Você está na página 1de 8

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

ASSUNTO: MEMORIAL DESCRITIVO PARA EXECUÇÃO DA 2° ETAPA DO


GINÁSIO GINÁSIO POLIESPORTIVO NO LOTEAMENTO SOCIAL PAIOL GRANDE
I
PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICPAL DE ERECHIM
LOCAL: Rua Augusto José Conte – Loteamento Social Paiol Grande I – Erechim/RS.

1- CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Este memorial descritivo tem por finalidade complementar as informações
contidas no projeto arquitetônico, para Construção da 2 etapa do Ginásio Poliesportivo
localizado na Rua Augusto josé conte, Loteamento Social Paiol Grande I – Erechim/RS,
com 909,05 m² de área construída.
Para a interpretação deste documento é imprescindível o acompanhamento do
Projeto Arquitetônico e Projeto estrutural anexo. ITENS AUSENTES NESTE PROJETO
NÃO PODERAO SER EXECUTADOS E O PROJETO NÃO PODERÁ SER ALTERADO SEM
CONSULTA PRÉVIA AO ENGENHEIRO RESPONSÁVEL.
Todos os materiais deverão seguir rigorosamente as normas técnicas da ABNT,
sob pena de serem recusadas pelo fiscal da obra. A colocação e/ou instalação de
aparelhos também deverão seguir as indicações e procedimentos recomendados pelos
fabricantes e pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.
2 – SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO
Serão obedecidas todas as recomendações, com relação a Segurança e
Medicina do Trabalho, contidas nas Normas Regulamentadoras (NR).
Ficará a cargo da empresa executora tal responsabilidade, bem como a
fiscalização e distribuição de EPI's (equipamento de proteção individual).
3- LIMPEZA E PREPARO DO TERRENO
A completa limpeza do terreno será efetuada dentro da mais perfeita técnica,
tomando-se os devidos cuidados de forma a se evitarem danos a terceiros.
O serviço de roçado e destocamento será executado de modo a não deixar
raízes ou tocos de árvores e materiais orgânicos que possam acarretar prejuízos aos
trabalhos ou à obra. Estes serviços serão efetuados de forma manual e mecânica,
conforme a necessidade.
Toda a matéria vegetal resultante do roçado e destocamento bem como
entulho de qualquer natureza será removido do canteiro de obras sob
responsabilidade da empresa executora.
4- HIGIENE DO CANTEIRO
O canteiro de obras deverá permanecer organizado, limpo, com passagens livres
e desimpedidas. As vias de circulação, passagens e escadarias serão mantidas livres de
entulhos, sobras de material, materiais novos, equipamentos e ferramentas.
O entulho e quaisquer sobras de materiais serão regularmente removidos. Por
ocasião da remoção serão tomados cuidados especiais de forma a evitar poeiras e
riscos eventuais. Não será permitido o acúmulo de entulho na via pública. A queima de
qualquer material é proibida, tanto no interior da construção como no canteiro de
obra.
Obriga-se o Construtor a verificar a legalidade dos bota-foras utilizados. Alguns
materiais, como lã de vidro e cimento amianto e gesso podem contaminar o solo,
motivo pelo qual requerem bota-fora especial.
Cabe ao Construtor vistoriar e fotografar as edificações vizinhas com o intuito
de documentar-se contra eventuais reclamações.
5 – LOCAÇÃO DA OBRA
A locação será executada com instrumentos aferidos.
O construtor procederá a marcação PLANIMÉTRICA E ALTIMÉTRICA,
obedecendo aos projetos, com base em pontos pré-determinados a partir dos quais
prosseguirá os serviços sob sua inteira responsabilidade.
Procederá a aferição das dimensões, dos alinhamentos, dos ângulos e de
quaisquer outras indicações constantes do projeto com as reais condições encontradas
no local.
Havendo discrepâncias entre as reais condições e o projeto, a ocorrência será
objeto de comunicação por escrito à fiscalização, que deliberará a respeito.
Após a demarcação dos alinhamentos e pontos de nível, o construtor fará
comunicação à fiscalização, a qual procederá as verificações e aferições que julgar
oportunas.
O Construtor manterá em perfeitas condições toda e qualquer referência de
nível – RN – e de alinhamento, o que permitirá reconstruir ou aferir a locação a
qualquer tempo e oportunidade.
Periodicamente será procedida rigorosa verificação no sentido de comprovar se
a obra está sendo executada de acordo com a locação.
6 – INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS
As instalações provisórias de água e energia elétrica ficarão a cargo da
contratada. Deverão ser construídos galpão ou depósito, barraco, sanitário e vestiário,
de acordo com as normas vigentes, de modo a atender as necessidades dos
funcionários da obra, com área de 27,00m², bem como, o acondicionamento do
material, mobiliário e aparelhos necessários ao canteiro de obra, ficarão à cargo da
contratada.
7 – PLACA DE OBRA
O construtor deverá instalar placas obedecendo aos padrões do Ministério do
Esporte e do Município de Erechim, em Local a ser indicado pela Fiscalização. A
manutenção das placas, em bom estado de conservação e fixação é de
responsabilidade do Construtor.
8 – MOVIMENTO DE TERRA
Os trabalhos de aterro e reaterro serão executados com material escolhido, em
camadas sucessivas de altura máxima de 20 cm, copiosamente molhadas e
energicamente compactadas, de modo a serem evitadas fendas, trincas e desníveis,
por recalque, das camadas aterradas. Todos os elementos previstos em projetos serão
devidamente locados na obra de acordo com as plantas, utilizando-se instrumentos
necessários e adequados para cada caso, inclusive precisão.
As escavações necessárias serão executadas de modo a não ocasionar danos à
vida, a propriedades ou a ambos.
9 – FUNDAÇÕES
Serão objetos de projeto específico. Dimensões e especificações técnicas
conforme projeto estrutural e memorial descritivo estrutural, o concreto terá
resistência característica mínima definida em projeto.
A impermeabilização nas vigas de baldrame se dará utilizando pintura
hidroasfáltica nas laterais e na face superior em 4 demãos: duas no sentido
longitudinal e duas no sentido transversal.
10 – ESTRUTURA
Estrutura de Concreto Armado muro de contenção, Rampa de acesso, vigas
baldrame e vigas de respaldo.
Será executado muro de contenção no trecho conforme projeto, sendo
composto de fundações em sapata, pilares e cortina em concreto armado. A rampa de
acesso será composta de sapatas isoladas, pilares e laje maciça, sendo que a laje será
apoiada conforme projeto estrutural da rampa. As vigas de respaldo, vigas baldrame e
laje do reservatório conforme projeto estrutural. O executor deverá entrar em contato
com o projetista caso tenha dúvidas em medidas e detalhes necessários para a perfeita
execução das etapas construtivas.
O concreto deverá ter resistência característica (Fck) definida pelo projeto
estrutural, de cada carga trazida para a obra deverá ser moldado dois corpos de prova,
devendo ser obrigatoriamente mapeado em qual peça foi utilizado o concreto,
podendo o construtor intervir na peça concretada caso tenha algum problema na
resistência do concreto, este corpo de prova deverá ser rompido aos 14 e 28 dias.
Antes e durante o lançamento do concreto, as formas, os andaimes, balancim, etc,
estarão dispostos a não provocarem deslocamentos das armaduras e riscos aos
trabalhadores.
As barras de aço não devem apresentar sinais de corrosão, manchas de óleo,
argamassa aderente ou qualquer outra substância que impeça uma perfeita ligação
com o concreto.
A armadura não poderá ficar em contato direto com a forma devendo obedecer
aos espaçamentos constantes em projeto.
As barras de espera de pilares serão devidamente protegidas para evitar-se a
oxidação excessiva. Quando do reinício da concretagem as mesmas serão raspadas e
limpas.
Todas a formas serão molhadas até a saturação, antes do início da
concretagem, a fim de evitar a absorção da água do concreto. Os produtos
antiaderentes, destinados a facilitar a desmoldagem serão aplicados na superfície das
formas antes da colocação das armaduras. Não será permitido o uso de óleo diesel,
óleo queimado ou outro produto que possa interferir na aderência das armaduras ao
concreto.

11 – LAJE
Será executada laje maciça de concreto armado 10cm, fck 25MPA, conforme
projeto estrutural na rampa de acesso e laje pré-moldada na cobertura do reservatório
inferior, sendo 8cm de laje pré-moldada e 4cm de capa de concreto.
12 – FORMAS E ESCORAMENTOS
As formas deverão ser executadas de modo que as suas dimensões internas
sejam as mesmas das estruturas de concreto armado que nelas irão se fundir, e ser
abundantemente molhadas antes da concretagem, devendo ser estanques, para que
não permitam perda de material. As diversas formas e escoramentos deverão ser
construídas de modo a oferecer a necessária resistência à carga do concreto armado e
as sobrecargas eventuais, durante o período da construção. Os escoramentos e formas
somente poderão ser removidos depois de decorrido o tempo mínimo necessário à
cura dos elementos do concreto.
13 – IMPERMEABILIZAÇÕES
Sobre as vigas baldrames e a cortina de concreto será impermeabilizado com
hidroasfalto aplicando-se 4 demãos, duas no sentido longitudinal e duas no sentido
transversal.
Na cortina de concreto após a impermeabilização será aplicada manta geotextil
para drenagem sendo uma face drenante e outra impermeabilizante, a parte drenante
ficando direto em contato com o solo.
14 – ALVENARIA E OUTRAS VEDAÇÕES
As paredes serão executadas com tijolos cerâmicos seis furos, de primeira
qualidade e com ranhuras, fabricados e ensaiados conforme as normas vigentes, e
posteriormente rejuntados em todas as faces laterais com argamassa de cimento, cal
hidratada e areia.
Os tijolos devem ser molhados até a saturação na ocasião do emprego e
assentes com regularidade, executando-se fiadas perfeitamente niveladas, aprumadas
e alinhadas, de modo a evitar revestimentos com excessiva espessura.
O local de trabalho das alvenarias deverá permanecer sempre limpo.
No caso de tijolos sujeitos à cargas verticais, serão utilizados tijolos maciços, a
não ser especificação em contrário.
O construtor deverá submeter à fiscalização amostras para exame. Não poderão
entrar no canteiro de obras blocos cerâmicos cujas amostras forem rejeitadas pela
fiscalização.
DIVISÓRIAS:
Os sanitários possuirão divisórias em granito polido espessura 3cm, com altura
de 1,90m.
15 – COBERTURA
No bloco de fundos, (abriga sanitários, depósito e palco) será executada
cobertura com telhas de fibrocimento 6mm sobre estrutura em madeira de pinho
isenta de nós soltos que comprometam a resistência ou confiram deformações
excessivas, composta por guias de 1” x 15 cm (tesouras). O espaçamento máximo das
tesouras será de 1,0m. As ripas serão de pinho, nas dimensões 1” x 2”.

16 – PAVIMENTAÇÕES
Será executado regularização de piso cimentado espessura 3cm sobre a laje
existente na área da quadra, circulação, vestiário feminino, depósito, vestiário
masculino, sanitário masculino, sanitário feminino, copa, cozinha, sala de reuniões e
escada, com área de 847,31m2.
No local onde será instalado o reservatório inferior será executado um contrapiso
em concreto armado, espessura de 10cm e com FCK 25MPA, com área de 15,20m2.
O contra piso em concreto desempenado 7cm fack 20MPA com tela soldada
Q138, será executado na rampa de acesso ao ginásio, com área de 81,00m2.
O passeio público deverá ser executado em bloco de concreto intertravado
espessura 8cm, também deverá ser instalado no passeio piso tátil de alerta e direcional
em placas de concreto 40x40cm espessura 3cm, sendo que o mesmo deverá ser
instalado com argamassa no traço 1:5 com 7% de cimento, entre o passeio público e a
rua será instalado meio fio em concreto, nivelados com o passeio, área de bloco de
concreto intertravado 151,54m2 e piso tátil de alerta 15,12m2.
O piso grama com espessura de 7cm, será colocado no estacionamento,
conforme projeto arquitetônico, área de 214,00m2, o mesmo deverá ser preenchido
com grama tipo esmeralda.
Sobre a regularização serão instalados barrotes 5x7cm cada 45cm em madeira de
primeira. Os barrotes tem a função de suspenção da quadra e fazer o sistema de
flexibilidade e amortecimento. Deverá ser feito tratamento químico preventivo contra
fungos.
Sobre os barrotes será instalado duas camadas de ripas 1”x10cm cada 45cm,
conforme projeto. Sobre as ripas será instalado o piso em madeira de primeira
qualidade, as tabuas deverão conter encaixe macho – fêmea, largura 6 a 7cm,
espessura 2,5cm.
Após a colocação o assoalho deverá ser lixado mecanicamente a fim de deixar a
superfície lisa, isenta de farpas, pregos, parafusos e demais imperfeições.
Em toda área da quadra após aplicação de selador incolor, deverá ser feita a
demarcação com tinta esmalte sintético das modalidades esportivas, conforme
projeto.
Sobre a regularização de piso cimentado espessura 3cm nos sanitários, vestiários,
cozinha, copa, depósito e sala de reuniões, será executado piso cerâmico antiderrapante
30x30cm branco, de primeira qualidade, PI5 apropriados para alto tráfego.

18 - REVESTIMENTOS
As paredes deverão ser lavadas com água para remover todas as impurezas que
possam prejudicar a aderência das argamassas ao substrato.
As paredes e laje de forro receberão revestimento com argamassa em três
camadas: chapisco, emboço e reboco.
Argamassa de revestimento: Chapisco: constituído de uma camada de
argamassa no traço 1 ci: 4 ar (em volume), espessura 7mm.
Emboço: será aplicado sobre a parede chapiscada, no mínimo 3 dias após a
aplicação do chapisco, no traço em volume de 1 ci: 3 ar, espessura 15mm. Serão
construídas linhas mestras de revestimento, observando-se as espessuras indicadas, as
prumadas deverão ser perfeitas e contínuas.
Reboco: será aplicado sobre paredes emboçadas, espessura máxima de 7mm
no traço ca-af 1:3+5%ci.
As paredes de sanitários, vestiários, lavabos, cozinha e copa receberão
revestimento com placas cerâmicas branco e aplicadas com argamassa colante até o
teto e em todas as paredes e posteriormente rejuntados com argamassa de
rejuntamento com alta aderência , alta flexibilidade, fácil limpeza e não desenvolver
fungos.
Deverão ser entregues amostras do piso e revestimento de parede para
aprovação da fiscalização. As dimensões e tonalidades das amostras poderão ser
alteradas, desde que seja solicitado e justificado e submetido à aprovação da
fiscalização.
No forro onde for placas de gesso será aplicado massa corrida quantas demãos
forem necessária para nivelamento e correção da superfície, para após receber pintura.
19 – ESQUADRIAS
Os trabalhos de serralheria deverão ser executados com perfeição através de
empresa especializada. Somente serão instaladas após aprovação da fiscalização.
As portas internas serão em madeira semi-ocas, nas dimensões indicadas em
projeto, com marcos de madeira maciça, e as portas externas, bem como as janelas,
serão de ferro (basculante). Deverão obedecer as dimensões indicadas no projeto
arquitetônico.
As portas dos sanitários serão tipo veneziana em alumínio.
O guarda corpo da rampa de acesso ao ginásio, será construído com tubo de
ferro 3/4”, ambos preparados com fundo e posteriormente pintados com tinta esmalte
de primeira linha.
20 – FERRAGENS
Portas Internas e externas: dobradiça em chapa de ferro e fechadura com
maçaneta metálica.
21 – VIDROS
Os vidros dos sanitários e vestiários serão translúcidos, 4mm, pontilhados. Os
demais vidros serão todos transparentes, lisos, 4mm.
22 – FORROS
O forro será de gesso em placas de 60x60cm, com espessura de 12mm.
A cobertura do reservatório inferior será executado em laje pre´-moldada,
conforme projeto estrutural, com área de 15,20m2.
23 – PINTURA
As paredes serão pintadas com 1 (uma) demãos de selador acrílico incolor e
posteriormente com 2 (duas) demãos de tinta acrílica de primeira linha ou quantas
foram necessárias para perfeito acabamento.
No forro de gesso após aplicação de massa corrida, será executado 1 (uma)
demãos de selador acrílico e posteriormente 2 (duas) demãos de tinta acrílica de
primeira linha ou quantas foram necessárias para perfeito acabamento.
As esquadrias de ferro serão pintadas com tinta esmalte de primeira linha.
As portas de madeira receberão duas demãos de verniz poliuretânico
natural/incolor. A superfície deverá ser preparada com lixa 150 e toda poeira deverá
ser removida antes da aplicação do verniz.
As tonalidades das tintas serão escolhidas pela Fiscalização da Prefeitura
Municipal de Erechim.
24 – PALCO
Será executado em madeira de primeira a escada e o fechamento frontal será
executado em alvenaria, revestida com chapisc, emboço e massa fina. A estrutura será
executada em madeira de terceira, guias 0,15x0,025m.
25 – QUADRA POLIESPORTIVA
A quadra poliesportiva receberá a demarcação (faixas com 7cm de largura) das
modalidades esportivas com tinta esmalte sintético alto brilho de primeira qualidade
nas cores: Futsal: branco; Vôlei: amarelo; Basquete: vermelho e Handball: laranja.
A quadra será protegida com rede, que será fixada na cobertura e no piso.
27 – EQUIPAMENTOS ESPORTIVOS
EQUIPAMENTOS DE VOLEIBOL
Será instalado poste de voleibol dimensões conforme projeto, tubo de ferro 3”
galvanizado, com roldana ajustável na cor branca, com rede de nylon 2mm, malha 12.

EQUIPAMENTOS DE FUTSAL
Será instalado conjunto de traves para futsal, dimensões conforme projeto,
incluindo redes.

EQUIPAMENTOS DE BASQUETEBOL
Será instalado conjunto de tabela de basquete em laminado naval, incluindo
rede e arco, dimensões conforme projeto.
28 – APARELHOS E METAIS
Os aparelhos sanitários serão de louça branca, os metais serão cromados, a
bacia sanitária será com caixa de descarga plástica sobreposta e o lavatório será com
coluna. Para atender a norma de acessibilidade as mesmas condições serão seguidas,
porém, serão conjuntos especiais para sanitários adaptados. A pia da cozinha será em
aço inoxidável. Serão instalados papeleiras e toalheiros em plástico ou metal cromado.
Os produtos deverão ser de primeira linha.
Serão instalados 2 (dois) reservatórios de 3000 litros e 1 (um) reservatório de
1000 litros para alimentação dos sanitários, vestiários e cozinhas e 1 (um) reservatório
de 12000 litros para alimentação dos hidrantes.
29 – LIMPEZA FINAL
Será removido todo o entulho, transportado para confinamento de lixo,
cuidadosamente limpos e varridos todos os acessos de modo a se evitar acidentes.
Todos os elementos de alvenaria, pisos e outros serão limpos e cuidadosamente
lavados de modo a não danificar outras partes da obra por estes serviços de limpeza.
Haverá especial cuidado em se remover quaisquer detritos ou salpicos de argamassa
endurecida das superfícies. Todas as manchas e salpicos de tinta serão
cuidadosamente removidos, principalmente na estrutura metálica. Será vedado o uso
de ácido para remoção de manchas, o que deverá ser feito por outros meios que não
venham a atacar os materiais; melhor ainda será que as manchas sejam evitadas, ou
removidas enquanto os materiais que as provoquem ainda estejam úmidos.

Erechim, 01 maio de 2015.