Você está na página 1de 2

Gastronomia da região Rio de Janeiro

12 de fevereiro de 18

Alunos:
- Henry
- Guido
- Alejandro
- Jesús

Como em muitos países da região do Caribe, tanto a cultura como a culinária do Brasil são baseadas em origens
indígenas que são misturadas indissoluvelmente com contribuições coloniais (neste caso, portuguesas) e com o
que os escravos africanos trouxeram séculos de volta. O processo de formação da gastronomia carioca produziu
hábitos nas pessoas e alimentou desenvolvidos no século XIX e também na comida de rua da cidade do Rio de
Janeiro, a partir das dualidades que envolvem as tradições europeias, observadas na comida da Corte, e as
tradições indígena e africana, representadas pelas formas do fazer culinário popular1. O resultado é uma cozinha
cheia de sabores intensos, especiarias e variedade, que beneficia dos ótimos produtos que o mar, as montanhas
e a selva trazem para as mesas do Rio de Janeiro. Uma das curiosidades que adornam os costumes dos
habitantes do Rio no momento da alimentação é que, ao contrário do que acontece na Europa e no Ocidente em
geral, geralmente não são preparados os três pratos típicos das refeições (primeiro, segundo e sobremesa). Em
vez disso, o restaurante recebe um único prato com tudo o que irá consumir, seguido, sim, por sobremesa. O
nome desta apresentação peculiar é prato feito (prato combinado), e é costume trazer o arroz e os feijões eternos
(feijão preto pequeno), bem como carnes e salsichas. A feijoada é o exemplo mais típico do Rio e do resto do
país, e entre seus ingredientes estão a carne de porco (seca), frutas como laranja e farofa (farinha de mandioca
torrada e convenientemente temperada).

Provavelmente, aqueles que vêm ao Rio de Janeiro com a esperança de provar a gastronomia brasileira estão
dispostos a provar um bom bife, uma especialidade de carne grelhada (similar aos nossos churrascos) que o
Brasil exportou em todo o mundo. Uma das peculiaridades da gastronomia do Rio de Janeiro são as
churrasquerías que se encontram em toda a cidade e que oferecem diferentes cortes de carne aos seus clientes.
A gama de saladas de frutas e legumes é muito ampla nesses lugares. Comer nestes lugares permite que você
se aproxime da cozinha brasileira mais autêntica, já que você pode tentar um pouco de tudo e o preço é muito
acessível para todos os orçamentos. O que distingue as carnes brasileiras das de outros países são os cortes
particulares, o que os torna especialmente saborosos. Para saborear o melhor churrasco, é conveniente ir aos
estabelecimentos de tipo rodizio, uma espécie de buffets gratuitos onde você paga um montante para acessar as
instalações e é possível comer até que esteja cheio. Outra maneira particular de comer nos restaurantes
brasileiros é ir ao "alimento ao quilo" local, onde depois de servir o que queremos, pagaremos o peso. O peixe
não é como de costume nas mesas brasileiras, pois é uma cidade amante da carne. Mas ainda assim, em muitos
restaurantes é possível provar peixes magníficos do Oceano Atlântico, como dorado ou pardo (preparado com
limão e batatas), ou frutos do mar como o camarão.

As frutas tropicais, e especialmente os sucos (sucos no Brasil) que são feitos com eles, são um ponto e
distanciamento na seção gastronômica do Rio de Janeiro. Nas casas de sucos é possível degustá-los inteiro ou
em forma líquida, enquanto desfrutamos de um sanduíche a um bom preço. Quanto às bebidas, a água de coco é
amplamente consumida, especialmente durante os meses de verão quente, bem como sorvete e guaraná (com
ou sem bolhas). Açaí é uma fruta amazônica muito especial com propriedades energéticas e é consumida sob a
forma de bebida gelada, sendo a especialidade do Rio açaí na tigela com granola, que mistura a bebida desta
fruta com cereais. O mais comum é consumir essas bebidas deliciosas e refrescantes na rua, comprando-as em
carrinhos e barracas de rua, onde também é possível comer especialidades como queijo coalho (grelhado),
tapioca (algo semelhante a um crepe recheado) ou a salsicha batalhada com farofa.

O bom clima e o caráter alegre dos cariocas fazem que os bares e os restaurantes sejam pontos de encontro a
qualquer hora do dia, especialmente os botecos tradicionais, bares abertos nas ruas onde es comum que as
pessoas se encontrem para comer ou beber algo depois do trabalho. Beber uma cerveja gelada, numa mesa ou
em pé, acompanhada de algum salgadinho (um aperitivo frito) é um ritual diário no Rio de Janeiro.
PRATOS TRADICIONALES:

- Feijoada: composta de feijões pretos, arroz, farinha de mandioca frita, porco, chouriço, bacon e laranja.
- Queijo Coalho, servido em brasas
- Tapioca, semelhante aos crepes, pode ser combinado com vários alimentos
- Munguzá: mingau de milho com pequenos pedaços de coco
- Puré de banana verde cozido em leite
- Pirarucu (peixe doce da Amazônia). É cozido em leite de noz
- Peixe de boi: peixe cozido na grelha ou assado

BEBIDAS TÍPICAS

- Água de coco: consumida principalmente nas praias e alivia muitíssimo do calor.


- Guaraná: bebida refrescante e também muito consumida pelos moradores e turistas.
- Suco de açai, uma fruta da Amazônia que contém propriedades energizantes
- Cachaça é uma bebida alcoólica obtida por destilação de cana-de-açúcar.
- A preparação de cocktails e bebidas como a caipirinha também é muito comum.

Conclusão

A culinária do Brasil são baseadas em origens indígenas com contribuições coloniais (neste caso, portuguesas) e
com o que os escravos africanos trouxeram séculos de volta. Ademais, o Brasil está numa zona tropical, por isso
tem inúmeras quantidades e variedades de frutas e vegetais que são preparadas especialmente para obter os
mais variados sumos naturais e pratos típicos para o deleite dos turistas, já que muitos dos sabores oferecidos
por esta cidade são desconhecidos pelos turistas. O resultado é uma cozinha cheia de sabores intensos,
especiarias e variedade, que beneficia dos ótimos produtos que o mar, as montanhas e a selva trazem para as
mesas do Rio de Janeiro

Bibliografia

1. De Oliveira Aleixo, Mariana & Bartholo, Roberto, “Tradições culturais e gastronomía carioca”, Revista do
Arquivo Nacional, v. 28, n. 1 Jan- Jun (2015)
Link: http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/591/589

2. Turismo Online
Link: https://turismoonline.com/destinos/brasil/rio-de-janeiro/gastronomia

3. Imaginario de Janeiro
Link: https://imaginariodejaneiro.com/la-ciudad-de-rio-de-janeiro/cultura-carioca/gastronomia/