Você está na página 1de 4

COMO UTILIZAR O MULTÍMETRO DIGITAL NO TESTE DE

COMPONENTES ELETRÔNICOS

1. TESTE DE RESISTÊNCIA ELÉTRICA.


A resistência elétrica é medida em OHMS e é representada pela letra grega
ÔMEGA).
A menor resistência elétrica é a de UM FIO CONDUTOR, que idealmente, é zero,
esta é a resistência de um curto-circuito, porque é um caminho de baixa resistência.
Para testar a continuidade de um fio, isto é, verificar se ele não está interrompido,
selecionamos a chave seletora para a posição de menor alcance de resistência (200e
ligamos as pontas de prova nas extremidades do fio, caso a indicação no visor do
aparelho seja O.L(OVER LOAD) – SOBRECARGA – SIGNIFICA QUE O FIO
ESTÁ INTERROMPIDO OU SEM CONTINUIDADE – CERTIFIQUE-SE DE
QUE AS PONTAS DE PROVA ESTÃO FIRMEMENTE CONECTADAS ÀS
EXTREMIDADES DO FIO CONDUTOR EM TESTE. RESISTÊNCIA ENTRE
0,4 E 1- condutor normal, isto é tem continuidade. Este valor também é
encontrado quando estamos medindo interruptores e fusíveis.
Bobinas e alto-falantes possuem resistências baixas.
Para testar UM RESISTOR, ligamos as pontas de prova em paralelo com o resistor,
isto é, ligamos nas extremidades, se o resistor estiver ligado em um circuito, desligue o
aparelho e um dos terminais do resistor e meça a resistência. Se a 4ª faixa do resistor for
prata significa que valor medido pode está compreendido entre -10% do valor e +10%
do valor nominal: por exemplo, um resistor de 10K, poderá apresentar uma resistência
entre 9K e 11K, e será considerado bom. Caso o valor apresentado no visor seja o dígito
“1”(dígito mais a esquerda no visor), o resistor está aberto(resistência infinita) ou
o valor está alterado apresentando um valor maior do que a escala selecionada.
Certifique-se de que a conexão está perfeita e que as pontas de prova não estão
interrompidas, verifique também que a posição na escala deve ser maior do que o
valor do resistor a ser medido.

TESTE DE POTENCIÔMETRO E TRIMPOT


A prova é feita através da medida de sua resistência na escala de Ohm.
Ligar as ponteiras em paralelo com os terminais extremos do potenciômetro ou trimpot.
A leitura deve ser igual a indicada no corpo do componente.
A segunda prova deve ser feita colocando-se uma ponteira no terminal central e outra
em um dos terminais por vez fazendo girar o cursor, a resistência deve variar de zero
até o valor nominal do componente.

TESTE DE CAPACITOR
Ligue o multímetro na escala mais alta de resistência e encoste as ponteira nos terminais
do capacitor. Inicialmente, a resistência apresentada será baixa e logo em seguida subirá
até o visor apresentar “1” no lado esquerdo, indicando sobrecarga, isto é, resistência
muito alta. O capacitor comporta-se inicialmente como um curto-circuito e no final se
comporta como um circuito aberto.
Para capacitores de 1F, coloque o multímetro na escala de 200

TESTE DE DIODO
Gire a chave seletora para a posição de diodo.
Coloque a ponteira negativa no catodo e a positiva no anodo, esta é a resistência direta,
o valor medido será em torno de 565para o diodo retificador e de para os
diodos zener. A resistência inversa é infinita, coloca-se a ponteira preta no anodo e a
vermelha no catodo o visor deverá apresentar o sinal de sobrecarga “1”, dígito na
esquerda, indicando uma resistência elevada. Esse teste significa que o diodo conduz a
corrente elétrica apenas em um sentido, funcionado como um caminho de baixa
resistência e no outro ele funciona como uma chave aberta não deixando passar corrente
elétrica.

2. TESTE DE TRANSISTORES
Selecione a chave seletora para a posição hFE retire as ponteiras do teste e conecte os
terminais do transistor nas posições correspondentes de acordo com o tipo de transistor
(NPN OU PNP).
Leia o hFE no visor e compare-o com a informação do datasheet.
O hFE é o ganho do transitor, isto é, exprime quantas vezes a corrente que circula pelo
Coletor é maior do que a corrente que circula pela Base do transistor.
O transistor tem sua estrutura semelhante a dois diodos ligados de costa um para o
outro, logo podemos utilizar A ESCALA DE DIODO para verificarmos se suas
junções estão em perfeito estado. Medimos a resistência direta e inversa da junção base-
coletor e da junção base-emissor. A resistência direta deve ser baixa e a inversa deve
apresentar o sinal de sobrecarga “1”, indicando resistência infinita. A tabela abaixo
ilustra situação para um transistor NPN.
Ponta vermelha Ponta preta leitura
Emissor Coletor Alta
Coletor Emissor Alta
Emissor Base Alta
Base Emissor Baixa
Base Coletor Baixa
coletor base Alta

Leituras de resistências baixas, onde deveriam ser altas, indicam que o transistor está
em curto. Leituras de resistências altas onde deveriam ser baixas indicam que o
transistor está aberto.
Para o transistor PNP basta inverter a posição das ponteiras.
3. MEDINDO TENSÃO CONTÍNUA
Esta é o tipo de tensão que encontramos nas pilhas, nas baterias, nas saídas das fontes
de alimentação de computadores, monitores, tv’s, etc...
Conecte a ponteira preta no borne marcado COM(este é o negativo da alimentação) e
o vermelho no borne VmA.
Selecione a chave seletora para a posição DCV numa escala de tensão adequada para o
valor que espera-se medir.
Conecte as ponteiras em paralelo com o circuito ou dispositivo no qual se deseja fazer a
medida, observando a polaridade.
4. MEDINDO TENSÃO ALTERNADA
A tensão alternada é a que encontramos nas tomadas de nossa residência e normalmente
são geradas em usinas hidrelétricas. Em nosso país a freqüência é de 60Hz, isto é, 60
ciclos por segundo.
Gire a chave a seletora para a posição ACV.
Selecione uma das escalas de tensão adequada a leitura que se deseja efetuar. Em caso
de dúvida utilize a escala mais elevada (750V AC).
Conecte as pontas de prova em paralelo com o circuito que deseja medir.

5. MEDINDO A CORRENTE CONTÍNUA


A escala de 10A DC não é protegida através de fusível e apresenta uma baixa
impedância interna, portanto não tente medir corrente superior a 10A DC para evitar
danos ao multímetro.
Para medir corrente precisamos abrir o circuito no ponto onde desejamos saber a
corrente e inserir o instrumento em série com o componente pelo qual passará a
corrente que iremos medir, devemos observar a polaridade, a ponteira preta deverá ficar
do lado do negativo.