Você está na página 1de 26

Departamento do Pré-Escolar: Equipa Redactorial: Rita Medinas, Maria

 Coordenadora - Arminda Escária Ermelinda Guedes, Arminda Escária e Maria


 J.I. Penedo de Ouro - Mª do Carmo Correia, Aldina Manuel Fernandes .
Cabrol Rosalinda Alface, Elisabete Mestre e
Cláudia Oliveira. Contactos:
 J.I. Bacelo - Cidália Vicente, Mariana Cardoso,  Departamento do Pré-Escolar -
Mariana Rodrigues, . Escola Básica 2,3 Conde Vilalva
Av. António Barata, Bº das Pites
 J.I. Canaviais - Alexandrina Figueira.
7005-621—Évora
 J.I. Graça do Divor - Maria Ilda Pinto. 266777320
 J.I. Azaruja - Isabel Mendes e Maria Teresa dep.prescolar@gmail.com
Pimentel. Prescolar4.blogspot.com
 J.I.
S. Miguel de Machede - Maria Ermelinda
Guedes
 J.I.Nª Srª de Machede - Olga Barradas

Editorial
Maria de Lurdes Baptista - Directora do Agrupamento nº4 Évora

A nossa revista tem como grande objectivo mostrar a dimensão humana ao


nível da coesão, da amizade, da descoberta, do projecto, de tudo o que cresce no dia-
a-dia nos nossos jardins-de-infância.
Nunca podemos deixar que cada dia seja igual ao anterior, porque a vida deve
ser vivida em constante processo de Mudança.
Nos rostos de cada criança, ao longo da nossa revista perpassa a alegria do
ser, do ser criança, do Ser Feliz.
Em cada página é evidente que vale a pena ser educador, dar e Receber,
porque no Dar e Receber existe a recompensa de ver Crescer.

2
Lara Susana Joana Ricardo Leandro
3 Anos 3 Anos 4 Anos 3 Anos 5 Anos

Como vêem, já conhecemos as várias partes do nosso corpo, já as conseguimos desenhar,


sabemos quais as diferenças entre rapazes e raparigas e sabemos fazer coisas bonitas, que
podem decorar as nossas casas, aproveitando materiais que às vezes se deitam fora.

Vanessa Filipa Vera Carolina Sofia


6 Anos 4 Anos 4 Anos 5 Anos 4 Anos

Leonardo João Tiago Nuno Rodrigo


3 Anos 3 Anos 3 Anos 4 Anos 5 Anos

3 4
São estes os meninos que frequentam o Jardim-de-infância de São
Miguel de Machede, no presente ano escolar 2009/2010.

5 6
TIAGO 5 anos

INÊS 5 anos

7 8
RAFAEL 4 anos

JOANA 4 anos

PEDRO 6 anos
Rita - 5 anos

André - 5 anos Margarida Santos


4 anos

Matilde - 4 anos
João - 5 anos

DIOGO 4 anos

Afonso Esteves
- 5 anos
Laura - 3 anos
Vicente - 4 anos

Margarida Vicente
RODRIGO 4 anos Carolina Santos
5 anos
5 anos

JOÃO 5 anos
Maria
Ana - 4 anos
- 5 anos
BEATRIZ 4 anos

9 10
Daniela - 6 anos

José - 5 anos

Carina - 4 anos

Gonçalo - 4 anos Foi assim que as crianças das 4 salas do jardim-de-infância se


desenharam…

Sara - 5 anos

Somos o grupo da Sala Amarela, a

Beatriz Florêncio nossa Educadora é a Bete, no total


4 anos somos 20 crianças: 11 meninas e 9
Manuel Lopes
4 anos meninos

Afonso Parreira
- 4 anos

Manuel Sagorro Mafalda - 4 anos


- 4 anos

Ema - 4 anos Aqui estamos nós o grupo

Joana - 4 anos
da Sala Verde, formado
Beatriz Paias - 5 anos
por 21 crianças: 7
meninas e 14 meninos e a
nossa Educadora é a Dina.

11 12
A nossa sala é a Sala Rosa,
temos como Educadora a
Rosalinda, e somos 20
crianças: 11 meninas e 9
meninos.
““Eu sou média, magra e
bonita. Eu porto-me bem,
fico quietinha quando tu
estás a ler uma história.
Faço bem os labirintos e
organizo os lápis todos. Eu “Eu sou um menino
porto-me bem, sempre bonito. A minha língua é
mole. Eu faço trabalhos:
os carimbos, desenhos,
vou à casinha e sou
caçador. Eu sou bonito,
Aqui estamos as 20 crianças
Gonçalo Rodrigues falo baixo, fecho a
da Sala Azul: 11 meninas e 9 3 anos torneira e faço muitos
desenhos.”
meninos e a nossa Educadora é Rita 5 anos “Eu sou gira magra e tenho cabelo giro. Eu faço

a Cláudia, . desenhos, jogos, carimbos e também pinturas,


colagens e coisas para marcar as faltas e sei os
números e as letras. Eu quando algum menino cai
eu vou ver o que é que se passa. Quando a Alice se
aleijou eu foi ajudá-la.”

“Eu sou bonita e as minhas


bochechas são moles e gosto de
flores. Gosto de fazer jogos,
desenhos, pintura, colagem e gosto
de cortar, e de brincar na casinha.
Gosto também de fazer labirintos.
Gosto de passear e de ir para a

Alice 3 anos Margarida 4 anos

13 14
“Eu sou muito bonito e tenho
braços grandes e olhos muito “ Eu sou fofinha e sou

grandes que a minha mãe bonita. Gosto de

disse. Eu gosto de ouvir brincar no

música e de bater música com computador, nos jogos

os meus instrumentos. Eu e na casinha. Eu gosto

porto bem, vou aos crocodilos, do alfabeto, de cantar


Helena
eu porto bem agora.” a da gatinha. Eu sou
3 anos
amiga, não bato em
todas as
Rodrigo 3 anos

“Eu sou lindo, a mãe disse. José 3 anos


Deu gosto de jogos,
brincadeiras, de ler histórias, “Eu de vez em quando sou
de ver tv. Uma vez, o meu forte ou se calhar sou sempre.
Tenho olhos castanhos,
pestanas e tenho 6 anos. Eu
aprendo a não desmanchar os
ninhos, a não bater, a não ser
egoísta, aprenda o I, E,O,B.
Brinco no recreio e arrumo. De
vez em quando esqueço-me de
fazer os pés nos desenhos.
“ Eu sou grande, sou
bonito porque a minha
mãe não ralha. Gosto
de fazer desenhos,
Pedro 5 anos
“ A minha mãe
gosto de brincar. Gosto
trabalha comigo. Brinco
de ir à escola fazer
na garagem, como, lavo
j o g o s n o
o dente e trabalho.”
Gonçalo Curraleira
3 anos

“Eu tenho dentes e sou nova, sou


bonita porque tenho olhos bonitos.
Quando tu estas a ler uma história,
nunca me mexo, porto-me bem,
não bato aos meninos e como tudo,
até a frutinha. A professora explica
inglês e em português e eu aprendo
aquilo tudo: gosto de aprender
letras e fazer experiências.
Maria 4 anos Ricardo 3 anos

15 16
P.E.S. - Promoção e Educação para a Saúde

“A saúde é um conceito positivo, um recurso quotidiano que implica “ um estado


completo de bem-estar físico, social e mental e não apenas a ausência de doença e/
ou enfermidade (OMS, 1993). Dentro desta perspectiva, a Educação para a Saúde
deve ter como finalidade a preservação da saúde individual e colectiva.

vros Em contexto escolar, Educar para a Saúde consiste em dotar as crianças e os jovens
“dos brinqu e de ler li
edos”.. “de jogar
. nos)
Filipa (3 an Nuno (4 a
de conhecimentos, atitudes e valores que os ajudem a fazer opções e a tomar
os)
decisões adequadas à sua saúde e ao tal bem-estar físico, social e mental.
“de ser linda” A ausência de informação incapacita e/ou dificulta a tomada de decisão. Daí, a
… Carolina
i d a”
sc s) (4 anos) importância da abordagem da Educação para a Saúde em meio escolar.”
r cre ano
e (5
es
“d arina
(DGIDC)
t
Ca
“po
r
Bea que é b
“brincar às triz o
(5 a nita”
“mamãzitas”... n os
)
Joana (3 anos)

a“ s am i gos”….
escol “do o (3
r co m a Celestin Com o inicio do ano lectivo, e devido à situação de pandemia da gripe A(H1N1) que se
assea os) Tiago
e p
“d an anos)
sa (3
verifica a nível mundial houve necessidade de definir regras de higiene e comportamentos
T e r e
“…Olha lá…sim…”I preventivos da doença neste espaço que pode ser propicio ao seu desenvolvimento.

“a m Irina (4 anos)
”de desenhar e brincar com os “dos meus amigos” sã inha
o j o brin
meus amigos no recreio”… Alexandre (5 anos) gos cade
Hen
r d e c ira p
6 an omput
Tiago San- tos (6 anos) i q ue ( refer
s ” o s ) ad or”.. ida
a “d e .
r ad “de ir à escola porque Món ter muito amigos”
u ica (6 anos)
s to s) brinco e aprendo coisas
à o
r an novas “ João (4 anos)
ca 4
rin l ( “das professoras, da Sónia
“b igue e da Lúcia e já sei contar
M r”
br inca histórias” Maria (5 anos)
e
har
abal nos)
“de
t r
4a “de brincar e “de jogos ”de aprender,
do ( ed
a ser cres- Madalena (4 a e plasticina
ua r brincar e crescer”
Ed aprender Nádia (5 anos)
nos)
cido” Afonso (5 anos)
17 18
Enquadradas neste Projecto foram muitas as actividades desenvolvidas em contexto de sala de
jardim-de-infância, nomeadamente no âmbito da Alimentação.

As três salas (A;B;C) do Centro Escolar do Bacelo desenvolveram as actividades abaixo


ilustradas:
…e recolhemos alimentos para o Banco
Alimentar.
Dia da Alimentação

O Dia da Alimentação foi desenvolvido nas três salas de várias formas, de modo a abranger
mais que uma área de conteúdo, de forma a assinalar este dia:

Fizemos um grande painel com alimentos:


Para o almoço fizemos uns saudáveis – que fazem bem à nossa saúde;
uma salada de frutos. Outros, pouco saudáveis – que devemos
comermos só em dias especiais;
E, ainda, os alimentos não saudáveis – que
nunca devemos comerem.

O que aprendemos com este projecto:


Confeccionámos um bolo…
 Que, fazer uma alimentação saudável é muito importante para ter saúde;
Que, comer doces faz mal à saúde;
Que para ter muita saúde é preciso ter cuidado com a alimentação; fazer
ginástica e tomar banho.

Para comemorar o Dia da Alimentação, os meninos


Trabalhámos a matemática do Jardim-de-Infância de S. Miguel de
e a expressão plástica…
Machede realizaram frutos em esferovite...

19 20
…distribuíram-nos pelas instituições da comunidade
educativa, transmitindo a mensagem da importância As técnicas do Centro de Saúde de
de comer fruta para contribuir para uma alimentação Évora fizeram o rastreio e ensinaram
saudável e equilibrada (tema diariamente abordado como e quando devemos lavar os dentes.
no momento da refeição).

Assim, após a refeição do almoço as crianças

Alimentação equilibrada, actividade física regular e hábitos


de higiene, são sinónimos de vida saudável, por isso nós falamos procedem à sua higiene oral, sempre com a
da matéria e colocamos em prática as nossas aprendizagens supervisão de um adulto, pretende-se
resultantes de pesquisas que fazemos, de histórias que lemos e desenvolver a responsabilidade do grupo de
partilhas de experiências e vivências de casa. crianças assim como a técnica correcta de
escovagem dos dentes, para que este momento
seja também realizado em casa, a seguir ao
pequeno-almoço e antes de deitar.

Vista pelas crianças do Jardins-de-Infância de Penedo de Ouro ( sala cor de rosa):

No Jardim-de-Infância de Canaviais,

uma das formas de abordar esta temática foi


A Família é um conjunto de pessoas…
através de uma peça de fantoches sobre higiene
oral. É um conjunto de mães, de pais, de
avós, de tios, de irmãos e de primos….

21 22
A Mãe é uma mulher… O Pai é um homem…
O Pai às vezes é casado A criança é aluno, filho e cidadão ao
Nós crescemos da barriga
da Mãe… com a Mãe, e outras mesmo tempo. Aprende através da escola, da
A Mãe faz a comida, vezes não é… família, dos amigos, das pessoas que ele
brinca com a gente e faz- O Pai tem uma
considera significativas, dos meios de
nos cócegas… sementinha humana,
comunicação, do quotidiano. Sendo assim,
que vai para a barriga
da Mãe, e forma um o Jardim de Infância da Graça do
Divor conta com o envolvimento de todos.

Os Irmãos são rapazes ou raparigas… O Avô é um homem mas já velhinho…


Os Irmãos brincam uns com os outros… Mas há alguns avós que ainda não são
Às vezes os Irmãos ainda estão nas barrigas velhinhos. O Avô é o pai das nossas mães e
das nossas mães, até nascerem… dos nossos pais…
A Avó é uma mulher, que pode ser
velhinha... Mas também pode não ser

Os Primos podem
ser rapazes ou
raparigas…
A Tia é uma mulher e é casada com o Alguns Primos
tio… A Tia é a irmã da nossa mãe ou do são pequenos,
nosso pai… outros são médios, outros são grandes…
O Tio é um homem… O Tio é o irmão da Os Primos são filhos das tias e dos tios…
nossa mãe ou do nosso pai... Podemos brincar com os nossos Primos e Primas…

23 24
O PROJECTO aLeR+

“aLeR+ é uma iniciativa do PNL e da RBE destinada a apoiar as escolas que se


disponham a desenvolver um ambiente integral de leitura.

LINHAS ORIENTADORAS:
Demos inicio ao estudo do nosso corpo, Colocar o prazer de ler no centro dos esforços da escola para elevar os níveis de
aprendizagem e o sucesso dos alunos.
saber como somos, o que temos dentro de
nós…
Envolver na promoção da leitura todos os elementos da comunidade escolar:
professores, funcionários e também pais, bibliotecários, animadores, autarcas, etc...
Trabalhar em parceria com as famílias para estimular a leitura em casa.
Estabelecer relações com a comunidade local e com outras escolas, articulando

esforços na promoção do prazer de ler.


Assegurar o máximo de visibilidade à leitura em contexto escolar.
…quisemos, também saber qual era o mais Partilhar boas práticas com as escolas e bibliotecas do projecto aLeR+.”
alto da sala e o mais pesado e para isso
fomos até à farmácia pesar-nos…

…fizemos bonitos trabalhos que Em Dezembro, os meninos de S. Miguel de Machede


representam o que aprendemos… efectuaram uma visita ao Centro Escolar do Bacêlo, com o
principal objectivo de visitar a Feira das Escolas e a
Biblioteca.

As crianças tiveram assim a


oportunidade de ouvir contar uma
história, num contexto diferente daquele
a que estão habituadas.

25 26
Participámos neste Projecto, a convite da Biblioteca Pública de Évora, foi bastante
interessante e ainda recebemos uma maleta cheia de livros.

Viram os livros da feira,


visitaram a biblioteca.
Explorámos a maleta do caminhante que
vinha cheia de livros e alguns filmes.

Decorámos uma caixa para levarmos para a Biblioteca, esta irá estar em exposição em
Santiago de Compostela quando o Projecto terminar.

Fomos à Biblioteca ouvir histórias.


Contos do Caminho, é um projecto de parceria entre Espanha, Portugal e França, financiado Fizemos desenhos das histórias que mais
pela Comunidade Europeia (entre outras entidades). A iniciativa conta com a participação das
gostámos de ouvir e lá está a nossa caixa,
editoras OQO (Espanha), Bichinho de Conto (Portugal) e La Compagnie Créative (França), bem
como de diversos museus dos países envolvidos. que vai guardar os nossos desenhos para
serem expostos em Santiago.
Destinado prioritariamente a crianças do Ensino Básico, este projecto visa promover junto do
público infantil o conhecimento do Caminho de Santiago e os seus traços europeus enquanto
itinerário cultural de encontros e trocas entre as diferentes culturas.

Por outro lado, procura promover também obras de arte e contos de tradição oral dos vários países
europeus. O projecto compreende o livro e a leitura, para além da salvaguarda do património,
visando o desenvolvimento do espírito criativo da criança. Apoia-se na palavra do contador, na
imagem ilustrada, na narração audiovisual e na fotografia.

27 28
Assim, sugere-se que no jardim-de-infância:
 sejam criados espaços frequentes de conversa “a dois” (educador/criança);
Conversar com a criança: a atitude do adulto
 se fale com a criança quando se está a brincar ou a trabalhar com ela;
 se capte a atenção da criança quando se fala com ela;
 se ouça atentamente a criança, dando-lhe e tempo de que ela necessita para acabar
de falar;
“A interacção diária com o educador de infância é uma
fonte inesgotável de estímulos para a criança. É muito
 se respeite a tomada de vez na conversa;

importante que o educador tenha consciência de que é um  se responda sempre quando a criança se dirige ao adulto;

modelo, de que há muitas palavras que são ouvidas pela  se encoraje a criança a falar não só através de palavras;

primeira vez ditas pelo educador, que há regras de estrutura e  se fale com a criança de forma clara e sem pressa;

uso da língua que são sedimentadas na sala de jardim-de-  sejam dadas instruções de forma clara;

infância. Neste sentido, é importante que a atitude  se usem alternativas de escolha para alargar o léxico da criança (e.g., queres isto ou
conversacional/adulto crianças se paute por parâmetros que aquilo?);

facilitem o processo de desenvolvimento da linguagem. As  se usem exemplos e, se possível, gravuras para explicar o significado de uma
palavra desconhecida;
crianças precisam de oportunidades para conversar, o que requer
tempo e espaço por parte do adulto para a ouvir e conversar  se usem as novas palavras várias vezes durante a conversa;

com ela.”  sejam dirigidas à criança questões abertas (e.g., o que é que tu achas que
aconteceu?);
Linguagem e Comunicação no Jardim-de-infância
 na resposta à criança, o adulto expanda a frase que a criança pronunciou,
completando a ideia expressa pela criança;
 sejam devolvidas à criança, de forma correcta e integradas numa frase, as palavras
mal pronunciadas pela criança, ou enunciadas de forma abebezada;
 se brinque com a linguagem, por exemplo, através de rimas, canções e outras
actividades em grupo;
 se leia diariamente para a criança e se converse sobre o que foi lido.
Linguagem e Comunicação no Jardim-de-infância

29 30
decorámos a sala do prolongamento, tendo assim a história contada por imagens. Para
completar as crianças pintaram os 3 porquinhos, a mamã porquinha e o lobo mau, desenhando
O Projecto A Ler+, está presente no dia-a-dia do jardim-
vários elementos para recriar a história.
de-infância de S. Miguel de Machede, porquanto é
pertinente destacar algumas actividades desenvolvidas com as
crianças e que se enquadram na filosofia do projecto.

A Ana Rita conta uma


história ao Antero

João e Ana Rita


contam história
com fantoche.

Realizámos um Concurso de Adivinhas, que decorreu da seguinte forma: duração


– 1 semana, no período da manhã, durante 15min cada criança tinha que responder a
várias adivinhas (por vez) e ela própria registava sempre que acertava. No final da
semana contámos os registos e quem teve mais, ou seja, quem adivinhou mais vezes teve
um prémio – um livro de histórias.
Esta actividade permitiu desenvolver imensas competências que as crianças nesta Cada criança responsabilizou-se por ilustrar o

faixa etárias têm em potência: saber esperar pela sua vez, respeitar o amigo, estar atento a personagem que dramatizou na Festa de Natal.
todas as palavras e ajudas dadas, assim como permitiu a aquisição de novos saberes e
ainda abrangeu a área da matemática, quando no final fomos contabilizar as respostas
dadas. Como já referi, as histórias, poesias, lengalengas e canções são parte integrante do nosso
As crianças aderiram muito bem a esta minha ideia e pedem para fazer de novo. quotidiano, no entanto gostaria de destacar algumas das histórias que explorei com as crianças e
Ainda sobre a temática e aproveitando os adereços que utilizámos na festa de Natal que maior aceitação mereceram, nomeadamente a que introduzi no projecto alusivo ao Dia do Pai
para a dramatização da História dos 3 Porquinhos, “O Meu Pai” e a que trabalhámos no inicio da primavera “O Senhor Tempo e os seus 12 Filhos”.
Foram histórias que as crianças me pediram para contar várias vezes, sendo que transmitem
conceitos e aprendizagens muito importantes para o desenvolvimento de noções temporais e para a
exploração dos afectos.

31 32
Através da leitura consolidamos
conhecimentos, desenvolvemos a curiosidade que
nos levará à pesquisa, desenvolvemos o espírito
A Primavera é as nuvens vazias que já choveu muito. A lenha já se pode secar
crítico que nos fará seleccionar e organizar
porque já está a chegar o Sol! Na Primavera
mentalmente a informação. A leitura ajuda-nos a
está a desaparecer a lama e os buracos,
reflectir, a confrontar pontos de vista diferentes
depois as cobras, os lagartos e os ouriços-
dos nossos, a rever e a repensar posições assumidas no texto. Ajuda-nos a sonhar e a
cacheiros saem dos buracos. Também já se
usufruir de momentos de lazer.
pode soltar os animais que estão presos na
No jardim-de-infância da Graça do Divor temos o hábito de leitura diária de Quinta.
histórias, de pequenos textos e de registos com conversas das crianças, pois todos os
As flores crescem, mas já é com água do
materiais aos quais o adulto dá importância, são objecto de atenção por parte da criança.
regador e da mangueira, está a chegar o
Deixamos aqui uma pequena amostra de trabalho, após leitura de histórias.
calor da Primavera.
As andorinhas estão a voar para a Primavera. Vêm fazer os ninhos, nas árvores
grandes que têm mais espaço.
Na Primavera posso andar de
tractor, porque no Inverno está a
chover e não vou andar, mas não
posso ir p’ra praia porque ainda não
tenho manga curta.

33 34
Penedo de Ouro - Os livros, o teatro, a dança e nós e …nós!

No Mês de Janeiro, as crianças efectuaram uma Visita de Estudo à Biblioteca de Beja.

Aqui, tiveram oportunidade de visitar toda a


Biblioteca e ouvir várias histórias pela
contadora Cristina Trinclim.

A Catarina e a Maria foram as


responsáveis por este trabalho.
Que bem que ficou!!!!!!

Foram momentos mágicos não só pela forma


Quisemos assinalar esta semana vincando a importância dos livros e da leitura com
como as mesmas eram contadas, como também
a leitura de mais livros e a construção de um cartaz alusivo a esta data.
pelo espaço envolvente, propício aos temas e aos
conteúdos.

Diariamente lemos histórias,


aprendemos poesia e em qualquer
lugar podemos ler um livro ou as
Ainda no âmbito do projecto A Ler +,
suas imagens.
fomos até à Casa dos Bonecos, onde as
crianças puderam assistir a um espectáculo
de fantoches, cuja história se intitulava “ O
bolo”.

35 36
“O "Eco-escolas" é um projecto educativo internacional promovido pela Fundação para a

A Companhia de Contemporânea de Educação Ambiental (Foundation for Environmental Education - FEE, em inglês) cuja
Évora, proporcionou-lhes também uma secção portuguesa é a Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE).
representação de dança/teatro, inscrito
no Plano Nacional de Leitura.
Fornece uma metodologia, formação, enquadramento e apoio a muitas das actividades que as
escolas desenvolvem, procurando constituir um contributo para a criação de parcerias para a
implementação da Agenda 21 a nível local. Os temas base são a água, resíduos e energia.
Complementarmente, existem ainda os temas – biodiversidade, agricultura biológica, espaços
exteriores, ruído e transportes.”

Ao assinalarmos este
dia pretendíamos
iniciar a sensibilização
das crianças para os
Nós, os meninos e meninas do jardim-de-infância de Azaruja, problemas da poluição
fizemos uma GRANDE descoberta (...e queremos partilhar... ) é que ...JÁ no nosso planeta.

SABEMOS LER ...as histórias da nossa Biblioteca.


E também temos um Amigo novo, que nos ensina a descobrir o mundo e

que devemos tratá-lo como um verdadeiro amigo, chama-se LIVRO.

37 38
Pensar -Verde -”O Outono e o cair das folhas”

Com a entrada do Outono e as


alterações que começaram a ocorrer na
Natureza, as crianças foram
sensibilizadas para a importância da
observação e da compreensão de alguns
fenómenos naturais, como a queda das

Realizámos passeios para melhor


observarmos a Natureza e para recolher
Uma vez que tínhamos nas salas os eco-pontos e algumas crianças não sabiam materiais naturais como folhas, paus,
muito bem utilizá-los, achámos por bem dar inicio ao tema da separação do
lixo.

O Outono a ser trabalhado em contexto


de sala de actividade.

39 40
É prática comum aos jardins-de-infância
Ao falarmos dos ecopontos, verificámos que os meninos não sabiam como é que se
utilizar material reciclável para a fazia o papel e então, como tínhamos algum papel guardado para a reciclagem, resolvemos
realização de trabalhos enquadrados em fazer a experiência de fazer papel reciclado.
várias temáticas.

Presépios, árvores de Natal e presentes


feitos com recurso a garrafas e boiões de
plástico, jornais e revistas.

Primeiro rasgámos as folhas em


Depois fomos passear ao campo para
pedacinhos que pusemos de molho,
apanhar flores.
em água, de um dia para outro.

Com uma varinha moemos o papel Introduzimos nessa papa um quadro


até ficar em papa. Juntámos-lhe um próprio para a tarefa e começámos a
pouco de cola branca, mais água e fazer as folhas de papel reciclado.
as flores que apanhámos no campo.

41 42
No Carnaval a palavra-chave foi… Reciclar

“ Para a água poupar “As árvores devemos plantar


Não deixes a torneira a pingar” Para o mundo ajudar”

Depositámos essas folhas e Depois de termos algumas folhas em cima


tecido absorvente e previamente desses panos, sobrepusemo-las e prensamo
molhado. -las para que a água saísse e as folhas
ficassem lisas.

“ Quanto mais reciclar “Verde, amarelo, azul


Melhor vou respirar” É fácil decorar
São três cores
Para o ambiente melhorar”

Deixámos secar. E aqui está o resultado.

43 44
E ducar é, para todos nós, pais,
educadores e outros profissionais,
uma tarefa exigente e nada fácil.
O que se aprende na infância fica para
toda a vida e, para o equilíbrio de
Este palhaço ecológico ficou muito qualquer criança, esta deve defrontar-se, “O Também Faz sorrir”
por vezes, com “nãos” categóricos, não
bonito e colorido, resultando de um
podendo ser satisfeitos todos os seus
trabalho articulado entre todas as
caprichos e exigências. Aceitar o “Não”!
salas, no qual todas as crianças Se assim não for, estaremos todos a prestar-

participaram. lhe um mau serviço, facilitando situações que


Base do equilíbrio emocional
poderão tornar-se graves e incontroláveis, ao
invés de promovermos a sua integração no
Tendo em conta esta preocupação sentida pelos
meio social.
profissionais do departamento do pré-escolar foi
A criança necessita conhecer os seus limites,
nosso objectivo promover um Encontro com Pais
perceber até onde podem chegar os seus
onde fosse discutido pequenos desafios que os
desejos, o que a favorece e prejudica e
pais sentissem ao educar os seus filhos, tais
distinguir o que é bom e o que é mau.
como; as birras, o sono, o tirar a chupeta o
Um “não” dito no momento certo e bem
deixar as fraldas, a alimentação entre outros…
utilizado, é saudável para a criança de hoje e
Com o apoio da Associação do Chão dos
para a sociedade do futuro, constituindo um
Meninos, realizaram-se dois encontros com pais
“sim” à responsabilidade, à generosidade, à
dos jardins-de-infância do Agrupamento4, onde
afectividade e aos valores sociais.
foram oradoras a psicóloga Dora Pereira e
Por detrás do “não” que se diz a uma criança, técnica de serviço social Elsa Machado.
estão milhares de “sim” na sua vida futura.

Como Agir ?
Permitimos que as nossas crianças se tornassem consumistas e estas aprenderam a fazer birras
quando não obtêm aquilo que querem. Distrair as crianças com outro objecto pode resolver a
birra, mas perde-se uma oportunidade para ajudá-las a gerir a sua frustração. Devemos
entender o seu desejo, deixá-la verbalizar a fúria que sente, dizer-lhe que a compreendermos,
que seria bom ter aquele brinquedo, só que agora não o vamos comprar…sabemos que está um

45 46
até podemos perder algum tempo a ver com ela os brinquedos, dizer-lhe quais é que gosta mais
e deixá-la contar-nos quais é que mais gosta. Assim , o desejo exprimido de ter o brinquedo
Um dia na Quinta ...
desaparece perante a satisfação da de uma outra necessidade: de se sentir em relação ao
mundo, de partilhar. No âmbito do Dia Internacional da Criança o
…. Estabelecer limites é dos passos mais importantes para diminuir a frequência dos Departamento do Pré-Escolar, promoveu um encontro
comportamentos inadequados. Muitas vezes os pais não são consistentes- num dia permitem entre todos os Jardins-de-Infância do Agrupamento nº4,
aquilo que recusaram no dia anterior- e não antecipam à criança as consequências da sua acção. com o objectivo de proporcionar às crianças o contacto
Se a criança agride (outra criança ou mesmo o adulto), devemos explicar-lhe que percebemos com a natureza, com os animais e uma interacção entre
que está zangada mas não vamos permitir-lhe que bata. É importante que a criança todos.
compreenda que pode ter sentimentos negativos, mas não pode ter comportamentos Foi um dia especial e diferente com uma visita
desadequados. Os pais devem estabelecer limites aos actos , não aos sentimentos. guiada à quinta do Pomarinho, com a participação de
Os adultos devem ajudar a criança a pensar estratégias para que, da próxima vez que vivenciar uma gincana gigante, onde as crianças realizaram
uma situação semelhante, possa agir correctamente.
seis jogos ( arcos e saltaricos, corrida de sacos, saltar

Como estabelecer limites obstáculos, brincar com cordas, jogos de equilíbrio e o rei
manda), finalizando a manhã com um piquenique ao
Os adultos ao estabelecer limites para os comportamentos inadequados das crianças devem
ar livre.
transmitir com clareza as consequências do cumprimento e do incumprimento das regras.
- Consequência para o bom comportamento: atenção positiva, elogio, privilegio, recompensa.
- Consequências para o mau comportamento: negação da atenção, perda de privilégios e
ausência de recompensas. As consequências devem ser consistentes, justas e relacionadas com o “ Que dia fixe! Eu gostava de cá
voltar mais vezes! Eu dormia aqui
comportamento em causa.
ao pé do cavalinho!” foram alguns

Que soluções? dos desabafos das crianças no meio


da alegria e do entusiasmo.
A solução está na mudança de atitude: procure encontrar diariamente alguns momentos de
qualidade com a criança- nem que sejam alguns minutos, desde que ela os sinta como
momentos de prazer são esses que vão contar. São os momentos de partilha que constroem as
relações positivas.
E falar sempre nas emoções. Traduza por palavras as suas emoções-positivas e negativas para Esta actividade comum a todos os Jardins-de
que a criança as vá interiorizando. Verbalize sempre o quanto gosta do seu filho, mesmo quando -Infância fazia parte do plano anual do
está zangado. Dê-lhe mimo porque é enquanto pequeno que ele precisa de beijinhos e abraços e departamento e para todos os docentes foi uma
nunca foi isso que estragou uma criança . Seja consistente e cumpra sempre o que prometeu: as iniciativa importante, avaliada de forma
crianças são justas e precisam de autoridade e de limites para crescerem seguras. positiva.

( texto: Filomena Silva, psicóloga)

47 48
De seguida veio a avó contar uma história que foi inventada por ela e que a fez para explicar
à neta o que é o degelo, o efeito de estufa e como o podemos contrariar. Depois o grupo decidiu
representar a história com fantoches e foi necessário construí-los. Outro grupo gravou a
história em MP3 e escreveu palavras novas no livro da sala (esta história pode ser escutada
no blogue da biblioteca do J.I. Bacelo “folhas coloridas” e no blogue do departamento
O projecto da Ciência Com Arte no Jardim de Infância desenvolvido no presente ano lectivo
prescolar4.blogspot.com )
pelas três salas de Jardim de Infância do Bacelo teve como grande objectivo a socialização das
crianças (desenvolvimento pessoal e social); o desenvolvimento do espírito científico (área da
expressão e comunicação), e a aquisição de conhecimentos na área do conhecimento do mundo.
Como referem as Orientações Curriculares para a Educação Pré-escolar: “ a sensibilização às
ciências parte dos interesses das crianças que o educador alarga e contextualiza, fomentando a
curiosidade e o desejo de saber mais. Interrogar-se sobre a realidade, colocar problemas e procurar a
sua solução constitui a base do método científico” (O.C., 1997, p. 82). Com este projecto
candidatámo-nos a um concurso da Fundação Ilídio Pinho e fomos seleccionados.
Durante o seu desenvolvimento foram realizadas várias experiências: descobrimos o que
flutua e não flutua; o que se dissolve em água; a formação das nuvens; a origem dos vulcões; a Experiências com ar
germinação; se as plantas bebem ou não; o degelo; a força do vento e se podemos prender o ar. A sala C, fez experiencias com moinhos de vento; encher um balão sem soprar e bolas de sabão.

Vento – Construção e exploração de moinhos

Experiências com água


A experiência do degelo passou em muito a área do
conhecimento do mundo. Abrangendo na totalidade a
área das expressões e comunicação: expressão dramática;
plástica; linguagem oral e escrita e novas tecnologias.
Teve início com a visita de um pai que veio fazer a Fomos para o pátio experimentar
experiência do degelo. Uma Mãe veio ensinar-nos a os nossos moinhos!
fazer moinhos de vento.
o ar?
e nder
r
m os p
Pode

Francisco a brincar com a espuma na hora da higiene.

49 50
Experiências com luz

Fizemos um arco-íris com papel celofane.

Experiências com a natureza


A sala B fez a experiência do vulcão. Esta foi desenvolvida por um encarregado de educação e
surgiu no dia da experiência das nuvens porque descobriram um vulcão no livro que foi mostrado
para exemplificar o ciclo da água.
As crianças tiveram oportunidades de melhor em magma, pedra-pomes e lava solidificada. Esta
experiência acabou por coincidir com o momento em que os media falavam sobre o vulcão na
Islândia, o que fez aumentar a curiosidade das crianças.

Um registo individual utilizando as TIC.

Como considerações finais devemos referir que todas as experiências desenvolvidas


deram forma à criatividade e às aprendizagens da criança, sem dúvida um
balanço positivo ao concluirmos o projecto.

51