Você está na página 1de 60

A BRASFOND FUNDAÇÕES ESPECIAIS S/A é uma empresa brasileira,

especializada nas mais modernas tecnologias de fundações.

Foi constituída em outubro de 1976, porém acumula experiência de mais


de 50 anos em decorrência de acordo tecnológico com a FONDEDILE
S.p.A. (Napoli - Itália). Tal acordo compreende assistência técnica em
projetos, novas tecnologias e treinamento de pessoal, bem como o
oferecimento de equipamentos especializados.

Durante estes anos de ativa atuação no mercado de engenharia de


fundações, tivemos a oportunidade de participar de mais de 1000
empreendimentos através de uma equipe altamente especializada e com
equipamentos de última geração.

A partir de agosto de 2000, a BRASFOND passou a oferecer excelência na


execução de fundações de obras portuárias, marítimas e fluviais, através
da constituição da BRASFIX, empresa da qual é uma das associadas.

Em agosto de 2002, a BRASFOND foi recomendada para a certificação


pela empresa BVQI, para o padrão normativo ISO9001:2000 - Prestação
de serviços de Fundações Especiais e Geotecnía para Construção Civil.

A partir de dezembro de 2004 a BRASFOND constituiu a empresa SPFE -


Sociedade Portuguesa de Fundações Especiais, com sede em Portugal,
com o objetivo de incrementar sua atuação também na Europa.

Em março de 2006 a BRASFOND incorporou ao seu sistema de gestão a


norma OHSAS 18001 : 1999 com objetivo de aumentar a postura
preventiva em relação as questões de segurança e saúde.
POLÍTICA DA QUALIDADE
BRASFOND
A Brasfond concretiza seu desenvolvimento na
execução de Fundações Especiais e Geotecnia
empregando modernas tecnologias, buscando
melhoria contínua através de seus processos, com o
compromisso de:

Atender aos requisitos de seus clientes;

Buscar e utilizar novas tecnologias;

Elevar a qualificação de seus colaboradores;

Melhorar sua posição concorrencial;

Reduzir falhas que comprometam a qualidade


de seus produtos;

Empregar a segurança para preservação da


saúde dos seus funcionários;

Redução dos riscos ocupacionais.


Capítulo 1
Sede e Oficina de Manutenção 4

Capítulo 2
Estaca Escavada de Grande Diâmetro 6

Capítulo 3
Parede Diafragma 15
- Moldada “in loco” 16
- Pré-moldada 18
- Plástica 21

Capítulo 4
Estaca Barrete 24

Capítulo 5
Estaca Hélice Contínua com
Monitoração Eletrônica 26

Capítulo 6
Estaca-Raiz 31
ÍNDICE Capítulo 7
Jet Grouting 37

Capítulo 8
Tratamento de Maciços para
Execução de Túneis 45

Capítulo 9
Tirantes 48

Capítulo 10
Drenos Fibroquímicos 51

Capítulo 11
Prova de Carga Estática sobre Estacas 55

Capítulo 12
Brasfix Fundações de Obras Marítimas
e Fluviais 57

Capítulo 13
Sociedade Portuguesa de Fundações
Especiais LDA 59
INSTALAÇÕES CAPÍTULO 1

SEDE E OFICINA
DE MANUTENÇÃO

A
Brasfond possui instalações próprias de “Oficina
e Manutenção”, em função da preocupação
constante com a qualidade, procurando cada
vez mais estar apta a participar das grandes obras com
tecnologia de ponta.
Situada em Guarulhos, em uma área de cerca de
20.500m2, é capaz de manter, reformar e construir a
quase totalidade dos equipamentos de sua propriedade,
pois dispõe de uma equipe técnica permanente,
altamente especializada e experiente.

Manutenção de equipamentos leves Manutenção de equipamentos leves

Seção de usinagem

4
Vista aérea - Oficina de manutenção - Guarulhos / SP

Sede própria - Vila Olímpia - São Paulo / SP

Sede e Oficina de Manutenção 5


SERVIÇOS CAPÍTULO 2

ESTACA ESCAVADA
DE GRANDE DIÂMETRO

Introdução

N
a ocorrência de cargas elevadas, em obras de 3,5 a 5,0 MPa. As capacidades de carga típicas podem
vulto tal que justifique a mobilização do ser aproximadamente as indicadas na tabela abaixo.
equipamento, o tipo de estaqueamento Naturalmente, a capacidade de carga de uma
correntemente mais adequado é o de estacas de estaca é sobretudo função das características do
grande diâmetro moldadas "in loco", com perfuração terreno, pelo que torna-se indispensável um estudo
mecânica a rotação, com eventual emprego de lama geotécnico preciso e correto para se definir, caso por
bentonítica. caso, a capacidade de carga máxima permissível.
O emprego desse tipo de estacas tem se difundido
largamente pela facilidade e rapidez de execução e pela
adaptabilidade a diversos tipos de terreno, bem como o Área Cargas
Diâmetro Perímetro (KN)
seu imediato conhecimento visual recolhendo material. (mm) da Secção (m)
As estacas de grande diâmetro executadas por (m2) 3,5MPa 4,0MPa 5,0MPa
perfuração a rotação, podem ser executadas junto a 700 0,385 2,20 1350 1540 1930
construções existentes, devido a total ausência de 800 0,502 2,51 1760 2006 2500
vibração, podendo atingir profundidades de até 70
900 0,636 2,83 2220 2540 3180
metros.
Convém ainda lembrar que as estacas escavadas 1000 0,785 3,14 2750 3140 3920
de grande diâmetro podem ser executadas em presença 1100 0,950 3,45 3320 3800 4750
de lâmina d'água, o que ocorre em obras marítimas e em 1200 1,131 3,77 3960 4520 5650
construção de pontes. Nesse caso, a escavação 1300 1,326 4,08 4640 5300 6630
mecânica e a concretagem submersa são precedidas da
1400 1,538 4,40 5380 6150 7690
cravação de camisa metálica por intermédio, em geral,
de martelo vibratório. Os equipamentos, quando 1500 1,767 4,71 6180 7070 8830
necessário, serão montados em plataforma flutuante 1600 2,010 5,02 7030 8040 10050
(barcaças de convés chato). As camisas metálicas 1700 2,269 5,34 7940 9070 11340
poderão ser perdidas ou recuperadas. 1800 2,544 5,65 8900 10170 12720
Em geral costuma-se aplicar às estacas escavadas
1900 2,834 5,974 9920 11330 14170
cargas de trabalho que induzem no concreto do fuste
solicitações à compressão simples da ordem de 2000 3,142 6,28 11100 12570 15710

Estaca escavada - Santos / SP

6
Metodologia Executiva
O sistema de perfuração é a rotação com término da concretagem da estaca, o segmento de
eventual emprego de lama bentonítica. O equipamento camisa metálica deverá ser retirado.
consta essencialmente de uma Perfuratriz Hidráulica,
que aciona uma haste telescópica com comprimento b) Posicionamento da Perfuratriz
necessário para atingir as cotas do projeto, que
tem em sua extremidade inferior uma ferramenta de Depois de locada, a perfuratriz é nivelada a fim de
escavação. garantir a verticalidade da haste e, conseqüentemente,
A perfuratriz, que deverá ter torque adequado ao do furo.
diâmetro, ao tipo de terreno e a cota exigida, inclui uma
central hidráulica que comanda o “pull-down” da haste c) Perfuração
telescópica para dar maior penetração à ferramenta de
escavação. Instalada a guia e posicionado o equipamento,
Desde o início da perfuração adiciona-se lama inicia-se a perfuração adicionando lama bentonítica
bentonítica ao furo, mantendo-a sempre cerca de 1,50m mantendo-a sempre, de preferência, 1,5 metro acima da
acima do nível do lençol freático. cota do lençol para contenção das paredes de
escavação. Durante a perfuração é sempre necessário
a) Colocação de guia controlar a verticalidade. Especial cuidado deve ser
dispensado na escolha do tipo e da secção da
Como, em geral, o terreno superficial é menos ferramenta para uma perfuração correta e uniforme.
coerente, é colocado no terreno um segmento de camisa Ao se atingir a cota de assentamento da estaca,
metálica-guia com comprimento a 2,0 a 3,5 metros e prevista no projeto, a fiscalização deverá verificar se as
diâmetro interno no mínimo 10 centímetros maior que o características do solo naquela cota são compatíveis
diâmetro da estaca especificada no projeto e que servirá com as previstas no projeto, sendo em seguida feita a
de guia para a escavação da mesma. Logo após o desarenação ou troca da lama.

Posicionamento do Perfuração Desarenação ou Colocação Concretagem


guindaste e colocação da estaca troca da lama de armadura da estaca
de camisa-guia

Estaca Escavada de Grande Diâmetro 7


d) Colocação da Armadura constante e regular a fim de obter uma concretagem
adequada, com o concreto preenchendo o furo de baixo
Terminada a perfuração, procede-se à colocação para cima, garantindo a perfeita aderência do fuste da
da armadura em gaiolas pré-fabricadas, por meio de estaca ao terreno. O concreto deve satisfazer as
guindaste auxiliar ou com a própria perfuratriz, sendo a seguintes exigências:
armadura dotada de espirais, anéis de rigidez, e
espaçadores que possam garantir um recobrimento hFator água/ cimento [ 0.6.
conveniente da ferragem principal. hfck / 20MPa.
hPedra 1 (dimensão máxima característica 19 mm).
e) Concretagem hSlump 220 ± 30 mm.
hConsumo de cimento: 400 kg/m³.
A concretagem das estacas escavadas é h% de Argamassa em massa /55 % [massa do
submersa, ou seja, executada de baixo para cima de cimento + massa dos agregados miudos ] *100/[massa
modo contínuo e uniforme. cimento + massa dos agregados miudos + massa dos
Tal processo consiste no lançamento do concreto agregados graúdos].
por gravidade, através de um tubo (tremonha) central ao hPodem ser usados aditivos plastificantes.
furo, cuja extremidade inferior durante a concretagem hDiâmetro máximo do agregado não superior a 10% do
deve estar sempre imersa no concreto. diâmetro do tubo de concretagem.
A fim de evitar que a lama se misture com o concreto hPermitido o uso de agregados miudos artificiais
lançado, coloca-se um obturador no interior do tubo no conforme a NBR 7211.
início da concretagem. Obs.: A metodologia descrita anteriormente aplica-se
Após esta operação prossegue-se com o também para as estacas barrete e paredes diafragma
lançamento do concreto, devendo-se manter um fluxo moldadas “in-loco”.

Escavação com caçamba - Telesp Celular - São Paulo / SP Estaca escavada - Santos / SP

Estaca escavada - Santos / SP Estaca escavada - Santos / SP

8 Estaca Escavada de Grande Diâmetro


Lama Bentonítica
O emprego da lama bentonítica, de uso viscosidade, densidade, conteúdo percentual de areia e
difundido na tecnologia de perfurações petrolíferas, é de a presença de eventuais substâncias contaminantes.
aplicação relativamente recente na contenção de Importante na preparação de uma boa lama
paredes de uma escavação, datando mais ou menos de bentonítica é o controle da qualidade da água. De fato,
1952, época a partir da qual passou a ser aceito sem água com excesso de cloretos provoca a floculação da
qualquer restrição, sendo em alguns casos lama com conseqüente ausência de “gel” e precipitação
insubstituível. Com tecnologia análoga à utilizada nas da bentonita.
paredes diafragma e posteriormente nas estacas tipo Especial atenção deve ser dispensada ao controle
barrete, verificou-se ser possível executar estacas da densidade durante a perfuração e principalmente
escavadas de grande diâmetro sem aplicação de antes da concretagem pois, quando superior aos valores
revestimento, utilizando exclusivamente a lama desejados, denota a presença de elevada quantidade de
bentonítica que é a mistura em proporções convenientes material em suspensão. Esse material deve ser
de bentonita e água. eliminado através de um desarenador.
A bentonita é, pois, um mineral argílico, mont- Outra precaução indispensável é a de manter
morilonita, (silicato hidratado de alumínio) que absorve constante o nível da lama e cerca de 1,50m acima do
água até 6 a 7 vezes o próprio peso, aumentando de 15 a lençol freático durante toda a escavação, inclusive no
20 vezes o próprio volume, formando uma suspensão caso da suspensão permanecer muito tempo na
coloidal cuja propriedade fundamental é a tixotropia, ou escavação, durante interrupções do trabalho.
seja, a característica de sofrer transformação isotérmica A lama bentonítica pronta para ser utilizada deve ter
e reversível, apresentando-se como gel quando em as características resultantes da tabela abaixo.
repouso e como solução em agitação. Face a essa Terminada a perfuração do elemento de fundação e
propriedade, junto às paredes de uma perfuração e em antes de iniciar a concretagem, deve-se novamente
suas reentrâncias forma-se uma película (cake) de controlar as características da lama.
partículas de bentonita hidratada, que se constitui em
barreira à passagem da água, além de apresentar: Intervalos dos
Características Valores a 20ºC Método de ensaio
hviscosidade superior à da água;
Densidade 1,02 a 1,10 g/cm3 Balança de lama
htixotropia;
Viscosidade 30 a 90 Seg Método de Funil Marsh
hhabilidade de formação de película (cake);
Propriedades, estas, essenciais que tornam PH 7 a 11 Papel de PH
possível o emprego da bentonita na estabilização de Espessura do cake 1,0 a 2,0 mm Filter Press
escavações, mantendo-as íntegras, até que se processe Teor de areia Até 3% Baroid Sand Content
a concretagem.
No decurso da perfuração devem ser controlados A concretagem pode ser procedida quando a lama
alguns parâmetros característicos da lama, quais sejam: retirada tenha os parâmetros conforme tabela anterior.

Polímero para utilização


como fluido de escavação
O polímero que é utilizado como base para fluido de Como aditivo, é utilizado outro polímero que tem a
escavação de solo é uma poliacrilamida em emulsão de função de acelerar a floculação das partículas sólidas em
alto peso molecular e cadeias longas, sendo suspensão.
biodegradável. Quando em contato com a água, ocorre Após o processo de dosagem para a obtenção da
seu inchamento e o aumento da viscosidade da água. lama polimérica, de acordo com as características do
Sua aparência é viscosa e fosca, com as seguintes solo, a mesma é bombeada para os silos de
características: armazenagem para posterior utilização nas escavações.
Antes da utilização da lama polimérica, deve-se
Intervalos dos
Características Valores a 20ºC Método de ensaio fazer o ensaio de viscosidade utilizando o cone Marsh.
Durante o processo de escavação com a lama
Densidade 1,03 a 1,07 g/cm3 Balança de lama polimérica, deve-se sistematicamente controlar a
Viscosidade 45 a 48 Seg Método de Funil Marsh viscosidade da mesma, corrigindo sempre que a
PH
viscosidade se tornar inferior a 45 segundos, a fim de se
7 a 10 Papel de PH
manter a integridade da escavação.

Estaca Escavada de Grande Diâmetro 9


Capacidade de carga
O cálculo da capacidade de carga de um elemento parte da resistência de ponta (end bearing capacity) e da
de fundação é função das características do sub-solo e aderência lateral (shaft bearing capacity).
deriva da aplicação dos princípios da Mecânica dos No entanto, somente em casos particulares a
Solos. Para as estacas concretadas “in loco”, surgiu uma capacidade limite da estaca será igual somente a
série de fórmulas estáticas, composta de duas partes: resistência de ponta ou somente ao atrito lateral; em
uma que exprime a capacidade de carga devida a geral será a soma dos dois termos, cada um dos quais,
resistência por atrito lateral e a outra pela resistência da porém, não alcançará seu valor máximo.
ponta. Para obter soluções utilizáveis para fins O problema se reduz na avaliação teórica
práticos estabelecem-se hipóteses simplificadas e experimental dos “coeficientes de capacidade de
fixam-se limites ao sistema estaca/terreno, na realidade, carga” que fornecem os valores do atrito e da resistência
extremamente complexo. de base e permitem a determinação de seus valores
Admite-se, eventualmente, que a capacidade limite em função da característica do terreno e da
de uma estaca (ultimate bearing capacity) seja a soma da profundidade.

Descida de armadura - Telesp Celular - São Paulo / SP Trado dotado de bits especiais para rocha - Telesp Celular - São Paulo /SP

Desarenação da estaca Concretagem

10 Estaca Escavada de Grande Diâmetro


Estacas Engastadas em Rocha
Quando o projeto exige que as estacas sejam com a caçamba, é feita a substituição por trado especial
engastadas em solo de altíssima resistência ou em com "bits" de carboneto de tungstênio prosseguindo-se
rocha, pode-se adotar, como procedimento executivo, a escavação até a cota de projeto ou até material com
uma das alternativas abaixo: resistência à compressão simples de até 30 MPa. A
limpeza do furo é feita com o auxílio do "air-lift" antes da
a) Perfuração com trado: neste caso a escavação do colocação de armação e concretagem submersa. A
trecho em solo se fará normalmente com utilização de recuperação da camisa, quando prevista, dar-se-á
caçamba e lama bentonítca ou em função de condições simultaneamente à concretagem garantindo-se sempre
especiais, com camisa metálica recuperada ou perdida, o concreto cerca de 2,0m acima da extremidade inferior
ao invés da lama. Atingindo o limite de escavabilidade da camisa.

Colocação de Escavação com Perfuração com Limpeza de Colocação da Concretagem


camisa-guia caçamba trado com fundo com armadura
bits especiais air-lift

b) Perfuração com martelo de fundo: neste caso é fundo de diâmetro até 40cm e profundidade conforme
instalada, no trecho em solo, camisa metálica projeto. Estando os furos prontos, um trépano será
recuperável ou perdida e feita a limpeza interna com usado para quebrar os pedaços de rocha restantes e
caçamba. Atingida a rocha, coloca-se um gabarito para regularizar o furo. A limpeza, concretagem e retirada da
permitir a execução de furos tangentes, com martelo de camisa dar-se-á conforme item anterior.

Colocação de Escavação com Perfuração Limpeza de Colocação da Concretagem


camisa-guia caçamba com martelo fundo com armadura
de fundo air-lift

Estaca Escavada de Grande Diâmetro 11


c) Perfuração com circulação reversa: neste caso, a ou lama bentonítica. É possível, com equipamentos
escavação é totalmente revestida com camisa metálica especiais, escavar-se até diâmetro 300cm.
recuperável ou perdida, o material escavado por rotação, A concretagem e recuperação da camisa far-se-ão
com utilização de "rock-bit" e circulação reversa, de água como nas opções anteriores.

Cravação de Escavação com Perfuração com Colocação da Concretagem


camisa metálica benoto perfuratriz hidráulica armadura
com vibrador e sistema de
circulação reversa

d) Com estaca-raiz incorporada: neste caso, procura- O fuste é executado pelos sistemas usuais e
se prolongar, em profundidade, as estacas de grande armado com armadura perimetral em gaiola.
diâmetro, quando as características do terreno tornam Na maioria dos casos, devem ser colocados tubos
muito oneroso ou, às vezes, impossível o engastamento guias, antes da concretagem do fuste, para evitar a
das mesmas além de certos limites. perfuração do concreto.
O "estacão com estacas-raiz" é constituído de um Pelos tubos guias, então, serão executadas
fuste (estaca de grande diâmetro) escavado no terreno as estacas-raiz. É importante observar que, por se
até uma certa profundidade e prolongado por um certo tratar de perfuração em rocha, é recomendável
número de estacas-raiz. O número, diâmetro e que a perfuração seja executada através da
características dessas estacas-raiz variam conforme o utilização de um "martelo fundo de furo". O tubo
caso, de modo a alcançar a capacidade de carga guia, após a execução da estaca-raiz, deverá ser
desejada nas diversas situações de terreno que venham preenchido com argamassa até a cota de arrasamento
a ser encontradas. da estaca.

Estaca escavada incorporada com estaca-raiz

12 Estaca Escavada de Grande Diâmetro


Concretagem de estaca escavada - Santos / SP

Esquema do sistema de circulação reversa

Central de armazenamento de lama bentonítica - Metrô Linha 2


Estação Klabin - São Paulo / SP

Execução de estaca escavada de grande diâmetro - São Paulo / SP Execução de estaca escavada em rocha - Rodovia dos
Imigrantes - São Paulo / SP

Estaca Escavada de Grande Diâmetro 13


Estacas sem uso de lama
bentonítica
Por razões ambientais tem sido cada vez mais em diversos segmentos soldados e, antes da solda do
problemático o uso de lama bentonítica para elemento seguinte, é feita limpeza interna com a
estabilização das paredes das escavações das estacas perfuratriz, mantendo-se o revestimento sempre cheio
escavadas. Apesar de já ter-se desenvolvido bastante o de água.
uso de polímeros, ainda não pode ser solução para todas c) atingida a cota de projeto é feita a troca da água “suja”
as situações, função do tipo e grau de agressividade do por água limpa e uma limpeza do fundo com “air -lift”.
solo e da água contida em seus vazios. d) colocação da armadura, em módulos, em função do
Em função disso, a SPFE, empresa do grupo seu comprimento.
Brasfond, desenvolveu para sua obra em Portugal as e) concretagem submersa com a simultânea retirada da
estacas escavadas totalmente encamisadas e camisa metálica, também em segmentos.
recuperadas sem uso de lama bentonítica ou polímero.
A metodologia de execução foi assim definida: Cumpre observar que a metodologia acima pode
apresentar uma variante com a escavação parcialmente
a) posicionamento da camisa-guia e de perfuratriz. revestida (por exemplo, em um trecho inicial com
b) cravação da camisa metálica com uso de vibrador de expessa camada de argila mole) e neste caso o uso da
alta potência até a cota de projeto. Em função do lama bentonítica ou polímero será necessário para
comprimento da estaca esta camisa poderá ser cravada estabilizar o trecho da escavação sem revestimento.

Colocação Cravação de Limpeza Limpeza de Colocação da Concretagem Retirada


de camisa- camisa metálica interna com fundo com armadura simultânea
guia com vibrador caçamba air-lift da camisa
metálica

Cravação de camisa - Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Portugal Limpeza da estaca - Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Portugal

14 Estaca Escavada de Grande Diâmetro


SERVIÇOS CAPÍTULO 3

PAREDE DIAFRAGMA

Introdução

A hportantes com função de fundações profundas;


parede diafragma consiste em se realizar, no
subsolo um muro vertical de profundidades e hestruturas de contenção para prevenção de
espessuras variáveis, constituídos de painéis deslizamentos;
elementares, quer alternados, quer sucessivos, e aptos a hparedes para isolar terrenos contaminados;
absorver cargas axiais, empuxos horizontais e hproteção de fundações de pilares de pontes;
momentos fletores. h para estruturas portuárias (cais);
A parede poderá ter função estática ou de h execução de garagens subterrâneas;
interceptação hidráulica, podendo ser constituída de
concreto simples ou armado, pré-moldada ou de coulis, Além destas, uma das aplicações mais difundidas
conforme o escopo a se destinar. tem sido na canalização de rios e córregos, pois
Utilizada inicialmente na construção de "cut-off" de tem permitido com segurança, economia, rapidez e
barragens para interceptação de fluxos de infiltração, sem maior perturbação do tráfego urbano, solucionar
passou a ser aplicada na solução de grande número de o problema de enchentes pelo alargamento do
problemas quais sejam: canal, rebaixamento do leito e conseqüente aumento
hparede de contenção para escavações na construção de vazão.
de subsolos, inclusive nas proximidades de edifícios
existentes; A parede diafragma pode ser:
hna construção de galerias de metrô e passagens
subterrâneas; h moldada "in loco”
hem forma poligonal para execução de reservatórios h pré-moldada
subterrâneos e shafts; h de "coulis" (diafragma plástico)

Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP

15
PAREDE DIAFRAGMA MOLDADA “IN LOCO”
Metodologia Executiva

A metodologia executiva da parede diafragma


moldada no solo obedece ao seguinte roteiro:

a) execução de mureta-guia ao longo do perímetro;


b) escavação de terreno ou trincheiras com
comprimento de 2,50m ou 3,20m e seus múltiplos, até a
profundidade de projeto substituindo o material
escavado por lama bentonítica, simultaneamente;
c) execução da desarenação ou troca da lama
bentonítica, se necessário;
d) colocação das chapas-junta;
e) instalação de armadura em gaiolas;
f) colocação do tubo tremonha com funil;
g) concretagem submersa que deverá ser contínua até
cerca de 50cm acima da cota de arrasamento;
h) retirada lenta das chapas-junta após o início de pega
do concreto.

Tipos de Clam Shell


Seção (cm) Área (cm2) Seção (cm) Área (cm2)
30 x 250 7.500 60 x 250 15.000
30 x 320 9.600 70 x 250 17.500
40 x 150 6.000 80 x 250 20.000
40 x 250 7.500 90 x 250 22.500
40 x 320 12.000 100 x 250 25.000
50 x 150 10.000 110 x 250 27.500
50 x 250 12.500 120 x 250 30.000
60 x 150 9.000 - -
Clam shell hidráulico

vista lateral

Execução de Escavação do Colocação de Colocação do Retirada das


mureta-guia terreno até a chapas-junta e tubo tremonha chapas-junta
cota de projeto instalação da e concretagem
armadura submersa

16
33 Parede Diafragma Moldada “in loco”
Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP Metrô Copacabana - Rio de Janeiro / RJ

Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP

Parede diafragma moldada "in loco" com tirantes - R. Gomes de Carvalho - São Paulo / SP

Parede Diafragma Moldada “in loco” 17


PAREDE DIAFRAGMA PRÉ-MOLDADA
Introdução

As paredes diafragma pré-moldadas são hpodem ser utilizados painéis de espessura menor que
constituídas por uma série de elementos em concreto no caso de painéis concretados "in situ";
armado, preparados em usina ou no prório canteiro hpossibilidade de protensão, o que permite reduzir o
e aplicados em trincheiras escavadas em presença peso dos painéis;
de lama bentonítica, e posterior preenchimento parcial heliminação dos problemas ligados ao "over break", em
do fundo com concreto ou argamassa. particular dos "bolsões", que se formam na argila mole, e
Esses painéis são dimensionados e armados que acarretam perdas de concreto e custos adicionais
para responder às solicitações a que serão submetidos. de correção da parede;
heliminação de concreto na obra e, consequente-
Vantagens mente, dos eventuais problemas técnico-executivos
causados por atrasos do fornecimento durante a
Algumas das vantagens de paredes pré-moldadas: concretagem;
hpossibilidade da utilização de juntas especiais que
h acabamento perfeito da parte visível; garantam boas condições de estanqueidade.

Parede diafragma pré-moldada - Metrô Brasília / DF

18
33 Parede Diafragma Pré-moldada
Metodologia Executiva
A execução da parede diafragma pré-moldada b) parede totalmente pré-moldada
obedece à mesma metodologia de parede moldada “in Neste caso não há nenhuma concretagem "in situ", e
loco", no que se refere a escavação. Para a colocação sim, apenas esgastamento da parede pré-moldada
das placas pré-moldadas, dependendo das condições dentro do "coulis" (ver matéria parede diafragma
de projeto e das características do terreno, pode-se plástica). Três alternativas podem ser adotadas:
adotar as seguintes alternativas:
hescavação do painel já com o "coulis", uma vez que a
a) parede parcialmente pré-moldada mistura cimento-bentonita tem características
Nesta alternativa será concretada, "in situ", uma adequadas para garantir a estabilidade das paredes de
"ficha", cujos objetivos são: limitar o comprimento das escavação;
placas pré-moldadas e, assim, o seu peso; reduzir os hescavação do painel com lama bentonítica e troca da
recalques das placas quando sujeitas a cargas verticais mesma pelo "coulis", antes ou após a colocação do
(em função também do terreno de apoio), bem como elemento pré-moldado;
permitir que eventuais variações na profundidade da htroca parcial da bentonita pelo "coulis" antes da
escavação sejam compensadas pelo trecho moldado "in colocação das placas, de maneira a compensar o volume
situ". A "ficha" pode ser armada (mediante ferragem deslocado pelas mesmas, caso contrário faria
colocada na parte inferior das placas). transbordar o "coulis" fora da mureta-guia.

Seções típicas

2,50

10 20 10
40

2,50

2,50

Escavação Colocação da placa Concretagem do “pé” Placas pré-moldadas

Fase I Fase II Fase III

Lançamento de coulis e argamassa

Parede Diafragma Pré-moldada 19


Parede diafragma pré-moldada - Metrô Fortaleza / CE

Colocação de placa pré-moldada - Brasília / DF Parede diafragma pré-moldada - Travessia da Av. 23 de Maio - Metrô / SP

Ponta Metálica Antes da injeção Após a injeção

Aparelhos para nivelamento Junta


“Water stop”
Placa pré-moldada

Parede-guia

Detalhe de fixação da placa pré-moldada

20
33 Parede Diafragma Pré-moldada
PAREDE DIAFRAGMA PLÁSTICA
Introdução

A parede diafragma é uma barreira vertical


escavada com a utilização de "coulis" (mistura de
cimento, bentonita e água), com o objetivo de reduzir a
percolação horizontal da água. Para melhorar sua
eficiência, a parede deve penetrar na camada de solo
impermeável subjacente.
Dentre as diversas aplicações, podemos citar:
h execução de "cut-offs" de barragens;
h proteção de diques, cais e estruturas sensíveis a
parede plástica
deformações;
hisolamento de áreas contaminadas ou aterros
sanitários para impedir a degradação de lençol freático. Execução de “cut-off”

Características do "coulis" parede plástica

A função do "coulis" na execução de uma parede


diafragma plástica ou pré -moldada é:
escavação
hredução da percolação horizontal da água;
hpreenchimento de todos os vazios entre as placas e o
terreno, de maneira a garantir interligação e continuidade
entre os dois;
rebaixamento do N.A. por ponteiras
himpermeabilização das juntas, melhorando as
condições de estanqueidade. Proteção das escavações
Uma adequada dosagem dos componentes do
"coulis" permite a obtenção de características finais
adequadas ao projeto no que diz respeito a resistência,
estanqueidade e deformabilidade.
Baseando-se em tal know-how e pesquisas bem
como na prática de execução de obras, é possível definir parede plástica
os seguintes princípios básicos:
material contaminado

hpara substituir a lama bentonítica pelo "coulis" sem nível d’água rebaixado
contaminação entre os dois (o problema é relacionado
com a diferença de densidade dos dois líquidos), a
quantidade de cimento aconselhável é mais de 300
kg/m3 de "coulis". Isolamento de áreas contaminadas

Injeção de coulis Execução de pré-furo em arenito para escavação de parede plástica

Parede Diafragma Plástica 21


ha resistência do "coulis" é fortemente influenciada pelo A figura abaixo indica as variações de permeabilidade,
fator A/C, enquanto é menos influenciada pelo teor de deformabilidade e resistência em função de maior ou
bentonita, (nos limites de dosagem normalmente menor quantidade de água, bentonita ou cimento.
utilizados). Com uma dosagem de 300kg de cimento
para cada m3 de "coulis" atinge-se normalmente uma
resistência a 28 dias superior a 0,5 MPa. Vale salientar
que a resistência final do "coulis" é alcançada depois de Maior
Parte do diagrama
Permeabilidade
vários meses, chegando a ser mais que o dobro da normalmente utilizado
para diafragma plástico
resistência a 28 dias. ou pré-moldado
Água
hretração do "coulis" durante a pega e cura do mesmo.
Dependendo do grau de absorção do terreno, das
características do tipo de cimento e bentonita usadas e
de outros fatores, o abaixamento do nível do "coulis" em Maior Maior
relação ao das muretas-guia nas horas seguintes ao seu Deformabilidade Resistência
lançamento é, normalmente, da ordem de 5%, podendo
chegar a mais de 10% da altura tratada. É boa norma
adicionar "coulis" imediatamente quando o nível do
mesmo for baixado além do normal, para evitar
problemas de descontinuidade nas juntas e formação de
vazios atrás das paredes.
Bentonita Cimento
himpermeabilidade do "coulis". O "coulis" normalmente
utilizado apresenta um coeficiente de permeabilidade (k)
da ordem de 10-7cm/seg., entretanto sabe-se que o valor
de k tende a diminuir com o tempo. Dosagem da mistura cimento-bentonita - F.A. Jefferis (1981)

Clam shell com guia especial Vista aérea PCH Garganta da Jararaca - Campo Novo de Parecis / MT

Metrô Linha 4 Estação da Luz - São Paulo / SP Metrô Linha 4 Estação da Luz - São Paulo / SP

22
33 Parede Diafragma Plástica
Metrô Linha 4 Estação da Luz - São Paulo / SP Metrô Linha 4 Estação da Luz - São Paulo / SP

Trecho de parede plástica escavada - Metrô Linha 4 Estação da Luz - SP Trecho de parede plástica escavada - Metrô Linha 4 Estação da Luz - SP

Em primeiro plano, execução de pré-furo em rocha. Ao fundo Parede diafragma plástica com escavação em arenito - PCH Garganta da
diafragmadora escavando - Campo Novo de Parecis / MT Jararaca - Campo Novo de Parecis / MT

Parede Diafragma Plástica 23


SERVIÇOS CAPÍTULO 4

ESTACA BARRETE

Introdução

N hpossibilidade de atingir grandes profundidades (até 70


a ocorrência de cargas elevadas em obras de
vulto, o tipo de estaqueamento que também metros);
pode ser utilizado é o de estacas tipo barrete, hpossibilidade de executar a estaca em praticamente
que são estacas de secção retangular derivadas de um todos os tipos de terreno, com nível de água ou não, e
ou mais painéis de parede diafragma e utilizados atravessar matações de pequenas dimensões com a
como elementos portantes de fundações em aplicação de ferramentas especiais (trepano);
substituição às estacas de grande diâmetro e suas hredução no volume de concreto nos blocos de
vantagens são: coroamento.
hconhecimento imediato e real de todas as camadas
atravessadas; Em geral costuma-se aplicar às estacas barrete
hausência de vibração; cargas de trabalho que induzam no concreto do
hgradual adaptação da estaca às condições físicas do fuste solicitações à compressão simples da ordem de
terreno, com sensível incremento do atrito lateral; 3,5 à 5 MPa.

Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP Estaca Barrete de 7,00 x 1,00 x 48,00 m de profundidade (funcionando
também como pilar) - Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP

24
33
Metodologia Executiva
É a mesma da estaca escavada de grande
diâmetro, diferindo no equipamento de perfuração, que é PLANTA DA ESTACA
um clam-shell no lugar da mesa rotativa ou perfuratriz, e a 5 5
guia, que não será metálica e sim de concreto conforme
b
desenho ao lado. A
As cargas admissíveis como elemento estrutural
5
podem ser aproximadamente as indicadas na tabela
abaixo: a
ESTACA BARRETE

5
Dimensões Cargas
usuais Área Perímetro (KN)
(cm) (m2) (m) A
3,5MPa 4,0MPa 5,0MPa Alça
Parede-guia
150 x 40 0,60 3,8 2100 2100 2400
150 x 50 0,75 4,0 2600 2600 3000 CORTE A-A
5
150 x 60 0,90 4,2 3150 3150 3600 30 a 30

Alça C/100
250 x 30 0,75 5,6 2600 2600 3000
250 x 40 1,00 5,8 3500 3500 4000
250 x 50 1,25 6,0 4380 4380 5000
Reaterro
250 x 60 1,50 6,2 5250 5250 6000
250 x 70 1,75 6,4 6130 6130 7000 E 10mm C/20

250 x 80 2,00 6,6 7000 7000 8000


250 x 90 2,25 6,8 7880 7880 9000 Estribos
E 6,3mm C/20
250 x 100 2,50 7,0 8750 8750 10000 10 10

250 x 110 2,75 7,2 9630 9630 11000 Limite da escavação


5
250 x 120 3,00 7,4 10500 10500 12000
15 15
- aça Ca50
- fck = 15MPa
Naturalmente, a capacidade de carga de uma a = espessura da estaca
Detalhe da
alça E 12,5mm
estaca é, sobretudo, função das características do b = largura da estaca acrescida de 10cm
terreno, pelo que se torna indispensável um estudo Obs.: Quando a largura da estaca for igual ou maior do
que 2,60m, desprezar o acréscimo de 10cm na dimensão b.
geotécnico preciso e correto para se definir, caso a caso,
a capacidade de carga máxima permissível. Detalhe de mureta-guia

Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP Concretagem de estaca barrete

Estaca Barrete 25
SERVIÇOS CAPÍTULO 5

ESTACA HÉLICE CONTÍNUA


COM MONITORAÇÃO ELETRÔNICA

Introdução

O
uso das estacas hélice contínua existe há vários isso é muito usada em centros urbanos e nas áreas que
anos e a sua origem foi nos Estados Unidos. que possuem equipamentos sensíveis à vibrações.
Além da execução da estaca, o equipamento de
hélice contínua pode ser usado ainda para: Características do concreto utilizado:

hexecução de pré-furos para implantação de perfis h fck / 20 MPa.


metálicos ou estacas pré-moldadas em terrenos h Agregado = pedrisco.
resistentes, onde a simples cravação poderia danificar a hConsumo mínimo de cimento = 400kg/m³.
cabeça das estacas; hSlump = 220630 mm.
hconstituir uma cortina com estacas espaçadas e hFator água/ cimento [ 0.60.
concreto projetado entre elas. hPedra 0 (dimensão máxima característica 12.5 mm).
h% de argamassa em massa /55% [Massa do cimento
Em função do torque dos equipamentos ter + Massa dos agregados miudos]*100/[Massa do
aumentado significativamente nos últimos anos, tem cimento + Massa dos agregados miudos + Massa dos
sido possível executar estacas de maiores diâmetros e agregados graúdos].
bem mais profundas, além de se poder perfurar terrenos hConcreto bombeado.
cada vez mais resistentes. hPodem ser usados aditivos platificantes.
Uma das mais importantes características da hPermitido o uso de agregados miudos artificiais
estaca hélice contínua é que não produz vibrações, por conforme a NBR 7211.

Estaca hélice contínua - Vila Mariana - São Paulo / SP

26
33
Metodologia executiva
A metodologia executiva de uma estaca hélice c) retirada contínua e lenta do trado, sendo o espaço
contínua obedece ao seguinte roteiro: anteriormente ocupado pelo trado preenchido com
concreto, que é mantido sob pressão medida no topo do
a) posicionamento do equipamento e perfuração do trado, até o final de concretagem. Nesta etapa é utilizado
terreno com o trado até a profundidade definida em o “limpador mecânico” que permite retirar o material das
projeto. Durante essa etapa o solo é bloqueado pelo hélices do trado.
fundo e assim o material preenche as hélices do trado.
d) posicionamento da armadura imediatamente após o
b) injeção de concreto bombeado pelo corpo central do término da concretagem, enquanto o concreto ainda
trado até o topo, sob pressão. está em início de cura.

Perfuração do terreno com trado Concretagem sob pressão Colocação da armadura


com simultânea retirada
do trado

Características nominais das Estacas Hélice Contínua

Descrição UN Valores
Diâmetro cm 35 40 50 60 70 80 90 100 110 120
KN 600 800 1300 1800 2400 3200 4000 5000 6000 7000
Carga admissível estrutural máxima
Tf 60 80 130 180 240 320 400 500 600 700
Distância mínima entre eixos cm 90 100 130 150 175 200 225 250 275 300
Distância eixo-divisa cm 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100
Área da seção transversal cm2 962 1257 1964 2827 3848 5027 6362 7854 9498 1130
Perímetro cm 110 126 157 188 220 251 283 314 345 376
As cargas indicadas acima referem-se as cargas admissíveis como elemento estrutural ficando a cargo do Engenheiro Geotécnico a definição da profundidade
das estacas para que haja a suficiente interação estaca-solo.

Estaca Hélice Contínua com Monitoração Eletrônica 27


Estaca hélice contínua - Guarulhos / SP

Execução de estaca hélice contínua Execução de estaca hélice contínua - Bahia

28
33 Estaca Hélice Contínua com Monitoração Eletrônica
Instrumentação / Controle de qualidade

Sem dúvida um aspecto importante na execução de


estacas hélice contínua é a possibilidade de se monitorar
toda a execução garantindo assim o controle da perfeita
execução e qualidade da estaca.
O advento da instrumentação confiável tem
aumentado a compreenssão da técnica de execução
dessas estacas e trazido, assim, mais confiança ao
método.
Os parâmetros essenciais e que são normalmente
medidos durante o processo de execução, são:
hprofundidade;
htorque;
hvelocidade de penetração;
hrotação de trado por unidade de penetração;
hpressão do concreto;
htempo de concretagem;
hvelocidade de extração do trado.
Além dessas informações, o sistema de
monitoração informa ainda todas as características da
estaca: excesso de concreto, dia e hora de execução;
informações essas impressas em uma folha, para cada
estaca, conforme mostrado abaixo: Painel de controle

Registro da estaca

Estaca Hélice Contínua com Monitoração Eletrônica 29


Cabine de controle e monitoração Descida de armadura

Estacas hélice contínua para contenção - Metrô Linha 2 Estação Klabin - São Paulo / SP

30
33 Estaca Hélice Contínua com Monitoração Eletrônica
SERVIÇOS CAPÍTULO 6

ESTACA-RAIZ

Introdução

A
s “estacas-raiz” (pali radice, root pile) são estacas
escavadas com injeção, segundo NBR 6122/96,
de pequeno diâmetro concretadas “in situ” e
estão sendo utilizadas, nos últimos anos, de maneira
sempre mais freqüente.
As “estacas-raiz” se constituem, de fato, num dos
processos mais difundidos no campo das obras de
reforço de fundações, consolidação de taludes e de
fundações normais ou de tipo especial, em presença
também, e sobretudo, de terrenos particularmente
difíceis, por exemplo, com presença de matacões e
rocha. As principais características típicas de estaca (alta
capacidade de carga com recalques muito reduzidos,
possibilidade de execução em área restritas e alturas
limitadas com perturbação mínima do ambiente
circunstante, em qualquer tipo de terreno e em direções
especiais, com utilização quer a compressão, quer
a tração) permitem de fato resolver com sucesso a maior
parte dos problemas ligados com reforço de fundações e
consolidação de terrenos.
A concepção e o aperfeiçoamento dos primeiros
modelos de “pali Radice” realizados pela Fondedile
SpA - Napoles - Itália remontam há mais de 50 anos
quando seu inventor, o Engº. F. Lizzi, diretor técnico
daquela empresa, requereu as primeiras patentes em
1952.

Estaca-raiz com utilização de martelo de fundo - Jurubatuba / SP Execução de estaca-raiz - Rodovia Anchieta / SP

Estaca-Raiz 31
Aplicações

Dentre as inúmeras aplicações, podemos citar: hparedes de contenção para proteção de escavações
nas imediatas vizinhanças de construções existentes
hreforço de fundações; (estacas justapostas);
hfundações de difícil execução pelos métodos hcontenção de taludes;
tradicionais quer pela ocorrência de matações no sub- hproteção para escavação de galerias de metrôs em
solo, quer pela exigüidade de espaço em superfície e pé- centros habitados;
direito reduzido; hfundações de máquinas sujeitas a vibração;
hreforço de cais de atracação; hancoragem de muros de arrimo e paredes diafragma;
hfundação de bases de equipamentos em unidades htirante-raiz;
industriais em operação; hfundações de cambotas de túneis em fases
hfundações de pontes; construtivas.

Exemplos de aplicação da Estaca-Raiz

Reforço de Fundações de Monumentos Históricos


Ex.: Palácio da Liberdade - Belo Horizonte - MG

Aplicação de estacas-raiz na Esquema de estrutura de contenção


construção de andares em edifícios
existentes.

Consolidação dos blocos de fundação de ponte

Estrutura reticular tridimensional de estacas-raiz Sub-fundação de edifício com


para sub-fundação de edifício reticulado de estacas-raiz para
previnir recalques decorrentes
de escavação de galerias de
metrô

Reforço de cais de atracação Estrutura reticular em Consolidação de taludes em terrenos soltos


formação rochosa

32
33 Estaca-Raiz
Metodologia executiva
a) Perfuração

a1) Perfuração em solo


A perfuração é executada, normalmente, por metálica no interior do revestimento. Esta pode ser
rotação com revestimento contínuo do furo e com auxílio constituída de uma ou mais barras de aço de aderência
de um fluído em circulação (geralmente água); o melhorada ou, para as estacas de maior diâmetro, de
revestimento de perfuração possui na base uma várias barras montadas em gaiolas ou de um tubo.
ferramenta (coroa), dotada de pastilhas de metal duro,
de diâmetro ligeiramente superior ao do revestimento. c) Concretagem
Os detritos resultantes da perfuração são trazidos à Uma vez armada a estaca é colocado, no interior do
superfície pelo fluído em circulação através do interstício tubo de perfuração, o tubo de concretagem, que é
anelar que se forma entre o tubo e o terreno. introduzido até o fundo; através deste tubo é lançada a
Isto determina também, portanto, que o diâmetro argamassa de cimento, dosado com 600kg de cimento
acabado da estaca seja sempre maior que o diâmetro por metro cúbico de areia peneirada, com uma relação
nominal do instrumento de perfuração. média água/cimento de 0,6 dependendo do tipo de areia
A medida que prossegue a perfuração, o utilizada. Obs.: é indicado o uso de areia média lavada.
revestimento metálico penetra no terreno e os vários A argamassa de cimento, lançada de baixo
segmentos são ligados entre si por juntas rosqueadas. para cima, garante que a água (ou a lama de
perfuração) seja deslocada para fora e seja substituída
a2) Perfuração em rocha pela própria argamassa. Durante esta operação o furo
Ao atingir a rocha, e havendo a necessidade de permanece sempre revestido e, portanto, a operação
penetrá-la, esta perfuração é feita normalmente se realiza com o máximo de segurança. Uma vez
utilizando martelo de fundo a roto-percussão até a cota que o tubo de perfuração esteja preenchido de
de projeto. argamassa, procede-se a extração da coluna de
perfuração com ferramenta adequada, ao mesmo
b) Armadura tempo que se aplica ar comprimido, nos casos em
Terminada a perfuração, é colocada a armadura que as características do terreno assim o exigirem.

Execução de estaca-raiz em rocha - Obra Ponte Estaiada - São Paulo / SP

Estaca-Raiz 33
Estimativa da capacidade de carga

A ordem de grandeza da capacidade de carga Pr L = comprimento útil da estaca.


(carga de rutura) à compressão de uma estaca-raiz pode A carga admissível Pa da estaca-raiz será estimada por:
ser estimada em função dos resultados das sondagens
Pr
de reconhecimento à percussão, executadas de acordo Pa =
2
com a norma NBR-6484 da ABNT, pela fórmula seguinte:
É necessária a realização de provas de cargas à
Pr = a Np Ap + b NPL compressão ou tração para comprovação dos
comprimentos seguidos pela equação acima.
Onde:
a = coeficiente que depende do tipo de solo onde se
situa a ponta da estaca. a b
Np = média dos valores dos índices de resistência à
Solo (tf/m2) (tf/m2)
penetração (SPT) determinada a um metro acima e a um
Argila siltosa 9
metro abaixo da ponta da estaca. Os valores de SPT
superiores a 40 devem ser tomados iguais a 40. Silte argiloso 10
Ap = área da ponta da estaca. Argila arenosa 11
b = índice de atrito lateral. Silte arenoso 12
0,6
N = média dos valores dos índices de resistência à Areia argilosa 13
penetração (SPT) medida ao longo do fuste da estaca. Areia siltosa 16
Os valores de SPT superiores a 40 devem ser tomados
Areia 20
iguais a 40.
Areia com pedregulhos 26
P = perímetro do fuste da estaca.

Legenda:
a - tubo de perfuração
b - coroa
c - armadura
d - tubo de concretagem
e - argamassa
f - tampão
g - ar comprimido

Fases de execução:
1- Perfuração em execução
2- Perfuração terminada
3- Colocação de armadura
4- Introdução de argamassa
5- Introdução de argamassa
terminada
6- Retirada do tubo de perfuração
e aplicação de ar comprimido
7- Estaca-raiz completa

Fases de execução da Estaca-raiz

Estaca-raiz em rocha Cortina de estacas-raiz - São Paulo / SP

34
33 Estaca-Raiz
Carga admissível estrutural

.No caso de uma estrutura reticular, a capacidade


de carga do conjunto depende do número e da Diâmetro (mm) Carga de Trabalho
disposição dos elementos da estrutura, sendo função
Perfuração Acabado (KN)
não só das características do terreno, como também da
natureza e grandeza dos esforços que o complexo deve
suportar, variando, portando, caso por caso. 82 100 Até 100
As bases de avaliação, para definição do 101 120 Até 150
comportamento de um reticulado de estacas-raiz, são a
resistência individual da estaca (controlável por prova 114 140 Até 200
direta) acrescida do comportamento do conjunto 127 150 Até 250
estaca/terreno.
140 160 Até 350
Este comportamento do conjunto pode ser avaliado
em base as características geotécnicas do terreno 168 200 Até 500
natural, confirmado por provas experimentais e da 220 250 Até 700
experiência de aplicações anteriores.
275 310 Até 1000
A partir desses elementos é possível estabelecer,
em caráter muito genérico, as cargas de trabalho 355 400 Até 1300
aproximadas das estacas-raiz em seus diversos
406 500 Até 1600
diâmetros, que seriam as seguintes:

Estaca-raiz com utilização de martelo de fundo - Jurubatuba / SP Vista Geral - Shopping Praia da Costa - Vila Velha / ES

Obra Fura-fila - São Paulo / SP Estaca-raiz em local com pé-direito reduzido - Edifício Núncio Malzoni -
Santos / SP

Estaca-Raiz 35
Estaca-raiz em rocha com utilização de martelo de fundo Estaca-raiz em rocha

Estaca-raiz em rocha Execução de Estaca-raiz em rocha - Obra Ponte Estaiada - São Paulo / SP

36
33 Estaca-Raiz
SERVIÇOS CAPÍTULO 7

JET GROUTING

Introdução Metodologia executiva

O
s sistemas de consolidação de solos baseados a) perfuração por destruição do núcleo até a
em injeções de misturas de cimento que se profundidade de projeto e, mesmo nesta fase, utilizando
inserem nos terrenos, permaneceram sempre bomba de altíssima pressão;
condicionados a elementos que, em muitos casos, ou b) na presença de matacões ou a necessidade de um
limitaram seu emprego ou prejudicaram seu resultado. perfeito contato solo-rocha, usa-se Martelo de Superfície
Tais como: Hidráulico;
c) introdução de uma válvula no monitor (normalmente
himpossibilidade de execução de tratamento em zona uma esfera de aço) para bloquear a saída do líquido em
de terreno de conformação geométrica definida; direção axial, desviando-o em direção aos bicos laterais;
d) início da fase de injeção da calda de cimento a
hem presença de terrenos de características de altíssima pressão através dos bicos laterais;
permeabilidade e granulometria muito heterogêneas, e) levantamento das hastes de perfuração com rotação,
fuga da mistura nas zonas de maior permeabilidade pressão de injeção, tempo parado e espaçamento na
e ausência de cimentação nas zonas menos subida (passo), pré-definidos.
permeáveis;

hdificuldade de execução nos casos em que é


necessário limitar a pressão de injeção para evitar
perigosos deslocamentos de massas de terreno ou de
edificações.

Por isso foi desenvolvido um método capaz de se


valer da atuação de um jato da calda de cimento
introduzido no terreno a alta pressão e elevada
velocidade através de bicos injetores, num raio bem
determinado, de tal modo que desagrega o solo
misturando-se a este formando, assim, as colunas Perfuração por Início da fase de Levantamento
destruição do injeção de calda das hastes de
de solo-cimento. Chama-se este processo de Jet núcleo até a de cimento perfuração com
Grouting. cota de projeto rotação

Execução de colunas CCP - Metrô Copacabana - Rio de Janeiro / RJ

Jet Grouting 37
Execução de colunas CCP com utilização de Martelo de Superfície - Execução de colunas CCP com utilização de Martelo de Superfície -
Metrô Copacabana - Rio de Janeiro / RJ Metrô Copacabana - Rio de Janeiro / RJ

Execução de colunas CCP - Metrô Copacabana - Rio de Janeiro / RJ

38 Jet Grouting
Tecnologias utilizadas
a) C.C.P. (Chemical Churning Pile) diâmetros geralmente superiores a 0,90m, chegando até
2,00m.
Como é conhecido, tal tecnologia permite executar
colunas de jet grouting de diâmetro compreendido entre c) Sistema “J.G.3” (3 vias)
0,50 e 0,80m.
O método executivo é similar aquele descrito no
b) Jumbo Special Grouting (J.S.G) caso do sistema “J.S.G.”, quanto a confecção das
colunas.
A diferença entre este tipo e o anteriormente As diferenças fundamentais podem ser assim
descrito consiste na utilização, além do jato de nata resumidas:
de cimento, de um jato de ar comprimido (7 kg/cm²) ha função de destruição da estrutura do solo é exercida
que envolve o jato de nata. As hastes de perfuração por um jato de água de altíssima pressão envelopado por
são formadas por 2 (dois) tubos concêntricos. um colete de ar comprimido.
Através do tubo interno circula a calda de cimento, ho tratamento do terreno mediante injeção de calda é
enquanto no espaço anelar entre os dois circula o ar efetuado simultaneamente por meio de bicos
comprimido, que sai junto com a calda de cimento, mas suplementares que são colocados abaixo dos bicos de
sem misturar-se diretamente com este, criando-se um saída de água/ar comprimido, sendo, portanto, os
cone de ar em torno do jato possibilitando um maior espaços vazios, provocados pelo jato de água,
alcance. preenchidos imediatamente após pela calda.
O invólucro de ar possibilita um maior alcance de O sistema J.G.3 permite alcançar diâmetros das
jato. Tal procedimento permite a execução de colunas de colunas superiores a 2,00m.

1) Silo de Cimento
2) Misturador
Cimento
3) Bomba
4) Perfuratriz
1
2 3 4

Execução de C.C.P.

1) Silo de Cimento
Cimento 2) Misturador
3) Bomba
Ar
4) Perfuratriz
1
5) Compressor
2 3 4

Execução de J.S.G.

1) Silo de Cimento
Cimento 2) Misturador
Água 3) Bomba
Ar 4) Perfuratriz
1
5) Compressor
2 3 4

Execução de J.G.3 Central de mistura de calda de cimento para jet grouting - Santos / SP

Jet Grouting 39
Aplicações
Conforme as características descritas, o sistema c) Sistemas Estruturais “Mistos”
“jet grouting” é empregado em todos aqueles casos
onde, pela heterogeneidade dos terrenos ou pelas Execução de cortina de jet grouting englobando-se
características anômalas de permeabilidade, se tornem perfis metálicos (cravados anteriormente), para fins de
de difícil ou duvidosa execução os sistemas tradicionais escavação de “PITS”, em estabelecimento industrial.
de injeção e de perfuração.
Colunas
diafragma CCP
a) Diafragmas com paredes impermeáveis Tirante-raiz

Com o sistema “jet grouting” torna-se possível a


execução de paredes impermeáveis em terrenos nos
quais a escavação das paredes diafragma torna-se difícil
pela presença de grandes matações ou de obstáculos l 12”
de natureza variada.

d) Estabilização preventiva do solo para escavação


de túneis

Em caso de solos da baixa capacidade portante, o


tratamento permite a estabilização da abóbada, e inverte
paredes laterais do túnel, antes da escavação.
O tratamento pode ser executado a partir da
superfície, ou dentro do túnel, em alternância com a
escavação (CCPH).

b) Blocos de Fundação

Utilizado para a formação de blocos de terreno


fortemente consolidado em condições de receber
cargas de fundação.

40 Jet Grouting
e) Tampões de fundo de escavações g) Painel Jetting

O sistema permite executar tampão de fundo de Esta tecnologia permite a realização de painéis
uma escavação, tratando preliminarmente uma zona de impermeáveis, para isolamento de estruturas,
terreno em profundidade. Esta solução garante a escavações e da água do terreno. O método executivo
estabilidade durante escavação em presença de lençol consiste em aplicar o jato de calda de cimento
freático, neutralizando os eventuais efeitos da sub- unidirecionalmente, sem rotação das hastes, regulando
pressão (sifonamento). adequadamente os parâmetros de pressão e subida.

f) Reforço de pisos industriais

No reforço de pisos industriais, sujeitos a grandes


cargas que provocam recalques e deformações
indesejáveis, e que constituem apoio direto para o piso,
o tratamento de jet grouting produz consolidação do
terreno entre as colunas.

Execução de jet grouting vertical - Metrô Copacabana / RJ

Jet Grouting 41
Monitoração de Colunas de Jet
Grouting
Procurando manter-se atualizada com as novas Folha de controle de execução
técnicas de perfuração e controle da execução no JET GROUTING
sentido de melhorar a qualidade e produtividade Coluna 1180
Data: 29/01/97 Volume
Contrato C09A9
: 7.69 m
Início: 18h 01 Volume por metro : 947 l/m
em suas obras, a Brasfond introduziu recentemente Fim: 19h 58 Profundidade : 4.02 - 12.14 m

o sistema jet grouting monitorado, conforme mostrado VA


m/h
PE
bars
PA
bars
VR
rpm
VS J
Em/min
VR J
rpm
Par J
bars
PC J
bars
DC J
l/mn
Vol
l/m

a seguir, cuja finalidade é dar à própria Brasfond,


como a seus clientes, um melhor controle e qualidade 1 1 1 1 1 1 1 1 1

do tratamento executado, bem como garantir uma 2 2 2 2 2 2 2 2 2

rigorosa observância e controle das premissas de 3 3 3 3 3 3 3 3 3

projeto. 4 4 4 4 4 4 4 4 4

O computador que utilizamos para monitorar as 5 5 5 5 5 5 5 5 5

colunas de jet grouting é de fabricação francesa, da 6 6 6 6 6 6 6 6 6

empresa Jean Lutz. O aparelho, denominado LT 3, 7 7 7 7 7 7 7 7 7

é de última geração, com aplicação para diversas 8 8 8 8 8 8 8 8 8

monitorações na área de fundações. Basicamente, o 9 9 9 9 9 9 9 9 9

sistema é constituído de parâmetros que são 10 10 10 10 10 10 10 10 10

medidos pelos diversos sensores que, eletricamente, 11 11 11 11 11 11 11 11 11

os transmitem ao computador instalado na própria 12 12 12 12 12 12 12 12 12

perfuratrtiz. Este computador mostra, em uma tela de


VA : Velocidade de avanço PI : Presssão de injeção (perf) PA : Presssão de avanço (perf) VR : Velocidade de rotação
cristal, os dados necessários para o operador VS J : Velocidade de subida
VC J : Vazão de calda
VR J : Velocidade de rotação (jet)
Vol : Volume da calda
Par J : Pressão do ar (jet) Par J : Pressão de calda (jet)

executar uma coluna com a máxima qualidade.


Simultaneamente a execução, o computador grava
essas informações em cartão magnético de memória.
O cartão gravado é inserido em um decodificador, que
possibilita a transferência desses dados para um
computador tipo PC, onde estes dados são
trabalhados por um software específico, que permite a
impressão de relatórios individuais por coluna ou
resumos diários.
Na monitoração das colunas de jet grouting com o
LT 3, o própro computador comanda a extração da haste
de perfuração/injeção, podendo a subida ser contínua
ou passo a passo. Legenda:
Os principais parâmetros "medidos" pelo sistema
1- Computador LT3 7- Caixa de conexões B1
são: 2- Sensor de profundidade 8- Alimentação de CC (sistema
3- Sensor de pressão de calda elétrico da perfuratriz)
4- Sensor de velocidade de 9- Cabo de ligação principal
a) na perfuração: profundidade, rotação da haste, força rotação 10- Botão/ interruptor de
de penetração e tempo. 5- Botão/ interruptor de comando de injeção
comando de injeção 11- Memobloc SC, cartão para
6- Caixa de conexões B2 transferência de dados
b) na injeção: profundidade, pressão de calda, pressão
de ar, volume de calda, rotação da haste e tempo. Painel de controle

Painel de controle do misturador Bomba de jet grouting

42 Jet Grouting
Vista geral - Misturador e bomba de alta pressão

Parâmetros de cálculos aconselhados Diâmetro de colunas executadas

Os valores da resistência a compressão simples e Os diâmetros mínimos e máximos alcançados nos


do módulo elástico de um solo tratado mediante jet vários tipos de terreno, pela nossa firma, em obras e
grouting são influenciados por uma série de fatores, testes de campo, são resumidos na tabela ao lado.
inclusive pelas características físicas e químicas de cada A experiência tem comprovado a tendência da
solo encontrado. diminuição do diâmetro da coluna com o aumento da
Em conseqüência, a tabela abaixo apresenta as coesão do solo, para os mesmos parâmetros de injeção
variações desses valores, em vários tipos de solo. e o mesmo s.p.t., se comparado com solos granulares.
Os valores das tabelas acima (especialmente os do A técnica da pré-ruptura, oportunamente aplicada,
modulo elástico E) apresentam grandes oscilações, permite aumentar consideravelmente o diâmetro das
portanto os limites indicados valem somente como colunas em solos de alta consistência ou capacidade.
referência, e para uma correta definição das Obviamente a influência do grau de compactação dos
propriedades mecânicas de um solo tratado é solos granulares é também muito significativa. Portanto o
necessária a prévia realização de um campo de prova. diâmetro alcançado em solos arenosos muito
compactos pode ser significativamente menor que no
caso de solos coesivos moles.
Observa-se que no caso do J.S.G., de maneira
Tipo de Terreno R (kgf/cm2) E (kgf/cm2)* geral, os resultados tendem a ser mais homogêneos
para os vários tipos de solo, que no caso do C.C.P.
Argiloso 5 - 10 1.000 - 3.000

Silto argiloso 10 - 20 3.000 - 6.000 Diâmetro alcançado em função


da tecnologia executada
Silto arenoso 25 - 50 6.000 - 14.000
C.C.P J.S.G J.G.3
Arenoso (médio - fino) 40 - 70 12.000 - 27.000

Arenoso (grosso-pedr.) 50 - 100 20.000 - 60.000 0.50m a 0.80m 0.90m a 2.00m 1.40m a 2.80m

* Valores referentes a amostras testadas após de 60 dias de cura

Jet Grouting 43
Profundidade máxima aconselhada

a) Colunas para realização de cortinas da coluna, e = distância entre eixos de colunas. O valor
impermeáveis 0.01 corresponde ao desvio tolerado (1%) e o valor 0.75 é
um coeficiente estatístico que leva em conta a
É oportuno limitar a profundidade do tratamento e, probabilidade de que os desvios de duas colunas
para tal, sugerimos a seguinte fórmula, para garantir sucessivas não sejam totalmente opostos.
suficiente superposição das colunas contra os
possíveis desvios da verticalidade, onde: D = diâmetro b) Colunas para tratamento de fundo de escavação
(tampão de fundo)

D-e D - 1.15 e
H max = H max. =
2 x 0.01 x 0.75 2 x 0.01 x 0.75

Eventual viga de coroamento Tampão de fundo de escavação


(esquema “triangular”)
D
e D

e
Cortina realizada mediante colunas de jet grouting

Execução de colunas CCP - Metrô Linha 4 Praça da República - SP Execução de colunas CCP - Metrô Linha 4 Praça da República - SP

44 Jet Grouting
SERVIÇOS CAPÍTULO 8

TRATAMENTO DE MACIÇOS
PARA EXECUÇÃO DE TÚNEIS

Introdução

A
construção de obras subterrâneas, Entende-se por "tratamento dos maciços de solos"
principalmente em áreas urbanas, sobretudo em todo e qualquer serviço que tenha por finalidade
médias e grandes cidades, tem sido adotada estabilizar o solo para evitar rupturas, reduzir a valores
como solução aos problemas de adensamento admissíveis as deformações e os recalques do maciço
populacional e disputa pelo uso do solo. Túneis durante a escavação ou em função do adensamento do
rodoviários, ferroviários, metroviários entre outros tipos, solo mole, bem como dar estanqueidade ao maciço,
vêm sendo crescentemente utilizados em vários países, reduzir sua permeabilidade e as pressões
inclusive no Brasil. A engenharia de túneis brasileira tem hidrodinâmicas. Existem váris métodos de tratamento do
tido um enorme desenvolvimento nos últimos 10 anos, solo, entretanto temos direcionado a atuação no sentido
notadamente o método N.A.T.M. (New Austrian de desenvolver e aplicar os seguintes métodos:
Tunnelling Method), mediante escavações parcializadas
e revestimento de concreto projetado associado a a)Colunas de solo-cimento moldadas "in loco" pela
cambotas e telas metálicas soldadas. tecnologia do "jet grouting"
Para que as obras urbanas sejam executadas
pelo método acima, em condições de estabilidade e A tecnologia do jet grouting é o método mais
de deformações satisfatórias dos maciços, foram moderno de consolidação de maciços e que pode ser
empregados os mais diversos tipos de tratamento, aplicado a qualquer tipo de solo (desde argilas até
para melhoria das suas propriedades mecânicas, pedregulhos). A consolidação de maciços com o uso da
segundo Teixeira (1995), "Simpósio sobre túneis tecnologia jet grouting tanto pode ser executado através
urbanos". de colunas verticais ou horizontais (CCPH).

Metrô Linha 2 Estação Carlos Petit - São Paulo / SP Metrô Linha 4 Estação Oscar Freire - São Paulo / SP

45
b) Drenos sub-horizontais profundos (DHP's) As enfilagens podem ser:

Normalmente instalados a partir da frente da hde barras


escavação e com drenagem gravitacional, permitem o h tubulares
controle da água em lençóis empoleirados. hde bulbo contínuo

c) Estruturação do maciço por inclusões rígidas d) Agulhamento da frente de escavação


(ENFILAGEM)
A estabilização da frente de escavação pode ser
A estruturação localizada dos maciços ao longo da feita com o emprego da técnica do "solo pregado", ou
periferia da abóbada é feita pela introdução de seja, a instalação de tubos distribuídos na face permite a
elementos rígidos, conhecidos como enfilagens e são escavação de seção plena sem risco de ruptura,
instalados a partir da frente de escavação. dependendo, naturalmente, do tipo de solo.

SEÇÃO LONGITUDINAL DO TÚNEL


A SER TRATADO

TRATAMENTO DA CALOTA
TRTATAMENTO DO PÉ EM ESTACAS-RAIZ
COM TUBO SCH MANCHETADO

PREGAGEM DA FRENTE

Tratamento túnel 03/04 - Rodovia dos Imigrantes - SP

Enfilagem com CCP para execução de túnel - Guaraú / SP Detalhe de solo tratado com JSG Vertical - Metrô de Brasília / DF

46 Tratamento de Maciços para Execução de Túneis


TRATAMENTO DA CALOTA TRATAMENTO DO SIDE DRIFT DO TÚNEL
Trecho: A Trecho: C

ESCAVAÇÃO E REVESTIMENTO DA CALOTA


Trecho: A

Túnel de acesso - Metrô Rio de Janeiro

Tratamento túnel 03/04 - Rodovia dos Imigrantes - São Paulo / SP Tratamento de maciços - Metrô Linha 4 - Oscar Freire - São Paulo / SP

Túnel - Tribunal de Justiça - São Paulo / SP Tratamento de maciços - Metrô Linha 4 - Oscar Freire - São Paulo / SP

Tratamento de Maciços para Execução de Túneis 47


SERVIÇOS CAPÍTULO 9

TIRANTES

Introdução
São elementos de ancoragem que nos permitem Aplicações
transferir, por tração, para o interior do maciço, esforços
de uma superfície, através de cabos ou monobarras hcontenção de taludes em solo e rocha;
de aço. hsustentação de paredes para escavação profunda;
Os tirantes são agrupados em três tipos: de barra, hancoragem de lajes para combater a subpressão;
de fios e de cordoalha. hfixação de estruturas especiais, quer em solo ou rocha.

Parede diafragma atirantada - Av. Faria Lima - São Paulo / SP

Tabela para dimensionamento de Tirantes

Armação Seção Tensão de Tensão de Carga máx. Carga de trabalho (tf)


Tipo Aço escoamento ruptura de ensaio
(mm) (mm²)
(kgf/mm²) (kgf/mm²) (tf) Provisório Permanente
GEWI 1 ø 32 804 50 55 36 24 21
BARRA
ST85/105 1 ø 32 804 85 105 62 41 35
6ø8 302 37 24 21
10 ø 8 402 49 33 28
FIO CP 150 RB 135 150
8ø8 503 61 41 35
12 ø 8 604 73 49 42
4 ø12,5 395 61 40 35
6 ø 12,5 592 91 61 52
7 ø 12,5 691 106 71 61
Cordoalha CP 190 RB 171 190
8 ø 12,5 790 121 81 69
10 ø 12,5 987 152 101 87
12 ø 12,5 1148 182 121 104

48
Metodologia executiva
a) Perfuração do solo ou rocha com rotação ou roto- perfuração com nata de cimento.
percussão, revestida ou não, usando-se água, bentonita
ou ar, com diâmetro, inclinações, e comprimento pré- d) Execução do bulbo de ancoragem, que é a injeção de
estabelecidos em projeto. nata de cimento, feita através das válvulas manchete,
com pressões e absorção controladas. Esta injeção é
b) Colocação da barra, fios ou cordoalha acoplados ao feita quantas vezes forem necessárias.
tubo de injeção com as devidas válvulas manchete,
espaguetes e espaçadores. e) Protensão dos cabos ou monobarra, com macacos
hidráulicos, num prazo de aproximadamente 7 (sete)
c) Confecção da bainha, que é o preenchimento da dias, obedecendo-se os ensaios previstos na NBR 5629.

Nata de cimento

Cabeça de ancoragem

a) Perfuração c) Preenchimento da bainha

Fios de aço, barra ou cordoalha


Tubo de injeção Injeção
Válvulas manchete

Nata de cimento
(Bulbo)

b) Montagem d) Execução do bulbo e) Ancoragem


Fases de execução

Placa de apoio Furo de sondagem


Calda
Cabeça da ancoragem Bainha
Injeção de proteção
Armadura do tirante Bulbo de ancoragem

Cunha de apoio
Trecho
livre
Parede de sustentação
Trecho
anc orado

Esquema básico dos Tirantes

Perfuração de tirantes - Rua Olimpíadas - São Paulo / SP Injeção de tirantes - Rua Olimpíadas - São Paulo / SP

Tirantes 49
Execução de Tirantes - Rua Olimpíadas - São Paulo / SP

Execução de tirantes - Passagem subterrânea Av. Rebouças - São Paulo / SP

50 Tirantes
SERVIÇOS CAPÍTULO 10

DRENOS FIBROQUÍMICOS

Introdução

N hótima capacidade drenante;


as últimas décadas, mais e mais projetos de
engenharia civil são construídos sobre hgarantia contra entupimentos;
espessas camadas de solo mole. Em tais hminimização do efeito de colmatação de terreno a ser
condições, alguns métodos de melhoramento de solo drenado (durante a execução dos próprios drenos);
são necessários com o objetivo de aumentar a sua hperturbação quase nula das áreas de trabalho;
capacidade de carga e minimizar os efeitos de recalques hgrande rapidez de execução (15 vezes mais rápido
absolutos e diferenciais após a construção. que os drenos de areia).
Pré-adensamento e pré-carga, freqüentemente
são utilizadas, associadas a drenos verticais, Dentre as diversas aplicações do dreno, podemos citar:
especialmente quando se trata de espessa camada
de argila mole, onde, sem o uso de drenos verticais, hestabilização de aterros de rodovias e ferrovias;
o tempo necessário para um pré-adensamento e, hconsolidação de áreas portuárias (por exemplo: para
conseqüentemente, aceleração dos recalques, pode ser estoque de containers);
excessivamente longo e não compatível com o hconsolidação de pistas de aeroporto;
cronograma das obras. hestabilização de aterros para preencher lagoas ou
O dreno fibroquímico apresenta vantagens em áreas inundadas;
relação aos tradicionais drenos de areia, devido as hconsolidação de áreas industriais para eliminar os
seguintes características: recalques devidos à sobrecargas.

Execução de drenos - Obra Ultrafertil - Cubatão / SP

Drenos Fibroquímicos 51
Informações necessárias a
um projeto de drenos
O sucesso de um projeto de aceleração de recalque É importante observar também que a cravação do
com utilização de drenos verticais (fibroquímicos ou não) dreno protegido pela guia metálica, “mandril” evita
depende de uma análise bem feita, de campo e totalmente a danificação do dreno, garantindo a sua
laboratório, das propriedades do solo a ser melhorado. eficiência quando em operação.
Esta investigação fornecerá os seguintes Drenos deste tipo foram executados à
elementos: profundidades de até 24 metros (geralmente a
hestado de tensões no solo; profundidade de cravação não excede 20 metros) sem
hcondições de drenagem; apresentar perda de eficiência.
hgrau de adensamento desejado;
htempo disponível;
hdistribuição dos drenos (malha triangular ou
quadrada);
hdiâmetro equivalente (no caso do dreno de fita).

A partir do conhecimento dos elementos acima,


define-se finalmente o “espaçamento entre os drenos” e
sua “profundidade”,
É, porém, oportuno enfatizar que em um projeto de
drenos verticais, as variáveis que devem nortear o projeto
são:
htempo disponível para o tratamento.
hespaçamento entre os drenos e profundidade. GUINDASTE
haltura da sobre junto carga.

Portanto, em cada projeto, deverá ser feita uma


interação dessas três variáveis até chegar-se a situação
ótima quer seja sob o aspecto técnico, econômico e SOBRECARGA
de tempo.

Metodologia de Instalação
O sistema utilizado pela Brasfond consiste na
cravação estaticamente de uma guia metálica (de seção
muito reduzida) que contém no seu interior a fita de dreno
COLCHÃO
fibroquímico. DRENANTE
A guia metálica se movimenta ao longo de uma
lança instalada sobre uma escavadeira hidráulica ou
guindaste.
Depois de atingir a profundidade requerida, o dreno
fibroquímico fica ancorado no terreno, por meio de um
dispositivo especial, e a guia metálica é retirada do
MANDRIL
terreno, pronta para cravação do dreno seguinte (na
saída, o dreno fibroquímico é cortado um pouco acima
da superfície do terreno).
O tipo de dreno utilizado consiste de uma fita
contínua de largura igual a 10cm, cujo revestimento
externo é constituído por material fibroquímico e cuja
parte interna é constituída por um “corpo drenante” em
PVC, na forma de canaletas contínuas longitudinais. O DRENO
filtro externo garante absoluta proteção contra
entupimento e o “corpo drenante” interno garante a
ÂNCORA
permeabilidade vertical necessária.

Metodologia de instalação

52 Drenos Fibroquímicos
As vantagens dos drenos fibroquímicos, podem ser terreno, graças à flexibilidade dos drenos, fato este não
enfatizadas a seguir pelos seguintes aspectos: garantido nos drenos de areia.
ha presença do filtro (ou revestimento externo), do
ha rapidez de execução é enormemente maior, sendo dreno fibroquímico, que garante absoluta proteção
que chega-se a executar um dreno de 15m de contra entupimentos do dreno no tempo, o que também
profundidade em cerca de 1 minuto, permitindo a não é garantido pelos drenos de areia.
execução de até 5.000m de drenos por dia. ha utilização deste tipo de dreno elimina totalmente o
Até considerando eventual tempo de parada para problema de contaminação do colchão superficial
manutenção, etc., a produção é da ordem de 16 vezes drenante durante a execução, fato este praticamente
a produção de um equipamento executando drenos inevitável no caso dos drenos de areia, que utilizam água
de areia. durante as operações de perfuração e de limpeza.
ha grande eficiência, devido às ótimas características hnão é utilizada água, e conseqüentemente, não existe
drenantes em todas as condições, independentemente nenhum refluxo, eliminando-se assim, também, a
da profundidade e de eventuais deslocamentos do necessidade de descargas do mesmo.

Execução de drenos - Obra Ultrafertil - Cubatão / SP

Drenos Fibroquímicos 53
Avaliação do comportamento
É importante, em toda obra de fundação, o verticais e horizontais do aterro durante a execução e
acompanhamento do seu comportamento em especial atuação do aterro de sobrecargas.
quando se trata de uma obra cujo objetivo é acelerar os A monitoração não deveria se limitar apenas ao
recalques. período de execução, mas, também, durante algum
Inspeção durante a execução de todos os aspectos tempo após a construção. O objetivo dessa monitoração
e características do projeto (preparo do terreno, por tempo maior visa comparar os recalques medidos
instalação dos drenos, colocação da sobrecarga, etc...) com aqueles estimados, na fase de projeto.
é essencial. Em algumas obras, em função do seu porte e vulto,
Um outro aspecto importante é a instrumentação e é boa prática, se executar um “trecho experimental”,
monitoração do comportamento do terreno, nível de avaliar-se o comportamento desse trecho, extrapolando-
dissipação das pressões neutras e deslocamentos se o resultado para o restante da obra.

Mecanismo de dissipação da
pressão neutra

aterro
aterro
camada drenante (areia)

camada
camada
mole
mole

areia areia
a) Sem dreno b) Com dreno

Curvas mostrando o efeito do dreno na


aceleração dos recalques

sem dreno

com dreno

com dreno e
pré-carregamento
recalque desejado

54 Drenos Fibroquímicos
SERVIÇOS CAPÍTULO 11

PROVA DE CARGA ESTÁTICA


SOBRE ESTACAS

Introdução

A
prova de carga estática constitui ainda o melhor
processo capaz de fornecer um valor
incontestável da capacidade de carga de uma
fundação isolada.
Essas provas de carga são realizadas aplicando-se
cargas às fundações, concomitantemente com a medida
dos recalques correspondentes.
A prova de carga sobre um elemento de fundação
pode ser:
h a compressão
h a tração
h a esforço horizontal
É importante observar que a realização de provas
de cargas sobre fundações, após o tempo de cura do
concreto, poderá ser reduzido com a utilização de
aditivos aceleradores de resistência. Execução de prova de carga

Execução de prova de carga

Prova de Carga Estática sobre Estacas 55


Execução de prova de carga - Montagem do sistema de reação

Detalhe dos manômetros - execução de prova de carga

56 Prova de Carga Estática sobre Estacas


EMPRESAS CAPÍTULO 12

BRASFIX FUNDAÇÕES
DE OBRAS MARÍTIMAS E FLUVIAIS

Atividades da empresa
h Execução de fundações especiais para portos, pontes
e edifícios utilizando estacas escavadas em rocha de
grande diâmetro, com camisas metálicas perdidas ou
recuperadas, e com equipamentos embarcados ou não;

h Cravação de estacas de concreto ou metálicas,


utilizando-se martelos hidráulicos e diesel (submersos
ou não) para fundações diversas e jaquetas de Cravação de estacas metálicas com utilização de "cantitraveller" - Píer
plataforma de exploração de petróleo ou gás; emissário submarino de esgoto - Rio das Ostras / RJ

h Cravação de estacas prancha metálicas e de


concreto, utilizando-se martelos hidráulicos e vibratórios;

h Serviços especiais de engenharia;

h Execução de perfurações dirigidas de grande


diâmetro através do Método Direcional (HDD).

Contato
Rua Joaquim Floriano, 820 - Cj. 84 - Itaim
São Paulo / SP - CEP: 04534-003
Tel. / Fax: + 55 11 3168-8460
Email: brasfix@brasfixfundacoes.com.br
Site: www.brasfixfundacoes.com.br Cravação de estacas metálicas com utilização de "cantitraveller" - Píer
emissário submarino de esgoto - Rio das Ostras / RJ

Perfurações dirigidas (HDD) - Instalação do Mineroduto da Mina Bauxita Perfurações dirigidas (HDD) - Instalação do Mineroduto da Mina Bauxita
Paragominas -Trecho Paragominas - Barcarena / PA Paragominas -Trecho Paragominas - Barcarena / PA

57
Execução de cortina de vedação com estacas secantes - Tocantins Cravação de estaca para jaqueta de plataforma de exploração de
petróleo com utilização de Martelo hidráulico - Petrobras - Guamaré / RN

Cortina de vedação com estacas Estaca para jaqueta de plataforma Escavação em rocha - Ponte sobre o Rio Orinoco - Puerto Ordaz -
secantes - Tocantins de exploração de gás - Vitória / ES Venezuela

Vista aérea - Obra Ponte sobre o Rio Orinoco - Puerto Ordaz - Venezuela

58 Brasfix Fundações de Obras Marítimas e Fluviais


EMPRESAS CAPÍTULO 13

SOCIEDADE PORTUGUESA
DE FUNDAÇÕES ESPECIAIS LDA

Atividades da empresa

hEstaca Escavada de Grande Diâmetro.


hParede Diafragma
hEstaca Barrete
hEstaca-Raiz Obra Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Portugal
hJet Grouting
hTratamento de Maciços para Execução de Túneis
hProva de Carga Estática e Instrumentada sobre
Estacas

Contato
Rua Antônio Correia Baharém, Lote 0 - nº19
Carregado - Lisboa - Portugal
2580-468
Fone: 00351- 263 855 904 /05
Fax: 00351- 263 855 906

Obra Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Portugal

Obra Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Portugal Obra Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Portugal

59
Prova de carga estática instrumentada - Obra Ponte sobre o Rio Tejo no Prova de carga estática instrumentada - Obra Ponte sobre o Rio Tejo no
Carregado - Portugal Carregado - Portugal

Prova de carga dinâmica - Obra Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Obra em fase de execução de pilares - Ponte sobre o Rio Tejo no
Portugal Carregado - Portugal

Vista geral - Obra Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado - Portugal

60 Sociedade Portuguesa de Fundações Especiais LDA