Você está na página 1de 4

Presente do indicativo

O presente e o indicativo são empregados para determinar realidade.

Pretérito Imperfeito Subjuntivo


-Normalmente empregado para transmitir possibilidade, incerteza, eventualidade
-Usado para transmitir que a ação é regular, contínua no passado

Futuro do pretérito do indicativo


-Pode ser usado como uma forma polida de presente, atenuando a ideia de obrigação ou dever.
Ex.:
--Você poderia me acompanhar até o segundo andar e então o direcionaria até o gabinete do diretor.

Verbo no gerúndio
Pode ser empregado como ação simultânea ao verbo anterior (com conjunção aditiva 'e')
--Preocupava-se com paíse avançados (e), interessando-se por paíse atrasados na medida em que
desenvolvimento ocorrido neles

Pode ser empregado como ação posterior como um resultado da ação anterior (com conjunção conclusiva
'assim')
--Preocupava-se com paíse avançados (assim), interessando-se por paíse atrasados na medida em que
desenvolvimento ocorrido neles

VERBOS ORDINÁRIOS (CONJUGAÇÃO)

AGRADECER
1) Transitivo direto para coisas
Agradecer o convite.

2) Transitivo indireto para pessoas


Agradecer ao advogado.

HAVER
Haver no sentido de existir é impessoal, logo permanece na terceira pessoa do singular.
Locução com o verbo haver no sentido de existir permanece na terceira pessoa do singular
Costuma haver coisas na economia….
Deve haver sérios problemas ...

Derivados de haver
Reaver
Quando ele reaver (reouver)

Haver quando não tem sentido de existir


Observe a frase:
--Acordos luso-brasileiros têm sido recebidos com entusiasmo, o que sugere que haverá de serem
cumpridos fielmente.
A locução verbal “haverá de serem cumpridos” refere-se ao sujeito subentendido “Acordos luso-brasileiros”.
Note que o verbo “haverá” não tem sentido de existir. Assim, não é impessoal. Tal verbo é apenas o
verbo auxiliar da locução verbal, cujo verbo principal é “cumpridos”. Por isso deve se flexionar no
plural (Acordos luso-brasileiros haverão de ser cumpridos fielmente). Ainda dentro desta locução verbal da
voz passiva, note que o verbo intermediário “ser” não deve se flexionar. Logo:

--Acordos luso-brasileiros têm sido recebidos com entusiasmo, o que sugere que haverão de ser cumpridos
fielmente.

CHEGAR
chego → presente do indicativo
chegado → particípio
-- Eu tinha chego. chego não é particípio
--Eu tinha chegado.

ESQUECER

Quem se esquece, esquece-se de algo, logo: Se eu me esqueci, eu me esqueci de


Quem esquece, esquece algo

Se usar o pronome, também deverá usar a preposição


-- Eu me esqueço de datas de aniversário.
-- Ele nunca se esquece de apagar as luzes.
-- A gente nunca se esquece do aniversário de um amigo.

Se não usar o pronome, não deverá usar a preposição


-- A gente nunca esquece o aniversário de um amigo.
-- A gente nunca esquece do aniversário de um amigo.

LEMBRAR
1)No sentido de vir à memória, ato involuntário -> verbo pronominal. Nesse caso o complemento exige a
preposição de
--Eu me lembro muito bem daquele dia.
--Ele não se lembrou de fazer o relatório.

2)No sentido de parecido com alguma coisa -> VTD. Nesse caso, não há ocorrência de preposição
--Ele lembra o pai.
--Tudo na casa lembra o avô.

3)No sentido de “informar”, “advertir” ou “prevenir”, constrói-se com o objeto direto de pessoa (pronomes
oblíquos “o”, “a”, “os”, “as”) e com o indireto de assunto (encabeçado pela preposição “de”).
--Lembrou-o de suas responsabilidades.
--A maioria dos restaurantes utiliza cartazes lembrando os clientes de que não se deve fazer barulho.

LIMPAR (LIMPO X LIMPADO)


Usa-se limpo com os verbos ser e estar: estava limpo, será limpo.
Usa-se limpado com os verbos ter e haver: havia limpado, terei limpado

PAGAR
1) Transitivo direto para coisas
--Pagar o boleto.

2) Transitivo indireto para pessoas


--Pagar à faxineira.

PARABENIZAR
1)Transitivo direto: parabenizar alguém por algo
-Parabenizamos o atleta pelo resultado.

PERDOAR
1)Transitivo direto para coisas
--Perdoar os erros.

2) Transitivo indireto para pessoas


--Perdoar ao Pedro.

PRECAVER
O verbo precaver não se deriva de ‘ver’ e nem de ‘vir’. Não exitem as formas precavejo, precavo, precavenho.
Precaver não é conjugado na 1, 2, 3 pessoas do singular e 3 pessoa plural do presente do indicativo. Sendo
assim, não há presente do subjuntivo e imperativo negativo.
No imperativo afirmativo, existe apenas a 2 pessoa do plural.
Dica: precaver pode ser substituído por prevenir, acautelar.

#PISAR
Aceita complemento sem preposição, ou com a preposição "em", ou com a preposição "sobre".
Exs.:
--"Diógenes pisava... os soberbos estrados" (Antônio Morais Silva);
--"Creio que Vossa Senhoria com isto pode saber em que terreno pisa" (Machado de Assis);
--"E respirando... a poeira levantada pelo pisar vigoroso sobre as tábuas movediças" (Camilo Castelo Branco)1

Portanto
--É proibido pisar a grama.
--É proibido pisar na grama.
--É proibido pisar à grama.
Obs.: alguns autores defendem que a transitividade direta é a mais adequada.

Fonte: http://www.migalhas.com.br/Gramatigalhas/10,MI91531,41046-Pisar+a+ou+a+ou+na+grama

REAVER
Conjugado da mesma forma que 'haver'. Porém, só existe nas formas em que o verbo haver apresenta o v.
--Eles reouveram (e não reaveram) a jóia roubada

REPORTAR-SE
1)Sempre será transitivo indireto
_Reportou-se ao diretor.

TRAZER
Trago → presente do indicativo
Trazido → particípio
--Eu trago.
--Eu tinha trago. Trago não é particípio
--Eu tinha trazido.

VIR
Derivados de vir
Intervir
Se ele intervisse (interviesse)

http://solinguagem.blogspot.com.br/2011/05/regencia-verbal_6256.html

http://www.tecmundo.com.br/internet/54073-o-que-e-uma-cdn-e-como-ela-controla-a-internet-que-voce-usa-
.htm