Você está na página 1de 7

O PONTO DE MUTAÇÃO - THE TURNING POINT

“O PONTO DE MUTAÇÃO”
“The Turning Point”
Relatório sobre o filme “O Ponto de Mutação” – Janeiro de 2010.
Organizador: Áureo João de Sousa, 42 anos.

A trama do episódio do filme “O Ponto de Mutação”, lançado em 1992, com roteiro


cinematográfico baseado no livro The Turning Point, este lançado em 1982, de autoria
do austríaco Fritjof Capra, PhD em Física Quântica, Pesquisador em Teorias de
Sistemas Complexos e Ambientalista, notabilizado com as obras “O Tao da Física” –
(1975), “Teia da Vida” , “Conexões Ocultas” – 2002 (lançado no Brasil).

O filme percorre áreas temáticas de Filosofia, Política, Economia, Ciência-Tecnologia


tratando, em seu enfoque de abordagem, em questões da crise de sentidos da vida e da
sociedade; crise dos paradigmas (dos valores) reinantes do saber científico-tecnológico,
da filosofia, da ética, da política, da economia, no contexto da sociedade capitalista
ocidental, situados no período histórico a partir da teoria mecanicista defendida por
René Descartes e seguida por Isaac Newton e outros personagens de renomes
científicos, políticos, religiosos, bem como por pessoas da vida cotidiana.

Em negação à ordem estabelecida, sugere a criação de novos paradigmas a partir de


outras perspectivas holísticas, alicerçada em Ethos diferente da visão anterior.

Para fins didáticos, vamos analisar o filme sob um roteiro pedagógico composto de
questões selecionadas, a fim de facilitar o processo de leitura textual, temática e
analítica.

Tomemos, pois, os seguintes aspectos:

1.Em que cenário acontece a história do filme ? Neste item, observe as seguintes
informações:
1.1.O lugar onde acontece a história do filme;

1.2.O acontecimento principal da história, em torno do qual giram os demais fatos;


1.3.Os personagens principais da história;
1.4.Os papéis dos personagens importantes na história;
1.5.As relações de influências subjetivas e objetivas ou forças políticas (e/ou de poder
de decisão, poder de influência, poder de convencimento) entre os personagens;

2.Qual é a história do filme ? (a obra versa sobre o quê ?)

3.Qual é a mensagem do autor do filme ? (A idéia do autor)

4.Que aspectos do filme podem ser relacionados com a questão das diferentes formas de
conhecimentos e sua evolução, concepções de mundo, no contexto histórico tratado no
filme ?

5.Qual é a lição de vida que o filme tenta passar (...qual é a “moral” do filme), em se
tratando da construção de conhecimentos e visão do mundo ?

6.A partir das reflexões sobre a lição do filme, o que você propõe levar para sua
experiência de vida ? O que você aproveita das reflexões do filme no sentido de
enriquecer sua formação dentro do contexto em que se dá o seu processo de interação
com a evolução das formas de conhecimento e visão sobre o mundo?

7.Quais os pontos de reflexões individuais devem ser socializados em seu grupo de


estudo? E valorizados como lição de vida para o coletivo ?

8.Outras conclusões.

ANALISANDO O FILME : “O PONTO DE MUTAÇÃO”

1.Em que cenário acontece a história do filme ?


O episódio se desenvolve em um castelo medieval, uma fortaleza encravada no alto do
Mont Saint Michel, numa ilha, no vilarejo de La Mont Saint Michel, localizado no
litoral noroeste da França, perto do Canal da Mancha, fronteira com a Normandia e a
Bretanha.

O cenário é composto de elementos da significação do período histórico da Idade


Média, bem como elementos da significação do pensamento da Idade Moderna,
especialmente representativo do pensamento cartesiano.

Envolve atores socioculturais e econômicos de classe alta, experimentando uma crise de


sentidos no âmbito particular de suas vidas pessoais, profissionais e sociais, a partir de
onde estabelecem relações com a crise universal e vice-versa.

O acontecimento principal, em torno do qual giram os demais fatos, trata-se de uma


espécie de retiro para onde uma cientista, um poeta e um político escolheram para
descansar das pressões dos grandes centros urbanas e, nesse ambiente bucólico, abstrair-
se sobre o mundo acometido de uma crise de sentidos.

Nesse encontro não planejado para um debate de qualquer assunto de trabalho,


desenvolve um grande debate sobre o cenário mundial, em matéria de várias áreas da
sociedade.

2.Qual é a história do filme (versa sobre o quê) ?


É uma crítica explícita ao modo de vida moderno e à sociedade ocidental.

Em síntese, o episódio versa sobre uma crise de sentidos porque passa o momento
histórico do mundo moderno, das civilizações da era da modernidade, no contexto
ocidental, onde se confrontam paradigmas da ordem estabelecida, dos modelos mentais
cristalizados, dos seus resultados no mundo, com as perspectivas de construção de
novos paradigmas alicerçados numa lógica oposta à ordem vigente.

Muitas teorias sociais, filosóficas, econômicas, políticas são mencionadas na


composição do episódio, porém o centro do confronto se dá sob a análise e o debate em
torno do Ethos da cultura do pensamento mecanicista, embasado na teoria do pai da
ciência moderna - René Descartes, reforçado por leis de física sistematizadas por Isaac
Newton – e o Ethos da cultura do pensamento holístico.

Em perspectiva, concepção de processos de construção e sistematização de


conhecimentos válidos ou possíveis de validação para superar os limites impostos pela
visão de mundo predominante nos tempos modernos, especialmente sintetizados
naquilo que representa o modelo de civilização cultural, científica capitalista, sob
liderança mundial dos Estados Unidos, comandada pelo governo daquela grande
potência de interesses culturais, econômicos e bélicos.

A trama conta com a visão de um político, representando o poder para tomar decisões
sobre os destinos da sociedade; uma cientista, representando a comunidade científica,
que cria mas não tem domínio político e econômico da sua criação; e um poeta,
representando o mundo cultural encantado, que tem a capacidade e a liberdade de
penetrar em dimensões sutis da vida singular e universal.

Uma comunidade de atores da vida real na sociedade, com ritmos, convenções,


convicções, crenças, verdades e sentimentos diferentes e, às vezes, contraditórios ou
antagônicos, sobre os rumos da vida no mundo. Essas diferenças, algumas objetivas e
outras puramente subjetivas, ou apenas sob o efeito do status ou preconceito.

A trama cinematográfica oferece, na contra-mão da história do pensamento cartesiano –


onde a vida é fragmentada, isolada - a possibilidade e a necessidade imperativa,
segundo a teoria holística, da vida ser percebida e interpretada no seu “todo” complexo,
onde reconhece cada fragmento dentro da totalidade, as relações de cada fragmento no
seio dessa totalidade e a influência recíproca deste todo em cada fragmento. Por este
novo paradigma, norteado por uma visão de mundo integrada – as soluções para as
crises do modelo da sociedade moderna passam pelos desafios às pessoas singulares e
aos atores políticos, econômicos, científicos etc, transcenderem de um estágio de
PENSAR - SENTIR – e AGIR NO MUNDO individualista para um estágio de
percepção e intervenção coletivista da vida no mundo, num teia de relações e
interdependência.

3.Quem são os personagens principais do episódio?


Para fins de registro de uma leitura textual simplista, os personagens principais do filme
se limitam a:
1.Sônia Hoffmann, interpretada pela atriz Liv Ullmann, atuando como uma Cientista
Física, desiludida com os rumos tomados pela ciência e pelo uso da ciência, por parte de
outros atores, a serviço de interesses escusos;

2.Thomas Harrimann, interpretado pelo ator John Heard, atuando como um poeta,
dramaturgo e escritor, que abandonou o grande centro urbano por não tolerar um modo
de vida mercantilizado, além de suas decepções profissionais nesse meio, inclusive em
estágio de uma crise existencial de sua meia idade e, ainda, frustrações em seu modelo
de casamento e família, de cujas inquietações busca tranqüilidade;

3.Jack Edwards, interpretado pelo ator Sam Waterson, atuando no papel de um político
norte-americano bem sucedido que, ao perder ao eleições para a Presidência dos
Estados Unidos, vê-se saturado e confuso com relação aos rumos de sua carreira
política.

Para efeito desta crítica contextualizada, leitura do texto no contexto e leitura do


contexto no texto, os personagens principais, em lugar de terem seus nomes arrolados,
podemos generalizá-los em agrupamentos de interesses e influências, a saber, todos com
um estágio comum naquele contexto: uma crise existencial que lhes atormentam e lhes
forçam a oportunidade de fazer uma reflexão sobre as causas da crise de sentidos que
lhe afetam no mundo:
1.Um político liberal, democrata, capitalista norte-americano, dos EUA;
2.Um escritor/poeta, dramaturgo;
3.Uma cientista.
4.Uma filha da cientista (representando a idéia de um modelo de Família, possivelmente
o modelo de família cristã, capitalista);
5.Os Outros (...ausentes, mas presentes. Outros atores que influenciam o episódio)

4.Os *papéis dos personagens principais da história : (*papel


social)
Os personagens não são pessoas “comuns” quaisquer. Exercem papéis e poderes de
formação de opiniões, inclusive poderes de tomadas de decisões que interferem na
formação do pensamento na sociedade, posto que atuam operando nos mais altos níveis
das classes políticas, científicas e intelectuais do contexto;

O político carrega uma significação de um segmento de nossa sociedade, sob cuja


espécie se concentram os mais fortes poderes institucionalizados para decidir sobre os
destinos coletivos, na atual civilização, inclusive contrariando verdades sociais,
intelectuais e científicas;

A cientista e o poeta representam papéis de segmentos de muito poder de formação na


sociedade. No entanto, seus conhecimentos podem ser manipulados pelo poder
institucionalizado do segmento político, a serviço de interesses escusos. A comunidade
científica, no seu papel formal de validação de conhecimentos científicos, exerce um
papel importante no sentido de não generalizar a validação de um conhecimento,
enquanto não submetê-lo a experimentos e estatísticas com resultados quantitativos e
qualitativos confiáveis para tal ampliação e aplicação. É o papel da racionalidade
científica.

5.Quais são as relações de influências subjetivas e objetivas ou


forças políticas (e/ou de poder de decisão, poder de influência,
poder de convencimento) entre os personagens;
O centro dos acontecimentos, no contexto da história, faz-se em torno dos personagens
descritos acima, a partir dos pontos de vistas e ângulos específicos seus de observação e
intervenção no mundo, cada um carregado dos elementos antropológicos,
epistemológicos, filosóficos e ideológicos de suas respectivas histórias no mundo e das
influências recebidas até então. Exercem uma equilibrada relação de forças e influências
entre si e na relação com os demais. Isto condiciona a capacidade de colocar em pauta
das discussões, as suas convicções, as suas verdades, as suas crenças e seus feitos,
objetivos e subjetivos. O tratamento sobre as formas de conhecimento, sua evolução e
uso no mundo, neste contexto analisado, submete-se a essas regras de relações sociais
convencionadas, em crise admitida por todos os personagens.

6.Qual é a mensagem do autor do filme ? (A idéia do autor)


Provavelmente, a idéia do autor da obra corresponda à intencionalidade de colocar em
exame, a partir de um drama cinematográfico, uma tensão dialética em torno da questão
da validação de conhecimentos teóricos, aplicação desses conhecimentos na vida em
sociedade, dos ethos que dão sustentação a esses conhecimentos e suas aplicações, bem
como sobre a interrogativa: a serviço de quê e de quem esses conhecimentos são
utilizados, no contexto da sociedade moderna ocidental?.

Em evidência, o equívoco do pensamento cartesiano materializado nos indicadores de


resultados socioculturais, políticos, econômicos e científicos, ambientais e etc no
mundo.

O autor ainda provoca uma reflexão sobre a questão do controle, do ponto de vista ético,
da ação dos atores da comunidade científica, da política e da economia, expresso nos
dilemas seguintes:
1) “A ciência está a serviço da vida ou a vida está a serviço da ciência” ou “A serviço de
quem a ciência deve ser desenvolvida?”;

2) “A serviço de quem a política ocidental se desenvolve, de modo predominante”?

3) “O modelo capitalista é sustentável?”

7.Que aspectos do filme podem ser relacionados com a questão


das diferentes formas de conhecimentos, sua evolução e
aplicação, no contexto histórico tratado no filme?
A inquietação dos personagens – representantes de áreas diferentes de conhecimentos e
experiências - expressa em todas as suas atitudes e crises existenciais, emocionais,
sociais e técnicas no processo de busca e de construção de novas verdades, novas
convicções ou, pelo menos, novas hipóteses que lhes transportassem do limite da
Ordem em vigor (o individualismo, o mecanicismo, os resultados atuais do capitalismo)
para uma probabilidade racional de construção de novas bases teóricas de
conhecimentos e suas aplicações sustentáveis no mundo.

A possibilidade de construir alternativas sustentáveis, do ponto de vista científico,


político, ambiental, econômica e cultural, a partir da crítica sobre a crise instalada na
gênesis do modelo vigente.
8. Qual é a lição de vida que o filme tenta passar (...qual é a
“moral” do filme), em se tratando da construção de
conhecimentos e concepção de mundo ?
Hipótese 1: Não há verdade absoluta. A visão de mundo sob a concepção cartesiana
não tem valor absoluto e já expõe seus equívocos. O ethos do modelo da sociedade
moderna ocidental capitalista não tem sustentabilidade;

Hipótese 2: Novos paradigmas existem. A sociedade atual pode ser conduzida sob
orientação de outro ethos, diferente dos valores predominantes. A visão holística, a
interdependência, a integração dos setores diversos da vida dão melhor sentido à Vida
no mundo. Para valorizar, defender e continuar a existência de um mundo melhor, o
limite da persistência de busca é infinito e não está subordinado às convenções e
convicções em vigor. Novas convicções podem ser construídas.

Hipótese 3: Quase que imperceptível no filme, uma lição importante sobre o modelo de
família ocidental cristã capitalista, refletida em questionamentos possível, a saber:
1.Com que direito nós – pais e mães – investimos dedicação prioritária em nossos
projetos de vida profissional e social, em prejuízo das relações afetivas com os(as)
filhos(as) e companheiros(as)?
2.Com base em que Ethos se fundamenta a posição dos(as) filhos(as) para reivindicar
para si a figura do “MEU PAI / MINHA MÃE”, como elemento sob conduta de posse ?
3.Quais significações culturais estão por trás dessas questões?

9.A partir das reflexões sobre a lição do filme, o que você


propõe levar para sua experiência de vida ? O que você
aproveita das reflexões do filme no sentido de enriquecer sua
formação dentro do contexto em que se dá o seu processo de
interação com a evolução das formas de conhecimentos e suas
aplicações?
CONSIDERAÇÕES FINAIS

O filme conduz o telespectador à possibilidade de escolher, do ponto de vista filosófico


do termo “escolha”, uma visão de mundo orientada pela concepção mecanicista
oferecida com os fundamentos construídos por René Descartes e Isaac Newton, e
aplicada no contexto da sociedade moderna ocidental, ou uma visão de mundo
integrada, fundamentada na idéia de que lidamos com uma teia de relações dentro de
uma Vida pessoal e da Vida universal, onde a parte e o todo estão reciprocamente
interligados a tal modo que a sustentabilidade das coisas singulares e das coisas
universais está em condição de interdependência contínua, dinâmica e processual.
Predomina, no filme, o novo paradigma como melhor escolha.

FICHA TÉCNICA DO FILME ANALISADO


Título Original:.................... The Turning Point
Título em Português:......... O Ponto de Mutação
Gênero:................................ Drama
Direção de Roteiro:............ Bernt Capra
Ano de Lançamento:......... 1992
Obra inspiradora:........ Roteiro cinematográfico baseado no livro The Turning Point,
lançado em 1982, de autoria do austríaco Fritjof Capra, PhD em Física Quântica,
Pesquisador em Teorias de Sistemas Complexos e Ambientalista, notabilizado com as
obras “O Tao da Física” – (1975), “Teia da Vida” , “Conexões Ocultas” – 2002
(lançado no Brasil).
Área temática de abordagem: Filosofia, Política, Economia, Ciência-Tecnologia.
Enfoque da abordagem: Crise de sentidos da vida e da sociedade; crise dos
paradigmas (dos valores) reinantes do saber científico-tecnológico, da filosofia, da ética,
da política, da economia, no contexto da sociedade capitalista ocidental, situados no
período histórico a partir da teoria mecanicista defendida por René Descartes e seguida
por Isaac Newton e outros personagens de renomes científicos, políticos, religiosos,
bem como por pessoas da vida cotidiana. E criação de novos paradigmas a partir de
outras perspectivas holísticas.
Elenco principal: Liv Ullmann, no papel de Sônia Hoffmann; o ator John Heard, no
papel de Thomas Harrimann e o ator Sam Waterson, no papel de Jack Edwards.

REFERÊNCIAS
THE TURNING POINT (O Ponto de Mutação). Direção de Roteiro: Bernt Capra;
Produção de roteiro: Frijof Capra (baseado no livro de mesmo título – Frijof Capra,
1982); Intérpretes: Liv Ullmann; John Heard, Sam Waterson e outros. EUA, 1992. 1
filme (110 min), audio, som, colorido.