Você está na página 1de 4

Centro de Formação em Tecnologias da Informação e Comunicação 

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO

Quadros interactivos e conteúdos multimédia educativos

2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO E SUA INSERÇÃO NO PLANO DE


ACTIVIDADES DA ENTIDADE PROPONENTE

Os quadros interactivos são tecnologias multimédia que, em Portugal, assumiram particular


importância nos últimos 2 anos devido essencialmente às medidas de apetrechamento previstas
no âmbito do Plano Tecnológico na Educação.
O quadro interactivo possibilita uma comunicação multimédia na sala de aula, tornando o
processo de ensino/aprendizagem mais interactivo e aliciante.
Os benefícios da introdução destas tecnologias nos contextos de aprendizagem têm sido
amplamente estudados e documentados em diversos países, evidenciando o maior
envolvimento dos alunos, o aumento da motivação, a promoção da aprendizagem cooperativa e
o reforço do papel do professor com orientador dos processos de aprendizagem.
Os quadros interactivos multimédia, se usados de forma adequada, podem facilitar a
aprendizagem em sala de aula. Não obstante, muitos são ainda os professores e educadores
que resistem ou sentem dificuldade na sua utilização, já que as dinâmicas, os tempos e espaços
de aprendizagem são alterados significativamente.
Assim, torna-se relevante não só aprender a utilizar conveniente esta tecnologia, mas
também perceber que, embora o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) em
sala de aula seja imprescindível numa escola moderna, o modo com se usam e os conteúdos e
actividades interactivas a que se recorre são extremamente importantes para que os resultados
sejam satisfatórios.
Por conseguinte, este curso de formação tem como finalidade, por um lado, permitir a
aquisição de competências ao nível da utilização e integração curricular dos quadros
interactivos, e pelo outro, reflectir sobre os benefícios e limitações desta ferramenta, bem como
discutir formas de promover o sucesso educativo, mesmo em aplicações para alunos com
necessidades educativas especiais.

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO

Educadores de Infância
Professores do 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico
Professores do Ensino Secundário

Os dados recolhidos são processados automaticamente, destinando-se à gestão automática de certificados e envio de correspondência. O preenchimento dos campos é obrigatório pelo que a falta
ou inexactidão das respostas implica o arquivamento do processo. Os interessados poderão aceder à informação que lhes diga respeito, presencialmente ou por solicitação escrita ao CCPFC, nos
termos dos artigos 27º e 28º da Lei nº 10/91 de 19 de Fevereiro. Entidade responsável pela gestão da informação: CCPFC – Rua Nossa Senhora do Leite, nº 7 – 3º - 4701-902 Braga.
Centro de Formação em Tecnologias da Informação e Comunicação 
4. OBJECTIVOS A ATINGIR
No final da formação, os participantes deverão ser capazes de:

• Utilizar convenientemente o quadro interactivo e tecnologias multimédia associadas.


• Seleccionar as tecnologias e conteúdos multimédia que potenciam a utilização do quadro
interactivo em sala de aula.
• Produzir conteúdos e actividades interactivas adequados aos quadros interactivos
multimédia.
• Prosseguir autonomamente o enriquecimento dos seus conhecimentos e competências
no âmbito da utilização dos quadros interactivos e das tecnologias multimédia associadas.
• Incentivar a utilização dos quadros interactivos multimédia em contextos de
aprendizagem.
• Apoiar outros professores ou educadores na utilização dos quadros interactivos e das
tecnologias e conteúdos multimédia associados.
• Promover atitudes empreendedoras e práticas pedagógicas inovadoras, potenciando o
uso das TIC.
• Promover boas práticas no âmbito da integração dos quadros interactivos e das TIC
associadas no contexto educativo.
• Fomentar a criação de redes de aprendizagem cooperativa de âmbito regional, nacional e
internacional no âmbito da utilização do quadro interactivo e da partilha de conteúdos
multimédia.

5. CONTEÚDOS DA ACÇÃO (Descriminando, na medida do possível, o número de horas de formação relativo


a cada componente)

1. Quadros interactivos multimédia (5 horas):


1.1. O mercado dos quadros interactivos
1.2. Factores a considerar na escolha de um quadro interactivo
1.3. Influência da utilização dos quadros interactivos na sala de aula
1.4. Procedimentos de instalação e configuração de quadros interactivos
1.5. Utilização básica dos quadros interactivos
1.6. Regras de utilização em segurança.

2. Comunicação e interacção com o quadro interactivo multimédia (10 horas):


2.1. Escrever, desenhar e digitar em quadros interactivos
2.2. Elaborar e apresentar conteúdos educativos através do quadro interactivo
2.3. Elaborar materiais com o software Notebook ou outro software proprietário similar
2.4. Utilização de outros softwares específicos para quadros interactivos
2.5. Utilização de aplicações de escritório electrónico no quadro interactivo
2.6. O quadro interactivo e as metodologias pedagógicas
Centro de Formação em Tecnologias da Informação e Comunicação 
2.7. O quadro interactivo e o trabalho cooperativo/colaborativo.

3. Conteúdos multimédia educativos para quadros interactivos (10 horas):


3.1. Aplicações e formatos para produção de conteúdos multimédia
3.2. Exploração de recursos educativos disponíveis na Internet
3.3. Aspectos a considerar no desenvolvimento de conteúdos multimédia educativos
3.4. Mapas mentais e mapas de conceitos no quadro interactivo
3.5. Actividades interactivas no quadro interactivo (hotpotatoes, quizfaber, phpwebquest, etc)
3.6. O quadro interactivo e outras tecnologias associadas
3.7. A utilização do quadro interactivo em função do nível de ensino e da turma
3.8. O quadro interactivo e a educação especial
3.9. Produção de recursos educativos de acordo com as áreas dos formandos.

6. METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO (Discriminar, na medida do possível, a tipologia


das aulas a ministrar: teóricas, teórico/práticas, práticas, de seminário)

As sessões são teórico/práticas. Não obstante, a apresentação dos conceitos teóricos será
ilustrada com casos de estudo ou actividades interactivas. Sempre que possível, será
fomentada a discussão em grupo, de modo a reflectir sobre a utilização dos quadros
interactivos e das tecnologias associadas.
A familiarização do formando com os quadros interactivos resultará, primeiramente, da
observação da demonstração efectuada pelo formador e, posteriormente, da exploração
individual desta tecnologia multimédia. Esta exploração deverá consistir, por um lado, na
concepção de conteúdos a usar no quadro interactivo e, pelo outro, na simulação de uma
aula suportada pelo quadro interactivo onde serão apresentados e elaborados os recursos e
as actividades interactivas ou outros objectos de aprendizagem.
Paralelamente à acção, será usado um sistema de e-Learning que permitirá fomentar
discussões em grupo e esclarecer dúvidas, para além de disponibilizar acesso aos
conteúdos, documentos e outras informações.
Centro de Formação em Tecnologias da Informação e Comunicação 

7. CONDIÇÕES DE FREQUÊNCIA DA ACÇÃO


- Ser destinatário da acção.
- Os formandos têm de assistir a 2/3 das sessões realizadas.

8. REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS


A avaliação deve ser contínua, com carácter formativo e assumindo carácter sumativo no final. A
metodologia de avaliação deve contemplar o desenvolvimento de conteúdos para utilização com o
quadro interactivo, ao longo do processo de formação, por cada um dos formandos, para além da
avaliação das reflexões críticas presenciais ou a distância.
a) Avaliação, ao longo da formação, das competências visadas, através da participação e análise crítica
dos formandos em reflexões individuais e em fóruns de discussão (50%).
b) Avaliação da utilização do quadro interactivo e respectivos conteúdos ou objectos de aprendizagem
concebidos para simular a aula (50%).
A avaliação quantitativa dos formandos será efectuada de acordo com os termos da carta circular
CCPFC-3/2007 e de acordo com o estipulado no n.º3 do artigo 13º do RJFCP, que a seguir se
transcreve:
“Excelente – 9 a 10 valores; Muito Bom – 8 a 8,9 valores; Bom – 6,5 a 7,9 valores; Regular – 5 a 6,4
valores e Insuficiente – 1 a 4,9 valores”.

9. MODELO DE AVALIAÇÃO DA ACÇÃO


• Avaliação pelos formandos através de um questionário de apreciação da acção, do desempenho
enquanto formandos e do desempenho pedagógico do formador.
• Avaliação pelo formador através de relatório de apreciação da acção e do desempenho dos
formandos, bem como do seu próprio desempenho pedagógico.

10. BIBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL


BALL, B. (2003) – Teaching and learning mathematics with an interactive whiteboard. Micromath, 2003.
EKMAL, L., (2002)-The Power of Interactive Whiteboards. School Library Media Activities Monthly, 2002.
KENNWELL, S., (2001) – Interactive whiteboards – yet another solution looking for a problem to solve?
Information Technology in Teacher Education.
LEVY,P. (2002) – Interactive Whiteboards in learning and teaching in two Sheffield schools: a
developmental study.Sheffield: Universityof Sheffield , D.I.S., 2002.
Marzano, R. J. (1992). A different kind of classroom: Teaching with dimensions of learning. Alexandria VA:
Association for Supervision and Curriculum Development.
MEIRELES, Alcides (2006). "Uso de quadros interactivos em educação: uma experiência em Físico-
Químicas com vantagens e resistências”. Dissertação de mestrado em Educação Multimédia, Porto:
Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.
Materiais a elaborar pelo formador.
Webliografia:
http://moodle.crie.min-edu.pt
http://www.aprenderconsmart.org
http://www.imagina.pt/
http://r21.ccems.pt/
http://www.inovar.pt
http://www.easy-learning.ipb.pt
http://www.vgportal.ipb.pt