Você está na página 1de 4

Ame e Dê Vexame

“Mas eu desconfio que a única pessoa


livre, realmente livre, é a que não
tem medo do ridículo.”

Luis Fernando Veríssimo

“É o nosso dever de artista mostrar às


pessoas que o medo, a culpa e a morte
não fazem necessariamente parte da vida.”
Genesis P. Orridge

“Por educação eu perdi minha vida.”


Arthur Rimbaud

“Soma” = a totalidade do ser humano.


O ser corporal em que o corpo encerra
tudo que nos compõe: a carne, os
Roberto Freire sentidos, a cognição e os sentimentos.

Anarquia Somática

“a” = Negação Liberdade pessoal e social


Objetivo político essencial
“narchos” = Poder

Esfera política: nega o poder do estado.


Esfera pessoa e social: a liberdade é o único lugar em que o indivíduo pode
entrar em contato com a TOTALIDADE do seu ser e realizar todos os seus
potenciais de prazer.

Liberdade => Plenitude


A liberdade não está definida e
nem estabelecida. Ela é um
caminho que se faz ao caminhar

Por que vexame?

ESFERA MORAL

RIDÍCULO: que tem pouco VALOR, INSIGNIFICANTE, IRRISÓRIO.


Os anarquistas gostam de dar vexame em todos os campos, especialmente no
amor.
O vexame é uma arma revolucionária!

Somaterapia
Prática terapêutica corporal e em grupo, baseada na obra de Wilhelm
Reich, que visa a prevenção e recuperação de pessoas submetidas a
repressão autoritária

Conscientização política

Ideologia do prazer (saúde) x ideologia do sacrifício (neurose)

O Corpo
A fala pode se um retardo, bloqueio
ou transformação da naturalidade. A
manifestação por processos corporais
pode ser mais espontânea.
Transmutação de significados. Liberdade e Amor

A atribuição de novos significados pode ser fruto de


processos de controle social, da definição de uma esfera
moral e da definição do que é certo e errado.
O que é ser livre?
O que é amar?

Os sentimentos não são as palavras


Os sentimentos não vão deixar de existir apenas
porque não podem ser comunicados
Conscientização

E a comunicação não se dá somente por formas explícitas e materiais


Comunicar o seu amor por meio da poesia que emerge do fato de estar
apaixonado, que produz profunda, mas indecifrável comunicação.
“Não as cores, mas as nuances. Sim, as nuances são mais calor e
mais emoções que pigmentos, como o jeito de falar e o tom da voz são
mais o sentimento e a emoção atuais, especiais e específicos do que o
vocábulo amor.”

O AMOR é
Os sentimentos não vão deixar de existir apenas porque não podem ser
Produção criativa de quem ama. Para amar, depende-se apenas de si
comunicados
mesmo. E sua expressão e comunicação são produtos da liberdade
Conscientização
pessoal e social conquistada
E o que ele é?
O mistério é a sua natureza. Desvendá-lo é assassiná-lo. Do amor só
se pode fazer necropsia, jamais autópsia.
E onde se desenvolve?
Possibilidade de amar, em anarquismos somático, significa liberdade!
Quando se ama:

Autoritarismo

Segurança

Duração É o AMOR em si mesmo


Que comanda a
Controle
A intensidade, a beleza, a forma e a
Posse duração e não os amantes ou a sociedade

Quando o AMOR

Acaba por ele mesmo, quando existe incompatibilidade entre as


personalidades dos amantes, suas reações à perda não chegam nunca
ao desespero trágico dos desfechos produzidos de fora para dentro,
do social para o pessoal, do desamor geral contra o amor possível.

O AMOR como troca que complementa

Gera sentimento de gratidão e dependência.

A ideia de que amor pode ser algo totalmente


diferente disso pode ser desconcertante.