Você está na página 1de 8

138 • Como criar uma mente •

c o m o c u r a r de fato d o e n ç a s e aliviar a pobreza. Boa parte do c o n -


flito prazer-medo j á é obsoleta para os h u m a n o s , pois o c é r e b r o
p r i m i t i v o evoluiu m u i t o antes do s u r g i m e n t o das sociedades h u m a -
nas p r i m i t i v a s ; c o m efeito, a m a i o r parte dele é r e p t i l i a n a . Capítulo 6
Existe u m e s f o r ç o c o n t í n u o no c é r e b r o h u m a n o p a r a d e c i d i r
se q u e m está no c o m a n d o é o c é r e b r o p r i m i t i v o o u o n o v o . O c é -
r e b r o p r i m i t i v o tenta estabelecer a agenda c o m seu c o n t r o l e das
e x p e r i ê n c i a s de prazer e m e d o , e n q u a n t o o c é r e b r o n o v o está
Habilidades transcendentes
s em pr e t e n t a n d o c o m p r e e n d e r os a l g o r i t m o s r e l a t i v a m e n t e p r i -
m á r i o s do c é r e b r o p r i m i t i v o e t e n t a n d o m a n i p u l á - l o s e g u n d o sua
p r ó p r i a a g e n d a . Leve em conta o fato de a a m í g d a l a n ã o p o d e r
avaliar p e r i g o s sozinha - no c é r e b r o h u m a n o , ela d e p e n d e dos
j u l g a m e n t o s do n e o c ó r t e x . Essa pessoa é a m i g a o u i n i m i g a , amis-
tosa o u a m e a ç a ? S ó o n e o c ó r t e x p o d e d e c i d i r .
Esta é minha religião simples. N ã o há necessidade de
C o m o n ã o estamos e n v o l v i d o s d i r e t a m e n t e em combates m o r -
templos; não há necessidade de filosofias complicadas.
tais n e m em c a ç a d a s p o r c o m i d a , temos t i d o sucesso na s u b l i m a -
Nosso próprio cérebro, nosso próprio c o r a ç ã o é nosso
ç ã o , pelo menos p a r c i a l , de nossos im p u l sos antigos em n o m e de
templo; a filosofia é a bondade.
e m p r e e n d i m e n t o s mais c r i a t i v o s . Nesse s e n t i d o , v a m o s d i s c u t i r
- O Dalai Lama
c r i a t i v i d a d e e a m o r no c a p í t u l o seguinte.

Minha mão se movimenta porque certas forças - elétri-


cas, magnéticas ou seja lá o que essa "força nervosa" se
revele ser - são impressas sobre ela por meu cérebro. A
origem dessa força nervosa, armazenada no cérebro,
provavelmente seria identificada, caso a Ciência fosse
completa, em forças químicas fornecidas ao cérebro peio
sangue, e, em última análise, no alimento que como e no
ar que respiro.
- Lewis Carroll

N ossos pensamentos emocionais t a m b é m o c o r r e m no neocórtex,


mas s ã o influenciados p o r partes do c é r e b r o que v ã o desde

139
140 • Como criar uma mente • Habilidades transcendentes 141
i
r e g i õ e s do c é r e b r o p r i m i t i v o , c o m o a a m í g d a l a , até a l g u m a s es- c é r e b r o , p o r é m , está firmemente e n v o l v i d o na t e n t a t i v a de e n t e n -
t r u t u r a s c e r e b r a i s recentes e m t e r m o s e v o l u t i v o s , c o m o os n e u - der nossas misteriosas e m o ç õ e s de nível s u p e r i o r .
r ó n i o s f u s i f o r m e s , que parecem ter u m papel i m p o r t a n t e em A q u a n t i d a d e de células fusiformes é relativamente pequena:
e m o ç õ e s de nível s u p e r i o r . D i f e r e n t e m e n t e das est rut uras recur- apenas umas 80 m i l , com cerca de 45 m i l no h e m i s f é r i o d i r e i t o e 35
sivas regulares e l ó g i c a s e n c o n t r a d a s no c ó r t e x c e r e b r a l , os n e u - m i l no esquerdo. Essa d i s p a r i d a d e é, no m í n i m o , u m dos m o t i v a d o -
r ó n i o s f u s i f o r m e s t ê m f o r m a s e c o n e x õ e s altamente i r r e g u l a r e s . res da ideia de que a inteligência emocional pertence ao d o m í n i o
S ã o os m a i o r e s n e u r ó n i o s do c é r e b r o h u m a n o e se estendem p o r do hemisféri o d i r e i t o , apesar de a d e s p r o p o r ç ã o ser modesta. Go-
ele t o d o . S ã o p r o f u n d a m e n t e i n t e r c o n e c t a d o s , c o m centenas de rilas têm cerca de 16 m i l dessas células; b o n o b o s , umas 2.100 e
m i l h a r e s de c o n e x õ e s que u n e m diversas p o r ç õ e s do n e o c ó r t e x . c h i m p a n z é s , cerca de 1.800. Outros m a m í f e r o s n ã o têm n e n h u m a .
C o m o d i t o antes, a ínsula ajuda a processar sinais sensoriais, Os a n t r o p ó l o g o s a c r e d i t a m que as células f u s i f o r m e s aparece-
mas ela t a m b é m t e m u m papel v i t a l nas e m o ç õ e s de nível supe- r a m pela p r i m e i r a vez entre 10 e 15 m i l h õ e s de anos atrás n u m
r i o r . É nessa r e g i ã o que se o r i g i n a m as células f u s i f o r m e s . A t é c - ancestral c o m u m - e ainda n ã o descoberto - e n t r e s í m i o s e h o m i -
nica de i m a g e m por ressonância magnética funcional (IRMf) n í d e o s (precursores dos h u m a n o s ) , e sua q u a n t i d a d e aumentou
revelou que essas células f i c a m p a r t i c u l a r m e n t e ativas q u a n d o a r a p i d a m e n t e h á cerca de 100 m i l anos. É interessante observar
pessoa lida c o m e m o ç õ e s c o m o a m o r , r a i v a , tristeza e desejo se- que as células f u s i f o r m e s n ã o existem em h u m a n o s r e c é m - n a s c i -
x u a l . E n t r e as s i t u a ç õ e s que a t i v a m in t en samen t e essas células, dos, e só c o m e ç a m a aparecer na idade a p r o x i m a d a de 4 meses;
podemos elencar o m o m e n t o em que a pessoa olha p a r a o parceiro depois, seu n ú m e r o aumenta s i g n i f i c a t i v a m e n t e entre 1 e 3 anos
ou escuta o p r ó p r i o b e b é c h o r a n d o . de idade. A capacidade da c r i a n ç a p a r a l i d a r c o m q u e s t õ e s m o r a i s
As células f u s i f o r m e s t ê m longos filamentos nervosos c h a m a - e perceber e m o ç õ e s de nível superior, c o m o o amor, é desenvolvida
dos d e n d r i t o s apicais, capazes de se conectar c o m r e g i õ e s neo- nesse m e s m o p e r í o d o .
corticais distantes. Essa i n t e r c o n e x ã o " p r o f u n d a " , na q u a l certos
n e u r ó n i o s p r o p o r c i o n a m c o n e x õ e s entre diversas r e g i õ e s , é uma
c a r a c t e r í s t i c a que o c o r r e c o m f r e q u ê n c i a cada vez m a i o r à m e d i - Aptidão
da que s u b i m o s pela escada e v o l u t i v a . N ã o é à toa que as células
f u s i f o r m e s , que l i d a m c o m e m o ç õ e s e j u í z o s m o r a i s , t e n h a m essa W o l f g a n g A m a d e u s M o z a r t (1756-1791) escreveu u m m i n u e t o aos
f o r m a de c o n e c t i v i d a d e , t e n d o em vista a capacidade das r e a ç õ e s 5 anos. C o m 6, t o c o u p a r a a i m p e r a t r i z M a r i a Teresa na c o r t e i m -
emocionais de nível s u p e r i o r p a r a t o c a r e m em diversos t ó p i c o s e perial em Viena. Depois, c o m p ô s 600 p e ç a s , i n c l u i n d o 41 s i n f o -
pensamentos. E m f u n ç ã o de seus v í n c u l o s c o m v á r i a s o u t r a s par- nias, antes de sua m o r t e aos 35 anos, e é c o n s i d e r a d o p o r m u i t o s
tes do c é r e b r o , as e m o ç õ e s de nível s u p e r i o r processadas pelas o m a i o r c o m p o s i t o r na t r a d i ç ã o europeia c l á s s i c a . Podemos dizer
células f u s i f o r m e s s ã o afetadas p o r todas as nossas r e g i õ e s per- Pue ele t i n h a a p t i d ã o p a r a a m ú s i c a .
ceptivas e c o g n i t i v a s . É i m p o r t a n t e destacar que essas células não E o que isso significa no contexto da t e o r i a da m ente baseada
resolvem p r o b l e m a s r a c i o n a i s , m o t i v o pelo qual n ã o temos c o n - no r e c o n h e c i m e n t o de p a d r õ e s ? É claro que p a r t e d a q u i l o que
t r o l e r a c i o n a l das nossas r e a ç õ e s a m ú s i c a s ou p a i x õ e s . O resto do Consideramos a p t i d ã o é f r u t o de aprendizagem, ou seja, influência
142 • Como criar uma mente Habilidades transcendentes 143

d o a m b i e n t e e de o u t r a s pessoas. M o z a r t nasceu n u m a família O t a l e n t o m u s i c a l , p a r e c e t e r base g e n é t i c a , e m b o r a essa h a b i l i -


m u s i c a l . Seu p a i , L e o p o l d , era c o m p o s i t o r e kapellmcistcr (literal- d a d e p r e c i s e ser d e s e n v o l v i d a ; p o r isso, é p r o v á v e l qu e seja
m e n t e , líder musical) da o r q u e s t r a da c o r t e do arcebispo de Salz- u m a c o m b i n a ç ã o e n t r e n a t u r e z a e a p r e n d i z a d o . É p r o v á v e l qu e
b u r g o . O j o v e m M o z a r t estava m e r g u l h a d o na m i í s i c a , e seu pai a base g e n é t i c a do o u v i d o absoluto resida f o r a do n e o c ó r t e x , no
c o m e ç o u a lhe ensinar v i o l i n o e c l a v i c ó r d i o ( i n s t r u m e n t o de te- p r é - p r o c e s s a m e n t o da i n f o r m a ç ã o a u d i t i v a , e n q u a n t o o aspecto

clas) aos 3 anos. c u l t i v a d o reside no n e o c ó r t e x .

E n t r e t a n t o , apenas as influências ambientais n ã o ex plicam H á outras habilidades que c o n t r i b u e m para o g r a u de c o m p e -


p l e n a m e n t e o g é n i o de M o z a r t . É claro que t a m b é m existe um tência, seja do t i p o r o t i n e i r o , seja do g é n i o l e n d á r i o . Habilidades
c o m p o n e n t e n a t u r a l . Que f o r m a ele tem? C o m o escrevi no c a p í t u - neocorticais - p o r exemplo, a capacidade do n e o c ó r t e x para d o m i -
lo 4, r e g i õ e s diferentes do n e o c ó r t e x t o r n a r a m - s e otimizadas (pela nar os sinais de medo que a a m í g d a l a gera (quando se vê diante de
e v o l u ç ã o b i o l ó g i c a ) p a r a certos t i p o s de p a d r õ e s . E m b o r a o algo- uma r e p r o v a ç ã o ) - têm u m papel significativo, assim c o m o a t r i b u -
r i t m o b á s i c o de r e c o n h e c i m e n t o de p a d r õ e s dos m ó d u l o s seja tos do t i p o c o n f i a n ç a , talento organizacional e capacidade de i n -
u n i f o r m e ao l o n g o do n e o c ó r t e x , c o m o certos t i p o s de p a d r ã o fluenciar os o u t r o s . U m a habilidade m u i t o i m p o r t a n t e que percebi
t e n d e m a f l u i r p o r certas r e g i õ e s (rostos pelo g i r o f u s i f o r m e , p o r antes é a c o r a g e m de se devotar a ideias que v ã o c o n t r a a tendênci a
e x e m plo ), essas r e g i õ e s t o r n a m - s e melhores no que se refere ao da o r t o d o x i a . Invariavelmente, pessoas que consideramos geniais
pr o c e ssa m e nt o de p a d r õ e s associados. C o n t u d o , h á n u m e r o s o s fizeram e x p e r i m e n t o s mentais de maneiras que n ã o f o r a m c o m p r e -
p a r â m e t r o s que g o v e r n a m o m o d o c o m o o a l g o r i t m o é efetiva- endidas o u apreciadas no início p o r seus pares. A p e s a r de M o z a r t
m e n t e processado em cada m ó d u l o . Por e x e m p l o , p a r a ser reco- ter sido reconhecido em v i d a , a m a i o r parte da a d u l a ç ã o veio de-
n h e c i d o , q u ã o s i m i l a r deve ser u m p a d r ã o ? C o m o esse l i m i a r é pois. Ele m o r r e u na miséria, foi e n t e r r a d o n u m a vala c o m u m e só
m o d i f i c a d o se u m m o d u l o de nivel s u p e r i o r envia o sinal de que dois outros m ú s i c o s c o m p a r e c e r a m ao seu f u n e r a l .
seu p a d r ã o é "esperado"? C o m o s ã o levados em conta os p a r â m e -
t r o s de t a m a n h o ? Esses e o u t r o s fatores f o r a m dispostos d i f e r e n -
tem e nte em r e g i õ e s diferentes p a r a serem vantajosos para tipos Criatividade
e s p e c í f i c o s de p a d r ã o . E m nosso t r a b a l h o c o m m é t o d o s similares
na i n t e l i g ê n c i a a r t i f i c i a l , p e r c e b e m o s o m e s m o f e n ó m e n o e usa- Criatividade é uma droga sem a qual não consigo viver.
mos s i m u l a ç õ e s de e v o l u ç ã o p a r a o t i m i z a r esses p a r â m e t r o s . - Cecil B. DeMille
Se r e g i õ e s e s p e c í f i c a s p o d e m ser o t i mizadas p a r a t i p o s d i f e -
rentes de p a d r õ e s , e n t ã o d e c o r r e que h a v e r á v a r i a ç õ e s na capaci- O problema nunca está em gerar pensamentos novos ou
dade de cada c é r e b r o a p r e n d e r , i d e n t i f i c a r e c r i a r certos tipos de inovadores na mente, mas em como extrair dela os anti-
p a d r ã o . Por e x e m p l o , u m c é r e b r o p o d e t e r a p t i d ã o inata p a r a m u - gos. Cada mente é um edifício repleto de móveis arcai-
sica p o r q u e consegue i d e n t i f i c a r m e l h o r p a d r õ e s r í t m i c o s , ou cos. Limpe um canto de sua mente e a criatividade o
c o m p r e e n d e m e l h o r a d i s p o s i ç ã o g e o m é t r i c a das h a r m o n i a s . O ocupará no mesmo instante.
f e n ó m e n o do o u v i d o absoluto (a capacidade de i d e n t i f i c a r e de - Dee Hock
r e p r o d u z i r u m t o m sem r e f e r ê n c i a externa), c o r r e l a c i o n a d o c om
144 • Como criar uma mente • Habilidades transcendentes 145

A humanidade pode ser bem fria para com aqueles cujos u m a "coisa c o n s i d e r a d a representativa o u s i m b ó l i c a de o u t r a " ,
olhos veem o mundo de forma diferente. p a r a usar uma d e f i n i ç ã o de d i c i o n á r i o .
- Eric A. Burns V o c ê vê m e t á f o r a s no Soneto 73 de Shakespeare?

A criatividade pode resolver quase todos os problemas. Uma estação - o outono - em mim tu podes ver:
O ato criativo, a derrota do hábito pela originalidade, Já a folhagem é rara, ou nula, ou amarelada.
supera tudo. Nos ramos que gelado vento vem bater.
- George Lois Coros em ruína, onde cantava a passarada.

Em mim contemplas o clarão crepuscular.


U m aspecto i m p o r t a n t e da c r i a t i v i d a d e é o p r o c e s s o de e n c o n - Quando no ocaso, posto o sol, se esvai o dia:
t r a r g r a n d e s m e t á f o r a s - s í m b o l o s que r e p r e s e n t a m o u t r a coisa. Segunda morte, que faz tudo repousar.
O n e o c ó r t e x é u m a g r a n d e m á q u i n a de m e t á f o r a s , o que explica Agora mesmo o levará noite sombria.
p o r que s o m o s u m a e s p é c i e s i n g u l a r m e n t e c r i a t i v a . Cada u m dos
300 m i l h õ e s de identificadores de p a d r õ e s do n e o c ó r t e x está i d e n - Em mim divisas uma chama a fulgurar
tificando e d e f i n i n d o u m p a d r ã o e d a n d o - l h e u m n o m e , que, no Nas cinzas de uma juventude já perdida,
caso dos m ó d u l o s neocorticais de r e c o n h e c i m e n t o de p a d r õ e s , é Como em leito final onde haja de expirar
nada mais q ue o a x ô n i o que surge d o i d e n t i f i c a d o r de p a d r õ e s
acionado q u a n d o esse p a d r ã o é e n c o n t r a d o . Esse s í m b o l o , p o r sua Só por aquilo que a nutria consumida
vez, torna-se parte de o u t r o p a d r ã o . Basicamente, cada u m desses Isso é o que vês, e teu amor fica mais forte.
p a d r õ e s é uma m e t á f o r a . Os identificadores p o d e m d i s p a r a r até Para amar o que logo perderás na morte.'
cem vezes p o r segundo, e p o r isso temos o potencial de identificar
até 30 bilhões de m e t á f o r a s p o r segundo. N a t u r a l m e n t e , n em todos Neste soneto, o poeta usa diversas m e t á f o r a s p a r a descrever a
os m ó d u l o s d i s p a r a m a cada ciclo, mas é válido dizer que, de fato, idade que a v a n ç a v a . Sua idade é c o m o o final do o u t o n o , q u a n d o
estamos identificando milhões de m e t á f o r a s a cada segundo. "a f o l h a g e m é r a r a , o u nula, ou amarelada". O c l i m a é f r i o e as
N a t u r a l m e n t e , algumas m e t á f o r a s s ã o mais significativas do aves n ã o p o u s a m mais nos galhos, que ele c h a m a de "coros em
que o u t r a s . D a r w i n percebeu que o insight de Charles Lyell sobre r u í n a " . Sua idade é c o m o o c r e p ú s c u l o , " q u a n d o no ocaso, posto
o m o d o c o m o m u d a n ç a s m u i t o g r a d u a i s n u m filete de á g u a p o - o sol, se esvai o d i a " . Ele é o resto de u m a f o g u e i r a "nas cinzas de
d e m e sc ulpi r imensos c ã n i o n s era u m a m e t á f o r a poderosa para o uma j u v e n t u d e j á p e r d i d a " . De fato, t o d a a l i n g u a g e m é, em última
m o d o c o m o u m filete de pequenas m u d a n ç a s evolutivas ao l o n g o a n á l i s e , m e t á f o r a , e m b o r a algumas de suas e x p r e s s õ e s sejam
de m i l h a r e s de g e r a ç õ e s p o d i a esculpir g r a n d e s m u d a n ç a s na d i - mais m e m o r á v e i s d o qu e o u t r a s .
f e r e n c i a ç ã o das e s p é c i e s . E x p e r i m e n t o s m e n t a i s , c o m o aquele
que E i n s t e i n usou p a r a revelar o v e r d a d e i r o s i g n i f i c a d o d o expe-
Extraído de SHAKESPEARE, William. Sonetos. Trad. de Péricles Eugênio da Silva Ra-
r i m e n t o de M i c h e l s o n - M o r l e y , s ã o m e t á f o r a s , no sentido de ser tios. S ã o Paulo: Hedra, 2008. p. 85. [N. de T.J
146 • Como criar uma mente Habilidades transcendentes 147

E n c o n t r a r uma m e t á f o r a é o processo de identificar u m p a d r ã o m e n t e , e n c o n t r a m o s m e t á f o r a s de u m c a m p o que solucionam


apesar das d i f e r e n ç a s em detalhes e contexto - uma atividade que p r o b l e m a s em o u t r o .
realizamos t r i v i a l m e n t e a cada m o m e n t o de nossas vidas. Os saltos U m c a m u n d o n g o que e n c o n t r a u m a r o t a de fuga q u a n d o se
m e t a f ó r i c o s que consideramos i m p o r t a n t e s c o s t u m a m acontecer d e f r o n t a c o m u m gato d o m é s t i c o - e consegue fazê-lo m e s m o se a
nos interstícios de disciplinas diferentes. Trabalhando c o n t r a essa s i t u a ç ã o f o r u m p o u c o d i f e r e n t e de o u t r a s em que j á se v i u - está
f o r ç a essencial da c r i a t i v i d a d e , p o r é m , está a t e n d ê n c i a o n i p r e s e n - sendo c r i a t i v o . Nossa c r i a t i v i d a d e é muitas vezes m a i o r que a do
te de uma e s p e c i a l i z a ç ã o cada vez m a i o r nas c i ê n c i a s (e t a m b é m em c a m u n d o n g o - e envolve m u i t o s mais níveis de a b s t r a ç ã o - p o r q u e
quase t o d o s os o u t r o s campos). C o m o escreveu o m a t e m á t i c o temos u m n e o c ó r t e x m u i t o maior, capaz de níveis b e m maiores de
n o r t e - a m e r i c a n o N o r b e r t W i e n e r (1894-1964) em seu seminal l i - h i e r a r q u i a . A s s i m , u m c a m i n h o para se obter u ma c r i a t i v i d a d e
v r o Cybernetics, p u b l i c a d o no ano em que nasci (1948): m a i o r consiste em a g r e g a r mais n e o c ó r t e x de m a n e i r a eficiente.
U m a f o r m a de e x p a n d i r o n e o c ó r t e x d i s p o n í v e l é pela c o l a b o -
Há campos do trabalho científico, como veremos no cor- r a ç ã o de diversos seres h u m a n o s . Isso é feito r o t i n e i r a m e n t e a t r a -
po deste livro, que f o r a m explorados sob as facetas da v é s da c o m u n i c a ç ã o entre pessoas reunidas n u m a comunidade
matemática pura, da estatística, da engenharia elétrica e que resolve p r o b l e m a s . Recentemente, fizeram-se esforços para
da neurofisiologia, nas quais cada conceito recebe um usar f e r r a m e n t a s de c o l a b o r a ç ã o o n - l i n e p a r a c o n t r o l a r o p o d e r
nome separado de cada g r u p o , e nas quais cada traba- da c o l a b o r a ç ã o em t e m p o real, u ma a b o r d a g e m que obteve suces-
lho importante foi triplicado ou quadruplicado, enquan- so na m a t e m á t i c a e em o u t r o s campos.^
to outros trabalhos importantes são retardados pela O passo seguinte, naturalmente, seria a expansão do próprio neo-
indisponibilidade, num dos campos, de resultados que córtex com seu equivalente n ã o biológico. Esse será nosso ato supre-
podem j á ter se tornado clássicos em outro campo. m o de criatividade: criar a capacidade para ser criativo. O neocórtex
Essas regiões fronteiriças são as que oferecem as n ã o biológico será mais rápido e capaz de buscar com agilidade os
oportunidades mais ricas para o investigador qualifica- tipos de metáforas que inspiraram D a r w i n e Einstein. Ele pode explo-
do. S ã o , ao mesmo tempo, as mais refratárias às técnicas rar sistematicamente todos os limites superpostos entre nossas f r o n -
aceitas de ataque em massa e à divisão do trabalho. teiras de conhecimento, que crescem exponencialmente.
A l g u m a s pessoas expressam p r e o c u p a ç ã o sobre o que aconte-
U m a t é c n i c a que t e n h o usado em m e u p r ó p r i o t r a b a l h o para cerá c om aqueles que o p t a r e m p o r n ã o p a r t i c i p a r dessa e x p a n s ã o
c o m b a t e r a e s p e c i a l i z a ç ã o crescente é r e u n i r os especialistas que m e n t a l . Eu d i r i a que essa inteligência adicional vai r e s i d i r basica-
selecionei p a r a u m p r o j e t o ( p o r e x e m p l o , m e u t r a b a l h o de reco- mente na n u v e m (a rede de c o m p u t a d o r e s em crescimento expo-
n h e c i m e n t o de fala i n c l u i u cientistas da fala, l i n g u i s t a s , psicoa- nencial ã qual nos conectamos através da c o m u n i c a ç ã o o n - l i n e ) , na
ctjsticos e especialistas em r e c o n h e c i m e n t o de p a d r õ e s , a l é m de q u a l a m a i o r p a r t e da i n t e l i g ê n c i a de nossas m á q u i n a s está ar-
cientistas da c o m p u t a ç ã o ) , e s t i m u l a n d o cada u m a e n s i n a r ao m a z e n a d a . Q u a n d o v o c ê utiliza u m sistema de reconhecimento
g r u p o suas t é c n i c a s e t e r m i n o l o g i a e s p e c í f i c a s . Depois, descarta- de fala no celular, consulta u m assistente v i r t u a l c o m o Siri o u usa
mos t o d a essa t e r m i n o l o g i a e c r i a m o s a nossa p r ó p r i a . I n v a r i a v e l - o telefone para t r a d u z i r u m signo para o u t r a l i n g u a g e m , a i n t e l i -
148 • Como criar uma mente Habilidades transcendentes 149

g ê n c i a n ã o está no aparelho em si, mas na n u v e m . Nosso n e o c ó r - Quando você j á tiver visto tanta coisa na vida quanto eu,
tex e x p a n d i d o t a m b é m e s t a r á a r m a z e n a d o lá. Se acessamos essa não vai subestimar o poder do amor obsessivo.
in tel i g ê nc i a e x p a n d i d a a t r a v é s de c o n e x õ e s neurais diretas ou - Alvo Dumbledore. dej. K. Rowling,
pelo m o d o c o m o fazemos hoje - i n t e r a g i n d o c o m ela a t r a v é s de em Harry Potter e o Enigma do Príncipe
nossos aparelhos - é u m a d i s t i n ç ã o a r b i t r á r i a . E m m e u p o n t o de
vista, t o d o s n ó s nos t o r n a r e m o s mais c r i a t i v o s a t r a v é s desse r e - Sempre gosto de uma boa solução matemática para

f o r ç o o n i p r e s e n t e , q u e r o p t e m o s ou n ã o pela c o n e x ã o d i r e t a c om qualquer problema amoroso.

a i nte l i g ê nc i a e x p a n d i d a da h u m a n i d a d e . J á t e r c e i r i z a m o s boa - Michael Patrick King, do episódio

p a r t e de nossa m e m ó r i a pessoal, social, h i s t ó r i c a e c u l t u r a l na n u - "De volta ao jogo" de Sex and the City

v e m , e, em última a n á l i s e , faremos a mesma coisa c o m nosso p e n -


samento h i e r á r q u i c o .
Se v o c ê nunca e x p e r i m e n t o u de fato u m a m o r a r r e b a t a d o r , sem
O g r a n d e a v a n ç o de Einstein r e s u l t o u n ã o só de sua a p l i c a ç ã o
d ú v i d a deve ter o u v i d o falar dele. É j u s t o dizer que uma f r a ç ã o
de m e t á f o r a s a t r a v é s de e x p e r i m e n t o s m e n t a i s , mas t a m b é m de
substancial, se n ã o a m a i o r i a da arte m u n d i a l - h i s t ó r i a s , r o m a n -
sua c o r a g e m e m a c r e d i t a r no p o d e r dessas m e t á f o r a s . Ele estava
ces, m ú s i c a s , d a n ç a s , p i n t u r a s , séries da t e l e v i s ã o e filmes - se
d is po sto a a b r i r m ã o das e x p l i c a ç õ e s t r a d i c i o n a i s que n ã o satisfa-
i n s p i r a nas h i stóri as do a m o r em seus p r i m e i r o s e s t á g i o s .
ziam seus e x p e r i m e n t o s , e a s u p o r t a r as piadas de seus colegas
Recentemente, a c i ê n c i a t a m b é m e n t r o u e m cena, e agora p o -
c o m r e l a ç ã o ãs e x p l i c a ç õ e s bizarras que suas m e t á f o r a s i m p l i c a -
demos identificar as m u d a n ç a s b i o q u í m i c a s que acontecem quando
v a m . Essas qualidades - a c r e n ç a na m e t á f o r a e a c o r a g e m das
a l g u é m se a p a i x o n a . Libera-se d o p a m i n a , p r o d u z i n d o s e n s a ç õ e s
p r ó p r i a s c o n v i c ç õ e s - s ã o valores que t a m b é m d e v e r í a m o s p o d e r
c o m o felicidade e deleite. Os níveis de n o r e p i n e f r i n a s o b e m , o que
p r o g r a m a r em nosso n e o c ó r t e x n ã o b i o l ó g i c o .
leva ã a c e l e r a ç ã o dos b a t i m e n t o s c a r d í a c o s e a u m a s e n s a ç ã o ge-
neralizada de e u f o r i a . Essas s u b s t â n c i a s q u í m i c a s , j u n t a m e n t e
c o m a f e n i l e t i l a m i n a , p r o d u z e m e x a l t a ç ã o , níveis elevados de
Amor energia, a t e n ç ã o focalizada, p e r d a de apetite e um anseio g e r a l
pelo o b j e t o do desejo. É interessante c o m e n t a r que pesquisas r e -
A clareza mental também significa a clareza da paixão; é centes da U n i v e r s i t y College de L o n d r e s t a m b é m m o s t r a m qu e os
por isso que uma mente grandiosa e clara ama ardente- níveis de s e r o t o n i n a se r e d u z e m , tal c o m o o c o r r e em t r a n s t o r n o s
mente e vê de f o r m a distinta aquilo que ama. obsessivo-com pu l si v os, o que é consistente c o m a natureza o b -
- Blaise Pascal sessiva do a m o r incipiente.^ Os elevados níveis de d o p a m i n a e n o -
r e p i n e f r i n a e x p l i c a m o a u m e n t o da a t e n ç ã o de c u r t o p r a z o , da

H á sempre certa loucura no amor. Mas também há sem- e u f o r i a e do anseio, sentidos d u r a n t e o c o m e ç o de u m amor.

pre alguma razão na loucura. Se esses f e n ó m e n o s b i o q u í m i c o s p a r e c e m semelhantes aos da


- Friedrich Nietzsche s í n d r o m e de l u t a r ou f u g i r , é p o r q u e s ã o , s ó que neste caso esta-
mos c o r r e n d o para a l g u é m ou a l g u m a coisa; c o m efeito, u m c í n i c o
150 • Como criar uma mente Habilidades transcendentes 151

p o d e r i a d i z e r que estamos r u m a n d o p a r a o p e r i g o , e n ã o p a r a e p a r a levar a cabo o u t r o s c o m p o r t a m e n t o s b á s i c o s dos a r g a n a -


l o n g e dele. A s m u d a n ç a s t a m b é m e s t ã o p l e n a m e n t e consistentes zes. N ó s , h u m a n o s , temos n e o c ó r t e x a d i c i o n a l suficiente p a r a nos
c o m aquelas das p r i m e i r a s fases d o c o m p o r t a m e n t o v i c i a n t e . A d e d i c a r às vastas e x p r e s s õ e s " l í r i c a s " a que M o n e y se refere.
c a n ç ã o "Love Is t h e D r u g " [O a m o r é a d r o g a ] , da banda Roxy Do p o n t o de vista e v o l u t i v o , o p r ó p r i o a m o r existe para atender
M u s i c , é b e m precisa na d e s c r i ç ã o desse estado ( e m b o r a o sujeito às necessidades do n e o c ó r t e x . Se n ã o t i v é s s e m o s u m n e o c ó r t e x ,
da c a n ç ã o esteja p r o c u r a n d o c o n q u i s t a r sua p r ó x i m a amada). Es- e n t ã o a luxúria seria razoavelmente suficiente p a r a a s s e g u r a r m o s
t u d o s sobre e x p e r i ê n c i a s de ê x t a s e r e l i g i o s o t a m b é m m o s t r a m os a r e p r o d u ç ã o . A i n s t i g a ç ã o extática do a m o r leva ã l i g a ç ã o e ao
mesmos f e n ó m e n o s p s í q u i c o s ; p o d e m o s dizer que a pessoa que a m o r m a d u r o , r e s u l t a n d o n u m v í n c u l o d u r a d o u r o . Este, p o r sua
t e m um a e x p e r i ê n c i a dessas está se a p a i x o n a n d o p o r Deus ou p o r vez, visa p r o p o r c i o n a r ao menos a p o s s i b i l i d a d e de u m a m b i e n t e
alguma c o n e x ã o espiritual que tenha. estável p a r a os fi l h os, e n q u a n t o seus n e o c ó r t i c e s passam pelo
N o caso d o a m o r r o m â n t i c o i n c i p i e n t e , c o m certeza o e s t r o g ê - a p r e n d i z a d o crítico n e c e s s á r i o p a r a que se t o r n e m adultos res-
n i o e a testosterona t ê m seu papel na f o r m a ç ã o do i m p u l s o sexual, p o n s á v e i s e capazes. O a p r e n d i z a d o n u m a m b i e n t e r i c o é u m a
mas se a r e p r o d u ç ã o sexual fosse o ú n i c o o b j e t i v o e v o l u t i v o do p a r t e intrínseca do m é t o d o do n e o c ó r t e x . De fato, os mesmos m e -
a m o r , e n t ã o o aspecto r o m â n t i c o d o processo n ã o seria n e c e s s á - canismos h o r m o n a i s da o x i t o c i n a e da vasopressina desempe-

r i o . C o m o escreveu o p s i c ó l o g o J o h n W i l l i a m M o n e y (1921-2006), n h a m u m papel c r u c i a l na f o r m a ç ã o de u m v í n c u l o c r í t i c o e n t r e os

"a luxúria é l ú b r i c a , o a m o r é lírico". p r o g e n i t o r e s (especialmente a m ã e ) e os filhos.

A fase extática do a m o r leva ã fase do apego e, no f i n a l , a u m N o o u t r o e x t r e m o da história do a m o r , o ente q u e r i d o t o r n a - s e


v í n c u l o de l o n g o p r a z o . T a m b é m há s u b s t â n c i a s q u í m i c a s que es- uma p a r t e i m p o r t a n t e de nosso n e o c ó r t e x . A p ó s d é c a d a s de
t i m u l a m esse processo, inclusive a o x i t o c i n a e a vasopressina. u n i ã o , existe a p r e s e n ç a v i r t u a l do o u t r o no n e o c ó r t e x , a p o n t o de
Veja o caso de duas e s p é c i e s aparentadas de r o e d o r e s : o arganaz- p o d e r m o s antever cada etapa d a q u i l o que o ente q u e r i d o vai d i z e r
-das-pradarias e o a r g a n a z - d a - m o n t a n h a . S ã o p r a t i c a m e n t e i d ê n - e fazer. Nossos p a d r õ e s neocorticais e s t ã o t o m a d o s p o r pensa-
licos, só que o a r g a n a z - d a s - p r a d a r ia s tem receptores para mentos e p a d r õ e s que refletem q u e m ele é. Q u a n d o perdemos
o x i t o c i n a e vasopressina, e n q u a n t o o a r g a n a z - d a - m o n t a n h a não essa pessoa, p e r d e m o s l i t e r a l m e n t e p a r t e de n ó s m e s m o s . Isso

t e m . O arganaz-das-pradarias é f a m o s o p o r seus r e l a c i o n a m e n t o s n ã o é apenas u m a m e t á f o r a : t o d o s os n u m e r o s o s i d e n t i f i c a d o r e s

m o n o g â m i c o s vitalícios, e n q u a n t o o a r g a n a z-da-mon t an ha dedica- de p a d r õ e s t o m a d o s pelos p a d r õ e s que refletem a pessoa que

-se quase que somente a encontros fugazes. No caso dos argana- a m a m o s m u d a m s u b i t a m e n t e de natureza. A p e s a r de p o d e r e m

zes, os receptores p a r a o x i t o c i n a e vasopressina s ã o d e t e r m i n a d o r e s ser considerados u m m o d o precioso de m a n t e r m o s a pessoa viva

da natureza de sua vida amorosa. em n ó s m e s m o s , os i n ú m e r o s p a d r õ e s neocorticais de u m ente


q u e r i d o que se f o i passam s u b i t a m e n t e de ati v adores d o deleite
E m b o r a essas s u b s t â n c i a s q u i m i c a s t a m b é m i n f l u e n c i e m os
p a r a ativadores d o l u t o .
seres h u m a n o s , nosso n e o c ó r t e x assumiu o papel de c o m a n d o ,
c o m o em t u d o que fazemos. Os arganazes t a m b é m t ê m n e o c ó r t e x , A base ev ol u ti v a p a r a o a m o r e suas fases n ã o é a h i stóri a
mas ele é d o t a m a n h o de u m selo e p l a n o , e t e m apenas o t a m a n h o c o m p l e t a do m u n d o a t u a l . J á f o m o s razoavelmente bem-sucedi-
n e c e s s á r i o p a r a que e n c o n t r e m u m a p a r c e i r a p a r a o resto da v i d a dos na d e s v i n c u l a ç ã o entre o sexo e sua f u n ç ã o bi ol ógi ca, pois pode-
(ou, no caso d o a r g a n a z - d a - m o n t a n h a , pelo m e n o s p o r u m a noite) •tios ter b e b é s sem fazer sexo e certamente podemos ter o ato sexual
152 • Como criar uma mente •

sem b e b é s . Na m a i o r i a das vezes, o sexo acontece c o m p r o p ó s i t o s


sensuais e de r e l a c i o n a m e n t o . E r o t i n e i r a m e n t e nos apaixonamos
c o m p r o p ó s i t o s que n ã o a p r o c r i a ç ã o .
De m o d o s i m i l a r , a e n o r m e q u a n t i d a d e de e x p r e s s õ e s artísti- • Capítulo / •
cas de t o d o s os t i p o s que c e l e b r a m o a m o r e suas milhares de
f o r m a s , d a t a n d o da a n t i g u i d a d e , t a m b é m é u m f i m em si m e s m o .
Nossa capacidade de c r i a r essas f o r m a s d u r a d o u r a s de c o n h e c i -
m e n t o t r a n s c e n d e n t e - sobre o a m o r o u q u a l q u e r o u t r a coisa - é O neocórtex digital inspirado na biologia
j u s t a m e n t e o que t o r n a ú n i c a a nossa e s p é c i e .
O n e o c ó r t e x é a m a i o r c r i a ç ã o da b i o l o g i a . Por sua vez, s ã o os
poemas sobre o a m o r - e todas as nossas o u t r a s c r i a ç õ e s - que
r e p r e s e n t a m as maiores i n v e n ç õ e s de nosso n e o c ó r t e x .

Nunca confie em qualquer coisa que pensa p o r si mesma


se você não puder ver onde ela guarda o cérebro.
- Arthur Weasley, de J. K. Rowling,
em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

N ã o , eu não estou interessado em desenvolver um cére-


bro poderoso. Estou interessado num cérebro medíocre,
algo como o presidente da American Telephone and Te-
legraph Company.
- Alan Turing

Um computador merece ser chamado de inteligente quan-


do consegue fazer um humano acreditar que ele é humano.
- Alan Turing

Creio que, no final do século, o uso de palavras e a o p i -


nião geral das pessoas educadas terão sido tão alterados
que seremos capazes de falar de máquinas pensantes
sem esperarmos que nos contradigam.
- Alan Turing