Você está na página 1de 10

QUADRO DE CONECTORES

RELAÇÃO SEMÂNTICA CONECTORES EXEMPLO

ADIÇÃO E, NEM, (NÃO SÓ) MAS TAMBÉM, (NÃO Choveu e fez calor.
SÓ)...COMO

ALTERNATIVA OU, OU...OU, ORA...ORA, QUER...QUER, Ou chove ou faz calor.


SEJA...SEJA
ADVERSIDADE/ MAS, PORÉM, CONTUDO, TODAVIA, Choveu, mas o asfalto não ficou
OPOSIÇÃO ENTRETANTO, NO ENTANTO, E molhado.

EXPLICAÇÃO POIS, PORQUE, QUE, PORQUANTO Choveu, pois o asfalto está molhado.

CONCLUSÃO PORTANTO, LOGO, POIS (posposto ao verbo), Choveu, destarte o asfalto está
ENTÃO, POR ISSO, POR CONSEGUINTE, DESTARTE molhado.
CAUSA PORQUE, POIS, PORQUANTO, JÁ QUE, VISTO QUE, O asfalto está molhado porque
UMA VEZ QUE, NA MEDIDA EM QUE, COMO, POR + choveu.
infinitivo
CONDIÇÃO SE, CASO, CONTANTO QUE, DESDE QUE, A NÃO SER Se me convocarem, irei à audiência.
QUE, A MENOS QUE
COMPARAÇÃO COMO, (MAIS/MENOS) DO QUE/QUE, Muitos adultos agem como crianças.
TANTO...QUANTO
CONFORMIDADE COMO, CONFORME, CONSOANTE, SEGUNDO Fiz o trabalho como o professor
orientou
CONSEQUÊNCIA (TANTO, TÃO) QUE Gritei tanto que fiquei rouca.
CONCESSÃO CONQUANTO, EMBORA, MESMO QUE, AINDA QUE, Conquanto esteja chovendo, vou à
APESAR DE, POSTO QUE, NÃO OBSTANTe praia.
FINALIDADE PARA QUE, A FIM DE QUE, PARA (+ infinitivo), A FIM Muitos mentem para conseguir
DE (+infinitivo) aprovação dos outros.
PROPORCIONALIDADE À MEDIDA QUE, À PROPORÇÃO QUE, QUANTO À medida que lemos, tornamo-nos
(MAIS)...TANTO (MAIS) bons leitores.
TEMPO QUANDO, ENQUANTO, ASSIM QUE, LOGO QUE, Muitos digitam enquanto dirigem.
SEMPRE QUE, AO + infinitivo, DESDE QUE
TEXTO PARA ANÁLISE
O Amor Fino
O amor fino não busca causa nem fruto. Se amo, porque me amam, tem o
amor causa; se amo, para que me amem, tem fruto: e amor fino não há-de
ter porquê nem para quê. Se amo, porque me amam, é obrigação, faço o
que devo: se amo, para que me amem, é negociação, busco o que desejo.
Pois como há-de amar o amor para ser fino? Amo, quia amo; amo, ut
amem: amo, porque amo, e amo para amar. Quem ama porque o amam é
agradecido. quem ama, para que o amem, é interesseiro: quem ama, não
porque o amam, nem para que o amem, só esse é fino.

Padre António Vieira, in "Sermões"


CONECTORES PLURISSIGNIFICATIVOS OU POLISSÊMICOS

E ADIÇÃO
ADVERSIDADE
MAS ADVERSIDADE
ADIÇÃO
OU ALTERNATIVA
ADIÇÃO
POIS EXPLICAÇÃO
CAUSA
CONCLUSÃO
COMO CAUSA
CONFORMIDADE
COMPARAÇÃO
ADIÇÃO

QUE

SE
QUESTÕES: IDENTIFICAÇÃO DO VALOR DO CONECTOR

1. É preciso garantir o direito à distribuição de renda para que todas as famílias possam ter formação
educacional adequada
A expressão "para que" estabelece, no texto, uma relação de condição.
2. O grande desafio para os países latino-americanos consiste em oferecer aprendizagem, investigação e
oportunidades de trabalho para seus indivíduos de forma equitativa e equilibrada, a fim de assegurar
conhecimentos avançados que promovam o desenvolvimento de suas economias, uma vez que esses
países estão se convertendo em protagonistas do mercado global.
A expressão “uma vez que” (l. 3) introduz oração que denota a finalidade da busca de “assegurar
conhecimentos avançados”.
4. A maior parte dos núcleos urbanos surgiu no século passado. Há cidades, entretanto, que já existem
há bastante tempo.
A conjunção “entretanto” (l. 1) introduz, no período em que ocorre, uma ideia de consequência.
4. Enquanto os especialistas analisam a mobilidade urbana na tentativa
de apontar soluções para o problema, o Psicólogos no Trânsito, um
grupo de jovens paulistanos, decidiu levar bom humor à rua.
A conjunção “Enquanto” introduz oração de valor consecutivo.

5. O que precisa ser feito para que não ocorra um colapso no sistema
público?
À oração “para que não ocorra um colapso no sistema público” é
atribuída a ideia de consequência.
6. As leis e políticas públicas, para que tenham eficácia, devem ser
aceitas e assimiladas pela população.
A oração “para que tenham eficácia” indica a causa da aceitação e da
assimilação das leis e das políticas públicas pela população.

7. Lidamos com tantas combinações de números, que já se fala em uma


nova categoria de estresse: “a fadiga das senhas”.
A oração introduzida pela conjunção “que” expressa ideia de
consequência em relação à oração anterior, à qual se subordina.
8. A Mata Atlântica, que leva esse nome por (nos tempos hoje ditos
remotos) se estender por quase toda a costa litorânea, atingia 1,3
milhões de quilômetros quadrados.
A preposição “por” introduz uma noção de causa ou justificativa para a
denominação “Mata Atlântica” atribuída à área descrita no texto.

9.. Ocorre que, ao dar vazão ao seu insaciável afã de descobrir, criar,
conquistar, ao tentar realizar em toda sua plenitude a livre aventura do
espírito, o homem .depara-se com seus limites.
A oração iniciada por “ao dar vazão” apresenta uma causa para o
homem deparar-se “com seus limites”.
10. Hoje, no máximo 10% dos pesquisadores geneticistas em atividade no Brasil
trabalham em grandes centros no exterior. Na área da ciência, esse contato é
essencial — não só para saber como os grandes cientistas trabalham, mas para
estabelecer bons contatos e se fazer conhecer.
O termo “mas” introduz uma oração que expressa contraste em relação à ideia
expressa na oração anterior.

11. Hoje o lago já não é tão abundante, mas ele ainda chega com o barco cheio.
O vocábulo “mas” (l.13) é um elemento coesivo que introduz relação de conclusão
entre a informação expressa no período de que faz parte e a informação expressa
no período que o antecede

13. Este último semestre, como dizem meus filhos, bombou.


A conjunção destacada estabelece relação de comparação..

Interesses relacionados