Você está na página 1de 8

GRUPO SER EDUCACIONAL

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUI - SESPI

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU – CAMPUS DE PARNAIBA

CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM.

NAZARÉ ESCÓRCIO

O COTIDIANO DO ENFERMEIRO NO ATENDIMENTO DE PACIENTES


PSIQUIÁTRICOS NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PARNAÍBA-PI.

PARNAÍBA – PI

2015
NAZARÉ ESCÓRCIO

O COTIDIANO DO ENFERMEIRO NO ATENDIMENTO DE PACIENTES


PSIQUIÁTRICOS NA SANTA CASA DE MISERICORDIA DE PARNAÍBA-PI.

Pré-Projeto submetido à Faculdade Mauricio de


Nasau- Parnaíba-PI, como requisito parcial para
elaboração da Monografia, sob orientação do
Prof.
______________________________________.

PARNAIBA – PI
2015.

NAZARÉ ESCÓRCIO

O COTIDIANO DO ENFERMEIRO NO ATENDIMENTO DE PACIENTES


PSIQUIÁTRICOS NA SANTA CASA DE MISERICORDIA DE PARNAÍBA-PI.

Pré-Projeto submetido à Faculdade Mauricio de


Nasau- Parnaíba-PI, como requisito parcial para
elaboração da Monografia, sob orientação do
Prof.

Banca Examinadora
__________________________________
Nome do Professor Examinador – orientador (a)
Titulação do Examinador
_______________________________
Nome do Professor Examinador
Titulação do Examinador
___________________________
Nome do Professor Examinador
Titulação do Examinador

PARNAIBA – PI

2015
SUMÁRIO

01-JUSTIFICATIVA

02-PROBLEMÁTICA

03-OBJETIVOS

3.1-Geral

3.2 Específicos

04-METODOLOGIA

4.1- Abordagem Metodológica

4.2-Procedimentos Metodológica

05- REFERENCIAL TEÓRICO

06-CRONOGRAMA

07-REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANEXOS

APÊNDICES
JUSTIFICATIVA

A ação do enfermeiro junto aos pacientes psiquiatricos acompanha desde o


início dos tratamentos mentais, nos primórdios onde os pacientes eram aprisionados,
acorrentados, posteriormente retirados do convívio familiar e mantidos em outro tipo de
prisão só que agora manicomial, em todos esses momentos negros o atendimento do
enfermeiro se fazia presente e participe, e de forma ativa evoluindo juntamente com os
tratamentos.

Na Santa Casa de Misericórdia de Parnaíba-PI, tivemos a oportunidade de


participar do cotidiano na nova forma de atender aos doentes mentais, as antigas
práticas de encarceramento, cairam por terra dando espaço ao atendimento de um
cidadão que tem uma doença, que não deixou de ser homem ou mulher, pai ou filho,
mãe ou esposa, a participação inicial onde medos e preconceitos nos acompanhavam
foram caindo por terra como as antigas práticas.

Nesse projeto objetivamos fazer um estudo bibliográfico das práticas


executadas no estágio, correlacionando com os estudos recentes e assim buscando
entender melhor o porquê das terapias que usamos e quais outras estão em uso
atualmente em outros locais, os principais teóricos e suas linhas de atuação, com as
mais novas práticas e ações que o enfermeiro vai usar para participar da equipe
multidisciplinar.

O trabalho tem garantida a sua relevância social, visto que segundo a


Organização Mundial de Saúde 400 milhões de pessoas sofrem de doenças mentais e no
Brasil estimasse em 23 milhões da população passará por doenças mentais, sem contar
os transtornos e pequenas crises, neuroses, surtos, até chegarem as psicoses.
PROBLEMATICA

Tema

Estudo sobre a atuação do enfermeiro dentro do atendimento do


doente mental.

Delimitação do Tema

O Cotidiano do Enfermeiro no Atendimento de Pacientes Psiquiátricos


na Santa Casa De Misericórdia em Parnaíba-PI.

Definição do Problema:

Existe um procedimento adequado no atendimento dos enfermeiros


para pacientes psiquiátricos na Santa Casa De Misericórdia em
Parnaíba-PI?

Hipóteses:

Faltam estudos científicos que forneçam subsídios para atuação do


enfermeiro quanto ao tratamento junto aos pacientes psiquiátricos.
O sistema empregado no tratamento do doente mental não comporta
ações para o enfermeiro.
Os enfermeiros não possuem uma carreira dentro do atendimento dos
doentes mentais.

OBJETIVOS

01-Geral:

 Pesquisar sobre a atuação do enfermeiro nos atendimentos dos doentes


mentais sob a nova pespectativa da luta antimanicomial.

02-Específicos:

 Apontar em que ações o enfermeiro pode atuar dentro do atendimento


do doente mental;

 Relatar as atividades específica ao enfermeiro na psiquiatria;

 Conhecer as mudanças históricas da enfermagem dentro do


atendimento de pacientes psiquiátricos.
METODOLOGIA

Segundo Moresi (2003), a pesquisa qualitativa não se apega a


números e sim a desenvolver de forma subjetiva uma idéia, uma hipótese, nessa
pesquisa não comporta números e sim idéias, observações pessoais relacionadas aos
conhecimentos pesquisados e aos momentos vividos no estágio dentro da Santa Casa de
Misericórdia de Parnaíba poderão explicar de forma mais profunda os motivos das
terapias e aplicações práticas que forma usadas no estágio.

Para Gil (1999, p.42), a praticidade e aplicabilidade necessita estar no


processo da pesquisa, deve ser um “processo formal e sistemático de desenvolvimento
do método científico. O objetivo fundamental da pesquisa é descobrir respostas para
problemas mediante o emprego de procedimentos científicos”. A pesquisa deve ter
raciocínio lógico para solucionar problemas ou explicá-los, deve completar as
informações necessárias ao melhor entendimento dos problemas.

REFERENCIAL

O trabalho do enfermeiro evoluiu juntamente com os serviços de atendimento


aos pacientes psiquiátricos, as equipes multidisciplinares são uma realidade nesses
atendimentos, médicos psiquiátricos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, educadores
físicos todos vão ter sua cota de participação, mas, passado sua consulta, terapias ou
atividades, resta a equipe de enfermagem e os pacientes, em um caso de internação de
24 horas, serão mais de 20 horas só eles, num processo de interação.

Segundo Oliveira (2003),