Você está na página 1de 1

Estudo Bíblico – Evangelho de Lucas

Lição 1

“Lucas era um gentil. O que significa que ele não era um judeu. Ele não era um dos que
estavam esperando o Messias. Em segundo lugar, embora não conheçamos os detalhes,
sabemos que ele entrou em contato com o evangelho, e tornou-se um seguidor do apóstolo
Paulo. Ele foi com Paulo em muitos dos lugares que visitou. Ele era um amigo muito
próximo. Era médico, então, possivelmente ele cuidava do apóstolo. Fazia parte da vida do
mesmo. Por isso o apóstolo tinha boas impressões a respeito de Lucas. Aonde o apóstolo ia,
nos lugares onde eram erguidas as igrejas, ele pregava sobre Jesus. E como ele mesmo cita
em uma de suas epístolas, em que falava sobre a morte de Cristo na cruz, essa é a
mensagem de Paulo. De acordo com o que Paula pregava, ao abrir as igrejas, o povo
perguntava: “Quem é esse Jesus?”; “O que devemos saber mais sobre ele?”; “O que tem de
tão especial sobre Jesus?”. Essa era a pergunta que muitos se faziam.
Aqueles judeus entendiam que deviam esperar pelo Messias. Eles conheciam as
profecias. Então, pela interpretação dos profetas, eles deviam esperar pelo Messias, e Jesus
era o Messias. Mas para os gentios dessas cidades, eles não tinham nenhuma informação
sobre o Messias. Eles não esperavam um Messias. E, como os gentios, Lucas tinha essas
perguntas em sua mente, essa indagação que os gentios tinham: “Quem é esse Jesus?”; “O
que tinha de tão especial Nele?”; “O que é isso que Ele diz que ninguém mais disse?”; “O
que ele pode fazer que ninguém mais pode?”; Essas eram perguntas de inúmeras igrejas do
apóstolo.
Lucas percebeu que deveria escrever sobre Jesus. Escrever a história da vida, do
trabalho, e do ministério de Jesus. E isso é o que fez de Lucas um historiador da igreja.

John Fowler

Lucas escreveu o evangelho por volta dos anos 60. Sua preocupação não era transmitir
para o público Judeu, mas, sim, para os gentios. Diferente de Mateus. Lucas não foi uma
testemunha ocular dos fatos, mas foi um pesquisador. Sua escrita indica um homem
erudito, de um grego polido e até complexo. Ele foi o autor também de Atos. Tanto um
como o outro é escrito para alguém chamado Teófilo. Teófilo provavelmente foi um
patrocinador de Lucas, pra que ele fizesse as pesquisas e disponibilizasse as cópias.
Lucas inicia o livro falando acerca de duas intervenções divinas. O nascimento de João
a partir de uma senhora estéril, e o nascimento de Jesus.