Você está na página 1de 122

Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias

PROPOSTA
CURRICULAR
(ANOS INICIAIS)

1
Índice
Língua Portuguesa
 Introdução ....................................................................................................................................................... 3
 Conteúdos ....................................................................................................................................................... 7
 Bibliografia ...................................................................................................................................................... 22
Matemática
 Introdução ....................................................................................................................................................... 23
 Conteúdos ....................................................................................................................................................... 26
 Bibliografia ...................................................................................................................................................... 59
Ciências
 Introdução ........................................................................................................................................................ 61
 Conteúdos ........................................................................................................................................................ 64
 Bibliografia ........................................................................................................................................................ 75
História
 Introdução ........................................................................................................................................................ 77
 Conteúdos ........................................................................................................................................................ 80
 Bibliografia ....................................................................................................................................................... 104
Geografia
 Introdução ........................................................................................................................................................ 106
 Conteúdos ....................................................................................................................................................... 109
 Bibliografia ...................................................................................................................................................... 118
Corpo/Movimento/Arte
 Conteúdos ....................................................................................................................................................... 120
 Bibliografia ....................................................................................................................................................... 121

2
LÍNGUA PORTUGUESA

O ensino da Língua Portuguesa compromete-se com o desenvolvimento da linguagem escrita e oral. Para assegurarmos aos
alunos o pleno desenvolvimento de suas potencialidades, é necessário definirmos os objetivos de ensino, a organização do trabalho
pedagógico, o tipo de abordagem que se quer dar ao conhecimento e, por fim, considerarmos a realidade sociocultural e o contexto da
escola.

Para ajudarmos nossos alunos a se aventurarem pelo mundo letrado, é fundamental desenvolvermos as capacidades
relacionadas à leitura e à escrita por meio de situações de aprendizagem sequenciadas, articuladas e contextualizadas, isto quer dizer
que os alunos precisam participar de um conjunto de atividades caracterizadas por um ciclo de ações e procedimentos de ensino
aprendizagem.

A escrita, além de implicar importantes modificações cognitivas para o indivíduo que a adquire, também implica alterações nas
práticas sociais que passam a caracterizar o grupo que dela se apropria. Devemos considerar que a linguagem escrita não só está
presente no cotidiano desses sujeitos, mas também confere um significado distinto a suas práticas sociais.

O domínio da língua tem estreita relação com a possibilidade de plena participação social, pois é por meio dela que o homem se
comunica, tem acesso à informação, expressa e defende pontos de vista, partilha ou constrói visões de mundo, produz conhecimento.
(PCN – 1ª à 4ª série, v. 2, 1998: p. 21)

Desde muito precocemente, a língua escrita invade o território das crianças e lhes desperta atenção. É através desse interesse, e
da maneira como se relaciona com ele, que a criança revela sua forma de relacionar-se com o mundo mais amplo.

3
A leitura e a escrita são práticas complementares, relacionadas entre si. Ler envolve interação entre leitor e texto, no qual o leitor
tem que interpretar conteúdos que o texto apresenta. Escrever exige reflexão sobre o conteúdo por parte do sujeito, é indispensável
organizar as ideias, buscar formas de melhor expressá-las e expor suas intenções. Embora as crianças participem de diferentes eventos
que desenvolvam esse processo, é na escola que esses conhecimentos são ampliados.

Tem-se observado que a afirmação de que o conhecimento é uma construção do aprendiz vem sendo interpretada de maneira
espontaneísta, como se fosse possível que os alunos aprendessem os conteúdos escolares simplesmente por serem expostos a eles.
Esse tipo de desinformação — que parece acompanhar a emergência de práticas pedagógicas inovadoras — tem assumido formas que
acabam por esvaziar a função do professor. (PCN – 1ª à 4ª série, v. 2, 1998: p. 25)

Ao pensarmos em uma proposta pedagógica eficaz e capaz de assegurar ao aluno a apropriação de conteúdos, precisamos
refletir: Que tipo de leitores e escritores pretendemos formar? Como despertar o interesse pela leitura e pela escrita em nossos alunos?
Como garantir que se tornem capazes de relacionar símbolos gráficos a sons e vice-versa, e ao mesmo tempo se utilizar deles para
fazer uso da linguagem escrita nas diferentes formas como se apresenta na sociedade? Como garantir às crianças a aquisição de
habilidades que lhes permitam compreender e produzir diferentes tipos e gêneros de texto?

Selecionar textos adequados, tomando cuidado com o vocabulário e sua extensão, deixando claros os objetivos das atividades
que serão realizadas e conduzindo situações de modo que os alunos fiquem atentos aos aspectos que estarão sendo abordados nas
propostas de leitura e escrita dos textos é um caminho a ser seguido. Pensar em estratégias que visem ao desenvolvimento das
habilidades de leitura e escrita também contribuirá para o sucesso da aprendizagem.

Quando as crianças iniciam o processo de alfabetização, buscam compreender o que a escrita representa, ou seja, o que aqueles
sinais gráficos representam e como se organizam. O texto tem sido considerado como ponto de partida e de chegada do processo de
alfabetização. Se levarmos em conta que os textos circulam socialmente, o processo de aquisição da escrita pode ser desenvolvido por
meio de textos reais, ou seja, através dos textos que estão presentes no ambiente social em que vivem os alunos, isso facilita todo o
processo.

4
Assumir que o texto é o instrumento básico no processo de alfabetização significa dizer que o trabalho inicial do professor diante
de um texto produzido pelos alunos consiste em torná-lo uma unidade de sentido adequada, garantindo que os alunos o compreendam.

(...) é preciso oferecer aos alunos inúmeras oportunidades de aprenderem a escrever em condições semelhantes às que caracterizam a
escrita fora da escola. É preciso que se coloquem as questões centrais da produção desde o início: como escrever, considerando, ao
mesmo tempo, o que pretendem dizer e a quem o texto se destina — afinal, a eficácia da escrita se caracteriza pela aproximação máxima
entre a intenção de dizer, o que efetivamente se escreve e a interpretação de quem lê. (PCN – 1ª à 4ª série, v. 2, 1998: p. 48)

O trabalho com textos apresenta muitas possibilidades além da compreensão textual. O texto permite ao professor trabalhar com
diferentes aspectos, tais como consciência fonológica, relação grafema – fonema, além de todos os aspectos da escrita como código,
suas relações com a linguagem oral e as convenções ortográficas. Por isso, pode ser considerado como instrumento essencial para o
aluno identificar a natureza alfabética da escrita e também dominar gradualmente a escrita ortográfica. Ainda utilizando o texto, podemos
promover a análise e reflexão sobre a língua, permitindo aferir conhecimentos implícitos dos alunos e levá-los a construção de novos.

O trabalho de construção da escrita deve ser enriquecido com práticas de revisão de texto. A revisão textual promove a interação
entre aluno e professor em busca de melhorias para o texto previamente elaborado.

Chama-se revisão de texto o conjunto de procedimentos por meio dos quais um texto é trabalhado até o ponto em que se decide que está,
para o momento, suficientemente bem escrito. Pressupõe a existência de rascunhos sobre os quais se trabalha, produzindo alterações
que afetam tanto o conteúdo como a forma do texto. (PCN – 1ª à 4ª série, v.2, 1998: p. 54)

O mais importante durante todo o processo de ensino de Língua Portuguesa é a seleção de material, que equilibre o fato do que
se quer ensinar, com o que pode ser aprendido através da proposta planejada. É fundamental que o material selecionado esteja
adequado à proposta didática a ser desenvolvida.
De maneira geral, precisamos estar atentos para o quanto o ensino da Língua torna-se fundamental, mesmo para crianças bem
pequenas. É indispensável procurarmos adequar o nosso conhecimento à nossa realidade e compartilhá-lo com nossos alunos, de
maneira que todos se sintam parte integrante do processo no qual estão inseridos e capazes de aprender.

5
Nosso desafio maior implica em refletir sobre as práticas e as concepções por nós adotadas ao iniciarmos os nossos alunos no
mundo da leitura e escrita, analisando e recriando nossas práticas de ensino a fim de garantirmos aos nossos alunos o direito não de
apenas ler e registrar com autonomia palavras em uma escrita alfabética, mas de poder ler, compreender e produzir textos que possam
ser compartilhados socialmente. Entendemos que o funcionamento da escrita está diretamente relacionado a se apropriar das diferentes
práticas sociais em que os textos circulam, desenvolvendo habilidades cognitivas que tornem nossos alunos capazes de elaborar
estratégias diversificadas para lidar com os textos nas diferentes situações em que aparecem.

6
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL
REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

1º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Reconto de histórias conhecidas * Adequação, com ajuda, da sua * Expressão de experiências,
buscando aproximar-se das linguagem a situações e intenções sentimentos, ideias e opiniões
características do texto original. comunicativas. sobre o que leu ou ouviu de forma
clara e ordenada.
* Narração de acontecimentos
considerando a temporalidade e * Reconhecimento da importância
causalidade. da utilização da linguagem oral
ORALIDADE/ESCUTA
adequadamente em diferentes
* Escuta, compreensão e espaços sociais, respeitando as
transmissão de mensagens orais. diferenças existentes entre os
falares.
* Descrição de cenários,
personagens e objetos de uma
narração ou de uma exposição.

* Percepção da existência de * Escuta de textos lidos em voz * Valorização da leitura como fonte
símbolos gráficos presentes na vida alta. de informação e via de acesso aos
LEITURA
social. mundos criados pela literatura.
* Emissão de opiniões sobre o que
* Identificação das diferenças entre * Compreensão e interpretação

7
imagem e escrita. leu ou ouviu. dos textos lidos e\ou ouvidos,
com autonomia e visão crítica.
* Reconhecimento da função social * Leitura de diferentes tipos de texto
de diferentes textos. previstos para o Ciclo, combinando
a decifração com estratégias
* Estabelecimento das relações de antecipatórias.
anterioridade e posterioridade
(temporalidade) entre fatos * Utilização de indicadores para
apresentados em um texto. fazer antecipações e inferências em
relação ao conteúdo do texto e o
emprego de estratégias para
confirmação ou retificação das
suposições de sentido feitas.

* Identificação do próprio nome, dos


colegas, de palavras significativas e
textos previstos para o período da
aprendizagem.

* Utilização dos conhecimentos


prévios (portador, características,
gênero, contexto, etc.) para fazer
antecipações e inferências em
relação ao conteúdo do texto.

*Seleção de dados importantes que


permitam a identificação e
compreensão do texto.

* Utilização das informações


obtidas pela leitura para verificar as
suposições feitas anteriormente.

* Busca, com ajuda, de informações


em diferentes portadores textuais

8
(jornais, revistas, enciclopédias
etc.).

* Analise quantitativa e * Escrita do próprio nome, dos * Compreensão da função social


qualitativamente da colegas, palavras significativas e da língua.
correspondência entre segmentos textos diversos (listas, parlendas,
falados e escritos, utilizando adivinhas, etc.). * Cuidado com o material escrito
conhecimento disponível nível pessoal e coletivo.
sobre o sistema de escrita. * Reflexão sobre o sistema de
escrita e a organização da língua. * Reconhecimento da necessidade
* Diferenciação da língua escrita da da língua escrita em situações de
língua oral através dos recursos * Utilização, com ajuda, do comunicação e de planejamento
peculiares a cada uma das formas dicionário para resolução de coletivo.
de expressão. dúvidas sobre a escrita e
reconhecimento de diferentes * Interesse em participar de
sentidos das palavras. situações compartilhadas de
leitura e de escrita.
* Revisão textual no coletivo, com o
ESCRITA
auxílio do professor, com foco em * Reconhecimento da importância
aspectos discursivos. da utilização da linguagem escrita
adequadamente em diferentes
* Participação em situações de espaços sociais, respeitando as
reescrita e produções de textos diferenças existentes entre os
onde o professor é o escriba. falares.

* Compreensão do sistema
alfabético através da produção de
textos.

* Utilização de elementos de
coesão, ainda que com ajuda,
buscando a coerência e a eficácia
do texto.

9
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

2º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Reconto de histórias conhecidas * Participação em situações mais * Expressão de experiências,
buscando aproximar-se das formais de intercâmbio oral. sentimentos, ideias e opiniões
características do texto original. sobre o que leu ou ouviu de forma
* Descrição de cenários, clara e ordenada.
* Recriação, com ajuda de textos personagens e objetos de uma
transformando as características de narração ou de uma exposição. * Argumentação com coerência na
seus cenários, personagens e defesa de seus pontos de vista.
objetos. * Narração de acontecimentos
ORALIDADE/ESCUTA considerando a temporalidade e* Reconhecimento da importância
causalidade. da utilização da linguagem oral
adequadamente em diferentes
* Adequação da linguagem a espaços sociais, respeitando as
situações comunicativas. diferenças existentes entre os
falares.
* Escuta e compreensão de
mensagens orais manifestando e
acolhendo opiniões.

LEITURA * Percepção da existência de * Identificação do próprio nome, dos * Valorização do posicionamento

10
símbolos gráficos presentes na vida colegas, de palavras significativas e crítico acerca dos textos lidos, do
social. de textos previstos para o período confrontode ideias do autor com
da aprendizagem. suas próprias ideias.
* Identificação das diferenças entre
imagem e escrita. * Utilização dos conhecimentos * Compreensão e interpretação os
prévios (portador, características, textos lidos e\ou ouvidos, com
* Reconhecimento da função social gênero, contexto, etc.) para fazer autonomia e visão crítica.
de diferentes textos. antecipações e inferências em
relação ao conteúdo do texto.
* Percepção e estabelecimento de
relação de anterioridade e *Seleção de dados importantes que
posterioridade (temporalidade) permitam a identificação e
entre fatos apresentados em um compreensão do texto.
texto.
* Utilização das informações
obtidas pela leitura para verificar as
suposições feitas anteriormente.

* Busca, com ajuda, de informações


em diferentes portadores textuais
(jornais, revistas, enciclopédias
etc.).
* Análise quantitativa e * Reflexão sobre o sistema de * Compreensão da função social da
qualitativamente da escrita e a organização da língua. língua.
correspondência entre segmentos
falados e escritos, utilizando * Escrita do próprio nome, dos * Cuidado com o material escrito
conhecimento disponível sobre o colegas, palavras significativas e pessoal e coletivo
sistema de escrita. textos diversos (listas, parlendas,
ESCRITA adivinhas, etc.). * Interesse em participar de
* Apropriação gradativa dos situações compartilhadas de leitura.
seguintes aspectos notacionais do * Utilização do dicionário para
sistema de escrita: marcas de resolução de dúvidas sobre a * Reconhecimento da importância
segmentação e pontuação. escrita , o reconhecimento de da utilização da linguagem escrita
diferentes sentidos das palavras e adequadamente em diferentes
* Diferenciação da língua escrita da espaços sociais, respeitando as

11
língua oral através dos recursos dúvidas ortográficas. diferenças existentes entre os
peculiares a cada uma das formas falares.
de expressão. * Revisão textual em parceria, com
foco em aspectos discursivos e * Empenho em utilizar a linguagem
* Emprego gradual das regras ortográficos. para melhorar a qualidade de suas
gramaticais e de ortografia relações pessoais, expressando por
adequadas a cada situação. * Participação em situações de meio dela sentimentos, sensações
reescrita e produção escrita de e opiniões.
textos pelo próprio aluno.

* Compreensão do sistema
alfabético através da produção de
textos.

* Utilização de elementos de
coesão, ainda que com ajuda,
buscando a coerência e a eficácia
do texto.

12
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

3º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Participação em situações mais * Reconhecimento da importância
formais de intercâmbio oral. da utilização da linguagem oral
adequadamente em diferentes
ORALIDADE/ESCUTA espaços sociais, respeitando as
diferenças existentes entre os
falares.

* Reconhecimento da função social * Utilização dos conhecimentos * Valorização da leitura como fonte
de diferentes textos. prévios (portador, características, de informação e via de acesso aos
gênero, contexto, etc.) para fazer mundos criados pela literatura.
* Percepção e estabelecimento de antecipações e inferências em
relação de anterioridade e relação ao conteúdo do texto. * Compreensão e interpretação dos
posterioridade (temporalidade) textos lidos e\ou ouvidos, com
LEITURA entre fatos apresentados em um * Seleção de dados importantes autonomia e visão crítica.
texto. que permitam a identificação e
compreensão do texto.

* Utilização das informações


obtidas pela leitura para verificar as
suposições feitas anteriormente.

13
* Busca de informações em
diferentes portadores textuais
(jornais, revistas, enciclopédias
etc.).

* Análise quantitativa e qualitativa * Utilização de estratégias de * Compreensão da função social da


da correspondência entre escrita: planejar o texto, redigir língua.
segmentos falados e escritos, rascunhos e revisar.
utilizando conhecimento disponível * Cuidado com o material escrito
sobre o sistema de escrita. * Consulta a dicionário e outras pessoal e coletivo.
fontes escritas impressas para
* Apropriação gradativa dos resolver dúvidas ortográficas. * Reconhecimento da importância
seguintes aspectos notacionais do da utilização da linguagem escrita
sistema de escrita: marcas de * Análise textual, observando adequadamente em diferentes
segmentação e pontuação. características dos tipos de textos espaços sociais, respeitando as
ESCRITA
trabalhados no Ciclo. diferenças existentes entre os
* Diferenciação da língua escrita da falares.
língua oral através dos recursos * Produção de textos de diferentes
peculiares a cada uma das formas gêneros considerando o * Interesse em participar de
de expressão. destinatário, sua e suas situações compartilhadas de leitura
características. e escrita.
* Emprego gradual das regras
gramaticais e de ortografia * Utilização de elementos de
adequadas a cada situação. coesão, buscando a coerência e a
eficácia do texto

14
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

4º ANO DE
ESCOLARIDADE

EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Narração de acontecimentos * Adequação, com ajuda do * Expressão de experiências,
considerando a temporalidade e professor, de sua linguagem a sentimentos, ideias e opiniões
causalidade. situações e intenções sobre o que leu ou ouviu de forma
comunicativas. clara e ordenada, inclusive em
* Recriação de textos transformando situações de maior formalidade,
as características de seus cenários, * Reconto de histórias conhecidas que exijam preparação prévia e
personagens e objetos. buscando aproximar-se das defesa de pontos de vista.
características do texto original.
* Escuta e compreensão de
* Descrição de cenários, mensagens orais manifestando e
ORALIDADE/ESCUTA personagens e objetos de uma acolhendo opiniões.
narração ou de uma exposição.
*Preocupação com a comunicação
* Síntese oral de uma ideia de forma nos intercâmbios: fazer-se
clara e ordenada. entender e procurar entender os
outros.

* Reconhecimento e valorização
das variedades linguísticas
regionais e culturais.

15
* Compreensão dos aspectos * Identificação de gêneros textuais * Reconhecimento da função
temporais. através de suas características. social dos diversos gêneros
textuais.
* Interpretação de textos com o * Localização de informações
auxílio de material gráfico diverso explícitas e inferência das * Valorização a leitura como forma
(propaganda, quadrinho, foto e etc.) informações implícitas no texto de conhecimento.

* Localização da informação * Identificação do tema de um texto * Utilização do acervo da Sala de


principal do texto. Leitura por iniciativa própria para
* Inferência do sentido de uma realização de atividades
* Reconhecimento de diferentes palavra ou expressão. escolares, desenvolvendo critérios
formas de tratar uma informação na para a seleção de livros.
comparação de textos que tratam do * Identificação características e
mesmo tema, em função das ações dos personagens. * Desenvolvimento de padrões de
condições em que ele foi produzido gosto pessoal.
e daquelas em que será recebido. * Utilização de indicadores para
fazer antecipações e inferências em * Estabelecimento de
LEITURA * Distinção um fato da opinião relação ao conteúdo do texto e à comparações entre o lido e o
relativa a esse fato. intencionalidade. vivido, para ampliação de
experiências e construção de
* Identificação os diferentes pontos * Utilização do dicionário para outros textos.
de vista em textos de um mesmo compreensão de expressões e
gênero e que tratam do mesmo palavras desconhecidas, assim
tema. como para a escolha do significado
mais adequado ao contexto, na
* Reconhecimento de marcas típicas leitura.
de oralidade presentes no texto.
* Identificação da finalidade dos
* Estabelecimento de relações diferentes gêneros textuais.
lógico-discursivas presentes no
texto, marcadas por conjunções,
advérbios etc.

* Identificação as marcas linguísticas


que evidenciam o locutor e o

16
interlocutor do texto.

* Estabelecimento de relação de
causa/ consequência no texto.

* Identificação do conflito gerador do


enredo e os elementos que
constroem a narrativa.

* Identificação do efeito de sentido


decorrente do uso de pontuação e
de outras notações.

* Distinção e emprego dos sinais de * Desenvolvimento dos processos


pontuação (ponto final, de de revisão e reescrita do próprio
exclamação, de interrogação, dois texto.
pontos, travessão e vírgula)

* Reconhecimento e emprego dos


ESCRITA sinais de gráficos (acentuação
gráfica) na escrita de textos
coletivos e individuais.

* Reconhecimento e utilização de
recursos coesivos em produções
individuais e/ou coletivas.

17
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

5º ANO DE
ESCOLARIDADE

EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão dos diferentes * Desenvolvimento da expressão * Expressão de experiências,
discursos orais e escritos em diversas oral adequada às diferentes sentimentos, ideias e opiniões
variantes e registros da Língua situações de comunicação. sobre o que leu ou ouviu de forma
Portuguesa, incluindo a norma clara e ordenada, inclusive em
padrão. *Reconhecimento e situações de maior formalidade,
compreensão da diversidade nas que exijam preparação prévia e
* Identificação dos objetivos explícitos formas de falar e dos contextos defesa de pontos de vista.
e implícitos da comunicação. de produção dessa diversidade.
*Preocupação com a comunicação
* Compreensão do sentido das nos intercâmbios: fazer-se entender
ORALIDADE/ESCUTA mensagens orais do que é e procurar entender os outros.
destinatário direto ou indireto,
desenvolvendo sensibilidade para * Reconhecimento e valorização
reconhecer conteúdos das variedades linguísticas
discriminatórios ou persuasivos, regionais e culturais.
especialmente nas mensagens
veiculadas pelos meios de *Valorização da cooperação de
comunicação. outras pessoas, no que se refere
tanto às ideias quanto ao modo de
falar.

18
*Comparação de diferentes formas de * Antecipação do assunto e * Interesse por ouvir e manifestar
tratar uma informação em diferentes identificação do gênero de um sentimentos, experiências, ideias e
textos. texto a partir de suas opiniões de acordo com os textos
características. lidos.
* Interpretação de textos com auxílio
me material gráfico diverso e com *Leitura autônoma de textos de * Reconhecimento da leitura de
auxílio de elementos não verbais diferentes gêneros, selecionando textos verbais como possibilidade
estratégias adequadas para de acesso a diferentes informações.
* Localização da informação principal abordá-los.
do texto. * Ampliação do universo da leitura
* Localização de informações com utilização de intertextos e a
*Identificação do locutor e interlocutor explícitas e inferência das troca de informações a respeito do
do texto a partir das marcas informações implícitas no texto. lido.
linguísticas.
*Inferência do sentido de uma * Reconhecimento da função social
*Identificação do conflito gerador e o palavra ou expressão. dos diversos gêneros textuais.
enredo que constroem a narrativa.
LEITURA *Utilização do dicionário para * Valorização a leitura como forma
*Identificação da relação de compreensão de expressões e de conhecimento e entretenimento.
causa/consequência no texto. palavras desconhecidas, assim
como para a escolha do * Utilização do acervo da Sala de
* Estabelecimento de relações lógico- significado mais adequado ao Leitura por iniciativa própria e para
discursivas entre partes de um texto, contexto, na leitura. realizar atividades escolares,
identificando repetições ou desenvolvendo critérios para a
substituições que contribuem para *Utilização de indicadores para seleção de livros.
sua continuidade. fazer antecipações e inferências
em relação ao conteúdo do texto *Desenvolvimento padrões de gosto
*Reconhecimento de efeitos de ironia e à intencionalidade. pessoal.
e humor em textos variados.
* Identificação dos gêneros *Estabelecimento de comparações
*Identificação do efeito de sentido textuais através de suas entre o lido e o vivido, para
decorrente do uso de pontuação e de características. ampliação de experiências e
outras notações. construção de outros textos.
* Identificação do tema de um
* Reconhecimento de diferentes * Sensibilidade para reconhecer a

19
formas de tratar uma informação na texto capacidade de questionar, com
comparação de textos que tratam do ajuda do professor, conteúdos
mesmo tema, em função das * Identificação das características discriminatórios, veiculados por
condições em que ele foi produzido e e ações dos personagens. intermédio da linguagem.
daquelas em que será recebido.

* Distinção de um fato da opinião


relativa a esse fato.

* Reconhecimento de marcas típicas


de oralidade presentes no texto.

* Identificação dos diferentes pontos


de vista em textos de um mesmo
gênero e que tratam do mesmo tema.

* Emprego de mecanismos básicos de * Utilização do dicionário para * Reconhecimento do valor da


coesão e concordância nominal e resolver dúvidas quanto à língua escrita como meio de
verbal. ortografia e adequação informação e transmissão da
vocabular, na escrita. cultura.
* Utilização esquemas temporais
básicos (presente, passado e futuro) * Produção de textos utilizando * Exigência de qualidade com
estratégias de escrita: planejar o relação às produções escritas
* Distinção no emprego de sinais de texto, redigir rascunhos, revisar e próprias, no que se refere aos
pontuação (ponto final, de cuidar da apresentação. aspectos textuais.
ESCRITA exclamação, de interrogação, dois
pontos, travessão e vírgula) e * Controle da legibilidade do
recursos gráficos, tais como escrito.
distribuição espacial, marcação de
parágrafo, letra maiúscula. * Desenvolvimento dos
processos de revisão e reescrita
* Consolidação da escrita de formas do próprio texto, com
ortográficas resultantes de padrões observância à adequação ao
regulares e de palavras de uso mais leitor, aos objetivos propostos e
aos conhecimentos semânticos,

20
frequente. gramaticais e discursivos.

* Construção da escrita de gêneros * Revisão do próprio texto a partir


discursivos diversos, adequada ao de uma primeira versão e, com
leitor e aos objetivos da comunicação, ajuda do professor, redigir as
ampliando os contextos de produção. versões necessárias até
considera-lo suficientemente bem
escrito para o momento.

* Escrita de textos com domínio


da separação em palavras e
utilização de recursos do sistema
de pontuação para dividir o texto
em frases.

* Estabelecimento das
regularidades ortográficas
(inferência das regras, inclusive
as de acentuação) e constatação
de irregularidades (ausência de
regras).

* Utilização da escrita como


recurso de estudo: tomar notas a
partir de exposição oral, compor
textos coerentes a partir de
trechos oriundos de diferentes
fontes e fazer resumos.

* Exploração das possibilidades e


recursos da linguagem que se
usa para escrever, a partir da
observação e análise de textos
especialmente bem escritos.

21
BIBLIOGRAFIA

FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO, Professor da Pré-Escola VOL. 1. São Paulo, Globo, 1991.

REVERBEL, Olga. Um Caminho do Teatro na Escola (Série Pensamento e Ação no Magistério). São Paulo, Scipione,1989.

RIO DE JANEIRO, Secretaria de Estado de Educação. Plano Básico de Estudos – Séries iniciais do ensino básico. Rio de Janeiro, 1992.

RIO DE JANEIRO, Secretaria Extraordinária de Programas Especiais do Estado do Rio de Janeiro. Carta ao Professor 4 , Rio de Janeiro, 1993.

RIO DE JANEIRO, Secretaria Municipal de Educação. Bloco Único – 1º segmento do 1º grau – Escolas Públicas do Município do Rio. Rio de
Janeiro, 1992.

RIO DE JANEIRO, Secretaria Municipal de Educação. Fundamentos Para Elaboração do Currículo Básico das Escolas Públicas do Município
do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1991.

22
MATEMÁTICA

O ensino de Matemática, nos primeiros anos do Ensino Fundamental, delineia-se sob o duplo desafio de se apresentar ao
educando como ferramenta intrinsecamente relacionada às situações práticas do quotidiano e de ser um instrumento primordial para a
progressiva estruturação e desenvolvimento do raciocínio lógico-dedutivo da criança. Tais considerações relacionam-se aos princípios
consolidados nos Parâmetros Curriculares Nacionais (1ª à 4ª série, v. 3, 1998), ao mencionarem a importância do estudo dessa área
curricular para a construção da cidadania, bem como para a reflexão e domínio do conhecimento pelo aluno, de modo significativo, por
meio da verificação prática de conceitos (op. cit.: p. 19).

Esse posicionamento pedagógico direciona o educando ao centro de seu próprio desenvolvimento como sujeito, ao lhe conferir o
papel de agente na construção do conhecimento, a partir do que sua vivência lhe oferece como obstáculo a ser superado. Desse modo,
a abstração é um aspecto a ser trabalhado paulatinamente, em consonância às conquistas de cada nova aprendizagem prática. Para
tanto, a utilização de diferentes materiais concretos nas atividades propostas é fator indispensável ao sucesso das aulas.

A Matemática comporta um amplo campo de relações, regularidades e coerências que despertam a curiosidade e instigam a capacidade
de generalizar, projetar, prever e abstrair, favorecendo a estruturação do pensamento e o desenvolvimento do raciocínio lógico. Faz parte
da vida de todas as pessoas nas experiências mais simples como contar, comparar e operar sobre quantidades. Nos cálculos relativos a
salários, pagamentos e consumo, na organização de atividades como agricultura e pesca, a Matemática se apresenta como um
conhecimento de muita aplicabilidade. (PCN – 1ª à 4ª série, v. 3, 1998: p. 24, 25).

A aplicabilidade dos conhecimentos matemáticos é um ponto a ser explorado, ao fazer com que a criança perceba as variadas
situações em que o raciocínio lógico-dedutivo se apresenta como ferramenta à execução de tarefas e à resolução de problemas. O que
é, pois, a música, senão a combinação de sons matematicamente combinados? De semelhante maneira não acontece, pois, com a

23
coreografia, ao combinar ritmo e movimento? Não está presente também a Matemática ao se ter calcular a quantidade de ingredientes,
ao se preparar uma receita culinária, ou ao se verificar o troco na realização de uma compra? Essas reflexões conduzem ao papel de tal
disciplina no primeiro segmento do Ensino Fundamental: a Matemática é um multi-instrumento à construção do saber, e não um fim
fechado em si mesmo, como a visão tradicional a concebe, ao propor extenuantes cálculos descontextualizados e memorização de
regras e procedimentos que, em verdade, não foram internalizados pelos alunos.

(...) o ensino de Matemática prestará sua contribuição à medida que forem exploradas metodologias que priorizem a criação de
estratégias, a comprovação, a justificativa, a argumentação, o espírito crítico, e favoreçam a criatividade, o trabalho coletivo, a iniciativa
pessoal e a autonomia advinda do desenvolvimento da confiança na própria capacidade de conhecer e enfrentar desafios.

É importante destacar que a Matemática deverá ser vista pelo aluno como um conhecimento que pode favorecer o desenvolvimento do
seu raciocínio, de sua capacidade expressiva, de sua sensibilidade estética e de sua imaginação. (PCN – 1ª à 4ª série, v. 3, 1998: p. 26).

O trabalho coletivo é outra estratégia que proporciona muitos êxitos no desenvolvimento intelectual das crianças.

Trabalhar coletivamente, por sua vez, supõe uma série de aprendizagens, como:

• perceber que além de buscar a solução para uma situação proposta devem cooperar para resolvê-la e chegar a um consenso;

• saber explicitar o próprio pensamento e tentar compreender o pensamento do outro;

• discutir as dúvidas, assumir que as soluções dos outros fazem sentido e persistir na tentativa de construir suas próprias idéias;

• incorporar soluções alternativas, reestruturar e ampliar a compreensão acerca dos conceitos envolvidos nas situações e, desse modo,
aprender.

Essas aprendizagens só serão possíveis na medida em que o professor proporcionar um ambiente de trabalho que estimule o aluno a
criar, comparar, discutir, rever, perguntar e ampliar idéias. (Parâmetros Curriculares Nacionais – 1ª à 4ª série, v. 3, 1998: p. 31).

24
Agrupar alunos em estágios de aprendizagem diferentes proporciona tanto a aquisição de conceitos como a revisão de
conhecimentos. É, para tanto, de alta relevância que a aprendizagem não seja estimulada como um processo competitivo entre os
educandos. Ao contrário disso, é necessário mostrar, a cada instante, que compartilhar informações consolida conhecimentos, bem
como estimula a aquisição e aprimoramento de conteúdos atitudinais, tais como o senso de solidariedade e o desenvolvimento da ética.

25
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

1º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação de atributos nos * Comparação, ordenação e * Curiosidade por questionar,
diferentes seres, objetos e classificação de objetos em explorar e interpretar os diferentes
substâncias. diferentes categorias: tamanho, cor, usos dos números, reconhecendo
forma, espessura, etc. sua utilidade na vida cotidiana.
* Reconhecimento de quantidades
em agrupamentos diferentes. * Formulação de hipóteses sobre * Interesse e curiosidade por
escritas numéricas relativas a conhecer diferentes estratégias de
* Reconhecimento da utilização de números familiares, como a idade, cálculo.
números em diferentes contextos. o número da casa etc.
* Adoção de diferentes estratégias
NÚMEROS E OPERAÇÕES * Identificação das escritas * Preenchimento de fichas de que demonstrem o entendimento de
numéricas relativas a números identificação com dados numéricos que um mesmo problema pode ser
frequentes, como os dias do mês, o pessoais, como idade, altura, resolvido por diferentes operações.
ano etc. número de irmãos, etc.

* Identificação dos números * Criação de registros pessoais


presentes nos vários portadores (como desenhos, códigos) para
textuais (jornais, revistas, encartes
comunicação das informações
de supermercados, etc.) coletadas ou obtidas (resultados de
um jogo, aniversários dos amigos,
* Identificação, por agrupamentos, comunicação de hora e local de

26
dos números pares e ímpares. uma reunião, etc.)

* Identificação de conjuntos pares. * Seriação, ordenação e


comparação de agrupamentos.
* Reconhecimento de
agrupamentos de dezenas e * Agrupamento de quantidades,
dúzias. (até 20 unidades, agrupadas de 2
em 2, 3 em 3 e 4 em 4), utilizando
* Reconhecimento dos números materiais concretos para dar
ordinais suporte à contagem.

* Construção do conceito de *Reconhecimento dos números


adição, através das ações de juntar ordinais (1º ao 10º) e a ―posição‖ do
e acrescentar. último.

* Construção do conceito da * Realização da contagem de


subtração, através das ações de objetos (em coleções móveis ou
retirar, comparar e completar. fixas) pelo uso da sequência
numérica (oral).
* Construção do conceito de
multiplicação, a partir da adição de * Elaboração de contagens orais
parcelas iguais e da ideia de em escala ascendente (do menor
combinação. para o maior) e descendente (do
maior para o menor), contando de
* Construção do conceito de divisão um a um.
através das ações de repartir e
medir. * Utilização de diferentes
estratégias para quantificar
* Identificação das ideias de elementos de uma coleção:
multiplicação (sem a formalização contagem, estimativa e
do algoritmo) como adição de correspondência de agrupamentos,
parcelas iguais e combinatória, a etc.
partir de material concreto e
situações cotidianas. * Realização de diferentes
agrupamentos relacionados a uma

27
* Identificação das ideias de divisão mesma quantidade.
(sem a formalização do algoritmo)
como repartição em partes iguais e * Comparação e ordenação de
como subtrações sucessivas a coleções pela quantidade de
partir de material e situações elementos até 50.
cotidianas.
* Utilização de diferentes
estratégias para identificar números
em situações que envolvam
contagem e medidas.

* Estabelecimento de relações
entre quantidade e número de
elementos apresentados.

* Leitura e registro de quantidades.

* Resolução de situações
problemas (oralmente) que
envolvam operações aditivas e
subtrativas.

* Exercício do cálculo mental das


operações de adição e subtração
em situações reais.

Aplicação dos algoritmos da adição


e subtração na resolução de
situações problema.

* Identificação das posições * Exploração do espaço, * Valorização da utilidade dos


(dentro/fora, ao lado, entre, direita, percebendo relações de tamanho, elementos de referência para
ESPAÇO E FORMA
esquerda, a frente, atrás, etc.) dos forma e posição. localizar-se e identificar a
objetos em relação ao seu próprio
* Identificação de figuras espaciais:

28
corpo e entre si. cubo, esfera, paralelepípedo, localização de objetos no espaço.
pirâmide, cilindro e cone,
* Reconhecimento de diferentes relacionando-as com objetos * Sensibilização pela observação
relações entre o seu espaço e familiares. das formas geométricas na
espaços mais amplos.
natureza, nas artes, nas
* Montagem e desmontagem de
* Identificação de linhas abertas e caixas de diferentes formas e edificações.
fechadas, fronteiras, vizinhança, traçado do contorno delas de
interior e exterior. diferentes formas. * Valorização da importância das
medidas e estimativas para resolver
* Conhecimento dos sólidos * Desenho de figuras geométricas a problemas cotidianos.
geométricos. partir da descrição das mesmas.

* Reconhecimento das figuras * Exploração do espaço físico,


triangulares, quadradas, identificando elementos da
retangulares e circulares. natureza ou feitos pelo homem que
tenham a forma de cubo, cone,
triângulo, quadrado.

* Reconhecimento de semana, mês * Estabelecimento de relações de * Percepção da necessidade de


e ano, como agrupamento de dias. duração, simultaneidade e utilização de padrões para medir.
sequência temporal (agora, já,
* Compreensão das noções de depois, ontem, hoje, amanhã, etc. * Valorização da importância das
duração e sequência temporal (dia, medidas e estimativas para resolver
semana, mês e ano). * Utilização de instrumentos de problemas cotidianos.
medida, usuais ou não, estimando
* Identificação de expressões resultados e expressando-os por
GRANDEZAS E MEDIDAS relativas a tempo (ontem, hoje, meio de representações não-
amanhã, etc.) e quantidade (muito, convencionais.
pouco, cheio, pesado, etc.), pela
observação de diferentes situações * Construção de estratégias para
do cotidiano. medir comprimentos, massas e
capacidades de vasilhames, sem
* Compreensão dos conceitos de uso de unidades de medidas
medida (quilo, dúzia, metro, litro), a

29
partir de situações do cotidiano. convencionais

* Identificação e utilização de * Realização de estimativas que


informações sobre tempo e envolvam medidas (por exemplo:
temperatura. quantos passos são necessários
dar para chegar a um determinado
* Reconhecimento dos diferentes local, quantos copos de água são
registros de tempo (calendários, necessários para encher um
agendas e outros. recipiente.
* Identificação de cédulas e * Montagem e leitura de tabelas
moedas que circulam no Brasil e (ex. altura dos alunos, peso,
formas de utilização de acordo com calçados, etc).
seus valores.
* Registro em tabelas simples suas
* Comparação e ordenação de observações (sobre condições do
comprimentos. tempo, eventos da semana, por
exemplo).

* Utilização, em situações
problema, vocabulários e
representações específicas do
Sistema Monetário Brasileiro.

* Exploração das ideias de compra


e venda.

* Estabelecimento das diferenças


comparativas entre: o maior, o
menor, o igual, o mais alto, o mais
baixo, o mais comprido o mais
curto, o mais grosso, o mais fino, o
mais estreito, o mais largo.

* Identificar informações * Identificar informação em listas ou * Valorização da importância na


TRATAMENTO DA
compreensão de informações

30
INFORMAÇÃO apresentadas em tabelas. tabelas de uma entrada, com mais do comunicadas na forma de tabelas e
que duas categorias. gráficos, tão presentes nos jornais e
* Identificar informações revistas e, portanto, no cotidiano
apresentadas em gráficos de * Identificar informação que exijam dos alunos.
colunas. dois níveis de localização, como
tabelas de dupla entrada. * Percepção da necessidade de
utilização de gráficos e tabelas para
* Reconhecer no gráfico qual a organizar melhor dados.
maior/menor frequência.

OBS: O último tópico – Tratamento da Informação – não deve ser dado como um assunto isolado, mas inserido ao longo de todo o ano
letivo em diferentes contextos.

31
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

2º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação dos números * Leitura e registro de quantidades, * Curiosidade por questionar,
presentes nos vários portadores comparando e ordenando números. explorar e interpretar os diferentes
textuais (jornais, revistas, encartes usos dos números, reconhecendo
de supermercados, etc.). * Utilização de números para sua utilidade na vida cotidiana.
expressar quantidades e ordem de
* Reconhecimento da utilização de elementos de uma coleção ou * Interesse e curiosidade por
números em diferentes contextos. sequência. conhecer diferentes estratégias de
cálculo.
* Reconhecimento de * Utilização de números na função
agrupamentos de dezenas e de código, para identificar linhas de * Adoção de diferentes estratégias
NÚMEROS E OPERAÇÕES dúzias. ônibus, telefones, placas de carros, que demonstrem o entendimento de
registros de identidade. que um mesmo problema pode ser
* Identificação das dezenas como resolvido por diferentes operações.
* Observação de critérios que
agrupamentos de dez elementos, e
definam uma classificação de * Interesse e curiosidade por
centena como agrupamento de 100
números (maior que, menor que, conhecer diferentes estratégias de
unidades e agrupamento de dez
que estar entre) e regras usadas cálculo.
dezenas.
em seriações (mais um, mais dois,
* Sentir-se seguro da própria
* Reconhecimento no sistema de menos um...). capacidade de construir
numeração decimal, o princípio do * Contagem em escalas conhecimentos matemáticos,
ascendente e descendente de um desenvolvendo a auto-estima e a

32
valor posicional. em um, de dois em dois, de cinco perseverança na busca de soluções
em cinco, de dez em dez etc., de problemas.
* Reconhecimento da composição e
decomposição de números * Utilização de diferentes * Interagir com seus pares de forma
naturais. estratégias para quantificar cooperativa, trabalhando
elementos de uma coleção: coletivamente na busca de soluções
* Identificação, por agrupamentos, contagem, estimativa e para problemas propostos,
dos números pares e ímpares. correspondência de agrupamentos, respeitando o modo de pensar dos
etc. colegas e aprendendo com eles.
* Identificação de conjuntos pares.
* Realização de diferentes .
* Construção do conceito de agrupamentos relacionados a uma
adição, através das ações de juntar mesma quantidade.
e acrescentar.
* Comparação e ordenação de
* Construção de fatos básicos da coleções pela quantidade de
adição a partir de situações- elementos até 100.
problema, para constituição de um * Leitura e escrita, comparação e
repertório a ser utilizado no cálculo. ordenação de notações numéricas
pela compreensão das
* Construção do conceito da
características do Sistema de
subtração, através das ações de
Numeração Decimal.
retirar, comparar e completar.
* Análise, interpretação, formulação
* Construção de fatos básicos da e resolução de situações-problema,
subtração a partir de situações- compreendendo os significados da
problema, para constituição de um adição.
repertório a ser utilizado no cálculo.
* Utilização da decomposição das
* Construção do conceito de escritas numéricas para a
multiplicação, a partir da adição de realização de cálculos, que
parcelas iguais e da ideia de envolvem a adição.
combinação.
* Exercício do cálculo mental da
* Construção do conceito de divisão adição e subtração em situações

33
através das ações de repartir e reais.
medir.
* Aplicação dos algoritmos da
* Identificação das ideias de adição e subtração na resolução de
multiplicação (por 2, por 3) como situações problema.
adição de parcelas iguais e
combinatória, a partir de material * Análise, interpretação, resolução
concreto e situações cotidianas. e formulação de situações-
problema, compreendendo os
* Reconhecimento dos conceitos de significados da subtração.
dobro e triplo.
* Utilização da decomposição das
escritas numéricas para a
* Identificação das ideias de divisão
realização de cálculos, que
como repartição em partes iguais e
envolvem a subtração.
como subtrações sucessivas a
partir de material e situações * Utilização de sinais convencionais
cotidianas. (+,–, =) na escrita de operações de
adição e subtração.

* Exercício do cálculo mental da


multiplicação em situações reais.

* Análise, interpretação e resolução


de situações-problema,
compreendendo os significados da
multiplicação, utilizando estratégias
pessoais, sem uso de técnicas
convencionais.

* Análise, interpretação e resolução


de situações-problema,
compreendendo alguns dos
significados da divisão, utilizando
estratégias pessoais, sem uso de
técnicas convencionais.

34
* Exercício do cálculo mental da
divisão em situações reais.

* Utilização dos sinais


convencionais da multiplicação e
divisão na escrita de operações.

* Leitura e interpretação de
informações e dados apresentados
em tabelas.

* Utilização de tabelas e gráficos


como formas de linguagem
matemática.

* Coleta e organização de
informações.

* Elaboração de listas, esquemas e


tabelas simples.

* Identificação da movimentação de * Localização de pessoas ou * Percepção das relações de


pessoas ou objetos no espaço, com objetos no espaço, com base em tamanho, forma e posição de
base em diferentes pontos de diferentes pontos de referência e diferentes objetos no espaço.
referência e algumas indicações de algumas indicações de posição.
direção e sentido. * Valorização da utilidade dos
* Observação e
* Conhecimento dos sólidos reconhecimento de figuras elementos de referência para
ESPAÇO E FORMA geométricos. geométricas tridimensionais localizar-se e identificar a
presentes em elementos naturais e localização de objetos no espaço.
* Reconhecimento das figuras nos objetos criados pelo homem.
triangulares, quadradas, * Sensibilização pela observação
retangulares e circulares. * Comparação entre figuras das formas geométricas na
espaciais: cubo, esfera, natureza, nas artes, nas
paralelepípedo, cilindro e cone,
relacionando-as com objetos

35
familiares. edificações.

* Montagem e desmontagem de * Valorização da importância das


caixas de diferentes formas e medidas e estimativas para resolver
traçado do contorno delas de problemas cotidianos.
diferentes formas.

* Desenho de figuras geométricas a


partir da descrição das mesmas.

* Exploração do espaço físico,


identificando elementos da
natureza ou feitos pelo homem que
tenham a forma de cubo, cone,
triângulo, quadrado.

* Compreensão dos conceitos de * Estabelecimento de relações de * Percepção da necessidade de


medida (quilo, dúzia, metro, litro), a duração, simultaneidade e utilização de padrões para medir.
partir de situações do cotidiano. sequência temporal (agora, já,
depois, ontem, hoje, amanhã, etc.) * Valorização da importância das
* Identificação e utilização dos medidas e estimativas para resolver
diferentes registros de tempo * Utilização de instrumentos de problemas cotidianos
(calendários, agendas e outros). medida, usuais ou não, estimando
resultados e expressando-os por
* Identificação das unidades de meio de representações não-
GRANDEZAS E MEDIDAS tempo – dia, semana, mês, convencionais.
bimestre, semestre, ano.
* Construção de estratégias para
* Identificação de cédulas e medir comprimentos, massas e
moedas que circulam no Brasil e capacidades de vasilhames, sem
formas de utilização de acordo com uso de unidades de medidas
seus valores. convencionais.

* Comparação de grandezas de
mesma natureza, por meio do uso

36
de instrumentos de medida
conhecidos – fita métrica, balança
recipientes de um litro, etc.

* Realização de estimativas que


envolvam medidas (por exemplo:
quantos passos são necessários
dar para chegar a um determinado
local, quantos copos de água são
necessários para encher um
recipiente).

* Montagem e leitura de tabelas


(ex. altura dos alunos, peso,
número dos calçados, etc.)

* Registro em tabelas simples suas


observações (sobre condições do
tempo, eventos da semana, por
exemplo).

* Utilização, em situações
problema, vocabulários e
representações específicas do
Sistema Monetário Brasileiro.

* Exploração das ideias de compra


e venda.

* Estabelecimento de relações
entre cédulas e moedas aos seus
valores.

* Estabelecimento de trocas entre


moedas e cédulas.

37
* Identificação e análise das * Identificação e análise da informação * Valorização da importância na
informações apresentadas
em em listas ou tabelas de uma entrada, compreensão de informações
tabelas. comunicadas na forma de tabelas e
com mais do que duas categorias.
gráficos, tão presentes nos jornais e
* Identificação e análise da revistas e, portanto, no cotidiano
TRATAMENTO DA * Identificação e análise de
interpretação de informações dos alunos.
INFORMAÇÃO informações que exijam dois níveis
apresentadas em gráficos de
de localização, como tabelas de
colunas. * Percepção da necessidade de
dupla entrada.
utilização de gráficos e tabelas para
organizar melhor dados.
* Reconhecer no gráfico qual a
maior/menor frequência.

OBS: O último tópico – Tratamento da Informação – não deve ser dado como um assunto isolado, mas inserido ao longo de todo o ano
letivo em diferentes contextos.

38
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

3º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação da importância e as * Utilização de diferentes * Curiosidade por questionar,
funções do número no cotidiano. estratégias para quantificar explorar e interpretar os diferentes
elementos de uma mesma coleção: usos dos números, reconhecendo
* Identificação da centena como contagem, pareamento, estimativa sua utilidade na vida cotidiana.
agrupamento de dez dezenas e a e correspondência de
unidade de milhar como agrupamento. * Interesse e curiosidade por
agrupamento de 1000 unidades, de conhecer diferentes estratégias de
100 dezenas ou 10 centenas. * Leitura e escrita de números pela cálculo.
compreensão das características
* Reconhecimento no sistema de do sistema de numeração decimal. * Adoção de diferentes estratégias
NÚMEROS E OPERAÇÕES numeração decimal, o princípio do que demonstrem o entendimento de
valor posicional. * Comparação e ordenação de que um mesmo problema pode ser
números (em ordem crescente e resolvido por diferentes operações.
* Reconhecimento da composição e decrescente).
* Interesse e curiosidade por
decomposição de números
* Resolução de situações-problema conhecer diferentes estratégias de
naturais.
que envolvam relações entre cálculo.
* Reconhecimento da adição e da números, tais como: ser maior que, * Sentir-se seguro da própria
subtração como operações ser menor que, estar entre, ter mais capacidade de construir
inversas. um, ter mais dois, ser o dobro, ser a
metade. conhecimentos matemáticos,
desenvolvendo a auto-estima e a

39
* Identificação das ideias de * Contagem em escalas perseverança na busca de soluções
multiplicação como adição de ascendente e descendente a partir de problemas.
parcelas iguais e combinatória, a de qualquer número dado.
partir de material concreto e * Interagir com seus pares de forma
situações do cotidiano. * Utilização da calculadora para cooperativa, trabalhando
produzir e comparar escritas coletivamente na busca de soluções
* Construção de fatos básicos da numéricas. para problemas propostos,
adição e subtração (com e sem respeitando o modo de pensar dos
reserva/recurso) a partir de * Comparação e ordenação de colegas e aprendendo com eles.
situações-problema, para coleções pela quantidade de
constituição de um repertório a ser elementos até 1000. * Reflexão a partir de estimativas
utilizado no cálculo. sobre a adequação de um
* Leitura e escrita, comparação e resultado, usando a calculadora
ordenação de notações numéricas como recurso.
* Construção do conceito de
pela compreensão das
multiplicação, a partir da adição de
características do Sistema de * Sentir-se capaz de desenvolver
parcelas iguais e da ideia de
Numeração Decimal. estratégias de verificação e controle
combinação.
de cálculos.
* Exercício do cálculo mental da
* Construção do conceito de divisão adição e subtração em situações
através das ações de repartir e reais.
medir.
* Análise, interpretação e resolução
* Identificação das ideias de de situações-problema, envolvendo
multiplicação (por 2, por 3) como a adição e subtração.
adição de parcelas iguais e
combinatória, a partir de material * Utilização de estimativas para
concreto e situações cotidianas. avaliar a adequação do resultado
de uma adição ou subtração.
* Reconhecimento dos conceitos de
dobro e triplo. * Análise e validação (ou não)
resultados obtidos por estratégias
* Identificação das ideias de divisão pessoais de cálculo de adição e
como repartição em partes iguais e subtração, utilizando a calculadora.
como subtrações sucessivas a
partir de material concreto e * Aplicação do algoritmo da adição
e subtração (com e sem

40
situações cotidianas. reserva/recurso).

* Reconhecimento da multiplicação * Exercício de cálculo mental da


e da divisão como operações multiplicação e divisão em
inversas. situações reais.

* Identificação da fração como parte * Análise, interpretação e resolução


de um todo, dividido em partes situações-problema,
iguais. compreendendo alguns dos
significados da multiplicação.

* Cálculo de resultados de
multiplicação, por meio de
estratégias pessoais.

* Determinação do resultado da
multiplicação de números de 0 a 9,
por 2, 3, 4, 5, em situações-
problema e identificar
regularidades que permitam sua
memorização.

* Análise, interpretação, resolução


e formulação de situações-
problema, compreendendo alguns
dos significados da divisão,
utilizando estratégias pessoais.

* Aplicação do algoritmo da divisão


com divisor até 9 com divisões
exatas e inexatas.

* Utilização de sinais convencionais


(+, –, X, : e =) na escrita de
operações multiplicação e divisão.

* Utilização de estimativas para

41
avaliar a adequação de um
resultado de multiplicação ou
divisão, utilizando a calculadora no
desenvolvimento de estratégias de
verificação e controle de cálculos.

* Exploração das noções de


metade, terça parte e quarta parte.

* Leitura e interpretação de
informações e dados apresentados
em tabelas.

* Utilização de tabelas e gráficos


como formas de linguagem
matemática.

* Coleta e organização de
informações.

* Elaboração de listas, esquemas e


tabelas simples.

* Reconhecimento de figuras * Localização de pessoas ou * Percepção das relações de


espaciais, percebendo relações de objetos no espaço, com base em tamanho, forma e posição de
tamanho, forma e posição. diferentes pontos de referência e diferentes objetos no espaço.
algumas indicações de posição.
* Interpretar a localização e
* Valorização da utilidade dos
movimentação de um objeto ou * Observação e reconhecimento de
ESPAÇO E FORMA pessoa no espaço pela análise de figuras geométricas tridimensionais elementos de referência para
maquetes, esboços, croquis. presentes em elementos naturais e localizar-se e identificar a
nos objetos criados pelo homem. localização de objetos no espaço.
* Identificar semelhanças e
diferenças entre pirâmides, cubos e * Comparação entre figuras * Sensibilização pela observação
paralelepípedos, observando seus espaciais: cubo, esfera, das formas geométricas na
paralelepípedo, cilindro e cone,

42
elementos. relacionando-as com objetos natureza, nas artes, nas
familiares. edificações.
* Identificar semelhanças e
diferenças entre cones, cilindros e * Montagem e desmontagem de * Perceber semelhanças e
esferas, observando seus caixas de diferentes formas e
diferenças entre figuras
elementos. traçado do contorno delas de
diferentes formas. tridimensionais e bidimensionais,
comparando cubos e quadrados,
* Desenho de figuras geométricas a paralelepípedos e retângulos.
partir da descrição das mesmas.

* Exploração do espaço físico,


identificando elementos da
natureza ou feitos pelo homem que
tenham a forma de cubo, cone,
triângulo, quadrado.

* Relacionar figuras tridimensionais


(como cubos, paralelepípedos,
esferas, cones, cilindros e
pirâmides) com elementos naturais
e objetos do mundo que o cerca.

* Compreensão dos conceitos de * Estabelecimento de relações de * Percepção da necessidade de


medidas de tempo (hora),
duração, simultaneidade e utilização de padrões para medir.
comprimento (metro), capacidade sequência temporal (agora, já,
depois, ontem, hoje, amanhã, dia * Valorização da importância das
(litro), massa (quilo), quantidade
(dezena e dúzia) e temperatura da semana, mês, etc.) medidas e estimativas para resolver
pela observação de diferentes problemas cotidianos. Aquisição do
GRANDEZAS E MEDIDAS
situações do cotidiano. * Utilização de instrumentos de hábito de consulta ao tempo
medida, usuais ou não, estimando (relógios digitais ou analógicos,
* Identificação e utilização dos resultados e expressando-os por celulares, solar, etc.)
diferentes registros de tempo meio de representações não
(calendários, agendas e outros). convencionais. * Assumir uma postura responsável
diante das rotinas diárias (em casa

43
* Identificação das unidades de * Construção de estratégias para e na escola).
tempo – dia, semana, mês, medir comprimentos, massas e
bimestre, semestre, ano. capacidades de vasilhames, sem * Iniciação ao hábito de organização
uso de unidades de medidas das tarefas de estudo e lazer,
* Identificação de cédulas e convencionais. dentro do tempo disponível.
moedas que circulam no Brasil e
formas de utilização de acordo com * Comparação de grandezas de * Iniciação a uma postura
seus valores. mesma natureza, por meio do uso responsável em se tratando de
de instrumentos de medida situações de consumo e economia.
* Identificação de situações de lucro conhecidos – fita métrica, balança,
e prejuízo, a partir de suas recipientes de um litro, etc. * Adoção de uma conduta
vivências cotidianas. consciente a respeito de produtos
* Realização de estimativas que com valores super faturados.
envolvam medidas (por exemplo:
quantos passos são necessários
dar para chegar a um determinado
local, quantos copos de água são
necessários para encher um
recipiente.)

* Leitura e montagem de tabelas


simples.

* Registro em tabelas simples suas


observações (sobre condições do
tempo, eventos da semana, por
exemplo).

* Utilização, em situações
problema, vocabulários e
representações específicas do
Sistema Monetário Brasileiro.

* Exploração de práticas de compra


e venda.

44
* Estabelecimento de relações
entre cédulas e moedas aos seus
valores.

* Estabelecimento de trocas entre


moedas e cédulas.

* Realização de cálculos simples


com cédulas e moedas.

* Análise e interpretação das * Análise e interpretação da * Valorização da importância na


informações apresentadas em informação em listas ou tabelas de compreensão de informações
tabelas. comunicadas na forma de tabelas e
uma entrada, com mais do que duas
gráficos, tão presentes nos jornais e
* Análise e interpretação de categorias. revistas e, portanto, no cotidiano
TRATAMENTO DA informações apresentadas em dos alunos.
gráficos de colunas. * Análise e interpretação de
INFORMAÇÃO informações que exijam dois níveis * Percepção da necessidade de
de localização, como tabelas de utilização de gráficos e tabelas para
dupla entrada. organizar melhor dados.
* Reconhecer no gráfico qual a
maior/menor frequência.

45
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

4º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão das regras do * Leitura e escrita de números pela * Curiosidade por questionar,
sistema de numeração decimal. compreensão das características explorar e interpretar os diferentes
do sistema de numeração decimal. usos dos números, reconhecendo
* Reconhecimento no sistema de sua utilidade na vida cotidiana.
numeração decimal, o princípio do * Estabelecimento de relação de
valor posicional. ordem entre os números naturais * Adoção de diferentes estratégias
de qualquer grandeza. que demonstrem o entendimento de
* Reconhecimento da composição e que um mesmo problema pode ser
decomposição de números * Comparação e ordenação de resolvido por diferentes operações.
naturais. números (em ordem crescente e
NÚMEROS E OPERAÇÕES decrescente). * Interesse e curiosidade por
* Reconhecimento da adição e da conhecer diferentes estratégias de
* Composição e decomposição de cálculo.
subtração como operações
números naturais.
inversas.
* Ampliação dos procedimentos de
* Resolução de situações-problema cálculo mental, escrito, exato e
* Identificação das ideias de em que é necessário fazer
multiplicação como adição de aproximado.
estimativas ou arredondamentos de
parcelas iguais e combinatórias, a números naturais (cálculos * Sentir-se seguro da própria
partir de material concreto e aproximados). capacidade de construir
situações do cotidiano. conhecimentos matemáticos,
* Análise, interpretação, formulação desenvolvendo a autoestima e a

46
* Construção de fatos básicos da e resolução de situações-problema, perseverança na busca de soluções
adição e subtração (com e sem compreendendo diferentes de problemas.
reserva/ recurso) a partir de significados das operações
situações-problema, para envolvendo números naturais. * Interagir com seus pares de forma
constituição de um repertório a ser cooperativa, trabalhando
utilizado no cálculo. * Aplicação na adição das coletivamente na busca de soluções
propriedades cumulativa, para problemas propostos,
* Construção do conceito de associativa e elemento neutro. respeitando o modo de pensar dos
multiplicação, a partir da adição de colegas e aprendendo com eles.
parcelas iguais e da ideia de * Exercício do cálculo mental da
combinação. adição, subtração, multiplicação e * Reflexão a partir de estimativas
divisão em situações reais. sobre a adequação de um
* Construção do conceito de divisão resultado, usando a calculadora
* Utilização de estimativas para como recurso.
através das ações de repartir e
avaliar a adequação do resultado
medir.
de uma adição, subtração, * Sentir-se capaz de desenvolver
multiplicação e divisão. estratégias de verificação e controle
* Identificação das ideias de
de cálculos.
multiplicação como adição de * Aplicação na multiplicação das
parcelas iguais e combinatórias, a propriedades associativa,
partir de material concreto e cumulativa e elemento neutro.
situações cotidianas.
* Análise e validação (ou não)
* Reconhecimento dos conceitos de resultados obtidos por estratégias
dobro e triplo. pessoais de cálculo de adição,
subtração, multiplicação e divisão,
* Identificação das ideias de divisão utilizando a calculadora.
como repartição em partes iguais e
como subtrações sucessivas a * Determinação do resultado da
partir de material concreto e multiplicação de números de zero a
situações cotidianas. nove por seis, sete, oito e nove, em
situações-problema e identificação
* Reconhecimento da multiplicação de regularidades que permitam sua
e da divisão como operações memorização.
inversas.
* Utilização da decomposição das

47
• Identificação e utilização de escritas numéricas e a propriedade
regularidades para multiplicar ou distributiva da multiplicação em
dividir um número por 10, por 100 e relação à adição, para a realização
por 1.000. de cálculos que envolvem a
multiplicação e a divisão.
• Compreensão, leitura e
representação dos números * Exploração das noções de
racionais. metade, terça parte e quarta parte.
Reconhecer e utilizar números
na forma decimal. racionais no contexto diário.

• Identificação da fração como * Exploração de diferentes


parte de um todo, dividido em significados das frações em
partes iguais. situações-problema (parte-todo e
quociente).
• Reconhecimento do
conceito de porcentagem e de suas * Leitura e escrita de números
diferentes representações. racionais, de uso frequente no
cotidiano, representados na forma
decimal ou fracionária.
• Identificação da noção de
proporcionalidade * Comparação e ordenação de
números racionais de uso
frequente, na representação
decimal.

* Leitura e interpretação de
informações e dados apresentados
em tabelas.

* Utilização de tabelas e gráficos


como formas de linguagem
matemática.

* Coleta e organização de
informações.

48
* Elaboração de listas, esquemas e
tabelas simples.

* Leitura e interpretação de dados


apresentados em gráficos.

* Curiosidade por questionar, * Localização de pessoas ou * Percepção das relações de


explorar e interpretar os diferentes objetos no espaço, com base em tamanho, forma e posição de
usos dos números, reconhecendo diferentes pontos de referência e diferentes objetos no espaço.
sua utilidade na vida cotidiana. algumas indicações de posição.
* Valorização da utilidade dos
* Adoção de diferentes estratégias * Observação e reconhecimento de
que demonstrem o entendimento figuras geométricas tridimensionais elementos de referência para
de que um mesmo problema pode presentes em elementos naturais e localizar-se e identificar a
ser resolvido por diferentes nos objetos criados pelo homem. localização de objetos no espaço.
operações.
* Comparação entre figuras * Sensibilização pela observação
* Interesse e curiosidade por espaciais: cubo, esfera, das formas geométricas na
conhecer diferentes estratégias de paralelepípedo, cilindro e cone, natureza, nas artes, nas
cálculo. relacionando-as com objetos
ESPAÇO E FORMA edificações.
familiares.
* Ampliação dos procedimentos de
cálculo mental, escrito, exato e * Montagem e desmontagem de * Percepção de semelhanças e
aproximado. caixas de diferentes formas e diferenças entre figuras
traçado do contorno delas de tridimensionais e bidimensionais.
* Sentir-se seguro da própria diferentes formas.
capacidade de construir
conhecimentos matemáticos, * Desenho de figuras geométricas a
desenvolvendo a autoestima e a partir da descrição das mesmas.
perseverança na busca de soluções
de problemas. * Exploração do espaço físico,
identificando elementos da
* Interagir com seus pares de forma natureza ou feitos pelo homem que
cooperativa, trabalhando tenham a forma de cubo, cone,
coletivamente na busca de

49
soluções para problemas triângulo, quadrado.
propostos, respeitando o modo de
pensar dos colegas e aprendendo * Comparação entre figuras
com eles. tridimensionais (como cubos,
paralelepípedos, esferas, cones,
* Reflexão a partir de estimativas cilindros e pirâmides) com
sobre a adequação de um elementos naturais e objetos do
resultado, usando a calculadora mundo que o cerca.
como recurso.
* Exercício do cálculo do perímetro
* Sentir-se capaz de desenvolver de figuras desenhadas.
estratégias de verificação e controle
de cálculos.

* Compreensão dos conceitos de * Leitura e interpretação de * Percepção da necessidade de


medidas de tempo (hora), medidas de tempo em calendários. utilização de padrões para medir.
comprimento (metro), capacidade
(litro), massa (quilo), quantidade * Leitura e interpretação das horas * Valorização da importância das
(dezena e dúzia) e temperatura em relógios digitais e de ponteiros. medidas e estimativas para resolver
pela observação de diferentes problemas cotidianos. Aquisição do
situações do cotidiano. * Utilização de medidas hábito de consulta ao tempo
padronizadas de medida: km, m, (relógios digitais ou analógicos,
* Identificação e utilização dos cm, kg, g, mg, l, ml. celulares, solar etc.).
GRANDEZAS E MEDIDAS diferentes registros de tempo
(calendários, agendas e outros). * Construção de estratégias para * Adoção de uma postura
medir comprimentos, massas e responsável perante o cumprimento
* Identificação das unidades de capacidades de vasilhames, de horários estabelecidos.
tempo – dia, semana, mês, fazendo uso de unidades de
bimestre, semestre, ano. medidas convencionais. * Iniciação a uma postura
responsável em se tratando de
* Identificação de cédulas e * Comparação de grandezas de situações de consumo e economia.
moedas que circulam no Brasil e mesma natureza, por meio do uso
formas de utilização de acordo com de instrumentos de medida * Adoção de uma conduta

50
seus valores. conhecidos – fita métrica, balança, consciente a respeito de produtos
recipientes de um litro, etc. com valores super faturados.
* Identificação de situações de lucro
e prejuízo, a partir de suas * Realização de estimativas que
vivências cotidianas. envolvam medidas.

* Leitura e montagem de tabelas


simples.

* Registro em tabelas simples suas


observações (sobre condições do
tempo, eventos da semana, por
exemplo).

* Utilização, em situações
problema, vocabulários e
representações específicas do
Sistema Monetário Brasileiro.

* Exploração de práticas de compra


e venda.

* Estabelecimento de relações
entre cédulas e moedas aos seus
valores.

* Realização de cálculos simples


com cédulas e moedas.

* Análise e interpretação das * Análise e interpretação da * Valorização da importância na


informações apresentadas em informação em listas ou tabelas de compreensão de informações
TRATAMENTO DA tabelas. comunicadas na forma de tabelas e
uma entrada, com mais do que duas
INFORMAÇÃO gráficos, tão presentes nos jornais e
* Análise e interpretação de categorias. revistas e, portanto, no cotidiano
informações apresentadas em dos alunos.
* Análise e interpretação de

51
gráficos de colunas. informações que exijam dois níveis * Percepção da necessidade de
de localização, como tabelas de utilização de gráficos e tabelas para
dupla entrada. organizar melhor dados.

* Reconhecer no gráfico qual a


maior/menor frequência.

* Construção de tabelas com


informações retiradas de textos.

* Construção de gráficos de
colunas (de uma entrada) com
informações retiradas de textos.

52
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

5º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão e utilização das * Exploração de diferentes * Curiosidade por questionar,
regras do sistema de numeração significados das frações em explorar e interpretar os diferentes
decimal, para leitura e escrita, situações-problema: parte-todo, usos dos números, reconhecendo
comparação, ordenação e quociente e razão. sua utilidade na vida cotidiana.
arredondamento de números
naturais de qualquer ordem de * Escrita, comparação e ordenação * Adoção de diferentes estratégias
grandeza. de números racionais de uso que demonstrem o entendimento de
frequente, nas representações que um mesmo problema pode ser
* Reconhecimento e leitura de fracionária e decimal, localizando resolvido por diferentes operações.
números racionais no contexto alguns deles na reta numérica.
NÚMEROS E OPERAÇÕES diário, nas representações * Ampliação dos procedimentos de
fracionária e decimal. * Representação de números cálculo mental, escrito, exato e
fracionários positivos na forma aproximado.
* Identificação e produção de decimal.
* Sentir-se seguro da própria
frações equivalentes, pela
* Exercício do cálculo mental da capacidade de construir
observação de representações
adição, subtração, multiplicação e conhecimentos matemáticos,
gráficas e de regularidades nas
divisão em situações reais. desenvolvendo a autoestima e a
escritas numéricas.
perseverança na busca de soluções
* Análise, interpretação, formulação de problemas.
* Reconhecimento do uso da e resolução de situações-problema,
compreendendo diferentes * Interação com seus pares de

53
porcentagem no contexto diário. significados das operações forma cooperativa, trabalhando
envolvendo números naturais. coletivamente na busca de soluções
* Compreensão das ações de para problemas propostos,
adicionar, subtrair, multiplicar e * Utilização de estratégias de respeitando o modo de pensar dos
dividir, respeitando as regras de verificação e controle de resultados colegas e aprendendo com eles.
resolução de expressões pelo uso do cálculo mental ou da
numéricas. calculadora. * Reflexão a partir de estimativas
sobre a adequação de um
* Análise e validação (ou não) resultado, usando a calculadora
resultados obtidos por estratégias como recurso.
pessoais de cálculo de adição,
subtração, multiplicação e divisão, * Percepção da possibilidade de
utilizando a calculadora. resolução de problemas, utilizando
diferentes estratégias de cálculo,
* Utilização de estimativas para tanto pessoais quanto
avaliar a adequação do resultado convencionais.
de uma adição, subtração,
multiplicação e divisão. * Sentir-se capaz de desenvolver
estratégias de verificação e controle
* Utilização da decomposição das de cálculos.
escritas numéricas e a propriedade
distributiva da multiplicação em
relação à adição, para a realização
de cálculos que envolvem a
multiplicação e a divisão.

* Utilização de procedimentos
matemáticos para a resolução de
uma situação-problema, onde um
dado é desconhecido.

* Representação e comparação de
números racionais positivos na
forma fracionária.

* Análise, interpretação, formulação

54
e resolução de situações-problema,
compreendendo diferentes
significados da adição e subtração,
envolvendo números racionais
escritos na forma decimal.

* Cálculo do resultado de adição e


subtração de números racionais na
forma decimal, por meio de
estratégias pessoais e pelo uso de
técnicas operatórias convencionais.

* Efetuação de adições e
subtrações com números racionais
positivos na forma decimal.

* Resolução de problemas que


envolvem o uso da porcentagem no
contexto diário, como 10%, 20%,
50%, 25%.

* Exploração da ideia de
probabilidade em situações-
problema simples.

* Resolução de situações-problema
com dados apresentados de
maneira organizada, por meio de
tabelas simples ou tabelas de dupla
entrada.

* Resolução de situações-problema
em que os dados são apresentados
por meio de gráficos de colunas ou
gráficos de barras.

55
* Leitura de informações
apresentadas de maneira
organizada por meio de gráficos de
linha.

* Leitura de informações
apresentadas de maneira
organizada por meio de gráficos de
setor.

* Construção de tabelas e gráficos


para apresentar dados coletados ou
obtidos em textos jornalísticos.

* Reconhecimento de semelhanças * Descrição, interpretação e * Percepção das relações de


e diferenças entre figurasrepresentação por meio de tamanho, forma e posição de
tridimensionais e bidimensionais, desenhos, a localização ou a diferentes objetos no espaço.
comparando cubos e quadrados, movimentação de uma pessoa ou
paralelepípedos e retângulos. um objeto. * Valorização da utilidade dos
* Identificação entre semelhanças e * Exploração de planificações de elementos de referência para
diferenças entre cones, cilindros e alguns poliedros e corpos localizar-se e identificar a
esferas, observando seus redondos. localização de objetos no espaço.
elementos.
ESPAÇO E FORMA * Composição e decomposição de * Sensibilização pela observação
* Reconhecimento de semelhanças figuras planas e identificação de das formas geométricas na
e diferenças entre poliedros (como que qualquer polígono pode ser natureza, nas artes, nas
os prismas, as pirâmides e outros). composto a partir de figuras
edificações.
triangulares.
* Identificação de relações entre o
número de elementos como faces, * Ampliação e redução de figuras
vértices e arestas de um poliedro. planas pelo uso de malhas
quadriculadas.
* Compreensão de que a menor
distância entre dois pontos é o * Exercício do cálculo de perímetro

56
segmento de reta que os une. de figuras desenhadas em malhas
quadriculadas ou não.
* Identificação de semelhanças e
diferenças entre polígonos, * Cálculo da área de retângulos ou
considerando seu número de lados quadrados desenhados em malhas
e de ângulos. quadriculadas ou não.

* Identificação do perímetro como a


medida resultante da soma dos
lados de um polígono.

* Compreensão dos conceitos de * Utilização de unidades usuais de * Percepção da necessidade de


medidas de tempo (hora), temperatura em situações- utilização de padrões para medir.
comprimento (metro), capacidade problema.
(litro), massa (quilo), quantidade * Valorização da importância das
(dezena e dúzia) e temperatura * Utilização do sistema monetário medidas e estimativas para resolver
pela observação de diferentes brasileiro em situações-problema. problemas cotidianos.
situações do cotidiano.
* Utilização de unidades usuais de * Aquisição do hábito de consulta ao
* Identificação e utilização dos comprimento, massa e capacidade tempo (relógios digitais ou
diferentes registros de tempo em situações-problema. analógicos, celulares, solar etc.).
(calendários, agendas e outros).
* Resolução de situações-problema * Adoção de uma postura
GRANDEZAS E MEDIDAS * Identificação das unidades de que envolvam o significado de responsável perante o cumprimento
tempo – dia, semana, mês, unidades de medidas de superfície de horários estabelecidos.
bimestre, semestre, ano. como o metro quadrado (m2), o
centímetro quadrado (cm2) e o * Iniciação a uma postura
* Reconhecimento de cédulas e quilômetro quadrado (km2). responsável em se tratando de
moedas em circulação no Brasil. situações de consumo e economia.
* Construção de tabelas e gráficos
* Identificação de situações de lucro a partir de pesquisas de certos * Adoção de uma conduta
e prejuízo, a partir de suas dados. consciente a respeito de produtos
vivências cotidianas. com valores super faturados.
* Exposição oral e produção escrita
de listas, tabelas e gráficos.

57
* Observação de informações
coletadas para análise de
probabilidades.

* Análise e interpretação das * Análise e interpretação da * Valorização da importância na


informações apresentadas em informação em listas ou tabelas de compreensão de informações
tabelas. comunicadas na forma de tabelas e
uma entrada, com mais do que duas
gráficos, tão presentes nos jornais e
* Análise e interpretação de categorias. revistas e, portanto, no cotidiano
informações apresentadas em dos alunos.
gráficos de colunas. * Análise e interpretação de
informações que exijam dois níveis * Percepção da necessidade de
* Construção de tabela e gráfico de de localização, como tabelas de utilização de gráficos e tabelas para
TRATAMENTO DA coluna. dupla entrada. organizar melhor dados.
INFORMAÇÃO
* Reconhecer no gráfico qual a
maior/menor frequência.

* Construção de tabelas com


informações retiradas de textos.

* Construção de gráficos de
colunas (de mais de uma entrada)
com informações retiradas de
textos.

58
BIBLIOGRAFIA

CADERNO PEDAGÓGICO E O CICLO DE ALFABETIZAÇÃO/ Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias- Divisão de
Ensino
Fundamental- 1ª Ed – Rio de Janeiro: 1996.

COLL, César. Psicologia e Currículo. São Paulo: Ática, 1996.

ORIENTAÇÕES CURRICULARES: ÁREAS ESPECÍFICAS: MATEMÁTICA/ Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, 2010.

ORIENTAÇÕES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO DISTRITO FERDERAL/ ENSINO FUNDAMENTAL – séries e anos
iniciais/
Secretaria de Educação do Distrito Federal, 2009.

ORIENTAÇÕES CURRICULARES E PROPOPOSIÇÃO DE EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL:


CICLO I/ Secretaria Municipal de Educação – São Paulo : SME / DOT, 2007.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: MATEMÁTICA/ Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental- 3ª Ed –


Brasília: 2001.

PRESSUPOSTOS TEÓRICOS ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.1, Duque de Caxias, RJ: SME,
2002.

59
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.2, Duque de Caxias, RJ: SME,
2004.

REORIENTAÇÃO CURRICULAR: A ESCOLA EM MOVIMENTO – EDUCAÇÃO INFANTIL, CICLO DE ALFABETIZAÇÃO, 3ª E 4ª


SÉRIES DO
ENSINO FUNDAMENTAL, Duque de Caxias, RJ: SME, 1996.

SACRISTÁN, J. G. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Atmed,1998.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade. O currículo integrado. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZABALA, A. A prática educativa. Como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

___________ . (org.) Como trabalhar os conteúdos procedimentais em aula. Porto Alegre: Artmed, 1999.

60
CIÊNCIAS

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (1ª à 4ª série, v. 4,1998: p. 6) ressaltam que o acesso ao conhecimento científico e aos
variados recursos tecnológicos é direito imprescindível do educando, constituindo-se como um dos objetivos centrais do Ensino
Fundamental. Sob tal diretriz, nos primeiros anos dessa etapa da Educação Básica, a área disciplinar de Ciências Naturais presta-se
não somente a conduzir o aluno à reflexão sobre o mundo natural e seus fenômenos, mas também à percepção do homem como parte
integrante do complexo sistema do universo, por meio do estímulo à (re-) aquisição prática do saber, ao longo do processo de
aprendizagem. Desse modo, a observação, a análise, o desenvolvimento de hipóteses, a estruturação de conceitos e a reflexão crítica
são os pressupostos essenciais a direcionarem as estratégias de ensino em todas as aulas.

Mostrar a Ciência como um conhecimento que colabora para a compreensão do mundo e suas transformações, para reconhecer o homem
como parte do universo e como indivíduo, é a meta que se propõe para o ensino da área na escola fundamental. A apropriação de seus
conceitos e procedimentos pode contribuir para o questionamento do que se vê e ouve, para a ampliação das explicações acerca dos
fenômenos da natureza, para a compreensão e valoração dos modos de intervir na natureza e de utilizar seus recursos, para a
compreensão dos recursos tecnológicos que realizam essas mediações, para a reflexão sobre questões éticas implícitas nas relações
entre Ciência, Sociedade e Tecnologia. (Op. cit.: p. 21-22).

A partir dessa perspectiva, a realidade quotidiana transforma-se em um laboratório à disposição das crianças, a lhes despertar a
curiosidade e o senso de investigação, por meio de atividades experimentais, de forma que cada aluno se identifique como o principal

61
responsável em seu processo de construção do conhecimento. Para tanto, é prioritário que o educador conceda espaço a especulações
intuitivas, a fim de promover o debate de variadas percepções sobre um mesmo fenômeno e a reflexão crítica sobre evidências e dados,
sempre mantendo em vista a estreita ligação que se impõe entre ciência, ética e sociedade.

Contrapor e avaliar diferentes explicações favorece o desenvolvimento de postura reflexiva, crítica, questionadora e investigativa, de não-
aceitação a priori de idéias e informações. Possibilita a percepção dos limites de cada modelo explicativo, inclusive dos modelos
científicos, colaborando para a construção da autonomia de pensamento e ação. (PCN- 1ª à 4ª série, v. 4,1998: p. 22).

A relação homem-natureza é tema cuja abordagem passa a ser uma constante na sala de aula, como fator que propicia refletir
sobre a exploração do meio ambiente e suas respectivas consequências na vida de cada indivíduo. Assim, aliada ao posicionamento
investigativo pela aprendizagem, a conscientização de que o progresso tecnológico deve sempre estar vinculado à responsabilidade
social é um dos pilares a serem estruturados, passo a passo, ao longo do processo educativo – e por que não mencionar, neste ponto,
um conceito recorrente e prioritário na atualidade: o desenvolvimento da consciência socioambiental?

O enfoque da área de Ciências se estende, também, à percepção do sujeito sobre si mesmo, ao favorecer a preocupação para
com a saúde – seja individual, seja coletiva –, a partir da compreensão do funcionamento de seu corpo como um organismo complexo,
digno de cuidados específicos, bem como da aquisição de hábitos de higiene e da prevenção de variados tipos de doenças.

É relevante que o professor conscientize os educandos de que a Ciência não se desenvolve sob dogmas. Muito diferente disso,
a própria história mostra que uma verdade científica assim o é até que se prove o contrário. Também é sempre válido aludir que, em
todo esse processo pedagógico, o educador tem a função de criar desafios, estimular a troca de informações e promover a construção
do conhecimento, proporcionando, gradativamente, o desenvolvimento da autonomia do discente. Assim,

62
(...) É o professor quem tem condições de orientar o caminhar do aluno, criando situações interessantes e
significativas, fornecendo informações que permitam a reelaboração e a ampliação dos conhecimentos prévios,
propondo articulações entre os conceitos construídos, para organizá-los em um corpo de conhecimentos
sistematizados. (PCN - 1ª à 4ª série, v. 4,1998: p. 28).

63
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

1º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação da água como * Elaboração de perguntas sobre * Valorização de atitudes e
recurso natural indispensável à diferentes ambientes e modos de comportamentos nas relações do
vida. vida dos seres vivos. homem com a natureza, de maneira
que favoreçam a preservação do
* Identificação e classificação no * Observação, registro e meio ambiente.
ambiente próximo de diferentes comunicação de semelhanças e
tipos de animais e plantas que ali diferenças nos diversos ambientes
habitam ou fragmentos deles como: naturais.
AMBIENTE semente, folhas, frutos, penas,
pelos, esqueletos.

* Estabelecimento de semelhanças
e diferenças entre o ser humano e
outros animais.

* Comparação e classificação de * Observação de características do * Valorização de comportamentos


diferentes objetos em relação a corpo humano e comportamentos de segurança, prevenção de
SER HUMANO E SAÚDE tamanho, cheiro, cor, temperatura, nas diferentes fases da vida. acidentes e conservação no uso de
por meio de observação direta e
objetos como faca, tesoura, vidros,
utilizando os órgãos sensoriais.
latas, pregos, - relacionados as

64
* Identificação dos perigos de suas características.
inalar, pôr na boca, ingerir e
manipular alguns produtos de uso
doméstico.

* Identificação no ambiente próximo * Utilização dos valores e atitudes * Valorizar a importância do


de variados materiais, próprios do pensamento científico desenvolvimento científico para
equipamentos, objetos e produtos nas atividades cotidianas, fazendo melhorar as condições de vida da
industrializados, reconhecendo uso do sentido crítico para análise e
humanidade.
diferentes funções e usos. emissão de juízo.
RECURSOS TECNOLÓGICOS
* Confecção e/ou análise de
desenhos, tabelas e listas.
* Conhecimento de processos de
reciclagem, reaproveitamento e
reutilização do lixo.

65
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

2º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação no ambiente próximo * Observação, registro e * Valorização de atitudes e
de diferentes elementos, tanto do comunicação de semelhanças e comportamentos nas relações do
mundo natural como construídos diferenças nos diversos ambientes homem com a natureza, de maneira
pelo ser humano. que favoreçam a preservação do
naturais.
meio ambiente.
AMBIENTE
* Reconhecimento da
interdependência entre seres vivos
e demais elementos da natureza.

* Identificação de limites e * Observação do corpo humano nas * Respeito as diferenças individuais


diferentes fases da vida, no homem de homens e mulheres.
potencialidades do próprio corpo,
reconhecendo que a higiene, a e na mulher, relacionando ao ciclo
vital do ser humano.
alimentação e o saneamento básico * Valorização de atitudes e
SER HUMANO E SAÚDE são fatores importantes para a comportamentos que favoreçam a
prevenção das doenças * Demonstrar hábitos específicos
e
de saúde individual e coletiva, saúde, no que diz respeito à higiene
manutenção de uma vida saudável.
relacionados a higiene e pessoal e a alimentação como
* Reconhecimento dos cuidados alimentação. forma de desenvolver
com a higiene em diferentes responsabilidades no cuidado com

66
lugares de vivência para a o próprio corpo e com os espaços
promoção da saúde de vivência.

* Identificação dos diferentes tipos


de alimentos, sua adequação e
necessidades para o
desenvolvimento do corpo e
manutenção da saúde.

* Reconhecimento de processos e * Utilização dos órgãos sensoriais * Valorizar a importância do


etapas de transformação de na percepção do ambiente e na desenvolvimento científico para
materiais em objetos. interação com os outros. melhorar as condições de vida da
* Conhecimento de processos de * Utilização dos valores e atitudes humanidade.
RECURSOS TECNOLÓGICOS
reciclagem, reaproveitamento e próprios do pensamento cientifico
reutilização do lixo. nas atividades cotidianas, fazendo * Conscientização com relação a
uso do sentido critico para analise e produção e processamento do lixo.
emissão de juízo.

67
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

3º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Relacionar a dependência da vida * Observação, registro e * Valorização de atitudes e
aos elementos do ambiente, como comunicação de semelhanças e comportamentos nas relações do
água, ar, alimentação, calor e luz diferenças nos diversos ambientes homem com a natureza, de maneira
solar. que favoreçam a preservação do
naturais.
meio ambiente.
AMBIENTE * Reconhecimento da
* Elaboração de perguntas sobre
interdependência entre seres vivos
diferentes ambientes e modos de
e demais elementos da natureza.
vida dos seres vivos.

* Identificação dos sinais vitais no * Observação do corpo humano nas * Respeito as diferenças individuais
próprio corpo, como batimento diferentes fases da vida, no homem de homens e mulheres.
cardíacos, respiração, temperatura e na mulher, relacionando ao ciclo
e movimentos reflexos para a vital do ser humano. * Valorização de atitudes e
promoção da saúde e autocuidado. comportamentos que favoreçam a
SER HUMANO E SAÚDE
* Reconhecimento da importância saúde, no que diz respeito à higiene
dos órgãos sensoriais dos seres pessoal e a alimentação como
vivos na percepção do ambiente forma de desenvolver
onde vivem e seu papel na responsabilidades no cuidado com
o próprio corpo e com os espaços

68
interação com os outros. de vivência.

* Reconhecimento de processos e * Utilização dos valores e atitudes * Insatisfação diante de explicações


etapas de transformação de próprios do pensamento cientifico insuficientes a partir de
materiais em objetos do ambiente. nas atividades cotidianas, fazendo questionamentos e proposição de
uso do sentido critico para analise e
soluções.
emissão de juízo.
RECURSOS TECNOLÓGICOS * Conhecimento de processos de * Valorizar a importância do
reciclagem, reaproveitamento e desenvolvimento científico para
reutilização do lixo. melhorar as condições de vida da
humanidade.

69
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

4º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Relação da troca de calor e as * Observação, registro e * Valorização da diversidade da
mudanças de estados físicos da comunicação de semelhanças e fauna e flora brasileiras
água para fundamentar explicações diferenças nos diversos ambientes preocupando-se com sua
acerca do ciclo da água. preservação.
naturais.
* Reconhecimento da * Conscientização da importância
* Realização de pesquisa acerca de
biodiversidade brasileira e a sua das associações que lutam por um
seres que estão correndo risco de
importância para o ecossistema. planeta ecologicamente melhor.
extinção.
* Identificação da presença comum
AMBIENTE da água, do ar, da luz, do calor e do
solo, destacando-os como fatores
importantes para os seres vivos.

* Conhecimento de teorias que


procuram explicar a formação do
universo, a origem da vida, o
surgimento do homem no planeta
Terra, percebendo que a
humanidade produz conhecimento

70
ao longo do tempo.

* Conhecer os principais
fenômenos que ocorrem no planeta
Terra relacionados ao Sistema
Solar e suas influências na vida dos
seres.

* Compreensão do corpo como * Observação de características do * Favorecimento ao


uma totalidade que envolve a corpo humano e comportamentos autoconhecimento e consciência
saúde física psíquica e social. nas diferentes fases da vida. para o cuidado e respeito com o
próprio corpo e o corpo dos
* Conhecimento do corpo humano
em seus diferentes aspectos colegas.
biofísicos, identificando seus
sistemas vitais, funcionamento, * Valorização de atitudes e
desenvolvimento e principais comportamentos que favoreçam a
características. saúde, no que diz respeito a higiene
SER HUMANO E SAÚDE
pessoal, e a alimentação, como
* Identificação dos limites e forma de desenvolver
potencialidades do próprio corpo,
responsabilidades no cuidado com
reconhecendo a higiene, a
alimentação e o saneamento básico o próprio corpo e espaços de
como fatores importantes para a vivência.
prevenção de doenças e
manutenção de uma vida saudável.

* Estabelecimento de relações * Observação e manejo de * Aceitação de que a qualidade de


entre descobertas e invenções instrumentos tecnológicos vida existente na Terra depende da
RECURSOS TECNOLÓGICOS humanas com as mudanças sociais presentes no cotidiano dos alunos. forma de organização das espécies
e da utilização que o homem faz da
e políticas presentes nos
ciência e da tecnologia.

71
ambientes.

72
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

5º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão do conceito de * Observação, registro e * Conscientizar-se da importância
ambiente não restrito a ambientes comunicação de semelhanças e da valorização da diversidade e
naturais, mas também àqueles em diferenças nos diversos ambientes originalidade da flora e fauna
que o homem atua e habita.
naturais e construídos. brasileira.
* Identificação da presença comum
* Utilizar a classificação dos seres
da água, do ar, da luz, do calor e do
vivos como recurso facilitador para
solo, destacando-os como fatores
o conhecimento da diversidade dos
importantes para os seres vivos.
seres, suas características e
relações.
* Compreensão de que todos os
AMBIENTE seres estão envolvidos em
relações, cadeias que interligam
uns aos outros, determinando a
sobrevivência dos seres e a
continuidade da vida na Terra.

* Conhecimento de teorias que


procuram explicar a formação do
universo, a origem da vida, o
surgimento do homem no planeta

73
Terra, percebendo que a
humanidade produz conhecimento
ao longo do tempo.

* Conhecimento dos principais


fenômenos que ocorrem no planeta
Terra relacionados ao Sistema
Solar e suas influências na vida dos
seres.

* Conhecimento do corpo humano * Observação de características do


* Valorização de atitudes e
em seus diferentes aspectos corpo humano e comportamentos comportamentos que favoreçam a
biofísicos, identificando seus nas diferentes fases da vida, saúde, no que diz respeito a higiene
sistemas vitais, funcionamento, relacionando à noção de ciclo vital
pessoal, E a alimentação, como
desenvolvimento e principais do ser humano respeitando as forma de desenvolver
características. diferenças individuais. responsabilidades no cuidado com
o próprio corpo e espaços de
* Reconhecimento da necessidade * Observação e relação do seu vivência.
de manutenção das atividades amadurecimento as mudanças no
básicas do corpo (nutrição, corpo e no comportamento de * Favorecimento ao
respiração, circulação e excreção) meninos e meninas durante a autoconhecimento e consciência
e do bom funcionamento do puberdade, estabelecendo ligação para o cuidado e respeito com o
SER HUMANO E SAÚDE
sistema nervoso para a com o processo reprodutivo de próprio corpo e o corpo dos
preservação da saúde. diferentes espécies animais colegas.
(gestação e nascimento).
* Análise das transformações do * Valorização da maternidade e
corpo relacionados à sexualidade , paternidade responsável,
comparando os principais órgãos e comparando cuidados aos filhotes
funções do aparelho reprodutor entre mamíferos e, especialmente,
masculino e feminino, o ser humano.

* Identificação de doenças
contagiosas recorrentes e
epidemias que aconteceram na
cidade em passado recente,

74
reconhecendo formas de prevenção
e cuidados individuais.

* Estabelecimento de relações * Observação e manejo de * Aceitação que a qualidade de vida


entre descobertas e invenções instrumentos tecnológicos existente na Terra depende da
humanas com as mudanças sociais presentes no cotidiano dos alunos. forma de organização das espécies
e da utilização que o homem faz da
RECURSOS TECNOLÓGICOS e políticas presentes nos
ciência e da tecnologia.
ambientes.

BIBLIOGRAFIA

CAMPOS, Maria Cristina da C. ; NIGRO, Rogério G. Aprendendo Sempre – Ciências 1º ao 5º ano. 1ª Ed. São Paulo: Editora Ática,
2010.

CAMPOS, Maria Cristina da C. ; NIGRO, Rogério G. Vivência e Construção – Ciências 1º ao 5º ano. 2ª Ed. São Paulo: Editora Ática,
2004.

JUNIOR, César da Silva; BEDAQUE, Paulo; GODOY, Débora; CIZOTO, Sonelise. Ciências – Entendendo a Natureza 1º ao 5º ano. São
Paulo: Editora Saraiva.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Brasil, MEC/SEF.

PRESSUPOSTOS TEÓRICOS ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.1, Duque de Caxias, RJ: SME,
2002.

75
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.2, Duque de Caxias, RJ: SME,
2004.

SANTOS, Fábio Vieira dos; RIBEIRO, Jackson; PESSÔA, Karina Alessandra; FAVALLI, Leonel Delvai; DANTAS, Sérgio Carrazedo. A
escola é nossa 1º ao 5º ano. São Paulo: Editora Scipione.

76
HISTÓRIA

Como mencionam os Parâmetros Curriculares Nacionais, a educação, no decorrer de todo o Ensino Fundamental, visa a conduzir
o aluno, como sujeito histórico, à compreensão de seu papel social e político na comunidade – seja esta entendida em suas
organizações mais específicas e locais (família, associação de moradores, escola, bairro), seja ela representada por grupos da
sociedade cuja estruturação reflita identidades complexamente constituídas (povo, nação, país). Sob tal percepção, o ensino de História
assume amplitude até então negligenciada aos educandos dos primeiros anos dessa etapa tão importante da Educação Básica.

O ensino de História possui objetivos específicos, sendo um dos mais relevantes, o que se relaciona à constituição da noção de
identidade. Assim, é primordial que o ensino de História estabeleça relações entre identidades individuais, sociais e coletivas, entre as
quais as que se constituem como nacionais. (PCN – 1ª à 4ª série, v.5.1: p. 26)

Não se podem mais ver as aulas de História como o memento da leitura monótona no livro didático, dos exaustivos questionários
a aguardarem respostas decoradas, da memorização de tantas e tantas dadas que, em verdade, não trazem significado algum às
crianças. Os alunos têm o direito de perceber que a História em nada é silenciosa: ela é escrita, falada, contada e vivenciada por todos –
todos os que conduziram os fatos para que a realidade fosse como é; todos os que continuam a (re-) escrever e a (re-) contar cada novo
dia, criando a História com suas palavras, atitudes e decisões.

Nessa nova perspectiva do que se entende por História, refletir sobre a identidade e a pluralidade da formação brasileira é o alvo
de ensino, ao serem sobrelevadas as diversas etnias e culturas que compõem o país. Para tanto, é necessário o próprio educador

77
dispor-se a questionar dogmas ideológicos, a rever padrões de heróis nacionais, a repensar valores que nada mais revelam do que
discriminações e preconceitos, impostos e arraigados ao senso comum desde os tempos primeiros da era colonial.

Muitas vezes no ensino fundamental, em particular na escola primária, a História tem permanecido distante dos interesses do aluno, presa
às fórmulas prontas do discurso dos livros didáticos ou relegada a práticas esporádicas determinadas pelo calendário cívico. Reafirmar
sua importância no currículo não se prende somente a uma preocupação com a identidade nacional, mas sobretudo no que a disciplina
pode dar como contribuição específica ao desenvolvimento dos alunos como sujeitos conscientes, capazes de entender a História como
conhecimento, como experiência e prática de cidadania. (PCN – 1ª à 4ª série, v.5.1: p. 25).

Ao ser incentivado a compreender as motrizes da constituição da História, é importante o educando relacionar a complexidade
que envolve e interliga a formação da pluralidade étnico-cultural do Brasil, percebendo o continuum que aproxima os elementos de seu
quotidiano (origens e memórias de sua família, ocupações de seu grupo de convívio, crendices, ideologias e preconceitos de sua
comunidade, tradições de seu município) aos fatores que delinearam o passado, revelam o presente e (re-) configurarão o futuro da
História Nacional. É importante de igual maneira conduzir a criança a identificar, desde os primeiros anos do Ensino Fundamental, a
inclusão do país em um contexto sóciopolítico mundial, compreendendo a si mesma como participante de toda a dinâmica que engloba
os seres humanos na construção de uma História Geral.

O incentivo à pesquisa (sempre em fontes históricas de naturezas variadas) e a motivação a questionamentos, desdobrados em
debates, são estratégias que devem levar à verificação e, se necessário, à reformulação de valores tidos, até então, como verdades
únicas; para isso, é de suma relevância adotar como princípios fundamentais a liberdade de expressão, o respeito ao outro, em todas as
suas diferenças, e a busca do bem comum a todos.

78
A escolha metodológica representa a possibilidade de orientar trabalhos com a realidade presente, relacionando-a e comparando-a com
momentos significativos do passado. Didaticamente, as relações e as comparações entre o presente e o passado permitem uma
compreensão da realidade numa dimensão histórica, que extrapola as explicações sustentadas apenas no passado ou só no presente
imediato. (PCN – 1ª à 4ª série, v.5.1: p. 31)

Feita toda essa explanação, não se quer, entretanto, conduzir à falsa ideia de que se acredita, por meio do ensino da História,
alcançar a utopia de um discurso comum entre os homens, entre os povos. Longe disso, pretende-se reavivar a versão dos que foram
esquecidos pelos documentos históricos oficiais, incentivar a polêmica nos cantos dissonantes à visão tradicional e elevar as vozes dos
que, até então, eram chamados de anônimos, de massa popular, conscientizando o aluno, desse modo, que a História é feita, a todo
momento, em todo lugar, por pessoas reais. Não obstante seja clara a dificuldade e a problemática de tal diretriz pedagógica, é
inimaginável não a identificar com o sentido mais profundo do que se entende – ou, pelo menos, ao que se almeja – por democracia.

79
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE HISTÓRIA

1º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Reconhecimento de si (nome, * Confecção de auto-retrato, * Valorização da identidade cultural
sobrenome, conteúdo histórico e através de desenho, utilizando de cada um a partir de sua origem.
afetivo). materiais diversos.
* Percepção de hábitos, gostos e
* Identificação de suas preferências * Narrativas de histórias sobre sua preferências culturais e de lazer,
culturais, lazer, regras pessoais e vida: família/ onde e com quem como expressão de sua
responsabilidades. vive/ o que gosta e não gosta de autoimagem.
fazer/possui ou não animais.
* Conhecimento sobre documentos * Respeito às diferenças como
referentes a sua identidade * Organização de desenhos que expressão do reconhecimento dos
IDENTIDADE (certidão de nascimento, caderneta retratem seus familiares, direitos de cada um.
de vacinação, CPF). identificando seus membros (árvore
genealógica). * Consideração e respeito aos
* Compreensão das características valores humanos e à diversidade
identitárias de avós, pais, filhos, * Pesquisa de registros fotográficos sociocultural como fundamento da
como sendo membros da família e da família. vida social.
que pertencem a gerações
diferentes. * Confecção de murais com * Conscientização e respeito às
desenhos retratando atividades diferenças individuais, sociais,
* Constatação de que a formação que necessitam de ajuda mútua étnico-raciais, culturais e religiosas.
familiar: pai, mãe e filhos é a forma

80
de composição mais comum, para se desenvolverem. * Valorização da diversidade étnico-
embora não a única em nossa racial, reconhecendo-se como ser
sociedade. * Pesquisa sobre brincadeiras que único, com diferenças e
os pais e avós faziam e semelhanças.
* Reconhecimento de si como parte socialização das mesmas com os
de um grupo (família, turma, escola, colegas de turma.
instituição religiosa, etc.).
* Utilização das várias linguagens
* Identificação das diferenças como forma de autoconhecimento e
individuais, sociais, étnico-raciais e conhecimento do outro,
culturais, inclusive de religiosidade. identificando características
específicas.
* Compreensão de que os sujeitos
constituem diferentes grupos e que
se relacionam de diferentes
maneiras dentro de uma mesma
coletividade.

* Conhecimento das diferentes


regras de convívio social nos
diversos grupos dos quais faz
parte.

* Identificação das relações sociais


no espaço em que vive:
parentesco/organização familiar/o
cotidiano da turma/regras de
convivência.

* Caracterização de diferentes tipos


de grupo de convivência (por nome,
idade, sexo e pertencimento _
família, escola, sala de aula,
profissão, local de nascimento...).

81
* Identificação das transformações
e permanências dos costumes das
famílias e da instituição escolar.

* Reconhecimento de si como * Comparação de semelhanças e * Percepção da natureza de


sujeito na construção e diferenças entre os grupos sociais relações que se estabelecem nos
transformação dessas relações que da comunidade: ricos e pobres, diferentes grupos em que atua
se estabelecem nos diferentes brancos, negros e indígenas,
(família, escola).
grupos que atua. homem e mulher, entre outros.

* Compreensão de si como * * Participação e ajuda mútua na


Elaboração, análise e
integrante e modificador do experimentação das regras de preparação de atividades e na
ambiente natural e social. convívio em sala de aula. preservação do espaço.

* Reconhecimento da importância * Classificação dos elementos dos * Respeito às regras de convivência


de valorizar as diferenças grupos (família, turma, escola), dos grupos, nos quais participa.
socioculturais que caracterizam os segundo atividades desenvolvidas
SOCIEDADE ambientes cotidianos (a escola, o (domésticas e profissionais). * Respeito às regras estabelecidas
bairro, a cidade).
(GRUPOS SOCIAIS / nas brincadeiras da turma.
* Organização de murais que
TRABALHO / CULTURA) * Identificação das festas familiares retratem a cooperação no espaço
e da comunidade (religiosas e * Participação em brincadeiras,
social.
cívicas) como marcos de referência jogos e tradições, festas sociais,
da vida pessoal e da comunidade. * Narrativas de contos e/ou lendas religiosas, datas e feriados: locais e
que abordem a organização grupal nacionais.
* Reconhecimento da cooperação entre os diferentes povos
como necessidade para o convívio indígenas.
social.

* Desenvolvimento de hábitos
culturais: brincadeiras, jogos e
tradições, festas sociais, religiosas,
datas e feriados: locais e nacionais.

82
* Conhecimento e uso de diferentes * Confecção de instrumentos para * Percepção de mudanças e
medidas de tempo. contagem do tempo: relógio (horas, permanências nas atividades e
minutos e segundos) e do hábitos, envolvendo rotinas diárias,
* Compreensão das relações entre calendário (dia, semana, mês e
anterioridade e posterioridade/ ano). semanais e mensais (na casa, na
passado e presente. escola, lazer...)
* Comparação de acontecimentos,
* Diferenciação entre os períodos tendo como referência * Escuta atenta de histórias e
de tempo relativos a: anterioridade, posterioridade e relatos sobre seus acontecimentos,
manhã/tarde/noite; dia da semana, simultaneidade. acompanhando a sequência dos
TEMPO FÍSICO E SOCIAL semana e mês; mês e ano. fatos através das ilustrações.
* Organização dos fatos,
* Identificação das semelhanças e relacionando-os com o tempo em
* Adotar uma atitude responsável
diferenças entre os vários aspectos que ocorreram.
de sua realidade, passado e com relação ao tempo de cada
presente. * Leitura, interpretação e produção atividade diária.
de cronogramas, linhas de tempo e
* Compreensão de que os calendários relacionando a sua
acontecimentos de sua história de história, estabelecendo
vida relacionam-se no tempo e no comparações com as histórias de
espaço, com a história de sua

83
família e comunidade. seus colegas de turma.

* Identificação de acontecimentos * Construção de uma forma de


diferentes e cotidianos da sala de marcar os acontecimentos vividos
aula. pela classe (história da sala de
aula) ao longo do período letivo.
* Distinção de medições e
marcadores de tempo cronológico * Organização de murais
(manhã, tarde, noite, hora, dias da relacionando lugares e tempos
semana, dias e meses...) nas suas vividos no cotidiano (na casa,
vivências. escola, ruas, praças...) com rotinas,
medições e marcadores de tempo
cronológico para apreender noções
de tempo vivido no presente.

* Elaboração de desenhos das


atividades de um dia na escola,
seguindo a ordem em que
aconteceram.

* Entrevistar pessoas que


conheçam a história da escola:
organizar mural com desenhos e
legendas sobre as informações
obtidas.

84
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE HISTÓRIA

2º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão dos elementos * Organização de desenhos de * Percepção e o respeito às
básicos da identidade pessoal e seus familiares, compondo o mural diferenças, de variada natureza,
das relações de parentesco. da classe com as respectivas que caracterizam os grupos e os
famílias dos alunos da turma. indivíduos sociais.
* Reconhecimento das diferenças e
semelhanças existentes entre si e o * Utilização de mímicas, como * Respeito às diferenças de variada
outro. forma de linguagem para fornecer natureza, que caracterizam os
dados e informações a respeito dos indivíduos e os grupos sociais.
* Reconhecimento de si como parte colegas: características físicas,
da história de sua família e dos brincadeiras preferidas, etc.
IDENTIDADE
ambientes cotidianos mais
próximos (escola e comunidade). * Levantamento de perfil da turma
(falante, brincalhona, simpática,
* Compreensão da diversidade levada, participativa, etc.).
étnico-racial existente, tendo como
* Explanação dos interesses
referência os grupos sociais com os
pessoais em se tratando de
quais convive.
diferentes tipos de profissões.
* Reconhecimento de que as
histórias individuais são parte

85
integrante das histórias coletivas.

* Identificação dos grupos sociais


que compõem a história do seu
bairro e suas regras de
funcionamento e convivência.

* Identificação dos grupos sociais * Classificação de atividades * Percepção de si como cidadão


que compõem a história do seu consideradas produtivas na casa e pertencente aos grupos sociais
bairro e suas regras de na escola, utilizando diferentes como escola e comunidade.
funcionamento e convivência. critérios: localização, qualificação,
serviços prestados, entre outros.* Valorização da importância da
* Reconhecimento da importância
das leis, normas e acordos convivência e do respeito entre os
* Levantamento das ocupações das
estabelecidos para defesa dos pessoas da família. diferentes grupos sociais.
direitos humanos (Constituição
Federal, Estatuto da Criança e do * Construção de um quadro das * Valorizar as ações coletivas que
Adolescente, Estatuto do Idoso, profissões encontradas pelos repercutem na melhoria das
SOCIEDADE Declaração Universal dos Direitos alunos, destacando as mais condições de vida das localidades.
humanos). comuns.
(GRUPOS SOCIAIS / * Participação atenta na exibição de
* Identificação das formas de * Narrativas sobre profissionais da
TRABALHO / CULTURA) convívio social compartilhadas nas escola conhecidos e atividades que
vídeo e/ou documentário que
brincadeiras e festas em diferentes desenvolvem. abordem a organização grupal entre
tempos. os diferentes povos indígenas.
* Discussão em grupos sobre
* Estabelecimento das relações de regras de brincadeiras infantis * Participação em brincadeiras,
trabalho no meio em que vive: conhecidas pelos alunos. jogos e tradições, festas sociais,
atividades relativas ao trabalho religiosas, datas e feriados: locais e
desenvolvido na família, na turma e * Observação do espaço social de nacionais.
na escola. outros grupos, como o dos povos
indígenas e de quilombolas.
* Caracterização do modo de vida
de uma coletividade indígena, que * Utilizar diferentes fontes de
vive ou viveu na região,

86
distinguindo suas dimensões informação para leituras críticas;
econômicas, sociais, culturais,
artísticas e religiosas.

* Identificação de diferenças
culturais entre o modo de vida de
sua localidade e o da comunidade
indígena.

* Desenvolvimento de hábitos
culturais: brincadeiras, jogos e
tradições, festas sociais, religiosas,
datas e feriados: locais e nacionais.

* Reconhecimento das diferenças * Confecção de um varal a ser * Percepção das transformações do


entre o tempo do indivíduo e tempo colocado na sala de aula com tempo cronológico em situações do
histórico social. espaço para três bandeirolas com cotidiano, relacionando-o a
os dias da semana. Fazer o mesmo
* Identificação das características para os dias do mês. atividades concretas.
dos sistemas de notação do tempo
em diferentes instituições sociais * Construção de uma linha do
(família, escola, igreja, fábrica, tempo com o tema: ―O Meu Dia‖
comunidade). (colocar todas as atividades
desenvolvidas durante o seu dia: a
TEMPO FÍSICO E SOCIAL * Identificação dos acontecimentos hora de acordar, a hora de entrar
em sua história de vida, de sua na escola, a hora do recreio e da
escola e comunidade, a partir de saída, a hora de brincar...).
referências temporais (dias, meses
e anos). * Marcação dos diferentes
momentos da vida doméstica e da
* Identificação da contagem do classe no que se refere às festas,
tempo a partir do relógio (horas, brincadeiras, jogos, utilizando os
minutos e segundos) e do marcadores de tempo.
calendário (dia, semana, mês e
* Organização de murais

87
ano). informativos que apresentem
relações entre hábitos alimentares
* Reconhecimento de mudanças e e cuidados com a saúde utilizando
permanências em hábitos culturais medições de tempo ( hora das
vividos no decorrer de determinado refeições e de higiene, formas de
tempo. convivência nas refeições, etc.)

88
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE HISTÓRIA

3º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão dos elementos * Organização de desenhos de * Respeito às diferenças de variada
básicos da identidade pessoal e seus familiares, compondo o mural natureza, que caracterizam os
das relações de parentesco. da classe com as respectivas indivíduos e os grupos sociais.
famílias dos alunos da turma.
* Reconhecimento das diferenças e * Percepção da importância da
semelhanças existentes entre si e o * Descrição da composição história dos grupos sociais a que
outro. pai/mãe/filho como não sendo o pertencemos: origens de nossa
único tipo de família existente em família e comunidade.
* Reconhecimento de si como parte nossa sociedade.
da história de sua família e dos * Percepção da dimensão negativa
IDENTIDADE ambientes cotidianos mais * Seleção de ilustrações com dos vários tipos de discriminação e
próximos (escola e comunidade). diferentes tipos de famílias, preconceito, a partir das práticas do
completando um quadro cotidiano.
* Identificação das características comparativo (Formamos uma
identitárias de colegas, professores, família.) * Assumir uma postura de
funcionários, como membros da acolhimento diante das diferenças e
comunidade escolar, pertencentes * Utilização de mímicas, como de repúdio a qualquer forma de
a grupos sociais diferentes. forma de linguagem para fornecer discriminação.
dados e informações a respeito dos
* Compreensão da diversidade colegas: características físicas,
étnico-racial existente, tendo como

89
referência os grupos sociais com os brincadeiras preferidas, etc.
quais convive.
* Levantamento de perfil da turma
* Reconhecimento de que as (falante, brincalhona, simpática,
histórias individuais são parte levada, participativa, etc.).
integrante das histórias coletivas.
* Explanação dos interesses
pessoais em se tratando de
diferentes tipos de profissões.

* Identificação dos grupos sociais * Classificação de atividades * Percepção de si como cidadão


que compõem a história do seu consideradas produtivas na casa e pertencente aos grupos sociais
bairro e suas regras de na escola, utilizando diferentes como escola e comunidade.
funcionamento e convivência. critérios: localização, qualificação,
serviços prestados, entre outros. * Valorização da importância da
* Identificação das formas de
convívio social compartilhadas nas * Levantamento das ocupações das convivência e do respeito entre os
brincadeiras e festas em diferentes pessoas da família. diferentes grupos sociais.
tempos.
* Construção de um quadro das * Valorização das ações coletivas
SOCIEDADE * Estabelecimento das relações de profissões encontradas pelos que repercutem na melhoria das
trabalho no meio em que vive: alunos, destacando as mais condições de vida das localidades.
(GRUPOS SOCIAIS / atividades relativas ao trabalho comuns.
TRABALHO / CULTURA) desenvolvido na família, na turma e * Adoção de uma postura solidária
na escola. * Narrativas sobre profissionais da diante do trabalho em equipe.
escola conhecidos e atividades que
* Reconhecimento da importância desenvolvem.
das leis, normas e acordos * Assumir uma postura responsável
estabelecidos para defesa dos * Colaboração na organização de diante de situações que
direitos humanos (Constituição um mural, com informações caracterizem desperdício.
Federal, Estatuto da Criança e do coletadas sobre a história da
Adolescente, Estatuto do Idoso, escola, destacando os diferentes * Participação atenta na exibição de
Declaração Universal dos Direitos grupos sociais percebidos. vídeo e/ou documentário que
humanos. abordem a organização grupal entre
* Levantamento da produção no

90
* Identificação do espaço ao espaço social da comunidade. os diferentes povos indígenas.
arredor da escola e da comunidade.
* Entrevista com pessoas mais * Participação em brincadeiras,
* Identificação dos elementos da velhas, procurando informações e jogos e tradições, festas sociais,
vida urbana, diferentes da vida fazendo registros sobre as religiosas, datas e feriados: locais e
rural. profissões num passado próximo,
nacionais.
chamando atenção para as
* Caracterização do modo de vida profissões que ainda permanecem.
de uma coletividade indígena, que * Valorização das tradições culturais
vive ou viveu na região, * Discussão em grupos sobre e das festas da atualidade.
distinguindo suas dimensões regras de brincadeiras infantis
econômicas, sociais, culturais, conhecidas pelos alunos. * Escuta atenta de músicas que
artísticas e religiosas. expressem diferentes
* Observação do espaço social de manifestações culturais.
* Identificação de diferenças outros grupos, como o dos povos
culturais entre o modo de vida de indígenas e de quilombolas.
sua localidade e o da comunidade
indígena. * Confecção de bonecos com
materiais de sucata, que
* Identificação de diferentes formas expressem a diversidade étnico-
de utilização do espaço físico entre racial presente em nossa
outras culturas, destacando as sociedade.
indígenas e africanas.

* Desenvolvimento de hábitos
culturais: brincadeiras, jogos e
tradições, festas sociais, religiosas,
datas e feriados: locais e nacionais.

* Diferenciação dos períodos de * Confecção de um varal a ser * Percepção das transformações do


tempo relativos: a semana e ao colocado na sala de aula com tempo cronológico em situações do
TEMPO FÍSICO E SOCIAL mês/mês e ano. espaço para três bandeirolas com cotidiano, relacionando-o a
os dias da semana. Fazer o mesmo
* Reconhecimento das diferenças para os dias do mês. atividades concretas.
entre o tempo do indivíduo e tempo

91
histórico social. * Construção de uma linha do * Aquisição do hábito de consulta ao
tempo com o tema: ―O Meu Dia‖ tempo (relógios digitais ou
* Identificação das características (colocar todas as atividades analógicos, celulares, solar, etc.)
dos sistemas de notação do tempo desenvolvidas durante o seu dia: a
em diferentes instituições sociais hora de acordar, a hora de entrar * Assumir uma postura responsável
(família, escola, igreja, fábrica, na escola, a hora do recreio e da
comunidade). diante das rotinas diárias (em casa
saída, a hora de brincar...).
e na escola).
* Compreensão das permanências * Composição de um calendário
e mudanças no tempo escolar, no anual a partir das noções de mês. * Iniciação ao hábito de organização
tempo da família e no tempo da das tarefas de estudo e lazer,
cidade. * Marcação dos diferentes dentro do tempo disponível.
momentos da vida doméstica e da
* Identificação dos acontecimentos classe no que se refere às festas,
em sua história de vida, de sua brincadeiras, jogos, utilizando os
escola e comunidade, a partir de marcadores de tempo.
referências temporais (dias, meses
e anos). * Organização de murais
informativos que apresentem
* Reconhecimento das mudanças relações entre hábitos alimentares
que ocorreram em profissões, e cuidados com a saúde utilizando
produtos e serviços em sua medições de tempo (hora das
comunidade ao longo do tempo. refeições e de higiene, formas de
convivência nas refeições, etc.)
* Identificação da contagem do
tempo a partir do relógio (horas, * Comparação e quantificação das
minutos e segundos) e do noções de duração e sucessão,
calendário (dia, semana, mês e coordenando duração com
ano). sucessão e percebendo a
simultaneidade de acontecimentos
* Diferenciação de relógio na sua comunidade.
analógico, ampulheta e outros
objetos como instrumentos de
contagem de tempo.

* Reconhecimento de mudanças e

92
permanências em hábitos culturais
vividos no decorrer de determinado
tempo: vestuário, habitação,
transporte, alimentação, educação,
lazer, entre outros.

93
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE HISTÓRIA

4º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação do seu local de * Organização de painel com fotos * Percepção da importância da
origem e de seus familiares. e / ou autorretratos das crianças da história dos grupos sociais a que
turma ―Somos todos diferentes, pertencemos: origens de nossa
* Identificação do local de origem cada um é cada um.‖ família e comunidade.
dos povos formadores do povo
brasileiro. * Confecção de álbum utilizando * Percepção da existência de
fotos do arquivo pessoal e/ou discriminação e preconceito, a partir
* Reconhecimento de semelhanças ilustrações de revistas dos de reflexões sobre situações do
e diferenças entre os grupos familiares dos alunos da turma. cotidiano escolar.
sociais: classe social, etnia, gênero,
IDENTIDADE religiosidade, sexualidade, entre * Levantamento sobre as festas da * Adoção de uma postura positiva
outras marcas identitárias. localidade, montando mural com os diante das diferenças individuais e
dados obtidos, relatando suas de grupos, a partir da valorização
* Compreensão da existência da origens e a relação com os povos da história familiar dos alunos, das
diversidade étnica entre brancos, formadores (portugueses, pessoas da escola, da localidade
negros e índios, reconhecendo Indígenas, africanos, italianos, e/ou do bairro.
esses segmentos sociais como alemães, japoneses, etc).
produtores de cultura. * Respeito às diferenças de variada
* Levantamento dos locais de natureza, que caracterizam os
origem das etnias formadoras do indivíduos e os grupos sociais.

94
povo brasileiro.

* Representação gráfica, dentro do


país e especificamente na cidade
de Duque de Caxias onde mais se
concentram as etnias formadoras
do povo brasileiro.

* Construção de um painel
integrado onde constem as
reflexões sobre as causas do
comportamento preconceituoso e
discriminatório, buscando reverter
esse quadro.

* Conhecimento das diferentes * Levantamento de semelhanças e * Valorização das ações coletivas


formas de registros (desenhos, diferenças entre linguagens e que repercutem na melhoria das
SOCIEDADE pinturas, escritas, gravações...) meios de comunicação condições de vida das localidades.
com sociedades de determinados identificados em outras culturas,
(GRUPOS SOCIAIS / locais e épocas históricas. épocas e localidades. * Assumir uma postura responsável
TRABALHO / CULTURA)
* Identificação de linguagens e * Análise de textos onde registram diante de situações que
meios de comunicação presentes fatos relacionados à escravidão e caracterizem desperdício e
na vida das crianças e da família, ao profissional negro na atualidade. desrespeito ao meio ambiente em

95
na escola e na cidade. * Pesquisa de atividades locais e que vive.
acontecimentos históricos da sua
* Identificação das diferentes cidade, relacionando-os a * Adoção de uma postura de
relações de trabalho entre os preservação da memória de respeito e preservação do
moradores da cidade de Duque de indivíduos, grupos e classes do patrimônio histórico e cultural de
Caxias no presente e em outras período colonial ao presente.
épocas, distinguindo o trabalho Duque de Caxias.
escravo do trabalho livre. * Realização de entrevistas com
moradores mais antigos sobre as
* Compreensão das relações de mudanças no bairro/cidade.
trabalho escravo/trabalho Elaboração de quadro síntese com
assalariado/trabalho formal e as permanências e mudanças
informal. percebidas.

* Identificação de processos de * Classificação de atividades


produção, de conservação, de consideradas produtivas no bairro e
circulação de alimentos que na cidade, utilizando diferentes
abastecem a cidade, e os sujeitos critérios: localização, qualificação,
históricos neles envolvidos, serviços prestados, entre outros.
considerando suas mudanças e
permanências no tempo. * Análise sobre ações do Poder
Público que já são desenvolvidas e
* Compreensão da relação da as que ainda são necessárias para
cidade de Duque de Caxias com a melhoria da qualidade de vida da
outras localidades para a produção comunidade.
e abastecimento de alimentos, e
suas mudanças e permanências no * Realização de projetos para a
tempo (feiras, supermercados, melhoria das condições de vida da
cantinas, etc.) cidade.

* Identificação e comparação a * Organização de roteiro de


produção e coleta de resíduos da observação e registro em visitas a
cidade de Duque de Caxias e espaços de memórias da cidade
outras localidades, suas diferenças (museus, exposições...)
e permanências no tempo (lixo

96
urbano, lixo rural).

* Reconhecimento da presença e
ausência de serviços urbanos e sua
relação com a ocupação de
localidades por diferentes grupos e
classes sociais.

* Identificação das festas locais


como sendo um dos marcos de
referência na vida da cidade.

* Compreensão da data de * Investigação do ano de * Percepção das transformações do


nascimento como um marco nascimento das pessoas da família, tempo cronológico em situações do
comum de referência temporal. confeccionando um quadro, cotidiano, relacionando-o a
refletindo sobre as diferenças entre
* Reconhecimento da utilização da as datas de nascimento das atividades concretas.
data de nascimento para a pessoas.
contagem da idade das pessoas * Aquisição do hábito de consulta ao
como um traço de permanência * Construção de uma linha do tempo (relógios digitais ou
entre as gerações diferentes. tempo contendo dados das analógicos, celulares, solar, etc.)
gerações de sua família.
* Identificação e utilização de * Adoção de uma postura
TEMPO FÍSICO E SOCIAL diferentes marcadores de tempo. * Verificação da ação humana responsável diante das rotinas
sobre o meio ambiente, em diárias (em casa e na escola).
* Identificação dos registros de diferentes épocas, como fator
tempo em diversas culturas, responsável pelas transformações
* Iniciação ao hábito de organização
notadamente os das culturas no cotidiano vivido: vestuário,
indígenas e africanas, entre outras. habitação, transporte, alimentação, das tarefas de estudo e lazer,
educação, lazer, entre outros. dentro do tempo disponível.
* Identificação de marcas do
passado na paisagem da cidade e
suas procedências, média e longa
duração (décadas e séculos) e
situar a história do aluno na história

97
da cidade.

* Reconhecimento de atividades
econômicas realizadas pelos povos
formadores (passado/presente).

* Reconhecimento das diferenças


entre o tempo do indivíduo e tempo
histórico social.

* Identificação das características


dos sistemas de notação do tempo
em diferentes instituições sociais
(família, escola, igreja, fábrica,
comunidade).

* Compreensão das permanências


e mudanças no tempo escolar, no
tempo da família e no tempo da
cidade.

* Identificação dos acontecimentos


em sua história de vida, de sua
escola e cidade, a partir de
referências temporais (dias, meses
e anos).

* Reconhecimento das mudanças


que ocorreram em profissões,
produtos e serviços em sua cidade
ao longo do tempo.

* Reconhecimento de mudanças e
permanências em hábitos culturais
vividos no decorrer de determinado
tempo: vestuário, habitação,

98
transporte, alimentação, educação,
lazer, entre outros.

99
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE HISTÓRIA

5º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão dos elementos * Levantamento das histórias * Percepção e respeito às
básicos da identidade pessoal e pessoais e das famílias usando diferenças de variada natureza que
das relações de parentesco. fontes orais, escritas e caracterizam os indivíduos e os
iconográficas. grupos sociais.
* Reconhecimento de seus gostos e
preferências, culturais e de lazer * Comparação da diversidade da * Percepção de si como parte
(musicais, literárias, vestuário, população do bairro em que vive e integrante da história do bairro/
programação de rádio, TV,...) às da cidade de Duque de Caxias, a cidade, identificando os grupos
diferentes faixas etárias dos partir do registro de relatos de sociais que a compõem e suas
membros da família. moradores antigos, as diferentes regras de funcionamento e
IDENTIDADE
procedências das famílias, e as convivência.
* Reconhecimento das diferenças e relações de diferenças e de
semelhanças existentes entre si e o identidades. * Percepção da importância da
outro, respeitando as diferenças história dos grupos sociais a que
que caracterizam os indivíduos e os pertencemos: origens de nossa
grupos sociais. família e comunidade.

* Conhecimento da diversidade da * Percepção de fatos que


população do bairro/cidade, os demonstrem a desigualdade social
moradores antigos, as diferentes na cidade de Duque Caxias.

100
procedências das famílias. * Adoção de uma postura de
repúdio em se tratando formas de
* Compreensão das influências discriminação contra mulheres,
religiosas, políticas, de hábitos e religiões, orientação sexual, etc.
costumes das etnias formadoras do enquanto expressão da
povo brasileiro na construção e desigualdade social.
caracterização da identidade social
da cidade de Duque de Caxias/ do
estado/ Brasil.

* Reconhecimento das mudanças e * Registro da história do bairro e da * Percepção de si como sujeito


permanências nas vivências cidade de Duque de Caxias usando atuante no meio social, integrante,
humanas, presentes na sua diferentes fontes históricas: dependente e agente,
realidade e em outras escritas, orais, iconográficas (fotos,
transformador do ambiente.
comunidades. desenhos, pinturas), musicais, etc
.
* Identificação a partir do Estatuto * Estudo do meio ou do entorno. * Percepção da importância da
da Criança e do Adolescente, os liberdade de livre expressão.
principais direitos e deveres * Reflexão sobre a importância das
individuais. regras de convivência para a * Consideração e respeito aos
SOCIEDADE criação de um ambiente valores humanos e à diversidade
* Reconhecimento de que os democrático e de respeito. sociocultural nas análises de fatos e
(GRUPOS SOCIAIS / processos de formação e processos históricos e sociais.
TRABALHO / CULTURA) transformações político-sociais são * Elaboração, análise e
resultados de lutas coletivas. experimentação das regras de * Valorização das ações coletivas
convívio em sala de aula.
* Identificação na história da cidade que repercutem na melhoria das
de lutas sociais da população em * Comparação de normas e regras condições de vida das localidades.
prol de melhores condições de vida de convívio na sala de aula, na
(por moradia, saneamento básico, escola, no bairro e na cidade, com * Percepção da necessidade de
coleta de lixo, serviços de água e leis e normas gerais da sociedade regras de convívio em diferentes
energia elétrica. (Estatuto da Criança e do contextos.
Adolescente, Lei de Direitos
* Identificação das diferenças de Humanos, da Abolição, contra o * Adoção de uma postura
costumes dos grupos sociais e

101
étnicos. racismo, etc.) responsável diante das situações
que caracterizem participação e
* Identificação das diferenças * Pesquisa sobre a diversidade organização em trabalhos em
sociais, e de participação nas cultural da população do bairro,
grupo.
ações políticas, dos grupos e relacionando-a com a população da
classes sociais que convivem na cidade de Duque de Caxias e do
cidade: governadores, * Percepção da importância da
Brasil.
comerciantes, trabalhadores, participação do cidadão na vida
mulheres, etc. política do bairro, da cidade, do
município, do país.
* Compreensão das relações de
poder estabelecidas entre a cidade * Adoção de uma postura de
de Duque de Caxias e o estado do respeito e preservação do
Rio de Janeiro com os demais
patrimônio histórico e cultural de
centros políticos, econômicos e
culturais do país. Duque de Caxias.

* Identificação das semelhanças e * Comparação da ordenação, * Percepção das diferenças entre


diferenças entre os vários aspectos duração e simultaneidade dos sociedades no tempo e no espaço,
de sua realidade, passado e fatos, percebendo tempos vividos. as diferenças no interior de uma
presente, percebendo
permanências e mudanças ao * Leitura, interpretação e produção dada sociedade, além daquelas de
longo do tempo (local onde mora, de cronogramas, linhas de tempo e um mesmo grupo social.
bairro, município, estado, país). calendários relacionando a história
local com a história regional e * Entendimento de que documentos
* Compreensão das ações nacional. como registros que contam a
TEMPO FÍSICO E SOCIAL produtivas e as relações de história ao longo do tempo (bairro,
trabalho estabelecidas entre os * Utilização de documentos (cartas, município, estado, país).
homens em diferentes tempos livros, relatórios, pinturas,
históricos (bairro, município, esculturas, fotografias, etc.). * Conscientização de que as
estado, país). atividades desenvolvidas no Brasil
* Estudo da colonização brasileira
* Compreensão da construção do dentro do processo de expansão colonial econômicas eram de
pensamento histórico como européia do XVI, relacionando-se caráter exploratório, gerando um
decorrente do processo de aos interesses econômicos da crescente processo de desgaste e

102
preservação cultural em diferentes época. insatisfação entre colonos e Coroa
grupos e épocas, reconhecendo a portuguesa.
tradição oral como importante * Registro com marcadores de
elemento dessa construção. tempo das formas de governo da * Entendimento da independência
cidade de Duque de Caxias/estado
do Brasil como decorrente da
* Compreensão do caráter e do país em diferentes momentos:
exploratório da colonização do Colônia, Império, República. mobilização popular e de interesses
Brasil, percebendo suas marcas econômicos europeus,
nas relações de produção (colônia / * Organização da história da compreendendo o caráter relativo
metrópole) e na criação de uma cidade, e sua relação com a história desta independência.
sociedade de base escravista. brasileira, por meio de txto e de
linha do tempo, discernindo
* Compreensão das revoltas acontecimentos de curta, média e
"nativistas" como etapas legítimas longa duração.
do processo de emancipação
histórica do povo brasileiro.

* Compreensão do jogo político que


se estabelece no país durante o
período imperial e as relações de
poder na formação do estado
brasileiro.

* Compreensão da libertação dos


escravos como decorrente do longo
processo de resistência do negro
no Brasil e da conveniência dessa
libertação para os interesses
econômicos da época.

* Compreensão da instauração da
República no Brasil como
decorrente de pressões político-
econômicas, internas e externas,
formalizando a inserção do Brasil

103
na ordem capitalista internacional.

• Compreensão de que
grande parte das distorções sociais
do Brasil hoje está diretamente
relacionada a uma estrutura
político-econômica que vem se
mantendo desde a metade do
século XIX, caracterizada pelo
distanciamento da participação
popular nas decisões nacionais.

BIBLIOGRAFIA

CADERNO PEDAGÓGICO E O CICLO DE ALFABETIZAÇÃO/ Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias- Divisão de
Ensino Fundamental- 1ª Ed – Rio de Janeiro: 1996.

COLL, César. Psicologia e Currículo. São Paulo: Ática, 1996.

ORIENTAÇÕES CURRICULARES: ÁREAS ESPECÍFICAS: HISTÓRIA/ Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, 2010.

ORIENTAÇÕES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO DISTRITO FERDERAL/ ENSINO FUNDAMENTAL – séries e anos
iniciais/ Secretaria de Educação do Distrito Federal, 2009.

ORIENTAÇÕES CURRICULARES E PROPOPOSIÇÃO DE EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL:


CICLO I/ Secretaria Municipal de Educação – São Paulo : SME / DOT, 2007.

104
PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: HISTÓRIA E GEOGRAFIA/ Ministério da Educação. Secretaria da Educação
Fundamental- 3ª Ed – Brasília: 2001.

PRESSUPOSTOS TEÓRICOS ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.1, Duque de Caxias, RJ: SME,
2002.

PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.2, Duque de Caxias, RJ: SME,
2004.

REORIENTAÇÃO CURRICULAR: A ESCOLA EM MOVIMENTO – EDUCAÇÃO INFANTIL, CICLO DE ALFABETIZAÇÃO, 3ª E 4ª


SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, Duque de Caxias, RJ: SME, 1996.

SACRISTÁN, J. G. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade. O currículo integrado. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZABALA, A. A prática educativa. Como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

___________ . (org.) Como trabalhar os conteúdos procedimentais em aula. Porto Alegre: Artmed, 1999.

105
GEOGRAFIA

Frente às demandas sociais quotidianas e sob a preocupação contínua de promover a educação de modo libertário e
fundamentado na ética cidadã, não é mais possível refletir o ensino de geografia sobre os moldes tradicionais, em que o foco de
observação era prioritariamente direcionado à análise do espaço físico e sua relação com o ser humano. Com tal proposição, não se
pretende, de modo algum, menosprezar as conquistas e os êxitos daqueles primeiros momentos de desenvolvimento no estudo e ensino
de tal área de conhecimento; é, porém, incontestável a necessidade de também considerar as novas perspectivas de investigações
sociopolíticas e históricas responsáveis pela reorganização e (re-) planejamento da geografia como ciência, diretrizes essas que devem
ser consideradas, ao se traçarem os objetivos a serem atingidos pelo educando nessa disciplina.

O ensino de Geografia pode levar os alunos a compreenderem de forma mais ampla a realidade, possibilitando que nela interfiram de
maneira mais consciente e propositiva. Para tanto, porém, é preciso que eles adquiram conhecimentos, dominem categorias, conceitos e
procedimentos básicos com os quais este campo do conhecimento opera e constitui suas teorias e explicações, de modo a poder não
apenas compreender as relações socioculturais e o funcionamento da natureza às quais historicamente pertence, mas também conhecer
e saber utilizar uma forma singular de pensar sobre a realidade: o conhecimento geográfico. (PCN – 1ª à 4ª série, v.5.2: p. 74).

Feita essa consideração, nos anos do primeiro segmento do Ensino Fundamental, o aluno deve ser orientado a desenvolver sua
percepção socioespacial, a partir do entendimento de que sua cidade, seu bairro, sua família e ele mesmo são componentes de um

106
espaço construído historicamente, refletindo uma situação social a ser analisada criticamente, em busca da melhoria de condições de
vida e prática real dos direitos de todos. Desde a mais tenra idade, a criança tem, pois, o direito de se ver inserida em um contexto social
– influenciado tanto pelas características do espaço físico em que vive como pelas relações de poder que organizam a vida em comum.

Para exemplificar essa nova concepção de ensino, é relevante a criança conhecer os rios que cortam sua cidade, mas não é de
menor valor ela considerar a importância da malha hidrográfica para economia daquela região. A diferença entre zona urbana e zona
rural, sob tais parâmetros, deixa de se apoiar simplesmente na distinção entre paisagens, todavia na relevância de cada uma dessas
áreas no desenvolvimento econômico. Sob tal perspectiva, fenômenos como chuva e erosão deixam de ser simples ações da natureza e
passam a ser fatores determinantes ao cultivo, produção, distribuição e preço de alimentos.

O espaço geográfico é historicamente produzido pelo homem enquanto organiza econômica e socialmente sua sociedade. A percepção
espacial de cada indivíduo ou sociedade é também marcada por laços afetivos e referências socioculturais. Nessa perspectiva, a
historicidade enfoca o homem como sujeito construtor do espaço geográfico, um homem social e cultural, situado para além e através da
perspectiva econômica e política, que imprime seus valores no processo de construção de seu espaço. (Id.: ibidem).

As preocupações da exploração ambiental desenfreada e suas consequências à vida em sociedade passam ao centro das aulas,
pela discussão de temas tais como poluição, desmatamento, destruição de ecossistemas, desenvolvimento urbano desordenado. Deixa-
se, por conseguinte, a metódica memorização tradicional como estratégia de ensino, para conduzir cada um dos alunos ao
desbravamento dos campos da reflexão crítica – seja para a caracterização da ordem social, seja para a (re-) construção de novas
realidades.

107
Retomando o que fora dito, o estudo de conceitos e noções peculiares ao domínio da geografia (clima, relevo, vegetação,
paisagem, noções básicas de cartografia, território, região etc.) também devem estar presentes nas atividades escolares, pois são
componentes curriculares cuja importância se estabelece por serem eles ferramentas à construção do conhecimento – diferentemente
do enfoque tradicional, que os determinava não como instrumentos, mas como o próprio objetivo final do ensino (Ortega, Peloggia &
Santos, 2009: p. 33).

Cabe ao educador adaptar, sempre, o trabalho a ser desenvolvido às capacidades cognitivas dos alunos, observando sempre as
expectativas da turma, empregando os conceitos a serem trabalhados para estimular a curiosidade e a construção crítica dos
conhecimentos. É válido, ainda, ressaltar que temas referentes à geografia, como globalização e nacionalidade, entre tantos outros,
possibilitam a abordagem de variados temas transversais, bem como são promotores da interdisciplinaridade das diferentes áreas de
conhecimento abordadas na escola.

108
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA

1º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Utilização de terminologia * Localização do próprio corpo e * Percepção da existência
adequada para identificação da dos colegas, com distinção de de formas de representação do
posição de algo (esquerda, direita, posições e eixos de orientação. espaço.
atrás, frente, acima e abaixo)
* Registro em desenho das * Valorização da visão de
* Representação da realidade. características físicas do próprio diversidade existente na turma.
corpo e dos colegas.
GEOLEITURAS * Valorização da importância da
* Percepção das formas de
organização dos espaços cotidianos * Entrevista a familiares, convivência e do respeito entre os
(na casa, funcionários da escola; diferentes grupos sociais.
na escola, na comunidade, na identificando as tarefas de cada
cidade etc.) um.

* Identificação do “eu coletivo”. * Pesquisa de registros fotográficos * Identificação de si como parte de


NATUREZA: DINÂMICA E antigos da família e comparação um grupo (da turma, da família etc.).
APROPRIAÇÃO * Reconhecimento de que como ser com imagens atuais
social e sociável, pode (re)construir, * Reconhecimento de si como parte
* Listagem de características da

109
espaços, enquanto sujeito histórico. localidade onde a escola está do contexto de sua família e dos
situada, que lhe dão uma ambientes cotidianos mais próximos
identidade em relação a outros (escola e comunidade).
pontos conhecidos pelos alunos.

* Compreensão do conceito de * Montagem de mural com imagens * Percepção do espaço e de suas


lugar de locais com características diferentes características.
diferentes: casa, escola, hospital,
AS REGIÕES DO MUNDO * Reconhecimento das mercado
particularidades do lugar onde se
mora

* Compreensão da possibilidade de * Pesquisa de registros fotográficos * Percepção da ação do homem


um lugar sofrer mudanças com o antigos da localidade onde está como sujeito atuante no meio social,
MUDANÇAS GEOGRÁFICAS passar do tempo inserida a escola e comparação integrante, dependente e agente
com imagens atuais. transformador do ambiente.

110
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA

2º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Conceituação de paisagem. * Confecção de quadro comparativo * Reflexão sobre a importância da
entre as características físicas, superfície terrestre para o ser
* Reconhecimento dos elementos sociais e econômicas do bairro com humano .
GEOLEITURAS da natureza na paisagem outras porções do município.

* Conceituação de município,
distrito e bairro.

* Reconhecimento do outro como * Confecção de um “Livro da * Valorização de todo e qualquer


um agente construtor de espaços e Vida”. grupo social (família, escola etc.)
de relações pessoais e sociais. apontando seus diversos
* Construção de um quadro com componentes.
* Compreensão da noção de vida papéis sociais (pais, religiosos,
NATUREZA: DINÂMICA E em sociedade a partir do grupo de lideranças comunitárias entre
APROPRIAÇÃO convívio e suas relações outros) e suas respectivas
* Combate as variadas formas de
discriminação ou preconceito de
características.
* Diferenciação de atividades ordem regional, social ou cultural
profissionais * Pesquisa sobre as atividades
produtivas mais comuns na * Reconhecimento, numa lista de
* Reconhecimento dos costumes localidade onde mora o aluno e regras, daquelas que são

111
das comunidades que habitam os suas respectivas características. pertinentes à moradia, à escola, ao
espaços frequentados pelos alunos. lazer e ao trabalho.
* Construção de narrativas sobre os
grupos sociais que habitam o bairro * Valorização da importância da
e suas regras de convivência. convivência e do respeito entre os
diferentes grupos sociais.

* Reconhecimento dos costumes * Construção de narrativas sobre os * Valorização da importância da


das comunidades que habitam os grupos sociais que habitam o bairro convivência e do respeito entre os
AS REGIÕES DO MUNDO
espaços frequentados pelos alunos e suas regras de convivência. diferentes grupos sociais.

* Observação e descrição de formas * Construção de narrativas, a partir * Percepção de que o homem


de ocupação do espaço, analisando de pesquisas feitas com antigos modifica o meio em que vive e que
MUDANÇAS GEOGRÁFICAS seu aproveitamento ou degradação. moradores da localidade, da esta modificação pode trazer
descrição de como era e como é benefícios como malefícios.
hoje sua localidade.

112
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA

3º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação dos quatro distritos * Confecção de um desenho que * Constatação de que o município
de Duque de Caxias. mostre a percepção dos alunos em de Duque de Caxias encontra-se
relação ao mapa do município dividido em quatro distritos.
dividido entre os quatro distritos.
GEOLEITURAS
* Localização da residência e da
escola do aluno no mapa do
município, por distrito.

* Discussão sobre a organização * Identificação em mapa mudo de * Curiosidade em entender como


dos espaços urbanos de acordo Duque de Caxias (fornecido pela funciona o espaço do município que
com suas funções: vias, áreas SME) das principais vias de habita.
NATUREZA: DINÂMICA E residenciais, áreas comerciais, transporte, a REDUC, o aterro
APROPRIAÇÃO áreas de lazer e esporte entre sanitário de Gramacho (e outras
outras áreas de risco ambiental), o
Shopping, a prefeitura e demais
elementos de destaque no espaço
municipal.

AS REGIÕES DO MUNDO * Reconhecimento na paisagem da * Confecção de murais com a * Conhecimento e percepção das

113
cidade de Duque de Caxias das identificação e localização dos belezas naturais do município e a
diferentes manifestações da pontos turísticos do município. necessidade de conservá-las.
natureza e sua apropriação pelos
seres humanos.

* Compreensão das formas de * Pesquisa sobre a existência de * Identificação da necessidade de


ocupação do município através do sítios históricos no município. preservação da história como
tempo. patrimônio social e cultural.
* Organização de murais
MUDANÇAS GEOGRÁFICAS * Identificação das regiões do informativos que apresentem * Percepção da importância da
município que já foram degradadas desperdícios de recursos naturais e defesa do patrimônio ambiental do
e as que ainda podem ser maneiras ecologicamente corretas município de Duque de Caxias.
preservadas de utilizá-los.

114
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA

4º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Identificação do Sol, das outras * Produção de relatos sobre as * Percepção dos diferentes corpos
estrelas, da Lua e da Terra como diferenças entre o verão e o celestes.
corpos celestes e compreender sua inverno; sobre a trajetória do sol
na
importância para a vida. esfera celeste e sobre as fases
da
lua. * Percepção da localização de sua
* Identificação da divisão regional localidade no município, no estado
do estado e dos municípios que * Identificação e nomeação dos e no país.
GEOLEITURAS
compõem cada uma dessas municípios que compõem o estado
regiões. e a região administrativa de cada
um.

* Localização no mapa do estado


do município em que reside e qual
a região administrativa do mesmo.

* Constatação da contínua * Organização de um mural com * Percepção de que se faz


NATUREZA: DINÂMICA E substituição do ser humano pelas exemplos de atividades que antes necessário a busca constante por
APROPRIAÇÃO máquinas no sistema produtivo eram realizadas pelo homem e que qualificação e permanente
atualização para se continuar

115
atual hoje são executadas por máquinas. ativamente no mercado de trabalho.

* Relação entre o desenvolvimento * Criação de murais mostrando a * Crítica ao crescimento econômico


dos transportes e meios de evolução dos meios de transportes predatório pelos problemas sociais
comunicação na aceleração do e de comunicação ao longo da e ambientais que ele gera
ritmo de vida nos grandes centros história da humanidade e sua
urbanos influência no modo de vida do
homem.

* Caracterização de um espaço a * Organização de murais * Apoio às ações coletivas que


partir da descoberta de informativos que apresentem a repercutem na melhoria das
semelhanças e diferenças com contribuição de cada bioma condições de vida das localidades
AS REGIÕES DO MUNDO outros locais. terrestre para o homem e as
consequências de sua degradação
para todo o planeta.
* Reconhecimento do equilíbrio * Localização dos pontos turísticos * Perceber a necessidade de defesa
entre os elementos naturais que encontrados no estado e da conservação da natureza tanto
compõem um ambiente pouco identificação dos principais como fonte de renda como de
afetado pela Humanidade e os problemas enfrentados por eles. preservação da própria existência
MUDANÇAS GEOGRÁFICAS
riscos que o consumismo da do homem.
sociedade urbano-industrial está
gerando.

116
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: LINGUAGEM\ÉTICA\PLURALIDADE CULTURAL

REFERÊNCIAIS CURRICULARES PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA

5º ANO DE
ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Compreensão da definição de * Localização do Brasil em * Entendimento de como o Brasil se
país, a partir da analise da diferentes tipos de mapas. formou e como está organizado
realidade brasileira, e o significado atualmente.
geográfico de território, fronteira e
limite. * Identificação dos limites territoriais
GEOLEITURAS e da organização político- * Conhecimento da composição
* Localização e caracterização do administrativa do Brasil. étnica brasileira e sua contribuição
território brasileiro. para a cultura nacional.
* Pesquisa a respeito da formação
do território brasileiro e de sua
população.
* Caracterização do espaço urbano * Criação de painéis sobre o * Refletir sobre as desigualdades
e rural brasileiro com enfoque nas espaço urbano e rural brasileiro, econômicas, políticas e sociais do
peculiaridades, atividades enfocando as atividades Brasil.
NATUREZA: DINÂMICA E
econômicas e relações sociais que econômicas realizadas e principais
APROPRIAÇÃO
se desenvolvem em cada espaço, problemas sociais e ambientais
bem como as diferentes formas de encontrados em cada um deles.
apropriação, construção e

117
transformação desses espaços. * Identificação da macrorregião em
que se localizam os principais
problemas sociais e ambientais do
meio urbano e rural.

* Identificação dos problemas que * Enumeração dos problemas * Conhecimento dos problemas que
afetam a humanidade decorrentes ambientais e sociais decorrentes do afetam a humanidade.
da intensificação da urbanização. aumento da população urbana.

AS REGIÕES DO MUNDO * Percepção que a intensificação da


urbanização acarreta problemas
tanto no Brasil como nos demais
países do mundo.

* Compreensão da evolução da * Identificação das duas divisões * Reconhecer que a forma de


regionalização do território regionais mais adotadas no Brasil. regionalização mais empregada no
brasileiro, identificando duas das Brasil é o da macrorregiões.
MUDANÇAS GEOGRÁFICAS divisões regionais mais adotadas * Enumeração das regiões que
no Brasil. compõem cada uma das divisões
regionais.

BIBLIOGRAFIA

CADERNO PEDAGÓGICO E O CICLO DE ALFABETIZAÇÃO/ Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias- Divisão de
Ensino Fundamental- 1ª Ed – Rio de Janeiro: 1996.

118
COLL, César. Psicologia e Currículo. São Paulo: Ática, 1996.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: HISTÓRIA E GEOGRAFIA/ Ministério da Educação. Secretaria da Educação


Fundamental- 3ª Ed – Brasília: 2001.

PRESSUPOSTOS TEÓRICOS ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.1, Duque de Caxias, RJ: SME,
2002.

PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA EM MOVIMENTO: UMA CONSTRUÇÃO PERMANENTE, vol.2, Duque de Caxias, RJ: SME,
2004.

REORIENTAÇÃO CURRICULAR: A ESCOLA EM MOVIMENTO – EDUCAÇÃO INFANTIL, CICLO DE ALFABETIZAÇÃO, 3ª e 4ª Séries


do Ensino Fundamental, Duque de Caxias, RJ: SME, 1996.

119
EIXOS ESTRUTURADORES DO CURRÍCULO: CORPO/MOVIMENTO/ARTE

1º AO 5º ANO
DE ESCOLARIDADE

CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS CONHECIMENTOS


EIXOS TEMÁTICOS DA ÁREA
CONCEITUAIS PROCEDIMENTAIS ATITUDINAIS
* Representação simbólica da * Desenho representando a * Imaginação da realidade
LINGUAGEM PLÁSTICA realidade externa realidade.
* Expressão de ideias e sentimentos
MÚSICA * Reconhecimento de pinturas, * Estabelecimento sentimento e através de pinturas e esculturas.
desenhos e esculturas. sentidos trazidos por pinturas.
* Ritmo * Conversa sobre trabalhos
* Leitura de obras de arte * Ilustração de textos. artísticos realizados.
*Sons
* Reconhecimento de diferenças * Realização de esculturas * Reconhecimento da autoria de
* Gestos rítmicas. utilizando materiais apropriados. obras de artes.

* Imitação * Identificação de diferentes * Descrição de registros artísticos. * Desenvolvimento da sensibilidade


possibilidades de produção de sons e a criatividade.
* Canto com o corpo. * Produção de textos escritos * Reprodução de gestos
* Dança * Interpretação de diferentes ritmos através de análise de desenhos,
musicais através de gestos. esculturas e pintura. * Confecção de instrumentos
* Dramatização
* Reconhecimento de diferentes * Reprodução de ritmos e gestos a * Interesse em participação de
possibilidades do uso da voz. partir de sons ouvidos coral.

* Interesse em cantar em grupo ou

120
* Audição de diversos ritmos individualmente.
musicais.
* Apreciação e análise de diferentes
* Imitação gestos ao compasso da ritmos musicais.
música.
* Reconhecimento de diferentes
manifestações cênicas.
* Utilização de diferentes formas de
expressão corporal.

* Confecção de instrumentos.

* Dramatização de histórias e ou
músicas.

BIBLIOGRAFIA

FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO, Professor da Pré-Escola VOL. 1. São Paulo, Globo, 1991.

REVERBEL, Olga. Um Caminho do Teatro na Escola (Série Pensamento e Ação no Magistério). São Paulo, Scipione,1989.

RIO DE JANEIRO, Secretaria de Estado de Educação. Plano Básico de Estudos – Séries iniciais do ensino básico. Rio de Janeiro, 1992.

RIO DE JANEIRO, Secretaria Extraordinária de Programas Especiais do Estado do Rio de Janeiro. Carta ao Professor 4 , Rio de Janeiro, 1993.

RIO DE JANEIRO, Secretaria Municipal de Educação. Bloco Único – 1º segmento do 1º grau – Escolas Públicas do Município do Rio. Rio de

121
Janeiro, 1992.

RIO DE JANEIRO, Secretaria Municipal de Educação. Fundamentos Para Elaboração do Currículo Básico das Escolas Públicas do Município
do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1991.

122