Você está na página 1de 6

REAGENTE LIMITANTE - Reagente que apresenta a menor quantidade de matéria em relação à

proporção estequiométrica e que limita a quantidade de produto formado.

REAGENTE EM EXCESSO - Reagente cuja quantidade estequiométrica numa mistura reacional


é superior à quantidade estequiométrica do reagente limitante.

GRAU DE PUREZA - Quociente entre a massa da substância (pura) e a massa total da amostra.

Trata-se de uma grandeza adimensional que também pode ser expressa em percentagem.

REAÇÕES COMPLETAS - Reações em que pelo menos um dos reagentes (o reagente limitante)
se esgota completamente.

REAÇÕES INCOMPLETAS - Reações em que nenhum dos reagentes se esgota mesmo quando
estão presentes em proporção estequiométrica.No fim da reação, reagentes e produtos
coexistem na presença uns dos outros.
ESTADO DE EQUILÍBRIO QUÍMICO

Qualquer estado de um sistema em que as propriedades macroscópicas mensuráveis do


sistema (cor, pressão, concentrações, temperatura, volume, densidade e outras) se mantêm
constantes.

O equilíbrio químico é um processo dinâmico: as reações, direta e inversa, continuam a


ocorrer só que com a mesma rapidez, não se registando variações das propriedades
macroscópicas mensuráveis do sistema.

EQUILÍBRIO QUÍMICO HOMOGÉNEO - Estado de equilíbrio onde todos os reagentes e


produtos se encontram na mesma fase (os reagentes e os produtos formam uma mistura
homogénea).

LEI DA AÇÃO DAS MASSAS OU LEI DE GULDBERG-WAAGE - Para sistemas químicos


suficientemente diluídos, o valor da constante de equilíbrio não depende das concentrações
iniciais da mistura reacional.

Para uma determinada reação incompleta de equilíbrio, a temperatura constante, o valor da


constante de equilíbrio é sempre o mesmo para todos os estados de equilíbrio.

a constante de equilíbrio é definida por:

EXTENSÃO DE UMA REAÇÃO - Grau de conversão dos reagentes nos produtos de reação, uma
vez atingido o estado de equilíbrio.

Depende da temperatura a que é atingido o estado de equilíbrio e das concentrações das


substâncias inicialmente presentes.

A reação é tanto mais extensa (maior grau de conversão) quanto maior for o valor da
constante de equilíbrio.

• Se Kc >> 1 a reação ocorre extensamente no sentido direto predominando os produtos


no estado de equilíbrio.
• Se Kc << 1 a reação ocorre em pequena extensão no sentido direto predominando os
reagentes no estado de equilíbrio.

O valor da constante de equilíbrio, para uma reação química traduzida por uma dada equação
química, depende da temperatura.

Um modo de determinar se um sistema está ou não em equilíbrio e, caso não esteja, prever o
sentido de evolução da reação até atingir o equilíbrio, consiste em comparar a constante de
equilíbrio, Kc, com o chamado quociente da reação (Qc).

O quociente da reação é determinado da mesma maneira que a constante de equilíbrio, mas


no seu cálculo usam-se as concentrações presentes num dado momento.
A expressão de Qc, utilizando as concentrações num certo momento, é definida por:

O sistema evoluirá sempre de forma que o valor de Qc se aproxime do valor de Kc.

 Se Qc < Kc , o sistema não está em equilíbrio. Para atingir o equilíbrio, a reação deve
evoluir no sentido direto, convertendo reagentes em produtos da reação (o
denominador na expressão de Qc diminui e o numerador aumenta) até Qc igualar o
valor de Kc.
 Se Qc > Kc , o sistema não está em equilíbrio. Para atingir o equilíbrio, os produtos da
reação devem formar reagentes, ou seja, a reação deve progredir no sentido inverso
(o denominador na expressão de Qc aumenta e o numerador diminui) até Qc igualar o
valor de Kc.

Sempre que se provoca uma perturbação no estado de equilíbrio por alteração da pressão de
um sistema gasoso, da temperatura e/ou da concentração, o que conduz a uma situação de
não equilíbrio, a reação vai evoluir, num ou noutro sentido, até que um novo estado de
equilíbrio seja novamente estabelecido.
PRINCÍPIO DE LE CHÂTELIER

Se um sistema em equilíbrio for perturbado externamente, o sistema ajusta-se de forma a


minimizar a ação dessa perturbação.

1) Efeito da concentração

a adição de reagentes ou de produtos da reação desloca o equilíbrio no sentido de os


consumir parcialmente (tendendo a minimizar o efeito da adição), evoluindo, respetivamente,
no sentido direto ou no sentido inverso;

• a remoção de reagentes ou de produtos da reação desloca o equilíbrio no sentido de os


repor parcialmente (tendendo a minimizar o efeito produzido), evoluindo, respetivamente, no
sentido inverso ou no sentido direto.

2) Efeito do volume e da pressão

• um aumento de pressão, por diminuição de volume (aumento de número de choques),


favorecerá o sentido da reação que conduz a uma diminuição do número total de moléculas
dos gases de forma a contrariar a perturbação.

• uma diminuição da pressão, por aumento de volume (diminuição do numero de choques),


favorecerá o sentido da reação que aponta para o maior número total de moléculas dos
gases, pois dessa forma opõe-se à alteração introduzida

3) Efeito da temperatura

Quando um sistema químico em equilíbrio é perturbado apenas por uma variação de


temperatura, a evolução do equilíbrio é acompanhada, simultaneamente, pela alteração do
valor de Kc da reação.

De acordo com o Principio de Le Chatelier:

• se a temperatura diminuir, a reação evolui no sentido de compensar essa diminuição,


libertando energia → favorece a reação exotérmica.
• se a temperatura aumentar, a reação evolui no sentido de compensar esse aumento,
absorvendo energia → favorece a reação endotérmica.

RENDIMENTO DA REAÇÃO - Avalia a conversão de reagentes em produtos da reação e pode


ser determinado pela razão entre a quantidade de um produto realmente obtida e a
quantidade do mesmo produto prevista estequiometricamente.

Você também pode gostar