Você está na página 1de 1

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Centro de Ciências Exatas e da Terra


Departamento de Física Teórica e Experimental

FIS0626 - Física Estatística - 2017.2


Atividade capítulo 10: Sistemas interagentes
Prazo de entrega até 10:55 h de 23/11/2017

As atividades contribuirão com até 30% da nota das avaliações. As atividades podem ser resolvidas
em grupo, mas cada estudante deve entregar sua solução individual, escrita de maneira clara e in-
dependentemente dos colegas. Todas as respostas devem ser devidamente justificadas. Fraude
acadêmica não será tolerada.

NOME: TURMA: (35M56)

1. O fônon é uma quase-partícula associada aos modos normais de vibração de um sólido. Ana-
logamente, podemos definir o mágnon, que é uma quase-partícula associada a uma onda de
spin em um material magnético. Em classe, utilizamos o modelo de Debye para determinar a
contribuição dos fônons ao calor específico de um sólido nos regimes de baixas e altas tempera-
turas. Vamos agora utilizar o mesmo formalismo para determinar a contribuição dos mágnons
ao calor específico de um sólido magnético no regime de baixas temperaturas.
A energia de cada modo é dada por r = (nr +1/2)~ωr , onde nr é o número de magnons naquele
modo e ωr é a frequência do modo. A função de partição fica
Z ∞
ln Z = βN η − ln(1 − e−β~ω )σ(ω)dω,
0

onde σ(ω)dω é o número de modos normais com frequência angular entre ω e ω + dω.

a) Sabendo que a relação de dispersão de magnons, que é dada por ~ω(k) = 4JS(1 − cos ka),
onde J é a magnitude da interação de troca, S é o spin de um átomo do sólido, k é o vetor
de onda e a é o parâmetro de rede do sólido, determine a forma aproximada da relação de
dispersão de magnons no limite de longos comprimentos de onda, ka << 1, em termos dos
parâmetros dados.
b) Sabendo que cada modo normal suporta apenas uma polarização, mostre que σ(ω)dω =
V
(2π)3
4πk 2 dk = Aω 1/2 dω, determinando a constante A em termos dos parâmetros dados.
c) Partindo de ln Z determine a contribuição dos magnons à energia interna do sólido, E.
d) Definindo a variável auxiliar x = β~ω, mostre que E ∝ T 5/2 .
e) Mostre que a contribuição dos magnons na capacidade calorífica em baixas temperaturas é
tal que CV ∝ T 3/2 .
f) Utilize um programa de gráficos para mostrar a dependencia de CV (T ) no regime de baixas
temperaturas para elétrons, mágnons e fônons.