Você está na página 1de 50

‣ UD III - CORRESPONDÊNCIA

MILITAR

INSTRUÇÕES GERAIS PARA


A
CORRESPONDÊNCIA NO
EXÉRCITO 1º TEN ALMEIDA - 2ª CIA ALU
2

OBJETIVO:

▸ APRESENTAR PRINCÍPIOS E
ESTABELECER NORMAS PARA A
FORMALIZAÇÃO E PADRONIZAÇÃO
DAS CORRESPONDÊNCIA
PRODUZIDAS PELO EXÉRCITO
BRASILEIRO.
SUMÁRIO: 3

▸ INTRODUÇÃO
▸ DESENVOLVIMENTO
Dos Conceitos Básicos
Do Uso de Papéis
Da Apresentação Gráfica
Da Unidade de Elaboração, de Linguagem e de
Doutrina
Dos Documentos que Integram a Correspondência
MODELOS E PARTICULARIDADES DOS
DOCUMENTOS QUE INTEGRAM A
CORRESPONDÊNCIA
▸ CONCLUSÃO - Prescrições Diversas
4

INTRODUÇÃO:
▸ Visa a aumentar a simplicidade, a objetividade e
dinamizar as atividades de produção das
correspondências que circulam na Força;
▸ Substitui a antiga IG 10-42;
▸ 3 publicações distintas: Instruções Gerais para a
Correspondência do Exército (EB10-IG-01.001),
Instruções Gerais para as Publicações Padronizadas
do Exército (EB10-IG-01.002) e Instruções Gerais
para os Atos Administrativos do Exército (EB10-IG-
01.003).
DESENVOLVIMENTO: 5

Dos Conceitos Básicos:


▸ Art. 4º: Documento é o veículo de comunicação escrita
que forma uma unidade constituídos pela informação e
por ser suporte material, suscetível de consulta, estudo,
prova e pesquisa.
Parágrafo 2º: Documento eletrônico é toda a informação ou
conjunto de informações existente em formato digital
(texto, imagem, áudio, e vídeo, dentre outros), que poderá
ser armazenada em meio magnético, optomagnético,
eletrônico ou similar, susceptível de ser utilizada em órgãos
do Exército ou externos à Força.
‣ Art. 8º: Correspondência é todo documento que circula
no contexto das organizações.
‣ Art. 9º: Correspondência oficial é a que circula nos órgãos
da administração pública.
‣ Art. 10: Correspondência militar é um tipo de
corresponderia oficial que apresenta características
peculiares à viveria militar.
6

DESENVOLVIMENTO:
‣ Art. 12: Número Único de Processo (NUP) / Número Único de
Documento (NUD) é o principal meio de identificação dos
documentos e é atribuído pela Organização Militar (OM) de
origem, não cabendo outra numeração substituta, para fins
de identificação, nas organizações por onde transitem.
‣ Art. 14: Classificação dos documentos em uso do EB.
I - Quanto ao TRÂNSITO:
A. Externos - circulam entre autoridades do EB e outras
autoridades civis ou militares.
B. Internos - circulam âmbito do EB.
II - Quanto ao SIGILO:
C. Ostensivos - o conhecimento por outras pessoas não
apresenta inconvenientes, mas divulgação para mídia
depende de consentimento da autoridade responsável
pela expedição.
D. Sigilosos - Requerem medidas especiais de salvaguarda
para sua custódia e divulgação.
NUP/NU
D
8

DESENVOLVIMENTO:
III - Quanto à PRIORIDADE:
A. Normais - aqueles cujo estudo, solução e
tramitação devem ser realizados em até 8 dias
úteis.
B. Urgentes (U) - aqueles cujo estudo, solução e
tramitação devem ser realizados em até 48
horas.
C. Urgentíssimos (UU) - aqueles cujo estudo,
solução e tramitação devem ser imediatos.
Parágrafo 1º: A contagem do prazo inicia com o
registro do documento no protocolo geral da OM
destinatária e termina no ato da expedição da
resposta.
DESENVOLVIMENTO: 9

Do uso de Papéis:
‣ Art. 24: Recomendações para documentos timbrados:
deverá conter as Armas Nacionais (a 1 cm da borda
superior e sua dimensão maior no máximo 2,5 cm) e a
identificação dos diversos escalões hierárquicos até a
OM expedidora, da seguinte forma:
‣ I - 1ª linha: MINISTÉRIO DA DEFESA (em caixa alta);
‣ II - 2ª linha: EXÉRCITO BRASILEIRO (em caixa alta);
‣ III - 3ª linha: OM expedidora, em caixa alta, por
extenso; e
IV - 4ª linha: a numeração histórica da OM expedidora,
caso esta possua, entre parênteses, com apenas as
letras iniciais das palavras em caixa alta ou a
denominação histórica da OM expedidora, caso esta
possua, em letras maiúsculas. Caso a OM possua
numeração e denominação histórica, esta última deverá
ser aposta na 5ª linha.
1
1
DESENVOLVIMENTO:
Do uso de Papéis:
Parágrafo 1º: Não é necessária a colocação de timbre
para documentos restritos à OM.
Parágrafo 3º: No timbre - Times New Roman ou
correspondente dos softwares livres, no tamanho 10.
Da Apresentação Gráfica:
‣ Art. 25: Os documentos oficiais do EB serão
confeccionados por sistemas informatizados (editores
de texto), observando as seguintes medidas:
‣ I - Margem superior: 1,0 cm
‣ II - Margem inferior: mínimo 2,0 cm
‣ III - Margem esquerda: 3,0 cm
IV - Margem direita: 1,5 cm
1
2
DESENVOLVIMENTO:
‣ Art. 26: A fonte será o Times New Roman ou a
correspondente dos softwares livres, no tamanho 12
no texto, 11 nas citações e 10 nas notas de rodapé.
‣ Art. 27: Os parágrafos serão numerados com
algarismos arábicos, seguidos de ponto, e o início do
texto será entre 4,5 a 5,0 cm de distância da
margem esquerda.
‣ Art. 28: O espaçamento entre linhas deverá ser
simples, distanciado de uma linha em branco entre
cada parágrafo, e seis pontos entre as alíneas,
subalíneas e demais subdivisões, devendo-se
colocar uma linha em branco se o editor de texto
utilizado não comportar tal recurso.
DESENVOLVIMENTO: 1
4
Da Unidade de Elaboração, de Linguagem e
de Doutrina:
‣ Art. 32: Os documentos oficiais constam de três
partes:
I - Cabeçalho:
A. Timbre - conforme preceitos já abordados;
B. NUP/NUD;
C. Epígrafe;
D. Preâmbulo; e
E. Ementa.
1
6
DESENVOLVIMENTO:
‣ Art. 33, I, a) Composição do NUP/NUD:
- Primeiro Grupo: Cinco dígitos, referentes ao código
numérico de cada Unidade Protocolizadora;

- Segundo Grupo: Seis dígitos, separados do primeiro por


um ponto e determina o registro sequencial dos processos
autuados;

- Terceiro Grupo: Quatro dígitos, separados do 2º grupo por


uma barra, indica o ano de formação do processos; e

- Quarto Grupo: Dois dígitos, separados do processo por


um hífen, indica os DV.
NUP/NU
D
1
8
DESENVOLVIMENTO:

‣ Art. 33, II, a) e b) Epígrafe consta o tipo de


documento, a sua numeração, o seu
expedidor, limitado até o 3º nível, localidade
e data. A data terminará com ponto e
coincidirá com a margem direita do
documento.
2
0
DESENVOLVIMENTO:

‣ Art. 33 , III Preâmbulo consta o cargo do


remetente e do destinatário, sendo este precedido
da devida forma de tratamento e seguido do
nome da organização.
2
2
DESENVOLVIMENTO:

‣ Art. 33, IV a) e b) Ementa é a parte do documento


que sintetiza o conteúdo a fim de permitir o
conhecimento imediato do assunto. Constarão o
resumo, as referências e a discriminação dos
anexos.
2
4
DESENVOLVIMENTO:
‣ Art. 37: O texto é a parte principal do documento. De
forma geral, é dividido da seguinte forma:
I - Introdução: exposição concisa e precisa do fato, do
problema, da comunicação ou da situação referenciada no
assunto, não sendo mera repetição do assunto.
II - Desenvolvimento: destina-se ao estudo do fato. Traz
maiores esclarecimentos sobre o assunto.
III - Conclusão: destina-se à solução, proposta, providência
solicitada ou ação recomendada, sendo clara e precisa.
‣ Art. 39, Parágrafo Único: Os termos estrangeiros, quando
utilizados, serão grafados em itálico.
‣ Art. 45: Em qualquer documento, recomenda-se não
deixar a assinatura em página isolada doe expediente,
devendo-se transferir para essa página ao menos a última
frase anterior ao fecho.
DESENVOLVIMENTO: 2
5
‣ Art. 56: O fecho do documento tem a finalidade de
arrematar o texto e de saudar o destinatário. Ele
deverá ser utilizado somente para
correspondências externas ao EB, empregando as
seguintes expressões:
I - RESPEITOSAMENTE - para autoridades superiores,
inclusive o Presidente da República;

II - ATENCIOSAMENTE - para autoridades de igual


hierarquia ou de hierarquia inferior; e

III - para autoridades estrangeiras, de acordo com o


rito e tradição próprios, devidamente disciplinados
pelo MRE.
DESENVOLVIMENTO: 2
6
‣ Art. 57: Para assinatura:
I - NÃO haverá traço horizontal, sendo centralizada em
todos os documentos;

II - Digitam-se em 1ª linha, o nome da autoridade


signatária em letras maiúsculas e negrito, e a abreviatura
de seu posto/graduação, também em negrito; em 2ª linha,
seu cargo ou a sua função e OM, abreviados ou não.

III - Se o signatário for oficial-general ou cadete, o posto ou


título precederá o nome;
DESENVOLVIMENTO: 2
8

IV - Tipos de modalidade de assinaturas previstas são: no


impedimento ou por delegação de competência.

Art. 56, VII - Para documentos destinados ao meio civil ou


a organizações não integrantes da Força: igual aos que
tramitam internamente, com a seguinte diferença - deverá
ter o posto, o cargo ou a função e OM escrito por extenso,
necessariamente.
DESENVOLVIMENTO:
2
9
DESENVOLVIMENTO: 3
0
Dos Documentos que Integram a
Correspondência:

‣ Art. 63: Os documentos que integram a


correspondência são divididos, conforme a sua
finalidade/classificação, em:
- documentos para circulação externa;
- documentos para circulação interna;
- documentos declamatórios;
- documentos de apoio à decisão; e
- documentos de esclarecimento e/ou
reconhecimento.
DESENVOLVIMENTO: 3
1

‣ Art. 64, I - Documentos de circulação externa:


OFÍCIO

‣ Art. 65: Documentos de circulação interna:


‣ I - Correio eletrônico;
‣ II - Documento Interno do Exército (DIEx);
‣ III - Formulário padronizado;
‣ IV - INFORMEX (Palavra oficial da Força);
V - Radiograma
OFÍCIO
3
2
OFÍCIO
3
3
DIEx
3
4
DIEx: 3
5
DIEx: 3
6
3
DIEx SIMPLIFICADO: 7
INFORMEX: 3
8
INFORMEX: 3
9
INFORMEX: 4
0
RADIOGRAMA: 4
1
DESENVOLVIMENTO: 4
2
‣ Art. 66: Documentos declaratórios:
‣ I - Ata;
‣ II - Boletim Interno (BI);
‣ III - Cópia autêntica;
‣ IV - Cópia autenticada;
‣ V - Declaração;
‣ VI - Edital
‣ VII - Nota do Comandante do Exército;
‣ VIII - Nota para Boletim (NBI); e
IX - Termo
‣ Art. 67, I e II: Documentos de apoio à decisão - Memória
e Relatório
‣ Art. 68, I e II: Documentos para esclarecimento e/ou
reconhecimento - Processo e Requerimento
ATA: 4
3
DECLARAÇÃO: 4
4
NOTA PARA BOLETIM INTERNO (NBI): 4
5
REQUERIMENTO E INFORMAÇÃO DE
4
6
REQUERIMENTO:
REQUERIMENTO E INFORMAÇÃO DE
4
7
REQUERIMENTO:
4
8

CONSULTAS IMPORTANTES
‣ Art. 79 a 81: Trata do ENDEREÇAMENTO DA
CORRESPONDÊNCIA.

‣ Art. 83 a 87: Trata das FORMAS DE TRATAMENTO


UTILIZADAS.

‣ Art. 97: DA ASSINATURA DIGITAL


4
9

SPED
SISBOL
5
0
CONCLUSÃO:
‣ Art. 107: A correspondência das OM, em todos os
escalões, é da responsabilidade de seus respectivos
comandantes, chefes ou diretores.
‣ É importante que todos os militares tenham
conhecimento das normas que regem as confecções
de documentos no âmbito da Força.