de Paleografia I 1º S 12 Susana Pedro
Tópicos de Paleografia II 2º S 12 Bernardo Sá Nogueira
Tópicos de Diplomática 1º S 12 Bernardo Sá Nogueira
O Al-Andaluz e a Hispânia Cristã 2º S 12 Hermenegildo Fernandes
História do Norte de África 2º S 12 João Cosme
História de África: Problemas, Fontes e 1º S 12 José da Silva Horta
Métodos
A História de África na História Mundial 2º S 12 José da Silva Horta; João C.
Senna-Martínez; Isabel Castro
Henriques
História do Noroeste Africano: Construções 2º S 12 Eduardo Costa Dias; José Horta;
e Representações Peter Mark
Problemáticas regionais na História de 2º S 12 Eduardo Costa Dias; José Horta;
África Isabel Castro Henriques
História do Brasil (sécs. XVI-XVIII) 1º S 12 Ângela Domingues; Jorge Couto
História do Brasil (sécs. XIX-XX) 2º S 12 Ângela Domingues; Jorge Couto
História Militar Medieval 1º S 12 Pedro Barbosa
Conflitos e Ameaças no Mundo 2º S 12 Pedro Barbosa
Contemporâneo
História do Municipalismo 1º S 12 José Varandas
Metodologia e Fontes da História Regional 1º S 12 António Ventura
e Local
Áreas Regionais Portuguesas 2º S 12 Hermenegildo Fernandes
Teoria do Património Cultural 1º S 12 Pedro Barbosa
Políticas Culturais: orientações e práticas 2º S 12 Maria João Lima
Museu e Sociedade 1º S 12 Fernando Grilo
Região, Nação e Memória 2º S 12 Sérgio Campos Matos
História do Urbanismo 1º S 12 Maria Alexandre Lousada
História da Arte em Portugal 2º S 12 Vítor Serrão
Arqueologia: teoria e prática 2º S 12 João Carlos Senna- Martínez
Dialectologia 1º S 12 Ernestina Carrilho
Geografia Humana e Planeamento 1º S 12 Teresa Alves
Regional
Temas de Historiografia 1º S 12 Luís Filipe Barreto
Temas de Teoria da História 2º S 12 Julieta Araújo

1. História Antiga
1.º e 2.º semestres

Horas Horas
Unidades Curriculares Área Científica Duração ECTS Observações
Trabalho Contacto

Metodologia do Trabalho TP -28


HST Semestral 336 12 Obrigatório
Científico OT - 14
Estado da Arte e Novas TP - 28
HST anual 336 12 Obrigatório
Perspectivas OT - 14
TP - 28
Egiptologia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Assiriologia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Mundo Bíblico HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História da Grécia Antiga HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História da Roma Antiga HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
qualquer
Opções 336 12 Opção
área
qualquer
Opções 336 12 Opção
área
 

3.º e 4.º semestre

Horas Horas
Unidades Curriculares Área Científica Duração ECTS Observações
Trabalho Contacto

TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
TP - 28
Egiptologia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Assiriologia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Mundo Bíblico HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História da Grécia Antiga HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História da Roma Antiga HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Opção qualquer área 336 12 Opção

5.º e 6.º semestres

Unidades
Área Científica Duração Horas Trabalho Horas Contacto ECTS Observações
Curriculares
Dissertação HST anual 1680 0 60

 
   
2. História Medieval
1.º e 2.º semestres

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP -28
Metodologia do Trabalho Científico HST Semestral 336 12 Obrigatório
OT - 14
Estado da Arte e Novas TP - 28
HST anual 336 12 Obrigatório
Perspectivas OT - 14
Crenças e Práticas em Torno da TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Vida e da Morte OT - 14
Estruturas do Imaginário TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Medieval OT - 14
História Medieval TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Peninsular OT - 14
Vida Social e Construção TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
do Espaço na Idade Média OT - 14
TP - 28
Clero Secular HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Culturas de Fronteira HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Sociedades Guerreiras da TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Reconquista OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
 
3.º e 4.º semestres

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Crenças e Práticas em TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Torno da Vida e da Morte OT - 14
Estruturas do Imaginário TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Medieval OT - 14
História Medieval TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Peninsular OT - 14
Vida Social e Construção TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
do Espaço na Idade Média OT - 14
TP - 28
Clero Secular HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Culturas de Fronteira HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Sociedades Guerreiras da TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Reconquista OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
5.º e 6.º semestres

Área Horas Horas ECT


Unidades Curriculares Duração Observações
Científica Trabalho Contacto S
Dissertação HST anual 1680 0 60

 
   
3. História Moderna

1.º e 2.º semestres

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP -28
Metodologia do Trabalho Científico HST Semestral 336 12 Obrigatório
OT - 14
TP - 28
Estado da Arte e Novas Perspectivas HST Anual 336 12 Obrigatório
OT - 14
TP - 28
Construção do Estado Moderno HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Economia e Sociedade da Época TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Moderna [XV-XVIII] OT - 14
TP - 28
Igreja, Doutrina e Assistência Social HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP – 28
Inquisição e Sociedade HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
História Cultural: Práticas e TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Representações OT - 14
TP - 28
Monarquia e Casa Real HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
História das Relações Internacionais e TP – 28
HST Semestral 336 12 Opção
Diplomacia Moderna OT - 14
Quotidianos Femininos (séculos XVI- TP – 28
HST Semestral 336 12 Opção
XIX) OT - 14
TP – 28
História da Educação HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP – 28
História da População Portuguesa HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área

3.º e 4.º semestres

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP - 28
Seminário de Investigação HST Anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
TP - 28
Construção do Estado Moderno HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Economia e Sociedade da Época TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Moderna [XV-XVIII] OT - 14
TP - 28
Igreja, Doutrina e Assistência Social HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP – 28
Inquisição e Sociedade HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
História Cultural: Práticas e TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Representações OT - 14
TP - 28
Monarquia e Casa Real HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
História das Relações Internacionais e HST Semestral 336 TP – 28 12 Opção
Diplomacia Moderna OT - 14
Quotidianos Femininos (séculos XVI- TP – 28
HST Semestral 336 12 Opção
XIX) OT - 14
TP – 28
História da Educação HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP – 28
História da População Portuguesa HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
 
5.º e 6.º semestres

Área Horas Horas ECT


Unidades Curriculares Duração Observações
Científica Trabalho Contacto S
Dissertação HST anual 1680 0 60
4. História Contemporânea
1.º e 2.º semestres

Horas Horas
Unidades Curriculares Área Científica Duração ECTS Observações
Trabalho Contacto
Metodologia do Trabalho TP -28
HST Semestral 336 12 Obrigatório
Científico OT - 14
Estado da Arte e Novas TP - 28
HST anual 336 12 Obrigatório
Perspectivas OT - 14
Metodologia e Fontes da
TP - 28
História Contemporânea HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Portuguesa
História dos Federalismos e TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
dos Nacionalismos OT - 14
História, Memória,
TP - 28
Esquecimento (séc. XIX – HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
XXI)
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
 
3.º e 4.º semestres
 
Horas Horas
Unidades Curriculares Área Científica Duração ECTS Observações
Trabalho Contacto
TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Metodologia e Fontes da
TP - 28
História Contemporânea HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Portuguesa
História dos Federalismos e TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
dos Nacionalismos OT - 14
História, Memória,
TP - 28
Esquecimento (séc. XIX – HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
XXI)
Opções s qualquer área 336 12 Opção

5.º e 6.º semestres

Área Horas Horas ECT


Unidades Curriculares Duração Observações
Científica Trabalho Contacto S
Dissertação HST anual 1680 0 60

 
5. Paleografia e Diplomática
1.º e 2.º semestres

Horas Horas
Unidades Curriculares Área Científica Duração ECTS Observações
Trabalho Contacto
Metodologia do Trabalho TP -28
HST Semestral 336 12 Obrigatório
Científico OT - 14
Estado da Arte e Novas TP - 28
HST anual 336 12 Obrigatório
Perspectivas OT - 14
TP - 28
Tópicas de Paleografia I HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Tópicas de Paleografia II HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Tópicos de Diplomática HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
 
3.º e 4.º semestres

Horas Horas
Unidades Curriculares Área Científica Duração ECTS Observações
Trabalho Contacto
TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
TP - 28
Tópicas de Paleografia I HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Tópicas de Paleografia II HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Tópicos de Diplomática HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Opções s qualquer área 336 12 Opção
 
5.º e 6.º semestres

Área Horas Horas ECT


Unidades Curriculares Duração Observações
Científica Trabalho Contacto S
Dissertação HST anual 1680 0 60

 
Outras Unidades Curriculares desta Área oferecidas pela Faculdade

Área
Unidades Curriculares Duração Horas Trabalho Horas Contacto ECTS Observações
Científica
TP - 28
História da Crítica Textual semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Produção de Texto semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Transmissão de Texto semestral 336 12 Opção
OT - 14

 
6. História de África

1.º e 2.º semestres

 
Área Horas Horas
Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP -28
Metodologia do Trabalho Científico HST Semestral 336 12 Obrigatório
OT - 14
TP - 28
Estado da Arte e Novas Perspectivas HST anual 336 12 Obrigatório
OT - 14
História de África: Problemas , TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Fontes e Métodos OT - 14
Problemáticas regionais na História TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
de África OT - 14
A História de África na História TP ‐ 28 
HST  Semestral  336  12  Opção 
Mundial OT ‐ 14 
TP ‐ 28 
História do Atlântico HST  Semestral  336  12  Opção 
OT ‐ 14 

Opção
Opções s variável 336 12

Opções s variável 336 12 Opção

 
3.º e 4.º semestres

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
A História de África na História TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Mundial OT - 14
Problemáticas regionais na História TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
de África OT - 14

História de África: Problemas, Fontes TP - 28


HST Semestral 336 12 Opção
e Métodos OT - 14
TP - 28
História do Atlântico HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Opções s variável 336 12 Opção
 
5.º e 6.º semestres

Área Horas Horas ECT


Unidades Curriculares Duração Observações
Científica Trabalho Contacto S
Dissertação HST anual 1680 0 60

 
Outras Unidades Curriculares desta Área oferecidas pela Faculdade

Área
Unidades Curriculares Duração Horas Trabalho Horas Contacto ECTS Observações
Científica
Literatura Africana de TP - 28
LEC semestral 336 12 Opção
Língua Portuguesa OT - 14

 
 
7. História e Cultura do Brasil
1.º e 2.º semestres

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
Metodologia do Trabalho TP -28
HST Semestral 336 12 Obrigatório
Científico OT - 14
Estado da Arte e Novas TP - 28
HST anual 336 12 Obrigatório
Perspectivas OT - 14
História do Brasil (séc. TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
XVI-XVIII) OT - 14
História do Brasil (séc. TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
XIX-XX) OT - 14
Opções s variável 336 12 Opção
Opções s variável 336 12 Opção
 
3.º e 4.º

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
História do Brasil (séc. XVI- TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
XVIII) OT - 14
TP - 28
História do Brasil (séc. XIX-XX) HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Opções s variável 336 12 Opção
 
5.º e 6.º semestres

Área Horas Horas ECT


Unidades Curriculares Duração Observações
Científica Trabalho Contacto S
Dissertação HST anual 1680 0 60

 
8. História Regional e Local
1.º e 2.º semestres
 
Área Horas Horas
Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
Metodologia do Trabalho TP -28
HST Semestral 336 12 Obrigatório
Científico OT - 14
Estado da Arte e Novas TP - 28
HST anual 336 12 Obrigatório
Perspectivas OT - 14
Teoria do Património Cultural HST Semestral 336 TP - 28 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História do Municipalismo HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Metodologia e Fontes da TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
História Regional e Local OT - 14
Áreas Regionais TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Portuguesas OT - 14
Políticas Culturais: TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
orientações e práticas OT - 14
TP - 28
Museu e Sociedade HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Região, Nação e Memória HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História do Urbanismo HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História da Arte em Portugal HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Arqueologia: teoria e prática HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Dialectologia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Geografia Humana e TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Planeamento Regional OT - 14
Gestão Integrada do TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Património Cultural OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
 
3.º e 4.º semestres

Área Horas Horas


Unidades Curriculares Duração ECTS Observações
Científica Trabalho Contacto
TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
TP - 28
Teoria do Património Cultural HST Semestral 336
OT - 14
12 Opção
TP - 28
História do Municipalismo HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Metodologia e Fontes da TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
História Regional e Local OT - 14
Áreas Regionais TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Portuguesas OT - 14
Políticas Culturais: TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
orientações e práticas OT - 14
TP - 28
Museu e Sociedade HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Região, Nação e Memória HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História do Urbanismo HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
História da Arte em Portugal HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Arqueologia: teoria e prática HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Dialectologia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Geografia Humana e TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Planeamento Regional OT - 14
Gestão Integrada do TP - 28
HST Semestral 336 12 Opção
Património Cultural OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
 
5.º e 6.º semestres

Área Horas Horas ECT


Unidades Curriculares Duração Observações
Científica Trabalho Contacto S
Dissertação HST anual 1680 0 60
 
9. Metodologia e Teoria da História
1.º e 2.º semestres

Horas Horas
Unidades Curriculares Área Científica Duração ECTS Observações
Trabalho Contacto
Metodologia do Trabalho TP -28
HST Semestral 336 12 Obrigatório
Científico OT - 14
Estado da Arte e Novas TP - 28
HST anual 336 12 Obrigatório
Perspectivas OT - 14
TP - 28
Temas de Teoria da História HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Temas de Historiografia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área
qualquer
Opções s 336 12 Opção
área

3.º e 4.º semestres


 
Unidades Curriculares Área Científica Duração Horas Trabalho Horas Contacto ECTS Observações
TP - 28
Seminário de Investigação HST anual 336 12 Obrigatório
OT -14
Seminário de Orientação I HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
Seminário de Orientação II HST Semestral 336 OT - 42 12 Obrigatório
TP - 28
Temas de Teoria da História HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
TP - 28
Temas de Historiografia HST Semestral 336 12 Opção
OT - 14
Opções s qualquer área 336 12 Opção
 
5.º e 6.º semestres

Unidades
Área Científica Duração Horas Trabalho Horas Contacto ECTS Observações
Curriculares
Dissertação HST anual 1680 0 60

 
   
Conteúdos Programáticos das Unidades Curriculares

Metodologia do Trabalho Científico

Planeamento e organização da pesquisa histórica: da elaboração de um projecto à realização de


uma monografia. Técnicas de recolha de dados, de tratamento e apresentação dos resultados.

Problematização e crítica das fontes e produção do discurso histórico: as especialidades da


História. Fundamentos da historiografia contemporânea e debates actuais de investigação.

Estado da Arte e Novas Perspectivas

A historiografia mais recente relativa a temáticas nucleares das diversas áreas de especialização;
Para a construção de uma visão crítica sobre estes temas; Alguns problemas historiográficos que
carecem de novas investigações.

Seminário de Investigação

Preparação de uma pesquisa histórica: a escolha do tema/problema; a busca da bibliografia e das


fontes relevantes; a selecção das metodologias a aplicar; a recolha, tratamento e análise dos
dados. A estruturação e redacção da síntese. A apresentação pública dos resultados e seus casos
específicos: conferências; comunicações a congressos; mesas redondas; posters.

Egiptologia

A redescoberta do Egipto: viajantes e pesquisadores


Da egiptomania à egiptologia: a acção de Champollion
Aspectos de topografia cultural: os principais sítios do antigo Egipto
As instituições do saber egiptológico e áreas de escavação
A bibliografia egiptológica fundamental
Roteiro museológico: as maiores colecções egípcias
Colecções egípcias em Portugal

Assiriologia
1. As origens sumérias
1.1.Nascimento da revolução agrícola.
1.2 Nascimento da revolução urbana.
1.2.2 A organização da cidade.
2. O mundo em expansão.
2.1 A expansão política.
2.2 A experiência imperial.
2.3 Os domínios eclesiásticos.
2.4 Os factores de desintegração.
3. Afirmação do poder real
3.1 Hammurabi
4. O novo concerto internacional
4.1 A chegada dos Cassitas e dos Indo-Europeus.
4.2 A invasão dos povos do mar.
4.3 A invasão dos arameus.
4.4 Os reinos ocidentais.
5. As transformações de Babilónia.

Mundo Bíblico
1. História e Cultura do Antigo Oriente como assentamento histórico da Bíblia.
2. A formação dos Hebreus e a sua História.
3. Formação e composição da literatura bíblica, entre literaturas orientais.
4. A tarefa hermenêutica no interior da própria história literária da Bíblia.
5. A participação da literatura bíblica nas movimentações culturais do helenismo.
6. As origens do cristianismo no contexto bíblico-helenista.
7. História pós-bíblica da hermenêutica: entre escritura e leitura.
8. A Bíblia na História das diversas modalidades de cristianismo

História da Grécia Antiga

1. O problema da formação do povo helénico.


2. A relação entre os Poemas Homéricos e a História.
3. A formação dos Estados Gregos.
4. A emergência da Atenas democrática e a sua relação com os outros estados gregos.

História da Roma Antiga

1. As origens da civitas romana. Paralelo histórico com as poleis gregas.


2. Roma no contexto da civilização helenística.
3. A República e o Império, formas do estado romano.
4. A problemática agrária na história de Roma.

História da Antiguidade Hispânica

1. Fontes e Metodologia da História da Hispânia


2. Problemáticas da investigação sobre a Hispânia pré-romana
3. O processo de conquista romana da Hispânia e os seus problemas
4. Análise do processo de romanização da Hispânia
5. As transformações da Hispânia no mundo tardo-romano

Crenças e práticas em torno da vida e da morte na Idade Média

Crenças e práticas: definição de conceitos. O Cristianismo e a luta contra as crenças e práticas


religiosas anteriores: continuidades e rupturas. A gestação e o nascimento: proclamações
teológicas, saberes médicos, práticas mágicas. A morte, passagem para a vida eterna: a
preparação para a morte; rituais de enterramento; a comemoração dos defuntos

Estruturas do Imaginário Medieval

As fontes do “Imaginário Medieval”: adopção, adaptação e criação. As “religiões” do Homem


medieval: o(s) Cristianismo(s) e as sobrevivências pré-cristãs. Signos, símbolos, alegorias e mitos.
O Mundo e o Homem: a criação do Mundo organizado. A Construção do Mundo: Da estabilidade
da Terra plana à angústia da Terra esférica, passando pela questão dos Antípodas. O mundo
sonhado. Viagens fantásticas, Ilhas fantásticas, Seres fantásticos. Os Mundos Feéricos e os seus
Habitantes. O Imaginário através das Imagens. A Imagem como expressão do Pensamento e a
Imagem como criadora de Pensamento

História Medieval Peninsular

1. Pretende-se dar a conhecer os principais marcos da história medieval de Castela.

2. A Coroa de Aragão na alta idade média

3. Navarra Medieval: entre a influência francesa e a Castelhana.

Clero Secular

Sendo certo que o “clero secular” acompanha todo o percurso de Portugal desde a sua fundação,
começaremos por estudar a sua implantação ao ritmo cronológico e geográfico da “reconquista”,
não esquecendo, por exemplo, o fenómeno moçárabe ou papel dos na afirmação internacional do
novo reino. Dependendo do interesse dos alunos (nomeadamente o tema da monografia que
tencionam apresentar), poderemos utilizar variadas fontes – actas de sínodos, visitações,
concordatas, documentos de chancelaria régia… – para abordar alguns aspectos, desde questões
doutrinais e comportamentais até à questão das relações com o poder régio ou com a cúria papal.

Vida social e construção do espaço na Idade Média

Estudos sobre a Sociedade na Idade Média, com especial enfoque nos aspectos vivenciais e nas
estratégias de constituição de redes de parentesco e de relacionamento entre grupos, reflectindo-
se nas formas escolhidas para a ocupação espacial.

Culturas de Fronteira

Interrogam-se aqui os processos de formação de identidades na Hispania e no al-Andalus


medievais entendidos estes no seu conjunto como placa articuladora de dois complexos
civilizacionais, o da Christianitas e o do Dar al-Islam. Neste contexto será privilegiada a
observação das zonas de contacto em que têm lugar soluções culturais específicas como as que
ocorrem em Toledo ou em Coimbra. Dá-se particular atenção aos fenómenos habitualmente
definidos como “minorias” vistas aqui enquanto espaço de observação de entrecruzamentos e,
sobretudo, de produção de identidades originais, mouras, moçárabes ou judias. Por fim estudam-
se soluções que marcam essas identidades de fronteira desde a onomástica, passando pelos
sistemas de parentesco, até à definição do espaço doméstico, à arquitectura dos jardins e à
irrigação.

História da População Portuguesa

1.Conceitos e Métodos em História Demográfica.


2.Fontes para a História da População Portuguesa.
3.Carcaterísticas demográficas do período medieval
4.Antigo Regime demográfico.
5.Transição demográfica e transição sanitária.
6.Regime demográfico contemporâneo.
7.As migrações.

História dos Federalismos e dos Nacionalismos

I - História dos Federalismos. I.1. Conceitos em debate: Confederação, Federação e Federalismo.


I.2. Teorias do Federalismo. I.3. Tipologia do Federalismo. I.3.1. Federalismo centralizador. I.3.2.
Federalismo descentralizador. I.3.3. Federalismo sincrético. I.4. História do Federalismo
português. I.4.1. Argumentos e dinâmicas no republicanismo e no socialismo, I.4.2. Argumentos e
dinâmicas no anarquismo e no comunismo. II - História dos Nacionalismos. II.1. Conceitos em
debate: Pátria, Nação e Nacionalismo. II.2. Teorias do Nacionalismo. II.3. Tipologia do
Nacionalismo. II.3.1. Nação cívico-política/nação-contrato. II.3.2. Nação etno-cultural/nação-génio.
II.4. História do Nacionalismo português. II.4.1. Nacionalismo monárquico. II.4.2. Nacionalismo
republicano. II.4.3. Nacionalismo católico. II.4.4. Nacionalismo fascista. II.4.5. Nacionalismo
sincrético.

Economia e Sociedade da Época Moderna [sécs. XV – XVIII]

Debater pressupostos teóricos, a construção de uma linguagem conceptual e a definição de


instrumentos analíticos e críticos, para a problematização da pesquisa no domínio da História
social e da História económica e financeira. Orientar investigações na obtenção e análise crítica
de dados quantitativos, no estudo prosopográfico, na história comparada, usufruindo do
cruzamento de experiências e resultados com disciplinas relacionadas.

Igreja, Doutrina e Assistência Social

Expressões e fundamentos da solidariedade social: estruturas assistenciais e práticas de


caridade. Igreja e pobreza. A crise dos estabelecimentos de assistência nos finais da idade média
e os novos hospitais: doenças, doentes e profissionais da saúde.

Confrarias paroquiais: assistência mútua e «gestão» da morte. As Misericórdias e as obras de


misericórdia: linhas de actuação (compromissos e composição social) e serviços de caridade
(expostos, órfãos, presos, cativos, doentes, enterros e visitas domiciliárias). Recolhimentos
femininos e masculinos.

História Cultural: Práticas e Representações

1. Cultura Intelectual
1.1. Bases da Cultura.
1.2. Meios e agentes da Cultura.
1.3. Instituições de Cultura.
1.4. Grandes Tendências da Cultura.
2. Cultura Material
2.1. Definindo campos de estudo.
2.2. Riqueza das fontes.
2.3. O quotidiano.
2.4. Objectos e estatutos.

História, Memória, Esquecimento (sécs. XIX-XXI)

I. Problemas teóricos. 1. História, memória histórica e memórias colectivas. 2. Memória e


esquecimento. Tipos de esquecimento 3. Historiografia e identidades. Etnicidade, religião e classe.
Identidades narrativas. 4. Escalas da memória histórica: regional, nacional e transnacional.

II. Perspectiva crítica da historiografia portuguesa na época contemporânea, dos finais do século
XVIII aos inícios do século XXI em perspectiva comparada (culturas históricas europeias, com
especial destaque para os casos de Portugal e Espanha). 1.Podem definir-se estratégias
narrativas? 2. Os esquecimentos na historiografia e na divulgação histórica III. Romance e drama
históricos; verdade e verosimilhança. Crónica contemporânea. IV. Condições de produção da
historiografia nos séculos XIX e XX: usos do passado.

Inquisição e Sociedade

Os temas a desenvolver são: 1. O Estabelecimento do Tribunal do Santo Ofício em Portugal. A


política religiosa comum ao espaço ibérico. Início do funcionamento do Tribunal em Évora. A
intervenção régia e a natureza do Tribunal do Santo Ofício. O estabelecimento e a extinção dos
diferentes tribunais. Instruções e regimentos do Santo Ofício. Os Crimes sob a Alçada do Tribunal
do Santo Ofício. Os ritmos de actividade processual. Os autos da fé e o cumprimento das penas.
2. Os Servidores e os Espaços da Inquisição: O funcionalismo inquisitorial central e local. Órgãos,
funcionários e agentes. A limpeza de sangue. A irmandade de São Pedro Mártir. A Inquisição, o
poder episcopal e as ordens religiosas: cooperação e conflito. Os cárceres e o quotidiano dos
presos. O confisco de bens e os perdões gerais. 3. Formas de Actuação Inquisitorial

Monarquia e Casa Real

a) Das tradicionais definições de “absolutismo” às novas propostas de estudo das


Monarquias Absolutas: o papel das elites políticas.
b) As práticas governativas: representação e poder. Debates actuais.
 

História das Relações Internacionais e Diplomacia Moderna

1. O ESTADO DA QUESTÃO: Os arquivos; o debate historiográfico e as direcções de pesquisa;


linhas de investigação: hipóteses e métodos.
2. ARTE DA GUERRA E ARTE DA PAZ NA EUROPA
2.1 Problemas conceptuais:
2.2 A geopolítica dos conflitos
2.3 A construção da ideia de diplomacia
3. A POLÍTICA EXTERNA PORTUGUESA
3.1 De uma diplomacia de guerra a uma diplomacia de paz
3.2 A particularidade atlântica e os tratados internacionais
1.Prioridade económica e neutralidade.
2.A definição da fronteira do Brasil e os efeitos bélicos da neutralidade.
3.O confronto das hegemonias e o dilema português.
4. DA PAZ DOS REIS À ORDEM DOS IMPERADORES
1. Ensaios de equilíbrio numa Europa em paz; a guerra no século XVIII, as
questões coloniais e a queda das alianças.
2. A ordem tradicional em questão: a independência dos Estados Unidos; a
Revolução francesa; os instrumentos da política europeia de Napoleão.
3. O regresso à ordem no «concerto europeu»: o Congresso de Viena.

Construção do Estado Moderno

O lugar da teoria jurídica e política na estruturação do Estado Moderno em Portugal. Conceitos,


discursos e ordens normativas. Estados e nacionalidades; o poder como instrumento da ordem
(origem, funções e limites do poder). A dimensão simbólica e cerimonial do Estado Moderno. As
Instituições da administração Central: composição, funcionamento e dinâmicas internas. O
relacionamento dos poderes centrais com os demais poderes: eclesiásticos, senhoriais,
concelhios, etc.

Quotidianos Femininos (séculos XVI-XIX)

O presente programa visa uma abordagem plural dos quotidianos femininos entre os séculos XVI
a XIX, tendo em conta as mulheres dos diferentes grupos sociais que viveram e actuaram quer na
metrópole quer no Império português. Entre as temáticas abordadas serão privilegiadas as
questões educacional, do exercício do poder, do trabalho, assistencial e da marginalidade.

História dos Descobrimentos

Historiografia dos Descobrimentos: problemas em presença e novos temas. Perspectivas de


investigação.

As navegações quatrocentistas portuguesas: capacidades técnicas, objectivos económicos,


dinâmicas sociais.

Espaços: conhecimento, representações e apropriação. O mundo atlântico, os espaços insulares


e a costa africana: contactos e povoamentos. As redes comerciais.

Os descobrimentos portugueses em perspectiva comparada. As navegações espanholas para a


América, as primeiras empresas francesas e inglesas: os descobrimentos marítimos portugueses
no quadro da expansão europeia.

Os Descobrimentos e a construção de uma nova imagem do Mundo: reflexos na cartografia e na


produção textual.

Cartografia e Arte de Navegar


A História da Ciência e das Técnicas: relação e contributos para a história da cartografia e da arte
de navegar. Novas perspectivas metodológicas.

A imagem do Mundo na cartografia europeia medieval e nas cartografias não-europeias: uma


perspectiva comparada. Os mapa mundi.

Os inícios da cartografia náutica; a navegação astronómica. Comparação com as técnicas de


navegação não astronómicas. Teoria e empiria na arte de navegar.
As navegações e a nova expressão gráfica do mundo na cartografia europeia: consequências das
viagens para a visão do mundo expressa na cartografia náutica e sumptuária.

O instrumento das navegações: os navios. Competências técnicas do renascimento. A construção


naval e a Revolução Científica.

História da Expansão Portuguesa e Europeia

Problemas em aberto na historiografia contemporânea. Cultura e culturas na Expansão


portuguesa e europeia: pluralidade de comunidades e de organizações em lugares e tempos
diferenciados. Identidades e fronteiras, miscigenação e metamorfoses culturais. Estruturas e
dinamismos económicos, relações e tensão com grupos, mobilidade e formas de controlo, em
análise comparativa. Propriedade, gestão e jurisdições. Reflexos no Imaginário.

História do Atlântico

O Atlântico: um mundo em rede e em movimento; espaços marítimos, insulares e continentais,


nas suas comunicações e complementaridades.

Construções identitárias no Mundo Atlântico: dos contactos às representações. Formas de


colonização dos arquipélagos, repercussões e mutação em circuitos transatlânticos.
Intercomunicações políticas, mercantis e religiosas entre regiões europeias, insulares, africanas e
americanas. Sistema orgânico de relações e presença informal condicionada. Agentes e
mediadores. Confrontos e encontros. Espaços inter-culturais.

Tópicos de Paleografia I

a) História e Historiografia da Paleografia latina


b) Terminologia da Paleografia
c) Nomenclatura das escritas latinas
d) História da Escrita em Portugal
e) Literacia e Sociologia da escrita
f) Morfologia da escrita alfabética

Tópicos de Paleografia II

1. Paleografia “prática”: leitura paleográfica e edição de textos diplomáticos


2. Modelos de edição de textos diplomáticos (Rui de Azevedo, Avelino de Jesus da Costa,
Bernardo de Sá Nogueira, Saul Gomes)
3. Especificidades de edição dos diversos tipos de textos diplomáticos - judiciais, notariais e
de chancelaria: elaboração de normas de transcrição, índices e sumários diplomáticos
4. Cartulários
5. Edição de textos diplomáticos (exemplo prático)

Tópicos de Diplomática
1. Objectivos da Diplomática: determinação da autenticidade dos actos jurídicos e estudo da
sua procedência
2. Procedência diplomática: fases textuais na génese do acto jurídico
3. Orgânica e funcionamento das chancelarias medievais e modernas
4. Selo autêntico e sigilografia
5. Notariado e instrumento público
6. Diplomática judicial
7. Discurso diplomático do documento notarial e de chancelaria
8. Tipologias diplomáticas

O Al-Andalus e a Hispania Cristã

Problemas em torno das transições. A transição da Alta Idade Média e a conquista muçulmana.
Encastelamento e feudalização. Uma variável hispânica: o estado omíada enquanto força
centrípeta. A segunda transição: militarização, castralização. A dimensão política. O fenómeno da
formação dos reinos no al-Andalus e na Hispania cristã. O paradoxo da aglutinação tendencial em
grandes unidades e do reforço da urbanização e das elites locais.

História do Norte de África (séculos XV a XIX)

1.Caracterização do espaço físico magrebino.


2.A conquista das praças do Marrocos mediterrânico.
3.A instalação dos portugueses nas praças do Marrocos atlântico.
3.O abandono de várias praças no reinado de D. João III.
4.A presença portuguesa em Marrocos durante o domínio filipino e até a abandono de
Mazagão em 1769.
5.O retomar das relações diplomáticas e comerciais com Marrocos na 2ª metade do séc. XVIII
e durante o séc. XIX.
6.Avaliação sistemática da presença portuguesa em Marrocos durante este período
cronológico.

História de África: Problemas, Fontes e Métodos

 A História de África: das imagens da África e dos Africanos nos discursos ocidentais às
reflexões actuais sobre os contornos espacio-temporais de um campo de investigação – o
estudo da África Subsariana no contexto da história do continente e da história mundial. As
áreas de investigação da história de África.
 A complementaridade entre as diferentes fontes de informação da História de África.
Fontes orais: tradição oral e testemunhos vivenciais e exigências metodológicas da sua
recolha e uso. Fontes escritas africanas e europeias: aproximações tipológicas. A
descodificação cultural dos testemunhos: a análise das representações. A necessidade do
cruzamento de fontes orais africanas. e escritas europeias. Análise de alguns exemplos
dos séculos XV a XX.

A História de África na História Mundial

A História de África vista à luz da perspectiva da História Mundial (“World History”) tal como
definida por Philip Curtin e na sequência deste desenvolvida por Patrick Manning e outros
historiadores: o seu lugar nas zonas de inter-comunicação da história mundial; a história das
interconexões da História de África no âmbito da comunidade humana global, unidade dada pelas
experiências comuns e (ou) articuladas, da escala local à escala intercontinental e
transcontinental; o cruzar de fronteiras e a ligação dos sistemas no passado africano. A
perspectiva será aplicada a diferentes espaços e problemas deste campo de estudos.

Problemáticas regionais na História de África

• A Grande Senegâmbia no contexto do Noroeste Africano: discussão dos conceitos e da


problemática histórico-sociológica que os envolve; complementaridade e transição na organização
dos espaços oesteafricanos (redes económicas, hegemonias políticas e guerreiras, espaços
culturais e religiosos).
• Da abertura das sociedades oeste-africanas ao Atlântico à construção do Luso-africanismo e sua
evolução. Papel da Grande Senegâmbia na construção identitária no Mundo Atlântico.
• Islamização da Senegâmbia no contexto do processo oeste-africano (séculos XVII-XIX): ruptura
das hegemonias políticas e económicas vigentes; O factor “Islão” na articulação dos espaços.
• O espaço Senegambiano no contexto da colonização europeia (séculos XIX-XX): novas
hegemonias, novas fronteiras, novos objectivos económicos do controle do espaço.
• As dinâmicas da Senegâmbia na actualidade.
• Análise de outro ou outros espaços africanos numa perspectiva da história regional e comparada

A História do Noroeste Africano: Construções e Representações


 A Grande Senegâmbia no contexto do Noroeste Africano: discussão dos conceitos e da
problemática histórico-sociológica que os envolve; complementaridade e transição na
organização dos espaços oeste-africanos (redes económicas, hegemonias políticas e
guerreiras, espaços culturais e religiosos).
 Da abertura das sociedades oeste-africanas ao Atlântico à construção do Luso-africanismo
e sua evolução. Papel da Grande Senegâmbia na construção identitária no Mundo
Atlântico.
 Islamização da Senegâmbia no contexto do processo oeste-africano (séculos XVII-XIX):
ruptura das hegemonias políticas e económicas vigentes; O factor “Islão” na articulação
dos espaços.
 O espaço Senegambiano no contexto da colonização europeia (séculos XIX-XX): novas
hegemonias, novas fronteiras, novos objectivos económicos do controle do espaço.
 As dinâmicas da Senegâmbia na actualidade.

História do Brasil – Séculos XVI-XVIII


História da História do Brasil: fontes e historiografia.
As Sociedades Ameríndias: da sua formação ao momento do contacto.
A construção do Brasil e os confrontos com as populações indígenas.
As disputas com os concorrentes europeus e a delimitação das fronteiras.
As estruturas político-administrativas, económicas e sociais.
A missionação e as questões indígenas.
O reformismo pombalino.

História do Brasil – Séculos XIX – XX


1. A corte portuguesa no Brasil.
2. O processo de independência e construção do Estado Brasileiro.
3. A sucessão dos regimes políticos (do Império ao regime da Constituição de 1988).
4. Conflitos internos: rebeliões e tentativas de secessão (da Revolta dos Malês às
guerrilhas no período da Ditadura Militar).
5. Conflitos externos (das guerras regionais à participação nos conflitos mundiais).
6. População, Economia e Sociedade.
7. A questão da escravatura.
8. Cultura.

História Militar Medieval

Objectivos e Métodos. Conceitos operativos: estratégia e táctica, as Armas, sistemas defensivos,


armamento. As fontes para o estudo da História Militar Medieval. O final do Império Romano:
evoluções e continuidades. A formação de novas unidades nacionais. As ameaças, a partir do
século VII: o Islão califal, Vikings e Magiares. O sistema militar carolíngio. As respostas às
ameaças islâmicas: a Reconquista, no al-Andalus e as Cruzadas no Oriente. O triunfo da cavalaria
(séculos XI- inícios do XIV). A Europa em guerra: A Guerra dos Cem Anos. A revolução militar
europeia nos finais da Idade Média.

Conflitos e Ameaças no Mundo Contemporâneo

Avaliação de Ameaças e Riscos. Geoestratégia na Sociedade Global. Europa Oriental Após a


“Guerra-Fria”. Segurança Formal e Informal. Sistemas de Informações. Imigração e Segurança de
Fronteiras. Islão e o Mundo Islâmico. Terrorismo Jihadista. Anti-terrorismo e Contra-terrorismo.
Formas de Financiamento das Organizações Terroristas. Sistemas de Crime Organizado

Teoria e História das Relações Europa-Ásia

O processo das relações internacionais e interculturais, entre culturas e sociedades europeias e


asiáticas apresenta acentuações dominantes, ora do pólo asiático ora do pólo europeu. Este
sistema de trocas é cada vez mais relevante, a partir do século XVI, tanto para a Europa e os
europeus, a Ásia das monções e a Ásia Oriental, como para o resto do mundo.

A partir de análises históricas e comparadas e estudos de caso, é possível esboçar teorias de


média alcance que descrevam e expliquem traços fundamentais deste fenómeno.

História da Ásia: temas e perspectivas

Ao reflectir-se sobre as definições espacio-temporais da História da Ásia, aborda-se a pluralidade


de identidades, a mobilidade de populações e de fronteiras, os Estados (continentais e insulares,
impérios e confederações, comunidades e redes) e fenómenos como o da hegemonia política e
religiosa, o policentrismo e o regionalismo, a tolerância e os radicalismos. Procura-se em
seminário confrontar, nos testemunhos da época e na avaliação historiográfica, dinâmicas de
instâncias políticas, mediadores e agentes, a implantação de ideologias e códigos, o
desenvolvimento de imagens e representações, a funcionalidade de serviços de gestão militar e
fiscal, as reacções a intervenções de poderes externos (incluindo europeus), definições e
interpenetração de bens e de culturas.

Temas de Historiografia
 Fundamentos da historiografia contemporânea: o legado do século XIX. A História como
Ciência: grandes correntes de estudo, investigação e análise da História. Paradigmas de
investigação em História: a História interdisciplinar e os desafios pós-modernos. Linhas da
historiografia recente: o «regresso» do acontecimento, a história «narrativa» e a «micro-
história».
 Problemáticas do Discurso Historiográfico Contemporâneo: criação e recepção. A escrita
da História: uma operação historiográfica.

Temas de Teoria da História

 O Historiador e a História: debates contemporâneos. Historiadores e obras historiográficas


de referência da ciência histórica. Teoria da História e problemáticas de interpretação do
facto histórico.
 O Historiar Europeu-Ocidental: lógicas recentes de pesquisa e problemáticas de
interpretação.

UNIDADES CURRICULARES OFERECIDAS PELO MESTRADO EM CRÍTICA TEXTUAL

História da Crítica Textual

Docente: Ivo Castro

1. A demanda do original: a) A Filologia pré-lachmanniana: práticas editoriais, personagens e


obras; b) Karl Lachmann e a introdução do método em Crítica Textual: comparação e
reconstrução. Conceito de tradição textual; c) Joseph Bédier e o método posto em dúvida; d) A
regeneração neo-lachmanniana. A moderna edição crítica; e) Nações filológicas: Itália, França,
Inglaterra (EUA), Espanha, Brasil. 2. A posse do original: a) Evolução dos conceitos de autor e de
original; b) Adaptação metodológica da Crítica Textual: comparação e cronologia. Conceito de
génese textual; c) Afinidades e distâncias entre a Crítica Textual genética e a Crítica Genética; d) A
experiência portuguesa.

Produção de Texto

Docente: João Dionísio

Espólios de escritores e instrumentos descritivos. Políticas de conservação e de acesso em


arquivos de escritores modernos e contemporâneos. Direitos de autor patrimoniais e morais. A
constituição de um dossiê genético: identificação, reunião, seriação cronológica. O caso das
fontes (distinção entre testemunhos e fontes). Análise material dos documentos e da topografia da
escrita. A tentação descritivista: dizer o que está ou explicar como significa. A construção do
sentido: produto, processo e soluções inclusivas. Desafios e soluções de representação: facsimile,
transcrição documental, codificações. Ilustrações a partir de Fernando Pessoa, M. S. Lourenço,
Almeida Garrett e D. Duarte.

Transmissão de Texto

Docente: Cristina Sobral


Filologia do original ausente.
1. Conceitos operatórios. Tradição textual; testemunho; original; arquétipo; autógrafo/apógrafo,
variante. A vontade do autor: paradigma e condicionalismos.
2.Tipos de tradição textual dos textos antigos em português. Escassez de autógrafos. Versões,
traduções, refundições, compilações, contaminações. Tradição múltipla e tradição
singular.Testemunhos indirectos.
3. As operações da edição crítica : recensio, collatio, examinatio et selectio, constitutio stemmatis,
emendatio, apparatus criticus, notatio.
4. Prática de edição. Edição crítica de tradição múltipla: Orto do Esposo. Edição crítica de
tradição singular: Vida de Santo Elói (BNLisboa PBA 746).