Você está na página 1de 3

Apendicite

Sintomas, tratamento, causas, prognóstico

Definição

Apendicite é uma condição caracterizada pela inflamação do apêndice. Ainda que casos
moderados de apendicite possam se resolver sem tratamento, muitos requerem a remoção do
apêndice inflamado através da laparotomia ou laparoscopia. Caso não haja tratamento a
mortalidade é alta, principalmente devido à peritonite e choque quando o apêndice inflamado se
rompe.

Causas da apendicite
É possível que material fecal fique hospedado no apêndice, ocasionando infecção bacteriana, a
qual pode causar apendicite. Se a condição não for tratada, o apêndice pode tornar-se
gangrenoso e eventualmente romper-se, ocasionando peritonite, septicemia e eventualmente a
morte.

Sintomas da apendicite
A dor no apêndice geralmente começa centralizada (periumbilical) antes de se localizar na fossa
ilíaca direita (a parte do abdômen de baixo à direita). Freqüentemente há anorexia (perda de
apetite) associada. Febre geralmente está presente. Náusea, vômito e diarréia podem ou não
acontecer.

Tratamento da apendicite
O tratamento da apendicite pode ser feito através da remoção do apêndice por procedimento
cirúrgico chamado apendicectomia (também conhecido como apendectomia). Antibióticos são
geralmente administrados intravenosamente para ajudar a matar as bactérias remanescentes, e
desta forma reduzir a inflamação.

Prognóstico
A maioria dos pacientes com apendicite recuperam-se facilmente com o tratamento. Porém,
podem acontecer complicações se o tratamento for postergado ou se ocorrer peritonite.

A recuperação depende da idade, condição, complicações e outras circunstancias, mas


geralmente acontece entre 10-28 dias.

A possibilidade real de peritonite crônica, que requer tratamento por toda a vida, é a razão pela
qual apendicite aguda requer avaliação precoce e tratamento rápido. Apendicectomias tem
ocasionalmente sido feitas em condições de emergência, quando uma avaliação médica a tempo
não pôde ser feita.

Colelitíase
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Colelitíase
Star of life caution.svg Aviso médico
Classificação e recursos externos
OMIM 600803
DiseasesDB 2533
MedlinePlus 000273
MeSH D042882

Colelitíase é uma doença causada pela formação de cristais de componentes biliares ou de


substâncias anormais na bile.

Esses cristais podem ocorrer em diversas porções do trato biliar, como o ducto colédoco
(causando colédocolitíase) e a vesícula biliar. Os cristais podem obstruir o trato biliar, causando
icterícia, e o ducto pancreático, levando à pancreatite. A colelitíase se trata especificamente da
formação desses cristais na vesícula biliar.
Índice
[esconder]

* 1 Características
o 1.1 Tamanho
o 1.2 Composição
* 2 Fatores de risco
* 3 Tratamentos
o 3.1 Cirúrgico
o 3.2 Não invasivos
* 4 Sintomas

[editar] Características
[editar] Tamanho

Os cristais variam bastante em forma e tamanho, dependendo de sua composição. Os pequenos


são mais perigosos pois podem migrar e obstruir os dúctos. Geralmente na vesícula são
formados vários cristais pequenos, ou um único cristal grande.
[editar] Composição

Os cristais podem ser formados por uma grande variedade de substâncias, porém as mais
comuns são:

* Sais de cálcio e bilirrubina: Formam pequenos cristais escuros. Mais comuns em portadores
de anemia, cirrose e infecções no trato biliar.

* Colesterol: Forma cristais de coloração esverdeada, ou às vezes com tom mais amarelado.

* Mistos: Caracterizam a maior parte dos casos, cerca de 80%, e contém colesterol misturado
a sais de cálcio.

[editar] Fatores de risco

É mais comum em mulheres, obesos e pessoas em idade fértil. O que dá origem à referência
mnemônica dos "4 F's", do inglês: Fat, Fertile, Females, Forty.

É importante ressaltar que o simples fato de não se encaixar nesse perfil, não impede que os
cristais se desenvolvam. Esse perfil é apenas o mais comum entre pessoas que apresentam o
problema.
[editar] Tratamentos
[editar] Cirúrgico

Atualmente é mais comum a remoção total da vesícula biliar, chamada colecistectomia, pois era
muito comum a formação de novos cristais após a cirurgia de remoção dos mesmos.
[editar] Não invasivos

Muitos médicos estão utilizando atualmente um composto de fosfátos reativos (PO4) para
dissolução dos cálculos renais. O NQI (Núcleo Quelado Inteligente)[1] tem se mostrado muito
eficaz.
[editar] Sintomas

Os sintomas mais comuns de colelitíase são desconforto na região abdominal e dores no


hipocôndrio direito. Entretanto, ela geralmente é assintomática até os estágios avançados.