Você está na página 1de 6

Os fundamentos da Física • Volume 3 1

Testes propostos Menu Resumo do capítulo

Exercícios propostos
Capítulo
Resistores
6
P.109 Da lei de Ohm podemos obter a resistência R desse resistor:
U ⫽ Ri ⇒ 20 ⫽ R  4,0 ⇒ R ⫽ 5,0 Ω
Como o resistor em questão é ôhmico, sua resistência elétrica é constante. Nova-
mente, aplicando a lei de Ohm, temos:

U ⫽ Ri ⇒ U ⫽ 5,0  1,2 ⇒ U ⫽ 6,0 V

P.110 a) A partir do gráfico, vemos que, para U ⫽ 36 V, temos i ⫽ 8,0 A. Aplicando,

então, a lei de Ohm, temos: U ⫽ Ri ⇒ 36 ⫽ R  8,0 ⇒ R ⫽ 4,5 Ω

b) Com o valor obtido para a resistência elétrica do resistor, podemos, por meio da
lei de Ohm, determinar U quando i ⫽ 1,6 A, pois o resistor em questão é ôhmico.

Logo, temos: U ⫽ Ri ⇒ U ⫽ 4,5  1,6 ⇒ U ⫽ 7,2 V

P.111 a) Do gráfico, para i ⫽ 10 mA, vem: U ⫽ 20 V

De U ⫽ Ri, vem: 20 ⫽ R  10  10⫺3 ⇒ R ⫽ 2,0  103 Ω ⇒ R ⫽ 2,0 kΩ

b) R (kΩ)
i (mA) 10 20 50
2,0
U (V) 20 30 40
1,5
R (kΩ) 2,0 1,5 0,8 1,0
0,8

0 10 20 30 40 50 i (mA)

P.112 De Eel. ⫽ Q, temos: Pot  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒ 84  30 ⫽ 1.000  1  ∆θ  4,2 ⇒ ∆θ ⫽ 0,6 °C

P.113 Como Eel. = Q, temos: Pot  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒ Ri 2  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒

⇒ 4,2  i 2  200 ⫽ 10  103  1  8  4,2 ⇒ i ⫽ 20 A


Os fundamentos da Física • Volume 3 • Capítulo 6 2
Exercícios propostos

P.114 V ⫽ 40 º; m ⫽ 40 kg ⫽ 4,0  104 g; ∆t ⫽ 7 min ⫽ 420 s; ∆θ ⫽ 10 °C


Eel. = Q ⇒ Pot  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒

⇒ Pot  420 ⫽ 4,0  104  1,0  10  4,2 ⇒ Pot ⫽ 40  102 W

P.115 Eel. = Q ⇒ Pot  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒ Ri 2  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒

⇒ 20  102  ∆t ⫽ 103  1  50  4,2 ⇒ ∆t ⫽ 105 s

P.116 Na primeira situação a potência é dada por:


2
Pot ⫽ U 쩸
R
Ao reduzirmos a resistência elétrica do resistor à metade, teremos:
2 2
Pot’ ⫽ U ⇒ Pot’ ⫽ 2  U 쩹
R R
2

Substituindo 쩸 em 쩹, temos: Pot’ ⫽ 2Pot , portanto a potência dobra.

P.117 a) Pot ⫽ Ui ⇒ 4.400 ⫽ 220  i ⇒ i ⫽ 20 A


2
U ’2
b) Pot ⫽ U 쩸; Pot’ ⫽ 쩹
R R
Dividindo 쩹 por 쩸, vem:
2
Pot’ U ’2 Pot’  110  ⇒ Pot’ 1 ⇒
⫽ 2 ⇒ ⫽  ⫽
Pot U 4.400  220  4.400 4

⇒ Pot’ ⫽ 4.400 ⇒ Pot’ ⫽ 1.100 W


4

Pot’ ⫽ U’i’ ⇒ 1.100 ⫽ 110  i’ ⇒ i’ ⫽ 10 A

L mm2 120 m
P.118 R⫽ρ ⇒ R ⫽ 1,72  10⫺2 Ω   ⇒ R ⯝ 4,1 Ω
A m 0,50 mm2

R ⫽ ρ  L ⇒ 20 Ω ⫽ 5,51  10⫺2 Ω  mm 
2
P.119 L ⇒
A m 1,102  10⫺4 mm2

⇒ L ⫽ 4,0  10⫺2 m
Os fundamentos da Física • Volume 3 • Capítulo 6 3
Exercícios propostos

P.120 R⫽ρ L 쩸; R’ ⫽ ρ 
2L ⇒ R’ ⫽ 2
ρ
L

A 3A 3 A

De 쩸 e 쩹: R’ ⫽ 2 R ⇒ R’ ⫽ 2  30 ⇒ R’ ⫽ 20 Ω
3 3

P.121 R ⫽ ρ  L ⇒ 100 ⫽ ρ  L 쩸
A A
L ⫹ 0,5 L ⫹ 0,5
R’ ⫽ ρ  ⇒ 120 ⫽ ρ  쩹
A A
L ⫹ 0,5
Dividindo 쩹 por 쩸, temos: 120 ⫽ ⇒ L ⫽ 2,5 m
100 L

L
P.122 a) De R ⫽ ρ  , concluímos que, triplicando L, a resistência R triplica.
A
b) Sendo A ⫽ πr 2, concluímos que, duplicando o raio r, a área quadruplica e R fica
reduzida à quarta parte.

P.123 De U ⫽ Ri, vem: 120 ⫽ 1.000  i ⇒ i ⫽ 120  10⫺3 A ⇒ i ⫽ 120 mA


Sendo i ⫽ 120 mA ⬎ 100 mA, concluímos que a pessoa poderá falecer por fibrilação
cardíaca.

P.124 a) Do gráfico, para i ⫽ 10 mA, vem: U ⫽ 4,0 V.

Como Pot ⫽ Ui, temos: Pot ⫽ 4,0  10  10⫺3 ⇒ Pot ⫽ 4,0  10⫺2 W

b) Do gráfico, para U ⫽ 2,0 V, vem: i ⫽ 8,0 mA.


∆q
De i ⫽ , vem: ∆q ⫽ i  ∆t ⇒ ∆q ⫽ 8,0  10⫺3  10 ⇒ ∆q ⫽ 8,0  10⫺2 C
∆t

P.125 Ligando-se o aquecedor em 110 V, no lugar de 220 V, a potência dissipada fica


4 vezes menor.
Assim, de Pot  ∆t ⫽ Q e Pot’  ∆t’ ⫽ Q, vem:

Pot  ∆t ⫽ Pot’  ∆t’ ⇒ Pot  12 ⫽ Pot  ∆t’ ⇒ ∆t’ ⫽ 48 min


4

P.126 Eel. ⫽ Q ⇒ Pot  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒ Pot  ∆t ⫽ dVc  ∆θ ⇒ Pot ⫽ d  V c  ∆θ ⇒


∆t

⇒ 2.200 ⫽ 1  0,022  103  4  ∆θ ⇒ ∆θ ⫽ 25 °C


Os fundamentos da Física • Volume 3 • Capítulo 6 4
Exercícios propostos

P.127 Eel. ⫽ Q ⇒ Pot  ∆t ⫽ mL ⇒ Ri 2  ∆t ⫽ mL ⇒

⇒ 4  103  22  ∆t ⫽ 103  80  4,2 ⇒ ∆t ⫽ 21 s

P.128 Pot ⫽ 100 W; m ⫽ 500 g; c ⫽ 4,2 J/g  °C; ∆θ ⫽ 4,5 °C; ∆t ⫽ 1 min 40 s ⫽ 100 s
Energia fornecida à lâmpada: Eel. ⫽ Pot  ∆t ⇒ Eel. ⫽ 100  100 ⇒ Eel. ⫽ 104 J
Calor dissipado: Q ⫽ mc  ∆θ ⫽ 500  4,2  4,5 ⇒ Q ⫽ 9,45  103 J
A energia luminosa é dada por:
Elum. ⫽ Eel. ⫺ Q ⇒ Elum. ⫽ 104 J ⫺ 9,45  103 J ⇒ Elum. ⫽ 0,55  103 J ⇒ Elum. ⫽ 5,5  102 J
Por regra de três simples e direta:

104 J → 100% 5,5  102  100


x⫽ ⇒ x ⫽ 5,5%
5,5  102 J → x 10 4

10 22 11
P.129 a) E el. ⫽ Pot  ∆t ⫽ 2,2  ⇒ E el. ⫽ ⇒ E el. ⫽ kWh
60 60 30

1 kWh → R$ 0,20
11 x ⯝ 0,073 ⇒ x ⯝ R$ 0,07
kWh → x
30
b) Cálculo do valor inicial da resistência R do chuveiro:
U2 (220)2
Pot ⫽ ⇒ 2.200 ⫽ ⇒ R ⫽ 22 Ω
R R
U2
De Pot  ∆t ⫽ mc  ∆θ ⇒  ∆t ⫽ mc  ∆θ , concluímos que, para dobrar ∆θ, de-
R
vemos reduzir a resistência elétrica R à metade. Logo, a nova resistência do
R
chuveiro será: R ’ ⫽ ⇒ R ’ ⫽ 11 Ω
2

U2 U2 ∆θ
P.130 a) Eel. ⫽ Q ⇒ Pot  ∆t ⫽ Mc  ∆θ ⇒  ∆t ⫽ Mc  ∆θ ⇒ ⫽ Mc  쩸
R R ∆t
Do gráfico A, temos:
∆θ 40 °C ⫺ 20 °C ∆θ 20 °C ; U ⫽ 120 V; R ⫽ 40 Ω; c ⫽ 4,0 J/g  °C
⫽ ⇒ ⫽
∆t 16 min ∆t 16  60 s
Substituindo os valores acima em 쩸, temos:

(120)2 20 ⇒ M ⫽ 4.320 g ⇒ M ⫽ 4,32 kg


⫽ M  4,0 
40 16  60
b) Eel. ⫽ Q ⇒ Pot  ∆t ⫽ Mc  ∆θ ⫹ mbcb  ∆θ
∆θ U2 ∆θ 쩹
Pot ⫽ (Mc ⫹ mbc b )  ⇒ ⫽ (Mc ⫹ mbc b ) 
∆t R ∆t
Os fundamentos da Física • Volume 3 • Capítulo 6 5
Exercícios propostos

Do gráfico B, temos: ∆θ ⫽ 35 °C ⫺ 25 °C ⇒ ∆θ ⫽ 10 °C
∆t 16 min ⫺ 6 min ∆t 10  60 s
(120)2 10
Em 쩹, temos: ⫽ (4.320  4,0 ⫹ 5.400  c b )  ⇒
40 10  60

⇒ cb ⫽ 0,8 J/g  °C ⇒ cb ⫽ 0,2 cal/g  °C

P.131 a) R ⫽ ρ  L ⇒ R ⫽ ρ  L 2 ⇒ R ⫽ 4 ρ  L 2
A πd πd
4
L L
R2 ⫽ 4ρ  쩸 e R3 ⫽ 4ρ  쩹
π  22 π  32

R2 9
Dividindo 쩸 por 쩹 vem: ⫽
R3 4

b) Comparados com fios mais finos, mantidas as demais condições, os fios mais
grossos possuem menor resistência elétrica e, por isso, suportam correntes elé-
tricas de maior intensidade. Isso proporciona maior segurança às instalações
contra eventuais aumentos na intensidade da corrente.

L L
P.132 a) R2.000 ⫽ ρ2.000  쩸 R20 ⫽ ρ20  쩹
A A
R2.000 ρ
Dividindo 쩸 por 쩹, temos: ⫽ 2.000
R20 ρ20
Do gráfico, tiramos: ρ2.000 ⫽ 65  10⫺8 Ω  m e ρ20 ⫽ 5  10⫺8 Ω  m

R2.000 65  10⫺8 R2.000


Portanto: ⫽ ⇒ ⫽ 13
R20 5  10⫺8 R20

U2 U2 (120)2
b) P ⫽ ⇒R⫽ ⇒R⫽ ⇒ R ⫽ 240 Ω
R P 60

L L 0,50
c) R ⫽ ρ  ⇒R⫽ρ  ⇒ 240 ⫽ 4ρ  ⇒
A πd 2
3  (0,05  10⫺3 )2
4
⇒ ρ ⫽ 90  10⫺8 Ω  m

Do gráfico, para ρ ⫽ 90  10⫺8 Ω  m, temos: θ ⫽ 2.750 °C

P.133 a) Não. Ele deve diminuir a resistência elétrica do chuveiro, para aumentar a po-
tência elétrica dissipada. Para isso, basta, por exemplo, diminuir o comprimen-
to do fio metálico que compõe a resistência do chuveiro.
Os fundamentos da Física • Volume 3 • Capítulo 6 6
Exercícios propostos

b) U ⫽ Ri ⇒ 220 ⫽ 100  i ⇒ i ⫽ 2,2 A


2 2
Pot ⫽ U ⇒ Pot ⫽ 220 ⇒ Pot ⫽ 484 W
R 100

Eel. ⫽ Pot  ∆t ⇒ Eel. ⫽ 484 1h


kW   7 dias ⇒ Eel. ⫽ 3,388 kWh
1.000 dia

1 kWh → R$ 0,20
x ⯝ R$ 0,68
3,388 kWh → x

P.134 Inverno
U2 U2
Eel. ⫽ Pot  ∆t; para ∆t ⫽ 1 h, temos: E el. ⫽  1 ⇒ E el. ⫽ , o que corresponde
R R
a R$ 1,00.
Verão
1
Eel. ⫽ Pot  ∆t; sendo ∆t ⫽ h  7  30 ⫽ 70 h e 3R a resistência elétrica do chuvei-
3
ro, temos:
U2
E el. ⫽  70
3R
Por regra de três simples e direta, temos:

U2 → R$ 1,00
R
x ⫽ 23,33 ⇒ x ⯝ R$ 23,00
U2 →
 70 x
3R