Você está na página 1de 13

HTTP://WWW.COMSIZO.COM.

BR/

Resolução de “Curso
Básico de Física” de H.
Moysés Nussenzveig
Capítulo 09 - Vol. 2
Engenharia Física 09 – Universidade Federal de São Carlos
11/9/2009

*Conseguimos algumas resoluções pela internet, outras foram feitas por nós.
ComSizo.com.br Capítulo - 9

1 - O tubo de vidro de um barômetro de mercúrio tem secção reta de 1 cm ² e 90 cm de


altura acima da superfície livre do reservatório de mercúrio. Num dia em que a
temperatura ambiente é de 20°C e a pressão atmosférica verdadeira é de 750 mm/Hg, a
altura da coluna barométrica é de 735 mm. Calcule a quantidade de ar (em moles)
aprisionada no espaço acima da coluna de mercúrio.

H
h

a = 1 cm² = 10-4 m2
Po = 750 mmHg = 99967,10 Pa
𝝆𝝆𝑯𝑯𝑯𝑯 = 𝟏𝟏𝟏𝟏, 𝟔𝟔. 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟑𝟑 𝒌𝒌𝒌𝒌/𝒎𝒎𝟑𝟑
Temos que as pressões:
𝑻𝑻
𝑷𝑷𝒐𝒐 = 𝑷𝑷 + 𝝆𝝆𝑯𝑯𝑯𝑯 . 𝒈𝒈. 𝒉𝒉 ⇒ 𝑷𝑷 = 𝑷𝑷𝒐𝒐 − 𝝆𝝆𝑯𝑯𝑯𝑯 . 𝒈𝒈. 𝒉𝒉 ⇒ 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. = 𝑷𝑷𝒐𝒐 − 𝝆𝝆𝑯𝑯𝑯𝑯 . 𝒈𝒈. 𝒉𝒉 ⇒
𝑽𝑽
𝑽𝑽 (𝑯𝑯 − 𝒉𝒉). 𝒂𝒂
𝒏𝒏 = �𝑷𝑷𝒐𝒐 − 𝝆𝝆𝑯𝑯𝑯𝑯 . 𝒈𝒈. 𝒉𝒉�. ⇒ 𝒏𝒏 = �𝑷𝑷𝒐𝒐 − 𝝆𝝆𝑯𝑯𝑯𝑯 . 𝒈𝒈. 𝒉𝒉�. ⇒
𝑹𝑹. 𝑻𝑻 𝑹𝑹. 𝑻𝑻
(𝟎𝟎, 𝟗𝟗 − 𝟎𝟎, 𝟕𝟕𝟕𝟕𝟓𝟓). 𝟏𝟏𝟏𝟏−𝟒𝟒
𝒏𝒏 = [𝟗𝟗𝟗𝟗𝟗𝟗𝟗𝟗𝟗𝟗, 𝟏𝟏𝟏𝟏 − 𝟏𝟏𝟏𝟏, 𝟔𝟔. 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟑𝟑 . 𝟗𝟗, 𝟖𝟖𝟖𝟖. 𝟎𝟎, 𝟕𝟕𝟕𝟕𝟕𝟕].
𝟖𝟖, 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑. (𝟐𝟐𝟐𝟐 + 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐)
∴ 𝒏𝒏 = 𝟏𝟏, 𝟑𝟑. 𝟏𝟏𝟏𝟏−𝟓𝟓 𝒎𝒎𝒎𝒎𝒎𝒎

2 – Dois recipientes fechados de mesma capacidade, igual a 1 l, estão ligados um ao


outro por um tubo capilar de volume desprezível. Os recipientes contêm oxigênio,
inicialmente à temperatura de 25°C e pressão de 1 atm.
a) Quantas gramas de O2 estão contidas nos recipientes?
b) Aquece-se um dos recipientes até a temperatura de 100°C, mantendo o outro
a 25°C. Qual é o novo valor da pressão?
c) Quantas gramas de O2 passam de um lado para o outro? Despreze a condução
de calor através do capilar.

a) Pela relação dos gases ideais:


𝒎𝒎 𝒎𝒎𝒎𝒎. 𝑷𝑷. 𝑽𝑽 𝟑𝟑𝟑𝟑. 𝟏𝟏𝟏𝟏−𝟑𝟑 . 𝟏𝟏. 𝟎𝟎𝟎𝟎𝟎𝟎. 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟓𝟓 . 𝟐𝟐. 𝟏𝟏𝟏𝟏−𝟑𝟑
𝑷𝑷. 𝑽𝑽 = 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻 = . 𝑹𝑹. 𝑻𝑻 ⇒ 𝒎𝒎 = ⇒ 𝒎𝒎 =
𝒎𝒎𝒎𝒎 𝑹𝑹. 𝑻𝑻 𝟖𝟖, 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑. 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐
∴ 𝒎𝒎 = 𝟐𝟐, 𝟔𝟔𝟔𝟔𝟔𝟔
b) Pela relação dos gases:

2
ComSizo.com.br Capítulo - 9

𝑷𝑷. 𝑽𝑽 𝑷𝑷. 𝑽𝑽 𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝒐𝒐 𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝒐𝒐 𝑷𝑷. 𝑽𝑽 𝑷𝑷. 𝑽𝑽 𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝒐𝒐 𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝒐𝒐 𝑷𝑷 𝑷𝑷
+ = + ⇒ + = + ⇒ +
𝑻𝑻𝟏𝟏 𝑻𝑻𝟐𝟐 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝟏𝟏 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝟏𝟏 𝑻𝑻𝒐𝒐
𝑷𝑷𝒐𝒐 𝑷𝑷𝒐𝒐 𝟏𝟏 𝟏𝟏 𝟐𝟐𝑷𝑷𝒐𝒐 𝟐𝟐𝑷𝑷𝒐𝒐 𝑻𝑻𝟏𝟏 . 𝑻𝑻𝒐𝒐
= + ⇒ 𝑷𝑷 � + � = ⇒ 𝑷𝑷 = � � ⇒ 𝑷𝑷
𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝟏𝟏 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝒐𝒐 𝑻𝑻𝟏𝟏 + 𝑻𝑻𝒐𝒐
𝟐𝟐. 𝟏𝟏, 𝟎𝟎𝟎𝟎𝟎𝟎. 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟓𝟓 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑. 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐
= � � ∴ 𝑷𝑷 = 𝟏𝟏, 𝟏𝟏𝟏𝟏. 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟓𝟓 𝑷𝑷𝑷𝑷 = 𝟏𝟏, 𝟏𝟏𝟏𝟏 𝒂𝒂𝒂𝒂𝒂𝒂
𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑 + 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐
c) Pela relação obtida no item a:
𝒎𝒎𝒎𝒎. 𝑷𝑷. 𝑽𝑽 𝟑𝟑𝟑𝟑. 𝟏𝟏𝟏𝟏−𝟑𝟑 . 𝟏𝟏. 𝟏𝟏𝟏𝟏. 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟓𝟓 . 𝟐𝟐. 𝟏𝟏𝟏𝟏−𝟑𝟑
𝒎𝒎 = ⇒ 𝒎𝒎` = ⇒ 𝒎𝒎` = 𝟏𝟏, 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏
𝑹𝑹. 𝑻𝑻 𝟖𝟖, 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑. 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐
Portanto, a variação é:
∆𝒎𝒎 = 𝒎𝒎` − 𝒎𝒎 = 𝟏𝟏, 𝟏𝟏𝟏𝟏 − 𝟐𝟐, 𝟔𝟔𝟔𝟔 ∴ ∆𝒎𝒎 = −𝟎𝟎, 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏 ∗
* O sinal negativo do ∆m indica que houve perda de massa.

3 - Um recipiente de paredes adiabáticas é munido de um pistão adiabático móvel, de


massa desprezível e 200 cm² de área, sobre o qual está colocado um peso de 10 kg. A
pressão externa é de 1 atm. O recipiente contém 3 l de gás hélio, para o qual CV =
(3/2)R, à temperatura de 20°C.
a) Qual é a densidade inicial do gás? Faz-se funcionar um aquecedor elétrico
interno ao recipiente, que eleva a temperatura do gás, gradualmente até 70°C.
b) Qual é o volume final ocupado pelo gás?
c) Qual é o trabalho realizado pelo gás?
d) Qual é a variação de energia interna do gás?
e) Quanto calor é fornecido ao gás?

Dados:
A = 200 cm² = 2 x 10-2 m² ; m = 10 kg ; MHe = 4 g/mol ; CV = (3/2)R ∴ CP = (5/2)R
V1 = 3 l = 3 x 10-3 m³
P0 = 1 atm = 1,013 x 105 N/m²
T1 = 20°C =293 K

F m.g 10 x 9,8
a) P1 = P0 + = P0 + = 1,013 x 105 + -2
⇒ P1 = 1,062 x 105 N/m²
A A 2 x 10
P1.V1
n= = 0,13 mols
R.T1
m n.M He
ρ= = ⇒ ρ = 0,174 kg/m³
V V

b) T2 = 70°C = 343 K ; P1 = P2
V1 V2
= ⇒ V2 = 3,51 l
T1 T2

V2 V2

c) W1→2 = ∫ P.dV = P ∫ dV ⇒W1→2 = P.(V1-V2)⇒ W1→2 = 1,062.105.(3,51-3).10-3


V1 V1

∴ W1→2 =54,34 J

d) ∆U = n.CV.∆T = P.V.(R.T)-1.CV.∆T = 1,062.105.3.10-3.(293)-1.(3/2) .50

3
ComSizo.com.br Capítulo - 9

∴ ∆U = 81,51 J

e) ∆U = ∆Q – W ⇒ ∆Q = 136 J

4 – Um mol de um gás ideal, com γ = 7/5, está contido num recipiente, inicialmente a 1
atm e 27°C. O gás é, sucessivamente: (i) comprimido isobaricamente até ¾ do volume
inicial V0; (ii) aquecido, a volume constante, até voltar à temperatura inicial; (iii)
expandido a pressão constante até voltar ao volume inicial; (iv) resfriado, a volume
constante, até voltar à pressão inicial.
a) Desenhe o diagrama P-V associado.
b) Calcule o trabalho total realizado pelo gás.
c) Calcule o calor total fornecido ao gás nas etapas (i) e (ii).
d) Calcule as temperaturas máxima e mínima atingidas.
e) Calcule a variação de energia interna no processo (i) + (ii).

n = 1 mol γ = 7/5 ∴ CP = (7/2)R ; CV = (5/2)R


P1 = 1 atm
T1 = 27°C = 300 K
V2 = (3/4)V1
a)
P1.V1 = n.R.T1 ⇒ V1 = 24,6 l
AB:
V1 (3 4 )V1
= ⇒ T2 = 225 K
T1 T2
BC:
P1 P2
= ⇒ P2 = 1,33 atm = (4/3) atm = 1,35 x 105 N/m²
T2 T1

b) W = WAB + WBC + WCD + WDA mas WBC = WDA = 0


   
W = P1  − 1V1 + P2 1 − V1 = 1 (− P1 + P2 )
3 3 V
4   4 4
W = 207,67 J ≅ 208 J

4
ComSizo.com.br Capítulo - 9

 1  1
c) W(i) = WAB = P1 . − .V1 = 1,013.10 5. − .24,6.10 −3 = - 623,5 J
 4  4
5
∆U(i) = n.CV.(T2 – T1) = 1. .8,314.(225,1125 − 300,15) = - 1559,655 J
2
∆Q(i) = ∆U + W ⇒ ∆Q(i) = - 2183,156 J

W(ii) = WBC = 0
∆U(ii) = n.CV.(T1 – T2) = + 1559,655 J
∆Q(ii) = + 1559,655 J

∆QT = - 2183,156 + 1559,655 = - 623,50 ⇒ ∆QT = - 624 J

P2 .V1 1,33 x 2406


d) Tmáx = = = 399 K ⇒ Tmáx = 400 K
n.R 1 x 0,082
P .V 1,013 x 2406 x 3
Tmin = 1 2 = = 224,98 K ⇒ Tmin = 225 K
n.R 4 x 8,314

∆U (i ) = −107,875 J 
e)  ∆U (i ) + ∆U (ii ) = 0
∆U (ii) = +107,875 J 

5 – Um mol de um gás ideal, contido num recipiente munido de um pistão móvel,


inicialmente a 20°C, se expande isotermicamente até que seu volume aumenta de 50%.
a seguir, é contraído, mantendo a pressão constante até voltar ao volume inicial.
Finalmente, é aquecido, a volume constante, até voltar à temperatura inicial.
a) Desenhe o diagrama P-V associado.
b) Calcule o trabalho total realizado pelo gás neste processo.

a) Em AB:
𝟑𝟑 𝟐𝟐
𝑷𝑷. 𝑽𝑽 = 𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝒐𝒐 ⇒ 𝑷𝑷. 𝑽𝑽𝒐𝒐 . = 𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝒐𝒐 ⇒ 𝑷𝑷 = 𝑷𝑷𝒐𝒐
𝟐𝟐 𝟑𝟑

b) Temos que o trabalho é dado por:

5
ComSizo.com.br Capítulo - 9

𝟑𝟑
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝟐𝟐 𝟑𝟑
𝑾𝑾 = 𝑾𝑾𝑨𝑨𝑨𝑨 + 𝑾𝑾𝑩𝑩𝑩𝑩 ⇒ 𝑾𝑾 = 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 �𝟐𝟐 � + 𝑷𝑷𝒐𝒐 �𝑽𝑽𝒐𝒐 − 𝑽𝑽𝒐𝒐 �
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝟑𝟑 𝟐𝟐
𝟑𝟑
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝟐𝟐 𝟑𝟑
= 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 �𝟐𝟐 � + 𝑷𝑷𝒐𝒐 𝑽𝑽𝒐𝒐 �𝟏𝟏 − �
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝟑𝟑 𝟐𝟐
𝟑𝟑
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝟏𝟏 𝟑𝟑 𝟏𝟏
= 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 �𝟐𝟐 � + 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻 �− � = 𝟖𝟖, 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑. 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐, 𝟏𝟏𝟏𝟏 �𝐥𝐥𝐥𝐥 � � − �
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝟑𝟑 𝟐𝟐 𝟑𝟑

∴ 𝑾𝑾 = 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏 𝑱𝑱

6 – 0,1 mol de um gás ideal, com CV = (3/2)R,


descreve o ciclo representado na fig. no planto
(P, T).
a) Represente o ciclo no plano (P, T),
indicando P (em atm) e V (em l) associados aos
pontos A, B e C.
b) Calcule ∆W, ∆Q e ∆U para os
processos AB, BC, CA e o ciclo.

a)
P (atm)

A C

V(l)

b) Processo AB:
W = n.R.T.ln(VB/VA) = 0,1 . 8,31 . 300 . ln (2,46/1,23) = 173 J
Q = W = 173J
∆U = 0 (não há variação de temperatura)

Processo BC: (Volume Constante)


W = 0 (Não realiza Trabalho)
Q = nCvΔT = 0,1x12,5x300 = 375J

6
ComSizo.com.br Capítulo - 9

ΔU = nCvΔT -W = 375J

Processo CA: (Pressão Constante)


W = nRΔT = 0,1x8,31x300 = - 249J (O trabalho será negativo pois o volume diminui)
Q = 0,1x(2,5)x(8,31)x300 = -623J
ΔU = 623 – 249 = -374J

7 – 1 g de gás hélio, com CV = (3/2)R, inicialmente nas condições NTP, é submetida aos
seguintes processos: (i) Expansão isotérmica até o dobro do volume inicial; (ii)
Aquecimento a volume constante, absorvendo 50 cal; (iii) Compressão isotérmica, até
voltar ao volume inicial.
a) Represente os processos no plano (P, V), indicando P (em atm), V (em l) e T
(em K) associado a cada ponto.
b) Calcule ∆U e ∆W para os processos (i), (ii) e (iii).

AB: p1V1 = p2V2


1V0 = p2 x 2V0
P2 = 0,5 atm

Processo AB:
∆U = 0 (não há variação de temperatura)
W = Q = n.Cv.∆T = 393 J

Processo BC: (Volume constante)


∆W = 0
∆U = Q = nCv∆t = 209 J

Processo CD: (transformação isotérmica)

∆U = 0
W = Q = n.Cv.∆T = -490 J

7
ComSizo.com.br Capítulo - 9

8 – Um mol de um gás ideal descreve o ciclo ABCDA representado na fig., no plano (P,
V), onde T = T1 e T = T2 são isotermas. Calcule o trabalho total associado ao ciclo,
em função de P0, T1 e T2.

Em A:
𝑹𝑹. 𝑻𝑻𝟏𝟏
𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝟏𝟏 = 𝑹𝑹. 𝑻𝑻𝟏𝟏 ⇒ 𝑽𝑽𝟏𝟏 =
𝑷𝑷𝒐𝒐
Em B:
𝑹𝑹. 𝑻𝑻𝟐𝟐
𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝟐𝟐 = 𝑹𝑹. 𝑻𝑻𝟐𝟐 ⇒ 𝑽𝑽𝟐𝟐 =
𝑷𝑷𝒐𝒐
Logo, o trabalho total é:
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝑽𝑽𝟏𝟏
𝑾𝑾 = 𝑾𝑾𝑨𝑨𝑨𝑨 + 𝑾𝑾𝑩𝑩𝑩𝑩 + 𝑾𝑾𝑫𝑫𝑫𝑫 = 𝑹𝑹(𝑻𝑻𝟐𝟐 − 𝑻𝑻𝟏𝟏 ) + 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 � � − 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 � �
𝑽𝑽𝟐𝟐 𝑽𝑽𝒐𝒐
𝑽𝑽𝒐𝒐 . 𝑷𝑷𝒐𝒐 𝑹𝑹. 𝑻𝑻𝟏𝟏
∴ 𝑾𝑾 = 𝑹𝑹(𝑻𝑻𝟐𝟐 − 𝑻𝑻𝟏𝟏 ) + 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 � � − 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 � �
𝑹𝑹. 𝑻𝑻𝟐𝟐 𝑽𝑽𝒐𝒐 . 𝑷𝑷𝒐𝒐

9 - Um mol de gás hélio, com CV = (3/2)R, inicialmente a 10 atm e 0°C, sofre uma
expansão adiabática reversível até atingir a pressão atmosférica, como primeiro estágio
num processo de liquefação do gás.
a) Calcule a temperatura final (em °C).
b) Calcule o trabalho realizado pelo gás na expansão.

a) O hélio é um gás monoátomo se Cv = 3/2R então Cp = 5/2R

Cp
γ = = 5/3
Cv

Dados:
Estado inicial Estado Final
Pi = 10 atm Pf = 1 atm
Vi = ? Vf = ?
Ti = 0ºC = 273 K Tf = ?

n =11 (nº de mols)


R = 8,3145 J/mol K

8
ComSizo.com.br Capítulo - 9

γ γ
PiVi = Pf V f
PiVi = nRTi
Pf V f = nRT f
γ
 Vi   Pf 
  =   (A)
V  P 
 f   i 
 Pi  Vi   Ti 
   =  
P  V   T 
 f  f   f 
Elevando – se ambos os lados desta expressão pelo expoente γ, temos:
γ γ γ
 Pi   Vi   Ti 
    =  Substituindo A na expressão temos:
 Pf  Vf  T 
     f 
γ γ
 Pi   Pf   Ti 
    =  
P   
 f   Pi   Tf 
γ −1 γ
 Pi  T 
  = i 
P  T 
 f   f 
γ −1
P  χ
T f = Ti  i 
P 
 f 

Substituindo os dados temos:


5 / 3−1
 10  5/3
Tf = 273  
1
Tf = 108,7 K = -164,3 ºC

b) O trabalho numa expansão adiabática entre os estados (i) e (f) é:

Wi – f = -nCv (Tf - Ti)


Wi – f = 2045J

9
ComSizo.com.br Capítulo - 9

10 – 1 l de H2 (para o qual γ = 7/5), à pressão de 1 atm e temperatura de 27°C, é


comprimido adiabaticamente até o volume de 0,5 l e depois resfriado, a volume
constante, até voltar à pressão inicial. Finalmente, por expansão isobárica, volta à
situação inicial.
a) Represente o processo no plano (P, V), indicando P (atm), V (l) e T(K) para
cada vértice do diagrama.
b) Calcule o trabalho total realizado.
c) Calcule ∆U e ∆Q para cada etapa.

V1 = 1 l ; V2 = 0,5 l ; M H 2 = 2 g/mol ; TA = 27°C = 300 K ; P1 = 1 atm


 5
7 C V = 2 R
γ= 
5 7
CP = R
 2

a) AB:
P1.V1γ = P2 .V2γ ⇒ V2 = 2,64 atm = 2,64 x (1,013 x 105) N/m²
T1.V1γ −1 = T2 .V2γ −1 ⇒ TB = 395,85 K ≅ 396 K
BC:
P2 P1
= ⇒ TC = 149,9 K ≅ 150 K
TB TC

b) W A→ B = −
(P2 .V2 − P1 .V1 )
=−
(2,64.1,03.10 .0,5.10
5 −3
− 1,013.10 5.1.10 −3 )
γ −1 7 / 5 −1
WA→B = - 81,04 J
WB→C = 0
WC→A = P1(V1 – V2) = 1,013.10 5.(1 − 0,5).10 −3 ⇒ WC→A = 50,65 J
WT = -30,3 J

P1.V1
c) n= ⇒ n = 0,041 mol H2
R.TA
∆UAB = - WA→B (QAB = 0) ⇒ ∆UAB = + 81 J
∆UBC = n.CV.(TC – TB) ⇒ ∆UBC = ∆QBC = -207,5 J
∆QCA = n.CP.(TA - TC) ⇒ ∆QCA = 177,3 J
∆UCA = ∆QCA - WC→A ⇒ ∆UCA = 126,6 J

10
ComSizo.com.br Capítulo - 9

11 - Um mol de um gás ideal, com CV = (3/2)R, a 17°C, tem sua pressão reduzida à
metade por um dos quatro processos seguintes: (i) a volume constante; (ii)
isotermicamente; (iii) adiabaticamente; (iv) por expansão livre. Para um volume inicial
Vi, calcule, para cada um dos quatro processos, o volume e a temperatura finais, ∆W e
∆U.

n = 1 mol ; Pi = 2.Pf ; T1 = 17°C = 290 K.


 5
3 C P = R
CV = R  2
2 5
 γ=
 3
(i): Volume constante.
2Pf Pf
Vf = Vi = ⇒ T2 = 145 K
T1 T2
∆W = 0
∆U = n.CV.(T2 – T1) ⇒ ∆U = -1808,3 J

(ii): Temperatura constante.

2.Pf.Vi = Pf.Vf ⇒ Vf = 2.Vi


∆U = 0
 2.Vi 
∆W = n.R.T. ln  ⇒ ∆W = 1671 J
 Vi 
(iii): Adiabático.

(2.Pf ).Viγ = Pf .Vfγ ⇒ Vf = 1,52 Vi


T1.Viγ −1 = T2 .Vfγ −1 ⇒ T2 = 219,4 K
∆Q = 0
∆U = - ∆W ⇒ n.CV.∆T ⇒ ∆U = - 885 J
∆W = + 885 J

(iv): Expansão livre.

2.Pf.Vi = Pf.Vf ⇒ Vf = 2.Vi


T2 = T1
∆Q = 0
∆U = 0
∆W = 0

12 - No método de Rüchhardt para medir γ = Cp / Cv do ar, usa-se um grande frasco


com um gargalo cilíndrico estreito de raio a, aberto para a atmosfera (p0 = pressão
atmosférica), no qual se ajusta uma bolinha metálica de raio a e massa m. Na posição de
equilíbrio O da bolinha, o volume de ar abaixo dela no frasco é V (fig.).
a) Calcule a força restaurador a sobre a bolinha quando ela é empurrada de uma
distância x para baixo a partir do equilíbrio, o movimento sendo suficientemente rápido
para que o processo seja adiabático. Mostre que a bolinha executa um movimento
harmônico simples e calcule o período τ em função de a, m, V, p0 e γ.

11
ComSizo.com.br Capítulo - 9

b) Numa experiência em que a = 0,5 cm, m = 10 g, V = 5 l, p0 = 1 atm, o período


observado é τ = 1,5 s. Determine o valor correspondente de γ para o ar.

13 - Um mol de um gás ideal, partindo das condições NTP, sofre: (i) uma compressão
isotérmica até um volume de 5 l, seguida de (ii) uma expansão adiabática até retornar ao
volume inicial, atingindo uma pressão final de 0,55 atm.
a) Calcule P ao fim da etapa (i) e T ao fim de (ii).
b) Calcule Cp e Cv para este gás.
c) Calcule a variação total de energia interna.
d) Calcule o trabalho total realizado.

Na CNTP, temos:
Vo=22,4L; Po=1atm; To=273K
a) Analisando i:
T=To; V=5L
𝟏𝟏 × 𝟐𝟐𝟐𝟐, 𝟒𝟒
𝑷𝑷. 𝑽𝑽 = 𝑷𝑷𝒐𝒐 . 𝑽𝑽𝒐𝒐 ⇒ 𝑷𝑷 = ∴ 𝑷𝑷 = 𝟒𝟒, 𝟒𝟒𝟒𝟒 𝒂𝒂𝒂𝒂𝒂𝒂
𝟓𝟓
Analisando ii:
V`=22,4L; P`=0,55 atm; W= - ∆U
𝟒𝟒, 𝟒𝟒𝟒𝟒
𝑽𝑽` 𝜸𝜸
𝑷𝑷 𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥�𝑷𝑷�𝑷𝑷`� 𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥 �
𝟎𝟎, 𝟓𝟓𝟓𝟓
� 𝟕𝟕
𝑷𝑷. (𝑽𝑽)𝜸𝜸 = 𝑷𝑷`. (𝑽𝑽`)𝜸𝜸 ⇒ � � = ⇒ 𝜸𝜸 = ⇒ 𝜸𝜸 = ∴ 𝜸𝜸 =
𝑽𝑽 𝑷𝑷` 𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥�𝑽𝑽`�𝑽𝑽� 𝟐𝟐𝟐𝟐, 𝟒𝟒 𝟓𝟓
𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥𝐥 � �
𝟓𝟓
Logo:
𝟕𝟕
𝜸𝜸−𝟏𝟏 −𝟏𝟏
𝟓𝟓
𝑻𝑻 𝑻𝑻` 𝑷𝑷 𝜸𝜸 𝟎𝟎, 𝟓𝟓𝟓𝟓 𝟕𝟕
𝜸𝜸−𝟏𝟏 = 𝜸𝜸−𝟏𝟏 ⇒ 𝑻𝑻` = 𝑻𝑻. � � ⇒ 𝑻𝑻` = 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐. � � 𝟓𝟓 ∴ 𝑻𝑻′ = 𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏
𝑷𝑷` 𝟒𝟒, 𝟒𝟒𝟒𝟒
𝑷𝑷 𝜸𝜸 𝑷𝑷` 𝜸𝜸

b) Pela relação temos:


𝑹𝑹 𝑹𝑹 𝟓𝟓
⎧ 𝑪𝑪𝒗𝒗 = ⇒ 𝑪𝑪𝒗𝒗 = ∴ 𝑪𝑪𝒗𝒗 = 𝑹𝑹
⎪ 𝜸𝜸 − 𝟏𝟏 𝟕𝟕� − 𝟏𝟏 𝟐𝟐
𝟓𝟓
⎨𝑪𝑪𝒑𝒑 𝟓𝟓 𝟕𝟕 𝟕𝟕
⎪ = 𝜸𝜸 ⇒ 𝑪𝑪𝒑𝒑 = 𝑪𝑪𝒗𝒗 . 𝜸𝜸 ⇒ 𝑪𝑪𝒑𝒑 = 𝑹𝑹. ∴ 𝑪𝑪𝒑𝒑 = 𝑹𝑹
⎩𝑪𝑪𝒗𝒗 𝟐𝟐 𝟓𝟓 𝟐𝟐

12
ComSizo.com.br Capítulo - 9

𝟓𝟓
c) ∆𝑼𝑼 = 𝒏𝒏. 𝑪𝑪𝒗𝒗 . ∆𝑻𝑻 ⇒ ∆𝑼𝑼 = 𝟏𝟏. . 𝟖𝟖, 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑. (𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏𝟏 − 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐) ∴ ∆𝑼𝑼 = −𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐
𝟐𝟐

d) Trabalho total é igual à soma dos trabalhos de i e ii. Logo:


𝑽𝑽
𝟏𝟏 𝑽𝑽
𝑾𝑾𝒕𝒕 = −∆𝑼𝑼 + 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. � . 𝒅𝒅𝒅𝒅 ⇒ 𝑾𝑾𝒕𝒕 = −∆𝑼𝑼 + 𝒏𝒏. 𝑹𝑹. 𝑻𝑻. 𝐥𝐥𝐥𝐥 � � ⇒
𝑽𝑽𝒐𝒐 𝑽𝑽 𝑽𝑽𝒐𝒐
𝟓𝟓
𝑾𝑾𝒕𝒕 = 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐 + 𝟏𝟏. 𝟖𝟖, 𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑𝟑. 𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐𝟐. 𝐥𝐥𝐥𝐥 � � ∴ 𝑾𝑾𝒕𝒕 = −𝟖𝟖𝟖𝟖𝟖𝟖𝟖𝟖
𝟐𝟐𝟐𝟐, 𝟒𝟒

13