Você está na página 1de 66
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – BAHIA (IFBA) CAMPUS PAULO AFONSO MÁQUINAS ELÉTRICAS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – BAHIA (IFBA) CAMPUS PAULO AFONSO

MÁQUINAS ELÉTRICAS

AULA 02: FUNDAMENTOS DE ELETROMAGNETISMO (PARTE 1)

PROFESSOR:

FELIPE GONÇALVES

PAULO AFONSO

2015

SUMÁRIO I. ELETROMAGNETISMO 1. Introdução 2. Propriedades magnéticas 3. Carga Elétrica 4. Campo Elétrico II.

SUMÁRIO

SUMÁRIO I. ELETROMAGNETISMO 1. Introdução 2. Propriedades magnéticas 3. Carga Elétrica 4. Campo Elétrico II. CAMPO

I. ELETROMAGNETISMO

1. Introdução

2. Propriedades magnéticas

3. Carga Elétrica

4. Campo Elétrico

II. CAMPO MAGNÉTICO E CORRENTE ELÉTRICA

1. A relação entre eletricidade e magnetismo

2. Campo magnético de um condutor retilíneo

3. Campo magnético de uma espira circular

4. Campo magnético de um solenoide

5. Campo magnético e matéria

6. Aplicações práticas do campo magnético

circular 4. Campo magnético de um solenoide 5. Campo magnético e matéria 6. Aplicações práticas do
circular 4. Campo magnético de um solenoide 5. Campo magnético e matéria 6. Aplicações práticas do
SUMÁRIO III. FORÇA MAGNÉTICA 1. Força magnética sobre cargas elétricas 2. Força magnética sobre condutor

SUMÁRIO

SUMÁRIO III. FORÇA MAGNÉTICA 1. Força magnética sobre cargas elétricas 2. Força magnética sobre condutor imerso

III. FORÇA MAGNÉTICA

1. Força magnética sobre cargas elétricas

2. Força magnética sobre condutor imerso em campo magnético

3. Força magnética entre condutores paralelos

4. Aplicações práticas da força magnética

imerso em campo magnético 3. Força magnética entre condutores paralelos 4. Aplicações práticas da força magnética
imerso em campo magnético 3. Força magnética entre condutores paralelos 4. Aplicações práticas da força magnética
SUMÁRIO IV. INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA 1. Fluxo magnético 2. Lei de Lenz 3. Lei de Faraday-Newmann

SUMÁRIO

SUMÁRIO IV. INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA 1. Fluxo magnético 2. Lei de Lenz 3. Lei de Faraday-Newmann 4.

IV. INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA

1. Fluxo magnético

2. Lei de Lenz

3. Lei de Faraday-Newmann

4. Condutor retilíneo em um campo magnético uniforme

5. Transformadores

6. Correntes de Foucault

Lei de Faraday-Newmann 4. Condutor retilíneo em um campo magnético uniforme 5. Transformadores 6. Correntes de
Lei de Faraday-Newmann 4. Condutor retilíneo em um campo magnético uniforme 5. Transformadores 6. Correntes de
OBJETIVOS • São objetivos desta aula possibilitar ao aluno: Conhecer a história do magnetismo, as

OBJETIVOS

OBJETIVOS • São objetivos desta aula possibilitar ao aluno: Conhecer a história do magnetismo, as principais

• São objetivos desta aula possibilitar ao aluno:

Conhecer a história do magnetismo, as principais propriedades dos materiais magnéticos Compreender a relação entre eletricidade e magnetismo Compreender a origem da força magnética Entender o papel do campo magnético nos equipamentos elétricos Compreender o princípio da indução eletromagnética.

o papel do campo magnético nos equipamentos elétricos Compreender o princípio da indução eletromagnética.
o papel do campo magnético nos equipamentos elétricos Compreender o princípio da indução eletromagnética.
HISTÓRIA DA ELETRICIDADE DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .

HISTÓRIA DA ELETRICIDADE

HISTÓRIA DA ELETRICIDADE DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .
DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .
DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS
.
HISTÓRIA DA ELETRICIDADE DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .
HISTÓRIA DA ELETRICIDADE DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .

HISTÓRIA DA ELETRICIDADE

HISTÓRIA DA ELETRICIDADE DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .
DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .
DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS
.
HISTÓRIA DA ELETRICIDADE DESCOBERTAS FUNDAMENTAIS • .
I. ELETROMAGNETISMO

I. ELETROMAGNETISMO

I. ELETROMAGNETISMO
I. ELETROMAGNETISMO
ELETROMAGNETISMO • Antigamente, a Eletricidade e o Magnetismo eram tratados de maneira separada, pois não

ELETROMAGNETISMO

ELETROMAGNETISMO • Antigamente, a Eletricidade e o Magnetismo eram tratados de maneira separada, pois não havia

• Antigamente, a Eletricidade e o Magnetismo eram tratados de maneira separada, pois não havia se estabelecido relação entre essas duas áreas de conhecimento.

• As primeiras descobertas referentes a Eletricidade e aos fenômenos elétricos foram feitas na Grécia Antiga, seis séculos antes de Cristo. Os antigos gregos observaram que ao atritar o âmbar (resina vegetal endurecida) com outras substâncias como o pelo animal, manifestava-se entre esses corpos forças de atração e repulsão.

com outras substâncias como o pelo animal, manifestava-se entre esses corpos forças de atração e repulsão.
com outras substâncias como o pelo animal, manifestava-se entre esses corpos forças de atração e repulsão.
com outras substâncias como o pelo animal, manifestava-se entre esses corpos forças de atração e repulsão.
ELETROMAGNETISMO • Durante dois milênios não se encontrou explicação razoável para esse fenômeno de atração

ELETROMAGNETISMO

ELETROMAGNETISMO • Durante dois milênios não se encontrou explicação razoável para esse fenômeno de atração

• Durante dois milênios não se encontrou explicação razoável para esse fenômeno de atração entre o âmbar e pequenos pedaços de palha, sendo visto apenas como algo mágico.

• Outro fenômeno de atração entre corpos, que também não se explicava, ocorria com a magnetita, mineral com capacidade de atrair metais.

• Somente no século XVI o médico William Gilbert, por meio de pesquisas sistemáticas, concluiu que além do âmbar, outras substâncias apresentavam o mesmo comportamento, utilizando um instrumento criado por ele, denominado de versorium (uma espécie de bússola com uma agulha que podia girar livremente), para provar esse fenômeno.

de versorium (uma espécie de bússola com uma agulha que podia girar livremente), para provar esse
de versorium (uma espécie de bússola com uma agulha que podia girar livremente), para provar esse
ELETROMAGNETISMO • O Magnetismo é o ramo da Física que estuda a origem e as

ELETROMAGNETISMO

ELETROMAGNETISMO • O Magnetismo é o ramo da Física que estuda a origem e as manifestações

• O Magnetismo é o ramo da Física que estuda a origem e as manifestações de certos tipos de materiais chamados de magnéticos, que possuem a propriedade de atrair ou repelir outros.

• As informações históricas sobre o magnetismo indicam que os primeiros imãs foram encontrados na Ásia, em um distrito da Grécia Antiga chamado Magnésia. Daí o termo “magnetismo”. Sabe-se hoje que esses ímãs naturais são constituídos por um minério chamado magnetita.

No início do século XIX, constatou-se que os fenômenos magnéticos são causados por cargas elétricas em movimento, e com isso surgiu mais uma área de estudo da Física, denominada de Eletromagnetismo.

por cargas elétricas em movimento, e com isso surgiu mais uma área de estudo da Física,
por cargas elétricas em movimento, e com isso surgiu mais uma área de estudo da Física,
ELETROMAGNETISMO • Até esta época, os materiais magnéticos com propriedades de atrair e repelir outros

ELETROMAGNETISMO

ELETROMAGNETISMO • Até esta época, os materiais magnéticos com propriedades de atrair e repelir outros corpos

• Até esta época, os materiais magnéticos com propriedades de atrair e repelir outros corpos eram utilizados em apresentações de mágica ou místicas.

• Atualmente os ímãs utilizados em toda a indústria são fabricados artificialmente e possuem aplicações muito importantes para a ciência e a tecnologia.

toda a indústria são fabricados artificialmente e possuem aplicações muito importantes para a ciência e a
toda a indústria são fabricados artificialmente e possuem aplicações muito importantes para a ciência e a
ELETROMAGNETISMO • Veremos que os fenômenos elétricos e magnéticos têm a mesma origem, isto é,

ELETROMAGNETISMO

ELETROMAGNETISMO • Veremos que os fenômenos elétricos e magnéticos têm a mesma origem, isto é, estão

• Veremos que os fenômenos elétricos e magnéticos têm a mesma origem, isto é, estão ligados ao movimento dos elétrons.

• Os experimentos de Oersted, divulgados em 1820, causaram grandes mudanças em alguns conceitos da física, pois anteriormente a eletricidade e o magnetismo não eram vistos como aspectos de um mesmo fenômeno.

da física, pois anteriormente a eletricidade e o magnetismo não eram vistos como aspectos de um
da física, pois anteriormente a eletricidade e o magnetismo não eram vistos como aspectos de um
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS • No século XIII, o monge francês Petrus Peregrinus fez importantes observações sobre

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS • No século XIII, o monge francês Petrus Peregrinus fez importantes observações sobre os

• No século XIII, o monge francês Petrus Peregrinus fez importantes observações sobre os fenômenos magnéticos.

Ao aproximar materiais metálicos a um imã, eles são fortemente atraídos para as extremidades deste imã.

As extremidades (polos do imã), apresentam características contrárias, pois aproximando dois imãs distintos percebe-se ora uma manifestação de força de atração, ora uma força de repulsão.

Ainda que um mesmo imã seja dividido várias vezes, não é possível separar essas extremidades.

de repulsão. • Ainda que um mesmo imã seja dividido várias vezes, não é possível separar
de repulsão. • Ainda que um mesmo imã seja dividido várias vezes, não é possível separar
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS • As descobertas do século XIII foram documentadas e posteriormente observadas no século

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS • As descobertas do século XIII foram documentadas e posteriormente observadas no século XVI

• As descobertas do século XIII foram documentadas e posteriormente observadas no século XVI pelo médico inglês William Gilbert, que apresentou as seguintes contribuições:

Descobriu que a temperatura influencia a magnetização dos imãs.

Comprovou cientificamente, no livro De magnete, que a Terra se comporta como um gigantesco imã.

Possibilitou com esta descoberta a explicação de um fato observado pelos chineses, no século I a.C., de que um imã em forma de barra, suspenso pelo centro e livre de giro sempre se orientava na direção norte-sul da Terra.

que um imã em forma de barra, suspenso pelo centro e livre de giro sempre se
que um imã em forma de barra, suspenso pelo centro e livre de giro sempre se
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS
PROPRIEDADES MAGNÉTICAS • Propriedades magnéticas: • Todos os imãs possuem capacidade de atrair o ferro.

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS

PROPRIEDADES MAGNÉTICAS • Propriedades magnéticas: • Todos os imãs possuem capacidade de atrair o ferro. •

• Propriedades magnéticas:

Todos os imãs possuem capacidade de atrair o ferro.

Polos opostos se atraem. Polos iguais se repelem.

Os polos de um imã são inseparáveis.

Altas temperaturas podem anular o magnetismo.

Todos os imãs, quando suspensos e livres para giro, orientam-se na direção norte-sul da Terra.

o magnetismo. • Todos os imãs, quando suspensos e livres para giro, orientam-se na direção norte-sul
o magnetismo. • Todos os imãs, quando suspensos e livres para giro, orientam-se na direção norte-sul
CARGA ELÉTRICA • Como vimos anteriormente, as primeiras descobertas referentes a fenômenos elétricos são atribuídas

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • Como vimos anteriormente, as primeiras descobertas referentes a fenômenos elétricos são atribuídas

• Como vimos anteriormente, as primeiras descobertas referentes a fenômenos elétricos são atribuídas aos antigos gregos.

• O filósofo Tales de Mileto observou que um pedaço de âmbar, depois de atritato com pele de carneiro, adquiria a propriedade de atrais corpos leves, como palhas e pequenas sementes secas.

• William Gilbert também estudou fenômenos de atração entre corpos diferentes do âmbar e como a palavra grega correspondente a âmbar é elektron, ele passou a usar o termo “eletrizado” para denominar situações nas quais os corpos eram atraídos depois de atritados.

passou a usar o termo “eletrizado” para denominar situações nas quais os corpos eram atraídos depois
passou a usar o termo “eletrizado” para denominar situações nas quais os corpos eram atraídos depois
CARGA ELÉTRICA • Em 1731, contribuindo para provar e explicar porque a Terra funcionava como

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • Em 1731, contribuindo para provar e explicar porque a Terra funcionava como um

• Em 1731, contribuindo para provar e explicar porque a Terra funcionava como um grande imã, o cientista Stephen Gray sugeria a existência de fluidos elétricos que daria à matéria suas características elétricas.

• Alguns anos mais tarde, o norte-americano Benjamin Franklin reformulou a teoria dos fluidos prevendo a existência de somente um tipo de fluido que poderia causar dois efeitos.

• Para ele, a eletrização de um corpo ocorria pela falta ou excesso desse fluido. O excesso desse fluido daria ao corpo a propriedade chamada de eletricidade positiva (+) e, analogamente, a falta do fluido elétrico causaria a propriedade denominada eletricidade negativa (-).

positiva (+) e, analogamente, a falta do fluido elétrico causaria a propriedade denominada eletricidade negativa (-).
positiva (+) e, analogamente, a falta do fluido elétrico causaria a propriedade denominada eletricidade negativa (-).
CARGA ELÉTRICA • No século XVII já se tinha a noção de que a força

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • No século XVII já se tinha a noção de que a força que

• No século XVII já se tinha a noção de que a força que atrai ou repele as cargas elétricas sofre variação quando estas se aproximam ou se afastam. Porém, a determinação numérica ou quantitativa desta relação entre a variação da distância e da força ainda não era conhecida.

• O francês Charles Augustin Coulomb desenvolveu a teoria para as cargas elétricas e conseguiu elaborar, em 1785, o enunciado da lei que hoje é assim escrita:

A força entre duas cargas é diretamente proporcional à carga existente em cada uma delas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa.

proporcional à carga existente em cada uma delas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que
proporcional à carga existente em cada uma delas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que
CARGA ELÉTRICA • Sabe-se que os corpos são constituídos de átomos e que estes possuem

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • Sabe-se que os corpos são constituídos de átomos e que estes possuem partículas

• Sabe-se que os corpos são constituídos de átomos e que estes possuem partículas subatômicas, conhecidas como Elétrons, Prótons e Nêutrons.

• De acordo com o modelo atômico de Bohr, Prótons e Nêutrons são encontrados no núcleo de um átomo, enquanto os Elétrons giram em torno do núcleo em trajetórias de camadasou órbitas.

no núcleo de um átomo, enquanto os Elétrons giram em torno do núcleo em trajetórias de
no núcleo de um átomo, enquanto os Elétrons giram em torno do núcleo em trajetórias de
CARGA ELÉTRICA MODELO ATÔMICO DE BOHR

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA MODELO ATÔMICO DE BOHR
MODELO ATÔMICO DE BOHR
MODELO ATÔMICO DE BOHR
CARGA ELÉTRICA MODELO ATÔMICO DE BOHR
CARGA ELÉTRICA MODELO ATÔMICO DE BOHR
CARGA ELÉTRICA • Por meio de experiências constatou-se que prótons e elétrons têm comportamentos elétricos

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • Por meio de experiências constatou-se que prótons e elétrons têm comportamentos elétricos

• Por meio de experiências constatou-se que prótons e elétrons têm comportamentos elétricos opostos, ou seja, prótons se repelem e o mesmo acontece entre os elétrons. Já entre um próton e um elétron há atração.

• Para explicar essas ocorrências estabeleceu-se que prótons e elétrons possuem uma propriedade física à qual se deu o nome de carga elétrica e convencionou-se que há duas espécies de cargas elétricas:

Carga positiva (propriedade carregada pelos prótons)

Carga negativa (propriedade carregada pelos elétrons).

• Os nêutrons não apresentam essa propriedade física, ou seja, os nêutrons não têm carga elétrica.

elétrons). • Os nêutrons não apresentam essa propriedade física, ou seja, os nêutrons não têm carga
elétrons). • Os nêutrons não apresentam essa propriedade física, ou seja, os nêutrons não têm carga
CARGA ELÉTRICA prótons: carga elétrica positiva elétronse o s: carcargaa elétricae r ca nenegaativava nêutrons:

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA prótons: carga elétrica positiva elétronse o s: carcargaa elétricae r ca nenegaativava nêutrons:
prótons: carga elétrica positiva elétronse o s: carcargaa elétricae r ca nenegaativava nêutrons: não possuem
prótons: carga elétrica positiva
elétronse
o s: carcargaa elétricae
r
ca nenegaativava
nêutrons: não possuem carga elétrica
elétrica positiva elétronse o s: carcargaa elétricae r ca nenegaativava nêutrons: não possuem carga elétrica
elétrica positiva elétronse o s: carcargaa elétricae r ca nenegaativava nêutrons: não possuem carga elétrica
CARGA ELÉTRICA • Princípios da eletrostática: • Princípio da atração e da repulsão – Cargas

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • Princípios da eletrostática: • Princípio da atração e da repulsão – Cargas de

• Princípios da eletrostática:

Princípio da atração e da repulsão – Cargas de natureza elétrica oposta (sinais opostos) se atraem, enquanto cargas de mesma natureza elétrica (mesmo sinal) se repelem.

Princípio da conservação das cargas elétricas – Se um sistema elétrico não trocar cargas elétricas com um meio exterior, a soma algébrica das car- gas posi vas e nega vas desse meio elétrico é sempre constante.

com um meio exterior, a soma algébrica das car- gas posi vas e nega vas desse
com um meio exterior, a soma algébrica das car- gas posi vas e nega vas desse
CARGA ELÉTRICA PRÓTON ELÉTRON +e -e

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA PRÓTON ELÉTRON +e -e

PRÓTON

ELÉTRON

CARGA ELÉTRICA PRÓTON ELÉTRON +e -e

+e

-e

CARGA ELÉTRICA PRÓTON ELÉTRON +e -e
CARGA ELÉTRICA PRÓTON ELÉTRON +e -e
CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica (Q) de um corpo é um múltiplo inteiro da

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica (Q) de um corpo é um múltiplo inteiro da carga

• A carga elétrica (Q) de um corpo é um múltiplo inteiro da carga de um elétron.

CARGA

Q = N.e

CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica (Q) de um corpo é um múltiplo inteiro da carga
CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica (Q) de um corpo é um múltiplo inteiro da carga
CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica fundamental (e) é indivisível, ou seja, não existe meia

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica fundamental (e) é indivisível, ou seja, não existe meia carga

• A carga elétrica fundamental (e) é indivisível, ou seja, não existe meia carga elétrica.

CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica fundamental (e) é indivisível, ou seja, não existe meia carga
CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica fundamental (e) é indivisível, ou seja, não existe meia carga
CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica fundamental (e) é indivisível, ou seja, não existe meia carga
CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica é a diferença de prótons e elétrons em um

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • A carga elétrica é a diferença de prótons e elétrons em um determinado

• A carga elétrica é a diferença de prótons e elétrons em um determinado corpo.

A carga elétrica é a diferença de prótons e elétrons em um determinado corpo. Prótons Elétrons

Prótons Elétrons Carga elétrica

A carga elétrica é a diferença de prótons e elétrons em um determinado corpo. Prótons Elétrons
A carga elétrica é a diferença de prótons e elétrons em um determinado corpo. Prótons Elétrons
CARGA ELÉTRICA • O símbolo que representa a quantidade de carga elétrica de um corpo

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA • O símbolo que representa a quantidade de carga elétrica de um corpo é

• O símbolo que representa a quantidade de carga elétrica de um corpo é o Q.

• A unidade de carga elétrica no Sistema Internacional é o coulomb, em homenagem a Charles Augustin Coulomb, e é representada pela letra C.

Charles Augustin Coulomb, e é representada pela letra C . • 1 Coulomb equivale a 6,24x10

• 1 Coulomb equivale a 6,24x10 18 elétrons, ou seja:

1C = 6,24x10 18 e

e é representada pela letra C . • 1 Coulomb equivale a 6,24x10 1 8 elétrons,
e é representada pela letra C . • 1 Coulomb equivale a 6,24x10 1 8 elétrons,
CARGA ELÉTRICA 1C = 6,24x10 1 8 e

CARGA ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA 1C = 6,24x10 1 8 e
CARGA ELÉTRICA 1C = 6,24x10 1 8 e
CARGA ELÉTRICA 1C = 6,24x10 1 8 e

1C = 6,24x10 18 e

CARGA ELÉTRICA 1C = 6,24x10 1 8 e
CARGA ELÉTRICA 1C = 6,24x10 1 8 e
CAMPO ELÉTRICO • Discu do o conceito de carga elétrica, para compreender o que é

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO • Discu do o conceito de carga elétrica, para compreender o que é campo

• Discu do o conceito de carga elétrica, para compreender o que é campo elétrico, vamos imaginar a seguinte situação:

Uma carga Q está fixa em determinada posição e sucessivamente tentamos aproximar em diferentes pontos uma carga q. Nessas tenta vas, observamos que há uma força atuando em q, exercida por Q.

• Podemos admitir, então, que uma carga elétrica puntiforme altera a região que a envolve, fazendo com que, ao aproximarmos outra carga elétrica em um ponto dessa região, colocada a uma distância d da primeira carga, manifesta-se uma força de natureza elétrica.

em um ponto dessa região, colocada a uma distância d da primeira carga, manifesta-se uma força
em um ponto dessa região, colocada a uma distância d da primeira carga, manifesta-se uma força
CAMPO ELÉTRICO • De acordo com os princípios básicos da eletrostática podemos notar que entre

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO • De acordo com os princípios básicos da eletrostática podemos notar que entre as

• De acordo com os princípios básicos da eletrostática podemos notar que entre as duas cargas puntiformes existe uma força de atração ou de repulsão, que depende dos sinais das cargas.

• Charles Coulomb, u lizando um disposi vo chamado balança de torção, realizou experimentos que comprovaram que essa força é inversamente proporcional à distância e diretamente proporcional ao produto do valor de suas cargas.

• Além disso, constatou que o meio em que os experimentos são realizados influencia o valor do resultado. Essas observações ficaram conhecidas como Lei de Coulomb.

experimentos são realizados influencia o valor do resultado. Essas observações ficaram conhecidas como Lei de Coulomb.
experimentos são realizados influencia o valor do resultado. Essas observações ficaram conhecidas como Lei de Coulomb.
CAMPO ELÉTRICO • A expressão que representa a Lei de Coulomb é: Onde,

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO • A expressão que representa a Lei de Coulomb é: Onde,

• A expressão que representa a Lei de Coulomb é:

CAMPO ELÉTRICO • A expressão que representa a Lei de Coulomb é: Onde,

Onde,

CAMPO ELÉTRICO • A expressão que representa a Lei de Coulomb é: Onde,
CAMPO ELÉTRICO • A expressão que representa a Lei de Coulomb é: Onde,
CAMPO ELÉTRICO • A expressão que representa a Lei de Coulomb é: Onde,
CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO
CAMPO ELÉTRICO • Chamamos de campo elétrico a propriedade do espaço que envolve uma carga

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO • Chamamos de campo elétrico a propriedade do espaço que envolve uma carga elétrica

• Chamamos de campo elétrico a propriedade do espaço que envolve uma carga elétrica que se manifesta na forma de uma força elétrica que atua em cargas elétricas posicionadas nesse espaço.

• Ao redor de qualquer distribuição de cargas existe um campo elétrico, e para cada ponto situado neste campo temos um vetor campo elétrico correspondente, com módulo e direção definidos.

e para cada ponto situado neste campo temos um vetor campo elétrico correspondente, com módulo e
e para cada ponto situado neste campo temos um vetor campo elétrico correspondente, com módulo e
CAMPO ELÉTRICO • Para discutir as características do vetor campo elétrico, podemos considerar o campo

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO • Para discutir as características do vetor campo elétrico, podemos considerar o campo elétrico

• Para discutir as características do vetor campo elétrico, podemos considerar o campo elétrico de uma carga Q de tamanho desprezível, positiva, por exemplo, fixa em um ponto A, e uma carga de prova q1, também positiva, sobre o ponto B.

• Como vimos, a carga de prova fica sujeita a uma força elétrica F 1 . Ao trocarmos a carga q1 por outras cargas puntiformes, q2,

q3,

forças elétricas dadas por F 2 , F 3 ,

mesma direção e seu sentido depende do sinal da carga em que essa força atua.

, qn, no mesmo ponto B, elas serão submetidas a outras

, F n . Essas forças possuem a

A propriedade fundamental do campo elétrico é que, para um mesmo ponto, a razão entre a intensidade das forças elétricas e as respectivas cargas de prova é constante.

para um mesmo ponto, a razão entre a intensidade das forças elétricas e as respectivas cargas
para um mesmo ponto, a razão entre a intensidade das forças elétricas e as respectivas cargas
CAMPO ELÉTRICO • Isso quer dizer que ao redor de uma carga elétrica ocorrem interações

CAMPO ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO • Isso quer dizer que ao redor de uma carga elétrica ocorrem interações elétricas,

• Isso quer dizer que ao redor de uma carga elétrica ocorrem interações elétricas, com a força F.

• Essa região do espaço ao redor da carga elétrica é denominada campo elétrico, dada pela expressão:

a força F. • Essa região do espaço ao redor da carga elétrica é denominada campo
a força F. • Essa região do espaço ao redor da carga elétrica é denominada campo
a força F. • Essa região do espaço ao redor da carga elétrica é denominada campo
a força F. • Essa região do espaço ao redor da carga elétrica é denominada campo
CORRENTE ELÉTRICA • Analisando a figura abaixo podemos notar que elétrons livres estão em movimento

CORRENTE ELÉTRICA

CORRENTE ELÉTRICA • Analisando a figura abaixo podemos notar que elétrons livres estão em movimento desordenado,

• Analisando a figura abaixo podemos notar que elétrons livres estão em movimento desordenado, não produzindo efeito externo algum. Esse condutor está em equilíbrio eletrostático, apresentando as seguintes características:

O campo elétrico resultante em seus pontos internos é nulo.

O potencial elétrico em todos seus pontos internos e superficiais é constante.

Os elétrons livres distribuem-se em sua superfície externa.

todos seus pontos internos e superficiais é constante. • Os elétrons livres distribuem-se em sua superfície
todos seus pontos internos e superficiais é constante. • Os elétrons livres distribuem-se em sua superfície
todos seus pontos internos e superficiais é constante. • Os elétrons livres distribuem-se em sua superfície
CORRENTE ELÉTRICA • Ligando-se as extremidades do condutor a uma bateria, passa a existir um

CORRENTE ELÉTRICA

CORRENTE ELÉTRICA • Ligando-se as extremidades do condutor a uma bateria, passa a existir um campo

• Ligando-se as extremidades do condutor a uma bateria, passa a existir um campo elétrico.

• Com o surgimento deste campo, os elétrons livres ficam submetidos a uma força elétrica, fazendo com que eles se movam ordenadamente.

• Esse movimento ordenado é denominado corrente elétrica.

elétrica, fazendo com que eles se movam ordenadamente. • Esse movimento ordenado é denominado corrente elétrica.
elétrica, fazendo com que eles se movam ordenadamente. • Esse movimento ordenado é denominado corrente elétrica.
CORRENTE ELÉTRICA

CORRENTE ELÉTRICA

CORRENTE ELÉTRICA
CORRENTE ELÉTRICA
CORRENTE ELÉTRICA
CORRENTE ELÉTRICA
CORRENTE ELÉTRICA • Por motivos históricos, o sentido da corrente elétrica é contrário ao movimento

CORRENTE ELÉTRICA

CORRENTE ELÉTRICA • Por motivos históricos, o sentido da corrente elétrica é contrário ao movimento das

• Por motivos históricos, o sentido da corrente elétrica é contrário ao movimento das cargas elétricas negativas (elétrons).

• Como mostrado na ilustração anterior, as cargas elétricas negativas se movimentam para o polo positivo da bateria, saindo do polo onde há excesso de elétrons para o polo onde há falta de elétrons.

• Porém, antes de se saber isso convencionou-se que as cargas se deslocavam do polo positivo para o polo negativo. Portanto, devemos saber que o sentido convencional da corrente elétrica é oposto ao sentido real de deslocamento dos elétrons.

devemos saber que o sentido convencional da corrente elétrica é oposto ao sentido real de deslocamento
devemos saber que o sentido convencional da corrente elétrica é oposto ao sentido real de deslocamento
CAMPO MAGNÉTICO • Para desenvolver o conceito de campo magnético podemos aproveitar algumas ideias abordadas

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • Para desenvolver o conceito de campo magnético podemos aproveitar algumas ideias abordadas no

• Para desenvolver o conceito de campo magnético podemos aproveitar algumas ideias abordadas no desenvolvimento do conceito de campo elétrico. Naquele caso, há no espaço ao redor do corpo eletrizado um campo elétrico, que pode ser comprovado pela força elétrica que age numa pequena carga de prova colocada nesse espaço.

• Analogamente, dizemos que há no espaço ao redor de um ímã um campo magnético que pode ser comprovado pela alteração da posição de agulhas magnéticas colocadas em diversos pontos desse espaço.

• As agulhas se orientam em em direções específicas e indicam que sobre elas age algum tipo de força.

desse espaço. • As agulhas se orientam em em direções específicas e indicam que sobre elas
desse espaço. • As agulhas se orientam em em direções específicas e indicam que sobre elas
CAMPO MAGNÉTICO • O agente físico fonte do campo magnético também é a carga elétrica.

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • O agente físico fonte do campo magnético também é a carga elétrica. Porém,

• O agente físico fonte do campo magnético também é a carga elétrica. Porém, neste caso, é preciso que ela esteja em movimento.

• Isso significa que partículas carregadas, em movimento, além de serem fonte de campo elétrico, também são fonte de campo magnético.

• O campo magnético sempre está associado ao movimento de cargas elétricas. No caso dos ímãs, o campo magnético pode ser explicado principalmente por dois movimentos dos elétrons: um análogo ao de “rotação” dos elétrons (spin) e outro relacionado ao movimento dos elétrons em torno do núcleo atômico.

ao de “rotação” dos elétrons ( spin ) e outro relacionado ao movimento dos elétrons em
ao de “rotação” dos elétrons ( spin ) e outro relacionado ao movimento dos elétrons em
CAMPO MAGNÉTICO • Dos conceitos básicos de eletrostática sabemos que uma carga imóvel no espaço

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • Dos conceitos básicos de eletrostática sabemos que uma carga imóvel no espaço origina

• Dos conceitos básicos de eletrostática sabemos que uma carga imóvel no espaço origina ao seu redor um campo elétrico. Quando essa carga elétrica passa a se mover, surge ao seu redor uma região com propriedades magnéticas, o campo magnético.

• A explicação para o campo magnético dos ímãs também é atribuída ao movimento dos elétrons ao redor do núcleo dos átomos, formando o dipolo magnético.

dos ímãs também é atribuída ao movimento dos elétrons ao redor do núcleo dos átomos, formando
CAMPO MAGNÉTICO • A matéria formada por inúmeros conjuntos de dipolos magnéticos é denominada domínios

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • A matéria formada por inúmeros conjuntos de dipolos magnéticos é denominada domínios

• A matéria formada por inúmeros conjuntos de dipolos magnéticos é denominada domínios magnéticos, que funcionam como minúsculos ímãs.

• Em um material qualquer, os domínios magnéticos estão desorientados, não havendo, por isso, um campo magnético resultante, ou mais corretamente, o campo magnético resultante é nulo neste caso.

No caso dos ímãs, todos os domínios magnéticos estão orientados na mesma direção.

é nulo neste caso. • No caso dos ímãs, todos os domínios magnéticos estão orientados na
é nulo neste caso. • No caso dos ímãs, todos os domínios magnéticos estão orientados na
CAMPO MAGNÉTICO Aspecto dos dipolos na maioria dos materiais. Alinhamento dos domínios magnéticos em um

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO Aspecto dos dipolos na maioria dos materiais. Alinhamento dos domínios magnéticos em um ímã.
CAMPO MAGNÉTICO Aspecto dos dipolos na maioria dos materiais. Alinhamento dos domínios magnéticos em um ímã.
CAMPO MAGNÉTICO Aspecto dos dipolos na maioria dos materiais. Alinhamento dos domínios magnéticos em um ímã.

Aspecto dos dipolos na maioria dos materiais.

Alinhamento dos domínios magnéticos em um ímã.

CAMPO MAGNÉTICO Aspecto dos dipolos na maioria dos materiais. Alinhamento dos domínios magnéticos em um ímã.
CAMPO MAGNÉTICO Aspecto dos dipolos na maioria dos materiais. Alinhamento dos domínios magnéticos em um ímã.
CAMPO MAGNÉTICO • Cada ponto de um campo magnético é caracterizado   r pelo vetor

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • Cada ponto de um campo magnético é caracterizado   r pelo vetor campo

• Cada ponto de um campo magnético é caracterizado

 

r

pelo vetor campo magnético

B

, tendo módulo,

direção e sentidos específicos.

 

r

• Para se determinar a direção do vetor

B

em um ponto

do campo magnético deve-se colocar nesse ponto uma agulha magnética que definirá a direção quando ele estiver em equilíbrio.

• O sentido do vetor campo magnético será indicado pelo polo norte da agulha magnética, isso porque as agulhas tendem a se manter alinhadas com o campo magnético da região em que estão.

da agulha magnética, isso porque as agulhas tendem a se manter alinhadas com o campo magnético
da agulha magnética, isso porque as agulhas tendem a se manter alinhadas com o campo magnético
CAMPO MAGNÉTICO • A intensidade do vetor campo magnético depende da fonte, mas no Sistema

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • A intensidade do vetor campo magnético depende da fonte, mas no Sistema Internacional

• A intensidade do vetor campo magnético depende da fonte, mas no Sistema Internacional de Unidades (SI) a unidade de medida é o tesla, representado pelo símbolo T, nome dado em homenagem a Nicola Tesla.

de Unidades (SI) a unidade de medida é o tesla , representado pelo símbolo T, nome
de Unidades (SI) a unidade de medida é o tesla , representado pelo símbolo T, nome
de Unidades (SI) a unidade de medida é o tesla , representado pelo símbolo T, nome
CAMPO MAGNÉTICO • Para o campo magnético também podemos traçar as linhas de campo, isto

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • Para o campo magnético também podemos traçar as linhas de campo, isto é,

• Para o campo magnético também podemos traçar as

linhas de campo, isto é, linhas que tangenciam o

 

r

vetor

B

em cada ponto deste campo. A orientação

dessas linhas segue a do vetor campo magnético.

• As linhas que indicam o campo magnético são chamadas de linhas de indução e convenciona-se que elas saem do polo norte e chegam no polo sul.

• O campo magnético de um ímã em forma de barra está representado a seguir.

saem do polo norte e chegam no polo sul. • O campo magnético de um ímã
saem do polo norte e chegam no polo sul. • O campo magnético de um ímã
CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO • Espalhando-se limalhas de ferro sobre uma folha de papel ou uma superfície

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • Espalhando-se limalhas de ferro sobre uma folha de papel ou uma superfície de

• Espalhando-se limalhas de ferro sobre uma folha de papel ou uma superfície de vidro e posicionando-se um ímã em forma de barra logo abaixo de uma dessas superfícies é possível visualizar o campo magnético (linhas de indução) desse imã.

• Um efeito visual semelhante pode ser obtido usando-se uma série de agulhas imantadas.

de indução) desse imã. • Um efeito visual semelhante pode ser obtido usando-se uma série de
de indução) desse imã. • Um efeito visual semelhante pode ser obtido usando-se uma série de
de indução) desse imã. • Um efeito visual semelhante pode ser obtido usando-se uma série de
de indução) desse imã. • Um efeito visual semelhante pode ser obtido usando-se uma série de
CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO
CAMPO MAGNÉTICO • Além do ímã em formato de barra existem outros modelos de ímãs.

CAMPO MAGNÉTICO

CAMPO MAGNÉTICO • Além do ímã em formato de barra existem outros modelos de ímãs. Um

• Além do ímã em formato de barra existem outros modelos de ímãs. Um deles é o ímã em forma de ferradura, no qual o campo magnético é uniforme em todos os pontos de uma região determinada, conforme apresentado na figura a seguir:

o campo magnético é uniforme em todos os pontos de uma região determinada, conforme apresentado na
o campo magnético é uniforme em todos os pontos de uma região determinada, conforme apresentado na
o campo magnético é uniforme em todos os pontos de uma região determinada, conforme apresentado na
EXERCÍCIOS

EXERCÍCIOS

EXERCÍCIOS
EXERCÍCIOS
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Assinale a opção correta: a)Todo ímã é formado por cargas positivas e

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Assinale a opção correta: a)Todo ímã é formado por cargas positivas e negativas,

Assinale a opção correta:

a)Todo ímã é formado por cargas positivas e negativas, de tal forma que as negativas são chamadas de polo sul e as positivas de polo norte.

b)O polo sul da agulha de uma bússola aponta para o sul magnético da Terra.

c)Caso um ímã seja cortado ao meio, obteremos monopolos magnéticos, ou melhor, o polo norte fica separado do polo sul.

d)Se cortarmos um ímã ao meio, cada metade passa a ser um novo ímã, com polo norte e polo sul.

separado do polo sul. d)Se cortarmos um ímã ao meio, cada metade passa a ser um
separado do polo sul. d)Se cortarmos um ímã ao meio, cada metade passa a ser um
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Assinale a opção correta: a)Todo ímã é formado por cargas positivas e

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Assinale a opção correta: a)Todo ímã é formado por cargas positivas e negativas,

Assinale a opção correta:

a)Todo ímã é formado por cargas positivas e negativas, de tal forma que as negativas são chamadas de polo sul e as positivas de polo norte.

b)O polo sul da agulha de uma bússola aponta para o sul magnético da Terra.

c)Caso um ímã seja cortado ao meio, obteremos monopolos magnéticos, ou melhor, o polo norte fica separado do polo sul.

d)Se cortarmos um ímã ao meio, cada metade passa a ser um novo ímã, com polo norte e polo sul.

separado do polo sul. d)Se cortarmos um ímã ao meio, cada metade passa a ser um
separado do polo sul. d)Se cortarmos um ímã ao meio, cada metade passa a ser um
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Uma pequena bússola é colocada próxima de um ímã permanente. Em quais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Uma pequena bússola é colocada próxima de um ímã permanente. Em quais posições

Uma pequena bússola é colocada próxima de um ímã permanente. Em quais posições assinaladas na figura a extremidade norte da agulha apontará para o alto da página?

a)Somente A ou D.

b)Somente B ou C.

A

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A

S

A B

,

c) omente

d)Em A, B, C ou D.

ou

D

.

B

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A
N

N

S

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A

C

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A

D

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A
para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Uma pequena bússola é colocada próxima de um ímã permanente. Em quais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Uma pequena bússola é colocada próxima de um ímã permanente. Em quais posições

Uma pequena bússola é colocada próxima de um ímã permanente. Em quais posições assinaladas na figura a extremidade norte da agulha apontará para o alto da página?

a)Somente A ou D.

b)Somente B ou C.

A

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A

S

A B

,

c) omente

d)Em A, B, C ou D.

ou

D

.

B

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A
N

N

S

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A

C

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A

D

para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A
para o alto da página? a)Somente A ou D. b)Somente B ou C. A S A
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Dois cilindros magnéticos são colocados sob um pedaço de cartolina, conforme a

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Dois cilindros magnéticos são colocados sob um pedaço de cartolina, conforme a figura

Dois cilindros magnéticos são colocados sob um pedaço de cartolina, conforme a figura abaixo. O papel é coberto com limalha de ferro. Qual das figuras ilustra o resultado do padrão das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do outro e tocando o papel?

das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do

a)

b)

c)

d)

das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do
das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do
das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Dois cilindros magnéticos são colocados sob um pedaço de cartolina, conforme a

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Dois cilindros magnéticos são colocados sob um pedaço de cartolina, conforme a figura

Dois cilindros magnéticos são colocados sob um pedaço de cartolina, conforme a figura abaixo. O papel é coberto com limalha de ferro. Qual das figuras ilustra o resultado do padrão das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do outro e tocando o papel?

das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do

a)

b)

c)

d)

das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do
das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do
das linhas de força quando os dois polos Norte estão a uma pequena distância um do