Você está na página 1de 11

Universidade Lúrio

Faculdade de Engenharia

Departamento de Engenharia Mecânica

Campus Universitario Eduardo Mondlane – Pemba

Relatório das aulas práticas da cadeira de Desenvolvimento Comunitário II

Durante um período de 5 dias, esteve-se presente na empresa Volvo-Penta para a


realização de aulas práticas na cadeira de nome Desenvolvimento Comunitário II (DCII).
As aulas decorreram somente nas sextas-feiras visto que a cadeira é lecionada no mesmo
dia, não havendo necessidade de interromper outras actividades curriculares. Começou
no dia 06 Outubro e terminou no dia 03 de Novembro do presente ano, no horário normal
do expediente que é: das 7:00h – 17:00h, tendo uma interrupção de 2 horas a partir do
meio-dia até as 14:00h para o lanche e ou mesmo descanso. A equipe era constituída de
5 elementos nomeadamente: Armando Horácio, Bernabé Luís, Hisham Acubo, José
Maria e finalmente Mucole Selemane.

O presente relatório de aulas práticas na empresa Volvo – Penta, vai falar de todo o
trabalho, e de todo o aprendizado que se desenvolveu na mesma empresa. Com o
objectivo de conciliar a teoria e a prática, usou-se o método expositivo-explicativo que
consiste num diálogo aberto entre o emissor e o receptor, abrindo um espaço para
exposição e esclarecimento de questões e duvidas.

Falará também de características principais das máquinas, ferramentas que foram usadas
para realização do trabalho durante o estágio. Abordar-se-á também o princípio de
funcionamento das máquinas, as precauções que devem ser tomadas e as medidas de
proteção que devem ser consideradas na realização de trabalho.

Far-se-á a descrição dos funcionários e técnicos que colaboraram para que o estágio fosse
concluído com sucesso, sem deixar de salientar o responsável que é o chefe da oficina.

Há que frisar que a Volvo-Penta é uma empresa localizada na baixa da cidade, perto do
estaleiro Naval que localiza-se no porto de Pemba, destinada a fazer e prestar vários
serviços nos seguintes ramos tais como: manutenção mecânica, electrónica, naval e, na
realização de alguns trabalhos tais como, fabricação, rectificação, torneamento e outros.
Descrição das Máquinas

Maquina Referência Ferramentas Operador Descrição

Engenho de furar de Oficina Brocas de Yacubo É utilizada


alta precisão 650/2150-IMOR diferentes para trabalhos
diâmetros e de alta
disposições. precisão como
o de aumentar
o diâmetro de
uma peça.

Tornos Mecânicos CZ1340A Ferramentas de Magalhães É usada para


corte, tarraxas, tornear,
pastilhas de aço retificar,
Harrison M300
temperado, facejar, abrir
paquímetro, roscas, furar e
etc. Em
Conta-fios,
diversos tipos
Macho,
de peças.
Buchas,
Chaves de
sextavada, etc.

Fresadora MILKO-12 Chaves Magalhães Serve para


sextavada criar
sextavadas em
porcas.

Compressor de ar Sem referência Sem Pode ser usada


operador para soprar
fixo filtros de ar,
encher pneus,
etc.

Prensa Hidráulica HR4,5 MP4 Chapas de Sem Pode ser usada


(100 Toneladas) espessura grossa operador para endireitar
e de alta fixo peças,
resistência, etc. desempenar
eixos, em geral
para trabalhos
que exigem
muita força
Rebarbadora Bosch 304 Discos de vários Sem Serve para
diâmetros operador cortar pecas.
fixo

Rectifidora de eixos SCLEDUM Micrómetro, Álvaro Serve para


de manivelas RG230 nível, óleos para retificar
cortes e cambotas.
arrefecimento da
peça, rodas de
pedras de
esmeril, etc.

Retificadora de SCLEDUM Óleos de corte, Magalhães Usada para a


blocos RT7S3 nível, calços, rectificação e
etc. facejamento de
blocos de
motor.

Maquinas de soldar Eléctrodos Magalhães Usada para


revestidos e não unir
revestidos, permanenteme
electro de nte as pecas.
alumínio e de
aço inoxidável.

Serrote mecânico Óleos de corte e Magalhães Usada para


refrigeração, cortar varões e
folha de cerra, tubos de
etc. dimensões
maiores.

Engenho de furar Modelo J1C-235 Brocas Yacubo Serve para


furar chapas a
Dmax = 23mm
um diâmetro
máximo de 23
mm.

De seguida observar-se-á uma tabela que fara a descrição de todos os trabalhos realizados
em forma de cronograma, e as respectivas maquinas e ferramentas que foram usadas.
Cronograma das Actividades
Data Hora Actividades Orientador Observações/Resultados
6/10 7:00 As 12:00 - Apresentação Do Magalhães No final destas actividades
pessoal de trabalho; observou-se uma serie de
- Apresentação das regras a seguir para operar
máquinas e as máquinas.
ferramentas;
- Lições teóricas sobre Antes das actividades
o princípio de garantiu-se a higiene e
funcionamento das segurança nos postes de
máquinas e trabalho.
ferramentas;
- Licão sobre materiais
de construção
mecânica.
12:00 As 14:00 Intervalo

14:00 As 17:00 - Manutenção do Álvaro O serrote encontrava-se


serrote mecânico. inoperacional devido a
fuga de óleo no sistema
13/1 7:00 As 12:00 - Limpeza das Magalhães As máquinas tinham
0 máquinas; Álvaro acumulado muita limalha
- Soldadura, Simão do dia anterior;
torneamento e Yacubo
retificação de um veio; Metade do grupo de
- Saída para a praia do trabalhadores teve uma
wimbe para a saída para um trabalho
manutenção de um externo.
barco.
12:00 As 14:00 Intervalo
14:00 As 17:00 - Rectificação de Magalhães Os tubos eram de diâmetro
roscas em tubos de de 45 mm
instalações hidráulicas.
20/1 7:00 As 12:00 - Rectificação de uma Yacubo A máquina utilizada foi a
0 cambota. retificadora de marca
SCLEDUM (RG230)
12:00 As 14:00 Intervalo
14:00 As 17:00 - Ajustamento e Jamal A máquina utilizada foi a
endireitamento do Prensa Hidráulica (100
leme de bronze de um Toneladas)
barco.
27/1 7:00 As 12:00 - Manutenção de um Álvaro Parte do grupo foi ao barco
0 barco na praia do Jamal e a outra parte ficou na
wimbe; empresa.
- Ajustamento de
roscas em pernos.

12:00 As 14:00 Intervalo


14:00 As 17:00 - Ajustamento de Magalhães Foram 57 pernos a serem
roscas em pernos. ajustados
03/1 7:00 As 12:00 - Abertura e limpeza Magalhães
1 da oficina; Yacubo
- Reunião com a
responsável da oficina;
Retificação do grau de
rugosidade de uma
jante;
- Aumento do
diâmetro dos cilindros
de um bloco de motor.
12:00 As 14:00 Intervalo
14:00 As 17:00 - Soldadura e Magalhães
retificação de um eixo Simão
de cames; Álvaro
- Facejamento de um
bloco de um motor;
- Calibração e teste de
injectores.
Tota 5 Dias 40 Horas
l

No primeiro dia de trabalho, o grupo chegou por volta das 6:50 nas instalações da empresa
supracitada, tendo aguardado a chegada dos funcionários as 7h, de seguida entrou-se nos
balneários para vestir-se adequadamente como um operário.

Apresentou-se a equipe dos estudantes e de seguida o chefe da oficina Álvaro, apresentou


a equipe de trabalho da empresa e delegou o senhor Magalhães para fazer apresentação
das máquinas, ferramentas e o respectivo princípio de funcionamento, das máquinas pode
se destacar as seguintes: engenho de furar de alta precisão, tornos mecânicos, fresadora,
prensa hidráulica, rectificadora e outras.

De seguida falou-se de alguns materiais os mais usuais na fabricação tais como ferro
fundido, aço inoxidável, o aço e o alumínio em diferentes tamanhos e espessuras.
Abordou-se também as medidas de proteção e prevenção contra acidentes que podem
ocorrer durante a realização do trabalho, dai era necessário o uso obrigatório dos
equipamentos de proteção individual e também acerca de higiene no trabalho.

Depois do intervalo, foi se terminar a manutenção do serrote mecânico, este serrote serve
para cortar sejam chapas, tubos ou varões de media ou grande espessura em menos tempo.
A actividade foi orientada pelo senhor Álvaro visto que tinha problemas de fugas de óleo
nos cilindros, não foi necessário usar uma chave para tal, levou-se uma cola e uma
borracha e vedou-se o local da fuga e de seguida testamos e o óleo não fluía mais.

Figura1: imagem do serrote mecânico.


No segundo dia começou se limpando as maquinas e o local de trabalho, de seguida viu-
se noções básicas da soldadura, a soldadura serve para unir permanentemente peças, viu
se o tipo de eléctrodo que deve ser usado para cada tipo de liga metálica. Há que salientar
que é de extrema importância que a pessoa use a mascara de proteção ao soldar, e que
também deve regular a intensidade da corrente para que não danifique material a ser
unido, essa função foi orientada pelo senhor Magalhães. Depois disso seguiu-se para o
torneamento que é uma actividade que permite trabalhar por corte com levantamento de
aparas, peças de revolução, às quais são dadas em movimento de rotação uniforme em
volta de um eixo fixo, o corte da apara é realizado por uma ferramenta de gume simples
chamada ferro de corte, este deve ter uma dureza elevada a do material a cortar.

Primeiro afixou-se o eixo do leme que deveria ser torneado na bucha que para abrir usou-
se uma chave com formato sextavada, e depois fixou-se no cabeçote móvel, de seguida
ligou-se o torno regulou-se a velocidade e deu se o início do movimento de avanço, essa
actividade foi orientada pelo senhor Magalhães.

Figura2: imagem da bucha e do cabeçote móvel de um torno.

E antes do intervalo ainda tivemos a oportunidade de assistir a rectificacao de um eixo.


Esta é uma actividade pela qual se cortam aparas do material de uma peça com formas e
dimensões diferentes utilizando uma ferramenta de corte chamada pedra de esmeril, para
tal fixou se o eixo no cabeçote que faz girar e sustenta a peça e depois ajustou-se no
contraponto que permite sustentar os pontos, deu-se o avanço do movimento da pedra
esmeril que foi rectilíneo, que penetrava-se o eixo cada vez mais consoante as dimensões
e o acabamento com precisão requerido, usava-se o volante de comando principal para
movimentar a peça, esta actividade foi delegada pelo senhor Yacubo. E por fim rectificou-
se roscas usando o tarracho uma ferramenta que tem a função de rectificar, fixamos os
tubos hidráulicos no torno de bancada e começou-se a girar o tarracho em torno daquele
eixo.

No terceiro dia começou-se com a rectificacao de uma cambota que estava empenada,
usou-se a rectificadora no comando senhor Yacubo, fixou-se a cambota e deu-se avanço
do movimento da pedra esmeril, a medida que ela girava depois de um certo tempo
usamos um instrumento de medição de alta precisão para medir o ângulo na cambota. E
por vim endireitou-se o leme de bronze de um barco, que estava torto usando a prensa
hidráulica que é um instrumento que é usado para actividades que requerem muita força,
posicionou-se o leme na prensa, depois de ligar a prensa e demos o movimento de avanço.
Figura3: prensa hidráulica

No quarto dia foi-se a praia de wimbe para fazer-se uma manutenção num barco de marca
Volvo que estava parado a mais de 6 meses. Houve necessidade de trocar-se os filtros de
combustível assim como dos óleos, também trocou-se as baterias, sangrou-se também os
tanques dos óleos para poder se fazer a respectiva limpeza e depois substitui-se com outro
óleo menos desgastado. Demostrou-se também o esquema Oleohidráulica do barco, usou-
se varias ferramentas tais como, fitas, chaves de estrela, de fenda, 12, 14, 18, 22, alicate
de corte, chave sextavada e outras, e por fim deu-se o arranque e o barco estava
operacional, esta actividade foi orientada com o senhor Jamal e o senhor Álvaro.
Por fim no último dia usou-se o engenho de furar de alta precisão para aumentar o
diâmetro de algumas hastes e jantes em que o diâmetro estava reduzido, o engenho de
furar de alta precisão é uma máquina que permite fazer perfurações e ajustamentos em
chapas com maior rigor e precisão, primeiro colocou-se a haste, e abrindo a bucha trocou-
se a broca, e começou-se a comandar o avanço da broca manualmente num movimento
de descer e subir até atingir o diâmetro requerido pelo dono.

Figura4: engenho de furar de alta precisão

Decorridas todas essas visitas e actividades, notou-se que o contacto com as máquinas
ferramentas é necessário na vida de um engenheiro, saber como as máquinas funcionam
e saber opera-las é fundamental. Notou se também a fácil adaptação dos estudantes ao
ambiente de trabalho, a convivência, o respeito mutuo e a obediência as orientações
deixadas pelos responsáveis das maquinas, e percebeu-se também que uma equipe é um
conjunto de pessoas com os mesmos objectivos a alcançar ou seja existe uma
interdependência para que o trabalho ande perfeitamente.