Você está na página 1de 4

Grupo I

Lê com atenção o poema que se segue e responde com frases completas e bem estruturadas
às perguntas que se seguem:

Tanto de meu estado me acho incerto,


Que em vivo ardor tremendo estou de frio;
Sem causa, justamente choro e rio,
O mundo todo abarco e nada aperto.

É tudo quanto sinto, um desconcerto;


Da alma um fogo me sai, da vista um rio;
Agora espero, agora desconfio,
Agora desvario, agora acerto.

Estando em terra, chego ao Céu voando;


Numa hora acho mil anos, e é jeito
Que em mil anos não posso achar uma hora.

Se me pergunta alguém por que assim ando,


Respondo que não sei; porém suspeito
Que só porque vos vi, minha Senhora.

1. Faz a análise formal do poema.

1.1. Faz a escansão do segundo verso.

2. Camões aborda diferentes temas nos poemas que escreveu. Identifica o sentimento que é
caracterizado neste texto.

3. Que figura de retórica está em evidência na primeira estrofe e qual a sua expressividade?
Retira, pelo menos, dois exemplos que provem a tua afirmação.

4. Propõe uma divisão para esta composição poética e justifica-a.

Num texto bem estruturado, entre 50 e 80 palavras, disserta sobre a conceção de amor para
Luís de Camões.
Grupo II

1. Sobre o poder criativo de Camões, lê o excerto seguinte:

Camões cultivou igualmente a escola tradicional em redondilha maior e menor


(vilancetes, cantigas e outras composições obrigadas a mote, quintilhas, etc.) e os
géneros em hendecassílabo. Num e noutro metro escreveu em português e
castelhano. […]

Camões atingiu uma mestria do verso que deixa para trás os seus antecessores em
redondilha ou em decassílabo. A arte com que narra uma curta história (como em
“Sete anos de pastor Jacob servia”), ou estiliza o discurso interior (como na canção
“Vinde cá” ou nas redondilhas “Sobre os rios”), ou desenvolve musicalmente, como
que sem discurso, um tema tradicional (“voltas ao mote Saudade minha”), ou
discorre de modo reflexivo (“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”), fazem
de Camões, pela diversidade do registo, pelo poder de síntese, pela fluência, pela
adequação exata a um sentir que se está pensando ou a um pensar que se está
sentindo — o maior poeta português antes de Fernando Pessoa. […]

Óscar Lopes e António José saraiva, História da Literatura


Portuguesa, Porto,Porto Editora, 17ª edição, 2002, pp. 320-322.

1. Atribui o valor de verdadeiro (V) ou falso (F) às seguintes afirmações:

a) Camões cultivou quer a escola tradicional, quer a poesia renascentista.

b) As composições poéticas em redondilha maior e menor eram típicas do


Renascimento.

c) Os vilancetes, as cantigas e os sonetos pertenciam à tradição peninsular.

d) Luís de Camões tornou-se admirável na redondilha e no soneto.

e) Camões cultivou, ainda, o verso alexandrino.

f) O Amor é o único tema da sua lírica.

g) A poesia de Camões limitou-se ao género lírico.


h) Os autores usam os parênteses para exemplificar as afirmações apresentadas.

i) Camões é considerado o maior poeta português de sempre.

2. Lê o seguinte registo crítico produzido a propósito de um romance:

Natália no seu labirinto

O primeiro registo deste diário data de 3 de novembro de 2000 e prolonga-se até dia 16
do mesmo mês, uma fase de menos de 15 dias, em que a vida da autora se transforma
profundamente. É que os pais de Natália foram assassinados na Argélia, no Natal de 1973, e
ela foi criada pelos avós maternos em Lisboa. Após a morte destes, começa a questionar as
suas origens, tentando responder a perguntas sempre silenciadas. É esta fase que sabemos da
sua relação com Paulo e com o primo deste, Jorge. E é também aqui que começamos a
percecionar um travo de intriga, de pseudo-verdades que se entrecruzam por todo o retorcido
enredo, atingindo um dos picos no seu relacionamento com Fátima, a esposa de Paulo,
portanto o ex-marido de Natália. Este “triângulo-quadrado” amoroso é apenas um dos
retoques de contorcionismo narrativo, num relato que se vai adensando psicologicamente, até
que se perde num labirinto de emoções assombradas e nocivas. Este bloco é retratado num
conjunto de entradas do diário entre o fim de 2003 e o início de 2004, culminando depois com
dois registos finais em novembro de 2008. O pendor confessional, típico de escrita de um
diário é, no entanto, bastante credível, como se acompanhássemos de facto o modo como os
acontecimentos vão moldando a protagonista e o seu
crescimento. SUSANA NOGUEIRA

NATÁLIA
Helder Macedo
Editorial Presença
In Os meus livros, nº 74, Ano 7, abril 2009, p. 54

2.1. Identifica os complexos verbais presentes no texto e clarifica o seu valor.


Grupo III

Num texto bem estruturado, com um mínimo de cento e trinta e um máximo de cento e
sessenta palavras, desenvolve um dos temas abaixo propostos:

A- A música ocupa um papel determinante nas nossas vidas. Através dela podemos alegrar a
alma e apaziguar as perturbações da mente e do corpo. Assim, refere-te à importância da
música na tua vida.

B- A escola desempenha um papel fulcral na formação de cidadãos, visto que o que se


pretende não é unicamente a transmissão de saberes, mas também de valores cívicos e
humanos. Assim, reflete sobre o papel cívico da escola na formação dos cidadãos do futuro.

Interesses relacionados