Você está na página 1de 62

Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

Curso: Eletricista Instalador Predial

ATERRAMENTO
TRABALHANDO COM SEGURANÇA

Colaborador: Antonio Carlos Padovani


Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO - INTRODUÇÃO

• ATERRAMENTO

 O termo aterramento se refere à terra


propriamente dita ou a uma grande massa que
se utiliza em seu lugar.

 Quando falamos que algo está "aterrado",


queremos dizer então que, pelo menos, um de
seus elementos está propositalmente ligado à
terra.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO - INTRODUÇÃO

• ATERRAMENTO
 Aterramento é a ligação elétrica
intencional com a terra.
 Esta ligação visa propiciar um
meio favorável e seguro (de
baixíssima resistência elétrica e
robustez mecânica conveniente) ao
percurso de correntes elétricas
perigosas e indesejáveis. É o caso
das descargas elétricas produzidas
por fenômenos atmosféricos (raios)
ou ainda por ocasião das faltas
elétricas.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO - INTRODUÇÃO

• ATERRAMENTO

 O primeiro objetivo do aterramento


dos sistemas elétricos é proteger as
pessoas e o patrimônio contra uma
falta (curto-circuito) na instalação.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO - INTRODUÇÃO

• ATERRAMENTO

 O segundo objetivo de um sistema de aterramento é


oferecer um caminho seguro, controlado e de baixa
impedância em direção à terra para as correntes induzidas
por descargas atmosféricas.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

TIPOS DE ATERRAMENTO

• ATERRAMENTO FUNCIONAL
 O aterramento por razões funcionais deve ser utilizado
para garantir o funcionamento correto dos equipamentos, ou
para permitir o funcionamento adequado da instalação (NR
5410).
 Consiste na ligação à terra de um dos condutores da
instalação, o condutor neutro, assim denominado pois o seu
potencial elétrico é (teoricamente) nulo em relação ao
potencial da terra, considerado zero.

Trem elétrico
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

TIPOS DE ATERRAMENTO

• ATERRAMENTO FUNCIONAL /
TEMPORÁRIO

 Tem por seu maior objetivo


promover proteção aos trabalhadores
contra faltas elétricas, energização
acidental, correntes geradas por
campos magnéticas e descargas
atmosféricas que possam interagir ao
longo do circuito em intervenção.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

TIPOS DE ATERRAMENTO

• ATERRAMENTO DE PROTEÇÃO
 Ligação das massas (carcaças
metálicas de quadros de distribuição, de
TERRA
transformadores, de motores, eletrodutos FASE
NEUTRO
metálicos etc) e de elementos condutores
estranhos à instalação à terra, com o
objetivo de garantir a proteção contra
contatos indiretos.
 O condutor de Proteção é
representado pela letra PE (Protection to
Earth) e, em condutores isolados, deve-
se usar a cor verde ou verde-amarela,
conforme recomendação da NBR 5410.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

TIPOS DE ATERRAMENTO

• ATERRAMENTO DE PROTEÇÃO
 O condutor de Proteção é representado pela letra PE
(Protection to Earth) e, em condutores isolados, deve-se usar
a cor verde ou verde-amarela, conforme recomendação da
NBR 5410.

 O símbolo de aterramento é
Fio Terra

representado pelo desenho


abaixo. Fio Fase

Fio Neutro

Fio Fase
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

TIPOS DE ATERRAMENTO

• ATERRAMENTO DE PROTEÇÃO

Exemplo de aterramento simples com uma haste


Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

TIPOS DE ATERRAMENTO

• ATERRAMENTO DE PROTEÇÃO

Exemplo de aterramento simples com três hastes


Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

FUNÇÕES BÁSICAS DOS SISTEMAS DE ATERRAMENTO

• SEGURANÇA PESSOAL
 A conexão dos equipamentos elétricos ao sistema de
aterramento deve permitir que, caso ocorra uma falha na
isolação dos equipamentos, a corrente de falta passe através
do condutor de aterramento ao invés de percorrer o corpo de
uma pessoa que eventualmente esteja tocando o
equipamento.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

FUNÇÕES BÁSICAS DOS SISTEMAS DE ATERRAMENTO


• DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO
 O sistema de aterramento deve oferecer um percurso de
baixa impedância de retorno para a terra da corrente de falta,
permitindo, assim, que haja a operação automática, rápida e
segura do sistema de proteção.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

FUNÇÕES BÁSICAS DOS SISTEMAS DE ATERRAMENTO


• CONTROLE DE TENSÕES
 O aterramento permite um controle das tensões
desenvolvidas no solo (passo, toque e transferida) quando
um curto-circuito fase-terra retorna pela terra para a fonte
próxima ou quando da ocorrência de uma descarga
atmosférica no local.
• TRANSITÓRIOS
 O sistema de aterramento estabiliza a tensão durante
transitórios no sistema elétrico provocados por faltas para a
terra, chaveamentos, etc, de tal forma que não apareçam
sobretensões perigosas durante esses períodos que possam
provocar a ruptura da isolação dos equipamentos elétricos.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

FUNÇÕES BÁSICAS DOS SISTEMAS DE ATERRAMENTO


• CARGAS ESTÁTICAS
 O aterramento deve escoar cargas estáticas acumuladas
em estruturas, suportes e carcaças dos equipamentos em
geral.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

CONCEITOS IMPORTANTES SOBRE ATERRAMENTO


• TENSÃO DE CONTATO
 É a tensão que pode aparecer acidentalmente, quando da
falha de isolação, entre duas partes simultaneamente
acessíveis.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

CONCEITOS IMPORTANTES SOBRE ATERRAMENTO


• TENSÃO DE TOQUE
 Se uma pessoa toca um equipamento sujeito a uma
tensão de contato, pode ser estabelecida uma tensão entre
mãos é pés, chamada de tensão de toque.

 Em consequência, poderemos ter a passagem de uma


corrente elétrica pelo braço, tronco e pernas, cuja duração e
intensidade poderão provocar fibrilação cardíaca,
queimaduras ou outras lesões graves ao organismo..
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

CONCEITOS IMPORTANTES SOBRE ATERRAMENTO


• TENSÃO DE PASSO

 Quando uma corrente elétrica


é descarregada para o solo,
ocorre uma elevação do
potencial em torno do eletrodo de
aterramento, formando-se um
gradiente (distribuição) de queda
de tensão, cujo ponto máximo
está junto ao eletrodo e o ponto
mínimo muito afastado dele.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

CONCEITOS IMPORTANTES SOBRE ATERRAMENTO


• TENSÃO DE PASSO

 Se uma pessoa estiver


em pé em qualquer ponto
dentro da região onde há
essa distribuição de
potencial, entre seus pés
haverá uma diferença de
potencial, chamada de
tensão de passo.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

COMPONENTES DE UM SISTEMA DE ATERRAMENTO

•ELETRODO DE ATERRAMENTO
 Constitui a parte
colocada em contato
íntimo com o solo, com
o objetivo de dispersar
a corrente.

solo
Haste de aterramento
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

COMPONENTES DE UM SISTEMA DE ATERRAMENTO

•CONDUTOR DE ATERRAMENTO
 Liga o eletrodo de terra ao
terminal de aterramento principal

Condutores de Aterramento
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

COMPONENTES DE UM SISTEMA DE ATERRAMENTO

•CONDUTORES DE EQUIPOTENCIALIDADE
 Com os quais são feitas as ligações equipotenciais
(principal e suplementar), que são:

 Os condutores de equipotencialidade principais, que


ligam ou interligam as canalizações metálicas não elétricas
de abastecimento do prédio e os elementos metálicos
acessíveis da construção

 Os condutores de equipotencialidade das ligações


equipotenciais suplementares que interligam massas e/ou
elementos condutores estranhos à instalação;
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

COMPONENTES DE UM SISTEMA DE ATERRAMENTO

•CONDUTOR DE PROTEÇÃO PRINCIPAL

 Condutor ao qual são ligados, diretamente ou através


de terminais de aterramento, os condutores de proteção
das massas, o condutor de aterramento, e eventualmente,
condutores de equipotencialidade;

 Conforme figura.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

COMPONENTES DE UM SISTEMA DE ATERRAMENTO

•CONDUTOR DE PROTEÇÃO DAS MASSAS

 Acompanham os circuitos terminais promovendo o


aterramento das massas dos equipamentos de utilização
alimentados;

 Conforme figura.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

COMPONENTES DE UM SISTEMA DE ATERRAMENTO

•TERMINAL DE ATERRAMENTO PRINCIPAL

 Que deve reunir o condutor de aterramento, o condutor


de proteção principal e os condutores de
equipotencialidade principal.

 Conforme figura.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

COMPONENTES DE UM SISTEMA DE ATERRAMENTO


Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO E SEUS SISTEMAS DE PROTEÇÃO


• ATERRAMENTO ÚNICO
 O sistema de aterramento é composto por vários sistemas
de proteção como: proteção contra choques, descargas
atmosféricas, sobretensões e etc. Contudo esses sistemas
de aterramentos são únicos e devem ser reunidos.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO E SEUS SISTEMAS DE PROTEÇÃO


• PROTEÇÃO CONTRA CHOQUES
 Quando se fala em proteger as pessoas contra choques
elétricos, deve-se lembrar que o perigo está presente
quando o corpo da pessoa está sendo percorrido por uma
corrente elétrica superior a um dado valor por um tempo
maior do que o suportável.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

GRÁFICO DE TEMPO(ms) X CORRENTE(mA)


Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO E SEUS SISTEMAS DE PROTEÇÃO


• EXEMPLO

 Raramente encontra-se pisos com grandes valores de


resistência como o do exemplo.
 O corpo humano quando úmido/molhado possui uma
resistência relativamente baixa.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO E SEUS SISTEMAS DE PROTEÇÃO


• ESTUDOS SOBRE ATERRAMENTO
 Estudos realizados pela IEC(Comissão Eletrotécnica
Internacional) concluíram que as pessoas estão livres de
choques perigosos se estiverem submetidas a tensões
elétricas inferiores a 50V (alternados) ou 120V
(contínuos) quando em locais "normais" como quartos,
salas, cozinhas, lojas, escritórios e na maior parte dos locais
industriais, e 25V (alternados) ou 60V (contínuos) quando
em áreas externas, locais molhados (banheiros), campings,
etc.

 A alimentação em tensões inferiores a 50 e 25V limita-se,


geralmente, a aparelhos de iluminação subaquáticos e
alguns comandos como de banheiras de hidromassagem.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
• ESQUEMA TN-S
 Notem pela que temos o secundário de um
transformador (cabine primaria trifásica) ligado em Y. O
neutro é aterrado logo na entrada, e levado até a carga.
Paralelamente, outro condutor identificado como PE é
utilizado como fio terra, e é conectado à carcaça (massa)
do equipamento.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
• ESQUEMA TN-C
 Esse sistema, embora normalizado, não é aconselhável,
pois o fio terra e o neutro são constituídos pelo mesmo
condutor. Dessa vez, sua identificação é PEN (e não PE,
como o anterior). Podemos notar pela figura que, após o
neutro ser aterrado na entrada, ele próprio é ligado ao
neutro e à massa do equipamento.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
• ESQUEMA TN-C
 O terra é um condutor construído através de uma haste
metálica e que, em situações normais, não deve possuir
corrente elétrica circulante.

A grande diferença entre a terra e o neutro é que, pelo


neutro há corrente circulando, e pelo terra, não. Quando
houver alguma corrente circulando pelo terra, normalmente
ela deverá ser transitória, isto é, desviar uma descarga
atmosférica para a terra por exemplo.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO

• ESQUEMA TN-C-S
 As funções do Condutor Neutro e do Condutor de
Proteção são Combinadas em uma Parte da Instalação e
separadas em outra.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
• ESQUEMA TT
 Esse sistema é o mais eficiente de todos. Na figura
vemos que o neutro é aterrado logo na entrada e segue
(como neutro) até a carga(equipamento). A massa do
equipamento é aterrada com uma haste própria,
independente da haste de aterramento do neutro.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
• ESQUEMA IT
 É um esquema parecido com o TT, porém o aterramento
da fonte é realizado através da inserção de uma impedância
de valor elevado (resistência ou indutância). Com isso, limita-
se a corrente de falta a um valor desejado, de forma a não
permitir que uma primeira falta desligue o sistema.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
• ESQUEMA IT
 Geralmente, essa corrente não é perigosa para as
pessoas, mas como a instalação estará operando em
condição de falta, devem ser utilizados dispositivos que
monitorem a isolação dos condutores, evitando a excessiva
degradação dos componentes da instalação.

 O uso dos sistemas IT é restrito aos casos onde uma


primeira falha não pode desligar imediatamente a
alimentação, interrompendo processos importantes (como
em salas cirúrgicas, certos processos metalúrgicos, etc.).
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ESQUEMAS DE ATERRAMENTO
• CONSIDERAÇÕES
 Vocês devem estar pensando: “Mas qual desses sistemas
devo utilizar na prática?”
 Geralmente, o próprio fabricante do equipamento
especifica qual sistema.

 Como regra geral, temos:


 Sempre que possível optar pelo sistema TT em 1º lugar.
 Caso, por razões operacionais e estruturais do local, não
seja possível o sistema TT, optar pelo sistema TN-S.
 Somente optar pelo sistema TN-C em último caso, isto é,
quando realmente for impossível estabelecer qualquer um
dos sistemas anteriores.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
 Boa execução do sistema de aterramento exige atenção e
materiais adequados.

 A execução do aterramento é simples, mas exige alguns


cuidados especiais. Qualquer falha nas conexões pode pôr
em risco a integridade do sistema.

 A haste recoberta com cobre (cobreada) deve ter


comprimento mínimo de 2,40 m com diâmetro de 5/8"
(15mm)

 O condutor deve ser dimensionado para tal circuito e deve


ser a cor verde ou verde e amarela.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
 Se a camada de cobre da haste for muito fina, pode-se
quebrar facilmente no momento em que se faz sua
colocação no solo. "O aço, em contato direto com a umidade,
enferrujará rapidamente, comprometendo o sistema.

 Outra dica valiosa é prestar muita atenção no tipo de solo


onde será executada a fixação da haste. O ideal é que ele
seja adequado para receber a descarga elétrica proveniente
do circuito. Solos mais úmidos são melhores e os mais secos
e rochosos são os mais complicados, exigindo tratamentos
específicos.

 Para medir a resistência do solo usa-se um aparelho


chamado Terrômetro.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

ATERRAMENTO RESIDENCIAL
• EXECUÇÃO DE UM ATERRAMENTO

Utilize massa para calefetar na conexão entre o conector, o


fio e a haste, evita umidade e poeira, aumentando a vida útil
do aterramento.
Centro Integrado SESI / SENAI ‘Silvio Benatti’

Curso: Eletricista Instalador Predial

OBRIGADO A TODOS

FIM

ATERRAMENTO
TRABALHANDO COM SEGURANÇA

Colaborador: Antonio Carlos Padovani