Você está na página 1de 3

ÁUDIO DA 1ª AULA – PARTE A

Stem-cell (pluripotente) indiferenciada dará origem a duas linhagens: mielóide e linfóide.

A mielóide dará origem aos eritrócitos, granulócitos, plaquetas e monócitos. Enquanto a


linfóide dará origem aos linfócitos; sendo que o linfócito B é produzido e amadurecido na
medula óssea e o linfócito T é produzido na medula óssea, porém migra para o timo para
a maturação.

Os processos envolvidos na gênese dos diversos tipos de células do sangue a partir da


céulas-troncos que inclue: autorregeneração das células-troncos, a diferenciação dessas
células-troncos a se diferneciarem em apenas duas linhagens (mielóide e linfóide) e
diferenciação e proliferação das céluas precursoras em células maduras e funcionais. E
quando isso acontece?

Temos dois períodos que isso acontece. Um é o príodo intrauterino e o outro, o período
pós-natal (período extrauterino). O perído intrauterino compreende 03 fases:

• fase mesenquimal: fase inicial da eritropoiese. Acontece geralmente na 2ª semana


de gestação e através do saco vitelino como produtor da eritropoiese;
• fase visceral: compreende o baço e o fígado. A partir do 2º e 3º mês de vida do
embrião. Tem-se já alguma formação de eritrócitos e megacariócitos;
• fase hepatoesplênica: fígado e baço já produzindo os leucócitos. O baço e o
fígado também são considerados como órgãos hematopoéticos. A partir do 6º/7º
mês do embriação tem-se uma fase predominantemente medular.

No 3º, 4º ano da criança, todos os ossos produzem. A MO está extremamente ativa. A


partir do amadurecimento da criança, ou seja, de seu envelhecimento, alguns ossos
deixam de produzir e passam a ficar em locais restritos, como fêmur, esterno e algumas
costelas. E com isso temos uma substituição da medula vermelha pela medula amarela,
que nada mais é do que a deposição de células adipócitas. E a FACEMIA? Que é a partir
dos 50 anos de idade, tem-se uma hematopese praticamente restrita a crista ilíaca, em
que a MA é totalmente substituída por fibroblastos e começa a ser chamada de medula
cinza. E para que isto aconteça, normalmente é necessário que o microambiente medular
seja adequado.

O microambiente medular é formado por células estromais e uma matriz extracelular. E


isso contitui-se um local adequado para o crescimento e desenvolvimento de células-
troncos.
• Células do estroma: adipócitos, fibroblastos, células reticulares, células
endoteliais e macrófagos;
• Matriz extracelular: proteínas de adesão (colágeno) e fatores de crescimento
(substâncias lipoprotéicas que regulam a proliferação, diferenciação e
maturação de elementos sanguíneos).
Esta ME regula a hematopoese por meio de secreção, fatores solúveis e reserva
energética de lipídeos. A ME dá suporte ao microambiente medular e pode ser de 02
tipos: interleucinas (IL) ou fatores estimulantes de colônia.
• Principais IL envolvidas na maturação celular:
→ IL-1: auxilia na diferenciação de linfócitos;
→ IL-3: presente em toda linhagem hematopoética;
→ IL-5: específica para eosinófilos;
→ IL-4 e IL-6: permite a diferenciação de linfócitos B (IL-6) e T (IL-4).
• Fatores Estimulantes de Colônia:
→ FEC de eritrócitos: promover a produção de hemácias;
→ FEC de granulócitos e monócitos: promover a diferenciação de monócitos e
granulócitos.
Além desses fatores que estimulam a produção desses elementos, há outros fatores que
inibem a produção, por exemplo: interferon gama, prostaglandina E e a lactoferrina.

• Fatores Hormonais
→ trombopoetina: produzida no fígado. Promove a diferenciação de megacariócitos,
que futuramente dará origem as plaquetas.
→ EPO: produzido pelos rins. Estimula a produção de eritrócitos.

HEMATOPOESE: megacariopoese, eritropoese e leucopoese.

Em média a MO de uma pessoa normal, com 30-40 anos de idade, pesando 60kg,
estatura mediana produz diariamente milhões de hemácias. Essa produção intensa é para
substituir as hemácias que já sairam da circulação sanguínea pelo sistema fagocitário,
como o baço e o fígado. O tempo de ½ vida de uma hemácias é de 100 dias, mais ou
menos 20. Ela é um disco bicônvaco flexível, flexível para permitir a sua passagem por
vasos de pequeno calibre.
A eritropoetina é sensível em casos de hipóxia. Condições de hipóxia: temperatura
elevada, função renal inadequada, compromentimento cardiovascular e a própria curva de
dissociação do O2. Nessas situações os rins começam a sintetizar a EPO, que finaliza na
MO para produção de eritrócitos.

• Fatores nutricionais essenciais a eritropoese:

→ folato: essencial para síntese de DNA.


→ Ferro: essencial na síntese de hemoglobina.

~14mg de Fe / dia (dieta) é ingerido, mas só conseguimos absorver em torno de 10-15%


deste total. A absorção acontece na mucosa intestinal e sofre ação da enzima
ferrorredutase. O Fe só pode ser absorvido na forma menos oxidada. Fe² e Fe³, o Fe² é
absorvido porque está na forma menos oxidada. Após sofrer a ação da enzima
ferrorredutase, o Fe² liga-se a uma proteína (DMT I, presente nos enterócitos) que capta
do intestino e disponibiliza para dentro da célula.
Após isto, o Fe pode ter dois caminhos: (1) passar para o plasma através das proteínas
receptoras de ferro ou (2) ficar retido na forma de ferrentina (é um depósito de ferro).
• 02 depósitos de Fe:
→ Ferrentina: depósito de Fe mais solúvel;
→ hemossiderina: depósito de Fe menos solúvel.
O Fe é armazenado do plasma do enterócitos.
O Fe não absorvido será eliminado nas fezes a partir da descamação da mucosa. O Fe
fica armazenado na mucosa intestinal e havendo necessidade de Fe no organismo, este é
depositado na corrente sanguínea. E quando não há necessidade de Fe, este será
armazenado na forma de ferrentina e os demais serão eliminados pelas fezes.

O Fe transportado para o sangue, será captado por uma proteína (transferrina). Esta
proteína fuinciona apenas como carregadora/carreadora de Fe, ou seja, se liga ao Fe e o
transporta à MO. E uma vez na MO, este Fe é disponibilizado para síntese do Heme que
há na hemoglobina. O Fe na alimentação serve para síntese de hemoglobina.
→ Vitamina B-12: também conhecida como cobalamina (presente em alimento de
origem animal e muito pouco no de origem vegetal). Vegetariano tendem a ter uma
deficiência de vitamina B-12. Esta vitamina B-12 a ser absorvida pela mucosa do
estômago sofrerá ação das enzimas, tornando a vitamina B-12 disponível que vai se ligar
a proteína R do estômago e na fração do duodeno, essa proteína R será degradada a
partir das enzimas pancreáticas e a vitamina B-12 se ligará ao fator intrínseco, que
formará um complexo vitamina B-12 ↔ fator intrínseco (essencial para a absorção da
vitamina B-12). Este complexo será transpotado para o íleo e, neste local, o fator intríseco
será degradado, tornando a vitamina B-12 disponível para a absorção. A vitamina B-12 é
importante para produção de todas as células do organismo.
O estoque de vitamina B-12 dura em torno de 08 anos, diferente do folato, que não há
estoque. O folato está presente em alimento tanto animal quanto vegetal e se estiver
privação de folato, o organismo terá deficiência de folato. E o metabolismo do folato
converte a vitamina B-12, por isso muitas vezes a deficiência de vitamina B-12 também
está associada a deficiência de folato. Isso porque o folato precisa ser convertido em
metiltetraidrofolato, que é a fonte natural de folato na nossa alimentação.
Esse metiltetraidrofolato atuará como doador de radical metila à formação da
metilcobalamina, que essencial a converção de hemocisteína em metionina. Obs: o
folato para ser absorvido precisa estar na forma de metiltetraidrofolato!!!

O metiltetraidrofolato no plasma da célula que o absorveu será convertido em


tetraidrofolato pela ação da vitamina B-12. O folato é importante porque é o precursor de
várias bases nitrogendas.

Folato → metiltetraidrofolato + VA B-12 → tetraidrofolato → 5,10-metiltetraidrofolato


poliglutamato → timidina

• 5,10-metiltetraidrofolato poliglutamato: precursor da timidina.

Deficiência de vitamina B-12 + folato → prejuízo na sínte de DNA. E consequentemente


haverá uma hematopoese ineficaz. Essa deficiência também acarreta em dano cerebral.
Obs.: a falta de vitamina B-12 pode ser corrigido, mas os danos provocados no sistema
nervoso não podem ser corrigidos.

• Células da série vermelha:

PROERITROBLASTO → ERITROBLASTO BASÓFILO → ERITROBLASTO


POLICROMÁTICO → ERITROBLASTO ORTOCROMÁTICO → RETICULÓCITO →
ERITRÓCITO (HEMÁCIA)

Do proeritroblasto até o eritroblasto policromático existe divisão celular, nas fases


sequenciais não há divisão celular; há apenas maturação.

Obs.: picnose → condensação do núcleo