Você está na página 1de 21

SURGIMENTO DO MUNDO

AUTOMATIZADO
No final da década 1960 as empresas automobilísticas
produziam em massa, mas seguiam um mesmo padrão,
quando solicitado um carro de cor ou modelo diferente
levava meses para ficar pronto.

Percebendo a necessidade do mercado, a general


motors fez como propósito confeccionar um produto que
desse uma versatilidade.
A empresa que já produzia contatores e dispositivos
elétricos.desenvolveu em 1968, o equipamento controle
lógico programável (plc).

Vantagem: subistituiu os antigos relés e permitiu fazer


modificações rápidas no processo produtivo.
Evolução da automação
industrial
O conceito automação surgiu no Estados Unidos
em 1946, nas fábricas automotivas.

Atualmente o significado se da como qualquer


sistema que utilize computação e que substitua o
trabalho humano.

Objetivo: aumentar a velocidade e a qualidade dos


processos produtivos, a segurança dos
funcionários, além de obter maior controle,
planejamento e flexibilidade da produção.
Pirâmide da automação

1980 que surgiu a “pirâmide da automação”.

Essa pirâmide divide os níveis dos equipamentos


envolvidos nessa tecnologia de acordo com sua
atuação na indústria e mostra como as
informações são filtradas do nível 1 até chegar ao
seu topo. Em contrapartida, as ordens vindas dos
níveis administrativos (4 e 5) são repassadas para
o nível 3, que garante que as tarefas sejam
realizadas pelos níveis operacionais.
CLP - Controlador
Lógico Programável
Um controlador programável é um
aparelho eletrônico digital que contém uma
memória programável para armazenamento
de instruções que são utilizadas para
implementar funções específicas, tais como
lógica, sequenciamento, temporização,
contagem e aritmética, com o objetivo de
controlar máquinas e processos.”
O QUE É O CLP?
 Um CLP é o controlador indicado para lidar
com sistemas caracterizados por eventos
discretos (SEDs), ou seja, com processos
em que as variáveis assumem valores zero
ou um.

 Podem ainda lidar com variáveis


analógicas definidas por intervalos de
valores de corrente ou tensão elétrica.

 As entradas e/ou saídas digitais são os


elementos discretos, as entradas e/ou
saídas analógicas são os elementos
variáveis entre valores conhecidos de
SURGIMENTO DO PLC
Surgimento: Indústria Automobilística em 1968 por
Richard Morley, engenheiro da Hydronic Division da
General Motors;
HISTÓRIA
História Inicialmente, os CPLs eram chamados CP – controlador
programável, mas com o advento dos Computadores Pessoais
convencionou-se CLP para evitar conflitos de nomenclatura.

Originalmente os CLPs foram usados em aplicações de controle


discreto (on-off liga-desliga), como os sistemas a relés, porém
eram facilmente instalados, economizando espaço e energia,
alem de possuírem indicadores de diagnósticos o que facilitavam
a manutenção. Uma eventual necessidade de adequação da lógica
de controle da máquina era realizada em pouco tempo, apenas
com mudanças no programa, sem necessidade de alterar à
arquitetura elétrica.
Aperfeiçoamento ao longo
dos anos
História: A década de 70 marca uma fase de grande aprimoramento dos
CLPs.
Com as inovações tecnológicas dos microprocessadores, maior flexibilidade
e um grau também maior de aperfeiçoamento na sua eletrônica interna, os
Controladores Lógicos Programáveis passou a incorporar:
1972 - Funções temporização e contagem;

1973 -Operações aritméticas, manipulação de dados de comunicação com


computadores;

1974 - Comunicação com interfaces homem-máquina, IHM;

 1975 - Maior capacidade de memória,controle analógicos e controle PID;

1979 a 1981 - Módulos de I-O remotos, módulos com capacidade de


controle de posicionamento;
Classificação dos CLPs.
Os CLPs podem ser classificados segundo a sua capacidade:

Nano e micro CLPs: possuem até 16 entradas e saídas.


Normalmente são compostos por um único módulo com
capacidade de memória máxima de 512 passos.
CLPs de médio porte: capacidade de entrada e saída em até
256 pontos, digitais e analógicas. Permitem até 2048 passos de
memória.
CLPs de grande porte: construção modular com CPU principal
e auxiliares. Módulos de entrada e saída digitais e analógicas,
módulos especializados, módulos para redes locais. Permitem a
utilização de até 4096 pontos. A memória pode ser otimizada
para o tamanho requerido pelo usuário.
CARACTERÍSTICAS.

As características devem ser analisadas antes


da escolha do equipamento adequado a nível da
automação ser implementada.

Podem ser reprogramáveis e com isso


reutilizados.

Permite o envio e o recebimento de


informações on-line, é possível alterar o
programa de controle e fazer o diagnostico de
falhas com o programa em funcionamento.
CLP – Características de
Hardware
 Permite a interface através de
rede de comunicação com outros
CLPs e microcomputadores;
Menor tempo de projeto do
sistema. Capacidade de
operação em ambiente industrial.
Hardware e/ou dispositivo de
fácil controle e rápida
programação ou reprogramação,
com a mínima interrupção da
produção.

 Permite a expansão da
CLP – Características de
Hardware
 O hardware ocupa pouco espaço físico e
consome baixa potência elétrica.
 Permite a expansão de diversos tipos de
módulos.
APLICAÇÕES
Controle de Sistemas de Iluminação;
Comando de Portas ou Cancelas;
 Sistemas de Energia;
Sistemas de Refrigeração e Ar-Condicionado;
Sistemas de Ventilação;
Sistemas de Transporte;
Controle de Silos e Elevadores;
Comando de Bombas e Compressores;
Sistemas de Alarme;
Comando de Semáforos;
Sistemas de Irrigação; Entre outras.
VANTAGENS
As vantagens de sua utilização, comparados a
outros dispositivos de controle industrial incluem:
Menor potência elétrica requerida;
Reutilização;
Maior confiabilidade;
Maior flexibilidade, satisfazendo um maior
número de aplicações; Número de condutores
usados para interligar os sistemas de controle aos
sensores e atuadores, além de propiciar a
distribuição da inteligência por todo o processo.
PROBLEMA
custo e dificuldade de
mudar a lógica de
controle dos painéis de
comando (lógica de
relés);
OBJETIVOS
1. Facilidade de programação;
2. Facilidade de manutenção;
3. Alta confiabilidade no
processo;
4. Dimensões menores que
painéis de Relés, para redução de
custo
5. Preço competitivo;
6. Expansão em módulos;
7. Mínimo de 4000 palavras na
memória.
NO CENÁRIO ATUAL
 Atualmente existe uma preocupação em padronizar
protocolos de comunicação para os CLP's, de modo a
proporcionar que o equipamento de um fabricante
“converse” com o equipamento outro fabricante, não só
CLP's, como controladores de processos, sistemas
supervisórios, Redes Internas de Comunicação e etc.

 proporcionando uma integração a fim de facilitar a


automação, gerenciamento e desenvolvimento de plantas
industriais mais flexíveis e normalizadas, fruto da chamada
Globalização.

 Existem Fundações Mundiais para o estabelecimento de


normas e protocolos de comunicação onde grande
dificuldade tem sido uma padronização por parte dos
fabricantes.
Hoje, os CLPs oferecem um considerável número de
benefícios para aplicações Industriais, que podem
ressaltar em economia que excede o custo do CLP e
devem ser considerados quando da seleção de um
dispositivo de controle industrial.

As diferenças entre o CLP utilizado hoje e os pioneiros


da década de 1960 são: tamanho reduzido, desempenho
de mais funções e maior capacidade de processamento
de dados.
FUTURO
Com o avanço da tecnologia e consolidação
da aplicação dos CLPs no controle de
sistemas automatizados, é frequente o
desenvolvimento e melhoramento de
novos recursos.
Com os CLP's temos um aumento na
praticidade de processos industriais, não mais
necessitando de relés eletromagnéticos, com
isso aumentando a velocidade e
produtividade de processos industriais.