Você está na página 1de 3

UMA SEMENTE PARA QUATRO TIPOS DE TERRA

[Texto: Marcos 4:1-20]

Es tive pesquisando sobre o assunto “semente” e descobri que


existe uma Empresa Americana (cujo nome prefiro não
citar), especializada no setor de sementes biotecnologia.
Com a ajuda da engenharia genética, esta Empresa vem
desenvolvendo sementes dos mais variados tipos,
tornando-as altamente produtivas e resistentes a pragas.
Contudo, nenhuma supersafra vem sem que o
semeador se empenhe em preparar a terra com os
devidos cuidados necessários para que a boa
semente possa brotar, crescer e por fim frutificar.

No Evangelho segundo Marcos 4:1-20 encontra-se impresso a - Parábola


do Semeador -, contada por Jesus a uma numerosa multidão de dentro
de um barquinho próximo da praia. Jesus tinha o hábito de valer-se de
parábolas para enriquecer os seus ensinos e torná-los acessível ao
público.

A parábola narra o trajeto de um certo trabalhador que lançando mão de


sementes saiu para semear em quatro tipos de solo. Uma parte caiu à
beira do caminho, outra caiu em solo rochoso, outra caiu entre espinho e
a quarta caiu em boa terra.

As explicações detalhadas sobre esta parábola do semeador foram ditas


aos doze de Jesus em particular. Jesus diz a eles que a semente é a
Palavra de Deus, o semeador é o evangelista e ou pregador, e o solo é o
coração do homem.

Semente - Palavra de Deus. Não há a menor possibilidade de apreciar


carência no atributo da semente que representa a Palavra de Deus.
Paulo se refere à Palavra como viva e eficaz: “Porque a palavra de
Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma
de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e
das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e
intenções do coração” – (Hebreus 4:12). Pedro ressalta a
incorruptibilidade da Palavra: “Sendo de novo gerados, não de
semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus,
viva, e que permanece para sempre” – (I Pedro 1:23).

A Bíblia diz que tudo que Deus fez foi bom e teve como objetivo
proporcionar ao homem uma vida saudável e feliz. Entretanto, Deus foi
“forçado” a adicionar em sua criação algo para solucionar um sério
problema causado pelo próprio homem quando ainda vivia em um
Jardim chamado Éden.

A criatura humana optou por entrar pela rota da desobediência, e, por


conseguinte, perdeu o privilégio de manter comunhão com o Criador –
(Gênesis 3:8-24). Não obstante, Deus não desistiu do homem e fez uma
promessa que enviaria alguém (seu Filho Jesus Cristo), para oferecer
nova oportunidade de reabilitação da criatura pecadora com Ele santo –
(v.15).

Esta promessa foi proferida por Deus no Antigo testamento, para que o
homem pecador ouvisse e para que todo reino espiritual (principalmente
o inferno), presenciasse o decreto de Deus que anularia as obras
malignas. Assim sendo, Deus consolidou seus decretos em preciosas
escritas (semente boa), usando e capacitando algumas dezenas de
escritores, inspirados pelo Espírito Santo, para formar o livro mais
vendido e mais lido no universo – A Bíblia Sagrada.

Semeador. É aquele que recebe do Senhor a missão de anunciar o


evangelho aos necessitados de salvação. Paulo escreveu aos cristãos de
Roma: “...Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho
de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas” –
(Romanos 1-:15b). Eis a grande comissão conferida aos discípulos vinda
do próprio Jesus: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as
nações (semeando a boa semente), batizando-os em nome do Pai,
e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as
coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco
todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém” _ Mateus
28:19,20) – [grifo meu].

Terra – coração do homem. A parábola conta que existem quatro tipos


de solo (coração), que têm características diferentes, assim sendo,
interferem no resultado final do investimento. Vejamos os quatro tipos:

Primeiro – “beira do caminho”. É o coração endurecido por se deixa


transitar ensinamentos (heresias), que contrariam os princípios da
palavra de Deus, se tornando duro e impenetrável. Desta forma, a
semente fica exposta e vulnerável ao pássaro (Satanás), que tira a
palavra semeada.

Segundo – “solo rochoso”. É o coração divido, ou melhor, um coração


que mantêm uma capa de falsidade. Evidencia aparência de fertilidade,
contudo, sob ele as pedras impedem a semente de enraizar, crescer e
produzir frutos. Este tipo de pessoa recebe a palavra de Deus com
entusiasmo, dando a impressão que houve arrependimento e salvação.
No entanto, no primeiro momento de angústia ou perseguição, se
escandalizam e apostatam da fé.

Terceiro – “entre espinhos”. É o coração atribulado com as coisas do


mundo, colocando-as no lugar de Deus. O texto diz: “Os cuidados do
mundo, a fascinação da riqueza e as demais ambições,
concorrendo, sufocam a palavra, ficando ela infrutífera” – (v.19).
A cobiça, quando não extinguida do coração, se transforma em praga
mortífera que sufoca e impede o desenvolvimento da planta (palavra),
de cumprir seu papel que é crescer e produzir frutos.

Quarto – “boa terra”. É o coração aberto com fome e sede da palavra de


Deus. Ouve atentamente e se deixa convencer pelo Espírito Santo sobre
a autenticidade e eficácia da palavra rica e poderosa para orientar o
homem por caminhos seguros. Segue os comandos da palavra, se
arrepende dos pecados e busca o perdão através de Jesus Cristo. Abre
mão de tudo que se identifica como ídolo em sua vida (lembrando que
ídolo é qualquer coisa que ocupa o lugar de Deus. Lamentavelmente
muitos cristãos permanecem na idolatria. Peça a Deus que sonde seu
coração e te mostre quem está ocupando o lugar dEle).

A parábola termina dizendo: “E os que recebem a semente em boa


terra são os que ouvem a palavra e a recebem, e dão fruto, um a
trinta, outro a sessenta, outro a cem, por um” – (v.20). O
propósito de Deus para cada homem é vê-lo salvo, livre da opressão
maligna, curado, transformado, crescendo em conhecimento bíblico e
obediência à sua palavra e sobre tudo, frutificando.

Esta parábola, no mínimo nos leva a um exame de consciência. Nos


convida a refletir sobre a importância da Palavra de Deus e os efeitos
que ela causam (se deixarmos) em nós. Por que lemos a Bíblia?
“Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade
humana, entretanto homens falaram da parte de Deus movidos
pelo Espírito Santo” – (2 Pedro 1:21). A Bíblia é o livro de Deus. É
importante que nós leiamos este livro, porque o Deus do universo o
escreveu e deseja que ele contribua para nosso aperfeiçoamento diária.

Leia a Bíblia diariamente. Dwigt Moody, evangelista famoso do século


dezenove, ao presentear um amigo com uma Bíblia fez a seguinte
dedicatória: “Este livro vai separar você dos seus pecados, ou os seus
pecados irão separar você deste livro”. Pense nisto!

________________________________________________________Plínio Cavalheiro.