Você está na página 1de 23

Universidade Federal de Campina Grande

Gestão de Resíduos Sólidos


Profª. Drª. Veruschka Escarião Dessoles Monteiro

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

2017.1
A Lei Nº 12.305 de 02/08/2010, instituiu a
Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS
Princípios da PNRS
Responsabi-
lidade
Comparti-
lhada
Poluidor- Visão
Pagador Sistêmica Reconhecimento
do resíduo
sólido
reutilizável e
reciclável como
PNRS um bem
Desenvolvi-
Protetor- econômico e de
mento
Recebedor valor social,
Sustentável
gerador de
trabalho e renda
e promotor de
cidadania;
Prevenção Precaução
Objetivos da Política Nacional dos
Resíduos Sólidos

Integração dos catadores nas ações


Os produtos reciclados e recicláveis
que envolvam a responsabilidade
terão prioridade, nas aquisições e
compartilhada pelo ciclo de vida
contratações governamentais.
dos produtos.
Objetivos

Proteção da saúde Capacitação técnica


Gestão integrada de
pública e da qualidade continuada na área de
resíduos sólidos
ambiental resíduos sólidos

Estímulo à adoção de Gestão ambiental e


padrões sustentáveis de Incentivo à indústria da empresarial voltadas para o
produção e consumo de reciclagem reaproveitamento dos RS,
bens e serviços incluindo a recuperação e o
aproveitamento energético

Adoção,
Redução do volume e da
desenvolvimento e
periculosidade dos Estímulo à rotulagem
aprimoramento de
resíduos perigosos ambiental e ao consumo
tecnologias limpas
sustentável
Instrumentos da PNRS
DIRETRIZES APLICÁVEIS AOS RESÍDUOS SÓLIDOS

Poderão ser
utilizadas
tecnologias
visando à
recuperação
energética dos Desde que tenha sido
RSU comprovada sua
viabilidade técnica e
ambiental e com a
implantação de programa
de monitoramento de
emissão de gases tóxicos
aprovado pelo órgão
ambiental
Planos de Resíduos Sólidos

PLANO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Planos Estaduais de Resíduo Sólidos

Planos Planos
Planos Municipais
Intermunicipais
Microrregionais
e de Regiões
Metropolitanas
Planos de Gerenciamento de R S

A elaboração é condição para terem acesso a recursos da União ou por ela


controlados, destinados a empreendimentos e serviços relacionados à gestão de
resíduos sólidos
Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Parte integrante do processo de licenciamento ambiental

Devem elaborar o PGRS:

Serviços públicos de Atividades


saneamento básico agrossilvopastoris
Construção civil
Estabelecimentos de Resíduos industriais,
serviço de saúde resíduos minerários

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviço que gerem resíduos


perigosos ou diferenciados dos domiciliares

Empresas e Terminais de transporte (portos, aeroportos, terminais


alfandegários, rodoviários e ferroviários e passagens de fronteira)
De acordo com a
Lei 12.305/10
Art. 33
Sistema Nacional de Informação Sobre a
Gestão de Resíduos Sólidos
Sistema Nacional de Informação Sobre a
Gestão de Resíduos Sólidos
Resíduos Perigosos

 As pessoas jurídicas que operam com


resíduos perigosos, em qualquer fase do seu
gerenciamento, são obrigadas a se cadastrar
no Cadastro Nacional de Operadores de
Resíduos Perigosos.

Rejeitos Radioativos
Das Proibições

 São proibidas as seguintes formas de


destinação ou disposição final de resíduos
sólidos ou rejeitos:

Lançamento in Queima a céu aberto ou


Lançamento em praias,
natura a céu aberto, em recipientes,
no mar ou em
excetuados os instalações e
quaisquer corpos
resíduos de equipamentos não
hídricos.
mineração. licenciados.
 São proibidas, nas áreas de disposição final
de resíduos ou rejeitos, as seguintes
atividades:
É proibida a importação de resíduos sólidos perigosos e rejeitos, bem
como de resíduos sólidos cujas características causem dano ao meio
ambiente, à saúde pública e animal e à sanidade vegetal, ainda que para
tratamento, reforma, reúso, reutilização ou recuperação.
Principais Mudanças com a Lei nº
12.305/2010
Antes Depois

 Falta de prioridade para Municípios farão plano de


o lixo urbano metas sobre resíduos com
participação dos catadores

Existência de lixões na Os lixões precisam ser


maioria dos municípios erradicados em 4 anos

Resíduo orgânico sem Prefeituras passam a fazer a


aproveitamento compostagem

Coleta seletiva cara e É obrigatório controlar


ineficiente custos e medir a qualidade do
serviço
Catadores

Principais Mudanças com a Lei nº 12.305/2010


Antes Depois
 Exploração pelos Catadores reduzem riscos à saúde
atravessadores e riscos à saúde e aumentam renda em cooperativas
Cooperativas são contratadas
Informalidade
pelos municípios para coleta e
reciclagem
Problemas de qualidade e Aumenta a quantidade e melhora
quantidade dos materiais a qualidade da matéria prima
reciclada
Falta de qualificação e visão Trabalhadores são treinados e
de mercado capacitados para ampliar produção
Empresas

Principais Mudanças com a Lei nº 12.305/2010


Antes Depois
 Inexistência de lei nacional Marco legal estimulará ações
para nortear os empresariais
investimentos das empresas

Falta de incentivos Novos instrumentos financeiros


financeiros impulsionarão a reciclagem

Baixo retorno de produtos Mais produtos retornarão à


eletroeletrônicos pós- indústria após o uso pelo
consumo consumidor

Desperdício econômico Reciclagem avançará e gerará


sem a reciclagem mais negócios com impacto na
geração de renda
OBRIGADA PELA
ATENÇÃO!
veruschkamonteiro@hotmail.com

(81) 9976 2593

(83) 8787 0029

(83) 2101 1069