Você está na página 1de 235

Disp.

e Tradução: Rachael
Revisoras Iniciais: Isabela, Meg,
Neusa, Ana Lúcia, Regina S.,
Monalisa, Elis
Revisora Final: Rachael
Formatação: Rachael
Logo/Arte: Dyllan

Dylan Sullivan, um renomado construtor de barcos, passou sua vida inteira velejando ao redor

do mundo. Mas enquanto ele sempre aproveitou a liberdade do oceano, quando Grace Adrian aparece na

sua casa de barco em Seattle para entrevistá-lo para uma revista, é amor à primeira vista. Amor por Grace

e seu filho de 10 meses Mason, com quem Dylan cria laços imediatos.

E cada momento que eles passam juntos faz Dylan mais e mais certo que um amor como o deles

vale a pena arriscar tudo.

Há um ano e meio atrás, o mundo inteiro de Grace virou de cabeça para baixo. Não apenas se viu

grávida, ela também descobriu que não era nada mais que um segredinho sujo de seu namorado e de sua

família elitista de Washington.

Desde então Grace vem reconstruindo sua vida em Seattle dando cem por cento de sua atenção

para seu filho e sua carreira freelance de escritora. Acreditando que não pode arriscar seu coração-e de seu

filho-novamente, especialmente por um homem como Dylan, que poderia ir embora velejando a qualquer

momento, Grace tenta proteger seu coração desesperadamente do carismático e sensual marinheiro.

2
Sendo tão doce e protetor quanto Dylan pode ser durante o dia, à noite quando um beijo

incrivelmente quente se torna muito mais, Grace simplesmente não consegue achar um modo de não ir

parar em seus braços. Mas ela poderá confiar no amor novamente?

Revisoras Comentam...

Isabela: Mais um Sullivans. Eu gosto muito dessa série, então é suspeito dizer que gostei desse

livro. Rs ...

A Grace é uma batalhadora. Ela é uma jornalista, que após um rápido relacionamento com um

entrevistado (que só estava se divertindo com ela, bem típico), acaba sozinha e com um filhinho pra criar.

O Dylan é mais um Sullivan lindo, maravilhoso, fofo... kkkk. Ele meio que se apaixona à primeira

vista pela Grace e pelo bebê dela, o Mason – que é uma fofura.

A atração entre eles é inevitável, mas a Grace fica apreensiva em misturar trabalho e

relacionamento novamente. Enquanto o Dylan quer aproveitar as oportunidades pra se aproximar mais.

Bem, daqui em diante é com vcs. Leiam. Espero que gostem.

Meg: Bella Andre nos surpreende com mais uma bela história da Família Sullivan. É lindo ver

como o amor à primeira vista acontece, pelo menos nos romances. Dylan é um típico Sullivan, justo,

trabalhador, inteligente, amoroso e lindo. Grace tem um filho encantador, que cria, com dificuldades, sem

a ajuda de um pai. Ela vive com o medo constante de que a família de seu ex resolva lhe tomar o lindo

bebê, mas aí surge um Sullivan maravilhoso em sua vida...

Uma nota de Bella:

Depois de escrever mais de uma dúzia de histórias sobre a família Sullivan, eu não

estou somente mais apaixonada por eles do que nunca, eu também estou espantada com a

3
forma como cada um deles me surpreende enquanto estou escrevendo a sua história. Depois

que eu terminei de escrever o projeto de Eu Amo Como Você Me Ama e comecei a reescrevê-lo

para a publicação, percebi que em algum lugar ao longo do caminho Dylan Sullivan havia

subido nas fileiras para se tornar um dos meus novos heróis favoritos.

É amor à primeira vista para ele quando ele encontra pela primeira vez Grace Adrian e

seu filho de dez meses de idade... e cara, ele mostra a ela o quanto ele adora mais e mais e mais

ao longo do livro. Eu amo heróis como ele, doce e protetores, mas também tão incrivelmente sexy.

Eu espero que você se apaixone tão difícil para Dylan, Grace, e o pequeno Mason como eu tenho!

Se esta é sua primeira vez a ler sobre os Sullivans, você pode facilmente ler cada livro

como um single e há uma árvore da família Sullivan disponível no meu site (http://bellaandre.

com/wp-content/uploads/2014 /02/SullivanFamilyTree. pdf) para que você possa ver como os

livros se conectam juntos.

Leitura feliz,

Bella Andre

PS: A história de Adam Sullivan será o próximo livro lançado sobre Os Sullivans! E eu

posso te prometer, ele vai ser tão romântico. Por favor inscreva-se para o meu boletim de

Lançamento Novo (http://eepurl. com/eXj22) para descobrir logo que a história de Adam é

liberado.

4
Capítulo Um

Grace Adrian precisava de Dylan Sullivan. Urgente o suficiente para que, quando a

babá que tinha arrumado para cuidar de seu filho de dez meses de idade cancelou no último

segundo, ela amarrou Mason no banco de trás de seu carro e dirigiu-se para o porto de Seattle

com ele.

Quinze minutos mais tarde, ela parou no estacionamento ao lado da garagem de barco

de Dylan. Mason, que tinha estado feliz roendo sua girafa de pelúcia favorita durante a viagem,

levantou imediatamente os braços para ela quando ela abriu a porta traseira.

“Eu tenho que soltar você primeiro, lindinho.” No segundo que estava livre, ele quase

pulou em seus braços. Ela fechou os olhos quando o pegou e afagou-o perto. O ano e meio

passado não tinha sido fácil, mas ela não trocaria seu filho, ou seu imenso amor por ele, por

nada.

Grace tinha muitos arrependimentos... Mas Mason não era um deles.

Ela estava apenas deslocando-o para o quadril para que pudesse endireitar seu terno

azul-marinho quando ele choramingou. “Você quer levar a sua girafa com você?” Ela entregou

a ele, mas ele jogou-o fora. “Nós vamos ter que limpá-la antes de colocá-la de volta na sua

boca,” ela disse em uma voz gentil quando pegou o brinquedo de pelúcia do chão e colocou-o

no carro, “mas não se preocupe, eu tenho mais um de seus brinquedos favoritos.” Mason

imediatamente começou a sacudir o chocalho de bolas multicoloridas que ela lhe entregou.

Grace fez o seu melhor para ajustar suas roupas, em seguida, passou a mão pelo seu

cabelo longo e escuro, em um esforço para parecer tão profissional quanto possível, enquanto

ela falava com Dylan. Pelo menos, ela esperava que fosse falar com ele hoje, já que ele não havia

respondido uma única de suas mensagens de telefone durante a semana passada. Ela teria lhe

5
enviado um e-mail se pudesse ter encontrado um site ou endereço de e-mail para ele, mas ele

era uma das poucas pessoas no planeta que pareciam não ter qualquer um. O que era, ela

decidiu, simplesmente estranho. Como ele executava o seu negócio se as pessoas não poderiam

encontra-lo?

“Hora de ir rastrear o esquivo Sr. Sullivan,” ela disse para Mason enquanto se dirigiam

juntos em frente ao estacionamento.

Seu filho mordeu duramente com suas gengivas o seu brinquedo como resposta, mas

foi bom o suficiente para Grace. Ela se tornou um mestre em conversas unilaterais durante os

últimos dez meses, e era incrível o quanto ela poderia se encontrar falando consecutivamente,

mesmo quando a única resposta que já conseguiu foi um gorgolejo, um riso, ou um lamento.

“Vamos rezar para que ele seja agradável e disposto a cooperar.”

O estranho era quão pouca informação que ela tinha sido capaz de encontrar sobre

Dylan. Nenhuma entrevista, nada em que ele estava falando de si mesmo. Que tipo de homem

não queria promover a si mesmo? Especialmente quando ele não era apenas um dos mais

respeitados fabricantes de veleiro-de-madeira na costa oeste, e um piloto de veleiro

multipremiado, mas ele também estava relacionado com algumas das pessoas mais ricas — e

mais bem conhecidas — no mundo, incluindo uma estrela de cinema, duas estrelas do rock, e

um CEO bilionário.

Foi apenas uma das muitas perguntas que precisava perguntar a ele.

Mas enquanto não tinha sido capaz de encontrar informações por escrito muito sobre

ele na internet, ela encontrou uma abundância de imagens. Grace tinha jurado nunca mais se

impressionar com um rosto bonito, mas isso não significava que ela não notasse um cara bonito

quando via um. E não havia nenhuma dúvida de que Dylan era um homem muito atraente.

Ainda assim, ela não podia ajudar, mas achava que ele seria muito mais atraente se ele

realmente tivesse respondido um de seus telefonemas.

6
Quando se esquivou com cuidado de uma das poças de chuva da noite anterior e

respirou o ar doce e salgado do mar no dia surpreendentemente quente e abafado, ela pensou

novamente como estava feliz sobre sua mudança para Seattle. Claro, chovia um pouco, mas ela

amava como a poeira nunca teve a chance de acumular. Além disso, a chuva constante

significava que havia água praticamente em todos os lugares. Ela cresceu em uma fazenda a

meia hora de Washington DC, e adorava brincar no rio e córregos, mas a única vez que tinha

estado fora no oceano tinha sido com seu ex um ano e meio atrás. Ela amava a brisa do mar e a

sensação da água correndo sob o veleiro. Infelizmente, o passeio mal durou quinze minutos

porque seu ex tinha ficado enjoado e ordenou ao capitão para levá-los de volta à costa.

Uma gaivota mergulhando em direção à água apenas alguns pés na frente deles trouxe-

a de volta ao presente. Mason deixou cair seu brinquedo para apontar para ela com entusiasmo

e ela concordou, “É muito emocionante!” mesmo que a gaivota voltou com o bico vazio. Mas

quando Mason olhou para baixo, alguns segundos depois, e percebeu que o seu brinquedo foi

embora, seu rosto franziu.

Uh-oh. A última coisa que ela precisava era estar segurando um bebê chorando quando

finalmente encontrasse Dylan.

Grace rapidamente se abaixou, e seu terno de saia pré-bebê apertou ainda mais em

torno de seus quadris quando pegou o chocalho. Normalmente ela nunca iria dar o brinquedo

de volta para Mason sem lavá-lo completamente em primeiro lugar, mas quando ele começou a

chorar, ela simplesmente tentou o seu melhor para sacudir a sujeira antes que ele empurrasse

de volta em sua boca. Ela lembrou-se que ela tinha comido muita sujeira crescendo em uma

fazenda e tinha passado por isso muito bem.

Não, infelizmente, que o brinquedo parecia estar fazendo qualquer diferença quando

Mason soltou um gemido alto, em seguida, jogou o chocalho de plástico que caiu com um

estrondo no cais de madeira.

7
“Mason, querido, não chore. Por favor, não chore.” Ela passou a mão sobre seu cabelo,

em seguida, através de suas bochechas molhadas. “Nós apenas precisamos gastar alguns

minutos aqui e depois vamos te levar para casa para sua soneca.” Mas quanto mais ela tentou

acalmá-lo, mais Mason mexia em seus braços.

“Está tudo bem aí fora?”

Ela olhou para o homem de cabelos escuros que tinha saído da casa de barcos... e,

literalmente, perdeu o fôlego. Dylan Sullivan era um milhão de vezes melhor pessoalmente do

que ele tinha sido online. E ele tinha sido bastante surpreendente olhando na tela de seu

computador.

Ela se perguntou como o uniforme de um construtor de barcos era, e agora ela sabia:

camisa, calças jeans desgastadas, e botas de trabalho pesadas. O cabelo escuro debaixo de seu

boné de beisebol era um pouco longo demais e apenas indisciplinado o suficiente para fazer

uma garota querer largar tudo para deslizar suas mãos através dele. Mas, dado que ela mesma

havia se ensinado a ser bastante imune a boa aparência dos homens, a aparência dele de estrela

de cinema por si só não teria sido suficiente para enviar sua respiração sibilante de seus

pulmões.

Foi a preocupação em seus olhos quando ele notou a aflição de Mason que

completamente desfez dela.

“Tudo está bem, obrigada.”

Mason virou-se para olhar para ela, em seguida, e mesmo que ele ainda não pudesse

falar, podia ler claramente sua mente. Eu não estou bem! Seu filho continuou a sua mensagem

silenciosa com uma nada silenciosa que ecoou a superfície da água de uma forma

surpreendentemente alta.

“Mason, menino doce, está tudo bem,” disse ela novamente quando se balançava e

murmurava, beijava e saltava, tentando qualquer coisa que pudesse tira-lo de sua crise de

choro. Dylan tinha andado alguns passos mais perto por esta altura, o que só a deixou mais

8
perturbada. “Eu o alimentei antes de virmos aqui, portanto, ele não deve estar com fome. E,” ela

adicionou quando deu um tapinha suave no bumbum de Mason para verificar o estado de sua

fralda, “ele está seco e limpo”.

“Será que ele quer o brinquedo de volta?”

Ela não tinha notado Dylan pegar o chocalho de plástico do cais. Quando ele estendeu-

o, ela percebeu que nunca tinha visto um homem como ele — tão grande e robusto e

exageradamente-lindo — segurando um brinquedo de bebê antes. Isso fez coisas engraçadas

para seu estômago, enviando-o em saltos e giros.

Milagrosamente, Mason parou de chorar quando olhou para Dylan. E então, de repente,

seu filho virou em seus braços e estendeu a mão. Ela assumiu que ele estava tentando pegar o

brinquedo, mas quando ele afastou o chocalho de lado outra vez, ficou claro que ele estava

realmente indo para Dylan.

Seu coração parou em seu peito. Na verdade, apenas parou de bater por um momento.

Mason nunca tinha ido para ninguém, além dela. Mas um olhar para este belo estranho e ele

estava instintivamente estendendo a mão para ser carregado?

Devia ficar em nossa família.

Espere. Não. Isso era uma loucura. Ela não queria procurar Dylan. Não queria que o

lindo fabricante de veleiro puxasse-a em seus braços, abraçasse-a, e nunca a deixasse ir. Ela

estava apenas cansada e estressada e sobrecarregada, porque não tinha mais ninguém para se

apoiar em tanto tempo.

Além disso, não ajudava que naquela manhã tinha lido um artigo on-line sobre seu ex

— um homem de alta popularidade de DC — que tinha problemas de fertilidade com sua

esposa. Porque agora Grace estava mais desesperada do que nunca pela cooperação de Dylan

com a reportagem da revista que ela estava esperando escrever sobre ele.

9
Tinha sido um ano e meio desde que ela tinha mandado seu pitch1 inicial para Revista

Sailing sobre o coração de um marinheiro, inspirado por seu primeiro e único passeio de barco.

Ela ainda não tinha percebido que ela estava grávida, e ela não tinha sido despejada ainda,

tampouco. Seu pitch tinha sido bom o suficiente para que o editor realmente parecesse chateado

quando disse a ela que eles não tinham o orçamento para a história. De repente uma semana

atrás, ela tinha estado além de chocada ao ver o e-mail do editor-chefe da revista dizendo-lhe

que não tinha sido capaz de parar de pensar na ideia da história dela e finalmente puxou junto

o orçamento para isso. O dinheiro que lhe oferecera pelo artigo, juntamente com a promessa de

que seria uma matéria de capa, tinha fundido sua mente. Ambos não poderiam ter vindo em

melhor hora, considerando quão pouco havia em sua conta bancária, agora que ela morava em

uma parte tão cara do país. Ela não podia acreditar na sua sorte, pelo menos até que o editor lhe

dissera sua única grande exigência para a história: Dylan Sullivan tinha que concordar, não só

em ser o principal assunto... mas o menino da capa também.

Se ele não concordasse com a entrevista, o editor iria puxar a história que não só iria

pagar o aluguel nos próximos meses, mas também aumentar o seu fundo de defesa legal para

que ela pudesse contratar um advogado muito bom caso se seu ex decidisse tentar tirar Mason

dela.

“Ajudaria se eu segurar ele por um tempo?”

Pergunta de fala mansa de Dylan tirou-a de seus pensamentos. Ela nunca tinha dado

seu filho a um estranho para segurar, não teria pensado que ela iria considerá-lo. “Talvez se

você pudesse apenas segurar sua mão por alguns segundos, será suficiente para acalmá-lo um

pouco.”

“Ei você aí, menino grande.” Dylan acariciou os dedos de Mason. “Bem-vindo à minha

casa de barcos.”

1
O pitch é uma apresentação sumária de 3 a 5 minutos com objetivo de conquistar o interesse da outra parte pelo seu
projeto.

10
Mas seu filho não só parara de chorar, ele estava se inclinando tão perto de Dylan até

então, que ele tinha praticamente se contorcido todo o caminho para fora de seus braços. A

partir do olhar no rosto de Mason, junto com o tom de seus lamentos, Grace sabia que faltava

cerca de cinco segundos para um escândalo ainda mais forte. Que era por que, afinal, Grace fez

a única decisão que sentia que podia para tentar evitar que seu filho ficasse mais aflito: ela

deixou-o ir para os braços do homem por quem tanto queria ser carregado.

Dylan pegou-o com a facilidade de um homem que havia carregado uma abundância

de bebês. E que gostava de segurá-los. Para seu espanto maior, quando ele disse, “Qual é seu

nome?” para seu filho, Mason tinha parado de chorar e estava balbuciando uma saudação em

sua própria linguagem especial.

“Mason,” Grace respondeu. “O nome dele é Mason.” E seu filhinho estava sorrindo

agora, tão feliz que todo o seu rosto se iluminou. “Ele nunca quis ir para qualquer outra pessoa

assim antes.”

Dylan desviou o olhar para ela, e ela se sentiu como se seus olhos castanhos escuros

visse todo o caminho em sua alma. Quando seu filho grunhiu para chamar sua atenção, ele se

virou para sorrir de volta para ele.

“Você tem um bom braço de lançador, você não tem, Mason?” Como que para

confirmar, o bebê pegou o boné de beisebol na cabeça de Dylan e enviou-o pelo ar.

Grace correu para pegar o chapéu de Dylan antes de o vento levasse-o para a água.

“Mason é geralmente bastante maduro. Eu acho que talvez o calor abafado está agitando ele.”

Ou talvez era apenas ela, porque cada vez que Dylan olhou para ela se sentia como se

estivesse se aquecendo de dentro para fora. O que era louco de várias maneiras. Em primeiro

lugar, durante o ano e meio passado ela tinha sido completamente desligada quando se tratava

de homens. Em segundo lugar, ela estava aqui por motivos profissionais, não pessoais. E,

terceiro, a chance de se envolver para além do profissional com um homem como Dylan Sullivan

era totalmente ridícula.

11
Mas quando ela lhe entregou o boné, o calor gritante em seu olhar quase fez ela deixá-lo

cair da ponta dos dedos dormentes de repente. Tateando, ela acabou empurrando o boné para

ele.

“Eu posso ter meu filho de volta agora.” Mas quando ela se aproximou para Mason, ele

só se aconchegou no amplo peito de Dylan.

“Eu estou bem, segurando ele por um tempo mais longo se você está bem com isso,”

Dylan ofereceu.

Deus, não, ela não estava bem com isso por toda uma série de razões. Não era apenas

que Mason tinha escolhido um estranho em vez dela pela primeira vez. Era mais que ela pensou

que tinha feito bem em seu filho nunca conhecendo o pai — só que agora que ela tinha visto

Mason nos braços de um homem, isto estava acertando-a tudo de novo, com mais força do que

nunca, que ele nunca tinha tido isso. Pelo menos, não por mais do que esses poucos minutos

com Dylan.

Em pé na frente de um estranho de quem ela precisava desesperadamente de ajuda —

um que estava segurando seu filho tão docemente — Grace não conseguia descobrir como

evitar que seu coração quebrasse em um milhão de pedaços tudo de novo.

Ou para não se jogar de cabeça para Dylan da mesma forma que parecia que seu filho

fez.

12
Capítulo Dois

Há dois anos, Dylan tinha estado velejando em Belize, quando olhou para cima e viu

uma onda gigantesca vindo caindo em direção a ele e seu barco. Ele não tinha parado para

pensar, não tinha tido tempo para ter medo, tinha simplesmente feito tudo o que podia para

navegar através do que mais tarde foi chamado de “tempestade do século”. E sabia que cada

segundo que ele passou em um veleiro, durante as últimas duas décadas foram para prepará-lo

para esse momento.

Vendo Grace e Mason pela primeira vez se sentia exatamente da mesma maneira. Ele

estava trabalhando em sua garagem de barcos, desfrutando da calma e do trabalho físico,

quando ele ouviu o choro, e, em seguida, o murmúrio um tanto desesperado de uma voz de

mulher enquanto tentava acalmar o bebê. O momento em que ele saiu para se certificar de que

nenhum deles ficou ferido, e pôs os olhos na mãe e no filho, todo o seu mundo tinha girado fora

de seu eixo.

Desejo pela mulher — e sua necessidade de acalmar o menino — tinham vindo tão

rápido que ele não tinha parado para pensar demais ou ter medo do que estava sentindo. Ele

tinha alcançado simplesmente o bebê, ao mesmo tempo em que tinha confirmado que a mãe do

menino não estava usando um anel de casamento... e pensei, eu vou me casar com ela.

Talvez ele devesse ter ficado surpreso, mas não estava. Não quando sempre soube que

isso seria como ele adorava. Tudo ou nada. E mais rápido do que um saveiro 2 voando sobre a

água a vinte e cinco nós. Todos os anos que ele passou assistindo seus pais juntos, juntamente

com o modo como seus primos e irmãos haviam encontrado o amor nos últimos anos, o tinha

2
Saveiro é um tipo de embarcação construída exclusivamente de madeira.

13
preparado bem para este momento em que ele iria ser atingido por seu próprio raio direto para

o coração.

Dylan nunca tinha adivinhado. Ele sempre soube que seria um marinheiro e construiria

barcos. Houve pequenas lutas ao longo do caminho, é claro, mas nunca duvidou de sua direção

ou suas crenças. Então, quando ele se aproximou de Grace e as faíscas entre eles praticamente

explodiram do nada, ele quase não foi capaz de impedir-se de selar ambos os seus destinos com

um beijo.

Mas ele não tinha sido criado para ser um idiota. Que foi por isso que ele não ia deixar-

se puxá-la para mais perto e beijá-la.

Ainda não, de qualquer maneira.

“Eu tenho algumas bebidas frias no interior da garagem de barcos. Se você tem alguns

minutos, por que você não entrar e toma uma?”

“Obrigado,” ela disse quando ela lhe deu um pequeno sorriso, que não chegou a atingir

os olhos. Apesar de sua atração óbvia, ela estava desconfiada, ele podia ver isso. Dele

especificamente? Ou de todos os homens? “Gostaria disso.”

Dylan estabeleceu o filho dela mais firmemente em seu quadril quando se moveu de

lado para deixá-la entrar no grande edifício. Ela arregalou os olhos quando viu o interior de sua

garagem de barcos. Construída em um estilo artesão clássico, o teto era de três andares, com

grandes janelas de madeira-moldadas deixando entrar a luz de todos os lados. Mas a melhor

parte do edifício era, sem dúvida, que as claraboias eram retráteis para que ele pudesse

trabalhar sob o céu aberto.

“Sua casa de barcos é incrível.”

Ele sorriu por seu tom reverente quando puxou um par de garrafas de água fora da

geladeira no canto onde havia uma pequena área de cozinha embutida. “Obrigado. Meus

irmãos e pai me ajudaram a construí-la, embora o gênio por trás do projeto é meu irmão

Adam.”

14
Antes que ele pudesse dar-lhe a água, ela avistou o veleiro quase concluído na parte de

trás da garagem de barcos e se dirigiu para ele como se puxada por um ímã. “Como você faz

isso?” Ela perguntou a ele. “Como você pode desenhar e construir algo incrível?”

“É tudo que eu sempre quis fazer. Eu li tudo o que pude encontrar sobre como fazer

barcos quando uma criança e, em seguida, uma vez que eu tinha o básico, eu comecei a

desmontá-los. Eu guardei o meu dinheiro para comprar os saveiros e meus pais me deixaram

transportá-los em seu quintal. Eu via através deles, estudei os cascos, e então eu ia tentar

replicá-los, tanto quanto eu poderia.”

“Incrível.” Ela estendeu a mão para deslizá-la sobre a madeira antes de recuar.

“Continue. Essas coisas são projetadas para suportar mais de quarenta nós em um mar

aberto. Se ele quebra quando você coloca suas mãos sobre ele,” disse ele com uma risada que

provocou um riso em seu menino, também, “Eu vou ter um comprador seriamente chateado em

minhas mãos quando a Guarda Costeira tiver que vir buscá-lo. Quer tocá-lo, também, Mason?”

Juntos, os três colocaram as mãos na madeira, aquecido a partir do sol que irradiava a

partir do céu azul claro acima.

“Eu sou Dylan Sullivan, a propósito.”

Afastando-se do barco, ela disse: “Eu sou Grace. Grace Adrian.”

Ela estendeu a mão e quando a tomou ele ouviu a respiração dela ir —facilmente o som

mais sexy que ele já tinha ouvido. “É bom conhecer você, Grace. Muito bom.” Mas, em seguida,

ele franziu a testa ligeiramente. “Seu nome — é familiar por algum motivo. Mas eu teria

lembrado se tivéssemos nos encontrado antes.”

“Nós não nos conhecemos. Tenho ligado para você várias vezes, no entanto.”

“Certo, isso é onde eu sei de onde vem seu nome. Desculpe por não ligar de volta para

você. Eu não sou grande com o telefone.”

Ela lhe deu um olhar que ele poderia facilmente lido como Sem brincadeira, antes de

dizer: “Eu espero que nós não tenhamos interrompido muito você esta manhã. Eu estava

15
realmente esperando para falar com você por alguns minutos. Mason era para ficar em casa hoje

com uma babá, mas ela não apareceu, e agora nós estamos no meio de seu tempo da sesta, e é

por isso que ele está um pouco irritado.”

“Irritado parece ser bom nele. E agora que você está aqui, em que posso ajudar?”

Ela respirou fundo, em seguida, empurrou os ombros para trás como se para se esticar

antes de responder. “Eu sou uma escritora e eu realmente gostaria de entrevistá-lo para uma

história que eu estou fazendo sobre velejar e construção de barcos.” Claramente temerosa que

ele dissesse que não, ela continuou rapidamente. “Eu sei que você não faz muitas entrevistas,

mas essa história não vai ser sobre a sua família, ou sobre dinheiro ou prestígio. Em vez disso,

eu vou escrever sobre o coração de um marinheiro, sobre amar estar na água, sobre a

construção de barcos que ajudam a tornar os sonhos das pessoas realidade. E antes que você

recomende alguns colegas com quem eu poderia falar em vez de você, eu preciso que você saiba

que o editor me disse que só vai contratar-me para escrever esta história, se for sobre você. E...

eles precisam que você esteja na capa, também.”

“Você está certa,” disse ele lentamente enquanto deixava Mason retirar seu boné

novamente para mastigar sobre a borda. “Eu normalmente não faço entrevistas. Mas para

você,” disse ele com um sorriso que esperava que ajudasse a remover suas preocupações, “eu

estou feliz em fazer uma exceção. Quão apertado é o seu prazo?”

Ela parecia incrivelmente aliviada quando disse a ela que faria a história e a capa. Mas

seu alívio rapidamente mudou para uma careta quando ela disse: “Esta história tem um prazo

muito apertado, eu estou com medo. Eles vão precisar disso e as imagens em quatro semanas.”

“Eu tenho que transportar um barco para um amigo em Portland em uma hora, mas eu

vou estar de volta sexta-feira.” Ele também tinha uma próxima viagem para a Austrália para

uma grande corrida de iates em uma semana e meia, mas ele planejava ficar a conhecer Grace

— e Mason — um pouco melhor entre agora e depois. “Minha mãe vai fazer um jantar na sexta-

feira para a família. Venha comigo e nós podemos começar em seguida.”

16
Ela piscou para ele em confusão. “Você quer que eu vá para a casa de sua mãe para a

nossa primeira entrevista?”

“Você e Mason,” esclareceu ele. Porque mesmo que não fosse cometer o erro de assusta-

la com suas intenções, ele também não poderia resistir acelerando as coisas um pouco por jogá-

la com sua família. Dylan simplesmente não podia ver a espera... não quando ele sabia. “Se

chegar cedo, ela pode olhar o bebê enquanto você me entrevistar. A menos, claro,” ele

deliberadamente adicionou para confirmar a única coisa sobre a qual ele precisava estar

absolutamente certo, “que o seu marido ou namorado pode olhar Mason enquanto falamos.”

“Somos só nós.”

Sabendo que não poderia ser fácil de criar um bebê sozinho, ele tentou não dar um grito

de alegria que ela era solteira.

“Você tem certeza que sua mãe vai querer reparar um menino que ela nunca conheceu

antes? Você não precisa perguntar a ela em primeiro lugar?”

“Não,” ele disse com uma risada. “Eu definitivamente não preciso perguntar se ela quer

ficar com um garotinho impressionante por um par de horas. Há poucas coisas que ela ama

mais. Além disso, desta forma você pode fazer perguntas para minha família para a sua

história.” Ele não era geralmente um rolo compressor com as mulheres — ele nunca precisou

ser quando elas sempre vieram a ele. Mas com Grace, ele precisava saber exatamente quando a

veria novamente. “Eu posso pegar vocês às quatro na sexta-feira?”

Grace encarou-o por alguns segundos, sua expressão ilegível, antes que ela finalmente

disse, “Ok, isso vai ficar bem. E obrigado por ter concordado em trabalhar comigo sobre esta

história. Eu realmente gostei disso.”

Ele não precisava de seus agradecimentos. A boca dela contra a dele, no entanto, ele

ficaria feliz em tomar. Mas desde que ele sabia que já tinha empurrado o suficiente por um dia,

ele simplesmente disse: “Estou ansioso por isso, Grace.” Ele gostou do som de seu nome, a

17
forma como se sentia em seus lábios. “Há um bloco de papel na minha mesa atrás de você para

que você possa me dar seu endereço e número de telefone.”

Ela mudou-se para a mesa contra a parede oposta, e ele gostava de assistir a cada

segundo o balançar de seus quadris enquanto ela caminhava. Mas no meio do caminho para sua

mesa, ela parou e virou-se para encará-lo. “Quantas vezes você já se recusou a ser entrevistado

para histórias como esta no passado?”

Ele deu de ombros, fazendo Mason rir quando ele saltou ligeiramente nos braços de

Dylan. Saltando o bebê em torno de mais de propósito, ele disse: “Incontáveis. Por que você

pergunta?”

Ela olhou entre ele e seu filho, sua expressão ainda cautelosa... mas mais do que um

pouco atordoada, também. “Eu estou surpresa que você disse sim para mim tão rapidamente.

Porque eu realmente preciso escrever esta reportagem de capa sobre você. Então, se você está

apenas planejando me enrolar por um divertimento —”

“Eu prometo que eu não estou brincando com você. Nem um pouco.” Ele esperava que

um dia ela olhasse para trás sobre esta conversa e percebesse que ele tinha sido sério sobre ela e

seu filho, mesmo assim. “Você estava certa quando disse que eu gostaria do ângulo que você

vai levar a história. Ninguém precisa ler outra história sobre a maneira mais rápida para içar

um spinnaker3. Mas uma história sobre o coração de um marinheiro? Isso é sobre o que é

realmente tudo, se você está guiando um Sunfish 4 em uma tarde de sábado ou você está

competindo num iate de oito milhões de dólares na Copa do Mundo.”

3
O Spinnaker (Spi) é um tipo de vela de grandes dimensões que se iça nos barcos à vela à frente
do mastro, quando a embarcação navega na direção do vento, popa ou popa rasada.

18
“Desculpe-me, eu não queria que a minha pergunta saísse desse jeito.” Ele podia ver

como ela estava cansada, agora que ela baixou suas defesas um pouco. “Não quando eu

realmente sou grata que você está disponível para fazer a entrevista. Eu só preciso ter certeza de

que você está realmente a bordo com isso.”

Ela não precisava dizer mais nada para ele entender imediatamente que ela tinha sido

enganada antes e teve um tempo difícil em confiar nas pessoas quando elas lhe davam sua

palavra. Provavelmente, não era muito difícil de adivinhar, pelo cara de quem tinha ficado

grávida.

“Eu não sou um fã de telefones,” ele disse a ela. “E eu não ligo muito para qualquer

coisa que cai sob a categoria de gestão de uma empresa. Mas quando se trata de dar a minha

palavra para as pessoas? Fui criado para mantê-la. E eu faço, Grace. Não importa o que.”

Por alguns momentos, ela olhou para ele como se não tivesse certeza se era seguro

acreditar no que acabara de dizer, antes de finalmente virar a cabeça em direção a sua mesa

novamente. Até o momento ela retornou ao escrever seu endereço no bloco de papel, ela era

toda negócios quando ela chegou para Mason.

“Nós vamos deixar você em paz agora. Vejo você na sexta-feira.”

Era quase impossível impedir-se de arrastá-la contra ele para um beijo para que ele

pudesse ver sua bonita pele ruborizar novamente. Mas, assim como ele sabia que não podia

fazer um veleiro navegar contra o vento antes que soprasse com força suficiente para apontá-lo

em direção ao seu verdadeiro destino, ele também sabia que não devia se mover muito rápido

com Grace.

Não quando algo lhe dizia que um plano muito melhor seria deixar ambos anteciparem

aquele beijo pelos próximos dias, em vez disso.

19
Capítulo Três

Trovões e relâmpagos abalaram o céu lá fora do apartamento de Grace na sexta-feira à

tarde, enquanto esperava Dylan vir buscá-los. Mason tinha rastejado até a janela e batia palmas

com alegria cada vez que os relâmpagos e trovões aumentaram.

Grace levantou-o para que ele pudesse ter uma visão melhor da tempestade, que

pareceu demasiado perto da tempestade que tinha sido travada dentro dela durante os últimos

três dias. Dylan tinha habilmente manobrado ela para concordar em fazer a entrevista em sua

casa de infância, de todos os lugares. Enquanto não era de todo incomum para alguém

importante dar as cartas com um jornalista, o fato de que ela tinha dado uma olhada em Dylan e

queria ele de uma forma que ela nunca quis outro homem a tinha preocupado.

Preocupado bastante, dado que a única vez que ela deixou a linha entre seu trabalho e

sua vida pessoal borrar tinha sido um erro enorme.

Ela abraçou Mason mais apertado quando apagou mentalmente a palavra erro. Ela de

bom grado ter feito mil erros mais uma vez para tê-lo aqui com ela. Mas mesmo que os dois

tivessem conseguido passar tanto sua gravidez desacompanhada e sendo mãe solteira pelos

primeiros dez meses de sua vida, isso não significava que ela precisava fazer outro erro

semelhante com Dylan.

Richard Bentley tinha convidado Grace para sair durante a sua entrevista um ano e

meio atrás. Ninguém charmoso ou cheio de elogios nunca tinha olhado em sua direção antes.

Assim, enquanto ela sabia que não deveria misturar trabalho com prazer, ele tinha sido muito

persuasivo e determinado para ela resistir. Especialmente depois da morte do seu pai apenas

seis meses antes. Tudo o que ela queria fazer era simplesmente esquecer por um tempo.

20
Seu primeiro encontro com Richard tinha sido em um terraço privado fora de

Washington, D.C. O restaurante, com suas toalhas de mesa brancas, tinha sido tão extravagante

que ela teria se sentido terrivelmente fora de lugar em seu vestido preto e sapatos simples se

não tivessem estado em uma parte totalmente privada do restaurante. Até o final da noite, sua

cabeça estava girando com espumante e o que parecia na época como o encontro mais

romântico que ela já teve. Ela nunca costumava dormir com um cara no primeiro encontro, mas

olhando para trás, Grace não podia negar que sentiu como se estivesse em dívida com Richard

pela noite de conto de fadas.

Em seu segundo encontro, ele a levou para passear no veleiro, e embora a viagem não

tivesse sido assim como jantar sob as estrelas, ela não tinha considerado que terminaria esse

encontro, com apenas um beijo de boa noite, tampouco. Cada encontro que eles tinham era o

mesmo: Ele a levava para algum lugar privado que a impressionava e, em seguida, ela iria

convidá-lo para passar a noite. Até o momento que ela percebeu que algo não parecia certo —

Por que ele nunca levava ela onde estranhos podiam vê-los juntos? Por que ele sempre tinha

uma desculpa sobre estar ocupado demais para vê-la ou falar durante a semana? Por que ele

disse que queria manter a relação deles entre apenas os dois por um pouco mais de tempo? —

ela também tinha perdido seu período.

Richard não tinha ficado nada satisfeito ao saber apenas algumas semanas mais tarde que

ela estava grávida.

Deveria estar louca, para Grace assumir que Dylan tinha algo mais em mente esta noite

do que uma rápida entrevista e uma refeição caseira na casa de seus pais. Mas ela tinha parado

de ser capaz de mentir para si mesma no dia que o teste de gravidez tinha dado positivo.

Assim, mesmo que não conseguisse entender, ela também não podia negar o calor que tinha

estado nos olhos de Dylan quando ele olhou para ela. Tampouco podia negar o golpe de calor

que sentiu simplesmente de estar perto dele. Acrescentando ao quão bom ele tinha sido com

Mason e quão facilmente ele tinha sido capaz de transformar as lágrimas de seu filho em risos?

21
Certamente havia três grandes razões por que ela precisava trabalhar horas extras para manter

as coisas estritamente profissionais. Porque ele era muito, muito tentador...

A campainha tocou, e ela tentou se preparar para vê-lo novamente, mas quando abriu a

porta, a apreciação evidente em seu olhar fez sua sensualidade há-muito-tempo-adormecida

imediatamente pulando de volta à vida, maior e mais quente do que nunca. Exatamente da

maneira que aconteceu na terça-feira em sua garagem de barcos.

“Você está linda, Grace.”

“Obrigada.” Fazia tanto tempo que ninguém lhe dissera que ela era bonita, ou desde

que ela deixou-se acreditar. “Entre e eu vou pegar as coisas de Mason.”

Seu filho imediatamente foi para Dylan, e embora sentisse a mesma pontada no peito

com o pensamento de deixar qualquer outra pessoa segurá-lo, ela sabia melhor do que tentar

segurar Mason desta vez. Claramente, ele tinha estado ansioso para estar perto do outro cara.

“Eu gosto do seu lugar,” disse Dylan enquanto olhava ao redor da pequena cozinha e

sala de estar de seu apartamento. “Tendo o parque do outro lado da rua deve ser ótimo.”

“É um ótimo bairro, mas você está certo, o parque é o que me convenceu.” Apesar do

fato de que o apartamento tinha sido, e ainda estava, fora de sua faixa de preço. “Ontem,

quando ele ficou apontando para o escorregador que as crianças grandes estavam descendo, eu

o levei no colo pela primeira vez.”

“Eu aposto que ele amou, não foi?”

“Tanto que nós ainda estaríamos fazendo isso agora se eu não tivesse deixado de ser

capaz de carregá-lo em um braço até a escada uma hora mais tarde,” confirmou com um rufar

no cabelo escuro de Mason. Ela estava prestes a colocar sua sacola de bebê pesada e sua

cadeirinha de carro sobre cada ombro quando Dylan disse:

“Por que você não toma um descanso do trabalho pesado por um par de horas e deixe-

me levar a sua bagagem para você?”

22
Ela não sabia por que a oferta de Dylan a fez querer começar a soluçar, apenas que ela

não poderia evitar deixá-lo fazê-la ficar toda mole por dentro assim. Ficar forte e determinada

era o que mantinha a vida dela e de Mason nos eixos até agora. Se ela baixasse a guarda agora,

se deixasse alguém carregar sua carga, mesmo que fosse apenas por um tempo, o quão difícil

seria fazê-lo novamente mais tarde, sozinha? Além disso, Dylan já tinha seu filho em seus

braços, e ela poderia facilmente lidar com o resto. Do jeito que sempre fez.

“Eu tenho isso,” ela insistiu, quando a verdade era que, entre brincadeiras no parque no

dia anterior e seu longo dia no computador reescrevendo cada frase de seu artigo sobre novas

tendências de unha polonesa5 meia dúzia de vezes, seus ombros doíam.

Ela estava mais do que um pouco surpresa com o jipe surrado estacionado em frente a

seu prédio. A partir da pesquisa que tinha feito sobre o negócio de Dylan — e depois de ter

estado dentro de sua garagem de barcos de última geração — ela sabia que ele era rico. Mas ao

contrário de seu ex, que tinha estado a proclamar sua riqueza de qualquer maneira que ele

pudesse, Dylan, obviamente, não sentia a necessidade de dirigir em torno de um pequeno carro

esportivo vermelho ou um Hummer maciço que teria vantagem sobre todos os outros carros na

estrada.

Ela rapidamente colocou a cadeirinha de Mason no banco de trás, em seguida, prendeu-

o e entregou-lhe um brinquedo para brincar durante a viagem.

“Minha mãe estava contando os minutos desde que eu liguei para deixá-la saber que

você e Mason estavam vindo para jantar.”

Grace já havia se sentido nervosa sobre esta noite, mas agora seus nervos saltaram um

outro nível. “Ele estava um pouco agitado antes. Esperemos que ele não chore quando

chegarmos lá.”

“Tenho certeza que ele vai ser ótimo hoje à noite. Além disso, depois de criar cinco de

nós, minha mãe é uma mestra em lidar com choros.”

5
Parece uma francesinha colorida e tem formato arredondado.

23
Com Mason batendo em seu brinquedo no banco de trás do jipe, ela deveria ter sido

capaz de controlar seus hormônios. Mas o barulho não a fez menos consciente de como perto de

sua coxa a mão de Dylan estava sobre a alavanca da marcha ou o quão bom ele cheirava — uma

combinação inebriante de mar e madeira recém-cortada.

“Eu adoraria saber mais sobre sua família.” Ela prometeu a Dylan que não iria se

concentrar em sua família na reportagem, mas apenas como ele disse, na terça-feira, ela precisa

de pelo menos algumas informações sobre eles para ajudá-la a entender como Dylan tinha se

tornado o homem que ele era. “Ao fazer uma pesquisa preliminar para o meu artigo, eu acho

que eu tenho um bom controle sobre o que cada um deles faz para viver.”

Seu irmão mais velho, Ian, não era apenas o fundador bilionário da Sullivan

Investments, ele havia sido também recentemente contratado por Tatiana Landon, uma bela e

talentosa estrela de cinema. Segundo irmão mais velho de Dylan, Adam, era bem conhecido por

suas reformas de casas históricas em todo o noroeste do Pacífico. Seu irmão do meio, Rafe, era

um investigador particular e estava noivo de uma mulher que fazia chocolates gourmet.

Completando o grupo havia sua irmã, Mia, que possuía a Sullivan Realty e estava noiva do

astro do rock Ford Vincent.

“Mas eu estava me perguntando —” em um sinal vermelho, ele se virou para sorrir

para ela, e seu cérebro misturou a pergunta que ela queria fazer e o que realmente queria saber.

“Como é estar relacionado com tantas pessoas famosas?” Ela bateu as mãos sobre a boca,

balançando a cabeça como se isso poderia magicamente apagar as palavras intrusivas que

tinham saído. “Eu sinto muito, isso estava fora do limite. Eu queria perguntar se todos velejam,

também.”

“Não estava nada fora do limite,” disse ele com um sorriso que só tinha ficado mais

largo pelo tempo que o sinal ficou verde e ele bateu o pedal do acelerador. “E sim, todos eles

velejam, também. O que significa que eu posso geralmente levá-los para dentro da água, se eles

precisarem diminuir o ritmo. Não há nada como o oceano em torno de você para ajudá-lo a

24
lembrar-se que você é apenas humano.” Ele sorriu novamente. “Mas na maioria das vezes eu

esqueço que eles são famosos até que eu esteja pegando um pouco de leite e veja um dos seus

rostos na capa de uma revista. A única vez que me incomoda é quando vejo algo impresso

sobre um deles que não é verdade. Que, infelizmente, acontece com muita frequência.”

“Isso deve ser difícil.”

“Nenhum deles estão lá fora pela fama, mas vieram a aceitar que é parte do sonho que

eles estão perseguindo. Uma estrela do rock como o noivo de minha irmã, Ford, nunca poderia

se esconder quando há estádios cheios de fãs ao redor do mundo que amam sua música. Então,

eles lidam com a fama, eles lidam com os holofotes, e quando estamos juntos todos nós

esquecemos isso por um tempo.”

Desde que ela já tinha cruzado a linha, decidiu que ela poderia muito bem ficar lá mais

um pouco. “É por isso que você não costuma fazer entrevistas? Porque você tem medo da

imprensa distorcer suas palavras?”

“Eu não sou um músico ou uma estrela de cinema ou um jogador de beisebol

profissional. Eu sou apenas um marinheiro que também faz barcos. Qualquer coisa que eu

tenho a dizer sobre velejar, alguém poderia descobrir por si próprios ao cair na água.”

Ela entendeu o que ele estava dizendo, e ainda assim ainda não podia deixá-lo ir, ou

ficar de boca fechada. “Eu não sei se concordo com você. Eu não sei muito sobre barcos além do

que tenho lido sobre eles para a entrevista, mas a partir das imagens que eu vi dos que você

construiu, e por ver um em sua garagem de barcos, você é, obviamente, muito talentoso. Só

porque você não está atuando ou cantando ou batendo uma bola de beisebol não faz o seu dom

menos especial. Ou menos divertido, para se ler sobre, para todas as pessoas que nunca terão a

oportunidade de velejar um barco de um continente para outro.”

Conseguindo fazer seu ponto, ela não percebeu que eles tinham estacionado em uma

calçada em um bairro suburbano até que ele desligou o motor. Como uma criança, seus pais

tinham a encorajado a dizer e fazer o que parecia certo. Foi uma grande parte da razão pela qual

25
ela tinha tido a coragem de escrever para ganhar a vida quando teria sido muito mais seguro

conseguir um emprego das nove às cinco em um cubículo. Mas depois que se permitir ser

arrastada acabou com ela grávida e sozinha, Grace tinha decidido que seria melhor conter seus

impulsos naturais.

Ela lhe deu um pequeno e um pouco triste sorriso. “Eu posso ser um pouco levado às

vezes quando eu sinto fortemente sobre algo.”

“Nunca se desculpe por sua paixão, Grace. Não para mim ou para ninguém.

Especialmente quando você tem uma maneira de fazer um cara olhar as coisas de forma

diferente do que ele já fez antes.”

Será que ele tinha alguma ideia do quanto ela precisava ouvir isso, especialmente agora

que seu pai não estava mais lá para lembrá-la de continuar a tomar os riscos? Nos últimos dez

anos, o seu pai tinha sido sua rocha. Seu líder de torcida. Seu sistema de suporte principal. Ela

tinha sido capaz de dizer-lhe qualquer coisa e sabia que ele iria continuar a amá-la não importa

o que, para o que der e vier. Ela nunca imaginou que ele morreria no momento em que ela teve

seu primeiro filho. Ou que vê-lo no jeito que Mason sorria, no azul profundo de seus olhos,

seria tão agridoce.

Quando ela olhou de volta para Dylan, o calor em seu olhar fez seus lábios formigarem,

embora ele ainda não tivesse fechado a pequena distância entre eles e a beijado... que ela tinha

quase certeza de que ele teria feito se Mason não tivesse jogado o brinquedo no painel, quase

acertando a cabeça deles.

Aliviada que seu filho tinha-a salvado de si mesma, juntamente com mais pesar sobre

perder o beijo que ela queria admitir — se apoderou de Grace quando ela rapidamente

desabotoou o cinto de segurança e pegou o brinquedo.

“Se você não me deixar, pelo menos, levar a sacola de fraldas desta vez,” disse Dylan,

“Minha mãe nunca vai me dar descanso.”

26
Poucos segundos depois, ela teve Mason fora de sua cadeirinha, Dylan tinha a sacola

pesada e cadeira portátil, e os três estavam correndo pela chuva até porta da frente de seus pais.

No momento em que chegaram ao alpendre coberto, sua mãe estava esperando por eles com

um sorriso grande, acolhedor.

“Você deve ser Grace,” disse sua mãe, mesmo quando Dylan lhe deu um beijo na

bochecha. “Eu sou Claudia e é tão bom conhecer você.”

Grace tinha esperado se sentir estranha, mas a mãe de Dylan tinha um jeito de deixar as

pessoas imediatamente à vontade. “Obrigada por receber-nos hoje à noite, Claudia. Este é o

meu filho, Mason”.

“Olá, Mason” Claudia disse, com os olhos suaves e calorosos quando ela olhou para o

bebê. “Você não é uma gracinha? Você quer entrar e jogar com alguns dos brinquedos que têm

estado no sótão por muito tempo?”

Logo em seguida, Mason deu um de seus sorrisos grandes, um de dentes e estendeu a

mão para ela. Foi apenas a segunda vez que ele já tinha ido para outra pessoa, primeiro Dylan e

agora a sua mãe. Que tipo de feitiço que esses Sullivans lançavam sobre todos para atraí-los tão

facilmente e tão rapidamente?

Grace apreciou a maneira que Claudia esperou até que ela acenou com a cabeça que

estava bem em tirar Mason de seus braços. Talvez esta noite não fosse tão desesperador quanto

ela esperava. Pelo menos até que Dylan colocou a mão na parte inferior de suas costas quando

ele guiou-a para dentro, seguindo sua mãe na cozinha.

Bastou esse pequeno toque para queimar por seu corpo inteiro como um rastilho de

pólvora.

Como ela iria conseguir fazer uma entrevista privada voltada para velejar e construção

de barco, quando tudo o que podia pensar em torno dele era sexo?

“Sua casa é adorável, Claudia.”

27
Grace estava surpresa, na verdade, por quanto a casa dos Sullivans lembrou-a de onde

ela tinha crescido. As flores bonitas em vasos por toda parte, as fotos de família, e até mesmo o

velho cão que dormia em um travesseiro sob o piano fez sentir acolhedor. Bem amado. Como em

casa.

Vendo várias panelas no fogão e uma grande variedade de frutas e legumes sobre a

mesa, ela disse: “Eu deveria ter percebido que você ainda estaria cozinhando. Você não tem que

reparar Mason.” Claro, seria mais difícil de conduzir a entrevista com seu filho rastejando aos

seus pés querendo brincar e se divertir, mas iria encontrar uma maneira de fazê-lo funcionar.

Além disso, ela já sabia que seria melhor se ela e Dylan não estivessem sozinhos por muito

tempo, considerando que tinha sido duro o suficiente pensar em linha reta no carro ao longo do

caminho com ele sentado tão perto, mesmo com Mason no banco traseiro.

Mas Claudia sorriu e disse: “Eu já preparei um jantar de sete pratos, enquanto todos os

cinco filhos estavam espalham através do quintal e cozinha. Eu tenho isso.”

E como Grace observava a mãe de Dylan descer no chão com Mason para mostrar-lhe

como usar o pequeno xilofone6 de brinquedo para fazer música e ele alegremente começou a

bater no instrumento enquanto a mãe de Dylan riu deliciada de suas travessuras, ela não tinha

dúvida alguma de que Claudia tinha coisas sob controle.

“Posso te dar um copo de vinho ou uma cerveja?” Dylan perguntou a ela.

Ela mataria por um copo de vinho agora para acalmar os nervos. Mas o álcool era a

última coisa que ela precisava quando ele estava indo tomar cada grama de autocontrole que

ela tinha para manter suas paredes resistentes e elevadas. “A água seria perfeito.”

Pegando duas garrafas de água da geladeira, ele disse: “Há um alpendre coberto atrás,

onde podemos conversar.”

6
Xilofone instrumento de percussão feito de lâminas de madeira ou metal, formando um teclado que
deve ser tocado por baquetas.

28
“Se você precisar de mim para qualquer coisa, Claudia—”

Sua mãe acenou para que saíssem. “Vá fazer sua entrevista. Mason e eu vamos ficar

bem, não vamos, querido?”

Seu sorriso foi toda a resposta que Grace precisava. Pelo menos para a questão de saber

se seu filho estaria seguro e bem pela próxima hora ou duas sem ela.

Quanto a ela, no entanto, a verdade era que, quando Dylan levou-a para fora em

direção a dois assentos na varanda dos fundos que foram criados mais com amantes em mente

do que uma entrevista entre estranhos, Grace sentiu nada, além de segura. Cautelosa, sim. Mas

também inegavelmente atraída.

E mais intrigada com Dylan do que tinha sido sobre qualquer um em muito, muito

tempo.

29
Capítulo Quatro

Embora refrescasse com a chuva ainda caindo, quando Grace pegou seu gravador e

bloco de notas de sua bolsa, sua pele estava vermelha em um belo tom que tornou quase

impossível para Dylan para manter suas mãos para si mesmo.

Ele havia passado os últimos três dias transportando um novo barco para um amigo em

Portland, Oregon, e todo o tempo ele pensava nela. Mason também. Setenta e duas horas

analisando a situação de todos os ângulos e ele ainda estava no mesmo lugar que começou.

Ele poderia facilmente ver-se com a mãe e a criança.

E Grace ainda era a mulher mais bonita em quem ele já tinha posto os olhos.

Dylan sempre amou as mulheres. A maneira como elas cheiravam. A maneira como

elas se moviam. O pequeno doce som que elas faziam. Mas se ele tinha tido tanta companhia

feminina como queria durante os quinze anos desde que ele atingiu a puberdade, ele nunca

quis ninguém do jeito que ele queria Grace.

E ele não a tinha sequer beijado ainda.

Sua boca se curvou em um sorriso só de pensar sobre o quão quente isso ia ser.

Hoje Grace lhe fazia perguntas. Mas logo, ele iria querer respostas dela. De onde ela

vinha? Como tinha sido sua infância? Por que ela era solteira, em vez de casada com o pai de

Mason? E quem diabos poderia ter sido estúpido o suficiente para afastar-se dela e seu incrível

garoto?

Se eles estivessem em seu barco agora — a cabine tinha sido sempre um bom

confessional e ele nunca conheceu ninguém que podia segurar seus verdadeiros pensamentos e

sentimentos no mar — ele poderia ter conseguido as respostas dela no momento que eles

voltassem às docas. Mas em terra, ele teria que esperar pelo momento certo um pouco mais.

30
Esperava que não muito tempo, no entanto, uma vez que até mesmo a maneira como ela

colocou o cabelo sedoso atrás da orelha — orelha que ele queria muito mordiscar — foi

incrivelmente sexy.

Ela clicou no botão Gravar no pequeno aparelho sobre a mesa entre eles. “Você me

disse que velejar é tudo que você sempre quis fazer. Velejar e fazer barcos”. Ele amava o som de

sua voz, o tom ligeiramente rouco que, quando combinado com sua inteligência óbvia, deixam

suas sinapses quase em curto. “Eu adoraria saber por quê.”

Ele esperava que ela começasse com as perguntas fatuais ou técnicas usuais que os

jornalistas sempre tentaram perguntar-lhe antes: Com que idade você começou a velejar? Qual

foi o primeiro barco que você fez? Por que você não correu profissionalmente quando você era

um superstar em uma idade muito jovem e poderia ter estado ao leme do seu próprio barco na

Copa do Mundo até agora?

Em vez disso, ela tinha acabado de cortar em linha reta para o coração do que fez dele

quem ele era. E ele podia adivinhar a razão: Esta história não era apenas sobre o seu coração...

era sobre o dela também.

“Você navegou antes, não é?” ele perguntou.

“Eu estive em um barco uma vez, mas não houve quase tempo para levantar as velas.”

“Não importa se ele é de remo ou um motor ou um jib7. Gostou de estar na água?”

Ela sorriu então, deslumbrando-o com sua resposta antes de ela até mesmo dizer isso

em voz alta. “Eu amei.”

“O que você amou sobre isso?”

“Tudo. As gaivotas que voavam sobre o barco antes que se afastou do cais, como se

estivessem animadas que estávamos prestes a se juntar a elas em seu playground favorito. A

água escura sob o casco, flexível o suficiente para nos deixar passar, mas forte o suficiente para

manter-nos na superfície. O vento contra o meu rosto, cheirando a sal e peixe e vida. O fato de

7
Pequena vela de proa, muito resistente, usada com ventos muito fortes.

31
que a forma como as ondas subiram era totalmente imprevisível e ainda de alguma forma eu

me senti mais segura do que eu tinha antes.”

“Às vezes,” ele disse a ela, “quando estou lá fora investindo diante do vento, e o céu

está cheio de estrelas, eu juro que posso ouvir as sereias flertando comigo.”

“Eu não ficaria surpresa ao descobrir que elas realmente estavam,” ela disse com outro

sorriso. Um que confirmou que ela também estava tentada a flertar com ele. “Mas o que

acontece quando não é tão bom? Eu sei da minha pesquisa que você cruzou o Atlântico e

navegou milhares de milhas no Pacífico, encontrando vendavais e tempestades, mesmo um par

de furacões. Como você continua amando velejar depois que você esteve lá fora lutando por seu

barco... e até mesmo sua vida?”

“Eu gosto de uma vela perfeita tanto quanto qualquer pessoa. Mas a verdade é que

quando o vento chicoteia acima em uma fúria real, pode ser uma das coisas mais bonitas que

você já viu.”

“Eu posso ver como uma tempestade pode ser bonita, mas quando você está navegando

através de uma, não fica com medo?”

“Morrendo,” ele confirmou. “Na verdade, geralmente é exatamente quando você acha

que tem tudo checado, quando tem certeza de que nada pode atingir você e mundo é sua ostra

— é quando o vento e as ondas decidem que é chegada a hora de mostrar-lhe quão vulnerável

você realmente é. Quando você finalmente sai do outro lado, abalado como o inferno, mal

conseguindo segurar o timão, porque todos os músculos do seu corpo estão à beira de quebrar,

é quando você realmente sabe que você está vivo. E é também quando você se lembra de

apreciar cada momento disso.”

“A maioria das pessoas,” disse ela com uma voz suave, “provavelmente poderia pensar

que se há o potencial para tanto perigo, tanto medo, seria melhor para elas não fazer isso.”

“Eu não tenho filhos, obviamente, mas eu imagino que não é tão diferente da forma

como um pai sente quando deixam as mãos do seu bebê ir para que ele possa dar o seu

32
primeiro passo, ou quando o deixa no primeiro dia do jardim de infância, ou olha ele ao volante

do seu próprio carro quando ele tem dezesseis anos. Aterrorizado e abalado, mas surpreso e

emocionado ao mesmo tempo. Eu não iria decidir não ter filhos e desistir de todos esses belos

momentos só porque eu não quero ter que enfrentar alguns dos mais assustadores, também.”

Antes que ela pudesse responder, eles ouviram um estrondo seguido pela voz de

Mason. Grace levantou de seu assento e correu de volta para a cozinha tão rápido que mesmo

que Dylan tinha sido da equipe de atletismo quando um adolescente, ele mal tinha alcançado

ela pelo tempo que ela voou para dentro da casa.

A mãe de Dylan deu-lhes um olhar um pouco culpado quando ela apontou para onde

Mason estava sentado no meio do chão da cozinha cercado por uma meia dúzia de grandes

potes e panelas. Ele estava segurando uma espátula de plástico em cada mão e cada vez que ele

batia-os sobre os potes, ele gritou de felicidade.

“Meus filhos sempre amaram fazer isso,” disse sua mãe em uma voz quase alta o

suficiente para sobressair ao barulho, “mas eu esqueci quão barulhento era até alguns segundos

atrás.”

Grace ainda tinha a mão sobre seu peito enquanto balançou a cabeça. “Ele está,

obviamente, tendo um tempo fabuloso,” disse ela na pausa entre os tambores de Mason. “Eu

simplesmente não o tenho deixado com muitas pessoas, por isso, quando eu ouvi o barulho...”

Ela balançou a cabeça. “Eu não deveria ter entrado em pânico assim, não quando eu sabia que

ele estava em boas mãos.”

Mas ele podia ver o quanto sua mãe amou o compromisso de Grace com seu filho.

Exatamente tanto quanto Dylan. Ele sempre tinha sido o mais despreocupado Sullivan.

Nenhuma pesada responsabilidade além de transportar um barco a partir de um lugar para

outro ou montar um a tempo para fazer um cliente feliz. Ele teve namoradas, é claro, mas

ninguém que tinha tido a chance de ir além da fase do apenas-diversão. Ele estava lá para seus

familiares e amigos próximos sempre que precisavam dele para alguma coisa, é claro, mas eles

33
eram um bando bastante autossuficiente. Dylan sempre tinha sido capaz de navegar para longe

a qualquer momento, enquanto Grace estava totalmente aterrada por sua responsabilidade com

seu filho.

“Você é mãe,” disse Claudia. “entrar em pânico é no que nós somos melhores.”

Ele estava feliz quando Grace riu e sua expressão suavizou, longe do constrangimento

que ela sentiu claramente há poucos momentos.

“Estou feliz por mantê-lo entretido se você quiser voltar e continuar com a sua

entrevista antes dos outros chegarem aqui. Claro, se você quiser levá-lo com você.”

“Não,” Grace interrompeu. “Ele está se divertindo com você.”

“É mútuo,” disse sua mãe com um grande sorriso que falou o quanto ela quis dizer isso.

“Você absolutamente fez o meu dia por me deixar ficar com ele.”

Dylan pegou o olhar de sua mãe quando ele e Grace voltaram para fora. Aquele que

disse: Você vai realizar todos os meus sonhos com esses dois, não é?

Sua resposta silenciosa foi muito clara: eu com certeza vou tentar.

34
Capítulo Cinco

“Bem, você é a coisa mais fofa que eu já vi!” uma voz feminina soou de dentro da casa

um pouco mais tarde. “A quem você pertence?”

Dylan sorriu para Grace. “Parece que a minha irmã e o noivo dela estão aqui.” Ele se

levantou e estendeu a mão para ela. “Pronta para atender toda a tripulação?”

Grace respirou fundo antes de colocar a mão na dele. “Claro.”

Quando ela se levantou, ele estava perto. Mais perto do que tinha estado até agora. Por

alguns momentos inebriantes, ela não conseguia puxar a mão, não podia evitar que seu coração

batesse muito rápido.

“Eu não deveria deixar minhas coisas fora, apenas no caso de a chuva aumentar.”

Seus olhos se moveram dos dela à sua boca, em seguida, voltou. “Boa ideia.”

Como era, ela se perguntava quando colocou o notebook e gravador de volta dentro de

sua bolsa, que eles poderiam estar dizendo nada e ainda tanto ao mesmo tempo? Eu não deveria

querer você, não deveria querer isso, era o que ela realmente queria dizer. E ela jurou que ele lhe

respondeu da mesma forma: Vai ser bom, Grace, se você simplesmente deixar que isso aconteça. Muito

bom.

Ela ficou chocada ao ver que tinha passado uma hora e meia, desde que tinha deixado

Mason batendo nas panelas e frigideiras na cozinha de Claudia. Sim, ela adorou estar na água

aquela única vez, o suficiente para que fizesse um discurso para uma história para uma revista

de navegação, mas ouvir Dylan falar sobre velejar, e o que significava para ele e outros

marinheiros, rapidamente encheu-a de um desejo de fazer mais do que apenas escrever sobre

isso.

35
O mesmo desejo a tinha golpeado no início da semana, quando ela estava olhando para

o veleiro que ele estava finalizando em sua garagem de barcos. Talvez fosse porque, pelo que

Dylan já tinha dito a ela, a construção de um barco não era muito diferente da forma como ela

aprendeu a escrever. Primeiro desmontando os artigos que falavam para ela e estudando sua

estrutura. Em seguida, começava a construí-los por conta própria, palavra por palavra,

parágrafo por parágrafo, página por página.

Em qualquer caso, quanto mais ela aprendia sobre o que ele realmente fazia todo o dia,

mais ela não poderia culpá-lo por não se preocupar em pegar o telefone. Se ela estivesse

construindo veleiros incríveis, e, em seguida, eles navegassem em mar aberto, ela não se

preocuparia, também.

“É uma verdadeira habilidade fazer perguntas que vão direto ao coração das coisas,”

disse Dylan enquanto se dirigiam para a cozinha. “Onde você aprendeu a fazer isso?”

Ela foi surpreendida mais uma vez por quão facilmente Dylan dava elogios. Seu ex

raramente tinha a elogiado por algo, além de sua aparência. Na verdade, agora que pensava

mais sobre isso, ela e Richard não tinha tido muitas conversas sobre qualquer coisa que

realmente importava. A verdade era que nunca tinham tido uma conexão verdadeira.

“Meus pais disseram que, mesmo quando eu era uma garotinha, eu tinha um milhão de

perguntas sobre tudo. Jornalismo sempre foi um ajuste perfeito para mim, assim como velejar é

para você. Mas eu tenho que dizer que para um cara que não gosta de dar entrevistas, você fez

realmente fácil para mim hoje.”

Ele segurou a porta aberta para ela e ela viu uma mulher deslumbrante no chão

empilhando blocos ao lado de Mason.

“Oi, eu sou Mia. E o seu filho é a coisa mais fofa que já vi.”

“Eu concordo,” Grace disse com um sorriso. “Eu sou Grace, e é bom conhecer você.

Obrigada por mantê-lo tão entretido.”

36
Ela olhou para cima, em seguida, apenas para ver Ford Vincent caminhando em sua

direção com a mão estendida. Apesar de saber que o astro do rock poderia estar aqui esta noite

com Mia, uma vez que ela era sua noiva, Grace ainda ficou muito perto de congelar de choque.

“Oi.” De alguma forma, ela conseguiu segurar a mão dele, sem agitar ou suar ou fazer

qualquer número de outras coisas embaraçosas. Não, no entanto, que ela fosse recompensada

por isso, porque, literalmente, um momento depois, Tatiana Landon entrou na sala.

“Tatiana,” disse Dylan, “esta é Grace e seu filho, Mason.”

A estrela de cinema pareceu agradavelmente surpresa — encantada seria uma palavra

melhor para isso, na verdade, pela presença deles. “É um prazer conhecer você. Eu não posso

esperar para ouvir tudo sobre como você e Dylan se conheceram. Ele nunca traz alguém para

jantar.”

Oh não, todos eles assumiram que ela estava namorando ele. “Na verdade, estamos

apenas —”

Antes que ela pudesse terminar a frase, Mason jogou um bloco do outro lado da sala,

acertando um homem de terno bem no joelho.

Ela correu para pegar isso, mas o homem extraordinariamente bonito pegou-o primeiro.

Ele estava sorrindo quando entregou o bloco para ela. “Seu filho tem um ótimo braço.”

“Não brinca,” Dylan concordou, o sorriso em sua voz claro, sem que ela precisasse vê-

lo. “Você deveria ter visto Mason atirar o seu brinquedo na frente da minha garagem de barcos

no início desta semana.”

O homem ergueu as sobrancelhas para este fato antes de voltar-se a Grace e dizer: “Eu

sou irmão de Dylan, Ian.”

Ela nunca tinha sido confortável como o centro das atenções e podia sentir a

compostura, que tinham estado instável na melhor das hipóteses poucos minutos atrás,

rapidamente rasgando em pedaços quando todos olhavam para ela, especialmente este irmão

cujo olhar era apenas um pouco mais intenso do que o dos outros.

37
“Estou tão feliz que você e seu filho foram capazes de vir jantar com todos nós esta

noite.” Logo em seguida, Mason atirou outro bloco em Ian, o qual ele se abaixou para

arremessá-lo suavemente de volta aos pés de Mason.

Quando Mason riu com alegria em ter um novo amigo para brincar, Claudia disse:

“Mason não é ótimo? Eu tive o privilégio de ficar com ele pelo último par de horas, enquanto

Grace e Dylan fizeram sua entrevista”.

Outro casal entrou na cozinha. “Dylan realmente concordou em fazer uma entrevista?”

perguntou o homem de cabelos escuros que se parecia tanto com Dylan. “O apocalipse está

chegando?”

“Rafe e Brooke,” disse Dylan quando Mason arrastou até seus pés e levantou os braços.

Sem pausa, Dylan pegou-o. “Eu gostaria que vocês conhecessem Grace e Mason.”

Quando Brooke acenou para o bebê, ele alegremente acenou de volta. “Ele não é doce?”

Mia disse quando Ford a ajudou a se levantar para estar sobre o que parecia para Grace como

saltos impossivelmente altos.

“Tão doce,” Brooke e Tatiana concordaram juntas.

A forma como todos imediatamente se apaixonaram por seu filho ajudou Grace

recuperar um pouco de sua compostura. Claro, isso foi exatamente quando mais um irmão

entrou, viu Mason com a cabeça sonolenta descansando no ombro de Dylan, e perguntou:

“Whoa, você adotou uma criança em sua última expedição à vela?”

“Grace, este é Adam. Tenho certeza que você vai estar realmente surpresa ao saber que

ele ainda está solteiro.”

Foi quando Adam se virou e a viu. “O seu bebê?” Quando ela acenou com a cabeça, ele

deu a ela um sorriso realmente galanteador. “Não admira que o garoto seja tão bonito.”

Até então, o que mais ela poderia fazer se não rir? Dylan tinha falado durante a sua

entrevista sobre aprender a andar no convés de um barco à vela durante uma tempestade sem

38
ser jogado fora. Agora, ela pensou que sabia exatamente como era, simplesmente de ter

conhecido toda a sua família nos últimos cinco minutos.

Ou quase todo o clã Sullivan, porque quando um homem bonito, com cabelos grisalhos

entrou e cada pessoa na sala sorriu para ele, ela agora sabia exatamente quão bonito Dylan seria

em trinta anos, e também o quanto as crianças que teria iriam adorá-lo. E quando o pai de

Dylan tomou Claudia em seus braços e beijou-a, Grace não conseguiu conter o suspiro com o

quão doce era ver duas pessoas tão apaixonadas depois de tantos anos.

Não admira que houvesse tanto amor na casa.

Normalmente, Mason estaria cansado e irritadiço por agora, mas ele estava

completamente em seu elemento com todas as mulheres arrulhando sobre ele e todos os

homens dizendo que ele provavelmente ia ser um jogador profissional de beisebol com um

braço como o dele.

Deles dois, ela era a única oprimida, não só com os seus sentimentos pelo assunto de

sua reportagem, mas também pela família magnífica dele. Então, quando Claudia perguntou se

Grace podia ajudá-la a montar a salada, ela ficou emocionada ao ser capaz de sair do grande

grupo. A mãe deles, Grace já tinha descoberto, era o olho calmo no centro da tempestade.

“Obrigado, mais uma vez, por ficar com Mason enquanto eu entrevistei Dylan.”

“Sempre que você precisar de alguém para cuidar de seu filho, você sabe quem chamar.

Ele está trocado e limpo, a propósito. Será que sua entrevista foi bem?”

“Ouvindo Dylan falar, eu me senti quase como se estivesse lá fora, em um veleiro com

ele. Seu filho é um homem fascinante.”

Grace olhou por cima do pepino que ela estava cortando para lançar um olhar para ele.

Apenas para descobrir que ele já estava olhando para ela. Perturbada novamente, ela teve de

firmar suas mãos antes que retomasse o trabalho com a faca.

“Mason me lembra da maneira que Dylan era quando criança,” Claudia disse a ela.

“Doce. Sempre disposto a rir.” Ele estava rindo à direita, em seguida, nos braços de Brooke

39
enquanto ela balançava-o. “Feliz de passar horas construindo coisas. Na verdade, ele era tão

descontraído que nós percebemos que seria muito fácil deixá-lo ser, especialmente quando seus

irmãos e Mia pareciam precisar mais de nós. Então, quando Max viu que ele era fascinado por

veleiros, nós dois decidimos que iríamos aprender a velejar com ele. Foi, realmente, uma das

melhores coisas que já fiz, porque foi quando nós realmente conhecemos o nosso filho... e ele

conheceu-nos, também.”

“Na confessional cabine do piloto,” Grace disse com um sorriso, fazendo referência a

uma das coisas que Dylan tinha dito a ela durante a sua entrevista. “Então você também

acredita que não pode manter um segredo quando você está em um barco?”

“Você vai descobrir por si mesma na primeira vez que você ir velejar com ele.”

Só então, Mason soltou um pequeno gemido, e ela correu para tirá-lo de Brooke. “Eu

acho que ele sente falta de sua mãe,” disse Brooke.

Grace deu um beijo na testa dele. “Tem sido um grande dia para ele, encontrando tantas

pessoas novas.” Para ambos. “Ele provavelmente está com fome e sede, também.” Ela enfiou a

mão na sacola nas proximidades por uma garrafa. Ele aconchegou em seu peito e começou a

beber como se tivesse acabado de atravessar o deserto do Saara.

Dylan levou-os até a mesa de jantar, onde ele puxou uma cadeira ao lado da dele. Ela ia

colocar Mason em sua cadeira portátil de alta, mas depois que ele tomou sua garrafa ele se

arrastou para os braços de Dylan e imediatamente cochilou.

Era, pensou Grace, a mais bonita, mais doce coisa que ela já vira — um grande homem

forte segurando um bebê dormindo com tanta delicadeza. Um que, obviamente, parecia tão

seguro que Mason não estava nem um pouco perturbado por toda a gente que veio para a sala

de jantar, rindo e provocando uns aos outros do jeito que apenas uma família verdadeiramente

próxima podia. Grace observou que ela não era a única pessoa que pensava que Dylan e Mason

faziam uma imagem linda, ela tinha certeza que os olhos de Claudia ficaram um pouco

brilhante, também.

40
Pilhas de pratos de comida foram passadas ao redor, e com as mãos de Dylan ocupadas,

Grace encheu ambos os pratos com um pouco de tudo. Ela pensou que estaria muito nervosa

para comer em um grupo de estranhos famosos, mas no minuto que ela teve sua primeira

mordida de comida deliciosa da mãe dele, ela percebeu que estava morrendo de fome.

Sentar-se com todos no jantar finalmente deu a Grace a oportunidade de estudar a

família dele um pouco. Ainda um pouco golpeada, ao mesmo tempo em que ela estava

maravilhada com o quão normal que pareciam. Eles brincaram, eles riram, eles flertaram,

especialmente Adam. Pelo que Dylan tinha dito a ela, todos eles se reuniram em uma base

regular.

Tatiana, que estava sentada à sua esquerda, disse: “Eu adoraria saber mais sobre a

história que você está escrevendo, Grace. Especialmente desde que Dylan é geralmente tão

relutante em ser entrevistado.”

Mais do que um pouco surpresa que Tatiana não parecia nem um pouco cautelosa em

torno dela porque ela era uma jornalista, Grace lhe disse: “É um artigo sobre o coração de um

marinheiro e por que as pessoas são atraídas para navegar em um oceano que pode ser belo e

perigoso. Eu li uma tonelada sobre velejar esta semana, mas duas horas com Dylan tem sido

mais útil do que uma biblioteca inteira de livros teria sido.”

“Parece fascinante,” disse Tatiana. “Eu sempre admirei as pessoas que são hábeis em

abater uma tonelada de informações apenas nas partes que importam. Qual é o seu segredo?”

“Perguntas brilhantes,” respondeu Dylan.

“Perguntas sem fim, de qualquer maneira,” disse Grace. “Se todos vocês não tivessem

aparecido para o jantar, eu provavelmente ainda estaria salpicando Dylan com elas.”

“Então você não terminou com ele?” Perguntou Mia.

Mason se mexeu nos braços de Dylan, de modo que ele estava a meio caminho dos dela,

também, e Grace focou em ajuda-lo se sentir mais confortável quando ela respondeu: “Nem de

perto. Ambos ainda temos muito terreno a cobrir.”

41
Quando ela olhou para cima, todo mundo estava sorrindo como um louco. O que ela

tinha acabado de dizer para fazer todos eles parecem tão felizes?

Felizmente, isso foi quando a conversa mudou para seu primo Ryan ganhar no jogo de

baseball de ontem à noite, por isso, Grace finalmente deixou-se relaxar em sua cadeira. Se desse

para ela pudesse relaxar, de qualquer maneira, com a coxa de Dylan pressionada contra a dela

debaixo da mesa de jantar cheia.

Com seu filho dormindo em ambos os seus braços e a família dele ali, também, ela não

deveria ter tido que continuar lutando para conter seu desejo por ele.

Mas ela fez.

42
Capítulo Seis

“Como todo mundo está aqui esta noite,” disse Mia, quando todo mundo parecia

finalmente de barriga cheia, “Ford e eu queremos falar com vocês sobre algo que temos

pensado muito.”

“Por favor, me diga que não tem nada a ver com casamentos,” Adam implorou,

olhando fixo. “Eu juro que é tudo que qualquer um de vocês falar ultimamente.”

“Na verdade,” disse ela com um sorriso largo, “nosso casamento é exatamente o que

queremos conversar com todos vocês.” Ian e Mia trocaram um olhar que Grace entendia como,

um código de silêncio secreto entre irmão e irmã.

Enquanto isso, Adam informou Dylan, “Somos apenas o dois de nós à esquerda agora.”

Um momento depois, no entanto, quando seu olhar passou a Grace e Mason, ele balançou a

cabeça, em seguida, pegou sua cerveja e tomou um longo gole.

“Como a maioria de vocês sabem,” Mia continuou, “eu estive planejando meu

casamento desde que eu era uma garotinha.” Quando Adam gemeu de novo, sua irmã bateu

em seu ombro. “Eu sempre pensei que quanto maior, melhor, provavelmente em um destino

exótico com uma festa de uma semana em uma ilha. Mas agora... “ Mia fez uma pausa quando a

Ford enfiou os dedos nos dela e levantou-os para seus lábios enquanto eles trocaram um olhar

tão amoroso Grace podia sentir isso no centro de seu peito.

“Agora todos nós queremos,” Ford terminou por ela, com a voz tão profunda e

fascinante como era quando ele estava cantando uma de suas canções de sucesso, “é ter nossa

família conosco. Tínhamos pensado em casar-nos no lago, mas nós não queremos atrapalhar as

férias especiais do Rafe e Brooke neste verão.”

43
“Claro que você deve se casar no lago,” Brooke imediatamente protestou, mas em vez

de concordar com ela, Rafe deu um beijo na testa de sua noiva. “Algo me diz que já tem outra

coisa em mente.”

Ian pigarreou. “Parece-me que vocês dois estão prontos para dizer seus votos, não é?”

O irmão mais velho de Dylan parecia e soava realmente engasgado, não parecia, como

se estivesse brincando. Os olhos de Mia estavam cheios de lágrimas quando ela balançou a

cabeça, Grace mal conseguiu conter seu suspiro de surpresa.

Oh meu Deus, Mia e Ford não estavam prestes a se casar esta noite, eles estavam?

“Isso é exatamente o que nós estamos prontos para fazer,” confirmou Mia. “Ford e eu

não queremos esperar mais. E nós não queremos que o casamento seja um grande circo com

helicópteros e paparazzi. Nós vamos ter uma grande festa mais tarde para que todos possam

chegar, mas esta noite, nós só queremos vocês.”

As lágrimas já escorriam pelo rosto de Claudia no momento em que ela contornou a

mesa para jogar os braços em volta de sua filha e seu futuro filho. “Eu não posso acreditar que

você planejou tudo isso em segredo! Um casamento bem aqui na nossa sala de estar.” A mãe de

Dylan soou emocionada. E absolutamente encantada.

Grace estava tão atordoada com o que estava prestes a acontecer, até que Dylan

começou a ajudá-la a sair de seu assento, então ela percebeu que ela ainda estava sentada na

mesa da sala de jantar com a boca aberta pelo fato de que uma das maiores estrelas do rock no

mundo estava prestes a ter um casamento totalmente secreto na frente dela!

Mas apesar de quão chocante legal de tudo isso foi incrível – como uma família tem que

ser para realmente fazer algo assim? A verdade inevitável era que ela estava se intrometendo

em um momento particular da família.

Ela virou-se para Dylan. “Mason e eu devemos ir embora.”

44
“Fica.” Ele pegou a mão dela, sua expressão tão cheia de calor que seu coração, já

inchado com o romance inebriante que rodava por todo o quarto, pulou uma batida. “Por

favor.”

Até o momento que ela finalmente conseguiu desviar o olhar de seus olhos

hipnotizantes, Ian estava de pé, de costas para a grande lareira de pedra. Mia e Ford estavam de

mãos dadas na frente dele, enquanto o resto da família se reuniram em torno deles... e Grace

sabia que não havia nenhum outro lugar que ela preferia estar.

*****

Dylan sabia que nenhum deles jamais iria esquecer esse casamento. Não só porque Mia,

Ford, e Ian haviam conduzido-o de forma tão brilhante para todos eles, mas por causa de um

bebê que de repente decidiu que ele já tinha cochilando e não estava nem um pouco feliz sobre

como tranquilo todo mundo estava agindo.

Enquanto Grace pegou Mason dele e tentou balançá-lo para voltar a dormir, Adam e

Rafe estavam tentando não rir. Dylan teria feito isso com eles tanto se não fosse o fato de que ele

podia ver Grace em pânico enquanto tentava acalmar seu menino, sem sucesso.

Ele estendeu a mão para a pequena mão de Mason e acariciou-o suavemente para tentar

obter a sua atenção. Quando os lábios trémulos rechonchudos e olhos que estavam apenas

começando a se encher de lágrimas encontraram os dele, Dylan arregalou os olhos e mostrou a

língua. Felizmente, logo Mason começou a imitá-lo mostrando a sua língua pequena e rindo.

“Vou levá-lo para fora,” Grace sussurrou quando começou a afastar-se do resto do

grupo, mas Mia já estava dizendo: “Isto é tão perfeito, dizendo nossos votos, enquanto o bebê

mais lindo ri na cara bobo que todo mundo está fazendo para ele.” Ela olhou para Ford. “Eu

quero um desses. Em breve.”

45
Ele se inclinou para beijá-la, mas mesmo que ele falou em voz baixa, todos podiam

ouvi-lo dizer: “Vamos começar esta noite.”

Adam gemeu novamente como os dois pombinhos esqueceram, claramente, havia mais

gente na sala de estar com eles. “Ian, eu acho que é a sua dica para começar.”

Com um sorriso e um aceno de cabeça, Ian começou. “Estamos aqui hoje para

testemunhar a união de um homem e uma mulher que provaram, sem sombra de dúvida, não

só que eles estão destinados a ficar juntos, mas também que eles têm o que é preciso para fazer

o amor durar. Tudo o que qualquer um de nós sempre quis para você, Mia, é a felicidade e

amor verdadeiro. Sabendo que você encontrou isso com Ford, faz deste um dos melhores

momentos de nossas vidas, e estamos muito contentes de poder assistir vocês compartilharem

seus votos hoje à noite.”

Dylan podia ouvir a respiração difícil como se a emoção formou um nó em sua

garganta, e ele estendeu a mão para colocar a mão sobre a dela.

Ford trouxe as duas mãos de Mia até a boca e deu um beijo nelas antes de começar a

falar. “Você é tudo para mim, Mia. Meus sonhos. Meu coração. Minha alma. Todo dia quando

eu acordo com você ao meu lado, então adormeço com você em meus braços, eu sei que sou o

homem mais sortudo do mundo.” Ele deu um beijo em cada uma de suas bochechas, molhadas

de lágrimas, antes de beijá-la na boca. “Eu não posso esperar para estar sempre com você.”

Mia nunca pareceu mais feliz do que ela parecia, então ela sorriu para Ford, mesmo

quando as lágrimas continuaram a cair.

“Eu sempre soube que queria o que os meus pais tinham.” Mia se virou para sorrir para

a sua mãe e seu pai, que estavam segurando firmemente um ao outro, seus corações em seus

olhos enquanto eles observavam sua caçula dizer seus votos. “Um amor tão profundo e

verdadeiro que nada poderia ficar entre eles. Eu tinha tanta certeza o que o amor seria

semelhante quando o encontrasse. Eu tinha tudo planejado fora o cara perfeito que diria todas

as coisas certas e levar-me embora como uma princesa num conto de fadas perfeito. Mas então,

46
lá estava você. Não foi um conto de fadas, mas foi melhor. Porque você é real. Cru. Honesto. E

com um coração tão grande que eu estou constantemente surpreendida por tudo que você é e

tudo que você faz. Especialmente do jeito que você me ama sem reservas. Eu não posso esperar

para ser sua esposa, Ford.”

Quando eles se voltaram para Ian, ele estava trabalhando claramente para se recompor

de forma que pudessem terminar a cerimônia. “Mia, você livremente e sem reservas, dá-se a

Ford em casamento?”

“Eu faço.” Mia deslizou aliança de casamento da Ford em sua mão esquerda. “Com este

anel, eu sou sua e você é meu. Use este anel para sempre como um sinal do nosso amor. “

“Ford, você livremente e sem reservas, dá-se a Mia em casamento?”

“Eu faço.” Ford pôs a mão no bolso para pegar um aliança simples de casamento feita

com platina e colocá-lo no dedo anelar de Mia. “Dou-lhe este anel para demonstrar meu amor e

alegria. Como este anel não tem fim, nosso amor também é para sempre.”

“Que as alianças de casamento que você trocaram hoje lembrem sempre que vocês estão

cercados por amor duradouro. E agora, pelo poder investido em mim pela cidade de Seattle, é

minha honra e prazer de declarar vocês marido e mulher. Você pode selar esta declaração com

um beijo.”

Enquanto o novo marido e mulher se beijaram para selar o acordo, Mason soltou um

grito que tinha todos eles o acompanhando.

47
Capítulo Sete

Um par de horas mais tarde, eles levaram Mason e todas as suas coisas até as escadas

para o apartamento dela. Mais cedo, ela tinha planejado dizer um simples obrigado e boa noite

para Dylan no final da noite. Mas depois da noite que eles tinham acabado compartilhar, cheia

de amor e família e promessas de para sempre, nada mais parecia claro para Grace.

Nada, exceto o fato de que ela não estava pronta para que a noite terminasse.

“Se você não se importa de me esperar colocar Mason para dormir, eu ficaria feliz em

fazer-nos um pouco de café.”

“Parece bom.” Ele passou a mão levemente sobre a cabeça de seu filho. “Boa noite,

amigo.”

Ela levou Mason para o quarto que os dois compartilhavam, colocou uma fralda seca e

pijamas azuis macios. Quando ela sussurrou: “Bons sonhos, baby,” ele finalmente acordou o

suficiente para transformar a boca para um beijo. Seu coração transbordava de amor quando ela

o beijou, em seguida, enfiou-o em seu berço, sua girafa de pelúcia favorita em sua mão, seu

cobertor sobre a pequena bunda, ele imediatamente colocou a mão na boca e rolou para seu

estômago.

Sabendo que ela não poderia ir de volta para Dylan sentindo-se tão vulnerável, ela

entrou em no banheiro para escovar seu cabelo e espirrar um pouco de água fria no rosto.

Infelizmente, a mulher que olhava para ela não tinha o olhar de um jornalista profissional. Pelo

contrário, com os olhos tão brilhantes e pele que corou, ela parecia muito mais como uma

mulher que estava caindo de cabeça para baixo para o homem lindo em sua sala de estar.

48
Ela se deu uma sacudida física e mental. Ela não podia fazer isso. Não faria isso. Não

quando havia um pequeno menino dormindo a apenas alguns pés afastado, que dependia dela para

protegê-lo. Ela foi feita cometer erros com a boa aparência, homens ricos.

Grace sempre confiou seus instintos, pelo menos até que ela tinha caído para Richard.

Depois que as coisas deram tão terrivelmente errado com ele, ela tinha mantido a guarda para

cima, para proteger a si mesma e seu filho.

Ela nunca seria capaz de esquecer o que os pais dele haviam dito a ela quando tinham

feito uma visita surpresa um dia depois que ela disse Richard sobre sua gravidez: “Nosso filho

tem uma fraqueza para as meninas inadequados como você, infelizmente. Mas seu erro temporário não

pode se tornar uma mancha permanente em nossa família.” Ela estava atordoada quando o ex-

senador e sua estimada esposa tinham lhe entregado dois cheques visados estabelecido em uma

conta sem identificadores sobre ele. Um para um aborto... e o outro como pagamento por seu

silêncio. Ela começou a planejar seu movimento naquele mesmo dia, para uma cidade tão longe

de Washington, DC, como ela poderia chegar.

Mas tão rico e poderoso como os Bentleys foram, Grace tinha certeza de que os

Sullivans eram ainda mais. Será que algum deles lidava com “acidentes” desta maneira? Ao

comprar fora e enterrá-los?

Ela não podia imaginar que eles iriam, não poderia quebrar a cabeça em torno de

qualquer dos homens ou as mulheres que conhecera esta noite fazer qualquer coisa tão terrível.

Então, novamente, como ela poderia ter certeza? Afinal de contas, ela só tinha acabado de

conhecer todos eles. E não tinha conhecido Richard também?

Como renovada cautela que rastejou de volta para a ela, decidiu que era bom que Dylan

ainda estava aqui. Dessa forma, ela poderia deixar perfeitamente claro que os dois nunca

estariam indo para além da história que ela estava escrevendo.

Porque mesmo se Dylan e sua família foram tão bons, tão honestos e gentis, como eles

pareciam esta noite, a verdade era que ele só faria as coisas mais difíceis. Talvez se Dylan

49
tivesse sido como seu irmão arquiteto e sua irmã corretora, cujas vidas foram sobre criar raízes

permanentes, sua fantasia poderia ter a chance de tornar-se realidade. Mas se ela aprendeu

alguma coisa durante a sua entrevista de duas horas, esta tarde, na varanda de trás da casa de

seus pais, era que o homem do outro lado da porta de seu quarto foi concebido para navegar

afastado onde o vento o levava, sempre que ele começasse a soprar. Era uma vez, ela poderia ter

sido capaz de acreditar na fantasia felizes para sempre – depois ir com ele. Mas ela não podia

fazer isso agora. Construir uma casa segura, amorosa para Mason era sua prioridade.

Olhando-se no espelho, ela viu que o brilho em seu rosto havia ido embora. Em seu

lugar havia aceitação... e determinação de não se deixar levar pela atração ou romance.

“Lamento que me levou tanto tempo,” disse ela quando ela voltou para a sala de estar.

“Eu precisava trocar Mason antes de colocá-lo na cama.” Para não mencionar o tempo que

levou para obter a cabeça para trás em linha reta.

“Isso me deu tempo para admirar suas fotos.”

Dylan estava em pé na frente de uma do dia Mason tinha nascido. Três quilos e meio

embrulhados em cobertores e panos do hospital, ele tinha o rosto vermelho e era careca. Grace

ainda se lembrava de como ficou extasiada pela vida que ela tinha criado... e como ela estava

apavorada com a ideia de levá-lo para casa sozinha.

“Foi o melhor dia da minha vida.”

“Aposto que foi.” Ela podia sentir os olhos de Dylan sobre ela agora, em vez de na

imagem. “Todos na minha família amaram vocês. Apenas da maneira eu sabia que seria.”

“Sua família é fabulosa,” disse ela enquanto caminhava em sua pequena cozinha

adjacente para fazer o café. “Mason estava no céu brincando com todo mundo. E todos eles

foram tão amáveis, mesmo quando ele quase arruinou o casamento de sua irmã.”

“Ele não esteve nem perto de arruinar qualquer coisa. Confie em mim, Mia quis dizer

isso quando ela disse que era o seu casamento perfeito.”

50
Grace sabia que precisava levar a sério com Dylan, mas havia algo que ela precisava

dizer a ele em primeiro lugar. “Esta noite foi incrível. O casamento de Mia e Ford foi o mais

bonito em que eu já estive. Eles são tão perfeitos um para o outro, e o fato de que seu irmão Ian

oficiou tornou ainda melhor.”

“Mia sempre teve um talento especial para fazer as coisas à sua própria maneira.” Ela

podia ouvir, em sua voz, o quanto ele amava sua irmã, ver o carinho evidente em seus olhos.

“Eu diria que hoje à noite o casamento foi exatamente certo para ela e Ford.”

“Foi lindo. Será que você realmente não sabia nada sobre isso?”

“Não, nada. Ian e Mia sempre estiveram, especialmente, próximos, por isso não é

surpreendente que eles cozinharam isso. Eles sabiam o quanto meus pais iriam adorar, também,

mais do que ter de lidar com centenas de estranhos e paparazzi em toda parte.”

Grace nunca tinha entendido realmente a pressão que alguém como Ford pode ter que

lidar, até hoje à noite. Obviamente, nenhum dos Sullivans estava reclamando sobre sua boa

sorte, mas definitivamente adicionou outra camada de porquê Dylan pode optar por manter a

sua distância da imprensa. Ela sinceramente esperava que sua história sobre ele não acabasse

abrindo uma lata de minhocas para ele.

“Seus pais realmente devem amá-lo,” Grace disse com um sorriso enquanto entregava

uma xícara a Dylan. “Todo mundo estava tão feliz que até mesmo Mason não podia resistir

aplaudindo no final.” E ela não foi capaz de resistir a mover-se para os braços de Dylan, para

abraçá-lo e compartilhar a alegria ao seu redor.

Lembrando como quente e bem, ela sentiu-se em seus braços, sacudiu-a para perceber

que toda essa conversa de casamento tinha se desviado ainda mais para o pessoal. Sabendo que

precisava construir seus limites profissionais, mais uma vez, ela se fez voltar para a verdadeira

razão que ela e Dylan foram passar o tempo juntos.

51
“Espero que eu não se preocupe quando eu disse a sua família que um artigo como este,

ás vezes precisa de mais de uma entrevista em profundidade para eu organizá-lo. No entanto

eu não vou tomar muito do seu tempo.”

“Tudo o que você precisa fazer, é só me avisar,” disse ele com um de seus sorrisos

fáceis, o epítome do marinheiro despreocupado. “Você está livre amanhã?”

Surpreendeu-se que ele estava animado sobre a avançar com a sua história: “Eu preciso

transcrever a gravação da entrevista antes que eu possa fazer-lhe quaisquer perguntas

inteligentes durante a segunda rodada. Segunda-feira, provavelmente seria melhor.”

“Segunda-feira está ótimo para a entrevista, mas amanhã a noite eu gostaria de levar

você e Mason a um aquário para crianças que um dos meus amigos é dono. Pelo que eu sei

como seu rapaz é curioso sobre tudo, eu tenho certeza que ele iria obter um pontapé enorme

fora de furar as mãos nos tanques para tocar as criaturas do mar.”

“Nós não podemos.” As três palavras foram algumas das mais difíceis que ela já disse,

ainda mais quando ela sabia que não só Mason gostaria de se jogar naquele aquário, mas também

que ir com Dylan iria torná-lo ainda melhor para ele.

“No próximo domingo, então?”

“Não, não é isso que eu quero dizer.” Seu apartamento ficou pequeno demais para as

faíscas que saltavam entre os dois, apesar de seus mais determinados esforços para apagá-los.

“Nós dois tivemos um grande momento com você hoje à noite, mas a partir de agora eu acho

que só devemos ver uns aos outros quando estamos trabalhando na história.”

“Você me disse que não tem um marido, e que não há nenhum namorado.”

“Não tenho.”

“Você, eu, Mason – todos nós nos damos muito bem, você não acha?”

“Sim, mas esse não é o ponto.”

52
“Então me diga o que é, Grace. Diga-me por que você não vai me deixar levar você e

Mason para se divertirem um pouco, amanhã à noite, depois que nós já terminamos nosso

trabalho para o dia.”

Em menos de sessenta segundos, Dylan tinha transformado a partir despreocupado

para absolutamente determinado. Ela deveria ter visto isso chegando, deveria ter percebido que

qualquer um que poderia pilotar um veleiro de quarenta pés por mares perigosos e

imprevisíveis teria mais determinação em seu dedo mindinho do que a maioria das pessoas

poderia sequer compreender.

E nesse momento, ela percebeu que era precisamente o porquê Dylan era perigoso.

Porque era tão doce quando ele estava com Mason, com ela, com a família dele... ele também

era incrivelmente, incrivelmente perigoso para a sua paz de espírito. Para o seu futuro.

Ela pensou que o queria na terça-feira, quando ela o conheceu em sua garagem de

barcos, e depois novamente esta noite, quando ele apanhou-os. Mas isso não era nada

comparado com o quanto ela o queria – precisava dele agora. Apesar do que passado que tinha

ensinado.

Ela estava tão nervosa, a primeira coisa que saiu de sua boca foi: “Se nós gastarmos

muito tempo juntos, eu poderia não ser capaz de manter a objetividade sobre a minha história.”

“Eu não tenho certeza do quanto objetivo você tem que ser sobre um cara que gosta de

vela e barcos.” Seu olhar foi muito profundo, viu muito. Mas ela ainda não conseguia desviar o

olhar. “Isso não é por que você acha que você precisa manter a sua distância, não é?”

Durante toda a tarde, ela lhe pediu para lhe dizer a verdade sobre sua vida, sobre seu

amor por navegar. E depois de testemunhar, em primeira mão, sua honestidade e o seu amor

por sua família, como ela poderia mentir para ele agora? “Não, essa não é a verdadeira razão.”

“Um dia,” ele disse em uma voz suave, depois do silêncio que permaneceu entre elas

por vários momentos, “Eu espero que você vá confiar em mim o suficiente para me dizer o que

é.”

53
Ela não tinha falado com ninguém sobre o que tinha acontecido, não queria que seus

velhos amigos soubessem o quão idiota tinha sido, sobre a quebra de promessas que seu ex, na

verdade, tinha feito. Nem queria que ninguém soubesse quem era o pai de seu filho, apenas no

caso de os Bentleys decidissem que queriam Mason depois de tudo. Tinha sido mais fácil

simplesmente desaparecer um dia depois que tinham dado a ela os cheques. Para fazer uma

viagem através do país, ver todas as atrações que ela e seus pais sempre tinham falado sobre

visitar um dia, antes de finalmente se estabelecer em Seattle, quando a água a havia chamado.

E, no entanto, mesmo que ela não devesse sentir como se conhecesse Dylan bem o

suficiente, tudo o que ela passou durante o ano passado e meio, de repente queria vir se

derramar para fora.

“Será que Mason geralmente vai para a cama às oito horas?” Quando ela acenou com a

cabeça, ele disse: “Então que tal eu buscá-los às cinco por isso vamos ter um bom par de horas

no aquário para nos divertir antes que ele ficar com muito sono?”

“Você não ouviu o que eu disse? Eu não posso sair com você.”

“Não vai ser um encontro. Apenas três novos amigos saindo um pouco.”

Ela sabia que deveria dizer não, mas agora que ela tinha sido perfeitamente clara com

Dylan que eles não estavam indo para começar qualquer coisa romântica, não havia realmente

nenhum mal em gastar um par de horas juntos em um aquário? Especialmente quando ela sabia

o quão feliz Mason ficaria com as criaturas do mar e Dylan.

Claro que, mesmo quando ela racionalizava, a consciência estava cantarolando dentro

dela, chamando-a de mentirosa. Basta admitir que você quer ficar com ele, que deseja sua boca e mãos,

em você. Que você estive se perguntando toda a noite como seria beijá-lo.

“O aquário não fecha às cinco?”

Seu sorriso lhe disse que estava muito contente que ele estava à beira de conseguir o

que queria, mesmo que ela ainda não tinha dito sim ainda. “Eu vou negociar com meu amigo

um passeio de barco para mantê-lo aberto um par de horas a mais para nós.”

54
Com isso, ele levou as xícaras até a pia e lavou-as, um homem que claramente tinha

sido levantada para não esperar que alguém fazer por ele. Ela se levantou, também, esperando

que não ia ser estranho quando dissesse boa noite.

“Obrigado por uma realmente grande entrevista e por me apresentar a sua família. Eu

realmente tive um bom momento esta noite. “

“Eu fiz, também, amiga,” disse ele enquanto se dirigia para a porta. “Vejo você amanhã

à noite.”

Outro homem poderia ter pressionado para ser mais, mas Dylan a fez rir em vez com

seu uso de amiga.

“Você era um punhado como uma criança,” disse ela, “você não era?”

Na parte inferior da escada, ele riu. “Por que você acha que meus pais estavam sempre

tão felizes de me ver navegando longe?”

Fechando a porta atrás dela, Grace sabia que ela não tinha o direito de se sentir

decepcionada que ele a tinha deixado sem sequer tentar roubar um beijo. Ele estava

simplesmente fazendo o que ela lhe pediu para fazer: tratá-la como uma amiga em vez de uma

namorada em potencial. Mas ela mal tinha deslizado o ferrolho fechado quando ouviu passos e,

em seguida, uma batida.

“Você voltou.” Ela olhou-o nos olhos, um marrom ainda mais profundo, mais escuro do

que o normal, quando todas as borboletas vieram de volta.

Ele estendeu sua bolsa com seu notebook e gravador. “Você esqueceu isso no meu

carro.”

“Oh.” Sua voz era plana, pesada com a decepção que ela não podia descobrir como

segurar. “Obrigado. Eu teria ficado em apuros sem isso amanhã.”

“Isso não seria bom para mim, também,” disse ele em voz baixa.

Não se seria bom? “Você não quer trabalhar comigo sobre esta história?”

55
“Não, a história está muito bem. Sair assim, como se você não quer dizer nada mais

para mim do que apenas alguma entrevista, isso é o que parece errado.” Ele pegou a mão dela

com a sua livre, só que um simples toque enviou um calor abrasador através dela. “Eu estava

tentando esta noite tão difícil de jogar com calma, para não assustá-la e afastá-la por jogar

demasiado forte. Mas tudo que eu acabei sentindo foi como um mentiroso. E eu não posso

tolerar a ideia de mentir para você, Grace.” Ele acariciou com o polegar sobre a palma da mão,

fazendo-a tremer, apesar do calor inundando seu sistema. “Então aqui está a verdade – eu

queria beijá-la a partir do primeiro momento em que pus os olhos em você, e cada momento

que estamos juntos, eu só quero mais. Mas, caramba, eu não vou fazer nada para machucá-la

quando eu sei que outra pessoa já o fez. Portanto, se você não quer me beijar, e se eu tenho

alguma forma ler tudo errado desde terça-feira, quando eu podia jurar que já tinha uma ligação,

me diga agora... e eu vou fazer-me ir sem aprender se o sabor de sua boca é tão bom quanto

parece.”

Seu toque, sua boa aparência, até mesmo sua intensa atração por ele não tinha sido

suficiente para mandá-la ao longo da borda. Mas quando ele lhe disse que não iria roubar um

beijo que pode machucá-la foi quando suas defesas caíram por todo o caminho. Especialmente

quando ela ainda estava voando a partir do belo casamento na casa de seus pais.

Ele estava fazendo essa escolha dela. Não uma que veio de culpa. Ou porque ela sentiu como

se lhe devia um beijo depois da noite que eles tinham acabado compartilhando. Mas simplesmente porque

ela queria saber o seu gosto também.

Um beijo com Dylan não tem de significar sempre. Ele nem sequer tem que ser uma

promessa de mais. E talvez se eles se beijarem agora, iria mantê-los de explodir fora de

proporção durante o resto de sua entrevista.

Então, ao invés de pegar sua bolsa, ela o agarrou.

Deslizando as mãos em seu cabelo escuro, ela puxou sua boca para a dela e derramou

toda a sua fome reprimida, e necessidade, e admiração pela a beleza do casamento ela que tinha

56
participado a noite para o beijo. Por alguns momentos preciosos, deixou-se ceder à loucura, ao

mais feroz, mais doce desejo que ela já tinha conhecido como ela beliscou seu lábio inferior com

os dentes, em seguida, conheceu sua língua com a mancha molhada dela própria. Ele

aproximou-se o suficiente para que ela pudesse sentir o calor e a força dele ao longo de toda a

frente de seu corpo. Ela bebeu em seu gemido, respirou seu perfume masculino limpo,

vangloriou-se de seus músculos rígidos pressionados contra o comprimento dela.

Sua cabeça girava com o gosto dele, seu sangue aquecido com desejo, e seu peito se

apertou com necessidade desesperada. Ela queria mais – muito mais do que ela estava

evidentemente atordoada por sua necessidade dele e, apenas por alguns momentos mais, não

podia se parar de tomar o beijo ainda mais quando um zumbido baixo de prazer soou em sua

garganta .

Ambos estavam respirando com dificuldade pelo tempo que ela conseguiu obter um

controle tênue sobre si mesma e chamar de volta. Ela nunca tinha visto olhos tão escuro, tão

cheio de desejo. Olhos que a observavam com tanto cuidado, como se ele tinha medo de

assustar. Mas depois de tudo que ela passou ao longo dos últimos dois anos, ela decidiu que iria

deixar-se ter este beijo perfeito. E ela não iria se arrepender.

Mesmo que eles nunca poderiam ter um segundo.

Desesperada para não fazer um grande negócio fora dele, ela tentou fazer uma piada:

“Se você navegar, assim como você beija, não admira que você é uma lenda de barco.”

Suas mãos ainda estavam em seus quadris quando ele disse, “Você vai descobrir em

breve.”

“Você quer me levar para velejar?” O pensamento a emocionou e preocupou em igual

medida. Ela sabia que ele estava certo, que ela devia experimentar por si mesma estar em um de

seus barcos com ele. Infelizmente, algo lhe dizia que ia ser muito, muito difícil manter seus

segredos e de Mason, enquanto no meio do oceano com Dylan.

“Você não pode escrever esta história sem velejar comigo pelo menos uma vez.”

57
“Uma vez que eu entender mais sobre o que você faz e sobre os seus barcos, vou

acompanhá-lo para uma vela. Mas provavelmente seria melhor se isso acontecesse como nossa

entrevista final.” Dessa forma, ela teria muito tempo para preparar-se contra o poder do

confessionário da cabine.

“Seria realmente melhor?” ele perguntou. “Esperar por tanto tempo?”

Ela sabia que ele não estava falando apenas de vela mais, mesmo quando ela disse: “Eu

realmente acho que seria.” A coisa mais fácil teria sido inclinar-se para outro beijo. Fácil e oh tão

bom. Mas ela tinha parado de ser capaz de tomar o caminho fácil de um ano e meio atrás. “Boa

noite, Dylan.”

Suas mãos apertaram seus quadris por uma fração de segundo, enviando calafrios por

seu corpo inteiro antes de finalmente deixá-la ir. “Boa noite.”

E a coisa mais louca de tudo foi que, apesar de saber que ela precisava para manter uma

rédea apertada em seu coração, Grace poderia não lembrar de alguma vez ter tido um melhor.

58
Capítulo Oito

Poucas coisas, poucos lugares, foram melhores que um sábado de manhã ensolarado no

porto. Famílias se reuniram para retirar os barcos que ficaram ancorados durante toda a

semana, cachorros latiam e brincavam, o riso das pessoas ignorado ao longo da superfície

cristalina da água.

Dylan estava de volta de uma velejada rápido ao redor do Sound às nove horas e veio

trabalhar desde então, num veleiro de 24 pés. Todos os barcos que ele construiu foram feitos

com amor, mas nada mais do que isto. Ele disse para sua família que o barco era para um

comprador de San Francisco. Mas realmente era uma surpresa para seus irmãos, sua irmã, suas

companheiras e seus filhos. Ele estava mais do que feliz em tê-los usando seus barcos a

qualquer momento que quisessem, mas ele queria que eles tivessem um veleiro próprio. Um

onde ele pessoalmente colocou cada prancha, bateu cada prego. Ele recusou vários contratos

lucrativos de construção de barcos nos últimos dois meses e felizmente teria recusado mais se

ele não estivesse na parte final da construção agora.

Ele tinha o rock ‘n’ roll detonando — cortesia de seu novo cunhado, Ford Vincent —

enquanto o sol entrava pelas portas da garagem de barcos e as claraboias abertas acima. Hoje foi

um trabalho especialmente suado. Suado e satisfatório. Assim como sexo, ele pensou com um

sorriso enquanto enxugava o rosto com a camiseta que ele tinha tirado um momento atrás.

Homem, aquele beijo de ontem à noite...

Dylan teve que parar e levar alguns segundos para reviver o momento em que os lábios

de Grace tocaram os dele. Tudo foi tão quente tão rápido que ele teve que lutar para

acompanhar. Ele queria possuir, marcar, nunca soltar suas curvas suaves. Se ele pudesse ter

59
demorado mais em seu primeiro beijo, ele teria. Em vez disso, quando o corpo dela tencionou

contra o dele, com apenas sua boca na dela, ele a saqueou.

E ela fez exatamente a mesma coisa com ele.

Tão quente como ele estava do calor do dia de sol derramando sobre dele, pensar em

Grace agora deixou Dylan queimando o suficiente que ele precisou pegar uma Coca-Cola e ficar

na doca por alguns minutos para deixar a brisa esfriá-lo.

Ele observou o sol brilhando sobre água e os barcos, o som das focas latindo, brincando

uma com a outra, o cheiro de protetor solar e a brisa do mar quando uma mãe e filha saíram

para a baía num Laser. Era um barco pequeno em comparação com os iates de propriedade de

ricos e famosos do Noroeste do Pacífico, mas era um clássico. O Laser foi o primeiro barco que

seu pai navegou com ele. Max Sullivan amava a água, mas ele não era um marinheiro natural,

mesmo que ele entendesse os aspectos técnicos de velejar até o último detalhe. Foi um dia de

vento que dois iniciantes estiveram fora, mas Dylan aprendeu rápido e os impediu de navegar

lentamente.

Foi uma emoção manusear o equipamento, aprender a aderência, segurando o leme,

flutuar sobre a água. Ainda melhor, quando começou a virar, quando ele teve que salvá-los de

ir rápido. Ele sempre desfrutou de um passeio suave, um em que ele pudesse apenas se esticar

ao sol e deixe sua mente vagar, mas desde o primeiro passeio ele soube que era fácil velejar bem

em perfeitas condições, foi quando o passeio começou a ficar rochoso que a força de vontade

veio à superfície.

Mesmo depois do beijo que ele e Grace compartilharam, Dylan sabia que ela tinha

certeza de que nada poderia funcionar entre eles. A viagem de hoje à noite para o aquário seria

mais um passo para provar a Grace que ela podia confiar nele, não só para ser amigo dela e de

seu filho, mas esperar muito mais também.

Ele estava determinado a provar isso a ela, um beijo perfeito de cada vez...

60
Ele poderia ter se sentido um pouco mal por jogá-la profundamente no seio de sua

família ontem à noite, se não fosse pelos fatos que: (a) eles foram incríveis, e (b) se tudo corresse

bem com eles, ela iria conhecer a seus irmãos, irmãs e seus pais de qualquer maneira, então por

que não fazê-lo mais cedo ou mais tarde? E realmente foi bom ver como ela se encaixou com

todos eles, apesar de seu nervoso inicial. Na verdade, enquanto ela estava ajudando sua mãe na

cozinha por alguns minutos, Rafe lhe tinha puxado de lado.

“Eu nunca pensei que quando você finalmente se apaixonaria por uma mulher, seria

um com um garoto que você tem que estar em casa,” seu irmão havia dito. “Mas há algo sobre

Grace, e seu bebê que é muito bonito também. Você está pensando em pendurar as velas por

um tempo?”

“As famílias navegam ao redor do mundo o tempo todo,” tinha sido a resposta de

Dylan. “Até então, vai ser ótimo estar mais em casa.”

As sobrancelhas de Rafe ergueram, então.. “Você está realmente sério sobre ela, não é?”

Quando Dylan acenou com a cabeça, Rafe perguntou: “Quanto tempo isto está fermentando?”

Dylan sorriu e disse: “Nós nos conhecemos na terça-feira,” então foi ajudar Grace e

Mason se sentar à mesa de jantar, enquanto a cabeça de seu irmão girava. Era sempre divertido

balançar seus irmãos, especialmente sobre algo que eles jamais viram chegando.

Ele estava voltando para dentro quando seu telefone tocou. A visão do número de seus

pais na tela do identificador de chamadas o fez quebrar sua regra habitual a ignorá-lo quando

ele estava trabalhando.

“Dylan querido,” disse sua mãe, um sorriso em sua voz, “estou tão feliz que você

atendeu.”

“Para você, sempre. Esse é sobre a noite jantar de sexta-feira, não é?”

Sua mãe deu um suspiro feliz. “Foi simplesmente maravilhoso. Além de maravilhoso.”

Ele poderia dizer que ela estava lagrimejando mesmo agora. “Você pode acreditar como são

sorrateiros seu irmão e irmã, inventando um casamento surpresa entre eles?”

61
“Claro que posso. Na verdade, uma vez eles...” Dylan reconsiderou derramar o feijão

no último segundo. “Na verdade, não importa. Foi há vinte anos, mas você provavelmente

ainda em melhor situação sabe, não. Eu não quero que você tenha para aterrar os recém-

casados. Especialmente depois que ela e Ian apenas puxaram o golpe do casamento do século.”

Quando Dylan tinha chamado Mia e Ford mais cedo para felicitá-los novamente, eles

estavam indo em direção ao aeroporto para uma lua de mel havaiana improvisada. Eles

trouxeram o champanhe e as rosas que ele tinha enviado para o avião particular. Ainda assim,

para tanto quanto ela amava o casamento, ele sabia que não era por isso que sua mãe estava

chamando.

“Eu absolutamente adorei Grace e Mason.”

“Eu sabia que você iria. Especialmente quando você viu o quão bonito o filho dela era.”

“Vocês cinco foram os bebês mais bonitos que eu já vi, mas eu tenho que lhe dizer,

Mason escorregou lá para cima na corrida a noite passada. Ele é tão doce e curioso, e adora

conhecer e brincar com as pessoas. E eu também notei que ele foi particularmente parcial com

você, com a forma como ele manteve subir em seus braços.”

“Nós nos relacionamos no início desta semana, quando eles vieram ao meu

ancoradouro. Nós três vamos hoje à noite ao aquário, prontos para consolidar isso.”

“Num encontro?” Ele podia ouvir a esperança na voz.

“A noite passada foi uma entrevista. Hoje à noite nós vamos ser amigos. Eu estou

tentando não me mover muito rápido.” Foi uma das coisas mais difíceis que ele já fez,

segurando-se para trás quando ele queria muito Grace... e sabia, mesmo antes de seu beijo

muito quente, que ela o queria muito.

“Ela é cuidadosa,” sua mãe ponderou. “Ou tenta ser, pelo menos. Ela obviamente foi

ferida.”

Sabendo que ele nunca se perdoaria se ele a machucasse de qualquer modo, ele disse:

“Eu vou ter cuidado com ela, mãe.”

62
“Eu sei que você vai. Embora, honestamente, eu não tenho certeza de que o cuidado

seja sempre o caminho certo a seguir. Veja o seu pai e eu, por exemplo. Se tivéssemos

conseguido ser cuidadoso, nunca teríamos dado uma chance ao outro.”

“Você parece tão inocente para alguém que terminou com seu noivo a casar com seu

melhor amigo,” ele brincou.

Ela fez um som que ele poderia facilmente interpretar como observe a si mesmo, garoto.

“Em qualquer caso,” ela disse, “Tenho a sensação de que Grace teve cuidado por muito tempo

já. Ela é, obviamente, uma mulher muito talentosa e determinada, uma vez que ela tem uma

carreira de escritora freelance bem-sucedida e tem feito um trabalho maravilhoso de criar seu

filho sozinha. Se você me perguntar, há uma mulher ousada em seu interior apenas coçando

para rebentar para fora.”

Foi exatamente o que ele viu também, e foi a razão que ele não se sentiu culpado sobre

beijo de ontem à noite. Não só porque ela foi a única a iniciá-lo, mas também porque era óbvio o

quanto ela queria.

“Eu me lembro como era querer muito algo que me assustava, Dylan. Assustou-me o

suficiente que eu pensei que empurrar seu pai para longe fosse a única coisa que fazia sentido.”

Ele sabia que sua mãe o estava advertindo que o caminho para o coração de Grace pode

não ser suave. Mas ele nunca teve medo de mares tempestuosos. “Você sabe por que Mason e

eu nos ligamos imediatamente?”

“Por que.”

“Porque ambos têm grandes mães.”

“Você sempre tornou fácil querido. Agora, seu irmão Adam, por outro lado... eu nunca

vi ninguém tão imune a se apaixonar.”

“Mais uma razão que nós vamos amar vê-lo mudar a maneira de ser quando isso

finalmente acontece. Ninguém em mente que seria capaz de transformá-lo em um nó?”

63
Sua mãe fez um som considerando. “Na verdade, agora que você mencionou, eu só

poderia. Eu preciso dar Rafe e Brooke um anel rápido.”

“Você tem algo na manga, não é?”

“Sempre,” ela disse com uma risada. “Tenha um bom momento com Grace e Mason

esta noite querido.”

“Eu irei.” Ele não tinha absolutamente nenhuma dúvida sobre isso. Assim como ele

sabia que apesar do que Grace tentou dizer a si mesma sobre beijo de ontem à noite ser o

primeiro e único, definitivamente mais beijos estavam no cardápio de hoje à noite.

*****

Escrever sempre foi fácil para Grace. Ela amava suas aulas de inglês na escola e na

faculdade e quando os outros alunos gemeram sobre ter que escrever seus ensaios, ela focava

em afinar a dela até que eles cantassem. Escrever para um jornal foi intenso com prazos

apertados que não tinham espaço para erro, mas se divertiu se aprimorando — e encontrando

— esses desafios. Uma vez que ela era freelance e que a carreira tinha corrido bem também, ela

assumiu que seria sempre um passeio agradável desde a ideia até finalizar a história. O

bloqueio do escritor foi algo que ela não foi capaz de compreender, e não quando as palavras

sempre fluíam e o processo de colocá-las no papel era tão agradável.

Até que ela ficou grávida.

De todas as publicações que ela tinha escrito, e todos os temas que ela abrangeu,

surpreendentemente, a gravidez não estava em qualquer lugar na lista. O que significava que a

névoa do cérebro dos hormônios mudou rapidamente durante seu primeiro trimestre batendo

nela completamente do nada. Isso não ajudou, é claro, que ela também foi despejada e que a

família de seu ex tinha tentado pô-la na rua ao mesmo tempo.

64
As palavras que sempre estiveram ali para depenar de repente foram muito mais difíceis

de encontrar. Mas ela tinha prazos contínuos de todas as revistas e jornais que continuaram aceitando

seus trabalhos, então ela continuou a trabalhar duramente através de seus dias, escrevendo.

Mason não foi um bebê difícil, Graças a Deus, mas sem o dinheiro extra para pagar

pelos cuidados da criança, ela foi ajustando sua escrita na hora do cochilo pelos últimos dez

meses. Cochilos que estavam ficando cada vez mais curtos, ela notou quando ouviu seu filho

seguir em uma conversa alegre na língua bebê com a girafa de pelúcia no berço. Mason não

queria desperdiçar seu tempo dormindo. Ele queria ficar acordado explorando e brincando.

Imaginando que provavelmente tinha mais quinze minutos para realizar uma passagem

final em sua história sobre pagar uma hipoteca antecipada antes que Mason insistisse com ela

para ir buscá-lo em seu berço, ela estava muito contente que no momento que ela terminou sua

edição final, as palavras começaram a vir um pouco mais rápido. No início da semana, ela

esteve lutando para juntar os fragmentos de modo a ler como divertimento, o artigo energético

que ela tinha prometido o editor da revista. Hoje, no entanto, pela primeira vez em um ano e

meio, em vez de se sentir como se estivesse puxando e arrancando as palavras, ela

simplesmente tentou colocá-las no papel tão rapidamente como elas vieram a ela.

Ela esperava que hoje fosse o início de uma longa sequência de bons dias, fluindo a

escrita. Mas sua escrita finalmente começou a estalar novamente, pela simples passagem do

tempo trazendo seu dom inato de volta para ela? Ou foram seus sucos fluindo novamente por

causa da grande noite-e-beijo alucinante que compartilhou com Dylan Sullivan ontem?

Mais cedo, antes de Mason tirar o seu cochilo da tarde, ela em uma multitarefa,

brincando com seu filho e transcrevendo a entrevista enquanto ele estava feliz entretido com

um de seus brinquedos. Mason tinha olhado para cima quando ele ouviu Dylan falar e sorriu

amplamente antes de rastejar em torno do pequeno apartamento procurando o homem que

claramente já se tornou uma de suas pessoas favoritas. Quando ele não conseguiu encontrar

Dylan e começou a ficar chateado, ela o distraiu com alguns Cheerios, em seguida, decidiu

65
esperar até que ele dormisse para terminar a transcrição de modo que ele não ficasse tão

confuso sobre por que seu novo amigo estava escondendo dele.

Alguns escritores odiava o processo de transcrição, tanto assim que eles contratavam

empresas para fazer o trabalho para eles. Mas Grace amava ter a chance de pegar as coisas que

ela não tinha notado durante a entrevista real, a partir de uma ligeira nuance na voz de seu

sujeito a um detalhe importante. Especialmente quando ela estava um pouco distraída na casa

dos pais de Dylan por esperar que Mason estivesse sendo bom com Claudia... e também por

quão difícil foi desligar seus hormônios em torno de Dylan. Mais do que difícil, na verdade.

Praticamente impossível.

Grace não tentou pensar muito sobre isso, no entanto. Não quando estava certa de que

até o jornalista mais endurecido iria amolecer em torno dele. Não só por causa de sua boa

aparência e charme fácil, mas também porque suas respostas eram inteligentes e perspicazes.

Por mais que ele amasse o mar e seus barcos, ele não disse que navegar fosse algo perfeito. Pelo

contrário, ele foi honesto sobre os perigos e sobre o fato de que isso poderia ser tanto assustador

como solitário.

Seria muito mais fácil proteger seu coração contra Dylan se ele fosse simplesmente um

homem de boa aparência, que também provou ser um grande beijador. Em vez disso, ele era

surpreendentemente equilibrado, apesar do fato de que ele poderia ter todo o mundo em suas

mãos, se ele quisesse. Medalhas olímpicas. Ganhar corridas de Copa do Mundo. E as mais belas

mulheres do mundo.

De alguma forma, ela precisa evitar fazer qualquer coisa estúpida esta noite. O beijo

escaldante-quente na noite passada foi duro o suficiente em sua paz de espírito. Especialmente

agora que ela sabia com certeza precisa quão perigosa era a energia sexual fervendo logo abaixo

da superfície pelos sorrisos fáceis de Dylan... e pior ainda, como cada parte dela queria

descobrir o quão emocionante e explosiva seria quando ele perdeu o controle.

66
A conversa de Mason com sua girafa estava aumentando o volume pelo tempo que ela

forçosamente encurralou seus pensamentos pornográficos. Ela estava prestes a fechar a tela em

seu notebook quando uma imagem chamou sua atenção na página de notícias que veio a tona

quando ela abriu seu e-mail para enviar o artigo sobre a hipoteca para seu editor.

Seu intestino torceu quando ela olhou para uma foto de seu ex, a mulher que ele tinha

se casado há um ano, e os Bentleys mais velhos no jantar dos correspondentes da Casa Branca.

Eles pareciam da mesma forma que foram um ano e meio atrás, sem sombras ou culpa casando

com seus sorrisos perfeitos. Ninguém iria olhar para esta imagem e acreditar que eles tinham

lhe dado dinheiro para se livrar de seu bebê. Mais uma vez, a legenda da imagem mencionava o

problema de seu ex com infertilidade, que tinha vazado para a imprensa através de uma fonte

não identificada que era “próxima da família”.

Seu intestino torceu com medo de novo, Mason poderia ter nascido fora do casamento,

mas na ausência de filhos legítimos, ele era o primeiro e único herdeiro Bentley para o seu trono

Fortune 500! Graças a Deus Dylan tinha concordado em deixá-la escrever a reportagem de capa sobre ele

para que ela pudesse colocar mais dinheiro em seu fundo de defesa apenas-no-caso. Ela nunca iria deixar

que a família levasse seu filho para longe dela. Nem em um milhão de anos.

Alguns momentos depois, uma nova foto apareceu na tela, e Grace estava atordoada,

mais uma vez, e não por outra imagem de seu ex, mas por uma de Smith Sullivan e sua bela

noiva, Valentina. De acordo com o texto embaixo da foto, eles também participaram do jantar

em Washington, DC.

Quão próximo de seu ex esteve primo de Dylan? Eles sentaram na mesma mesa? Eram

amigos? Fazem negócios juntos?

Não poderia ter sido mais perfeito, ou poderoso lembrete de quão louca ela era se

deixasse um beijo com Dylan influenciá-la. Ela jurou que nunca se esqueceria de manter a

guarda, e ainda, olha a rapidez com que tinha começou a cair.

67
Mas era mais do que isso. O que um Sullivan iria querer com uma mãe solteira quase

quebrada? Um ano e meio atrás, ela não queria se sentar e analisar o que foi que Richard queria

com ela, qual era o seu ângulo. Ela simplesmente queria ser varrida para longe de tudo,

especialmente a dor de perder seu pai. Agora, sabia que ela precisava não só ter mais cuidado,

mas ser mais inteligente, também, ao invés de apenas deixar-se cair na fantasia novamente.

Especialmente quando a fantasia era susceptível de navegar para longe em terras

distantes a qualquer momento.

Depois de fechar seu notebook, ela trabalhou para sacudir seu humor negro quando

entrou no quarto. Ouvindo sua chegada, Mason sorriu e estendeu a mão para ela.

Seu filho era a coisa mais importante em seu mundo, e nada, nem mesmo o beijo mais

quente com Dylan Sullivan — mudaria isso.

68
Capítulo Nove

Instinto, para um marinheiro, era muito mais importante do que o intelecto. Não era

que os marinheiros não fossem inteligentes — todas aquelas longas horas no mar, quando os

ventos não estavam cooperando faz você revisar qualquer coisa crucial que poderia chegar a

suas mãos para evitar enlouquecer às vezes. Era simplesmente que um grande marinheiro

entendia que análises e cálculos jamais poderia ser um jogo em um oceano belo e selvagem que

poderia facilmente derrotar o melhor radar e os mais novos programas de computadores.

Depois do beijo que Dylan e Grace compartilharam na noite anterior, ele acreditava

mais forte do que nunca que os instintos no qual ele confiou por trinta e um anos o estava

levando na direção certa, mais uma vez. E em breve, esperava, que Grace aprenderia a confiar

em seus próprios instintos de novo, mesmo se ela claramente levantou a guarda todo o caminho

de volta, na sequência do beijo da noite anterior.

Manter as coisas leves e fáceis toda a noite no aquário, como amigos, poderia vir a ser o

primeiro passo para realmente ganhar o coração de Grace. Odiando que ela foi ferida e que ela

se sentia que precisava ser tão cuidadosa e cautelosa com ele, ele silenciosamente prometeu

fazer tudo o que podia para ajudá-la saber que não havia problema em risco e a confiar nele.

Ainda assim, não foi fácil conter o desejo feroz para derrubar aquelas paredes para baixo, lhe

dando outro beijo.

Mason riu quando um grupo de koi8 nadava rápido e escorregadio, sob suas pequenas

pontas dedos no tanque. Pela última meia hora ele se recusou a deixar o local.

8
Cyprinus carpio. Peixe ornamental conhecido como carpa chinesa. Pode ser de uma grande variedade de cores, sendo as
mais comuns o laranja e o branco.

69
“Eu o levei a aquários antes, mas ele nunca respondeu assim. Na verdade, ser capaz de

tocar e alimentar os animais faz uma enorme diferença.” Os olhos de Grace estavam brilhando

com gratidão quando ela se virou para ele. “Por favor, agradeça seu amigo por concordar em

ficar aberto até mais tarde para que pudéssemos vir aqui esta noite. Entre tempo do cochilo de

Mason e o meu tentando encaixar o trabalho à sua volta, eu nunca teria sido capaz de trabalhar

com isso.” Voltando-se para seu filho, ela disse: “É hora de dizer adeus a todos agora, para que

possam fechar.”

Dylan fez o seu melhor para não rir do olhar teimoso de Mason e do ligeiro aceno de

cabeça. Nenhuma questão sobre isso, o garoto ia ser difícil de controlar um dia. Assim como

Dylan e seus irmãos foram. Ainda eram, na verdade, apesar de sua mãe ter dito que ele tinha

feito mais fácil para ela. Ela foi rigorosa sobre a bondade e boas maneiras, mas em tudo o resto

ela sempre apenas os deixou ser crianças. Mesmo ficando selvagem e estúpido às vezes —

geralmente — resultou em ossos quebrados e pele esfolada.

Ele ficou impressionado com a quão bem Grace tratou com o que poderia ter se

transformado em um acesso de birra quando ela começou a acenar adeus ao peixe e Mason

ficou tão apanhado em espelhar nela que ele se esqueceu sobre não querer sair.

Assim que se afastou do tanque, Mason estendeu a mão para Dylan. Mas em vez de

passar a ele, Grace deu um beijo na testa de seu filho e disse: “Ele já levou você a maior parte da

noite. Você pode ficar comigo por um tempo.”

“Fico feliz em levá-lo, Grace.”

“Eu sei que você fica, mas —” Ela franziu o nariz, parecendo tão bonita quanto seu filho

sempre que faz. “Foi só nós dois por tanto tempo que eu acho que ainda não sei como me sinto

sobre ele ficar tão confortável nos braços de outra pessoa. Que realmente não é justo quando eu

posso ver o quanto ele gosta de estar perto de outro cara.”

“Você é, obviamente, a pessoa mais importante no mundo para ele. Mas se você quiser

se apoiar em alguém por um tempo, eu estou aqui.”

70
Ele poderia dizer que ela queria lhe perguntar por que ele já estava claramente nisso —

especialmente desde que as perguntas importantes são uma grande parte da razão pela qual ela

escolheu jornalismo. Ao mesmo tempo, não era muito difícil adivinhar que a razão pela qual ela

não fez era porque ela ainda não estava pronta para ouvir sua resposta.

“Eu vi como você é bom com Mason,” disse ela em vez disso, “mas também é bastante

experiente em torno de muitas outras crianças pequenas.”

Nem todas as crianças no aquário ficaram tão emocionadas por estar lá como Mason

esteve. Na verdade, a orelha esquerda de Dylan ainda estava tocando dos gritos agudos de uma

menina. “Eu gosto de crianças. Mesmo que uma provocou um buraco no meu tímpano.”

Grace riu. “Agradeço a Deus todos os dias que Mason é tão descontraído. Sua mãe disse

que você era assim também.”

Ele ergueu as sobrancelhas. “O que mais ela te disse?”

“Nós não tivemos a oportunidade de conversar por muito tempo. Embora eu gostasse

que tivéssemos, porque eu teria gostado de saber mais sobre sua infância.”

Ele se divertiu vê-la ruborizar a pele quando ela admitiu querer saber mais sobre ele, e

ele teve que controlar sua vontade de estender a mão para acariciar sua suavidade.

Especialmente quando seus olhos se encontraram e ele sabia que ela estava pensando

exatamente a mesma coisa.

*****

Grace se lembrou de uma dúzia de vezes que o beijo de ontem à noite com Dylan foi

um desvio de uma só vez. Ela não poderia repeti-lo, não podia ceder à tentação de começar

qualquer coisa com ele que ia além da sua história para a revista e talvez se tornarem amigos.

Mas isso foi antes que ela o viu com Mason novamente. Os dois foram absolutamente adoráveis

71
juntos a noite toda, e mais de uma mulher tinha olhado para ela com inveja quando viu Dylan e

Mason brincar juntos.

Foi tão fácil se deixar fingir que eles eram, na verdade, uma família, que Mason tinha

um pai que o amava. Mas Grace sabia melhor, sabia que ceder a fantasias como essas apenas

tornaria mais difícil voltar a ser apenas os dois. Ainda assim, não foi nada fácil manter suas

paredes durante uma das noites mais agradáveis em um tempo muito longo.

“Eu estava pensando que poderíamos conseguir algo para comer nas proximidades,”

disse Dylan, “mas Mason provavelmente estará cansado logo, não é?”

Seu filho não estava dando qualquer indicação de que estava cansado — na verdade,

justo o contrário, quando ele está com Dylan ele fica mais de olhos brilhantes e animados do

que nunca, mas Grace sabia em primeira mão quão rapidamente os sorrisos poderiam mudar a

lágrimas quando Mason estava cansado. Claramente, Dylan tinha um sexto sentido para as

crianças. Mulheres também, dado o quão bem ele fez a ela esta noite. Ele não tentou beijá-la,

não tentou pressioná-la de qualquer forma em um sentindo que este fosse um encontro. E sem

nenhum empurrão, ela acabou relaxando mais e mais à noite.

Neste ponto, a guarda praticamente desceu todo o caminho. Que foi precisamente por

isso que ela sabia que deveria pegar fácil e cortar sua noite ali. Eles se divertiram, e se ela e

Mason voltassem para casa agora de sua viagem ao aquário perfeitamente amigável, não

haveria uma chance para outro beijo como o que ela e Dylan compartilharam a noite passada.

Mas quando ela abriu a boca para lhe agradecer por uma grande noite e dizer boa noite,

o que saiu em vez disso foi, “Eu poderia fazer-nos algo para comer de volta a minha casa.”

Dylan e Mason sorriram, já muito semelhantes. “Parece bom para mim,” disse Dylan

quando ele deu a pequena mão de seu filho um toca aqui.

A primeira coisa que Grace fez quando eles voltaram para seu apartamento foi abrir

uma garrafa de vinho e servir uma taça a cada um. Antes que Dylan pudesse tomar um gole,

Mason se arrastou com um carro de brinquedo em cada mão e puxou lhe a perna.

72
“Você quer uma corrida? Eu ia ajudar sua mãe com o jantar, mas se você precisa de um

companheiro de brincadeira...”

Ela riu, facilmente adivinhar que Dylan não era muito de trabalhar na cozinha. “Eu

farei o mais fácil, mais rápido jantar na história, então eu não preciso de ajuda. Vá brincar. Eu

espero que você goste de espaguete e salada.”

“Adoro.” Ele sorriu para seu filho. “E eu amo carros de corrida também.”

Quando ele foi se sentar no meio do tapete da sala onde Mason alegremente deixou caiu

seus carros, ela foi atingida por quão fácil era. A única vez que ela fez o jantar para seu ex,

desesperada para não desapontá-lo, ela passou dias planejando o cardápio, em seguida, horas

noturnas que colocá-lo todos juntos. E mesmo assim, ela não teve a sensação que ele esteve

particularmente impressionado, não quando chefs com estrelas Michelin era muito mais seu

costume. Além disso, ele esteve muito mais interessado em levá-la para cama do que em comer

o jantar juntos.

Hoje à noite, no entanto, foi muito bom ter companhia enquanto ela trabalhava na

cozinha, ouvindo Mason e Dylan conduzir os carros de brinquedo no chão da sala de estar.

Quando Mason arrastou para reunir mais carros para compartilhar com seu novo

melhor amigo, Dylan perguntou: “Quando você decidiu que queria ser uma escritora?”

“Para ser honesta, eu acho que eu realmente não dei uma chance a qualquer outra coisa.

Eu sempre gostei de ler qualquer coisa que pudesse chegar as minhas mãos, e inglês foi o meu

assunto favorito na escola.”

“Você provavelmente entregou seus relatórios de livro cedo, não é?”

“Eu sei, eu era um garota estranha,” ela disse com uma risada. “E se você? Qual foi a

sua disciplina favorita?”

“Verão.”

Ela não conseguia se lembrar da última vez que tinha rido tanto em uma noite. “Depois

disso? Não,” ela disse quando ela se virou do fogão, “deixe-me adivinhar. Física. Matemática,

73
provavelmente. Porque ambos os assuntos iria ajudá-lo a fazer sentido em direção a um barco

se movendo e como ele é construído.”

Dylan alcançou Mason e o puxou para o seu colo. “Sua mãe sabe coisas, garoto. Que

significa que você nunca vai sair com qualquer coisa.” Mason estava esfregando os olhos e

bocejando quando Dylan se levantou com ele. “Você é muito boa escritora Grace.”

Ela estava despejando o espaguete na travessa e quase o derramou sobre o balcão em

sua surpresa. “Você leu meu trabalho?”

“Eu não estou surpreso que você ganhou um prêmio por sua cobertura desse enorme

terremoto no Chile há alguns anos atrás. Seu amor para escrever histórias bem pesquisada e

compassiva está em cada página.”

Seu rubor, ela decidiu, poderia ser explicado por estar de pé sobre um fogão quente,

embora, ambos sabiam que tinha muito mais a ver com o quanto seu elogio significava para ela.

“Obrigada.” Ela trouxe os pratos sobre a mesa. “Eu posso pegá-lo enquanto comemos.”

“Nós estamos bem,” disse Dylan, fazendo parecer que fosse a coisa mais natural comer

seu jantar com uma criança de dez meses em seu colo, tal como fez na noite passada na casa de

seus pais.

“Ele está normalmente já teria apagado a esta hora da noite. Eu acho que ele esteve tão

animado por ter você aqui que ele quis espremer cada gota de brincadeiras de você.”

“Eu sei exatamente como ele se sente,” disse Dylan quando Mason acariciou a cabeça

com mais força contra seu ombro e fechou os olhos. Ele olhou por cima de seu filho, seu olhar

rapidamente mudando de carinho pelo bebê para aquecer a ela. “Foi uma boa noite, não foi?”

“Foi.” Obrigou-se a pegar o garfo e torcer o espaguete pele mesmo que ela não achasse

que fosse capaz de comer muito com Dylan tão perto... e tão masculino. “É bom ter um amigo para

passar o tempo.”

Ela meio que esperava que ele salientasse que até agora eles tinham claramente

transitado de apenas amigos. Mas Dylan, ela estava descobrindo, raramente fazia o que as

74
pessoas esperavam que ele fizesse. Então, depois de dizer a ela que seu espaguete poderia

muito bem rivalizar com o da sua tia Mary, ele disse: “Conte-me sobre seus pais.”

Ela não pôde parar a corrida de angústia. “Eles morreram.”

Ele largou o garfo e se estendeu para outro lado da mesa para cobrir sua mão. “Sinto

muito.”

“Eu também.” O calor, a força de sua mão sobre a dela ajudou a continuar. “Minha mãe

ficou doente com câncer de pulmão, quando eu estava na escola primária. Ela nunca fumou,

mas seu pai foi um fumante ativo durante a sua infância. Meu pai e eu, nós dois ficamos

devastados, mas ele nunca perdeu uma batida. Ele esteve lá por mim a cada segundo. Nós

fomos sempre próximos, mas nos tornamos ainda mais próximos depois que minha mãe

morreu.” Ela virou a palma da mão para cima para que ela pudesse agarrar a mão de Dylan.

“Dois anos atrás, ele estava voltando para casa de um jogo de beisebol quando alguém que

tinha bebido muito no mesmo jogo atravessou um sinal vermelho. Os paramédicos disseram

que ele morreu instantaneamente, que provavelmente não sentiu dor.” Mas ela sentiu. Dor que

ainda podia aparecer do nada. “Eu sinto falta dele todos os dias, muito, do jeito que eu ainda

sinto falta de minha mãe. Mas muito mais quando Mason faz algo novo, como seu primeiro

sorriso, ou quando ele começou a engatinhar. Meu pai, minha mãe — eles nunca chegaram a

ver essas coisas. E Mason nunca vai conhecer seus avós.”

Ela não soube quando Dylan se aproximou o suficiente para puxá-la contra ele para que

o bebê estivesse encostado em um ombro largo e ela na dobra do outro.

“Eles criaram uma grande uma mulher, Grace. E você está fazendo apenas um trabalho

tão grande com Mason.”

“Ele se parece com meu pai. Os mesmos olhos. O mesmo sorriso bobo.”

Mason piscou os olhos turvos abertos e estendeu a mão para ela então, e ela sabia que ia

se arrepender na manhã seguinte por mantê-lo até agora acordado, passado a sua hora de

75
dormir, mas não queria que a noite com Dylan acabasse também. Não quando realmente foi

uma noite perfeita.

Tão perfeita que ela não achava que poderia viver consigo mesma se não explicasse

exatamente por que estava tão decidida que eles fossem “apenas amigos” depois de um beijo

que provou que poderia ser muito mais.

“Eu sei que nós apenas começamos a comer, mas eu preciso colocar Mason na cama.

Mas, por favor, fique e termine o jantar. E se você não se importar em ficar um pouco mais, eu

gostaria de responder à pergunta que você me perguntou ontem à noite.”

“Claro que eu vou esperar Grace. Enquanto você me necessite.” Ele deu Mason um

beijo na testa. “Boa noite, rapaz. Bons sonhos.”

Os olhos de Mason se abriram novamente, e quando ele franziu os lábios para dar

Dylan um beijo de boa noite — algo que ele só tinha dado a ela antes de hoje à noite — O

coração de Grace saltou dentro de seu peito.

A partir do olhar no rosto de Dylan, ela sabia que o dele também tinha.

76
Capítulo Dez

Independente de como o dia de Grace foi difícil ou louco, o ritual de pôr Mason para

dormir sempre superou seu dia. Nessa noite, porém, ela tinha impressão de que nada pararia as

vibrações em sua barriga. Porque apesar dela estar prestes a dizer a Dylan sobre seu passado

para ele entender por que ela não poderia sair com ele, isso não mudava o fato de que ela ainda

ficaria sozinha em sua sala de estar com o homem mais sexy vivo.

Ela resistiu ao impulso de arrumar o cabelo ou maquiagem antes de voltar a vê-lo,

assim como ela não se permitiu insistir sobre sua roupa. Jeans e uma camiseta eram perfeitos

para uma visita ao aquário e continuariam perfeitos para uma discussão honesta entre amigos.

Ela ficou surpresa ao descobrir que Dylan tinha limpado a sala de jantar e cozinha.

“Você não tem de fazer isso.”

“Você conheceu minha mãe, então você deve saber que um Sullivan nunca se esquiva

da limpeza. Você tem certeza que não quer que eu aqueça de volta seu jantar?”

Ela balançou a cabeça, mas pegou seu copo de vinho antes de se sentar no sofá. Assim

que ele se sentou ao lado dela, ela disse: “Ontem à noite, você me perguntou por que eu não

queria namorar você. Eu sei que soa como um clichê, mas não é você, sou eu. Eu conheci o p...”

Ela balançou a cabeça, incapaz de usar a palavra pai. Não quando Richard nunca tinha sido,

nem por um único segundo. “Eu estava pesquisando a história sobre fundações de caridade. Ele

é um dos principais especialistas em instituições de caridade familiares, porque ele vem de uma

família influente de Washington com dinheiro legado.” A ironia era que a família toda pensava

que era tão boa, tão caridosa, e quando ela conheceu a verdade já estava grávida. “Eu pensei

que só porque ele passava seus dias dando dinheiro, isso significava que ele era uma boa

pessoa, também. Assim, mesmo sabendo como fazer boa pesquisa aprofundada sobre as

77
pessoas, eu deixei de olhar mais profundo pelo fato de ele trabalhar para uma organização que

ajuda pessoas em necessidade.” Ela não tinha orgulho disso, mas ela precisava que Dylan

soubesse. “Ele era tão bom me tirando da realidade, me levando em seu avião particular e

jantares em coberturas apenas para nós dois que depois as coisas terminaram com ele, eu jurei

que não deixaria isso acontecer comigo de novo, cair por um rosto bonito e palavras lisas só

porque eu posso estar me sentindo só.”

“Estou feliz que você pensa que minha cara é bonita,” Dylan disse com um pequeno

sorriso nos lábios “mas nada do que eu disse a você foi esperteza.”

Ela queria acreditar nele, queria que fosse fácil para ela tomar todas as coisas boas que

ele dissera. “Eu nunca fui uma daquelas filhas que tiveram de se rebelar. Mas uma vez que

meus pais se foram, eu me senti tão perdida...” Ela se conteve. “Parece que eu estou dando uma

desculpa para o que eu fiz, para as escolhas que fiz.”

“Não, parece que você é humana. Como se estivesse sofrendo e precisava de alguém

para confortar. Mas em vez disso, ele a machucou.” A raiva brilhou nos olhos de Dylan. “O que

ele fez quando você disse que estava grávida?”

Ela não estava planejando ir para o âmago da questão nesta noite. Mesmo que ela não

dera nenhum nome, ela provavelmente falou demais. Mas depois de ter um copo de vinho com

o estômago vazio, ela não conseguia parar. Especialmente quando Dylan era um bom ouvinte

e... e a única pessoa com que ela já tinha falado sobre isso.

“Ele agiu como se eu o tivesse enganado. Como se eu tivesse feito de propósito, para

receber o seu dinheiro, para forçar a se casar comigo, para que eu pudesse viver da fortuna da

sua família.”

“Como ele poderia falar isso quando sabia o quanto você ama o seu trabalho, e que você

nunca faria algo assim? Que você nunca poderia sequer pensar sobre isso?”

“Provavelmente porque ele não se importava com o que eu fazia. Ele não respeitava a

minha carreira, ou minha ou a de qualquer um. Eu nunca em um milhão de anos quis me tornar

78
uma mulher mantida. Nunca. Mas desde que ele não acreditava, ele me disse que o meu truque

de ficar grávida não iria dar certo. Quando eu jurei-lhe que foi um acidente, que ele sabia que

tinha usado proteção, ele não quis ouvir. E ele me disse...” Seu estômago revirou. “Ele me disse

para desfazê-lo.”

A maldição de Dylan foi suave, mas poderosa, no entanto. “O bastardo não merecia

você.”

“Eu sei que ele não merecia. Acho que eu sabia muito antes daquela noite, na verdade.

Nós sempre fomos sozinhos, apenas nós dois em um iate ou em uma suíte de hotel chique ou

meu apartamento. Eu pensei que era porque ele queria me conhecer melhor antes de ele me

apresentar a seus amigos e familiares. Mas o que ele realmente estava fazendo era me esconder

deles e da outra mulher com quem ele estava, na verdade, só se casaria com alguém que fosse

infinitamente mais apropriado em seu mundo. Mas eu não queria ficar sozinha, então eu não

parei de vê-lo, mas eu deveria ter parado.”

Ela fez uma pausa, tomou outro gole de vinho para tentar se firmar. Mas foi inútil. Não

quando ela tinha uma parte ainda pior da história para contar.

“Eu ainda estava sofrendo com a reação dele naquele dia... tentando envolver minha

cabeça em torno de ter um bebê, quando tive um par de visitantes inesperados. Seus pais não

querem correr o risco de deixar nada ao acaso. E, eu acho que eles eram usados para limpar a

bagunça de seu filho ao longo dos anos ao oferecer o dinheiro deles. Eles me deram o dinheiro e

tentaram agir como se fosse um presente. Mas eu os fiz dizer-me em voz alta para o que era.

Eles esperavam que eu me livrasse de Mason e esquecer que eu já tive algo a ver com o seu

filho.”

“Diga-me o nome dele, Grace.”

Ela sabia que não deveria, mas uma vez que ela já tinha sido louca o suficiente para

dizer a Dylan muito mais do que ela tinha a intenção de contar a alguém, não seria difícil para

ele juntar os pedaços. “Richard. Richard Bentley.”

79
Suas sobrancelhas subiram com surpresa até mesmo enquanto seu olhar fervia de fúria

óbvia. “O ex-senador e sua esposa deram-lhe dinheiro e disse a você para seu bebê

desaparecer?”

“É por isso que eu deixei Washington. Não porque eles me pagaram para... não

descontei seus cheques, mas porque eu não podia arriscar a deixá-los ou Richard ver que eu

tinha decidido ter o bebê.”

“Será que eles sabem onde você está?”

“Não. Pelo menos, eu não acho que não.” Ela tentou manter o resto de continuar, mas

não conseguiu. “Richard está tendo problemas para engravidar sua esposa. Eu vi umas duas

notícias on-line sobre isso nesta semana. Até agora, eu tinha a impressão de que Richard e sua

família pensaram que eu era tão insignificante e tão carente de força, que eles não se

incomodaram em tentar me rastrear depois que eu deixei Washington. Especialmente tendo em

conta que eles me disseram que se eu tentasse dizer uma palavra contra eles, contra sua

caridade, ironicamente a que ajuda a mulheres desfavorecidas, eles teriam as pessoas do lado

deles. Ninguém acreditaria em uma mulher que teve claramente o propósito de levar o filho a

se casar com ela para arrumar sua vida.” Ela respirou fundo. “Mas agora que eu sei que Richard

pode não ser capaz de ter o herdeiro Bentley que todos estavam esperando que a esposa dele

daria...”

“Eu posso ajudá-la, Grace. Eu posso ajudar manter você e Mason a salvo deles.”

Ela lhe deu um pequeno sorriso para que ele soubesse que ela apreciava a sua oferta,

mesmo que ela não pudesse jogar seus problemas em cima dele. Deus, ela só conseguia

imaginar que confusão seria, especialmente desde que ela viu naquela tarde que pelo menos um

dos primos de Dylan fazia parte dos mesmos círculos dos Bentleys. A família de Dylan não

nada mais do que boa para ela e Mason. Ela não queria arrastar essa família para sua confusão.

“Quando você falou durante a nossa entrevista sobre navegar através de uma

tempestade, eu percebi que vivi isso. Descobrir estar grávida e, depois, perceber que seria uma

80
mãe sozinha foram uma das coisas mais assustadoras que eu já vivi, mas também uma das mais

belas. Meus pais sempre me disseram para ser forte, mas nunca fui realmente testada antes e

nunca soube do que eu era capaz. Ou o tão forte eu poderia de fato ser. Agora eu sou e tenho

um plano de como combatê-los apenas no caso de eu precisar. Mas obrigado por se oferecer

para nos ajudar. Honestamente, é o suficiente você fazer esta história comigo. Isso já ajuda

muito.”

“Você é tão malditamente forte, Grace, e quem não puder ver é um idiota total.” Já

houve alguém que olhou para ela com tal respeito e admiração? “Meu irmão Rafe é um PI e Ian

é um dos homens mais ricos do mundo, com laços comerciais com praticamente todo mundo.

Meus irmãos podem ajudar a garantir que nada aconteça com você e Mason. Deixe-me falar

com eles. Vamos fazer absolutamente tudo para que seu ex e família dele não cheguem até

você.” Ele pegou a mão dela na sua. “Eu prometo a você que eles continuar sem saber sobre

você. Eles não vão mexer em nada.”

Era tão avassaladora a maneira como ele estava se oferecendo para ajudar de qualquer

maneira que podia para mantê-la e a seu filho seguros. “Mas nós...”

Ela parou antes de protestar que eles só tinham acabado de se conhecer. O que importa

o tempo, quando Dylan estava oferecendo ele próprio e a família para manter seu filho com

segurança com ela?

“Sim,” ela finalmente disse. “Ok.”

“Você vai deixar-nos ajudar?”

Totalmente dominada pela emoção de todos os lados, ela balançou a cabeça. “Eu

gostaria que, na verdade, não caia sobre mim mais uma vez.”

“Obrigado por confiar em mim, não só para ajudar, mas também por me contar sobre

seu passado.”

“Eu não podia deixá-lo pensar que havia algo errado com você.” Percebendo que soou

estranha, ela rapidamente acrescentou: “Quero dizer, obviamente, você se olhou no espelho,

81
então você sabe que não é o problema.” Ugh, só piorou as coisas, mesmo com ele sorrindo

quando ela disse isso. “É agora que você sabe em que ponto estou na minha vida e de onde eu

venho, você pode entender porque eu prometi a mim mesma que não faria o mesmo erro

novamente. Eu não posso saltar em um relacionamento agora e honestamente não sei quando

ou se eu serei capaz novamente. Não agora que tudo dentro de mim está acabado.”

“Acabado?” Ele balançou sua cabeça. “Não havia nada de morto no beijo que

compartilhamos na noite passada.”

Ela sabia que ele estava certo. Não havia nenhum ponto para negá-lo, assim uma parte

de seu argumento se desfez. “Você está certo,” disse ela, “não havia. Mas um beijo não muda

nada.”

Grace tinha passado tempo suficiente com Dylan nos últimos dois dias para saber como

ler o olhar dele. Instinto era vital para ele, mas isso não significava que ele não tomaria tempo

para pensar sobre as coisas. Agora, ele estava processando tudo o que ela tinha dito.

“Depois do que passamos,” ele finalmente disse: “Eu posso entender como deve ser

difícil confiar em alguém. Especialmente em outro homem.”

Ela ficou surpresa, muito surpresa, na verdade, que o que ela tinha dito pareceu ser o

suficiente para fazê-lo voltar atrás sobre querer sair com ela. Foi o que ela disse a si mesma que

queria, mas...

“Bom,” ela se fez dizer. “Estou feliz que você entenda.”

“Depois do que aquele canalha e sua família fizeram com você, qualquer um seria

cuidadoso e levaria as coisas devagar na próxima vez.”

Ela estava com ele e até o fim... quando chegou a devagar e na próxima vez. “Dylan...”

“Se lento é o que você precisa, eu posso ir devagar.”

Ela sabia que não deveria deixar a emoção inundar de volta através dela. Afinal, Dylan

era um piloto campeão e ela duvidava que houvesse sequer um traço de lento em seu sangue.

82
Porém, a construção de veleiros de madeira à mão fosse talvez uma das carreiras mais

meticulosas que ele poderia ter escolhido. Talvez ele pudesse fazer uma promessa de ir devagar e

manter de fato sua palavra.

Ainda assim, ela não poderia simplesmente ceder, poderia? Não podia deixar que uma

simples promessa de que ele seria lento ser o suficiente para mudar de ideia sobre tudo o que

ela tinha certeza por tanto tempo. Ela precisava ser racional. Forte.

“Nos últimos dois dias, eu conheci toda a sua família e passamos duas noites

consecutivas com você. Se essa é a sua versão de lento, nós dois sabemos que não é uma boa

ideia.”

“Isso não está nem perto de toda a minha família,” ele corrigiu com um sorriso antes de

ficar sério novamente. “Eu sei que eu te forcei. É só...” Ela sabia pelo jeito que ele estava

olhando para ela, com os olhos tão escuros, tão intensos, que ela não estava preparada para

tudo o que ele diria em seguida. “Eu vi você e eu soube.”

“Você soube?” Ela podia sentir sua respiração vindo mais rápido, enquanto observava a

mudança acontecer dentro Dylan: do raciocínio e do processamento para instinto masculino

puro. Ela se sentia como ela imaginava o que uma leoa faria quando seu companheiro a

encontrasse. Caçada e subitamente tão faminta por ele como ele estaria por ela. “O que você

sabe?”

Ele estendeu a mão para ela e passou os dedos na bochecha, o suficiente para ela ter seu

coração disparado. “Eu sabia disso.” Ela o assistiu vê-la, e quando ela não se afastou – Senhor,

como poderia? – ele puxou os dedos lentamente até a nuca. “Eu sabia que sua pele seria tão

suave, tão sensível.” Solavancos de emoção aumentaram por todo o corpo enquanto corria as

pontas dos dedos para baixo do pescoço dela sobre sua camiseta, em seguida, para a pele nua

de seu braço exposto pela manga curta. “Eu sabia que você daria esta resposta.” Em algum

momento, ela se aproximou dele, mesmo sem perceber, porque suas mãos estavam segurando

em sua cintura. “Eu sabia que se encaixaria perfeitamente.”

83
Grace sabia que ela devia encontrar mais palavras, mais razões por que ela não poderia

fazer isso, mas ela realmente, realmente não queria encontrar. Não quando foi um tempo tão

longo desde que ela sentiu prazer sensual. E não quando pareceu uma eternidade desde que ela

se sentiu um pouco feminino ou pensou em algo além de seu filho e de seu trabalho.

Ela não via como isso poderia durar, como poderia se transformar em algo real – como

um homem lindo e incrível com uma família maravilhosa e famosa poderia reparar em uma

mulher normal com uma criança de dez meses de idade – e em um futuro. Mas, não tinha

esperado tanto tempo para se sentir desse jeito? Não apenas um ano e meio, mas toda a sua

vida? Para um homem como este que a fez querer, que a fez dela ansiar com cada última fibra

de seu ser?

Na noite passada, ela se permitiu ter um gosto. Um perfeito sabor maravilhoso de

Dylan. Por que ela não poderia ter mais um? Especialmente quando ele estava certo de que ela

era apenas humana.

Demasiado humana para saber como continuar resistindo a ele esta noite...

84
Capítulo Onze

“Eu quero beijar você, Grace. Eu quis beijar uma centena de vezes esta noite. Toda vez

que você sorriu. Toda vez que você riu. Cada vez que seu corpo roçou o meu.”

Seria mais fácil para ambos se ele simplesmente tomasse o que queria, inclinando-se e

conseguindo o beijo. Um beijo sem a sua permissão e sua química incrível assumiria.

Mas ele não tornou mais fácil para ela desde o começo, e ela sabia que ele não iria tornar

agora. O que você quer? era o que ele estava pedindo a ela. Ele estava esperando por sua resposta

com a paciência que ele devia ter aprimorado pelas horas de trabalho em construção de barcos

com as mãos e cérebro mágicos.

Grace não era tão paciente, no entanto. “Eu quis beijá-lo, também, todas as vezes.”

Ela não sabia o que mudou nesta noite, mas isso não importava. Tudo o que importava

era o quão doce era deixar escorrer o prazer através dela, enquanto seus lábios se tocaram.

Durante toda a noite, tinham sido líder até este. Para este beijo. Para suas mãos sobre ela e dela

sobre ele. Ela sabia que agora, finalmente, o aceitou como inevitável.

Beijar Dylan não era fraqueza, não era sobre ter ou não autocontrole suficiente. Pelo

contrário, era sobre ser forte o suficiente para deixar-se ter o que ela queria.

O que ela precisava.

O coração pulou no peito dela e ela perdeu o fôlego quando ele a amava tão ternamente

a boca. Tão sedutoramente. Circulando os braços ao redor de seu pescoço, ela se derreteu contra

ele e sabia desde o baixo gemido que ele deu o quanto ele gostava de tê-la maleável e desperta

contra ele.

“Suave.” Ele pressionou um beijo no canto da boca, e depois mais abaixo de sua

bochecha. “Você é tão suave.” Ela ergueu o queixo para que ele pudesse mordiscar a parte

85
inferior de sua mandíbula. “Seu cheiro é tão bom.” Ele percorreu os lábios na pele sensível de

seu pescoço, mordiscando-a entre beijos. “Você tem um gosto tão doce.” Suas mãos estavam

quentes na parte inferior das costas, ainda mais quentes quando ele as colocou abaixo da barra

da roupa para descansar em sua pele nua. Mas em vez de dar o próximo passo e puxar sua

camiseta sobre a cabeça, ele disse: “Diga-me para parar e eu vou parar.”

Ela adorava que ele era um homem de contrastes profundos. Tão doce, tão gentil... e

ainda assim cheio de paixão e desejo. Desejo que ela podia sentir mal se controlando.

Tudo porque ele a queria com a mesma ferocidade com que ela o queria.

“Não pare. Por favor, não pare.”

Grace se sentiu quente e com formigamento debaixo de suas roupas. Desde o primeiro

momento em que ela o vira, se perguntou como ele seria sob as roupas. Qualquer mulher com

um coração batendo se perguntaria. Agora era sua chance de parar de se perguntar e descobrir.

Forçosamente afastando qualquer pensamento persistente de que ela estava esquecendo

todas as suas lições duramente conquistadas e os votos que ela fez para não repetir seus erros,

ela estendeu a mão para a bainha de sua camisa e puxou-a rapidamente para cima. Ele foi mais

do que feliz em ajudar, se afastando para trás e levantando os braços para que ela pudesse tirar

fora.

Grace, obviamente, não era virgem. Nem de perto, se contasse o ano um pouco

selvagem ela teve na faculdade. Mas... oh meu... não havia um homem vivo que poderia tê-la

preparado para a forma como Dylan Sullivan parecia sem sua camisa. Bronzeado e musculoso.

Magro e afinado pelas velas diárias e madeira.

Perfeito.

Ela não pensou, não podia mais, só poderia colocar suas mãos no peito plano. Sua pele

era tão quente e os músculos saltaram sob seus dedos quando ela explorou a incrível beleza

masculina. Ela era uma péssima pintora, mas se ela pudesse desenhar, ela o tornaria seu

modelo.

86
Mas não foi o suficiente apenas para olhar, tocar. Ela tinha de colocar a boca sobre ele

também. Os lábios dela tocaram apenas seu ombro quando um som baixo, áspero, retumbou em

seu peito. Ela mal teve a chance de manchar sua língua contra ele quando ela se viu deitada de

costas contra o braço do seu sofá com mãos de Dylan em seu cabelo e seus beijos roubando sua

respiração.

Todos os gostos ela tomou dele e, em vez de ficar saciada como ela esperava, só a fez

mais voraz. Cada beijo que compartilharam só a fez querer mais. Mais de sua língua

enroscando com a dela. Mais de seus dentes beliscando seu lábio inferior. Mais de sua

necessidade inebriante por ela.

Ela já tinha desejado, mas nunca assim. E nunca por um homem tão maravilhoso na

sintonia com a forma em dar prazer à uma mulher. Foi natural entregar-se a seu beijo e saborear

suas mãos, grandes e ásperas de trabalhar com madeira, corda e ferramentas durante todo o

dia, sentindo-a mover-se sobre sua pele. A maneira como ele foi gentil e ainda poderoso, tudo

ao mesmo tempo, tirando o controle de Grace, que se derreteu ao seu toque.

Amando o peso de seu corpo sobre o dela, ela instintivamente colocou os braços ao

redor dele e o puxou para mais perto. Ela queria mais. Mais. Mais. Mas então, de repente,

sentiu-o afastar em vez de ficar mais perto.

Ela piscou para ele através dos olhos ofuscados pela luxúria, enquanto ele passou as

mãos sobre o rosto, ombros e, em seguida, os comprimentos de seus braços até que ele alcançou

as mãos, cujos dedos foram unidos aos deles, ela achou que ela sabia o porquê. Dylan não

estava parando porque ele não a queria. Ela podia sentir o quanto ele a desejava.

A razão pela qual ele freou os dois não era porque ele estava com medo de ter forçado

demais Grace.

Porque ele se importava.

Ele poderia facilmente ter continuado a seduzi-la com beijos e carícias até que ela fosse

estúpida para pensar em tudo. Até que ela não fosse capaz de fazer escolhas, mas apenas

87
mergulhar na sensação. Até que fosse tarde demais para ela perceber que eles estavam

cruzando a linha entre sentir-se alegremente vivos e arrependidos.

Mas a verdade era que parar aqui, agora, quando não tinham ido mais longe do que

dois adolescentes trocando carícias no sofá era algo de que ela definitivamente se arrependeria.

Especialmente se essa era sua única chance de se permitir ter o maravilhoso toque de Dylan.

Ela não queria quebrar o feitiço sexy, mas precisava para ser completamente honesta

com ele agora ou seguir em frente, mas não se sentiria bem para qualquer um deles.

“Eu não posso fazer sexo com você hoje à noite.” Porque para tão bom como seria, e ela

não tinha dúvida de que seu corpo iria se alegrar, sua mente e seu coração não estavam nem

perto de estar prontos para tal intimidade. “Eu não sei quando eu vou estar pronta para isso de

novo. Mas...” Ela lambeu os lábios, viu seu olhar faminto momentaneamente em sua boca antes

que voltar para para seus olhos novamente. “Quero isso. Quero você. Quero o seu corpo contra

o meu. Quero a sua boca, suas mãos em mim. Quero...”

Foi assustador dizer todas essas coisas, assustador até mesmo pensar depois que ela

colocou-se em um congelamento seguro por tanto tempo. Mas Grace sabia com certeza absoluta

que seria muito pior permanecer afastada do que assumir um risco. Não importaria o que

acontecesse depois desta noite, se eles decidiriam continuar mais lentamente ou concordar em

retroceder, ela se recusou a se arrepender em redescobrir o prazer. Redescobrir a si mesma. Não

quando ela percebeu que foi mais uma coisa que seu ex tentou tirar dela: a confiança em sua

sensualidade natural, suas respostas femininas e saudáveis para ser tocada, beijada, querida.

Ela não deixaria seu ex continuar a tomar isso dela. Não poderia deixá-lo.

“Quero me sentir como uma mulher de novo, Dylan. Quero lembrar o que é me sentir

sensual. Ser desejada. Preciso de mais um pouco tempo. E eu quero conseguir com você.”

Ela mal tinha acabado de falar quando sua boca cobriu a dela novamente. Em seu beijo

tão doce, ainda perigosamente sexy, tudo ao mesmo tempo ela sentiu sua promessa de dar tudo

o que ela precisava.

88
*****

Apesar de Dylan amar seus barcos e o mar, as mulheres sempre superaram ambos. Ele

adorava ouvir uma mulher rir. Amava ver o flash de fogo nos olhos de uma mulher forte. Mas

nada que ele já tinha experimentado chegou perto de como foi bom sentir ter Grace em seus

braços, o coração disparado no compasso com o dele, sua boca docemente sedutora contra a sua

enquanto se beijavam.

Ele a quis à primeira vista. Ele gostou dela assim que ela ficou na sua casa de barcos e

tentou convencê-lo a dar a entrevista. E agora, nada mais do que uns poucos minutos que ficou

com ela em seu sofá da sala, ele sabia que imploraria a ela para o resto de sua vida.

Suas mãos ainda estavam unidas quando ele deslizou sob sua camiseta, sobre a pele

macia de seu estômago, passado sua caixa torácica, finalmente parando em seu sutiã. “Toque-

me,” ela respirou contra sua boca antes de ela colocar suas mãos sobre os seios fartos. “Eu

preciso que você me toque.”

Ele pôde sentir o calor através do sutiã de seda suave e mal se conteve em rasgar isso

dela. Seus mamilos estavam duros contra as palmas das mãos e, embora ele tentasse ser gentil,

não conseguia controlar o desejo capaz de provocar um acidente vascular cerebral.

Sentia-se no paraíso, mas não foi suficiente apenas tocar. Ele precisava ver, também.

“Eu quero ver seus seios.”

Ela não hesitou em pegar a bainha de sua camiseta. Mas ele tinha um inferno de uma

fantasia e o que estava morrendo de vontade de ver se tornava realidade. Então ele moveu suas

mãos para as dela novamente e as levou à boca para um beijo antes de colocá-las acima de sua

cabeça.

89
“Eu quero que você fique parada e me deixe ter o prazer de despir você. Pode fazer isso

por mim?”

Seus olhos se arregalaram, e ele viu seu movimento na garganta antes de responder.

“Sim...?”

Era, ele encontrou-se pensando, como desembrulhar um presente muito esperado. Ele

estava dividido entre rasgar a camiseta ou puxá-la lentamente para saborear a antecipação.

Desejo incontrolável tomou a decisão por ele e, segundos depois, a camiseta estava no tapete da

sala ao lado da dele.

Deitado diante dele vestindo apenas um sutiã de seda branca simples, ela roubou o

fôlego. “Você é linda, Grace.”

“Eu sempre fui cheia de curvas,” ela disse em uma voz suave como ela olhou para baixo

para seguir o caminho de suas mãos curtindo ao longo de suas costelas até que ele estava mal

acariciando a parte inferior dos seus seios através da seda. “Mas desde que eu tive Mason estou

com mais curvas ainda.”

“Outra razão para amar aquele garoto,” ele murmurou ao tocar as palmas das mãos

totalmente no corpo dela. “Seu corpo, seus seios, cada parte de você é perfeita.”

“Eu não estive com ninguém por um longo tempo. Não desde que eu descobri que

estava grávida.”

Isso significava mais para ela do que Dylan jamais saberia que ela estava confiando nele

para estar com ela, não só desde que teve Mason, mas também desde que foi tão terrivelmente

traída. Ele sentiu o peso, a responsabilidade, de ganhar a sua confiança, assim como ele deu

graças silenciosas para o universo por ser dada esta oportunidade de provar que era digno dela.

Mesmo não conseguindo encontrar as palavras certas para persuadi-la a ver o quão

bonita ela era, ele poderia fazê-lo com beijo. Lentamente, como ele amava a boca na sua, ele a

sentiu relaxar novamente embaixo dele e soube quando ela se esqueceu de ser tímida, porque

ela enroscou os braços ao redor do pescoço dele e arqueou-se contra ele.

90
Era um crime Grace acreditar, por qualquer motivo, que ela estava “acabada”. Dylan

queria esta noite para fazê-la sentir-se bem. Tão bem que ela nunca seria capaz de questionar a

sua inata sensualidade novamente.

É claro que queria protegê-la. Claro que nunca faria nada para prejudicá-la. Mas, ao

mesmo tempo, respeitava demais para tratá-la como porcelana. Grace já tinha provado uma e

outra vez que ela não era quebrável.

Lembrando-se da falta de fôlego e pupilas dilatadas quando ele pediu-lhe para manter

suas mãos acima de sua cabeça enquanto ele a despia, ele tirou a boca da dela. “É hora de

colocar suas mãos acima da sua cabeça.”

Mais uma vez, sua respiração se acelerou e os olhos escureceram. Ele podia ler os

pensamentos que cruzavam seu rosto bonito: Será que ela ousa confiar nele? Não só em a ser

sua primeira vez depois de um longo período de seca... mas nisso?

Mas então, como ele esperava, a expressão corajosa e determinada que ele já passou a

conhecer tão bem retornaram. Lenta e tão sedutoramente que não importava quem estava

dando os comandos sensuais, ela tirou as mãos do pescoço dele e as levantou de volta para o

braço do sofá.

“Sempre que eu toco em você, sua pele esquenta,” ele murmurou enquanto pastavam

as pontas dos dedos sobre ela, provocando ambos. “Você sabia disso?”

Assistindo o caminho de suas mãos sobre ela, ela disse em uma voz ligeiramente sem

fôlego: “Tudo que você tem a fazer é olhar para mim e eu me aqueço toda.”

Ele tinha que beijá-la novamente, então, para que ela soubesse o quanto ele gostava de

ouvi-la.

“É o mesmo para mim,” ele disse a ela, mudando apenas o suficiente para que ela

pudesse sentir o quanto ele a queria. Como quente, o quão rápido o seu sangue estava

bombeando, tudo para ela. “Você não tem ideia. Nenhuma ideia do quanto eu quero você.”

“Então me mostre, Dylan. Por favor, mostre-me agora.”

91
Capítulo Doze

Permissão concedida, Dylan não se deixou pensar demais sobre seus instintos ou sua

necessidade feroz para ela, ele simplesmente pegou dois punhados de seda e rasgou. Mas no

final, ela não era o de perto mais atordoada, ele estava... Era os seios mais perfeitos que ele já

tinha visto.

Suas mãos batendo boca com ela por uma fração de segundo, e então ele estava

tocando, acariciando, beijando, lambendo. Primeiro na doce, carne macia, e então a ponta

endureceu de novo e de novo e de novo. Ele estava faminto por ela, desesperado por mais,

cheio de uma fome como se fosse nada que ele já tivesse conhecido.

Grace gemeu seu nome como ela arqueou as costas para que ele pudesse ter mais dela.

Ele tirou suas calças de brim dentro de segundos e teria rasgado sua calcinha em dois

exatamente como ele tinha rasgado seu sutiã se não tivesse precisado parar para tirar uma foto

mental de quão bonita ela olhou. Ele cobriu a seda úmida entre as pernas dela com a mão e

soltou uma maldição baixo quando percebeu o quão quente, como ela estava pronta.

“Não pare,” ela insistiu com ele. “Por favor, não pare agora. Eu preciso de você para me

tocar, Dylan. Eu preciso dele demais. Eu nunca precisei como isto. Nunca.”

“Nem eu.” Era a verdade e ele estava sendo honesto e sabe Deus como. Olhar

atentamente, sentindo Grace vir distante estava indo para destruí-lo.

Dylan estava dividida novamente entre provocação e tomada. Mas também sabia que

quanto maior ele a levou antes que ele deixá-la ir, melhor ela se sentiria, então ele forçou-se a

empurrar de volta o animalesco instante a que ela se mexeu-se de uma maneira que ninguém

mais tinha, e balançar para trás em direção construindo uma antecipação. Então, em vez de

rasgar sua calcinha, ele acariciou lhe através dela em vez disso.

92
“Dylan –” Ele adorava ouvir sua respiração presa. “Oh Deus... Apenas como aquilo.

Mantenha-me tocando desse jeito.”

Ela estava segurando o braço do sofá atrás dela enquanto trabalhava para empurrar-se

ainda mais contra ele, e foi mãos para baixo a coisa mais sexy Dylan já tinha visto em sua vida.

Observando-a obter-se fora contra ele, ainda usando sua calcinha, seus peitos cheios saltando a

cada respiração, ele cresceu tão duro sob o zíper da calça jeans que imaginou que iria estourar

aberto em breve.

Ela, obviamente, adorava quando ele pegava suas mãos e as manteve acima de sua

cabeça. Algo lhe dizia que um pouco de conversa suja iria passar por cima tão bem. “Goze para

mim, Grace. Assim como está, montando minha mão. Deixe-me ver como você é linda quando

deixar-me ajuda-la levando-a ao limite. “

Suas pálpebras finalmente se fecharam, os lábios molhados dela estavam lambendo

ligeiramente abertos, e seu corpo se curvou em sinal de rendição com o doce prazer.

Dylan nunca tinha visto nada tão surpreendente bonito em toda a sua vida como Grace

estremecendo contra ele chegando no clímax. Como tinha tido sorte o suficiente para ser o cara

aqui com ela, o cara que ela estava confiante para dar prazer de volta, nunca se sabe. Tudo o

que sabia era que seria grato para sempre.

Ele não esperou por ela gozar, não podia esperar mais um segundo para tocar-e-

saborear sua pele nua, molhada, aquecida. Silenciosamente prometendo comprar uma nova

seda para substituir este conjunto, o animal dentro dele finalmente veio completamente

desencadeado quando rasgou sua calcinha.

Quando ele encontrou-a com seus lábios e língua, ela fez um som que pensou que

poderia ter sido seu nome, mas ele mal podia ouvir acima do rugido de seu coração batendo em

seus ouvidos. Onde tinha estado a ponto de ir suave e sem ossos no final do seu primeiro

clímax, tão logo ele passou a língua sobre ela, Dylan podia sentir seu pênis começar a subir

93
novamente. Talvez fosse pedir demais para esta noite, para que ela saia de uma frente fria em

linha reta no calor escaldante de múltiplos orgasmos – Mas, Senhor, que ele queria.

Queria para ambos.

“Mais uma vez,” ele pediu a ela como ele alisou os dedos, primeiro um, depois outro,

dentro dela. “Eu preciso sentir você gozar novamente, Grace.”

Ele olhou para cima de seu corpo enquanto ele jogou sobre ela com as mãos, uma entre

as coxas, e outra em seus seios deliciosos, e quase perdeu quando viu quão perto estava a dar-

lhe outra versão doce. Ela não estava lutando com ele, não estava lutando contra si mesma. Pelo

contrário, era exatamente como ela havia dito e assim como ele esperava: Ela estava

recuperando sua sensualidade, deixando-se ir com ele está noite, direto para a borda dos limites

que ela estabeleceu apenas há pouco tempo. Limites ele nunca iria desrespeitar não importa o

quanto ele a queria. Ele nunca iria machucá-la. Nunca.

Dylan baixou sua boca de volta para sua pele doce ao mesmo tempo como empurrou

dois dedos dentro. Ele curvou-os contra sua carne interior sensível tal como ela quebrou, seus

músculos segurando firmemente em seus dedos enquanto ela se balançava em sua mão

novamente e novamente.

Depois, ele beijou o interior de ambas as coxas, em seguida, fez o seu caminho

lentamente fazendo de apoio o seu corpo enquanto ela trabalhava para recuperar o fôlego.

“Aquilo foi…”

Ela parou de falar quando ele passou as mãos até os comprimentos dos braços e enfiou

os dedos de volta através dela. Ele amava como estava macia, como ela parecia relaxada agora

como piscou para ele.

“Eu sou uma escritora. Eu deveria ter palavras para o caminho que você acabou de me

fazer sentir. Mas eu não.”

94
“Você acabou de fazer,” ele disse a ela pouco antes de ele se inclinar para beijá-la, suave

novamente, apesar do fogo inextinguível em fúria em seu sangue. “E eu estou ali com você,

completamente atordoado e sem fala como você é linda.”

Tão bonita, e tão confiante, que ele sabia que precisava para fazer a coisa mais difícil do

mundo.

“Eu deveria ir.” Ele a beijou novamente. “Em breve.” Mais um beijo e ele se obrigou a

tirar todo o caminho de volta, trazendo-a com ele, nua e suave em seus braços. “Agora.”

“Mas você não teve nada.”

Ele a beijou novamente antes que ela pudesse arrancar o fio muito fino de controle que

ainda estava conseguindo segurar. “E eu não vou. Não essa noite. Não até que você esteja

pronta para mais.”

“Eu ainda não estou pronta para ter relações sexuais,” disse ela baixinho. “Mas isso não

significa que você precisa para sair agora. Tão cedo. Não antes de tocar em você, também.”

Ele foi tentado. Então maldito tentado que suas mãos tremiam quando ele pegou o

cobertor do outro braço do sofá e enrolou-o em torno dela. “Quando eu disse que eu quero você

mais do que eu sempre quis qualquer outra pessoa, eu quis dizer isso. É por isso que eu não

vou ficar. Não essa noite. Não até que você possa jurar para mim, mesmo sem a menor

hesitação que você está pronta para mais. Porque quando esse dia chegar, é melhor você

acreditar que eu não estou indo a pé. Ou parando. Não até que nós dois estaremos tão

transbordando de prazer, com o outro, que nós vamos estar levantando a bandeira branca em

conjunto.”

“Obrigado,” disse ela suavemente como ela enfiou o cobertor mais firmemente em

torno de si mesma, em seguida, passou a mão pelo cabelo que ele tanto gostava do

emaranhamento em suas mãos como ele a beijou. “Não só para uma grande noite, do início ao

fim, mas também para sair quando seria muito mais fácil não fazer isso.”

95
Ambos, em seguida, os pés descalços que espreitavam para fora sob o cobertor

vermelho macio. Que beleza que ela era. E o que um tolo seu ex tinha sido não a amá-la.

Ele passou os dedos em sua bochecha uma última vez, deixando a ponta do polegar

atrasar o lábio inferior exuberante. “Bons sonhos, Grace. “

Ele mal tinha dado um passo para trás quando ela surpreendeu o inferno fora dele

segurando sua camiseta em seu punho e puxando-o para dentro dela. Seu beijo foi quente e com

fome e tão doce como o primeiro beijo tinha sido na noite anterior, mas cheio de uma nova

confiança. A confiança que ele sabia que ela deve ter possuído antes do babaca rico de DC tinha

feito tudo o que podia para pisar tanto seu coração e sua vida, aos bocados.

*****

Dylan sabia que não podia empurrar Grace muito duro, ou muito rápido, mas fazendo-

se ir embora quando ele a queria mais do que jamais quis qualquer uma, ou qualquer coisa, em

toda a sua vida foi uma das coisas mais difíceis que ele já tinha feito. Ele adorava vê-la molhada

e necessitada e sabendo que era por causa de seus beijos, carícias. Mas a alta de seu gosto, seu

cheiro, o pequeno doce sons que ela fez como ele brincava com ela sobre a borda e não apenas

uma, mas duas vezes por nenhuma dessas coisas poderia fazê-lo esquecer a sua fúria contra seu

ex ou sua preocupação de que um dos os Bentleys voltariam um dia para machucar Grace e

Mason.

A vida de Dylan tinha sido boa. Ele não tem nenhum demônio principal, qualquer

escuridão séria em seu passado, ou conflitos internos que o mantinham preocupado e virando à

noite.

Não até agora.

Porque ele tinha seus demônios agora.

96
Ele nunca tinha sido um homem violento. Ian, Rafe, e Adam tinha sido sempre muito

mais propensos a usar seus punhos. Mas, pela primeira vez, Dylan mal conseguia pensar além

da vontade de rastrear o bastardo que a tinha machucado e bater o rosto do cara.

Ele pegou seu telefone celular como ele deslizou atrás do volante e puxou seus irmãos

em um texto grupo.

Necessidade de cumprir sobre como manter GRACE E MASON SEGUROS.

MINHA CASA. HOJE À NOITE.

Até o momento ele puxou em sua garagem, seus irmãos tinham deixado cair tudo,

como ele sabia que faria, e estavam esperando por ele.

“Diga-nos o que está acontecendo,” disse Ian.

Dylan deixa-os entrar, derramou-lhes todas as bebidas, e bateu o seu antes de

responder. “O que você sabe sobre os Bentleys em DC?”

“Fortune 500. Gerações de dinheiro e trabalho de caridade. Política.”

Dylan bebeu outra dose de uísque de um gole só. “Você pode acrescentar algo mais a

essa lista de escória. O cara que que Grace ficou grávida é um Bentley. Mas isso não é tudo que

eles fizeram.”

Adam se inclinou, sua expressão dura. “O que eles fizeram com ela?”

“Eles tentaram quebrar ela, tentou pagá-la fora para se livrar de Mason, e ficar quieta

sobre ter nada a ver com eles.”

“O ex-senador é o pai de Mason?” Rafe perguntou, incrédulo.

“Não. O filho. Richard Bentley. Ele acusou-a de tentar enganá-lo para se casar.” Ele fez

uma careta. “Como se alguém realmente quer se casar com essa família doente e torcida.”

Ian parecia tão furioso quanto Dylan sentia. “O bastardo sempre me pareceu muito

liso.”

97
“O mais limpos que eles parecem na superfície,” Rafe concordou através de seus

próprios dentes cerrados, “o mais sujo para eles sempre estão por baixo. Que outros detalhes

que você tem?”

“Os pais de Richard pagaram-lhe uma visita no dia depois que ela lhe deu a notícia e

empurrou seu dinheiro do pecado para ela enquanto informando-a que se ela já tentou ir contra

eles, eles usariam seu nome e caridade e conexões para esmagá-la.” Adam praguejou baixo e

desde que Dylan colocou tudo para fora para seus irmãos. “Ela não usou um centavo de seu

dinheiro, não queria ter nada a ver com eles. É por isso que ela deixou DC para que não veriam

que ela tivera o bebê, e para que não tentar machucá-la ou Mason. Ela não acha quer Richard

como o pai. Não depois do que ele e sua família fizeram.” O sangue de Dylan estava fervendo.

“Melhor caso, ele quer acreditar que ela está oculta e esquecida, mas com uma família assim,

eles mantem o controle sobre seus erros. E pensam que eles não merecem nada. Tudo o que eles

querem. Se eles devem tê-lo ou não. Especialmente agora que a palavra na rua é que seu ex e

sua nova esposa estão tendo problemas para conceber. E se Richard e sua família perceber que

Mason é o único herdeiro Bentley que vai ter? Eles vão vir atrás dela para tentar roubá-lo.” Ele

jurou. “Eu não posso simplesmente sentar-se à margem. Eu tenho que protegê-la e Mason. Não

posso arriscar alguma coisa acontecendo com eles.” Antes que Rafe pudesse perguntar, ele

acrescentou, “Ela e eu conversamos esta noite sobre falando isso a vocês. Mesmo que eu sei que

ela deseja que poderia lidar com esta situação sozinha, ela vai fazer de tudo para manter seu

filho seguro.”

“Eu vou cavar o cara,” disse Rafe. “a família dele também. O que quer de sujeira que

está sobre eles, eu vou encontrá-la.”

“Eu vou fazer o mesmo no fim do negócio,” Ian disse a ele. “Eu vou descobrir o que

mais a família tem em suas mãos. “ E descobrir onde a arrancar para destruí-los, era a sua promessa

não dita. “Eu também vou verificar com Smith para ver o que ele sabe sobre os Bentleys.”

98
“E eu vou ser responsável por mantê-lo de fazer algo estúpido,” disse Adam. “Eu sei

que você está furioso. Todos nós estamos. Mas agora você precisa deixar Rafe e Ian ver o que

eles podem encontrar, e estar lá para Grace e Mason. Porque ir atrás do bastardo e sua família

agora, sem qualquer programação ou um plano, provavelmente, só levantam questões que não

queremos os Bentleys perguntem sobre Grace ou um bebê que pode não saber nada sobre o

contrário.”

Dylan apreciou o apoio de seus irmãos, era por isso que ele tinha chamando-os, porque

eles sempre funcionaram melhor como uma equipe. E ainda assim, mesmo sabendo que ele não

deve ir para DC e achatar os três Bentleys, odiava ter que esperar, odiava ter que ser paciente

até que eles tivessem mais informações. Ele sempre tinha sido capaz de mudar o que precisava

ser mudado em sua vida, para consertar o que precisava ser corrigido. Claro, tinha ficado às

vezes frustrado, irritado ou em nome de sua família para coisas que tinham acontecido a eles,

mas também sabia que sempre que precisava de ajuda, perguntar para ele porque sabia que iria

sempre estar lá para eles.

Esta noite foi a primeira vez que Dylan já tinha realmente lutado com a futilidade

horrível de saber que ele não poderia apenas fazer a escuridão no passado de Grace ir embora.

“Uma vez que podemos ver que Grace e Mason já são seus,” Ian disse a ele, “isso

significa que eles são nossos também. Portanto, se seu ex ou sua família tentar qualquer coisa,

você pode contar com todos nós para derrubá-los.”

99
Capítulo Treze

Grace tinha passado as últimas trinta e seis horas pensando. Ponderando. Dissecando.

E querendo. Sempre querendo.

Sábado à noite, ela disse a Dylan mais do que nunca tinha contado a alguém sobre seu

passado... E então ela tinha ido um pouco louca em seus braços. O melhor tipo de louco, ela

pensou como ela puxou para o estacionamento de seu ancoradouro. Mas louco no entanto. Ela

esperou para ter um punho firme em tudo por agora, mas a verdade era que ainda estava

dando voltas e voltas em sua mente.

Ela destinou-se à noite para ser nada mais do que amigos que visitam um aquário. Mas

não havia sentido em tentar negar o quão bom – ou quão natural – que tinha sido fazer com

Dylan em seu sofá, para que ela não se preocupar com esse absurdo. Ela também não iria tentar

dizer a si mesma que ela não queria mais de suas mãos grandes e áspera – trabalhando sobre

ela. Não quando ela queria muito mais. Mas ele não tinha dado a ela o que ela estava praticamente

implorando para, não tinha empurrado longe demais. Em vez disso, ele tinha parado e ido para casa

completamente insatisfeito.

Dylan tinha prometido que iriam lento. Dado o seu comportamento na noite de sábado,

parecia que ele quis dizer isso. Era por isso que todo o seu pensamento, todo o seu querer, teve

circulando novamente e novamente para o mesmo lugar: Se eles realmente poderiam manter o

desacelerar, enquanto ela também manteve os olhos bem abertos neste momento, então talvez

seria bom para passar algumas horas sensuais aqui e ali com ele.

Atração, orgasmos eram perfeitamente natural. E quando eles estavam com Dylan, eles

eram perfeitamente perfeito, também.

100
Em qualquer caso, não era como se fizesse com ele significava que eles iriam se casar.

Alguns beijos, alguns orgasmos incríveis, não quis dizer para sempre. As pessoas normais

beijavam e tocavam uns aos outros. E a verdade era que ela estava cansada de lutar contra seus

próprios demônios todo o tempo, cansada de tomar cada passo com cuidado, cansada da

sensação de que ia ter de continuar a pagar para sempre por seu erro com Richard.

Só por um pouco de tempo, enquanto ela e Dylan estavam trabalhando juntos nesta

história da revista, que não podia viver um pouco? Divirta-se, se sentir algum prazer como

qualquer outra mulher normal seria deixar-se sentir com um homem sexy como ele?

Ela tinha sido atordoada pela forma como ele tinha deslocado a partir do homem gentil

que ele sempre foi durante o dia com ela e Mason a um faminto, amante dominante sábado à

noite. Atordoado da melhor maneira possível, ela pensou, como um pequeno tremor ondulou

sobre ela com a memória ainda potente do calor em seus olhos, o desespero em suas mãos,

quando ele tinha rasgado sua lingerie. Ninguém nunca tinha arrancado seu sutiã, a calcinha,

como se ele não podia esperar mais um segundo para tê-la nua por baixo dele. Ele perguntou

ela – disse-o que ele queria que ela fizesse, onde colocar as mãos, mesmo quando a gozar para

ele... E que tinha sido a maior emoção de sua vida, não só para fazer tudo, mas também de

esperar sem fôlego para o seu próximo comando sensual.

Quando ela saiu de seu carro, ela tomou uma respiração profunda do ar do mar

salgado-doce. Era hora de fazer a mudança de pessoal ao profissional, pelo menos por algumas

horas. Voltando a sua garagem de barcos para a sua segunda entrevista foi importante não

apenas para que ela pudesse pedir-lhe as perguntas de acompanhamento, mas também para

que ela pudesse ter certeza que descrevesse a aparência de seu espaço de trabalho

adequadamente.

Claro, que estava certo quando ela virou a esquina do estacionamento... E viu Dylan se

inclinando lixando a lateral do barco no meio de sua oficina, sem camisa, sua pele brilhando de

suor, os músculos ondulando. Oh senhor.

101
Oh senhor.

Ela queria sua boca, suas mãos, seu corpo sobre o dela novamente. Queria vir distante

para ele, sob ele, contra ele, uma e outra vez. Queria descobrir o quanto mais prazer que havia

para ser tido em seus braços.

Ela respirou fundo, e depois mais uma boa medida. Negócios. Ela precisava permanecer na

pista com a sua história.

Mas, como ela deixou o último suspiro ligeiramente irregular ir, ela sabia que ela ia ter

que montar para fora mais alguns segundos de ser uma mulher muito atraída pela primeira vez.

Grace tinha lido vários livros sobre construção de barcos para se certificar de que ela

entendeu o básico, mas assistindo Dylan meticulosamente que lixava uma seção à mão, em

seguida, executava a outra mão sobre a madeira lisa antes de se mudar para a próxima prancha,

quase se sentiu como assistir a um homem com sua amante. Cada barco que ele fez, ela sentiu,

significava muito para ele. Para quem era esse? O homem ou a mulher teria sorte o suficiente

para navegar afastado em um barco que tinha sido tão meticulosamente criado?

Como escritora, Grace viu o mundo através de palavras pela primeira vez. Mas ao vê-lo

no trabalho, ela podia ver o que um documentário fascinante alguém poderia fazer aqui com

Dylan. Tanto a história visual da criação de um barco do início ao fim e um olhar aprofundado

sobre a mente do homem que poderia se transformar tábuas de madeira em magia.

Claro, ela poderia facilmente imaginar que ele nunca iria permitir que qualquer pessoa

para filmá-lo. Não porque estava escondendo alguma coisa. Era simplesmente que por tudo o

que ele tinha aberto o seu trabalho e sua família com ela, Dylan era um homem naturalmente

fechado.

Foi por isso que velejar lhe convinha muito bem. Ele não precisava de elogios. Não

precisam de ser visto por qualquer pessoa como o melhor. Ele simplesmente queria ser livre

para construir barcos. Livre para correr neles. Livre para velejar em um para explorar tudo o

que canto do mundo lhe interessava. E ela não o culpa por querer viver sua vida de acordo com

102
suas próprias regras quando ela queria a mesma coisa para viver a vida de seus sonhos sem

olhar sempre nas sombras, sem sempre se preocupar em ser ferida.

“Bom dia, Grace.”

Dylan colocou a lixa para baixo e se virou para ela com um sorriso. Um sorriso muito

macho que era apenas presunçoso o suficiente para dizer-lhe que ele sabia que ela tinha estado

lá o tempo todo e tinha sido feliz em deixá-la vê-lo trabalhar sem camisa.

Ambos tinham sido felizes com isso, ela pensou como ela devolveu o sorriso. “Agora é

ainda um bom tempo para a nossa entrevista?”

“Claro, mas onde está Mason?”

“Contratei uma babá para ele, para que eu pudesse me concentrar. “

“Eu pensei que você estava indo trazê-lo. Eu vi como meus primos colocou zonas de

segurança para que seus filhos podem jogar em festas. Eu estava planejando isso.”

Ele era doce, tão incrivelmente doce para sempre pensar incluindo Mason. Mas mesmo

se seu filho poderia ter jogado feliz em uma área isolada da casa de barcos enquanto eles

fizeram a entrevista, Grace queria ter certeza de que eles não poderiam apenas cair tão

facilmente em vez de fingir – família novamente. Seria fácil demais, ela já podia ver, para cair na

fantasia que os três eram realmente uma unidade.

Isto não é para sempre, ela se lembrou. Um dia Dylan iria navegar para longe, enquanto ela e

Mason ficariam aqui. Mas até lá, eles apreciariam a cada segundo com ele.

“Ele parecia bastante feliz com a babá bonita, na verdade.” Grace tinha lembrou

repetidamente na última meia hora que ela não poderia cuidar de seu filho a cada segundo. Um

par de horas com uma babá estaria bem, mesmo deixando-o esta manhã foi uma das coisas mais

difíceis que ela já tinha feito.

Grace mudou mais para dentro da casa de barcos. “De quem é este barco?”

“Promete que não vai contar?”

103
Ela era a única franzindo a testa agora. “Se você não quer que eu fale sobre algo em

minha entrevista, é claro que eu não vou.”

“Não, essa não é a razão.” Ele estendeu a mão e se sentiu tão natural para levá-la. “É

para a minha família.”

Surpreendeu-a e a tocou, ela perguntou: “Eles não sabem sobre isso?”

“Se eles soubessem, podem pensar que eles precisavam para se sentir mal sobre mim

ignorando a lista de espera para eles.”

“Quanto tempo é a sua lista de espera do cliente?”

Ele deu de ombros. “Vou dar uma olhada novamente na próxima semana.”

“Por que eu tenho a sensação de que você paga tanta atenção à sua lista de espera como

você faz no seu telefone tocando?”

“Porque você já me conhece tão bem.” Ele a puxou para mais perto. “Eu sei que você

está aqui para me entrevistar hoje, não para sair comigo, mas eu passei a cada segundo desde

sábado à noite pensando em te beijar de novo. Apenas um e depois vamos começar a trabalhar.

Eu prometo.”

“Bem,” ela disse suavemente, “uma vez que você provou para mim no sábado à noite

que você é bom em manter suas promessas, só uma... Uma vez que nós realmente precisamos

para chegar à entrevista.”

“Então eu vou ter que fazer valer a pena, não vou?”

Antes que ela pudesse levá-la próxima respiração, sua boca estava sobre a dela.

Despertando. Seduzindo. Devastando. E desafiando-a a derramar tanto paixão de volta para

ele. Instintivamente, ela respondeu a esse desafio com tanto calor e paixão que antes ela sabia

que seus braços estavam em volta do pescoço, as pernas estavam envolvidos em torno de sua

cintura, e suas mãos estavam em seus quadris para mantê-la firme contra ele enquanto

tentavam chegar tão perto uns dos outros como possivelmente no meio de sua garagem de

barcos-encharcados do sol.

104
“Uau,” disse ela lentamente quando ele finalmente a colocou de volta em pé e ela

tentou fazer com que seu cérebro funcionasse e em todos os cilindros de novo, “você realmente

sabe como fazer uma contagem de beijo, não é?”

“Eu ia dizer o mesmo sobre você,” ele disse em uma voz de fome que enviou outra

onda de desejo tremendo através dela.

“Eu acho que vou precisar de um minuto para a minha cabeça limpar.” Ela balançou a

cabeça e deu um par de respirações profundas, mas não ajudou a limpar o nevoeiro cheio de

luxúria de seu cérebro. “Talvez dois minutos.”

“Será que o café ajuda?”

“Espero que sim.”

Ambos foram a curta distância para sua pequena cozinha canto, e enquanto ele fazia

café e o cheiro estava surpreendente, ela colocou seu gravador, bloco de papel e caneta na mesa

pequena... E tentou com todas as forças para parar de pensar quão desesperadamente ela queria

pular de volta em seus braços.

Ele trouxe uma caneca e ela quase gemeu em voz alta com prazer a forma como foi

delicioso. “Onde você aprendeu a fazer café tão bem?”

“Bom, café forte é a melhor maneira de despertar os membros da tripulação para

levantarem cedo.”

Durante a hora seguinte ou assim, ela perguntou-lhe muito sobre porcas e parafusos

sobre vela e barcos do que ela lhe perguntou na sexta-feira. Finalmente, ela voltou para algo que

ele tinha dito sobre continuava a ensinar novos marinheiros as cordas. “Eu posso ver quanta

satisfação deve haver na construção de um barco, e eu posso imaginar o quão emocionante as

corridas deve ser. Mas por que você continuar a ensinar quando eu estou supondo que essas

horas seria melhor gasto construindo um veleiro caro para alguém em sua lista de espera?”

“Logo no início, quando eu estava tentando fazer um movimento para construção de

barcos, levando as pessoas para fora por um longo fim de semana foi uma maneira fácil e

105
divertida para trazer financiamento. Eu sempre gostei de navegar com uma tripulação.

Provavelmente vem de ter quatro irmãos e mais de uma dúzia de primos,” disse ele com um

sorriso. “As pessoas que vêm para aprender comigo são sempre uma mistura estranha. Talvez é

um padeiro. Outra é um contabilista. Um terceiro é um pintor. Um quarto é um policial. Eles

geralmente não têm muita experiência em velejar, mas não importa, porque todos eles, todos

nós, compartilham a mesma paixão. E pelo tempo que o trago de volta para o porto, está

viciado.”

“O que você diga a eles antes de sair? Quais são as suas regras rígidas e rápidas para

velejar?”

“Há apenas uma: Quando é a sua vez de ficar relógio, você tem que aparecer na hora

certa. É a única coisa que eu sou um tirano inflexível sobre porque eu vi o que acontece quando

o sistema de relógio rompe e as pessoas perdem horas de sono vitais. Fadiga vai te matar mais

rápido no mar do que em qualquer tempestade.”

Grace lembrou-se novamente do caminho Dylan tinha mudado na noite de sábado do

gentil ao dominante, do doce ao perigoso. Obviamente, ele tinha visto o quanto ela gostava

dele, mas ela também já sabia que o homem sexy pecaminosamente que tinha rasgado sua

calcinha era tanto uma parte dele como o homem que amava de coração mole fazendo rir o

bebê. Ela poderia facilmente imaginá-lo mudando de calma para não-besteira em um piscar de

olho se ele achava que alguém estava colocando sua equipe em risco no mar. Ele era um

protetor natural-nascido.

“Você realmente não tem quaisquer outras regras?”

“Eu ensino navegação para meus clientes e tempo velejar pesado. Como planejar uma

passagem. Mas, principalmente, que apenas navegar. É assim que eu aprendi melhor, não por

ouvir alguém falar sobre técnica, mas mantendo o movimento do barco, de uma forma ou de

outra. Se o vento está de frente, puxe as velas. Se o vento está do lado ou para trás, deixa-as

fora. Não é muito mais difícil do que isso.”

106
“Você ajuda a tornar os sonhos das pessoas uma realidade,” ela meditou em voz alta.

“É por isso que você faz isso, não é? Porque você tinha o mesmo sonho uma vez.”

“Eu ainda faço. Eu nunca perdi meu senso de admiração para o que o oceano é capaz,

nem mesmo depois de centenas de vezes passar pela meia-noite. Tanto quanto eu estou

preocupado, a magia de uma noite no mar é aquela que só pode ser igualada, e transcendeu,

por uma coisa.” Ele parou e segurou o olhar dela por um longo momento. “Por amor.”

Quando ao calor e emoção – imediatamente chutou para cima entre eles, Grace fez o

que pôde para o banco que, de momento, e mantenha seu foco em sua entrevista. Mais tarde,

ela sabia, eles iriam passar de profissional para pessoal. Mas, por agora, ela não precisava fazer

nenhuma – besteira, também.

“Eu estou supondo que os seus alunos têm tudo que voltar em uma peça?”

“O oceano tem uma maneira de se levantando para testar a sua determinação direita

quando você pensa em que você tem tudo marcado. Mas mesmo que não tenha sido um par de

chamadas de perto aqui e ali, eu estou orgulhoso de dizer que minhas equipes não só voltam

em uma única peça, mas muitos deles também passaram a fazer alguns bastante grandes

cruzeiros em seus próprios veleiros para meses de cada vez.”

“Então o que você ensina-os se não técnica?”

“Para permanecer flexível e estar disposto a mudar de tática se as condições exigirem,

se ele está desafiando o fracasso do tempo ou do equipamento. Um bom marinheiro sabe que,

se a ação que você está tomando não está funcionando, tente outra coisa. E, mais importante,

para desfrutar o inferno fora de o que você está fazendo, porque cada momento é um presente.”

Grace tinha pensado que entrevistar Dylan seria um trabalho, nada mais. Mas, de novo

e de novo ele tocou seu coração com algo que ele disse, algo que ele fez. “Ficando flexível e

curtindo cada momento são boas regras não só para se velejar, mas para a vida,” ela concordou.

107
Afinal de contas, não era isso o que ela tinha feito quando ela soube que estava grávida

e seria elevar seu filho em seu próprio país? Ela táticas mudaram e, em seguida, fez questão de

aproveitar o dom de cada momento com Mason.

“Minha família me ensinou essas regras,” ele disse a ela.

“Fora em um veleiro?”

Ele balançou sua cabeça. “Meu pai perdeu o emprego quando eu era muito jovem. Ele

estava fora do trabalho por tempo suficiente para que Ian acabou intensificando para manter as

coisas à tona. Eu era jovem demais para ser de muita ajuda para ninguém, mas eu assisti. Eu

aprendi. E eu vi que a todos sacrifícios feitos um para o outro foram mais do que valer a pena.”

“O barco que você está fazendo para eles é a sua maneira de dizer obrigado, não é?”

Mas mesmo quando ela disse isso, ela sabia que era mais do que isso. “E é também a sua

maneira de compartilhar com eles o que lhe trouxe alegria sem fim.”

“Sim,” foi sua resposta simples, um que fez seu coração se sentir ainda mais suave em

direção a ele, ainda mais aberto com ele. Nenhum outro homem jamais desarmado ela tão

facilmente... Ou aquecia tão rapidamente.

“Você pode colocá-lo em palavras, que a alegria?”

“Todo mundo, de Tennyson de Jacques Cousteau para Jimmy Buffett disse que já,

melhor do que eu vou.”

“Eu gostaria de ouvi-lo com suas palavras, Dylan.” Será que ele não percebe o que um

poeta que ele foi quando ele falou sobre o mar? Sobre sua família? “Por favor.”

Ele tomou suas mãos, acariciou os dedos sobre elas antes que começasse a falar. “O mar

está cheio de tanta admiração e magia que eu nunca vi ninguém sair de um dos meus barcos

sem cair sob o seu feitiço. Mesmo as pessoas que estiveram com medo antes, ou que estejam

certos de que nunca vai encontrar os seus pés do mar. Tudo o que eu realmente quero fazer –

tudo que eu realmente quero dar às pessoas – é que destemor, que o respeito, de que o amor

108
que eu sempre senti.” Ele ergueu as mãos ao peito para que ela pudesse sentir a batida forte,

constante de seu coração. “Aqui mesmo.”

O telefone tocou, sacudindo-a fora do feitiço suas palavras estavam tecendo em torno

dela. Mas ele fez absolutamente nenhum movimento para respondê-la, nem pareceu notar.

“Você está indo para ignorar isso, não é? Não faz isso nunca incomodá-lo,

perguntando-se quem é?”

“Eu sempre achei que as pessoas que eu quero ouvir de saber para onde olhar para

mim. Assim como você fez.”

O telefone parou de tocar por alguns segundos, logo em seguida começou novamente.

“Você não está mesmo indo para verificar o identificador de chamadas?”

“O que é identificador de chamadas?”

Ela sabia que ele estava brincando, ele deve estar brincando, certo? Felizmente, quando o

telefone começou a tocar uma terceira vez, ele disse: “Se você quiser respondê-la, seja meu convidado.”

É claro que ela fez, então ela pegou o telefone no telefone velho, completo com cabo

espiral, que estava pendurado na parede ao lado da escrivaninha. “Olá!”

“Olá, é Shawna.” A mulher do outro lado da linha conseguiu infundir uma quantidade

ridícula de sensualidade em três palavras. “Seria tão bom se você pudesse deixar Dylan saber

que eu quero falar com ele.”

Grace descobriu de menos de uma dúzia de palavras que esta mulher tinha estado na

cama de Dylan. E esse conhecimento a fez se sentir tão ciumenta e irritada que apesar de saber

Dylan odiava falar ao telefone, a menos que absolutamente necessário, ela disse: “Não tem problema,

Shawna. Espere e eu vou passar-lhe o telefone.”

Ela estendeu o receptor para ele, tentando ler ou não, ele estava satisfeito com a

chamada para o encontro óbvio, mas ele tinha a sua cara de póquer. E isso foi danada de boa,

também.

109
“Oi, Shawna.” Ele ouviu o que ela tinha a dizer, antes de responder: “Isso é bom de

você pensar em mim para o jogo desta noite.” Dylan fez uma pausa e olhou para Grace, sua

expressão mudando de fácil intensa em um piscar de olhos. “Mas eu estou saindo com alguém.

Alguém importante. Então eu vou ter que passar. Divirta-se no jogo.”

Estou saindo com alguém? ela pensou como ele desligou o telefone. “Você não tem que

desmarcar os encontros.” Alguém importante? “Você poderia ter saído com ela.”

“Você não acabou de me ouvir dizer que estou ocupado?”

Para todos os avisos que tinha dado a si mesma sobre levar as coisas muito a sério com

Dylan, ela não conseguia parar um brilho quente de lava sobre ela. “Eu pensei que nós

concordamos em levar as coisas devagar.”

“Nós estamos.” Ele a agarrou, puxou-a contra ele do jeito que ela tinha secretamente

ansiado pelo longo de sua entrevista. “Lento e exclusivo.”

Mas tão entusiasmados como ela era ouvir Dylan dizer que ele só queria a ela, ela tinha

que tentar dar sentido a algo que não faz qualquer sentido. “Como você não está com alguém

já?” Ela apontou para o telefone. “Claramente, há mulheres fazendo fila em volta do quarteirão

por algum tempo com você. E com a maneira como você olha, a maneira como você beija.”

Obrigou-se a parar antes que ela divagava por mais tempo sobre o quão incrível ele era uma

pegadinha. “Eu só não entendo isso.”

“Eu tenho todas as mesmas perguntas sobre você, Grace. A maneira como você olha. O

jeito que você beija. A maneira que eu não consigo parar de sorrir sempre que você está por

perto. Como você ainda está solteira?”

Ele estava louco? A razão era óbvia. “Eu sou uma mãe solteira de uma criança de dez

meses de idade.” Para não mencionar o fato de que ela não tinha deixe ninguém perto o

suficiente para sequer tentar obter através da parede que ela colocou em torno de seu coração

depois de ter sido esmagado por seu ex e sua família.

“Um grande dez meses de idade.”

110
A afeição de Dylan para o seu filho era ainda uma outra coisa que ele colocava um

mundo além de outros homens. “Essa é outra coisa que eu não consigo descobrir.”

“O que é isso?”

“Como você está tão disposto a abrir sua vida a uma mulher com bagagem.”

“Qualquer um que realmente chamar Mason de bagagem, qualquer pessoa que não pode

ver que ele é o maior presente do mundo, não merece você.” Ele afastou uma mecha de seu

cabelo, fazendo-a tremer, apesar do calor. “Você conseguiu o que precisava para a entrevista de

hoje?”

Com o jeito que ele estava olhando para ela, ela só poderia apenas conseguem dizer:

“Sim. Nós cobrimos um lote de terreno hoje.”

“Insuficiente.” Ele levou cada uma de suas mãos e levantou-as para seus lábios para um

beijo antes que ele começou a se mover os dois para a área de volta da casa de barcos. “Não

quase o suficiente.”

111
Capítulo Quatorze

“É lá—” Meu Deus, tinha alguém já olhado para ela assim? Como se quisesse devorá-la

em um grande gole e só apenas mal se contendo de fazer apenas isso? “Há mais alguma coisa

que você queria me dizer?” Mas ele não respondeu, simplesmente continuaram seu caminho

atrás da corveta quase terminada. Seu coração estava acelerado enquanto o seguia. “Algo que

você precisa mostrar—”

Quando ele a apoiou contra a parede, então levantou suas mãos e os braços acima de

sua cabeça de modo que suas costas arquearam ligeiramente e seus seios pressionaram contra a

parede dura de seu peito, ela engoliu a última palavra.

“Isso.” Ele mordeu o lábio inferior, com força suficiente para enviar uma explosão de

calor — e necessidade — queimando através dela, cabeça aos pés. “Eu preciso te mostrar isso.”

Ele beliscou ela novamente, desta vez o queixo, enviando até mesmo parafusos mais brilhantes

de desejo por ela. “Eu preciso te mostrar o quanto eu quero você.” Ele encontrou o lóbulo da

orelha próxima com os dentes, e um gemido baixo escapou de seus lábios. “Como eu não tenho

sido capaz de parar de pensar em você desde sábado à noite.” Ele soprou uma vez. Então

novamente. “Seu cheiro... isso me deixa louco.” Ele raspou a barba por fazer através de seu

pescoço. “Sua pele... é tão suave, tão adorável.”

Foi quando ele finalmente trouxe sua boca de volta para a dela e lambeu em toda a

costura de seus lábios fazendo-a meia-suspirar, meio-gemer como é bom sentir isso.

“Novamente,” ele incitou-a quando ele levantou a boca da dela apenas o suficiente para

falar. “Eu preciso ouvir isso de novo.”

A verdade era que ela estava tão desesperada por ele, mal tinha conseguido segurar o

desejo na baía tempo suficiente para obter através de sua entrevista. Incapaz de tomar algo mais

112
provocante, ela tomou o próximo beijo que ele lhe deu mais profundo. Tão profundo, tão

rápido, que ela ficou surpresa que uma faísca não chegou a acender entre eles e incendiar a casa

de barcos.

Ela sabia melhor do que fazer isso, deixá-lo chegar para a bainha do vestido de verão

que ela estava usando e puxa-lo sobre sua cabeça no meio do dia, em seu local de trabalho, onde

alguém poderia entrar-los a qualquer momento. Mas, mais uma vez, sua necessidade para ele

era maior do que seus medos. Tão grande que ela encontrou-se saboreando essa chance por

alguns momentos ímpios, para mais uma pausa a partir da linha reta e estreita que tinha estado

andado metado do ano passado.

A verdade era saber que alguém poderia andar em sua casa de barco, poder vir

procurá-lo e encontrá-los envolvidos toda em torno de si, só fez mais exitante. E como ela

abraçou a selvageria do momento, ela percebeu que não apenas se sentir bem para parar de ser

tão cuidadoso o tempo todo — parecia exatamente o que ela precisava.

Especialmente quando ele correu suas grandes mãos sobre suas curvas e disse-lhe como

perfeita, e quão bonita ela era, que ele nao conseguia o suficiente dela, que ela era tudo o que

podia pensar. Cada palavra, cada toque, a fez perder a respiração um pouco mais como ele

choveu beijos em sua pele entre cada murmúrio doce. Seus lábios como penas em seu rosto, seu

pescoço, clavícula, e então a curva de seus seios antes dele abrir a trava em seu sutiã e acariciar

seus seios juntos para que ele pudesse banhar ambos os picos carentes de uma vez.

Um beijo, um gosto tinha rapidamente culminou em uma necessidade desesperada por

mais. Muito mais. O que significava que quando ele lentamente se abaixou de joelhos diante

dela, suas mãos segurando seus quadris duro como ele a segurou bem onde ele queria contra a

parede, com os lábios executando um caminho devastador sobre suas costelas e estômago, ela

não o parou. Não foi possível, francamente, imaginar um mundo em que a palavra pare poderia

sair de sua boca. Especialmente quando ele se inclinou e apertou os lábios entre o V de suas

pernas, rendas e tudo.

113
“Oh…oh…oh…”

Não importava quantas vezes ele a amava assim. Toda vez sentia como a primeira vez.

Explosivo e chocantemente pecador desde o primeiro toque de sua língua em sua carne

superaquecida. E quando ele se afastou apenas o suficiente para deslizar o laço úmido para

baixo suas coxas, a antecipação de conhecer a língua que ia manchar sua pele nua em breve

quase a desfez. Ele a encontrou com seus dedos no exato momento em que ele usou seus lábios

e língua para levá-la às alturas, e, em seguida ainda mais alto. Ela nunca tinha feito nada tão

excitante, tão arrebatador. Só em suas sexys fantasias secretas ela acreditava algo como isso

poderia acontecer. E ainda assim, aqui estava ela, à beira do climax com Dylan ajoelhado entre

suas pernas enquanto ela estava na frente dele vestindo apenas saltos, a luz do sol de sua

clarabóia irradiando para baixo no topo de sua cabeça enquanto ele a levou a lugares que ela

nem tinha percebido que ela poderia ir.

“Agora,” ele persuadiu enquanto continuava a brincar sobre ela tão perfeitamente com

os dedos. “Venha para mim agora, Grace.”

Como se o seu corpo só estivesse esperando por seu comando sensual, ela agarrou seus

ombros por sua querida vida quando ele a fez tremer e suspirar e vir em pedaços nas próprias

emendas. Onda após onda de prazer balançou sobre ela, através dela, até que suas pernas não

podiam sustentá-la mais e apenas esperava que Dylan a pegasse e a mantivesse contra a parede.

Ela estava apenas vagamente consciente de que ele estava beijando seu caminho de

volta até seu corpo, suas mãos firmes nos quadris todo o tempo, para que ela não tivesse que

contar com as pernas trêmulas para segurá-la. Seus beijos eram suaves e persistentes como se

ele a deixásse recuperar o fôlego, mas ela não foi tão longe que ela poderia sentir a necessidade

pulsando através dele. Mais uma vez, ele estava contendo-se de tomar o que ele precisava.

“Você deve ter ficado tão frustrado na noite de sábado, depois da maneira como você

saiu sem eu lhe devolver o favor.”

114
“Tocando você, sentindo-se você, vendo você culminar é o mais realizado que eu já

estive em minha vida. Tudo o mais é apenas um bônus.”

“Nesse caso,” ela disse em uma voz rouca, “parece que é hora para um bônus. Não só

para você, mas para mim. Porque você não era o único que estava frustrado. Eu queria tirar as

suas roupas. Eu queria tocá-lo.” Ela fez uma pausa, sustentou seu olhar. “Eu quero fazer você

gozar.”

Ela podia sentir sua pulsação chutar até mesmo mais rapidamente contra sua mão

quanso ele disse, “Eu quero você, Grace. Você sabe o quanto eu quero você, o quanto eu quero

todas essas coisas também. Mas eu não quero cometer o erro de empurrá-lo longe demais,

rápido demais. Você não estava pronta para mais no sábado à noite”.

“Você está certo, eu não estava pronta então. Mas agora, eu estou.”

Ela não queria ser a única seduzida. Ela queria seduzir, também. Assim eles eram

iguais. Assim que ela iria parar de sentir tão fora de equilíbrio. E assim que ela iria, finalmente,

saber se ele provava tão bom quanto ela fantasiava que ele faria.

“Eu preciso de mais. Eu preciso de você do jeito que você teve comigo.”

Seus olhos nos dele, ela levantou as mãos de seus quadris para que ela pudesse abaixar-

se de joelhos no chão de madeira de cedro.

*****

Dylan vivia apenas um par de quadras de sua casa de barcos. Mas ele não tinha sido

capaz de esperar o tempo suficiente para viajar essas duas quadras com Graçe, para tirar esses

cinco minutos antes tirando suas roupas. Em vez disso, ele tinha dado ao — é novamente — o

seu homem das cavernas interior a arrastou para a parte de trás de sua oficina para tirar suas

roupas.

115
Ela disse que precisava levar as coisas devagar, mas cada vez o feroz desejo os conduzia

em outro beijo quente, ele sentiu a deleitar-se com a emoção de estar com ele. Adorava observá-

la abraçá-la sua inata sensualidade, a mesma mulher sensual que ela acreditava estar morta

para sempre porque algum idiota que ela usou até à data tinha um coração e alma feitas de

carvão.

Mas, mesmo depois que ela deixou-se ir na mais bela forma que ele já tinha visto, com

seu vestido e lingerie deitada no chão de madeira de cedro onde ele deixou-os cair, ele não

esperava isso. Não tinha pensado que ela deslizasse para baixo a parede, nua, mas para os

calcanhares e liberado de seu clímax, para ficar de joelhos na frente dele.

Suas mãos estavam totalmente firmes e determinadas, enquanto trabalhava em seu

cinto. Ele tinha estado na borda por tanto tempo, desde o momento em que tinha colocado os

olhos nela fora de sua casa de barcos, que ele não precisaria de muito mais para disparar do que

este escovar de seus dedos sobre sua ereção coberta de jeans enquanto ele olhava para o seu

belo corpo nu.

Seus olhos estavam brilhando de emoção e excitação quando ela sorriu para ele. Apenas

o pensamento dela puxando-o livre e envolvendo seus lábios em torno dele...

Ele teve que fechar os olhos por alguns segundos para tentar obter algum controle, mas

mesmo assim ele não conseguia parar de enfiar as mãos pelo cabelo macio quando ela trabalhou

seu zíper aberto. O som que ela fez quando ela colocou os dedos em torno dele, um zumbido de

prazer profundo que ressoou por todo o caminho através de seu corpo inteiro, quase o enviou

por toda parte.

Jesus.

Nada jamais me fez sentir tão bem. Nem uma coisa maldita em trinta e um anos

poderia competir com seus lábios macios, sua língua molhada, o calor e a força da sua boca

enquanto ela o amava da mesma forma que ele tinha acabado de ama-la.

116
Suas mãos apertaram em seu cabelo como as dela apertaram seus quadris. Tempo

deixou de andar pra frente. Ele não tinha certeza de que ele estava respirando mais, como tudo

veio a este momento. Esse prazer. Esta mulher.

Grace. Grace. Grace.

Tudo dentro dele explodiu, brilhatemente brilhante e colorido. Ele nunca tinha

experimentado uma tempestade tão selvagem, ou algo tão precioso.

Momentos depois, ele estava de joelhos com ela, seus beijos ainda mais apaixonado, por

tudo que eles tinham somente dado — e levado — para cada um. Somente quando o som de

passos veio e ele ouviu alguém dizer o nome dele que ele foi capaz de arrastar a boca da dela.

Ele olhou dentro de seus olhos, tão lindamente nebulosa com o prazer. “Alguém está

aqui.” Ele sabia que eles precisavam obter as suas roupas de volta, mas ele não conseguia parar

de lhe dar outro beijo antes, e depois, cada palavra.

A segunda vez que o visitante chamou o seu nome, seus olhos se arregalaram como o

que ele tinha acabado de dizer fosse finalmente registrado. “Alguém está aqui,” ela repetiu.

Graçe revolveu seu vestido, mas Dylan já o estava puxando sobre sua cabeça. Ambos

estavam em seus pés novamente, sua lingerie empurrada pela sua mão no bolso de sua calça

jeans, quando o visitante colocou a cabeça em torno do casco do barco e viu-os no canto de trás.

“Ah, aí está você Dylan. Grace, é tão bom ver você novamente.”

Seu irmão Adam pareceu muito satisfeito com o que viu. Dylan tinha flagrado o seu

irmão uma vez quando eram adolescentes, e ele não tinha dúvida de seu irmão viu isso como

retorno.

A pele da Grace estava corada, não só de seus beijos como de constrangimento evidente

em ser quase pego sem suas roupas, mas Dylan ficou impressionado com a elevação do queixo.

Sua força o atraíra desde o início, e ele amava o jeito que ela calmamente encontrou os

olhos de seu irmão.

117
“É bom ver você, também, Adam,” disse ela sem problemas, apesar do fato de que sua

calcinha estar recheando o bolso dos jeans de Dylan.

“Eu espero não estar interrompendo nada,” disse seu irmão, mesmo que ele soubesse

muito bem que ele estava.

Graçe levantou uma sobrancelha na direção de Adam, o mesmo olhar que ele a tinha

visto dar a Mason uma vez, quando ele estava se comportando mal no aquário. Um aviso para

não mexer com ela. “Na verdade,” disse ela com um pequeno sorriso, “o seu timing foi

perfeito.” Voltando-se para Dylan, ela disse: “Eu preciso voltar para minha babá agora.”

Ele queria chegar até ela, queria que seu irmão — e o resto do mundo — a certeza de

que ela não era apenas uma jornalista fazendo uma reportagem sobre ele ou apenas uma

aventura sexy. Ela era sua. E, no entanto, ele sabia que não podia forçar nada, sabia que não

importa as barreiras físicas que tinham começado a derrubar entre eles, ela só se ressentiria se

ele tentasse empurrá-la mais rápido do que ela estava pronta para ir.

Felizmente, porém, em vez de simplesmente ir embora, ela estendeu a mão para colocar

em seu rosto e em seguida, ficou na ponta dos pés para pressionar a boca para a dele em um

beijo suave. Ela estava sorrindo quando ela se afastou. “Tchau.”

*****

“Eu sabia que quando você nos chamou juntos na última noite que as coisas eram

sérias,” Adam disse, “mas ver voces dois juntos hoje? O amor à primeira vista claramente

atacou novamente. É como uma epidemia nesta família.”

Dylan somente sorriu. “Você sabe o que dizem — quanto mais você resistir, mais duro

você cai. O que significa que você vai ser poeira quando isso acontecer com você.”

118
“Não,” Adam insistiu. “Pelo menos um de nós tem que continuar se divertindo. Você

sabe o que você está fazendo, caçando por uma família de sem originalidade como Graçe e

Mason?”

Adam poderia pensar que ele estava feliz com seu desfile de sexo casual de uma só

noite que não tinham nada de substância fora do quarto, mas seu irmão não tinha a menor

mínima ideia do que estava faltando. Sem-cordas o divertimento ficava muito velho, muito

rápido.

A beleza de Grace, sua inata sensualidade, tinha sido o que tinha puxado Dylan em

primeiro lugar. E cada vez que a tocou, soube perfeitamente corresponder eles eram como

homem e mulher. Mas foi sua capacidade de resistência e força que tinha solidificado seu

conhecimento de que ela era a mulher certa para se distânciar. Ele cresceu com uma mulher

forte que conduz a sua família, e ele não poderia imaginar se contentar com nada menos do que

o exemplo a sua mãe tinha fornecido. Grace era tudo o que ele sempre esteve procurando. Tudo

o que ele sempre esteve desejando.

“Se houvesse uma chance de que ela concorde em casar comigo hoje, eu pularia nisso.”

Adam o estudou por um momento antes de assentir. “Ela te faz feliz. Um tipo diferente

de feliz do que você sempre foi.”

“Confie em mim, você vai entender uma vez que acontecer com você.”

Ignorando deliberadamente essa última afirmação, Adam disse, “Embora de perto o

comportamento de vocês dois indo para lá foi divertido, eu estou aqui porque eu tenho um

favor a pedir. Acontece que a cidade está planejando derrubar o antigo Museu Marítimo para

reedificar algo chamativo e moderno.”

Dylan franziu as sobrancelhas. “Eu pensei que tinham sido apresentadas por enquanto

para que mais pessoas pudessem ponderar.”

Não de acordo com o que eu acabei de ouvir esta manhã de um amigo na mesa.

119
“O lugar precisa de um inferno de um monte de trabalho, mas há grande história

naquele prédio.”

“Eu sei. É por isso que eu estou indo para convencê-los a me deixar restaurá-lo em vez

disso. Que é onde você entra. Você não só fala a sua língua, mas você construiu barcos para

metade das pessoas no conselho. Eles estarão tendo um cocktail em alguns dias. Seria ótimo se

você e Grace pudessem vir.”

“Eu estou dentro, e eu vou confirmar com a Graçe,” Dylan disse “Em troca, eu poderia

usar um par extra de mãos para colocar a última camada de uretano no barco.”

“Cara, essa corveta é uma beleza,” Adam disse, já arregaçando as mangas para ajudar.

“Você construiu alguns barcos grandes, mas eu acho que este pode ser ainda melhor. Seu cliente

é um S.O.B9 de sorte.”

Sorrindo, Dylan disse, “Eu concordo,” e para as próximas horas eu gostei de trabalhar

lado a lado com meu irmão em um barco que ele não tinha ideia que já era dele.

9
Son of Bitch – Filho da Puta.

120
Capítulo Quinze

Grace escreveu como uma louca no dia seguinte enquanto Mason cochilava. Ela ainda

não tinha terminado transcrever a entrevista de ontem com Dylan, mas ela queria fazer algum

progresso, então ela começou a escrever. Dizia o ditado que era mais fácil editar uma página

com palavras sobre ela, em vez de uma em branco, e fazer a maior parte de sua escrita enquanto

Mason dormia significava que ela tinha se acostumado à criatividade no comando.

Infelizmente, noventa minutos mais tarde, quando ela releu o que ela tinha escrito até agora, ela

não estava particularmente impressionada com nada disso.

Talvez ela simplesmente precisasse se levantar de seu computador por um tempo. Ela

foi até a cozinha para se servir outra xícara de café, mas quando ela a levou a seus lábios ela

percebeu que não queria. Foi a mesma coisa com o leal Kisses da Hershey ela o mantinha no

congelador. Um pouco de chocolate derretendo em sua língua não faria nada para curar a sua

inquietação, ou uma mente que estava pulando por toda parte.

Não foi o comando da criatividade que estava mexendo com sua produtividade. Nem

era o problema do prazo bastante apertado para a reportagem de capa. Foi o fato de que a

cabeça — e o corpo — ainda estavam se recuperando de estar com Dylan ontem. Desde os

riscos que tinha tomado... e quanto ela amava cada segundo de tomar esses riscos, mesmo que

ela não deveria ter, e eles quase tivessem sido pegos nus nos braços um do outro por seu irmão.

Ela tinha estado girando a partir do gosto de Dylan, de tudo o que ele tinha dito tanto

durante a entrevista e depois, quando suas roupas foram saindo e seu estavam, também. Agora,

ela se forçou a admitir a verdadeira razão pela qual ela não queria transcrever a entrevista de

hoje. Ela tinha estado com medo do que ouvir a voz dele faria com ela. Devido o que a faria

sentir. Porque ela já estava sentindo muito. Demais.

121
Grace nunca tinha caído tão rápido por qualquer um. Nunca pensou que era possível

começar a desejar tão profundamente alguém tão rapidamente — ou lhe desejar tão

completamente — especialmente quando ela, de todas as pessoas, deveria saber melhor do que

perder a cabeça, ou seu coração, por outro homem bonito, carismático. Contudo, mesmo

quando ela pensou que, ela sabia que não estava sendo justa com Dylan. Sim, ele é bonito. Sim,

ele é poderoso. Mas ele é muito mais do que isso. Ele é divertido. Ele é doce. Ele é talentoso. Ele

é devotado à sua familia. Ele é adorável com Mason. E ele queria proteger a ambos.

Ontem na sua casa de barco, quando ela o tinha tomado a mesma maneira que ele a

tinha levado, ela esperava que lhe dar prazer a ajudaria a se sentir mais no controle. Menos fora

de equilibrio. Mas não funcionou. Nem um pouco, uma vez que ela deixou sua casa de barcos

conforme demasiado fora de equilibrio como ela nunca tinha estado.

Principalmente porque ela não conseguia parar de repensar tudo — tudo o que ela

tinha estado tão certo a respeito desde Mason. Ou seja, que ela tinha que ser forte sozinha. E

que ela teve que pagar por sua estupidez com seu ex por sempre fazer a coisa certa,

permanecendo no controle perfeito para todo o sempre.

Conhecendo Mason ele deveria levantar em breve, e que esse prazo determinado não

vai a qualquer lugar independente de como ela estava torcida por dentro, ela está sentada

reclinada de costas atrás do notebook quando ela derrubou o seu caderno no chão. Alcançando

ele, ela percebeu que tinha caído aberto a uma citação de William Shakespeare Muito Barulho por

Nada.

Suspiro não mais, senhoras, suspiros não mais,

Homens são enganadores sempre,

Um pé no mar e outro na costa,

Uma coisa nunca constante.

122
Dylan, ela já sabia, nunca iria enganá-la de bom grado, jamais iria cambalear por apenas

por um riso dela. Mas em sua essencia ele era um marinheiro. Um que ela duvidava que ele

seria tão feliz na terra quanto ele estava fora do mar. O veleiro foi considerado grande fuga. E

despois tudo, não foi que, quando Dylan tinha se transformado em marinheiro — quando o seu

pai tinha perdido seu emprego, tinha sido duro para sua família, e tornou-se a sua paixão,

também?

E, no entanto, ao mesmo tempo, como poderia esquecer o que ele disse ontem, durante

sua segunda entrevista: “A magia de um mar a noite é aquela que só pode ser igualada, e ultrapassada,

por uma coisa. Por amor.”

Como se Mason sabia que sua mãe estava desesperada por uma distração de

pensamentos que foram a atenção de uma extremidade de sua mente para o outro, ele acordou

de sua soneca. Depois de uma troca rápida de fralda, ela reuniu um lanche, uma garrafa, e uma

muda de roupa e colocou todos na parte inferior do seu carrinho.

“O que você diz se você e eu passearmos no parque e deixar um pouco de ar fresco

limpar nossas cabeças?”

Os olhos de seu filho iluminaram à palavra parque justo quando o telefone tocou.

Quando ela viu o nome de Dylan na tela, ela sabia que ela acendeu exatamente da mesma

maneira.

Ela provavelmente deve deixá-lo tocar, dar-se um pouco de espaço e permanecer a

pensar sobre as coisas. Mas desde o primeiro dia, Dylan tinha sido um presente que ela não

tinha sido capaz de negar a si mesma. Ou seu filho, a quem ela tinha visto rir mais com ele do

que com qualquer outra pessoa.

“Eu estava sentado aqui sentindo falta de você e Mason,” Dylan disse a ela quando

atendeu, “então eu pensei em ligar,” Mason riu quando ela lhe entregou a girafa de pelúcia e,

acidentalmente, bateu no nariz com sua cauda felpuda, “o seu filho tem a melhor risada.”

“Ele realmente tem, não é?”

123
“Ele conseguiu da sua linda mãe.”

Era como se Dylan conhecesse cada código secreto para desbloquear todas as peças

bloqueadas do seu coração. E mesmo quando ela soube que ela devia fazer certo então os dois

presos para reduzir, que era a última coisa que ela procurava — e não apenas porque cada beijo,

cada carícia ele deu a ela se sentiu tão bem. Só de estar com Dylan a fazia feliz.

Mais feliz do que tinha estado em um tempo muito longo.

“Nós estamos indo para o parque infantil, se você quiser fazer uma pequena pausa.”

“O playground soa como o lugar perfeito para celebrar.”

“Celebrar?” Ela rapidamente adivinhou: “Você está terminou com o barco?”

“Adam me ajudou com alguns toques finais na noite passada.”

“Ele vai ficar tão emocionado quando ele descobrir que é seu. Quando é que você vai

dizer a todos eles?”

“Breve. Logo que eu retornar da minha viagem para a Australia, todo mundo deve estar

de volta em Seattle novamente, também.”

“Você vai para a Austrália?” Ela percebeu, tarde demais, que ela soou como uma

namorada tentando manter o controle de programação de seu namorado.

“Eu vou na quinta-feira para uma corrida de iate setecentas milhas fora de Sydney. Eu

só vou ficar fora uma semana, mas eu vou sentir falta de você e de Mason como um louco,

Grace. Se eu não tivesse prometido ao meu amigo há um ano que eu faria isso—”

“A corrida parece incrível,” disse ela, implacável afastando a dor dentro dela com o

pensamento de não ver Dylan por uma semana inteira. Diversão, ela lembrou a si mesma. Eles

estavam apenas se divertindo, curtindo um ao outro enquanto eles estavam trabalhando juntos

em seu artigo de revista.

E isso era tudo que ela podia deixar-se acreditar que foi por agora, porque diversão não

era algo que ela precisava pensar demais. Diversão não era algo que ela precisava se preocupar

124
mais. Diversão não era algo que ela precisava ter um plano infalível ou uma saída de

emergência pregado para baixo.

“Eu vou ter um pouco mais de uma semana para terminar a minha história depois de

voltar, por isso espero que você vá voltar com algumas boas histórias para mim.”

Só então, Mason jogou a girafa e ela sabia que ele estava cansado de ser amarrado em

seu carrinho sem sair do lugar. “Nós vamos estar no parque infantil do outro lado da rua. Te

vejo em breve.”

E, apesar de ainda não saber exatamente como obter uma pretexto sobre a sua relação

com Dylan — um que já se sentia muito mais importante do que qualquer aventura divertida

que já tivera — foi uma emoção em saber que ela faria.

*****

Quinze minutos mais tarde, Mason estava feliz escondido em um balanço de criança e

gritando de alegria quando ela o empurrou mais e mais alto. Ele foi um pouco temerário, muito

parecido como seus pais tinham sempre dito que ela tinha sido quando criança, e ela jurou

nunca deixar que seus próprios medos detê-la. Ela iria apoiá-lo em tudo, não importa o quão

perigoso ou selvagem. Assim como ela tinha aprendido que Claudia Sullivan havia feito com

seus filhos.

O desejo de proteger seu filho de qualquer coisa que possa machucá-lo foi que tudo

consomiu. Mas ela sabia melhor, sabia que, se seus pais ainda estivessem vivos, teriam pedido a

ela para lembrar que dando-lhe asas para voar era tão importante quanto mantê-lo seguro.

Ou, ela pensou com um pequeno sorriso, talvez ele acabe escolhendo um barco em que

para navegar através do azul profundo do mar. Perdida em seus pensamentos, não foi até

Mason começou a fazer sons pequenos felizes que ela percebeu que Dylan foi andando em linha

125
reta em direção a eles. Ela ouviu um suspiro coletivo de valorização do sexo feminino das

outras mulheres no parque quando ele pisou no campo de jogos de areia em jeans e uma

camiseta que se encaixam tão bem sua própria boca ficou seca. Nem um pouco, porque ela

finalmente sabia exatamente o quão bom ele ficava sem disse jeans e camiseta.

Ele agarrou balanço de Mason no ar, e seu filho franziu-se para um beijo. Aquele beijo

era sempre a primeira coisa Mason queria, e ele nunca deixou de mover como facilmente e

docemente afetuoso Dylan estava com seu menino.

Quando Mason olhou por cima do ombro para ela, Dylan sorriu e disse: “Um para ele,

um para você.”

Colocou Mason de volta a voar em seu balanço com uma mão, e ele usou a outra para

puxá-la para perto, em seguida, beijou-a lenta e profundamente na frente de todos... enviando

seu coração voando, também.

126
Capítulo Dezesseis

Quando eles finalmente foram capazes de tirar Mason do parque sem muito de

reboliço, os três vão à sorveteria. Brincando no parque. Tomando sorvete. Compartilhando

beijos quentes. Veja, Grace disse a si mesma, nós estamos apenas nos divertindo.

Deixando Mason se sentar orgulhoso como um menino grande ao lado de Dylan na

sorveteria com suas pequenas pernas penduradas na frente dele no banco pintado em cores

vivas, ela entrou e fez os pedidos. Cinco minutos depois, ela voltou com as mãos cheias.

“Aqui está o seu sorvete arco-íris, ervilha doce.” Mason pegou o cone e imediatamente

empurrou contra os lábios, verde-claro, laranja, rosa e estrias manchando suas bochechas

rechonchudas. “E o nosso banana Split e duas limonadas.”

Ela geralmente só toma um cone de baunilha, porque Split era muito para uma pessoa.

Mas quando Dylan sugeriu que eles compartilhassem um Split, isso lhe bateu, ela não estava

mais sozinha. Pelo menos não enquanto isso eles estavam fazendo juntos durasse. Certamente,

durante o tempo que levasse para escrever a história da revista, ela imaginou. E depois? Bem...

ela descobriu a um ano e meio atrás, que não importa o quanto você queria prever o futuro,

existem algumas coisas que você simplesmente não pode planejar.

Diversão, recordou-se mais uma vez. Isso é tudo isso era. Tudo o que precisava ser.

Vendo que Dylan tinha o rosto pegajoso de Mason bem na mão com o recipiente de

lenços úmidos que ele tinha encontrado na parte inferior do carrinho, ela sentou-se em seu

outro lado. Quando ele terminou de limpar Mason, ela ergueu a limonada.

“Parabéns pela sua mais nova criação.” Ele tilintavam seu copo contra o dela, e então

ela se inclinou para beijá-lo suavemente, como um movimento natural, como foi descer a rua do

127
parque para a sorveteria com seu bebê brincando alegremente em seu carrinho de criança na

frente deles.

“Falando de criações, como está indo seu artigo?”

“Bom.”

Ele levantou uma sobrancelha. “Esse foi menos bom – soando bom que eu já ouvi.”

Ela cavou sua colher no morango no final do prato e alterado a sua resposta para: “Eu

fiz muita pesquisa antes que eu comecei a entrevistá-lo e você me deu muitas coisas... deve ficar

pronto muito mais rapidamente do que ficaria .”

“Nós temos que sair em um dos meus barcos. Eu prometo a você, que vai mudar tudo.”

O coração dela deslizou pela sugestão, porque isso era exatamente o que ela estava com

medo que acontecesse se ela navegasse com Dylan. Que tudo iria mudar. Que ela iria perder a

contenção de sua perspectiva “apenas se divertindo.” Que ela ia começar a querer mais do que

o prazer e o riso. E que ela só estaria levando ela e Mason para uma enorme queda.

“Eu estarei de volta da Austrália após o próximo sábado, então por que não vamos

marcar a nossa vela para o domingo seguinte? Dessa forma, você ainda terá quase uma semana

para polir a sua história, se você precisa.”

Quase duas semanas era tempo suficiente para se preparar mentalmente para a sua

vela. Tinha de ser.” Ok, eu vou reservar uma babá.”

“Você percebe que a minha mãe estava falando sério quando ela se ofereceu para ficar

com Mason sempre que você precisar, não é?”

“Claudia é muito doce e generosa, e Mason, obviamente, gostou de brincar com ela,

mas...”

“Isso fará o seu dia sabendo que ela vai vê-lo novamente.”

Quando ele coloca dessa maneira, como poderia continuar discutindo? “Minha mãe se

sentiria da mesma maneira.” Era um belo dia ensolarado, e ela estava tomando sorvete com seu

128
filho perfeito e o homem lindo que ela estava tendo “diversão”. Ela não deve se sentir triste.

Ainda assim, nunca descobriu como sacudir a tristeza por seus pais terem morrido.

Obviamente, Dylan sentiu isso, porque ele colocou a mão sobre a dela e disse: “Eles o

vê, Grace. E a você também, a filha que eles sempre foram tão orgulhosos. Observando você

criar Mason... Eu sei que eles estão mais orgulhosos de você do que nunca.”

O sol, o sorvete, o sorriso no rosto de seu filho, a mão de Dylan sobre a dela, tudo

ajudou a segurar as lágrimas. “Eu tinha uma amiga na escola que veio de uma família grande, e

ela odiava. Odiava a falta de privacidade. Odiava que alguém estava sempre pegando suas

coisas. Meus pais tentaram ter mais filhos, mas minha mãe não podia...” Não, ela absolutamente

se recusava a arruinar sua tarde se entristecendo. Preferiu se concentrar em cortar um pedaço

de banana e alimentar Mason entre suas próprias lambidas de sorvete. “O que eu estou

tentando dizer é que você tem muita sorte de ter uma família tão perto.”

“Eu concordo,” disse ele. “Embora estou um pouco chateado com o meu irmão Adam

agora.”

“Por que. Eu pensei que ele te ajudou com o barco ontem.”

“Ele ajudou, mas só depois que ele caminhou para nós, o que significava que você

colocou suas roupas muito antes que eu estivesse pronto.” Ela estava corando pelo tempo que

ele acrescentou: “E eu estava planejando lhe pedir nosso primeiro encontro oficial para amanhã

à noite, mas acontece que Adam precisa de nós dois para ir com ele a uma festa coquetel chique

no antigo Maritime Museu, promovida pelos membros do conselho. Eles estão pensando em

reformá-lo e colocar mostruário moderno em vidro e aço. Ele quer a nossa ajuda para dissuadi-

los disso e deixá-lo restaurar o edifício.”

“Estou feliz que ele quer lutar para salvar o edifício histórico. É realmente um belo

edifício. E faz todo o sentido que ele queira você lá. Mas por que ele quer que eu vá?”

“Você é esperta. É linda. E estou supondo que, do jeito que você pesquisa os tópicos que

você escrever, você já sabe mais sobre a história da navegação em Seattle do que alguém a

129
bordo do museu.” Ele se inclinou para lamber uma gota de sorvete de seus lábios. “Venha

comigo amanhã à noite Grace. Nós vamos fazer as rondas para o meu irmão o mais rápido que

pudermos, então esgueiramos fora e temos nossa própria noite privada na cidade sem ninguém

da minha família em torno neste tempo.”

O roçar de sua língua contra sua pele sensível nocauteou suas células cerebrais

instáveis, o suficiente para que ela não conseguisse se concentrar em qual deveria ser a resposta

à sua pergunta.

“Diga que sim,” ele murmurou contra seus lábios quando ele se inclinou para beijá-la

de novo.

Girando ainda mais rápido agora, ela disse: “Você está fazendo isso de propósito.

Tornando difícil para eu pensar.”

Ele acariciou o lóbulo da orelha. “Está funcionando?”

“Quase.”

Mas o que ele estava pedindo ela era importante demais para ser decidido sobre uma

tontura, despertada por capricho.

Um encontro.

Ela não esteve em um encontro em um tempo muito longo. O jantar na casa de seus

pais foi uma entrevista, embora ele terminasse com um beijo. E a visita ao aquário não tinha

começado como um encontro também, embora tivesse terminado com muito mais do que

apenas um beijo. Mesmo esse passeio a sorveteria poderia simplesmente ter sido como dois

amigos e um bebê para uma pausa à tarde. Uma pausa divertida ao sol e açúcar no meio do dia.

Amigos com benefícios, mas ainda nada oficial. Não um encontro que pode potencialmente levar a muito

mais.

“Diga-me que estou indo rápido demais, Grace, e eu juro que vou descobrir uma

maneira de recuar e dar-lhe mais espaço.”

130
Deveria ter sido exatamente a coisa certa para ele dizer. Mas ficou chocada ao perceber

que o pensamento de Dylan recuando fez seu intestino apertar muito mais apertado do que o

risco de sair com ele.

Ela estava preocupada sobre ir por esse caminho com alguém de novo? Sim, e seria

louca para não estar. Mas tinha de começar a viver novamente em algum momento, não tinha?

E ter uma vida plena não significa apenas beijos roubados e orgasmos loucos quentes.

“Sim,” ela disse, sorrindo para o homem que estava esperando não muito

pacientemente por sua resposta. “Eu adoraria ir a um encontro com você amanhã à noite.”

Dylan selou sua resposta afirmativa com um beijo que foi quente o suficiente para

derreter o que restava de seu sorvete. Pelo menos até Mason subir entre eles, plantando beijos

molhados, pegajosos em suas bochechas.

*****

Grace ainda estava sorrindo dez minutos depois, enquanto se dirigia para o seu

apartamento com Mason adormecido em seu carrinho. Antes que eles se separassem, Dylan

tinha puxado rapidamente o seu telefone celular e verificado com sua mãe sobre ser babá tanto

amanhã à noite e, depois, novamente durante o velejar quando Dylan retornasse da Austrália

em duas semanas. Se Grace tinha qualquer dúvida de que Claudia estaria animada para ver

Mason novamente, exclamações felizes de sua mãe — alta o suficiente para Grace ouvir do

outro lado do banco — a deixou aliviada.

Depois que Dylan os deixou para se encontrar com um potencial novo cliente, ela

estava andando com um sorriso bobo no rosto. Pelo menos até que ela percebesse que não tinha

absolutamente nada para vestir!

131
Grace tinha alguns vestidos bonitos de antes de engravidar, mas mesmo na chance de

que eles ainda coubessem em suas novas curvas pós-bebê, todos foram vestidos que ela usara

para Richard. Decidindo encaixotá-los para doação quando ela voltasse ao seu apartamento, ela

aceitou que ia ter que fazer um furo em suas economias com uma roupa nova. Ela ia colocar

cada centavo em reposição ao seu fundo de defesa legal, apenas no caso, que vem fazendo por

um ano e meio. Com o dinheiro vindo pela reportagem de capa, ela podia se deixar gastar um

pouquinho nesta noite especial com Dylan, não podia?

A moda foi mais uma coisa que ela não tinha pensado muito desde que teve Mason.

Grace olhou para suas calças jeans e top listrado azul e branco e sabia que ela conseguia ficar

bonita ou profissional, quando ela precisava. Mas não tinha ido para sexy em um tempo muito

longo.

Fazendo um pequeno desvio do seu prédio para a rua comercial mais próxima, ela se

lembrou que, enquanto estar sexy certamente fosse emocionante, ela realmente não deve

quebrar o banco, porque simples e bonito seria bom o suficiente, certo? Claro, que tinha razão

quando avistou de uma janela da boutique um manequim lindamente vestido, um que tinha o

vestido mais incrível em exposição. A cor foi a que primeiro chamou sua atenção — nem

vermelho, nem rosa, mas o melhor dos dois tons. As alças foram trançadas em renda e seda, um

padrão delicado que continuou até o corpete. Um cinto fino, brilhante da mesma cor que o

tecido enrolado em torno da cintura, ressaltando ainda mais a saia esvoaçante, que terminava

logo abaixo do joelho.

Ele provavelmente custará uma fortuna, mas, apesar disso, ela ainda não podia se parar

empurrando o carrinho de Mason dentro da loja.

“Bem-vindo à Indulgence.”

Era, pensou Grace, o nome perfeito para uma loja em que cada item em exposição a fez

ansiar.

132
O rosto da mulher se iluminou quando ela olhou para Mason amarrado em seu

carrinho de criança, segurando a girafa de pelúcia em sua pequena mão pegajosa. Sua cabeça

estava virada para o lado no sono, os olhos fechados, de modo que seus cílios pareciam um

quilômetro de comprimento.

“Seu filho é absolutamente lindo,” a mulher sussurrou, claramente em um esforço para

não acordá-lo. “Se você está pensando em experimentar o vestido na janela, eu já sei que você

vai ficar surpreendente nele. E juro que não estou dizendo isso só porque esta é a minha loja.”

Grace sabia que ficaria bom nela. Este vestido faria olhos de Dylan estalar fora de sua

cabeça. Só isso já valeria a pena o furo que faria em suas economias.

A dona da loja, que se apresentou como Colbie, adivinhou corretamente o tamanho de

Grace, e um muito pouco tempo depois foi oh! e ah! sobre o quão bem ela ficou no vestido. “Só

mais uma coisa,” disse Colbie, deixando o vestiário por alguns momentos e retornando com o

que tinha de ser o melhor par de sapatos já feitos. O couro sobre os sapatos de salto alto era um

dourado super macio e trançado em um padrão muito semelhante ao corpete e alças do vestido.

“Você calça 39, não é?”

Grace já estava chegando aos sapatos sexy quando ela balançou a cabeça. Ela se sentia

como uma princesa saída de um conto de fadas neste vestido, estes sapatos. Ela tinha acabado

de fechar os olhos quando ela assinou o recibo do cartão de crédito e não se deixaria pensar

sobre a fatura até que viesse no final do mês. Ela tinha que fazer isso pelo trabalho duplamente

difícil na história sobre Dylan, fazendo um ótimo trabalho com essa que, esperançosamente, ela

viraria esta reportagem de capa na primeira de muitas.

“Vou levar os dois.”

Além disso, apesar de que conseguir economizar dinheiro para Mason fosse

extremamente importante, não se sentir como uma mulher sexy de novo e provar para si

mesma que seu ex não roubou isso dela — era também algo que deveria priorizar muito antes

de agora?

133
Foi por isso que, quando um conjunto de lingerie de luxo também chamou sua atenção

em seu caminho para o caixa, acrescentou-o a pilha de compras. Porque realmente, quão bom

seria o vestido lindo e sapatos perfeitos se o que Dylan encontrasse quando ele os tirou, no final

de seu encontro não fosse tão bonito?

Seu corpo inteiro inflamou com o pensamento, já acelerando com a antecipação de seu

encontro com Dylan. Um encontro que, de repente sentiu como se não poderia vir mais cedo.

134
Capítulo Dezessete

A mente de Dylan foi destruída por Grace desde o início, mas quando ela abriu a porta

para ele na noite seguinte, ele jurou as células restantes de seu cérebro realmente derreteram

dentro de seu crânio. Se ele pudesse pensar claramente, poderia ter sido capaz de parar as mãos

de agarrar, a boca de devorar. Mas ele não tinha uma determinação para fazer qualquer coisa,

apenas beijá-la até que conseguisse ter pelo menos uma pequena parte satisfeita.

“Estou dividido, Grace. Tão malditamente dividido entre ficar aqui tirar esse vestido

lindo de você ou levá-la para fora para te mostrar a todo mundo.”

O jeito que ela sorriu para ele só tornou mais difícil pensar em linha reta. “Você parece

realmente bom em seu terno também.”

Mason arrastou, agarrando punhados das calças escuras de Dylan para se levantar. “Eu

não me esqueci de você, amigo,” disse Dylan quando ele levou Mason em seus braços. “Eu só

estou tendo um momento difícil em lidar com como sua mãe está impressionante.” Quando

Mason balbuciou algo ininteligível, Dylan assentiu. “Você está certo, eu não tenho a menor

chance de me acostumar a como ela é bonita, então eu deveria parar de tentar.” Ele beijou

Mason na testa. “E uma vez que a minha mãe nunca me perdoará se nós não o levarmos,

especialmente desde que ela comprou toda a loja de brinquedos do centro da cidade para

mimá-lo hoje à noite, eu acho que isso significa que devemos partir.”

Ele pegou a sacola do bebê em sua mão livre e trabalhou para obter um controle sobre si

mesmo enquanto Grace pegou sua pequena bolsa dourada da mesa de entrada. Ela estava a

meio caminho para o jipe quando ela olhou por cima do ombro e disse: “Você deve saber que eu

estava tão dilacerada quando eu vi você em pé no meu degrau da frente.”

Só assim, qualquer controle que ele conseguiu recuperar despedaçou.

135
*****

O encontro de Adam para a noite — a morena que Dylan não tinha visto antes desta

noite — parecia tudo, menos satisfeita com a forma como a mandíbula de seu irmão caiu

quando os dois entraram. A beleza de Grace era apenas mais impressionante porque ela não

parecia estar ciente de que ela chamava a atenção por onde quer que fosse. Não é de admirar

que o canalha que a tinha deixado grávida a desejasse. Raiva não era algo que vinha facilmente

a Dylan, mas desde que ela lhe disse o que seu ex e sua família tinham feito, fúria continuou

subindo nele de novo e de novo.

Grace virou-se para olhar para ele com preocupação em seu rosto bonito. “Está tudo

bem?”

“Não apenas bem,” ele disse a ela quando ele segurou a nuca dela e puxou a boca para

a dele. “Perfeito.”

Beijá-la aqui, com todos os olhos sobre eles, era um sinal evidente para todos os outros

homens na sala. Ela é minha, era o que ele estava dizendo a todos eles. Toda minhau.

Ele amava esse beijo era tudo que precisava para seus olhos ficar obscuro de desejo.

Tanto desejo que ela sussurrou: “Quanto tempo nós temos que ficar?”

Ele trouxe sua boca para a sua de novo antes de dizer: “Trinta minutos. Quarenta e

cinco no máximo. Nós vamos fazer as rondas, defender a restauração de Adam, e depois nós

vamos...”

Seu irmão e seu encontro interromperam naquele momento. Depois que Adam fez as

apresentações, ele disse a Grace, “Eu espero que você esteja planejando ficar por aqui, porque

eu não tenho certeza que vou ser capaz de arrastar meu irmão do chão se você não tiver.” Ele

136
não deu Grace tempo para se ajustar ao peso do seu comentário, apenas lhe perguntou o que ele

poderia trazer para ela beber do bar.

“Um copo de vinho branco seria ótimo.”

“Seu vestido é lindo.” O encontro de Adam não foi capaz de tirar os olhos de Grace

também. “Assim são seus sapatos. Eu tenho que saber, onde você os comprou?”

Grace sorriu para a mulher. Dylan tinha a sensação de que ela não notou inveja da outra

mulher em tudo, provavelmente porque ela não se ver como alguém de quem outra mulher

teria ciúmes.

“Uma fabulosa loja do centro chamada Indulgence.”

O nome picou o cérebro de Dylan. “A melhor amiga de Mia é a dona da loja. Colbie

Michaels. Na verdade, Colbie Bryant agora que ela se casou com o nosso amigo Noah.”

“Uau, isso é incrível,” disse Grace, sorrindo ainda mais agora. “Ela foi tão boa. E eu

poderia ter facilmente ido à falência em sua loja.”

“Mia disse que seu estoque era ótimo, e eu posso ver que ela não estava brincando.” Ele

também ouviu tanto Mia quanto seu irmão Rafe dizer que Indulgence vendia algumas coisas

muito sexy além de vestidos e sapatos. Grace tinha comprado alguma coisa?

Dylan não podia esperar para descobrir, depois que ele finalmente tivesse a chance de

tira-la deste vestido novo bonito.

A essa altura, o encontro de Adam pegou o telefone e olhou para o site da loja. “Oh

meu Deus, Indulgence está tendo uma venda de calçada10. Somente hoje à noite!”

Dylan mal conseguiu conter o sorriso quando seu irmão voltou com suas bebidas, um

copo de vinho para Grace e cervejas para cada um deles. Ele estava pensando, uma pequena

vingança cármico estava em ordem pela forma como seu irmão foi tão feliz em caminhar sobre

eles no ancoradouro dois dias atrás.

10
É uma tradição nos Estados Unidos onde muitas vezes uma venda é realizada anualmente, no final de cada verão, em que
comerciantes exibir mercadoria com redução de preços nas calçadas na frente de suas lojas.

137
Adam se virou para seu encontro com o seu sorriso mais encantador para lhe entregar

uma taça de champanhe, mas ela já estava dizendo: “Eu acredito que não serei capaz de ficar.”

Ele franziu a testa, ainda segurando a taça de champanhe para ela. “Por que não?”

Ela parecia um pouco culpada por um momento antes, ela deu de ombros. “Você é um

grande cara, mas eu acho que nós dois podemos já dizer que nós simplesmente não temos o tipo

de faísca que iria durar para além de uma ou duas noites. Não como Dylan e Grace.” ela disse

com um aceno em direção aos dois. “Qualquer um pode ver que o que tem entre eles é real.

Você e eu, nós estaríamos apenas em uma aventura. Tenho certeza de que você seria um grande

caso de uma noite, mas estou pensando que é hora de começar a busca pelo Sr. Certo, em vez

disso. Não precisa me acompanhar.”

Ela tinha saído tão rápido que ela quase deu a seu irmão uma chicotada. “O que diabos

aconteceu enquanto eu estava pegando a bebida de todo mundo?” Adam lhes perguntou.

Dylan finalmente perdeu a batalha com o riso. “Confie em mim, você não quer saber. Só

vai fazer você se sentir menos homem do que você já se sente. Então, com quem você precisa

que eu e Grace falemos?”

Ele teve que admirar a forma como seu irmão se controlou tão rápido. Adam sempre foi

bom em compartimentar. O trabalho raramente borbulhava sobre o resto de sua vida. E as

emoções não se enroscava com o sexo. Embora, Dylan percebesse que era uma grande parte da

razão pela qual o encontro de seu irmão decidiu que uma venda vestido seria uma maneira

melhor para passar a noite.

Fazer as rondas acabou levando mais de quarenta e cinco minutos, mas Dylan gostava

muito de ouvir Grace falar sobre a história do Maritime Museu e a parte importante que o

edifício desempenhou na formação da orla de Seattle. Ele podia ver as lâmpadas em curso sobre

as cabeças dos membros do conselho quando ela falou de forma tão eloquente sobre a história

toda em torno deles. Ninguém nunca tinha feito o trabalho de Adam de lançar uma restauração

histórica tão fácil.

138
“Você é incrível,” disse Adam quando ele os conduziu a um casal de cabelos grisalhos

que estava na janela do canto.

“Uma vez que Dylan me disse o que você estava tentando fazer, eu tenho que admitir

que eu estudei um pouco.”

“Um pouco?” Seu irmão estava cheio de admiração. “Você poderia escrever um livro

sobre o lugar.”

Dylan pensou ter visto uma lâmpada ir em cima da cabeça dela então. “Você está certo, há

tantas histórias interessantes sobre este edifício e os homens e mulheres que passaram por aqui

ao longo dos anos. Os românticos também, como o Sr. e a Sra Callam se encontrando e se

apaixonar aqui.”

“Quando eu começar o projeto,” disse Adam: “Eu vou empurrar para você fazer um

livro associado.”

“Isso soa incrível,” ela disse, mas ele podia ver que a conexão persistente com o seu

irmão a preocupava também. Porque, por tudo o que ela pode querer acreditar na honestidade,

no romance e amor duradouro, a esfrega com a família Bentley tinha ensinado exatamente o

oposto.

Cabia a Dylan e sua família lhe dar de volta sua fé na verdade e no amor novamente.

Felizmente, se alguém poderia fazê-lo, os Sullivans podiam.

O celular de Dylan tocou com toque de Rafe, uma chamada que ele estava esperando.

“É a sua mãe?” Grace perguntou imediatamente.

Sabendo que é era muito difícil para ela sair e deixar Mason com alguém, ele

gentilmente acariciou sua bochecha. “É Rafe. E mesmo que eu tenho certeza que Mason está

indo muito bem com a minha mãe, por que você não liga enquanto falo com meu irmão?”

“E aqui eu não acho que eu estava sendo quase óbvia.”

“Não há nada de errado em querer saber se seu filho está seguro. Minha mãe

costumava verificar sobre nós uma meia dúzia de vezes quando eles saiam. Concedido,” disse

139
ele com um sorriso, “que poderia ter sido porque nós tínhamos uma história de fazer as coisas

como saltar do telhado e iniciar grandes fogueiras no quintal.”

Seu riso fácil o aqueceu enquanto ambos tiraram seus telefones celulares e se dirigiram

para a varanda com vista para a água. Enquanto ela chamou sua mãe para o verificar Mason,

ele ligou para Rafe. Infelizmente, tudo que seu irmão lhe disse durante os próximos vários

minutos fez a fúria que mais cedo ele mal empurrava para baixo se levantar novamente. Mais

quente do que nunca.

O sorriso de Grace era de um quilômetro de largura, quando ela se virou para ele

depois que os dois desligaram apenas alguns segundos de intervalo. “Olhe para a foto bonita

sua mãe tirou de Mason tocando piano. Ele não parece como um menino grande? E tão

orgulhoso de si mesmo por tocar sozinho.”

Olhando para o rosto inocente de Mason só fez a torção do intestino de Dylan apertar

mais. “Rafe apenas confirmou para mim que você não foi a única, Grace.”

Ela olhou para cima a partir de seu telefone. “Eu não fui a único que?” Mas antes que

ele pudesse explicar, ela compreendeu. “Rafe checou meu ex e sua família, não foi?” A dor

atravessou seu rosto, claramente iluminado pela lua quase cheia acima deles.

“Rafe encontrou exatamente o que nós pensamos que ele encontraria.” Dylan não foi

capaz de manter as mãos longe dela a noite toda, mas agora, quando ele a puxou contra ele,

mesmo quando a atração ainda estava pulsando, este abraço foi simplesmente para tranquilizar

os dois. “Mais mulheres. Muitas mulheres.”

“Ele... ele tem outros filhos?” Ele podia ver um pensamento movendo-se rapidamente

para o próximo. “Mason tem nenhum meios-irmãos ou meias-irmãs?”

“Não. Pelo menos de tudo o que Rafe pegou, parece que nenhuma das outras mulheres

foram tão forte quanto você. Todas elas pegaram o dinheiro e fizeram o que a família queria que

elas fizessem.”

140
Ele podia vê-la se doer por todas as outras mulheres na empatia pura. “Elas

provavelmente ficaram com muito medo de não de fazerem o que eles determinaram.”

Era surpreendente que ela não viu as outras mulheres como fracas. Ele também sabia

que ela estava certa — a pressão tão forte de uma família tão poderosa quebraria quase todo

mundo. Mas não ela. Não sua Grace.

“Por que eu não vi isso? Por que eu não vi através dele? Até os encontros extravagantes

onde ele nunca me deixou conhecer ninguém? Nem seus amigos. Definitivamente não sua

família.”

“Por mais que eu desprezo o cara,” Dylan disse suavemente, “a verdade é que eu estou

feliz que você confiou nele. Por tempo suficiente, pelo menos, para gerar Mason.”

“Richard e seus pais não têm ideia sobre toda a alegria, toda a maravilha que eles

tentaram destruir, porque a minha linhagem não era suficientemente pura para eles. E agora eu

espero — eu tenho orando, na verdade, que eles nunca tenham. Que eles nunca mude de ideia e

decida vir por Mason depois de tudo.”

“Rafe disse que não há nenhuma indicação de que eles estão olhando para você ou

Mason, ou que qualquer um deles tenha programado viagens para Seattle. Ele também disse

que ele e Ian checaram com Smith — nosso primo tem repetidamente recusado ofertas dos

Bentleys para investir em seus filmes, porque eles sempre pareceu bajuladores a ele.”

Ela ficou claramente muito contente de ouvir as duas notícias, mas ele também podia

ver que, quando ela olhou para a festa, ainda em pleno andamento, era o último lugar que ela

queria estar. “Eu sei que eu acabei de desligar o telefone com sua mãe e estávamos planejando

ficar até mais tarde em nosso primeiro encontro oficial, mas...”

“Eu quero estar com Mason agora também.” Ele precisava manter os dois em seus

braços hoje à noite e dar graças que os tinha encontrado — e eles o encontraram. “Nós falamos

com um número mais que suficiente de pessoas em nome do meu irmão está noite. Vamos

pegar seu filho e ir para casa.”

141
Capítulo Dezoito

Eles passaram quase uma hora na casa dos pais de Dylan brincando com Mason,

enquanto ele lhes mostrou os novos brinquedos que Claudia tinha escolhido para ele. Max

Sullivan também estava lá, apesar de ser um homem de poucas palavras, Grace poderia

facilmente ver o quanto ele gostava de seu filho também.

Surpreendentemente, no momento em que voltou para seu apartamento, Mason ainda

estava acordado. Não tão surpreendentemente, ele estava nos braços de Dylan, rindo de uma de

suas caretas. Ela nunca tinha tido um primeiro encontro como este, quase não tinha conseguido

sair de seu apartamento, em primeiro lugar, porque eles foram tão tentados apenas para saltar

uns aos outros em sua casa. E ela nunca tinha passado tanto tempo com qualquer uma das

famílias de seus namorados, tampouco. Mas, em vez de se sentir como a família de Dylan a

introduziram em seu tempo com eles, ela teve um ótimo tempo com Adam no museu e, em

seguida, com Claudia e Max em sua casa.

“Seu pai me lembra muito do meu. Um homem de poucas palavras, mas todos elas

sábias. Muito divertido,” ela acrescentou com um sorriso. Ela se sentiu tão segura com os

Sullivans. Embora ela só tinha conhecido-lhes um pouco, já os apreciava. “Seus pais sabem a

história toda sobre meu ex, também?”

Dylan sacudiu a cabeça. “Só falei com meus irmãos. Eu estava com medo de que se eu

dissesse meus pais...”

“Eles acabariam se preocupando muito sobre nós,” ela terminou para ele. “Agora que

eu sou mãe, eu entendo. Não importa o quanto você tenta dizer a si mesmo que tudo vai ficar

bem, você não pode suportar a ideia de seu próprio filho se machucar de alguma forma.”

142
Quando Mason mexeu, Dylan o colocou no chão, onde ele se arrastou imediatamente

até a mesa de café para se levantar.

“Olhe para você,” disse ela. “Está se transformando em um menino grande.” Ela virou-

se para Dylan. “Por que eu não nos preparo um pouco de café?”

Mas Dylan não respondeu. Em vez disso, ele estava olhando para Mason com espanto.

Quando ela se voltou, viu que os pequenos dedos de seu filho estavam segurando a

borda da mesa de café. Mason tinha um olhar de grande concentração em seu rosto, e Grace

prendeu a respiração quando ele de repente soltou da mesa e deu um passo vacilante e depois

outro. No meio do caminho em sua terceira etapa, ele caiu com um baque em seu bumbum.

Ele olhou para ela e depois Dylan como se dissesse, Você me viu? Você viu o que eu fiz?

Ela estava rindo e chorando ao mesmo tempo que ela puxou-o em seus braços. “Você

andou!”

“Você é incrível, garoto,” disse Dylan, tanta emoção em sua voz, como tinha sido na

dela.

Ela tinha chovido beijos ao longo de todo o rosto do filho pelo tempo que ele balançou

de volta para o chão. Ele se levantou do lado do sofá e, em seguida, com um empurrão,

impulsionou-se para a frente novamente.

Sem pensar, Grace estendeu a mão para segurar a mão de Dylan. Ou talvez ele foi o

único que estendeu a mão para ela. De qualquer forma, tudo o que importava era que ele estava

aqui para compartilhar este marco com ela, e que ele estava tão surpreso por isso como ela

estava.

“Nós temos que chamar a sua mãe, tem que ter um vídeo e envie-o para ela para que ela

possa ver o que Mason está fazendo!”

Dylan não parecia pensar que era de todo estranho para ela pensar de seus pais quando

ela e Mason tinha apenas se encontrou com eles na semana anterior. Provavelmente porque ele

sabia que sua mãe iria enlouquecer sobre esta notícia.

143
Ele filmou primeiro Mason sozinho e, em seguida, ambos quando Grace estendeu os

braços e Mason caminhou para eles. Ela estava tão feliz, mesmo que ela não conseguia parar de

chorar. Mas foi tudo bem. Ela sabia que Claudia iria entender, porque a mãe de Dylan tinha,

provavelmente, chorado lágrimas de alegria quando todos seus filhos deram os primeiros

passos.

Finalmente, Mason permaneceu em sua parte inferior e começou a bocejar e esfregando

os olhos. “Parece que é hora de finalmente relaxar para a noite.” Tinha sido uma noite incrível, e

ela sabia que não deve ser decepcionar porque tudo estava acabando. “Eu deveria levá-lo

colocar seus pijamas e, em seguida, ler-lhe a sua história para dormir habitual.”

“Meus sobrinhos e sobrinhas me dizer que eu faço um bom trabalho com histórias de

ninar,” Dylan ofereceu.

Tinha certeza de que ela nunca sorriu tão amplamente antes ou sentiu-se tão feliz em

toda sua vida. “Nesse caso, nós já voltamos.”

*****

A voz de Dylan ficou tão suaves quando leu para Mason que Grace sentiu suas próprias

pálpebras ficarem pesadas. E talvez ela teria caído no sono, se não estivesse tão certa de que esta

era a noite.

Desde seu primeiro beijo – Raios, desde a primeira vez que ela tinha posto os olhos

sobre Dylan, se ela estava sendo totalmente honesta consigo mesma, ela tinha estado a ponto de

dar-se a ele. E cada vez que estavam juntos, ela se movia mais para uma aventura.

Mas quando ele se alegrou com ela sobre Mason dando seus primeiros passos?

Nenhuma mulher poderia ter resistido a um homem como esse.

144
Embora Mason começou a fazer um ronco bonitinho no meio da história, Dylan não

parou de ler. Com sua atenção no livro, Grace teve a oportunidade de deleitar os olhos nele, e se

maravilhar mais uma vez, não só em como ele era bom com seu filho... mas também no

precipício em que eles se encontravam nesta noite.

Logo, o livro seria colocado para baixo, Mason iria para seu berço, e haveria apenas os

dois.

Finalmente, Dylan fechou o livro e olhou para o menino dormindo com tanta confiança,

tão pacificamente, na curva de um dos seus braços fortes. Quando Grace viu a emoção em seus

olhos, ela sentiu que os seus estavam molhados.

Ela tentou tão difícil ser cuidadosa, para proteger tanto Mason quanto ela mesma de ter

um homem entrando em suas vidas e, em seguida, cair fora por um capricho. Mas como ela

poderia nunca ter sido preparada para um homem como Dylan Sullivan? Para seus sorrisos

contagiante de parar o coração. Pela maneira séria que ele tomou o seu trabalho de construção

naval e paixão de sua vida para a vela. Por sua força, tanto na forma como ele usou as mãos e

músculos para fazer um enorme barco tomar forma, e em suas convicções pessoais. Para a

maneira gentil ele a segurou e Mason. Para a maneira que sua família tinha aceitado ela e seu

filho sem nenhuma restrição. E, acima de tudo, pela forma como ele continuamente a fez

enfrentar seus medos, um após o outro. Ela não tinha enfrentado todos eles ainda, mas pelo

menos ela finalmente parou de se sentir como uma concha da velha Grace Adrian.

“Nós nunca chegamos ao final do livro, de qualquer um.” Ela passou a mão sobre o

cabelo macio de seu filho. “Vou colocá-lo em seu berço.”

“Eu posso?”

O coração dela deveria estar acostumado pela forma como ele sempre batia como um

foguete contra seu peito sempre que Dylan estava próximo, mas ela não tinha certeza de que ela

jamais se acostumasse a estar com alguém tão altruísta, tão cheio de bondade – tudo

embrulhado no pacote mais sexy imaginável.

145
Ela já tinha deixado seu filho e Dylan rirem juntos, das piadas pouco viris que tinha

claramente enchido o coração de seu filho com alegria pura. E ela tinha acabado de deixar

Dylan ler história de ninar com seu filhinho no colo. Ela não deveria desenhar uma linha – não

deveria se lembrar deles, por tudo o que ele fez o papel do pai de Mason toda a noite, não era?

A maneira Dylan suavemente disse o nome dela lhe disse que ele tinha acabado de ler

cada um de seus pensamentos e podia ver claramente como ela estava assustada, prestes deixá-

lo ainda mais profundamente em suas vidas. Talvez isso não deve ser um negócio tão grande

que colocou seu filho em seu berço, mas para Grace, o beijo de boa noite era um símbolo de

paternidade que ela não ganhou apenas a cada momento que ela tinha levado para dentro de

Mason seu corpo, mas durante todos os dias dos últimos dez meses, quando tudo o que ela

tinha feito tinha sido para ele.

“Eu irei proteger Mason com a minha vida,” disse Dylan suavemente. “Se ele precisar

de mim por alguma razão, eu vou largar tudo por ele.”

E foi então que ela sabia que nunca teria que se preocupar novamente sobre seu filho

onde Dylan estava em causa. Porque mesmo se o homem lindo sentado a seu lado no sofá se

cansasse dela, ela agora sabia com certeza absoluta que ele nunca mais andaria longe de Mason.

Seu romance com Dylan não tinha absolutamente nada a ver com a ligação que os dois haviam

desenvolvido um com o outro.

Seu alívio foi tão rápido e inebriante que o sorriso que ela deu a ele era completamente

verdadeiro. “Eu adoraria se você ajudasse a colocá-lo na cama.”

Eles caminharam juntos através da pequena sala de estar e no quarto que ela e Mason

compartilhavam. Seu berço estava no canto, os animais do jardim zoológico de pelúcia sobre o

móvel acima dela enviou dança na sequência da abertura da porta. O trocador estava ao lado

dele, carregado com fraldas e creme de pele e lenços.

A maioria dos homens, ela imaginou, não seria particularmente interessado em coisas

do bebê. Mas ela podia ver como encantado Dylan estava com a cena. Pelo menos, logo antes de

146
ele se virou para olhar para sua cama e depois para ela como se ele não conseguisse parar de

imaginar os dois fazendo sexo selvagem e louco nela.

Ela estava pensando em nada parecido com sexo quando ela comprou a cama de casal e

os lençóis ao mudar-se para Seattle. Mas, de repente, ela sabia que nunca seria capaz de olhar

para sua cama em que maneira assexuada novamente.

“Cara de sorte,” disse ele quando ele abaixou seu filho com cuidado em seu berço com

um beijo suave na testa, “compartilhando um quarto com a garota mais bonita do mundo.”

Assim que Mason sentiu o colchão embaixo dele, virou-se em seu estômago e se

enrolou em uma pequena bola com sua bunda no ar. “Essa é a sua maneira favorita para

dormir,” ela sussurrou para Dylan enquanto ela se inclinou sobre o berço e deu um beijo de boa

Mason noite. “Eu te amo, doçura.”

Dylan pegou a mão dela e deslizou seus dedos com os dela antes de sussurrar, “Você

tem sorte, também. Tem, muita sorte de tê-lo.”

Qualquer outro cara que ela namorou teria ficado, provavelmente, além de irritado que

ela dividia um quarto com seu filho, mas Dylan não era como qualquer outra pessoa, era ele?

“Eu sei,” ela concordou.

Mason entreabriu os olhos, e olhou para eles como se tentando descobrir se realmente

era hora de dormir ou se ele devia se levantar de novo para brincar com seu novo companheiro

favorito, então ela rapidamente levou Dylan fora do quarto.

Ele puxou-a em seus braços assim que a porta se fechou atrás deles com um clique

suave e ela tinha verificado o monitor na sala de estar para se certificar de que estava ligado.

“Eu tive um grande momento com você esta noite. Com ambos.” Seu olhar escuro era muito

mais intenso do que suas palavras teriam indicado. “E eu estou realmente feliz que você

deixou-me ler sua história para dormir esta noite e colocá-lo para a cama.”

“Eu tive um, realmente, bom tempo, também. Assim como sempre. Estou tão feliz que

você estivesse aqui conosco esta noite.”

147
“Eu também.”

“Assistindo Mason dar seus primeiros passos completamente apagou quão doente eu

me sentia sobre o que você me disse no museu.”

“Isso me ajudou, também,” ele disse a ela. “Mais do que você sabe.”

“Tem sido uma noite incrível... Eu não quero que ela acabe ainda.”

Dylan não disse nada em resposta, simplesmente olhou em seus olhos, como se ele não

só estava tentando se certificar de que ela não estava apenas dizendo o que ele queria ouvir,

mas que ela realmente quis dizer isso.

“Fica.”

A palavra saiu como pouco mais que um sussurro, que não estava certo. Não quando

ela queria que ele ficasse com ela esta noite mais do que ela sempre quis nada. Não importava o

quão rápido seus nervos tinha subido, ou que ela estava tremendo contra ele. Ela precisava que

ele soubesse o quanto esta noite tinha significado para ela.

“Por favor, fique e faça amor comigo, Dylan. Sei que só tenho o sofá, mas...”

“O sofá é perfeito,” disse ele enquanto acariciava as mãos das costas até a curva de seus

quadris. “E não se esqueça da mesa da cozinha.” Ele lançou um olhar para o pequeno tapete em

frente à lareira a gás. “O tapete não parece muito ruim. E isso são, apenas, as três primeiras

vezes.”

Ela riu do jeito que ela sabia que ele tinha pretendia, e também esquentou do jeito que

ele queria claramente a ela esquentasse, assim, das suas sugestões perversas de todos os lugares

que ele queria levá-la.

Ela o queria em todos esses lugares também.

“Você está nervosa,” disse ele, sua voz suave, apesar do calor que permaneceu. “Diga-

me o porquê.”

148
Ela estava continuamente surpreendido por quanto Dylan viu, e quão profundamente.

Depois de conhecer sua mãe, seu pai, seus irmãos, ela sabia que não deveria estar tão surpreso.

Mas ele era tão diferente de qualquer outro homem que ela tinha estado.

E ainda... em vez de realmente ser capaz de apreciá-lo, ela encontrou-se sempre

segurando a respiração, esperando que o outro sapato para largar. Que era por que era mais do

que apenas o aspecto físico do seu amor que teve suas entranhas girando. Hoje à noite tinha que

ser sobre a honestidade total entre ela e Dylan. Honestidade pode ter sido apenas uma das

muitas coisas que tinha estado ausente entre ela e seu ex, mas que tinha sido o mais importante.

“Isso é o que eu jurei a mim mesmo que eu nunca iria deixar acontecer de novo. Isto é o

que eu tenho lutado tanto contra para o ano passado e meio.” Ela engoliu em seco. “Mas em vez de

manter forte, eu só lhe pedi para passar a noite comigo. Eu só implorei-lhe para fazer amor comigo. E o

pior de tudo é que se ele tivesse que sair agora, eu me sentiria mais vazia e mais sozinha do que nunca

antes.”

“Eu não vou a lugar nenhum,” ele prometeu a ela, e o alívio respondendo que varreu

através dela fez seus joelhos quase tão fracos quanto seus beijos tinham feito. “Você é a pessoa

mais forte que eu já conheci, Grace. Eu sei o que é um risco que você está tomando em mim esta

noite depois da maneira como você foi ferida. Eu sei que você nunca iria se entregar a um

homem se não confiasse nele. Para saber que ganhei até um pouco de sua confiança, mesmo se

eu não a tenho toda...” Ele sorriu para ela enquanto roçava as costas de seus dedos em sua

bochecha. “Estou nervoso, também.”

Sua confissão roubou o que restava de sua respiração, especialmente porque ela sabia

que ele não estava apenas dizendo isso para tentar fazer com que ela se sinta mais à vontade,

colocando-os no mesmo barco.

“Por que?” Ela cobriu a mão dele com a dela e puxou-a para baixo, de modo que a

palma da mão descansou plana sobre o coração. “Por que você iria ficar nervoso?”

“Você realmente quer saber?”

149
Ela teria dito um rápido e fácil sim, não fosse o fato de que ele estava olhando para ela

de uma forma que nenhum outro homem jamais teve. Ela pensou que ela estava nervosa sobre

dormir com ele, mas agora ela estava mil vezes mais nervosa sobre sua resposta.

E, no entanto, assim como ela não poderia ter se empurrado para fora de seus braços e

lhe pedir para sair, não havia nenhuma maneira para ela fingir que ela não queria saber dele o

porquê.

“Diga-me,” ela sussurrou.

Sua boca se curvou-se, apenas o suficiente para os olhos para dobra nas laterais. “Eu

estou apaixonado por você, Grace.”

Ela não tinha sabido que era o que ele ia dizer? Ela não tinha lido a verdade na forma

como ele olhou para ela? No modo como ele tocou-a e beijou-a? Na maneira como ele tratava

seu filho como se ele era o bebê mais precioso no mundo inteiro?

Mas isso não fazia o impacto de suas palavras de amor fosse menos forte.

A única maneira que ela pudesse manter as pernas de dar para fora debaixo dela era de

segurar sua mão ainda pressionada sobre o coração, enquanto a outra mão em seu quadril

realizado o resto de seu apoio. Ela sabia que ele podia ver o quanto ele balançou seu mundo,

ainda mais do que ele já havia balançado-o simplesmente por exitir. E, no entanto, como ele

sempre empurrou ela para deixá-lo em sua vida desde o dia em que se conheceram, ele não

deixou-a se recolher no refugio tinha dito até agora, também.

“Eu estou tão apaixonado por você que em uma semana, você e Mason já se tornaram

tudo para mim.” Ele se inclinou para que seu rosto pressionado contra o dela e seus lábios

estavam em seu ouvido. “É por isso que eu estou nervoso, porque eu quero que esta noite seja

perfeita. Completamente perfeita.”

Sua respiração era quente em sua pele sensível, mas ela estremeceu com as belas coisas

que ele estava dizendo a ela.

Bonitas, mas tão incrivelmente esmagadoras.

150
Ela podia confiar que o que sentia realmente era o amor desta vez? Ou foi apenas uma

fome mais profunda física do que ela jamais pensou sentir? E quando ela iria parar de ser tão

assustada de cometer outro erro?

Grace nunca tinha sido mais agradecida para qualquer coisa em sua vida que ela foi

para seu filho, mas, ao mesmo tempo, ela nunca suportaria o tipo de desgosto que ela passou

com o pai dele novamente.

“Eu não disse a você que eu estou apaixonado por você, para que você se sentisse na

obrigação de dizê-lo de volta. Eu sei que eu empurrei você para namorar comigo desde o

momento em que nos conhecemos, e eu não posso me arrepender de fazer isso quando eu

realmente acredito que você e eu e Mason pertencem uns aos outros. Mas eu nunca iria

empurrá-la a me dar seu coração antes que você esteja pronta, assim como eu nunca iria

empurrá-la para fazer amor comigo, se você não estivesse pronta.”

Ela queria dizer a ele que já tinha seu coração, desejou que ela pudesse apenas pular

sem ter medo de cair e se quebrar em tantos pedaços desta vez que ela nunca seria completa

novamente. Mas, por esta noite, só havia uma coisa que ela estava cem por cento certo sobre.

“Eu quero fazer amor com você, Dylan. Mais do que eu me lembro de querer alguma

coisa.”

A palavra final mal tinha saído de seus lábios quando sua boca desceu sobre a dela,

quente e na beira do desespero.

“Você não pode querer mais do que eu.” Seus lábios traçaram um caminho escaldante e

aquecido de sua boca para sua mandíbula. “Quando Mason vai acordar de manhã?”

Ela não pode fazer sua cabeça pensar sobre a questão por alguns segundos, senão no

trilha de prazer sensual de ter sua boca e as mãos itinerante avidamente sobre ela. Finalmente,

ela conseguiu, “Seis.”

“Como estou indo para conseguir tudo o que eu quero fazer com você em nove horas?”

151
Uma onda de necessidade bateu nela, em seguida, tão potente que ela ficou um pouco

louca. Mais louca, mesmo, do que ela já foi para Dylan. Agora que ela decidiu fazer amor com

ele, para finalmente ceder ao desejo mais profundo de sua alma que ela estava trabalhando tão

duro para combater nestas últimas semanas, a necessidade arranhou ela. E ela não podia

esperar mais um segundo.

Grace agarrou sua camisa, seus dedos tateando e desesperado quando ela tentou tirá-lo

dele. “Eu preciso de você para me levar. Agora. Agora mesmo.”

Ela mal teve sua camisa até a metade quando ele colocou a mão sobre a dela. “Nós

podemos ter só nove horas, mas um pouco de preliminares e um punhado de orgasmos não vão

matá-la.”

Um punhado de orgasmos antes que ele finalmente a levasse? Ela nunca sobreviveria.

“Você sabe que eu não tive relações sexuais por muito tempo, que eu nunca estive com

um homem que me fizesse sentir do jeito que você sempre faz? Não me faça esperar. Nós

podemos fazê-lo apenas uma vez para tomar a borda fora e então...”

Sua boca na dela interrompeu-a e, embora passasse a mão em seu cabelo, de modo

lento, sua língua doce acariciava a dela até que ela não teve escolha senão combinar com seu

ritmo. Isso disse a ela mais claramente do que quaisquer palavras teriam, que ele era mais que

definitivamente iria fazê-la esperar.

E que ela estava indo amar cada segundo.

152
Capítulo Dezenove

Dylan queria arrancar o vestido bonito, que estava dando-lhe pequenos vislumbres de

sua perna durante toda a noite enquanto ela se movia. Ele queria devorá-la em um grande gole

ganancioso. Ele queria reclamá-la e fazê-la sua e nunca deixá-la ir. Mas mesmo como o desejo

correu por suas veias tão quente e rápido que quase roubou seu senso de certo e errado, ele

sabia que não podia deixar-se fazer nada disso hoje à noite.

Esta noite não era sobre a velocidade. Não era sobre a tomada.

Era sobre a dar a Grace um prazer sem fim.

Prazer que iria fazê-la girar a cabeça tão rápido, que ela não teria nenhuma escolha a

não ser segurar firme nele... e nunca deixar ir.

Ele deslizou a mão para baixo para a base de seu pescoço. “Você tem alguma ideia do

quanto eu te quero? Quantas vezes eu sonhei em estar dentro de você na semana passada?”

“Por favor,” ela implorou novamente, “Pare de falar comigo assim. Você só está o

fazendo pior.”

“Melhor,” prometeu. “Eu vou fazer esta noite melhor do que qualquer coisa que você já

imaginou.”

Ele moveu suas mãos para que ele pudesse lentamente escovar ambos os polegares

sobre as tiras finas de seu vestido em cada ombro, tocando tanto tecido e pele. Embora ela

estava tão quente ao toque que se sentia escaldado por ela, ela estremeceu.

“Sua pele,” disse ele quando ele abaixou a boca para pressionar um beijo num ombro,

“é tão macia. Tão sensível. E tão malditamente doce.”

Ele afastou o tecido trançado bastante para que ele pudesse fechar a boca sobre a sua

clavícula. Ele amava o jeito que ela se arqueou contra ele para dar ainda mais de si do que ele já

153
estava tomando. Ele quis dizer isso quando ele disse que estava indo para beijar cada polegada

dela que ele descobriu. E como ele fez o seu caminho para o outro ombro e teve que parar de

lamber no oco de sua garganta, seu gosto era tão inebriante que ele ia levar tudo nele para

segurar seu autocontrole esta noite.

“Dylan.” Ele podia sentir os mamilos duros contra seu peito através de seu vestido

enquanto ela apertou-se firmemente contra ele, enquanto trabalhava para tomar uma respiração

irregular.

Ele lhe deu mais do que ela claramente queria, ao provar o inchaço superior do seu

peito no caminho para sua outra clavícula. Ela não disse o nome dele, só fez pequenos sons

sensuais de necessidade e desejo enquanto ela se arqueou contra ele e silenciosamente pediu-lhe

para tomar mais dela.

Tudo dela. Isso era o que ele queria. Cada curva perfeita. Toda bela, estremecendo a cada

respiração. Cada doce gemido de desejo. E mesmo depois de terem sido temporariamente

saciados de sua vida amorosa, ele sabia que ele iria querer ainda mais. Tudo.

Mas, para esta noite, ele teria que ser feliz de ter apenas o que ela ofereceu. Poucas

horas perfeitas com ela nua e suave em seus braços. Uma noite que ele ansiava desde o primeiro

momento ele fixou os olhos nela.

Ele ergueu a boca de sua pele e fez-se mudar de volta. Apenas o suficiente para seu

vestido para deslizar ainda mais em seu peito. “Uma perfeição,” disse ele em uma voz que já

estava crua com a necessidade, “você aqui na minha frente com seu vestido caindo, sabendo

que você vai ser toda minha em breve, estou indo para reproduzi-la dentro minha cabeça para

todo o sempre.”

Ela inalou uma respiração instável, que balançou a caixa torácica para que seu vestido

escorregou ainda menor. “Eu irei também. Lembrarei da maneira como você está olhando para

mim, como se eu sou...”

Ele levantou o olhar para o rosto dela. “Linda. Você é a mulher mais linda que eu já vi.”

154
Ele deslizou as mãos para trás em seu cabelo e puxou-a alinhada contra ele para que ele

pudesse devorá-la. Ela combinou sua paixão com a sua própria, rapidamente levando-os mais

perto da borda do que ele pretendia ir.

“Deus, você me tenta,” ele disse quando ele finalmente conseguiu chamar de volta.

“Você tem alguma ideia de como tem sido difícil pensar em linha reta em torno de você quando

estava me fazendo suas perguntas da entrevista? Se eu parecia um idiota, agora você sabe

porquê.”

“Você nunca soou como um idiota.” Por um momento, ela parecia um pouco nervosa

de novo, mas então ela sorriu lentamente. Um sorriso tão sexy que ele não poderia arrastar o

olhar da recuperação de seus lábios quando ela disse: “Mas desde que eu adoro saber que eu

estive tentadora para você todo esse tempo sem querer, o que acha de eu atormentá-lo um

pouco mais de propósito?”

Seus sinapses tentaram disparar, tentou ligar os pontos do que ela acabara de dizer, o

que ela pediu. Mas antes de qualquer de suas palavras poderiam encadear dentro de seu

cérebro, ela estava dando um passo para trás e dançando de modo que a parte superior de seu

vestido escorregou finalmente todo o caminho para formar uma piscina em sua cintura.

Deixando-a vestida apenas com um sutiã de renda extremamente translúcido, rosa com

guarnição branca.

Cada músculo em seu corpo apertou enquanto ele lutou contra o impulso de atacar.

Para rasgar o sutiã e o vestido fora o resto do caminho. Arrastá-la para baixo sobre o tapete para

que ele pudesse reclamá-la e de novo, e de novo, e de novo até que ele tinha conseguido pelo

menos ultrapassar seu desespero.

Embora tivesse navegado através de muitas tempestades com nervos de aço, quando

ele chegou por trás dela para abrir o fecho do sutiã, suas mãos estavam tremendo um pouco e

levou mais de uma tentativa de realmente obtê-lo desengatado. Não importava quantas vezes

155
ele sonhou com a Grace nua, ele simplesmente não estava preparado para sua beleza

alucinante.

Ela respirou fundo quando ele segurou sua carne nua. “A maneira como suas mãos

grandes e curtidas ficam sobre mim...” Ela estremeceu em suas mãos, fechando os olhos quando

ele deslizou os polegares sobre os picos tensos. “Você sabe aquele punhado de orgasmos você

disse que ia me dar hoje à noite?” Ele levou as mãos para baixo mais firmemente sobre ela para

que seus mamilos estavam se esfregando contra suas palmas. “Eu não posso acreditar, mas eu

estou quase lá já só a partir disso,” ela confessou em voz ofegante.

Mas ele podia muito bem acreditar, porque ele tinha visto, uma e outra vez, o quão

naturalmente sensual que ela estava, a mulher mais sexy por natureza que ele já conheceu. A

maneira que simplesmente passava a ponta dos dedos através de seu lábio inferior ou

esfregando o polegar para dentro a palma da mão poderia fazer suas pupilas dilatarem, sua

pele arrepiar, e sua respiração ficava mais rápida. Ele não tinha perdido um único sinal desde o

dia em que a conhecera, mesmo se ela equivocadamente pensava que sua libido morreu quando

seu último relacionamento tinha sido tão horrivelmente errado.

Ele não lhe deu qualquer aviso quando ele abaixou a boca para um seio. Seus olhos se

abriram e as mãos agarraram a parte de trás de sua cabeça, como se para mantê-lo exatamente

onde estava até que ela estava pronta para deixá-lo ir. Mas ela não precisa ter preocupado com

ele indo a lugar nenhum, não quando ele poderia facilmente ter passado o resto da noite

adorando seus seios.

Ele rodou sua língua sobre o botão apertado de pele cor-de-rosa e gemeu seu prazer

quando ele se mudou para levar o outro mamilo da mesma maneira. Mas não foi o suficiente

para ir de um para o outro: ele precisava ter mais do gosto dela tanto como ele poderia ter, ao

mesmo tempo. Colocando os seios em suas mãos, ele pressionou-os juntos de modo que cada

beijo, cada raspagem de seus dentes através de seus mamilos, veio à direita na esteira do que

antes dela.

156
Eles ainda estavam de pé, mas como ele a levou para mais perto e mais perto do

lançamento com nada mais do que suas mãos e boca em seus seios, podia senti-la crescer menos

firme em seus sexy sandálias de salto alto. Pretendendo levá-la até o sofá, Dylan a tomou em

seus braços, mas ela se sentia tão bem lá que ele não podia suportar a mover ainda. Seu lábio

inferior estava um pouco inchado de onde ela deve ter estado mordendo-o quando ele estava

brincando com seus seios, sua boca o puxou como o ímã o mais forte de todos os tempos.

Quando suas mãos foram ao redor de seu pescoço enquanto ele a beijou, significava

tudo para ele que ela estava confiando nele para fazer amor com ela esta noite. Especialmente

quando ele sabia que era muito mais do que ela já tinha a intenção de confiar nele, ou qualquer

outra pessoa.

Uma parte dele queria beijá-la até o amanhecer, apenas para manter provocações e

insultos e degustação seus lábios perfeitos para horas. Mas ele esperou muito tempo por esta

noite, uma semana que se sentiu mais como uma vida – para conter a necessidade de levá-la

completamente nua e sentir prazer pelo o resto de sua pele da maneira como ele estava

devorando sua boca. Sem quebrar o beijo, ele a levou até o sofá, e quando ele a deitou sobre ele,

ele caiu de joelhos na frente dela.

Olhando para ela deitada no sofá – seios fartos nus, a saia de seu vestido subiu até meio

da coxa, seu cabelo entre os travesseiros emaranhado de suas mãos, boca e pele corada por seus

beijos – o coração de Dylan quase parou em seu peito.

“Eu poderia olhar para você durante toda a noite e nunca acreditar que você é real.” Ele

sussurrou as palavras com mais reverência do que jamais sentiu por qualquer coisa, até mesmo

o oceano iluminado sob uma lua cheia.

“Eu me sinto da mesma forma – como se eu poderia acordar logo e perceber que tudo

era apenas um sonho.” Ela pressionou sua boca na dele, suave e doce, antes de sussurrar: “Não

é, não é?”

157
“Deus, não.” Então ele tomou seu beijo mais profundo de novo, ele tinha que encher as

mãos com ela, uma deslizando para cima a pele sedosa no interior de sua coxa, a outra

segurando seu peito e provocando seu mamilo até que ela estava arqueando contra ele.

E quase o matou para levantar a boca e as mãos dela, mas seu vestido estava

enroscando em seus dedos. “Eu preciso de você nua. Agora.”

Quando ele estendeu a mão para o zíper na parte lateral do vestido e começou a puxá-lo

para baixo, ele sabia que o som seria para sempre ligado em seu cérebro com o sexo. O sexo

mais quente de sua vida. Grace levantou os quadris para que ele pudesse puxar o vestido para

baixo, e logo ela ficou vestindo apenas a calcinha sexy que combinava com o sutiã que ele já

tinha arrancado. Lentamente, tão lentamente que ele sabia que só assim poderia trazê-los a

borda, ele deslizou a calcinha para fora de seus quadris e pelas suas belas pernas. Sua

respiração falhou quando ele moveu as mãos para trás as pernas, para joelhos e coxas, em

seguida, antes que ele finalmente, finalmente! – chegasse a sua carne quente e úmida.

Ela gemeu quando ela trocou seus quadris mais alto em sua mão, e Dylan podia sentir o

quão perto da borda ele estava. Muito perto. Tão perto que ele estava com medo que ele poderia não ser

capaz de formar um pensamento coerente em breve. Antes que isso acontecesse, ela tinha que saber, “Se

precisar de mim para abrandar, se você se sentir como se estivéssemos empurrando longe

demais, rápido demais, se precisar de mim para parar, eu vou. Não importa o que.”

“Eu sei que você vai. É por isso que eu não quero que você esconda nada de mim. Não

essa noite. Não se segure, Dylan.”

Com suas palavras – Não segure, Dylan – jogando mais e mais dentro de sua cabeça, ele

colocou as mãos sobre as pernas e arrastou os quadris para a beira do sofá para que seu sexo

estivesse a poucas polegadas de sua boca faminta, com apenas seus super-sexy saltos dourados

ainda por cima.

“Eu não posso segurar,” ele disse a ela, cada palavra crua, desesperada, e totalmente

honesta. “Não com você.”

158
Deus, ela era doce. E tão maldito viciante que, como ele provou e provocou a pele lisa

entre as pernas dela, embora ela definitivamente não estava tentando fugir, ele agarrou seus

quadris com força para segurá-la exatamente onde ele a queria. Do jeito que seus olhos

escureceram e sua pele corada ainda mais, ele sabia que ela gostava do jogo um pouco áspera

de suas mãos sobre suas curvas suaves.

Porque para todas suas dúvidas declaradas, Grace sempre tinha sido cem por cento

mulher sensual em seus braços. E o jeito que ela se entregou ao prazer quando ele deslizou um

dedo dentro dela, depois outro, tudo ao mesmo tempo que passava sua língua rapidamente no

centro de sua excitação. Ele só confirmou mais uma vez que eles não só foram feitos um para o

outro, mas também que seus apetites sensuais inatos combinavam perfeitamente.

Uma imagem imprópria após outra voou através de seu cérebro. Prender seus pulsos e

tornozelos com laços de seda para levá-la até a borda novamente e novamente até que nenhum

dos dois pudesse aguentar mais. Tê-la esperando por ele em suas mãos e joelhos por tempo

suficiente para que ela pensasse que poderia enlouquecer esperando ainda mais um segundo,

em seguida, dirigir até ela para que ela viesse no momento em que a tomasse. Tomando-a para

fora em seu barco, ambos nus mergulhando na água e, em seguida, envolvendo-a em torno dele

enquanto ela se agarrava a escada do navio e dirigindo-se para ela.

Dylan nunca quis nada tanto quanto ele queria Grace para se sentir bem, então quando

ela foi caindo em clímax com sua boca e mãos sobre ela, ele fez questão de levá-la de volta até o

pico novamente antes que ela sequer chegasse a ultrapassar todo caminho.

“Dylan, eu não posso,” ela começou um protesto fraco.

Mas ele podia sentir quão perto estava a vir para além de novo, a menos de sessenta

segundos depois de seu primeiro orgasmo, então ele substituiu sua língua com os dedos. “Mais

um. Para mim.” Mudando para que ele pudesse beijar sua boca enquanto ainda jogando com a,

carne úmida quente entre suas pernas, ele enfiou a língua dele contra a dela com o mesmo ritmo

que seus dedos dentro dela.

159
Em poucos segundos, ela estava andando de lado, sem qualquer inibição, e ele quase

perdeu-se, especialmente quando ele se deixou pensar sobre o fato de que em breve não seria

apenas seus dedos dentro dela. Ele amava o jeito que ela estava segurando seus ombros com

tanta força que as unhas marcavam sua pele, amando saber que ela o tivesse marcado em sua

paixão.

Marcando ele como dela.

Ela estava mole e desossada contra ele, quando ele veio para cima do sofá e recolheu-a

perto. Ela descansou a cabeça na curva de seu pescoço enquanto ele acariciava suas costas,

enquanto ela trabalhava para recuperar o fôlego.

“Eu pensei que você estava brincando quando disse que ia me dar um punhado de

orgasmos,” ela sussurrou.

Ele sussurrou de volta, “Dois não é um punhado.”

Seus olhos se abriram de novo, e ela poderia ter tentado a dizer-lhe que ela não tinha

outro orgasmo para esta noite se ele não tivesse cobrindo a boca com a dele. Ele estava prestes a

puxá-la até ficar em cima dele no sofá quando ela venceu a ele.

Ambos estavam ofegantes quando ela levantou a boca da dele e disse: “Quem disse que

o punhado tem que ser todo o meu?”

“Grace…”

Mas ela apenas riu quando ele rosnou o nome dela em advertência, e quando ela puxou

sua camisa, desta vez ele não a impediu de desabotoá-la parcialmente e puxá-la sobre sua

cabeça. Quanto mais cedo ele estivesse nu, mais cedo ele estaria dentro dela. E uma vez que ele

estivesse lá, já sabia que nunca iria querer sair, nunca quero deixá-la ir, nunca quero parar de amá-la.

Ela baixou a boca para seus peitorais, e de novo, e de novo, ela o beijou, provocando e

provando-o da forma como ele brincou e provou sua pele nua, até que sua cabeça estava

girando e ele estava segurando seu cabelo nas mãos do jeito que ela agarrou o seu quando ele

estava amando cada polegada dela.

160
Buscando profundamente em seu interior por um autocontrole sobre-humano, ele a

levantou de volta por cima dele para que eles ficassem boca a boca, peito com peito, quadril ao

quadril. “Mais uma vez, Grace. Venha para mim mais uma vez antes de eu te fazer minha.”

Ele disse as palavras entre beijos contra seu pescoço e seios, e quando ele deslizou os

dedos para dentro dela, ele não a deixou definir o ritmo desta vez, apenas a tomou tão rápido

que tudo o que podia que foi dar dois outros clímax.

Ela era tão bonita como ela jogou a cabeça para trás para montá-lo todo o caminho que

Dylan percebeu que ele nunca tinha conhecido verdadeiramente quão poderoso sexo poderia

ser até hoje à noite.

Até Grace, quando o seu coração era tão ligado a ela como seu corpo.

Certo de que ele finalmente espremido cada onça de seu prazer, ele relutantemente

moveu suas mãos de sua pele úmida para que ele pudesse lançar as calças e boxers e puxar um

preservativo do bolso de trás antes de jogar suas roupas em toda a sala. Segundos depois, ele

teve o preservativo em sua cintura e entre suas mãos como ele levantou-a e por cima dele.

Mas em vez de dirigir até ela do jeito que ele queria, ele a segurou lá, pronta

diretamente sobre ele. Ele nunca quis qualquer um, ou qualquer coisa, tão mal, mas ele nunca

iria se perdoar por deixar o desejo substituir quaisquer temores remanescentes que ela ainda

podia ter.

“Grace?”

“Estamos protegidos?”

Ele balançou a cabeça, sabendo o quão importante isso seria para ela, que não importa o

quanto ela amava seu filho, ela instintivamente estava preocupada que o relâmpago golpeasse

duas vezes e terminasse grávida novamente por acidente. “Sim...? Eu sempre vou cuidar de

você, Grace.”

Ela colocou as mãos no rosto e beijou-o, tão baixinho que ela o pegou de surpresa

quando ela começou a abaixar-se sobre ele. Não havia palavras para descrever como era bom

161
senti-la lentamente envolvendo ele, nada que pudesse fazer mais, mas emaranhado suas mãos

em seu cabelo como ele tomou o beijo mais profundo.

Finalmente, eles ficaram pelve com pelve, peito com peito, boca com boca. Juntos, eles

abalaram com o outro, o calor duro e carne macia se unindo em uma dança perfeita de prazer.

De momento a momento eles levaram um ao outro mais e mais alto até que ele estava

engolindo seus suspiros como o fecho apertado de seus músculos internos chegando ao clímax

o levou todo o caminho para sua própria libertação. Uma que caiu sobre ele com a força de um

tsunami.

Uma e outra vez ele empurrou-se dentro dela, e novamente e novamente ela desceu

sobre ele, movendo-se com tanta alegria óbvio que as ondas os levaram completamente sob.

Mais profundo do que ele já tinha ido antes. Mais profundo do que ele mesmo sabia que ele

poderia ir.

Dylan podia sentir o coração de Grace batendo forte e rápido contra seu quando eles se

abraçaram com tanta força que não havia espaços deixados entre eles. Bem aqui, com ela, era

onde ele sempre quis ser.

Sempre.

162
Capítulo Vinte

Grace nunca soube que ela poderia perder-se completamente em outra pessoa e só

desejar ficar perdida para sempre e sempre. Foi porque Dylan a amava? E, apesar de todas as

maneiras que ela tentou proteger o coração dela, ela tinha se apaixonado por ele também?

“Eu quero ficar com você esta noite,” disse Dylan. “Eu quero te abraçar a noite toda.”

Seu ex nunca tinha ficado. Ele sempre disse que ele precisava voltar para a cidade para

se preparar para um início da manhã no escritório, e ela não tinha empurrado, não o fez dizer a

verdadeira razão ele estava saindo. Ela não queria ouvir a verdade que ele tinha outra pessoa

ou que ela realmente não importava para ele.

“Eu quero que você fique, também.” Mas essa não era a verdade completa, e depois o

que eles tinham compartilhado esta noite, ela não poderia viver com qualquer outra coisa. Não

quando até mesmo a menor mentira sentia como se fosse despir a beleza do que eles tinham

acabado de fazer juntos. “Mas isso me assusta quão rápido estamos levando o lento. Depois

desta noite, ele se sente mais como velocidade warp11.” Mesmo que não era tudo, no entanto. “E

eu não quero me corrigir, consertar o que aconteceu, com o sexo. Porque parece que é isso que

eu estou fazendo?”

“Se o sexo ajuda,” disse Dylan, “se fazendo amor comigo faz as coisas melhores para

você, então eu não posso ver porque há uma maldita coisa de errado com ele. Não há nada de

errado em falar através da dor, então por que seria errado em beijar através dela? Para permitir

que tirar o prazer fora tudo o que nunca deveria ter estado lá em primeiro lugar?”

“Eu nunca pensei assim antes.”

11
Termo náutico para mover (a embarcação) por transportar em uma corda fixa a um objeto fixo em terra, ou (de um navio)
a ser movido.

163
“Não tenho, nem nunca realmente tive que lutar contra meus próprios, Grace. Mas eu

quero tirar os seus, quero vencer todos os seus dragões com você, quero lutar todas as batalhas

ao lado de você.”

“Por que?” Ela ainda não conseguia ver. Não conseguia entender por que ele iria dar

tanto de si mesmo e seu amor – para ela.

“Sempre houve dois amores por mim, minha família e para o oceano. E agora, meu

coração está com você e Mason, também. Eu sei que dizer que eu te amo não é ir devagar, mas

eu não posso mudar o que eu sinto. Eu amo você, Grace. E eu amo o Mason, também. Mais do

que eu já amei qualquer outra pessoa.”

A maneira mais simples que ele disse uma e outra vez, como a ama e ao Mason foi a

coisa mais óbvia, natural que ele já tinha feito, e a balançou tão profundamente agora como

tinha feito a primeira vez que ele disse isso.

“É tão fácil?” Ela sempre é necessário fazer perguntas, respostas sempre são necessárias.

Mas mais do que nunca nesse momento. “Você pode realmente apenas se apaixonar por alguém

e então, de repente, eles são o seu número de novo?”

“Não é isso exatamente o que aconteceu com Mason? Quem quer que seja amado por

você, todos eles entraram na fila atrás dele.”

“Sim...?” Ele estava certo. Exatamente certo. Mais uma vez.

Grace estava sofrendo com tudo isso. Desde seu primeiro encontro oficial com Dylan.

De descobrir que seu ex teve uma série de mulheres que foram deixadas atrás dele. De assistir

Mason tomar o seu primeiro passo. Desde o mais explosivo sexo de sua vida.

E agora, de ouvir Dylan dizer a ela o quanto a amava de uma maneira que ela não tinha

conhecido um homem poderia expressar seu amor. Mesmo seu pai, que tinha amado a sua mãe

caro, nunca tinha sido tão eloquente.

Uma parte dela queria afastá-lo para que ela pudesse ficar sozinha para tentar processar

tudo. A outra parte não queria deixá-lo ir.

164
“É um pequeno sofá,” ela finalmente disse.

“Bom.”

E quando ele deslizou os saltos de seus pés e puxou-a contra si, de costas para a sua

frente, segurando a cabeça dela em seu braço, sentiu-se mais segura e mais querida do que

nunca teve antes.

*****

Em algum momento no meio da noite, eles se viraram, se beijando no escuro. Grace

sentiu como se estivesse sonhando enquanto envolvia seus braços e pernas ao redor Dylan e ele

voltou para ela, tendo cuidado de proteger eles no escuro. E, no entanto, não havia nada lento,

ou seguro, sobre a maneira como eles levaram um ao outro pela segunda vez.

Como poderia haver quando a sua fome para o outro não tinha sido nem um pouco

saciada mais cedo?

Ele deslizou seus dedos com os dela, e ela se segurou nele com força enquanto ele a

levou rápido e duro sobre o primeiro pico e depois o próximo, sem qualquer espaço para

respirar para se recuperar. Depois de tanto tempo uma seca sexual, Grace sentiu

completamente, maravilhosamente submersa no prazer inebriante. Ela queria ficar onde estava

para sempre, segurando os músculos fortes de Dylan no escuro, sua boca na dela, pois ambos

caíram ao longo da borda juntos.

E, depois, foi tão maravilhoso para enrolar seu corpo contra o dele, para puxar o braço

sobre o peito de modo que ela estava segurando sua mão direita sobre ela, seu coração ainda

batendo rapidamente, e cair no sono segura e quente e, por enquanto, pelo menos, com a alma

saciada de um profundo prazer.

165
*****

Grace acordou ao som de Mason rindo. Ela sabia como tinha sorte de que ele

geralmente acordou no lado alegre da cama, feliz e animado para saudar o novo dia. Mas hoje,

ela estava momentaneamente perdido a respeito de porque ela estava no sofá, em vez de no

quarto com ele.

Como as teias apagadas, flashbacks a noite antes de veio um após o outro. Beijos.

Carícias.

E promessas de amor sussurradas de Dylan.

Seu peito se apertou onde a alegria deveria ter floresceu em vez disso, e dane-se, ela

estava cansada disso. Cansada de ser tão cautelosa todo o tempo, de olhar para o problema em

cada esquina. Tão incrivelmente cansada de não saber mais como deixar ir fora dos braços de

Dylan.

Quando, ela queria saber, como seria bom apenas relaxar por um tempo? E acreditar,

mais uma vez, que o amor verdadeiro não só poderia ser real, mas durar para sempre?

Seus pais tinham tido um amor tão doce e tão real quanto Dylan. Ela viu o mesmo amor

nas vidas de seus irmãos Rafe e Ian, e sua irmã, Mia. Ao redor dela eram exemplos do que era

possível.

E, no entanto, mesmo que ela queria tanto acreditar, ela poderia ainda sentir o tecido da

cicatriz profunda no interior de uma ferida que ainda não estava totalmente curada.

Dylan, felizmente, sabia que ela ainda estava se curando e parecia entender exatamente

por que ela estava tão cuidadosa, tão cautelosa. Ele não tentou fingir que não era o caso, não

tentou enganar-se em pensar que ela poderia declarar seu amor por ele tão rapidamente quanto

ele tinha para ela.

166
Mas será que ele continuaria a ser paciente? Ou será que ele, se ela não fosse rápida o

suficiente, finalmente desistiria dela?

Tremendo com o pensamento de perder alguém, que tinha tão rapidamente, tornado-se

a luz do sol em torno do qual seu mundo girava, ela enrolou o cobertor em torno de seu corpo

nu e deixou o riso atraí-la para o quarto.

Talvez depois da noite que tinham compartilhado em si, beijando e tocando um ao

outro, ela deveria ter sido melhor preparada para lidar com a visão de Dylan vestindo apenas

calças, descalço e sem camisa, com o rosto barbeado e desalinhado e parecendo mais lindo do

que nunca. Ela teve que colocar a mão na maçaneta da porta para firmar-se por um momento,

enquanto observava o homem de aparência mais pecaminosamente linda rindo com seu filho.

E, por enquanto, pelo menos, as sombras que tinham começado a rastejar, não podiam

suportar a alegria brilhante das duas pessoas que fizeram dela mais feliz quando Mason

estendeu a mão para beijá-la, assim como Dylan a beijou também.

167
Capítulo Vinte e Um

No dia seguinte, Grace estava sentada atrás de seu computador enquanto Mason

cochilava, olhando para o cursor que piscava, ela tentava com muita, muita força não perder o

homem sobre quem ela escrevia, quando o telefone tocou e ela viu um número desconhecido

aparecer na tela. Dylan tinha partido no dia anterior para a Austrália e para grande corrida de

iates de uma semana. Ele tinha sido tão relutante em ir quanto ela e Mason tinham sido em dar

um beijo de despedida, mas se as coisas estavam tendo uma chance de funcionar entre eles, eles

teriam que aprender a dar um ao outro o espaço que precisavam: Dylan para os seus barcos, e

Grace para sua escrita. Esta viagem seria boa para eles, ela lembrou a si mesma enquanto olhava

para o número na tela e tentou novamente reconhecê-lo.

Ela nunca tinha ficado nervosa em atender ao telefone antes de deixar DC. Mas eram

momentos como este, em que ela imediatamente pensava sobre seu ex e sua família e se

perguntava se eles tinham ido persegui-la depois de tudo – se soubessem que ela teve o bebê e

agora estavam chamando para tentar tirar seu filho para que ele pudesse continuar a linhagem

Bentley.

Ela deixou a chamada ir para o correio de voz tantas vezes quanto ela disse a si mesma

para parar de olhar para o perigo em cada esquina. Ela estava apenas cansada por não dormir o

suficiente na noite anterior. Não, é claro que ela não trocaria fazer sexo quente com Dylan por

qualquer quantidade de sono. Por algumas coisas valia bem a pena perder o sono, pensou

enquanto um pequeno sorriso mudou-se para os lábios.

Mais uma vez, mesmo sem estar aqui, ele estava fazendo seu sorriso, fazendo-a

esquecer a escuridão que tantas vezes sentiu como se estivesse à espreita, esperando para atacar

quando ela estava no seu modo mais vulnerável.

168
Sentindo-se muito mais estável, ela bateu no botão Reproduzir em seu telefone e ficou

surpresa ao ouvir uma voz familiar. “Oi, Grace, é Tatiana. Espero que esteja ok que Dylan tenha me

dado o seu número. Desde que Mia surpreendeu a todos nós com um casamento, eu queria surpreendê-la

com uma festa para celebrá-lo – apenas as meninas. Sei que este é um prazo curto, mas existe alguma

maneira que você estaria disponível para vir no set de meu filme amanhã à noite às seis? Mal posso

esperar para ouvir de você.”

Mesmo que Grace já soubesse o quão pé no chão a outra mulher era, isso não mudava o

fato de que Tatiana ainda era uma enorme estrela de cinema. Ela não podia acreditar que ela

tinha acabado de ser convidada para o set. Especialmente quando ela não estava de todo certa

que ela contava como “uma das meninas,” mesmo que ela tenha ido ao casamento de Mia.

No entanto, não querendo ser rude, Grace ligou de volta imediatamente. “Muito

obrigada pelo convite para a festa de Mia. Eu adoraria ir,” disse ela, honestamente,” mas eu não sei se

vou ser capaz de conseguir uma babá.”

“Desculpe,” Tatiana disse: “Eu estou um pouco cansada da cena, eu só atirei hoje. Eu acho que

o diretor realmente quer raspar um pedaço da minha alma por este filme.” A outra mulher deixou

escapar um longo suspiro que Grace facilmente simpatizou, uma vez que ela também estava se

sentindo tão cansada de tentar escrever sua história de capa sobre Dylan. “Eu também queria

dizer na minha mensagem que você deve definitivamente trazer Mason. Algumas das outras meninas

estarão trazendo seus filhos, também, e eu sei que ele vai ter uma tonelada de divertimento brincando com

eles.”

Grace tinha deixado para trás todos e tudo o que ela tinha conhecido há um ano e meio

atrás, o que significava que ela não tinha saído para uma bebida com quaisquer amigas em um

longo tempo. De repente, uma noite com as mulheres Sullivans pareceu exatamente com o que

ela precisava, mesmo que ela ainda não conseguisse afastar a sensação de que ela realmente não

pertencia a sua liga. Então, novamente, ela não conseguia sequer acreditar que ela poderia

169
acabar com um homem como Dylan... e olha o que tinha acontecido quando ela finalmente

deixou-se ir com ele: magia.

“Conte comigo. Existe algo que eu possa fazer para ajudar?”

“Não, eu tenho tudo coberto aqui. Basta trazer a si mesma e seu pequeno rapaz bonito. E planejar

se divertir!”

*****

A noite de Grace estava cheia, tal como tinha sido nos últimos dez meses, dar o jantar a

Mason, em seguida dar-lhe o seu banho, ler-lhe uma história, e colocá-lo na cama. Mas o seu

ritual de dormir parecia um pouco fora. E ela sabia o motivo: não era apenas porque o segundo

dente de Mason tinha acabado de sair, foi também porque claramente ambos desejavam muito

que Dylan estivesse lá com eles. Lendo para Mason uma história. Dando a ele um beijo de boa

noite.

E, em seguida, segurando-a apertada toda noite depois de fazer com ela o amor mais

doce que se possa imaginar.

Infelizmente, porém já era tarde quando ela finalmente conseguiu estabelecer Mason,

uma vez que ela ainda estava lutando com sua escrita, ela voltou para seu computador para

trabalhar mais um par de horas antes de deitar. Obrigando-se a manter o foco em seu artigo, ao

invés de sonhar acordada sobre beijos como tema principal – ou deixando-se preocupar de que

algo ruim poderia ter acontecido com ele, porque ele ainda não tinha chamado, ela começou o

trabalho pesado de rever o que ela tinha escrito no início do dia.

Antes que ela pudesse avançar muito, porém, seu telefone tocou e seu coração saltou

em seu peito quando ela viu seu nome aparecer na tela.

170
Grace tinha prometido a si mesma que não iria olhar para seu telefone a noite toda

esperando por Dylan chamar. Houve muitas noites, quando seu ex tinha prometido checar, mas

não o fez. Ela acreditava em Richard quando ele lhe disse que era porque ele tinha trabalhado

até tarde e perdeu a noção do tempo – quando ela descobriu mais tarde, que ele estava

cortejando a mulher com quem ele realmente planejava se casar. Grace tinha sido simplesmente

uma conveniência, e facilmente, foi colocada de lado.

Mas Dylan manteve sua promessa, assim como ele tinha mantido todas as outras

promessas que ele tinha feito para ela até agora. Tinha sido um longo tempo desde que ela

deixou-se sentir a alegria de querer alguém, e ser querido de volta. Assim como ela apreciou as

horas gloriosas em seus braços duas noites atrás, ela decidiu que era ok saborear esta adorável

sensação de calor em seu peito agora.

“Oi.”

“Eu já falei o quanto eu amo o som da sua voz?”

Somente com isso ele a fez ruborizar, com calor movendo-se através dela. “É muito bom

ouvir a sua voz, também. Como foi seu voo?”

“Bom. Embora eu possa ter ficado um pouco louco pensando em você todo o tempo. Estou tão

feliz que você ainda está acordada. Uma vez que estamos indo amanhã de manhã, pode ser difícil para eu

pegar você de novo, então eu realmente precisava falar com você esta noite. Conte-me sobre o seu dia.”

“Tatiana ligou e convidou Mason e eu para uma festa surpresa para Mia que ela está fazendo em

seu set.”

“Minha irmã vai adorar tanto ver você novamente. E Mason vai brincar com as crianças dos

meus primos. Só não deixe que nenhuma das meninas corrompa você. Especialmente minha prima Lori.

Ela pode ser uma selvagem, particularmente quando ela e Mia ficam juntas.” Grace estava espantada,

mais uma vez, com a facilidade que ele fez as coisas soarem, como se ele não estivesse surpreso

com o fato de que ela tinha sido convidada para uma grande festa da família quando eles

tinham apenas começado a namorar. “Como está a sua escrita?”

171
Ela sabia que não devia se preocupar com um bom agora. “Eu terei isso em breve. Eu só sei

isso. E até lá, vou apenas continuar a trabalhar no meu computador para que quando vier a luz eu esteja

pronta.”

“Na próxima semana, no domingo,” ele lembrou. “Uma vez que você sair no meu barco, tudo

vai vir junto para você.”

Seus batimentos cardíacos foram para cima ainda mais rápido com o pensamento de

velejar com Dylan, como sempre acontecia quando ela pensava em ficar sozinha com ele em seu

domínio final. Bem ali no confessionário cockpit.

“E quanto a Mason? Eu senti saudade desse pequeno como um louco. Como foi seu dia?”

“Foi ótimo. Seu segundo dente finalmente saiu completamente.”

“Todos os dias há algo novo e excitante, não é?” Dylan realmente parecia interessado e

excitado por este pequeno marco. “Nós vamos ter que comemorar seu dente novo quando eu voltar.”

A reação de Dylan a fez lembrar-se de como seus pais a tinham criado, onde até mesmo

um evento tão pequeno quanto outro dente crescendo em seu bebê era algo para comemorar.

Pensando em como Mason tinha parecido um pouco desligado durante todo o dia, ela

disse: “Ele sente falta de você.” Mas ela sabia que estava sendo desonesta. Dylan tinha lhe dado

seu tudo desde que se conheceram, e ele merecia melhor dela. “Eu tenho sentido sua falta,

também.”

“Você não tem ideia o quão tentador é pegar o próximo avião de volta para você.”

“Você tem que fazer esta corrida,” disse a ele. “E você tem que me prometer que você vai

gostar.” Ela nunca se perdoaria se ela e Mason roubassem de Dylan a sua alegria mais

verdadeira.

“Eu vou trocar essa promessa por uma sua.” O tenor de sua voz mudou quando ele falou, a

partir da lúdica para a sensual.

“O que você quer que eu prometa a você?”

“Isso, esta noite nós não vamos desligar até que você goze para mim.”

172
“Mas,” Ela mal conseguia falar em torno do desejo já crescendo dentro dela. “como posso

fazer isso quando você não está aqui?”

“Prometa-me, Grace.”

Chocada com o quão perto da borda estava, mas a promessa sexy em sua voz a tinha

tomado, ela sussurrou: “Eu prometo.”

“Durante todo o dia eu montei uma fantasia sobre você na minha cabeça. Vai me ajudar a vivê-

la?”

“Sim.”

Deus, sim.

173
Capítulo Vinte e Dois

“Onde você está agora?”

“Sentada na mesa de jantar atrás do meu computador.”

“Afaste o computador e vá para o sofá.”

As mãos de Grace tremiam enquanto ela seguia suas instruções. “Estou no sofá agora.”

“Diga-me o que você está vestindo.”

“Camiseta de manga comprida e calça jeans.”

“Tudo o que você está vestindo, Grace.”

O comando sensual em sua voz – um que a chocou na melhor forma possível quando

estavam fazendo amor – enviou uma onda de calor desde as pontas de seus seios até entre suas

pernas. “Eu estou vestindo lingerie, eu acho que você realmente gostaria delas.”

“Eu gosto de todas,” disse ele em uma voz rouca que perfeitamente apoiado sua

reivindicação. “Como se parece?”

“Laço branco puro. Sutiã de seda rosa. Semelhante ao que eu usava na quarta-feira à

noite, embaixo do meu vestido.”

Ele gemeu. “Você é tão linda, você me surpreende. Você pode colocar o telefone no viva

voz sem acordar o Mason?”

“Se eu manter o volume baixo.”

“Bom, porque eu vou querer que você seja capaz de usar suas duas mãos.”

Agora era ela a pessoa gemendo. “Dylan.”

“Deus, eu adoro quando você diz meu nome assim. Como se estivesse morrendo para

eu tocar em você.”

174
“Eu estou. Quero-te tanto.”

“Tire sua camisa e imagine meus dedos passando em sua pele, e então meus lábios

quando eu não posso manter minha boca longe de você.”

Ela levantou o algodão. Mas onde deveria ter sido a mesma coisa que ela tinha feito um

milhão de vezes antes, hoje ela não poderia começar tirá-lo para fora de sua cabeça a imagem de

Dylan.

“Diga-me o que você vê, o que você sente. Cada detalhe.”

Ela nunca tinha feito isso com mais ninguém, nunca jogou um jogo sexy de fingir no

telefone. Sempre tinha assumido que ela ficaria muito envergonhado de ser capaz de chegar a

ele. Mas Dylan fez tudo parecer tão fácil, tão natural.

“Eu estou respirando mais rápido já, só de sonhar em ter suas mãos em mim, e sabendo

que é apenas o começo de todas as coisas incríveis que você vai fazer comigo hoje à noite.”

“Oh baby, você não tem ideia.”

Ela poderia ter parado lá, sabia que ele não iria empurrar além de seus limites, mas ela

queria saber que ela o fez se sentir tão bem. “O som de sua voz, o toque de suas mãos na minha

pele – elas fazem meus seios tão sensível sob o meu sutiã.”

“Jesus.” Ele soltou um suspiro. “Isso é a coisa mais quente que eu já ouvi na minha

vida. Que eu já vi. Toque-se, Grace. Toque os seus seios.”

“Através do sutiã ... ou fora dele?”

“Mantenha-o por agora. Diga-me como se sente ao ter a renda raspando contra seus

belos mamilos.”

“Bom,” disse ela em um suspiro de prazer. “Tão bom.”

“Nu. Eu preciso de você nua agora, preciso ver, preciso tocar, cada polegada de seus

seios perfeitos.”

Ela estendeu a mão para o fecho do sutiã. “Eu estou agradavelmente tirando-o,” ela

clicou abertura “agora.”

175
“Eu nunca vou ser capaz de ouvir aquele som novamente sem ficar duro. Você está

tocando a si mesma?”

“Sim?” Ela estava sussurrando novamente, apenas alto o suficiente para ele ouvir.

“Sinto meus seios tão completo, tão sensível, como tudo que você tem a fazer é passar a sua

língua em cima de mim e eu vou explodir.”

“Você quer que eu seja gentil esta noite, Grace? Porque eu estou me sentindo muito

muito desesperado, e eu não sei se eu consigo me controlar muito mais tempo.”

“Eu adoro quando você é gentil,” ela disse, “mas eu também adoro quando você não

pode ajudar a si mesmo e fica um pouco áspero.”

“Toque-se do jeito que eu faria se eu estivesse aí com você agora. Como você já me fez

perder o controle.”

Ela fechou os olhos, e quando ela imaginou mãos de Dylan sobre ela, um pouco áspera

e desesperada com o desejo, uma nova onda de calor a alagou. “Eu adoro quando você começa

a perder o controle. Isso é tão bom.”

“Você não tem ideia de como isso é bom,” ele disse a ela. “Eu poderia brincar com seus

peitos durante toda a noite. Você quer isso, Grace? Você gostaria que as minhas mãos e boca em

você por horas e horas?”

“Por favor.” Ela estava quase chorando agora.

“Em breve,” ele prometeu, antes de dizer: “agora eu quero que você mova suas mãos

para baixo sobre suas costelas e no estômago, apreciando cada polegada de seu corpo lindo do

jeito que eu faria se eu estivesse aí com você.”

Ela sempre foi no lado das mais curvas, e desde o primeiro momento Dylan tinha

olhado para ela, e, em seguida, quando ele a tocou, ela não tinha tido duvidas o quanto ele a

amava o seu corpo. “Você sempre me faz sentir tão bonita.”

“A mulher mais bonita que eu já vi,” ele confirmou em uma voz profunda que ressoou

com a necessidade. “Abra o botão de suas calças jeans e em seguida, abaixe o zíper.”

176
O som do zíper abrindo tinha Dylan gemendo novamente. “Você não tem ideia do quão

quente estou ouvindo isso e sabendo que está mostrando sua pura renda completamente. Diga-

me o que você está fazendo agora. Você está tocando a si mesma? Ou você está esperando por

mim para dizer-lhe o que fazer?”

Ela sabia até agora como surpreendente, como quente o sexo com Dylan foi quando

suas mãos, a boca estavam sobre ela. Mas o que ele era capaz de fazer com ela apenas com sua

voz profunda sexy e, com fome?

Ela mal podia respirar, mal pensar, ela o queria tanto.

“Eu quero tocar-me tão mal,” ela admitiu. “Eu preciso. Mas…”

“Você sabe que a antecipação da espera para me dizer-lhe para se tocar irá torná-lo

ainda melhor.”

“Sim.”

“Você me faz feliz, Grace. Então maldito feliz.”

“Você me faz feliz também.” Ela estava semi-nua no sofá dela fazendo sexo

impertinente pelo telefone... e ela estava sorrindo tanto que suas bochechas doeram. “Muito,

muito feliz.”

“Que tal eu fazer você ainda mais feliz por dizer-lhe para tirar seu jeans agora. Mas

deixar o laço branco por um pouco mais de tempo.”

“Tudo bem,” disse ela alguns segundos depois, “meu jeans estão fora.”

“Eu estou tendo uma imagem mental de você agora, deitada no seu sofá, quase nua,

molhada e pronta para mim.” Um som baixo de prazer retumbou em seu peito através do

telefone. “Perfeita. Deus, você é perfeita.” Ela pensou ter ouvido seu zíper descer, também, em

seguida, mas antes que ela pudesse perguntar, ele disse: “Eu quero que você deslize a mão

dentro de sua calcinha.”

Ela teve que morder o lábio para abafar o gemido de prazer quando ele finalmente

instruiu-a a tocar sozinha. “Estou dentro.”

177
“Jesus, Grace, você quase me fez gozar.” Ela podia ouvir sua respiração vindo mais

rápido e adorou saber que ela poderia fazê-lo perder o controle. “Diga-me como você se sente.

Eu preciso saber o quão quente, como você está molhada para mim.”

“Eu nunca me senti assim antes,” disse ela. “como se eu não pudesse esperar mais um

segundo ou eu vou ficar louca.”

“Só mais um pouco,” ele insistiu com ela. “Basta esperar um pouco mais, e eu prometo

que vou torná-lo bom para você.”

“Eu sei que você vai. Você sempre faz.”

“Deslize a renda para baixo de suas pernas agora. Faça-o lento e suave, mesmo que eu

saiba que você quer arrancá-la apenas como eu fiz a primeira vez em que estivemos juntos em

seu sofá.”

Ela realmente queria rasgar sua calcinha, queria que qualquer barreira entre os dois se

fosse, mas ela seguiu suas instruções, obrigou-se a ir devagar.

“Elas já saíram? Você está completamente nua agora?”

“Elas saíram. — Eu estou.” Suas palavras eram instáveis. “Por favor, Dylan. Não me

faça esperar mais.”

Mas em vez de dizer a ela que era finalmente tempo para deixou-se ir sobre a borda, ele

disse, “Corra as mãos para cima de suas coxas, nos quadris, em seguida, sobre seus seios.”

Cada polegada dela estava tão incrivelmente sensível até agora que até mesmo o menor

arranhão das unhas a mais em sua pele a fez ofegar na sensação.

“Se eu estivesse aí com você agora, gostaria de seguir o caminho de suas mãos com a

boca. Eu beijaria e lamberia e morderia meu caminho por o seu corpo e, em seguida, de volta

para baixo entre as pernas até que você estivesse gritando o meu nome. E você têm um gosto

tão bom que eu não iria parar com um orgasmo, eu não iria parar com dois – eu lhe daria pelo

menos mais três vezes antes de eu voltar o seu corpo novamente.”

178
Ela mal conseguia parar de gritar o nome dele agora. “Eu estou tão perto, Dylan. Eu não

sei se eu posso segurar por mais tempo.”

“Eu amo você, Grace.” Ele fez uma pausa apenas o tempo suficiente para suas belas

palavras a afundar-se antes de acrescentar: “Agora venha para mim.”

Ela mal tinha tocado si mesma quando ela arqueou-se para trás do sofá e – o profundo

prazer explodiu dentro da alma dela.

“É isso aí,” ele grunhiu, sua própria respiração soando tão febril quanto a dela. “Não

pare de tocar a si mesmo, não parar de fazer esses belos pequenos sons. Eu estou bem aqui com

você.” Ele proferiu uma maldição baixa, que vibrou através de cada polegada dela exatamente

da mesma maneira que fez quando estava duro e quente dentro dela em vez de quase treze mil

quilômetros de distância.

“Dylan” Sabendo que ele também estava tocando a si mesmo, que ele pulou fora do

pico com ela, teve sua espiral de volta para cima e em outro clímax.

Nenhum dos dois falou por um minuto ou dois, como eles trabalharam para recuperar

o fôlego. Sentia-se muito maravilhosamente para se preocupar com a colocação de suas roupas,

então ela simplesmente pegou um cobertor.

“Você gostou disso?”

Ela pegou o telefone do alto-falante e segurou-a contra seu ouvido, como se isso traria

mais perto Dylan. “Eu adorei.”

Ela praticamente podia vê-lo sorrir através do telefone. “Você continua soprando minha

mente, Grace.”

“Eu poderia até ter explodido a minha esta noite,” ela brincou, quase abafando um

bocejo no meio.

“Você teve um longo dia. Eu deveria deixar você ir para a cama.”

179
Ela queria ficar no telefone com ele por horas, mas ela sabia que era necessário ambos

de cabeça clara amanhã. Ele tinha uma corrida e uma longa semana para começar no barco de

seu amigo, e ela tinha uma história para pregar antes de ir para a festa surpresa de Mia.

“Eu amo você, Grace. E se eu não posso alcançá-la novamente por alguns dias enquanto

eu estou competindo, eu quero que você me prometa que não vai esquecer.”

Eu também te amo, ela pensou. Eu te amo tanto. As palavras estavam na ponta da língua,

jogando mais e mais em sua cabeça tão alto que ela meio que pensei que ele seria capaz de ouvi-

los. Mas no final, tudo o que conseguiu dizer foi: “Eu não vou esquecer, Dylan. Eu prometo.”

“Bons sonhos, querida.”

“Bons sonhos.”

*****

Pensamentos de Grace eram confusos quando ela desligou o telefone. Se alguma coisa

deveria ter sido “apenas sexo,” que era o que tinha acabado de fazer. E, no entanto, tinha sido

tão bonito. Tão emocional.

Desde o início, ela tinha conhecimento que Dylan Sullivan era especial. Ele a fez sentir

coisas que nenhum outro homem jamais fez. E, no entanto, ela ainda estava determinada em

negá-lo, para esconder isso dele. Mas Dylan tinha sido igualmente determinado a não deixá-la

continuar fazer isso. Lentamente, pacientemente, ele tocou seu coração tão suavemente e tão

completamente, como ele tocou seu corpo.

Ela tinha dado o primeiro passo assustador para algo real, permitindo que seu irmão

Adam soubesse que eles não eram mais que apenas entrevistador / entrevistado, mas estavam

namorando. Isso tinha sido assustador o suficiente. Ainda assim, ela disse a si mesma que só

180
porque eles eram oficialmente namorados não significa que eles ainda não estariam levando as

coisas devagar.

Mas hoje ela não poderia mais negar o que realmente sentia–e sentira quase desde o

primeiro momento em que Dylan tinha segurado seu filho em seus braços para acalmar o seu

choro. Um amor que já tinha crescido grande. Forte. E inegável.

Ela tinha estado perto, tão perto, para dizer as três palavras em voz alta no telefone esta

noite. Mas algo a tinha detido no último segundo. O temor de que uma vez que ela deixa-se

acreditar, realmente acreditado que o que eles estavam construindo poderia durar, tudo seria

rasgado longe dela.

Para que deixar amar Dylan Sullivan com todo seu coração e depois perdê-lo?

Oh Deus, mesmo pensar sobre isso machuca.

Ela tinha sido um desastre depois que seu ex a tinha despejado, mas não tinha sido

porque estava deprimida. Tinha sido porque ela estava com nojo de si mesma por ser estúpida

o suficiente para se apaixonar por seu ato. E depois que ela prometeu proteger tanto seu próprio

coração do pedreiro e, ela disse a si mesma que os dois não precisavam de mais ninguém, que já

eram como uma unidade perfeita. Essa independência determinada lhes havia atravessado todo

o país e estabeleceu-se em uma nova vida em Seattle.

Mas agora... e se ela realmente abriu a porta que ela tinha bloqueado com tanta força

um ano e meio atrás? E se ela decidiu parar de ser tão cautelosa? Para confiar no que Dylan quis

dizer isso quando ele disse que viu os três juntos para sempre? E, finalmente, deixá-lo de modo

que sua pequena unidade apertada de dois tornare-se três?

Claro, ela já sabia que abrir uma porta para Dylan Sullivan realmente significava

puxando para baixo uma parede inteira para toda sua família. Uma família grande, maravilhosa

que tinha tomado, desde o primeiro momento.

Grace tinha sido criada por dois pais maravilhosos que sempre lhe havia ensinado a

olhar para o lado bom das pessoas. Sim, ela tinha sido queimada. Gravemente queimada por

181
seu ex e os outros Bentleys. Mas eles não a tinham destruído ou a Mason. Não tinham sequer

chegado perto.

Ela confiava antes, e com ajuda de Dylan e seu amor, ela estava aprendendo a confiar

novamente.

Ela quase o chamou de volta, mas ela queria ver seu rosto quando ela finalmente disse

que as três palavras que ela sabia que ele tinha sido esperando para ouvir, queria que seus

braços ao redor dela quando ela arriscou tudo por dizer o: eu te amo.

*****

O corpo de Dylan estava solto após o mais quente sexo por telefone na história, mas sua

mente estava correndo então ele pegou uma cerveja e saiu para a varanda do condomínio beira-

mar em que seu amigo estava hospedando-o esta noite antes deles saírem na corrida de iate.

Durante todo o dia, ele estava pensando em Grace. Quando ela iria aceitar seus

sentimentos? Em que ela confiaria nele para nunca machucá-la de alguma forma? E quando ele

finalmente poderia reivindicar tanto Grace e Mason como seu próprio?

Ele a chamou, sem vídeo, porque ele queria a intimidade da fantasia, a emoção de

fingir, para ser o que os levasse tanto ao longo da borda. Mas ainda mais do que ele queria estar

lá com ela esta noite assistindo sua pele enrubescer e os olhos escurecer com desejo enquanto

ele fazia amor com ela, ele queria ver o anel em seu dedo. Ele queria Mason para ser

oficialmente um Sullivan. E ele queria saber que os dois estariam sempre protegidos contra

qualquer pessoa do passado que podem tentar voltar para prejudicá-los.

Ele mandou uma mensagem a seus irmãos para marcar outra reunião, logo que ele

voltasse da corrida. Desta vez, todo mundo viria com o que aprenderam sobre os Bentleys para

trabalhar fora seu plano de jogo. Porque da mesma forma que Dylan tinha o sexto sentido que

182
sua vida iria mudar logo antes de Grace e Mason tinha aparecido em sua casa de barcos, seu

intestino agora estava dizendo-lhe que o vento estava mudando de novo, muito possivelmente

trazendo um tornado.

Dylan olhou para o porto de Sydney, que ele tinha navegado muitas vezes nos últimos

anos. Ele estava ansioso para cair na água e quebrar outro recorde este ano. Mas ele estava

ansioso para voltar para Grace e Mason–mulher e criança que já foram e seriam para sempre

seus–um inferno de muito mais.

183
Capítulo Vinte e Três

Grace tinha planejado a trabalhar por mais algumas horas na noite anterior depois de

sair do telefone com Dylan. Mas, completamente esgotada e felizmente, tudo o que ela

conseguiu foi rastejar na cama para rebobinar e replay de cada momento de sua chamada

super-sexy.

Quando Mason tinha acordado esta manhã com o seu bom humor de costume, ela

sentiu tão feliz. É porque nós dois estamos apaixonados por Dylan, ela pensou como ela levantou-o

para fora do berço com um beijo. Cada momento que passaram com ele estava cheio de alegria,

cheia de risos.

E cheio de amor.

Ela estava tentada, mais uma vez, em chamar Dylan para que ele pudesse finalmente

saber a verdade do que tinha no seu coração. Mas com a sua corrida a partir de hoje, e a

diferença de fuso horário de dezessete horas, ela provavelmente não seria capaz de alcançá-lo.

Além disso, seria muito melhor olhar em seus olhos e mantê-lo fechado quando ela dissesse a

ele o quanto o amava. Que ela nunca amou ninguém como ela o amava. Que fez a cada dia

melhor e melhor.

E esse direito quando ela pensava que o amor tinha terminado, ele tinha apenas

começado.

Ela trocou Mason, em seguida, levou-o até a cozinha e o colocou em sua cadeira alta

para alimentá-lo com seu café da manhã. Ele comeu seu purê de ervilhas, cenouras, e um

punhado enorme de Cheerios. Quando ele parou de comer e começou a atirar o cereal que

sobrou em seu bicho de pelúcia na caixa de brinquedos no canto da sala de estar, ela

rapidamente limpou-o com um lenço umedecido e, em seguida, deixou-o solto para brincar.

184
Brincadeira que rapidamente se transformou na mais inspiradora caminhada.

Levou mais tempo do que ela esperava finalmente sentar-se em seu computador para

verificar seu e-mail, onde encontrou uma mensagem em espera de seu editor. Seu prazo era

ainda de duas semanas, mas ele queria ver algo em breve para que o departamento de arte

pudesse começar a trabalhar na apresentação tanto do artigo e a capa, para que eles iriam

colocar junto as fotos do retorno de Dylan da Austrália.

O coração de Grace imediatamente começou a bater em torno de seu peito. Ela nunca

tinha estado tão nervosa sobre algo que ela tinha escrito antes, mesmo durante o último ano e

meio, quando tinha sido uma luta para obter as palavras para baixo. Escrever sobre Dylan era

tão pessoal, tão perto de seu coração, que ela queria que fosse perfeito. Precisava que fosse a

melhor coisa que ela já tinha escrito.

Dylan tinha aumentado sua grande pesquisa com os melhores entrevistas cara a cara

que um jornalista poderia sonhar sobre o assunto. Todas as peças para esta história deveria

estar lá. Mas quando ela abriu o arquivo novamente e leu enquanto Mason batia carros juntos

no chão, em seguida, caiu sobre eles como um bebê Godzilla, ela não podia negar que ainda

faltava algo.

Ela respondeu a e-mail de seu editor para que ele soubesse que ela estaria enviando

algo muito em breve, então colocou Mason em seu assento inflável no banheiro e tomou um

banho rápido. Com a festa surpresa de Mia naquela tarde, comprar um presente para ela, e

descobrir o que vestir, ela não teria tempo para trabalhar em sua história mais uma vez até hoje

à noite. Considerando-se que ela tinha refeito o início de uma dúzia de vezes já, foi

provavelmente uma coisa boa que ela estava ficando longe de seu computador por um tempo

para que ela não se abater a história, reescrevendo toda a vida fora dele.

Porque se havia uma coisa que ela sabia com certeza, era que sua história sobre Dylan

Sullivan tinha de ser tão divertido e tão cheio de alegria, como o próprio homem. Qualquer

coisa a menos não faria ele, ou o que ele tinha conseguido-justiça.

185
*****

Várias horas depois, Grace entrou no set de filmagem de Tatiana Landon segurando

Mason em um braço e um presente bonito embrulhado em outro. Ela entrevistou atores e

atrizes antes, mas ninguém do calibre de Tatiana. O conjunto era muito impressionante, o

mobiliário da década de 1920 autêntico até ao mais ínfimo detalhe.

Quando Tatiana lhe dissera que ela estava trabalhando em um filme de época e que ela

estava mais do que um pouco nervosa sobre faze-lo, Grace tinha se maravilhado com sua

bravura. A maioria das atrizes provavelmente ficaria feliz em ficar com o que eles tinham

provado que eram bons. Tatiana, por outro lado, prosperou claramente a desafiar em aprender

um novo conjunto de habilidades e chegar fora com o que ela já sabia como fazê-lo bem. Ian

Sullivan, Grace se lembrou com um sorriso pequeno, tinha estado tão orgulhoso de sua noiva. A

maneira como ele olhava para Tatiana com tanto amor que ele roubou a respiração mesmo de

Grace ainda preso com ela. Era da mesma maneira Ford tinha olhado para Mia. Da mesma

forma que Rafe olhou para Brooke.

E da mesma maneira, ela estava finalmente pronta para acreditar que Dylan sempre

olhou para ela.

“Yay, você está aqui!” Tatiana correu e deu a ambos um abraço. “Uau, olhar para o

quanto você cresceu desde a última vez que eu lhe vi,” disse ela para Mason. “Você já é um

menino grande!”

Um dia, Grace pensou quando ela assistiu Mason sorrir timidamente para a mulher

bonita bajulando ele, Tatiana seria uma mãe incrível. E Ian seria um grande e muito protetor,

pai. Assim como ele era um grande irmão, protetor mais velho.

186
“Mia ainda não está aqui. Eu disse a ela para vir em trinta minutos. Ela acha que eu

preciso de sua ajuda com encontrar outro local em Seattle para uma nova cena do filme.”

Tatiana sorriu. “Ela vai ficar tão surpresa quando ela ver todo mundo.”

“Quantos dos primos de Mia puderam vir?”

“Todo mundo na Costa Oeste. Eu odeio que eu não pude dar tempo suficiente para

trazer as meninas do Maine e Nova York, mas com todos os outros e as crianças aqui é bastante

surpreendente. Eles não podem esperar para conhecê-lo.”

O que, Grace se perguntou, fez Tatiana e Brooke dizer as outras mulheres sobre ela?

Especialmente desde que ela e Dylan tinha apenas recentemente ido a público com o fato de que

eles estavam namorando. Então, novamente, não tinha tudo o que conhecido que algo estava

desde aquele primeiro jantar na casa de Claudia e Max?

Mason viu os gêmeos primeiro, um menino e uma menina que parecia ser apenas um

pouco mais velho.

“Você deve ser Grace e Mason.” A mãe dos gêmeos tinha um dos mais amigáveis

sorrisos que Grace já tinha visto. “Eu sou Sophie, e este é Jackie e Smith.”

Mason já estava se contorcendo para descer até os gêmeos. “Parece que ele quer

brincar.”

“Eu configurei uma área até aqui para as crianças com alguns brinquedos de modo que

será mais fácil para nós mantermos um olho neles.”

Claro, Mason fez um caminho mais curto para um pequeno tambor colorido. Jackie e

Smith pegou seus próprios instrumentos pequenos, e logo os três foram alegremente tocando

uma música juntos.

“Parece que eles decidiram formar uma banda,” Grace brincou.

“Eu deveria ter deixado alguns destes brinquedos barulhentos em casa. Mas meus

filhos realmente os amam.”

187
“O mesmo acontece com Mason. A primeira vez que ele conheceu a mãe de Dylan, ele

imediatamente foi para a cidade tocando bateria em sua cozinha com os tachos e panelas.”

“Claudia me disse o quanto ela adora observá-lo.”

“Ela é realmente ótimo com Mason. Como a avó que ele nunca teve.” Grace não tinha

percebido que as palavras estavam vindo até que ela disse e corou quente com a insinuação de

que Claudia estaria jogando esse papel com Mason em breve. Foi muito perto de tudo o que seu

ex tinha acusado de quando ela lhe disse que estava grávida. Mas a Grace não estava com

Dylan para que ela pudesse se tornar uma parte de sua família muito importante e rica. Ela

estava com ele, porque ele a fazia feliz. “Eu não quero dizer que ela... ou que eu...”

Grace finalmente parou de tentar tirar o pé fora de sua boca quando ela percebeu que

Sophie estava sorrindo como uma louca.

“Depois de conversar com Claudia sobre você e Mason, eu tenho certeza que ela ficaria

feliz se você fizer o que isso implica! Mas antes de eu deixar você mais desconfortável por

basicamente tentar abraçar você e seu filho para Dylan, que tal eu pairar sobre um dos

funcionários do catering para um par de taças de champanhe?”

Era apenas o final da tarde, mas Grace sabia que um pouco de borbulhante percorreria

um longo caminho para aliviar seus nervos. “Gostaria disso.”

“Ouvi dizer que você é uma escritora?”

“Sim, eu escrevo artigos freelance. É assim que eu conheci Dylan, estou escrevendo uma

peça sobre o coração de um marinheiro para Sailing Magazine.”

“Eu sou uma bibliotecária em San Francisco, então eu vou ter certeza de que tem cópias

extras na mão para nossos clientes.” A bonita morena se aproximou com um pequeno bebê em

seus braços, e Sophie rapidamente fez as apresentações. “Megan, esta é Grace. Seu filho, Mason,

está tocando bateria com Jackie e Smith.”

“É tão adorável em conhecê-la,” disse Megan.

188
“Você também. Seu bebê é lindo.” Grace chegou mais perto para que pudesse ver

melhor o seu rostinho. “Quantos tempo ele tem?”

“Logan tem seis semanas.” Megan olhou para ele, o amor irradiando de cada parte dela.

Só então uma menina loura magra que tinha que ter em torno de oito ou nove anos a

atropelou. “Mãe, todo mundo está comendo os meus bolinhos como um louco! Eu disse que eu

deveria ter feito mais.”

“Da próxima vez, vamos embalar o carro tão completa quanto pudermos,” Megan

prometeu. “Querida, esta é Grace. Grace, esta é a minha filha, Summer.”

“Você é a nova namorada de Dylan, certo? Eu nunca o vi com uma garota antes. Você

vai se casar com ele?”

As sobrancelhas de Megan subiu. “Summer, você não pode dizer isso a alguém que

você acabou de conhecer!”

“Mas Brooke e Tatiana estavam dizendo a todos que eles nunca viram Dylan assim que

a cabeça sobre os saltos para qualquer um. Isso não significa que eles vão se casar?” Antes de

sua mãe pudesse responder, Summer disse, “Oh yum, eles só trouxeram sanduíches de chá.

Meu favorito!”

“Eu realmente sinto muito sobre isso,” disse Megan com uma pequena sacudida de sua

cabeça. “Ela tende a falar sem pensar, às vezes, e ela estava tão animado que um de seus primos

favoritos está finalmente feliz.”

“Sua filha é grande. Você não tem que pedir desculpas para mim por qualquer coisa.”

Na verdade, Grace estava grata pelo que Summer tinha dito, porque agora ela sabia exatamente

o que todo mundo estava dizendo. E enquanto isso assustou-a um pouco para pensar que

Dylan tinha feito claro seus sentimentos por ela para a sua família, isso a aqueceu saber o quão

especial ela era para ele.

“Talvez eu pudesse fazer as pazes com você, permitindo que você segure o Logan?”

Megan ofereceu.

189
Grace ansiosamente estendeu os braços para o pequeno bebê enrolado em um listrado e

macio cobertor azul-e-verde. “Mason não tem nem um ano ainda, mas parece que foi sempre

desde que ele era tão pequeno. Eu esqueci como minúsculos que são.”

“E eu esqueci o quanto eles comem e fazem cocô,” disse Megan com uma risada.

“Engraçado como nossos cérebros rapidamente apagam isso, não é?”

Era verdade, pensou Grace. Por todas as noites sem dormir, ela e Mason tinham tido

nesses primeiros meses, o que presos com ela foram os sorrisos, o carinho, o quão divertido eles

tinham a tocar juntos, e a maneira doce que sempre dormiu no meio do tempo da história.

Uma criança adorável levou uma mulher grávida em direção a eles pela mão. “Smith!

Jackie!” A menina acenou para as crianças de Sophie. “Estou aqui!” Poucos segundos depois,

ela estava dando a cada um dos outros filhos um grande abraço, incluindo Mason, que

claramente adorava estar com todos eles. Grace riu junto com todos os outros no cumprimento

exuberante e muito doce da menina.

“Eu sou Chloe,” disse a mulher grávida “e esse turbilhão é Emma.”

“Eu sou Grace. Prazer em conhecê-la.” Grace estava feliz que ela estava se encontrando

as mulheres que eram os pais em primeiro lugar, porque pelo menos ele deu-lhe algo em

comum com eles. Se ela tivesse conhecido um dos outros Sullivans famosos em primeiro lugar,

ela teria estado muito mais nervosa.

“Olha como eles são bonitos, tocando todos juntos!” Exclamou uma mulher pequena

com fracas listras rosa e azuis em seu cabelo. “Eu tenho que tirar algumas fotos para enviar para

Marcus.”

Falando de sentir-se nervosa, Grace imediatamente reconheceu Nico. A estrela pop

maciça, suas canções tocavam constantemente no rádio. Ela sabia que deveria parar de ser estar

chocada, considerando que ela já tinha conhecido Ford Vicente e Tatiana Landon. Mas,

sinceramente, que a atingiu mais de tudo foi o quão normal todos eram. Onde estavam os egos

enormes? Onde estavam as comitivas?

190
Assim que Mason viu as outras crianças correndo para a Nico, ele não hesitou em ir

direto para lá.

“Ele é seu?” Nico perguntou quando ela finalmente afastou o telefone longe.

“Ele é. Este é Mason, e eu sou Grace.”

“É muito bom conhecê-la. Eu sou Nicola. E pelo que posso ver, Jackie, Smith e Emma

encontraram o seu novo BFF12.” Ela se inclinou para dar um beijo no bebê Logan antes de tirar

algumas fotos dele também. “Eu não sei o quanto mais destes meus hormônios pode aguentar.”

Megan disparou para Sophie e Chloe uma olhada rápida antes de dizer: “Você e Marcus

estão pensando em ficar grávidos?”

“Eu sei que eu só acabei de me casar e eu estou no meio de uma turnê, mas...” Ela olhou

para as crianças tudo energicamente tocando seus instrumentos pequenos. “Toda vez que estou

com vocês, eu me pego pensando cada vez mais em ter filhos. Além disso,” ela disse enquanto

seus olhos ficaram todo sonhador, “Marcus vai ser um pai incrível.”

Todas as mulheres assentiram, com Sophie dizendo: “O melhor.”

“Eu sei que não há pressa,” disse Nicola, “mas eu não sei se há alguma razão para

esperar, de qualquer forma.”

“Você tem grandes instintos. Você saberá quando estiver bem para você,” disse Megan.

“Ou talvez um dia você simplesmente vai acordar grávida como eu fiz,” disse Sophie

com uma risada.

Uma mulher que era quase uma cópia carbono do Sophie aproximou-se apenas, em

seguida, e disse: “Você não exatamente simplesmente acordou grávida. Eu acredito que houve

algum sexo selvagem durante uma transa de uma noite com um cara realmente quente em

primeiro lugar.”

“Conheça minha irmã gêmea, Lori,” disse Sophie com Grace. E, em seguida, para a

irmã, “Esta é a Grace.”

12
BFF – Best Friend Forever – Melhores amigos para sempre.

191
“Ohh, você é linda,” disse Lori. “Não admira que Dylan é louco sobre você.”

“Lori e Summer compartilham um monte das mesmas qualidades,” disse Megan com

um sorriso.

Grace sabia que ela tinha duas opções: ou se sentir sobrecarregado pela família e

parafuso de Dylan... ou rolar com eles e apenas se divertir. Depois de pouco mais de uma

semana com Dylan, ela sabia exatamente o que era a resposta certa.

Diversão.

“É bom conhecer você, também, Lori.” Grace apontou para o grupo de crianças. “A

criança na bateria ali é meu filho, Mason.”

“Sério, vocês dois são perfeitos. Duplo-não-maravilhoso me pergunto se meu primo

está de cabeça para baixo. Dylan é ótimo com as crianças, não é?”

“Ele é certamente surpreendente com Mason.”

“Dylan é apenas cinco anos mais velho que eu e Soph, mas quando éramos crianças, ele

iria vir para cima com os jogos mais divertidos. E,” acrescentou Lori com um aceno em direção

a sua irmã gêmea “ele era geralmente o único que poderia fazê-la parar de chorar.”

Sophie revirou os olhos. “Eu só estava chorando porque você era tão alta o tempo todo

que você fez minha cabeça doer. É ainda,” acrescentou com um sorriso. “Dylan é

impressionante com Smith e Jackie, também. Definitivamente ele é o primeiro em sua lista dos

tio favoritos.”

Só então, as luzes começaram a piscar. “Mia deve estar aqui!” Lori declarou em um

sussurro alto, mesmo que não houvesse nenhum ponto na tentativa de se esconder com as

crianças fazendo tanto barulho.

“Estou tão feliz que você poderia cair pelo conjunto hoje, Mia.” eles ouviram Tatiana

dizer em uma voz feita deliberadamente alto o suficiente todos escutarem. “Como foi a sua lua

de mel?”

192
“Foi uma semana de sexo e dormir em repetir com muita comida e muita tequila

misturadas. O que poderia ser melhor? Eu sinto que eu poderia lidar com praticamente

qualquer coisa agora.”

Os pais de Grace não eram hipócritas, por qualquer meio, mas ela não tinha crescido

com o tema da sexualidade falado tão livremente, nem tinha um grupo de amigas que

compartilhavam detalhes. A coisa era, em vez de se sentir desconfortável sobre isso, ela

descobriu que ela realmente gostou.

Por que a sexualidade não deve ser algo para comemorar?

O senhor sabia que ela e Dylan tinha celebrado ontem à noite com o telefone...

“Oh bem,” a voz de Tatiana transitou, “eu estou feliz que você não está muito cansada,

porque... SURPRESA!”

Todos eles gritaram a palavra uma batida depois de Tatiana, e Mia parecia realmente

atordoada. “Oh meu Deus, como é que você uniu tudo isto sem eu descobrir? Eu não posso

acreditar. Vocês acabaram de fazer a minha semana incrível ainda melhor!” Ela abraçou uma

pessoa após a outra com as lágrimas derramadas por suas bochechas. “Estou tão feliz que todos

vocês estão aqui. Ford e eu realmente queríamos todos no casamento, mas–”

“Ford é tão famoso e tal ímã para paparazzi e fãs que você fez exatamente o que você

precisava fazer.” disse Nicola antes Mia poderia desculpar por nada. “E eu, por exemplo, acho

que seu o casamento surpresa na casa de seus pais soou como a coisa mais romântica que

nunca.”

“Eu também,” disse uma mulher com uma longa trança escura por cima do ombro

quem Grace ainda não tinha encontrado. “Na verdade, Zach e eu estamos pensando em roubar

a ideia de vocês dois.”

“Ryan disse a mesma coisa,” disse uma mulher loira com um sorriso.

“Mas eu amo grandes casamentos rápidos,” exclamou Mia. “E eu realmente quero ir

tanto no de vocês.”

193
Rindo, juntamente com todos as outras, uma mulher a quem Grace reconheceu

instantaneamente a partir de sua viagem de compras no início da semana como o proprietário

da Indulgence disse: “É por isso que nós estamos tendo uma grande festa de despedida rápida

reversa para você hoje.”

Seattle parecia tão grande, e ela tinha estado tão ocupado escondido com seu

computador e do bebê, que Grace não tinha certeza de que ela já tinha realmente atendido todas

as mulheres com quem ela poderia se conectar. Mas agora, tudo por causa de Dylan, ela

finalmente sentiu como se todos os pedaços de sua vida que tinham sido rasgadas voltaram

juntos. Não só porque ela finalmente deixou-se reaprender o prazer de ser parte de um casal,

mas porque estas mulheres estavam completando a outra parte da sua vida que tinha sido tão

carente desde que ela deixou seus amigos há um ano e meio atrás.

Grace muitas vezes tinha se perguntado se começar de novo tinha sido a escolha certa.

Agora, parecia que era. Como ela podia deixar finalmente para trás o passado e seguir em

frente... em uma nova vida que foi muito além de seu sonhos mais loucos que ela sabia que ela

estaria beliscando-se por muito tempo, só para ter certeza de que ela não estava sonhando.

*****

Um pouco mais tarde, Mason meio-caminhou, meio-arrastou a partir do grupo de

crianças e estendeu a mão para ela. “Você está cansado de todas as brincadeiras, querido?” Ela

perguntou quando ela o levantou em seus braços. Comparado ao novo bebê de Megan, que se

sentira tão pequeno e leve, Mason era uma braçada. Uma que ela nunca se cansou de explorar.

Ele deitou sua cabeça em seu ombro e colocar o polegar na boca por meio de uma

resposta. Ela imaginou que ele provavelmente iria tirar um cochilo em seus braços e depois

194
acordar morrendo de fome. Grace decidiu que, eles poderiam compartilhar um pedaço de

delicioso bolo de baunilha e framboesa da Mia.

Ela pensou ter visto um par de flashes em sua direção e assumiu que deve ter sido

Nicola ainda tirando fotos com Mia se movendo ao lado dela. “Estou tão feliz por você estar

aqui.”

“Eu também. E eu tenho que dizer-lhe, mais uma vez, o quão bonito o seu casamento

foi. O melhor que eu já estive.”

“Os tabloides estão pirando sobre como nós poderíamos ter nos casado sem ninguém

saber sobre isso,” disse Mia, claramente feliz com a frustração dos paparazzi. “E desde que nós

estávamos fazendo sexo vinte e quatro por sete e não saímos da nossa suíte no Havaí, eles não

poderiam obter todos os tiros lá, também.”

“Eu não posso imaginar o quão difícil que deve ter sido.”

“Não é sempre divertido. Mas se os jornalistas insistentes são a pior coisa que vem com

ter o Ford, eu vou levá-lo.” Sorrindo, ela disse, “Falando de jornalistas impressionantes, Ford e eu

lemos um monte do seu trabalho no Havaí. Você é realmente uma grande escritora.” Antes de

Grace poder agradecê-la, ela perguntou: “Como a história sobre o meu irmão está indo?”

“Está ficando mais perto.” Pelo menos, ela esperava que fosse, dado que o seu editor

precisava ver algo em breve. “Vamos velejar em uma semana a partir deste domingo, quando

ele voltar da Austrália. Ele está convencido de que vai colocar as peças que faltam no lugar.”

Mia ergueu as sobrancelhas. “Ele nunca leva as mulheres que ele está vendo para fora

em seus barcos.” A irmã de Dylan parecia extremamente satisfeita com esta informação. “É

assim que eu sabia que ele nunca foi sério sobre qualquer uma delas. Porque ele nunca quis

compartilhar a parte mais importante de si mesmo com uma mulher até agora.” Ela sorriu para

Grace. “Até você.”

195
Capítulo Vinte e Quatro

Toda a próxima semana, embora as exigências de sua volta – corrida do relógio e a

diferença de tempo significava que Grace e Dylan tinha continuado a perder a ligação ao

telefone, ela ainda se sentia mais feliz do que jamais poderia se lembrar de estar. Mesmo o fato

de que Mason tinha sido mais efusivo do que o habitual, porque mais um novo dente estava

trabalhando para empurrar através de suas gengivas, não estava escurecendo o sorriso pateta

que ela estava usando.

Desde que ela tinha percebido que ela estava apaixonada por Dylan, seu trabalho sobre

a matéria de capa tinha começado a fluir. Melhor, pelo menos, do que antes. O desafio agora era

para Grace escrever sobre ele sem que ela pareça soar como uma história de amor – algo que ela

estava lutando com o suficiente para continuar a adiar o envio ao seu editor, especialmente

tendo em conta todas as surpresas doces que ele tinha enviado a ela e Mason durante a semana

que ele tinha se afastado.

Na segunda-feira, ela veio para casa para encontrar um pacote com o nome de Mason

esperando em sua porta. Dentro havia um veleiro de brinquedo brilhantemente colorido,

perfeito para a hora do banho. Mason absolutamente amou espirrar água em volta com o barco,

e algo lhe disse que ela tinha um pequeno marinheiro em suas mãos. “Para comemorar o novo

dente de Mason. Dê ao rapaz um beijo para mim. Amor, Dylan.” Ele disse, era toda a nota que veio

na caixa, mas ele falou volumes a Grace sobre o vínculo surpreendente que Dylan já tinha com

Mason.

Terça-feira, um outro pacote veio, este um cheio de biscoitos de chocolate caseiros e

trufas de chocolate. “Para inspiração escrita extra, biscoitos caseiros da minha mãe e trufas da Brooke.

196
Amor, Dylan.” Ela ficou além de tocada que ele se lembrou dela dizendo que o chocolate sempre

a ajudava com o bloqueio de escritor.

Na quarta-feira, ela recebeu um telefonema de um teatro próximo dizendo que havia

dois bilhetes esperando por ela e Mason para o concerto infantil que ela queria assistir, mas que

tinha sido vendido para todas as idades. Claro, eles tinham os melhores lugares da casa, e

Mason tinha brilhado positivamente com felicidade como ele bebê – dançou e aplaudiu as

músicas divertidas.

Quinta-feira, ela abriu um pacote lindamente embrulhado para encontrar a, mais sexy

lingerie silkiest imaginável. Sua nota – “Para substituir o par que eu arranquei. Amor, Dylan” – a fez

se sentir quente e formigando toda.

E na sexta-feira, em um pacote de correio durante a noite fina, foi um pequeno pedaço

de papel que disse eu te amo em sua letra forte, estável. Grace sabia que sempre seria uma das

coisas mais preciosas que ela jamais iria receber.

Cada uma de suas surpresas tinha sido atencioso e amoroso. Mas o melhor presente de

tudo foi saber Dylan estaria de volta hoje... e ela não podia esperar para finalmente dizer-lhe que

o amava.

Eles concordaram em levar as coisas devagar, e no início ela acreditava que iria mantê-

la a salvo de cair muito rápido, e muito difícil, para Dylan. Mas não há planos racionais que

poderia manter seu coração na pista lenta-e-segura quando tudo o que queria fazer era

cambalhotas e piruetas sempre que ele estava por perto. Especialmente quando ele estava

beijando e passando as mãos grandes e fortes sobre suas curvas nuas de modo que ela estava

desmoronando para ele novamente e novamente.

Tudo foi finalmente se encaixando.

Tudo por causa do amor.

Como ela arrumar os brinquedos espalhados pela tapete da sala de estar que Mason

tinha cansado de agora que ele estava pronto para sua sesta, ela sentiu uma maior consciência

197
da maneira como seu vestido de verão escovava sobre suas curvas. Depois de conversar com

Colbie na festa de Mia, ela aprendeu que Indulgence estava tendo mais uma venda e, é claro, não

tinha de ter o braço torcido para parar a caminho de casa. Ela não podia esperar para ver o rosto

de Dylan, pela primeira vez quando ele a visse no novo vestido de verão... e depois, quando ele

o tirasse dela e visse que ela estava vestindo a lingerie que ele lhe enviou.

Não foi fácil para encher para baixo sua expectativa inebriante, mas depois ela colocou

Mason para baixo para seu cochilo, ela precisava fazer algum sério bom uso do próximo par de

horas em um outro artigo pequeno que era devido em breve, além de um ela estava escrevendo

sobre Dylan. Ela pegou Mason, e com a mão livre, ela se abriu o calendário digital em seu

telefone para reconfirmar os seus prazos.

Mas quando ela olhou para as datas, o estômago de repente caiu.

Seu período deveria ter começado na semana anterior... e ela nunca se atrasava. Na

verdade, a única vez que ela já tinha perdido era quando ela estava grávida de Mason.

Grace não percebeu que sua espera tinha apertado em seu filho até que ele começou a

lamentar-se e empurrando em seus braços. Ela olhou para longe a partir das datas em seu

telefone a cara virada de Mason.

Nove meses a partir de agora, ele estava indo para ser um irmão mais velho?

Alegria e espanto atingiu seu primeiro com a ideia de um outro bebê. Bebê de Dylan.

Aquele que era a certeza de ser um espírito destemido e livre com uma risada pronto, assim

como ele.

Mas apenas sessenta segundos mais tarde, o medo agarrado em seu sistema. Tanto

medo que ele afiou a alegria direita para fora.

Mason começou a contorcer-se em sério, desesperadamente precisando de uma soneca

depois da noite anterior, quando ele tinha despertado a cada duas horas chorando e roendo em

qualquer coisa que ele pudesse empurrar contra as gengivas. Mas ela precisava saber

imediatamente se ela estava ou não grávida antes de Dylan chegasse em casa da sua corrida.

198
Será que ela em breve seria a mãe de dois filhos ilegítimos? Oh, Deus...—

O último lugar Mason queria ir era em seu carrinho de criança, e ambos estavam suados

e com o rosto vermelho pelo tempo que ela clicou as fivelas no lugar. Nunca foi fácil chegar o

carrinho para baixo o pequeno lance de escadas de seu apartamento, mas quando ele estava

gemendo e tentando sair, me senti quase impossível. Mas ela tinha que chegar à loja, não podia

esperar por meio de sua soneca e, em seguida, uma noite com Dylan com a possibilidade de

gravidez que pairava sobre ela.

Foi só ontem que ela tinha estado andando nesta mesma rua, apreciando as pessoas

assistindo e compras janela, sentindo-se como se sua vida pudesse finalmente estar indo para o

caminho certo? Agora, ela não notou o sol brilhando fora da água azul, não viu vestidos bonitos

nas vitrines das lojas ou ansiava pela fruta no estande do canto.

Grace nunca tinha esquecido essa sensação de ter sua vida mudando abruptamente de

um momento para o outro. Dez anos atrás que tinha acontecido quando sua mãe havia falecido.

Dois anos atrás, ele havia acontecido novamente quando seu pai tinha morrido. Seis meses

depois, que tinha sido quando ela soube que ela iria se tornar uma mãe. E então, apenas

algumas semanas atrás, ela olhou para Dylan pela primeira vez e sentiu que mesmo choque de

consciência que lhe disse nada jamais seria o mesmo.

Agora, surpreendentemente, houve uma forte possibilidade de que tudo ia mudar

novamente.

Grace correu pela calçada com Mason. Ela sabia que precisava se acalmar, comprar o

teste, e esperar para ver quais foram os resultados antes que ela assustasse para fora mais do

que ela já teve. Mas ela estava muito cansada, muito atordoada, para parar o que-se-é e como

pode-ser-que-eu já estavam girando em torno de sua cabeça.

Quando ela desse a notícia para Dylan, ele iria olhar para ela com a mesma repugnância

e horror que Richard tinha? E se ele achava que isso era o que ela fazia-encontrar homens ricos

para seduzir e, em seguida, “acidentalmente” engravidar?

199
Não. Ela não estava fazendo sentido. Ela sabia que não devia comparar Dylan com

Richard. Mas, com tudo girando dentro dela, ela não conseguia parar os pensamentos loucos de

vir.

Um homem de cabelos grisalhos segurou a porta da farmácia aberta para ela, e quando

ela agradeceu-lhe, sua voz soou grossa e rouca, como se tivesse chorado. A cadeia de lojas tinha

a mesma disposição como aquela em que ela tinha comprado os testes de gravidez no leste,

para que ela rapidamente rodou para o corredor correto e pegou dois novos testes, a mesma

marca que ela tinha usado antes. Sentindo-se como se sua vida tinha ficado presa em alguma

forma de repetição, ela os levou até o balcão para pagar.

Quando a mulher no registo olhou para os testes e, em seguida, para baixo, para Mason,

que tinha adormecido em seu carrinho de criança, ela sorriu para Grace. “Eu tive os meus bem

perto, também, e foi uma dádiva de Deus absoluta! Eles são os melhores amigos, sempre estão

lá para o outro, mesmo agora.”

Grace sabia que não devia confiar em sua voz novamente, então ela simplesmente

balançou a cabeça e se atrapalhou para o dinheiro em sua bolsa, então deixou a loja tão

rapidamente quanto ela podia. Mas as palavras do estranho a tinha partido completamente em

dois. Porque, era tão assustador e como seria ter outro bebê em nove meses, ela também podia

ver o quão incrível seria para seu filho ter um irmão tão perto de sua idade de mudança de

vida. Afinal, olhar para Dylan e seus irmãos e irmã, que estavam todos tão maravilhosamente

perto.

Grace foi extremamente cuidadosa para não acordar Mason enquanto levava ele e seu

carrinho de subir as escadas, mas seus olhos se abriram no momento em que chegamos no

interior. Para os próximos trinta minutos, ela tentou tudo que podia pensar para fazê-lo voltar a

dormir. Não só porque ela sabia que ele ainda precisava desesperadamente o resto, mas porque

o tempo estava passando para baixo e Dylan estaria batendo em sua porta em breve.

200
Finalmente, ele estava deitado pacificamente em seu berço, sua respiração lenta e

constante como ele afagou seu cobertor e recheado próximo animal.

Vai ficar tudo bem, disse a si mesma como ela levou um momento para observá-lo

dormir. Tudo vai dar certo, de uma forma ou de outra.

Grace fechou a porta do quarto com um clique suave e estava prestes a pegar o saco de

plástico que contém o teste de gravidez quando houve uma batida na porta.

Oh não, Dylan era cedo! Ela rapidamente escovou as mãos sobre o rosto e cabelo,

embora ela sabia que ele ia ter um olhar para ela e saber instantaneamente que algo estava

errado.

Trabalhando para retirar a sua confiança recém-descoberta, ela respirou fundo e

lembrou-se de que não importa o que aconteceu a partir de agora em diante, ela provou que ela

e Mason ficaria bem. Eles não só sobreviveram, eles prosperaram.

Sem olhar através do vidro de segurança, ela abriu a porta. “Você chegou cedo –”

Suas palavras caíram como ela percebeu que ela não estava falando com Dylan.

“Olá, Grace.” Richard Bentley sorriu para ela sem sentir sequer um pingo de culpa ou

remorso. “Estou aqui por meu filho.”

201
Capítulo Vinte e Cinco

Grace imaginou essa cena mil vezes durante os últimos dez meses. Cada vez que

pensou sobre o que aconteceria se Richard mudasse de ideia sobre não querer Mason, o medo

percorreu por sua espinha. Mas no momento em que ele ficou realmente perto dela, tudo o que

ela sentiu foi raiva. Uma fúria profunda, por ele se atrever a vir e reivindicar o filho que ele

afastou sem sequer piscar, quase a levou a bater a porta na cara dele.

Mas ela sabia que precisava pensar claramente, ter certeza de que ela sabia exatamente

o porquê de ele ter uma suposta mudança de coração, para que ela pudesse sustentar sua luta

para manter seu filho. E também precisava mantê-lo tão longe de Mason quanto possível.

Ela saiu no corredor em frente a seu apartamento e fechou a porta atrás dela. “Por que

você está aqui?”

“Eu vi uma foto sua segurando um bebê em uma festa dos Sullivan.” Em seu rosto, ela

podia ver o desejo primitivo de reivindicar seu filho agora que ele tinha finalmente visto a foto

de Mason e teve consciência de que ele existia. “Qual dos homens Sullivan você está

enroscando para receber um convite para uma festa privada?”

Havia uma foto dela e de Mason na festa tirada por Tatiana para Mia? Grace sabia com

certeza que nenhuma das meninas Sullivan jamais passaria dicas pessoais à imprensa. Não

quando Mia, Tatiana e Nicola já tiveram de lidar com a demasiada pressão dos paparazzi. Será

que um dos funcionários esperou secretamente, os fotografou e vazou a foto? Eram os flashes

de quando ela estava segurando Mason e conversando com Mia? Será que qualquer um dos

Sullivans sabia o que aconteceu?

O medo tentava oprimir seu peito, mas ela não deixaria. Não deixaria nada roubá-la da

capacidade de pensar com clareza.

202
“Eu aposto que você está se enroscando com o arquiteto, não é?” Richard continuou

com um sorriso de escárnio. “Eu não deveria me surpreender por você cair aos seus pés, dado

que seduzir homens ricos é a sua especialidade. Ainda assim, eu não acho que você seria capaz

de levar um Sullivan cair nos seus truques, especialmente arrastando um bebê com você.” Ele

lhe deu seu melhor olhar ameaçador. “Eu quero vê-lo. Quero ver o meu filho.”

Com muita dificuldade, Grace segurou a vontade de socá-lo no rosto. Não apenas por

falar como se ela fosse uma vagabunda com segundas intenções, mas por se atrever a tratar

Mason como filho dele. Mas ela sabia que se ela sequer encostasse um dedo nele, ele

provavelmente chamar a polícia para mandar prendê-la e ela seria incapaz de proteger seu filho

se fosse presa.

“Ele não é seu,” disse ela em primeiro lugar, percebendo essa verdade nas profundezas

de sua alma. “E ele está com a babá,” ela mentiu. “mas isso é irrelevante, dado que você não

queria vê-lo antes, nem sequer desejava que ele existisse. O que mudou?”

Ele parecia tão confiante quando ele a cumprimentou alguns momentos atrás, mas

agora ela viu o primeiro lampejo de confusão cruzar o rosto que ela foi uma vez tola o suficiente

para pensar que era bonito. Como se ela não viu a fraqueza sob o verniz de polidez aprendido

no colégio e da faculdade da Ivy League aos quais seus pais lhe tinham enviado?

“Você mudou,” ele respondeu. “você costumava ser então...”

“Maleável? Ingênua?” Ela balançou a cabeça. “Tudo isso mudou no momento em que

eu percebi como você e sua família são realmente. O que faz você pensar que tem o direito de

vir aqui?”

“Eu nunca achei que você ficaria com ele. Que você realmente teria a criança sozinha.

Mas quando eu vi as fotos dos dois, percebi que já tinha o filho que eu tenho tentado ter com a

minha esposa –”

“E de repente você achou que poderia mudar de ideia? Bem, você está errado. Você não

pode. Você deu, e ele é todo meu. “

203
“Você só está amarga porque eu não quis você, porque eu não quis casar e cuidar de

você.”

Uns dois meses atrás, ela poderia tê-lo deixado convencê-la de que isso era verdade.

Mas agora ela sabia melhor. Muito melhor; tanto que ela não precisava discutir ou protestar que

não era verdade. Ao se afastar dela quando lhe disse que estava grávida, ela ficou horrorizada

ao perceber que ele não queria saber de seu filho. Pior, ele disse a ela para se livrar do bebê sem

piscar um olho. Mas agora ela percebeu que foi um presente o desinteresse dele, porque Mason

era um milhão de vezes melhor sem os Bentleys em sua vida.

“Você não queria cuidar de ninguém, além de si mesmo,” ela respondeu. “seu nome

está longe da certidão de nascimento.”

“Eu posso facilmente obter um teste de DNA.”

“Eu suponho que você poderia,” ela concordou. “Embora não posso ajudar, mas

pergunto como sua esposa se sente sobre o seu plano.” Ela podia ver que ele ainda estava

confuso sobre por que ela ainda não estava encolhida ou cedia a suas exigências. “Será que ela

ao menos sabe que você está aqui?”

“Não importa o que ela pensa. Ela vai fazer o que eu digo a ela.”

“Mesmo se tratando de uma criança de outra mulher depois que ela ‘falhou’ por não ser

capaz de engravidar?” Mas Grace não precisava esperar por sua resposta. “Na verdade, tenho

certeza que ela vai fazer, como, provavelmente, todo o seu relacionamento tem sido até agora.”

Grace sabia que não deveria sentir nada pela esposa de Richard, nem poderia ajudar, mas

sentiu pena de alguém que era uma parte dessa família horrível. “E seus pais? Você consultou-

os sobre sua mudança de opinião?” Ele se encolheu e ela não se importou se era mesquinha;

adorou o desconforto dele. “Eles não me queriam e ao bebê menos ainda do que você.”

Todo esse tempo ela tinha pensado que ela não era forte o suficiente, não era boa o

suficiente, mas agora ela sabia melhor. Ela era forte. Ela era boa o suficiente... e ela não estava

subjugando-se a uma porcaria de seu ex por mais de um segundo.

204
“Eles querem um herdeiro para levar o nome,” ele disse, mas ela podia ver a incerteza

em seu tom e expressão que ele ainda não tinha executado seus planos de herdeiros Bentleys.

Pelo lado positivo, significava que os pais não o enviaram pessoalmente para tomar Mason.

“Agora me diga onde vive a babá para que eu possa ir ver o meu filho.”

“O dia em que me ofereceu dinheiro para se livrar dele, ele deixou de ser seu filho.” Ela

sabia que finalmente chegou o tempo para jogar as cartas que ela tinha mantido tão

cuidadosamente guardado apenas no caso de isso acontecer. Então, assim que ele conseguiu o

inferno longe dela, ela finalmente usou seu fundo de defesa para contratar o melhor advogado

de custódia para manter Mason seguro. “Eu tenho a prova de que seus pais tentaram me

subornar com cinquenta mil dólares para abortar o bebê e, em seguida, outros cinquenta mil

para eu nunca falar do meu tempo com você. Eu mantive as provas do que eles queriam me

forçar.”

“Isso ainda não acabou,” disse, mas como ele mesmo disse isso, ela podia ver que ela

tinha abalado sua confiança. Primeiro, perguntando-lhe se seus pais – que o mantiveram em

uma trela muito curta – sabiam o que estava fazendo agora, e, também, lembrando-lhe sobre o

dinheiro de sangue Bentley. “Meu filho vai querer saber quem é seu pai. O que você vai dizer a

ele?”

“Eu não vou mentir para ele. Não sobre você, ou qualquer coisa. Um dia, quando ele for

velho o suficiente, caberá a ele querer vê-lo. Mas agora cabe a mim. E eu não quero que você ou

sua família horrível faça parte da sua vida.” Ela aproximou-se dele, com propósito feroz, e,

embora fosse mais baixa, ele, que foi até ali para intimidá-la, foi o único a dar um passo para trás.

“Você vai embora agora e deixar-nos em paz. E se você voltar sem a minha autorização

expressa, vou para a minha extensa contatos na imprensa e exponho você e seus pais sobre o

tipo de pessoas que vocês realmente são.”

Ele tentou permanecer firme e vociferou: “Você realmente acha que as pessoas vão

acreditar em alguma puta que está apenas tentando obter seus quinze minutos no centro das

205
atenções? Ou eles são muito mais propensos a acreditar em um senador? Será a sua palavra

contra a deles.”

Ela sabia que a palavra puta era para machucá-la, mas ela estava à prova de balas agora.

A menina assustada que foi quebrada quando ele terminou com ela se foi, e em seu lugar estava

uma mulher que iria lutar até o fim para proteger a criança que ela amava.

“Na verdade,” ela disse em uma voz incrivelmente alegre, “será a palavra deles contra si

mesmos.”

“Mentira. Você não tem nenhuma prova de que eles fizeram algo de errado. Dar-lhe

dinheiro para ajudá-la não é um crime.”

“Quando seus pais vieram para minha casa, eu estava transcrevendo uma entrevista. Eu

tinha o gravador na minha mão.” Ela gostou de assistir o dreno da cor do rosto de Richard.

“Eles estavam tão cheios de si que nunca lhes ocorreu que eu iria lutar ou que eu gravaria sua

oferta. E você sabe como reconhecível é a voz de seu pai.”

“Eu sempre soube que você era lixo.” Richard rosnou para ela. “Para você entrar na

cama era o preço de uma refeição extravagante e um par de taça de champanhe.”

Ela poderia ter atirado de volta uma meia dúzia de farpas, mas ela estava farta dele.

Completamente farta.

Além disso, ela sabia que a razão pela qual ele estava tentando feri-la agora era porque

finalmente entendeu que não podia lutar contra ela por Mason, não se havia uma chance de

gravação do ex-senador vir à luz. Richard podia não ter conhecido muito sobre ela, mas

claramente sabia que ela não era uma mentirosa. Ela não faria uma ameaça como esta se não

tivesse suporte.

Ainda assim, Grace teria certeza de as peças legais estivessem no local imediatamente,

estando armada e pronta para lutar pela custódia, apenas no caso de ele tentar levá-la ao

tribunal por direitos paternais.

206
“Eu dei-lhe seu primeiro e único aviso para ficar longe de nós.” ela disse a ele agora. “E

eu não iria cometer o erro de me forçar. Eu posso ter sido tarefa simples uma vez, mas não sou

mais. Se você tentar entrar em contato comigo ou Mason novamente sem a minha permissão, eu

vou deixar o mundo inteiro ouvir o ex-senador dos EUA e sua esposa tentarem que eu não

tivesse o meu bebê.”

Com isso, ela voltou para seu apartamento e fechou a porta na cara dele.

O tremor não começou até que ela tentou trancar a porta. Levou duas tentativas para

girar a fechadura, ao mesmo tempo agradecendo a Deus por Mason não ter acordado. Se ele

tivesse começado a chorar, enquanto ela estava brigando com seu ex, Richard teria percebido

que ela mentira sobre Mason estar com uma babá e poderia muito bem ter forçado para vê-lo.

Ela tinha lidado com Richard sozinha e ele também sabia que ela tinha lidado com ele.

Mas, no rescaldo do confronto, Grace precisou desesperadamente se apoiar em alguém, saber

que ela não estava sozinha. Porque, mesmo ter tomado conta da situação com seu ex, ela

precisava de Dylan. Não só chamá-lo para lhe dizer o que tinha acontecido, mas também para

ouvir a sua voz calma, reconfortante e amorosa, antes de pegar o telefone para fazer o que fosse

necessário para persuadir o principal advogado da custódia da criança no país para assumir seu

caso.

Grace foi pegar seu telefone quando viu o saco da farmácia na mesa de cozinha. Oh

Deus, como ela poderia ter esquecido?

Ela ainda precisava fazer o teste de gravidez.

207
Capítulo Vinte e Seis

Dylan contou os minutos até estar com Grace novamente.

Se Mason ainda estivesse dormindo, ele imaginou que mal fechariam a porta antes de

suas roupas estarem fora e ele, dentro dela. Mais tarde, eles passariam o resto do dia brincando

com Mason e, em seguida, ao colocá-lo na cama, eles teriam uma sedução lenta. Uma em que o

prazer seria espiral por horas e horas.

Mas no segundo em que Grace abriu a porta, apesar de incrivelmente bela em seu

vestido, todas as fantasias desapareceram. Ela não disse nada, apenas se afastou para deixá-lo

entrar. Quando ela fechou e trancou a porta, suas mãos tremiam.

“O que está errado? É Mason? Ele está doente?”

“Não.” Ela colocou a mão no braço de Dylan antes que ele corresse para o quarto para

verificar por si mesmo. “Ele está bem.”

Alívio o inundou antes dele perceber que ela não estava falando com ele como se

fossem amantes. Ou mesmo amigos. Em vez disso, a parede existente durante sua primeira

entrevista estava de volta. Ela tirou a mão de seu braço muito rápido, quando deveria puxá-lo

para mais perto em vez disso.

“Fale comigo, Grace. Eu posso ver que você está chateada. O que aconteceu?”

Seu rosto ficou arrasado por um segundo e ela visivelmente trabalhou para se

recompor. “Eu estava verificando meu calendário, olhando para os meus prazos, quando eu

percebi...” Ela olhou para ele, a emoção em seus olhos penetrantes direto nele. “Eu pensei que

eu estava grávida.”

208
“Grávida?” O pensamento da Grace carregando seu filho abalou seu mundo tanto que

ele levou alguns segundos para levá-la em. “Nós vamos ter um bebê?” Ele não tinha imaginado

isso acontecendo, mas ele estava feliz. Não se lembrava de estar tão feliz.

“Não.”

Ele estava a meio caminho para puxá-la em seus braços... “Espere. Eu pensei que você

disse...”

“Eu fiz um teste. Dois, na verdade. Foram ambos negativos. Eu nunca atrasei, mas

talvez o estresse de tudo ultimamente tem feito o meu sistema ficar descontrolado.”

Dylan sabia que precisava controlar seu desapontamento, mas ele nunca mentiu para

Grace antes e não iria fazê-lo agora. “Desde que eu conheci você e Mason, eu queria você na

minha vida. Eu tenho pensado sobre ser pai em uma centena de vezes, mas eu nunca tinha

pensado sobre você e eu fazermos o nosso próprio bebê juntos. Mas quando você me disse que

pensou estar grávida, quando eu pensei que isso significava que você estava...” Ele a puxou

contra ele do jeito que ele estava prestes a fazer apenas momentos antes. “Foi a melhor notícia

que eu já ouvi.”

“Como?” Ela parecia totalmente confusa. “Como isso poderia ser?”

“Você faz grandes filhos, caso não tenha notado.”

“Mas nós não nos conhecemos há muito tempo. Quer dizer, eu sei que nós estivemos

nos div...”

“Sim, nós tivemos diversão. E eu espero que nós sempre teremos. Mas o que somos, o

que temos, é muito mais profundo, muito maior e mais forte, que apenas nos divertindo.”

Ela não se afastou, mas não colocou os braços em volta dele, também. “Quando eu

percebi que era tarde, quando eu pensei que eu estava grávida de novo a partir do nada, eu

pensei que tinha estragado tudo. Que você acharia que isso é o que eu faço: fingir protestar que

eu não sou fácil, então durmo com cada cara bem sucedido que entrevisto, a fim de envolvê-

los.”

209
Ele tomou seu rosto em suas mãos. “Eu nunca pensaria isso. Não importa quanto tempo

nós nos conhecemos, há quanto tempo estamos namorando. Eu sabia que você era a única no

segundo em que eu vi você. Ambos. Você e ele são para mim, Grace. E...” acrescentou com um

sorriso, “se você quiser tentar mudar os resultados no teste de gravidez para a próxima vez, eu

sou todo a favor.”

Mas em vez de o sorriso de resposta que ele esperava, ela ainda parecia tão séria como

ele já tinha visto. “O que mais está errado? Não é só de pensar que estava grávida, não é?”

Ela respirou fundo, balançando seu peito. “A festa a que fui na última semana...

algumas fotos dela vazaram. Não sei quem poderia ter tirado, talvez um dos funcionários?

Tudo o que sei é que foi uma de mim e Mason.”

“Seu ex,” Dylan adivinhou instantaneamente. Ele teve que trabalhar para manter suas

mãos cerradas com o pensamento de que o bastardo veio atrás dela e do bebê. Mas não

funcionou. Não podia se controlar quando o medo de que algo ruim poderia acontecer a eles foi

o pior sentimento que ele já tinha conhecido. “Ele viu a foto, não é?”

“Eu estava pirando pensando que eu poderia estar grávida quando ouvi a campainha

tocar e pensei que você fosse chegando mais cedo. Não podia acreditar quando eu o vi de pé lá.

Não apenas porque ele conseguiu nos rastrear tão facilmente, mas porque eu não podia

acreditar que ele tinha decidido que queria Mason depois de tudo.”

Fúria continuou a subir rápido e quente dentro de Dylan quando ele disse: “Ele não

merece um maldito minuto com Mason.”

“Isso é o que eu disse a ele: no momento em que ele me disse para me livrar do bebê, ele

deixou de ser pai. Richard pensou que eu teria medo dele. Pensou que eu desistiria. Pensou que

eu ainda era a garota ingênua que havia se apaixonado por ele sem olhar mais profundo do que

os encontros mágicos, as palavras bonitas. Mas ele estava errado.”

210
Olhando para Grace, ouvindo-a pintar um retrato do confronto, Dylan podia ver

exatamente o que seu ex tinha enfrentado: o fogo sem medo em seus olhos, a determinação de

estar forte, em cada linha de seu rosto e corpo.

“Ele nunca soube tudo de você. Nunca soube de coisa maldita sobre você. Você é uma

das pessoas mais corajosas que eu já conheci. E quando se trata de seu filho, você vai fazer

qualquer coisa para protegê-lo. Só um idiota completo não entenderia ou alguém muito

egocêntrico para não prestar atenção a qualquer outra pessoa.”

“Ainda não sei como não percebi isso nele, que tudo o que importava era ele mesmo. O

que ele queria. Sua própria imagem. Levando tudo o que ele queria de quem ele queria, sem

nunca dar nada em troca, enquanto se convence de que é um grande homem porque ele dá o

dinheiro da família que ele nunca teve uma mão em ganhar.”

Dylan estava feliz, francamente, por ouvir a raiva em sua voz depois do que ela teve de

enfrentar hoje. A raiva ajudaria a manter-se forte por enquanto. Era um inferno muito melhor

do que ter medo.

“Ele sabia que seus pais tentaram me pagar, é claro. Sabia tudo sobre os seus controles,

porque a minha situação não foi a primeira que eles tiveram a mão para fora, como Rafe

descobriu quando o investigou. Mas Richard não sabia tudo, não poderia saber que eu gravei

toda a minha conversa com eles.”

Apesar de tudo, Dylan não conseguiu conter o sorriso com o quão inteligente ela era.

“Você gravou?”

“Eu estava fazendo uma transcrição de uma entrevista no dia em que vieram me ver.

Eles não viram o gravador na minha mão esquerda. A voz do ex-senador é extremamente

reconhecível. Então eu soube que se eu tive que me proteger deles, a gravação poderia fazê-lo.”

“Eu amo você, Grace.” Beijou-a, em seguida, em parte porque ele nunca poderia resistir

a sua bela boca e em parte porque ele precisava se assegurar de que nenhum mal tinha chegado

a ela. “Você o assustou, não é?”

211
“Eu tenho certeza de que sim. Vou contratar o melhor advogado em custódia de criança

para me certificar de que vai assustá-lo, também. Eu estive economizando para isso. Eu tenho

um fundo para defesa legal pronto para isso.”

“Me desculpe, eu não poderia ficar de fora, Grace,” Dylan disse a ela. “Senhor, eu

gostaria de ficar. Meus irmãos e eu nos encontraríamos amanhã para descobrir o que fazer para

garantir que algo como isso nunca acontecesse. Mas fomos demasiado tarde, e você acabou por

ter de enfrentá-lo sozinha.” Ele passaria o resto de sua vida a apoiando. “Rafe lida com famílias

desestruturadas o tempo todo, então ele vai saber quem é o melhor advogado de custódia para

se certificar que você e Mason nunca tenham quaisquer problemas com os Bentleys, não

importa o que eles podem tentar no futuro. Vou ligar para ele agora, para pôr você no topo da

lista de prioridades da sua empresa.”

Ela fechou os olhos por um momento e ele podia ver como ainda estava pálida e

abalada. Ele esfregou as mãos nos braços dela, quando ela abriu os olhos e o olhou.

“Obrigada, mas desta vez eu preciso fazer isso sozinha. Sozinha.”

“Você é uma de nós agora...”

“Não, eu não sou,” disse ela em uma voz que estava se tornando cada vez mais instável

pela palavra. “Eu não posso fazer isso.” Seus olhos se encheram de lágrimas. “Eu pensei que eu

pudesse, mas eu não posso.” As lágrimas começaram a escorrer. “Eu sinto muito, mas eu

simplesmente não posso.”

212
Capítulo Vinte e Sete

Tudo dentro de Dylan apertou, então congelou. “Você teve um dia louco, Grace. Você

não tem que fazer nada mais, não é necessário tomar quaisquer grandes decisões. Não essa

noite. Não depois de ter passado por todo esse estresse.”

“Eu sabia o tempo todo que eu deveria ter tentado mais duramente resistir a você. Mas

eu continuei dizendo a mim mesmo que era apenas um beijo. Apenas uma noite. Apenas uma

semana. Apenas por diversão. Apenas por prazer.” Ela enxugou as lágrimas enquanto chupou

em outra respiração instável. “Eu estive mentindo para mim mesma, e eu não posso mentir para

mim mesma, Dylan. Eu não posso mentir para você, tampouco, permitindo que você ache que

eu estou pronta para isso. Para você.”

“Eu prometi que nós iríamos devagar, Grace. Eu sei que eu empurrei muito duro desde

o início. Empurrado você para conhecer minha família. Empurrando você a me dar os seus dias

e suas noites. Empurrado você para me deixar entrar na vida de Mason. Mesmo que eu

soubesse que você não estava pronta. Você nunca mentiu, nem uma vez. Eu sou o único que

está estragando tudo novamente e novamente. Deixe-me corrigir isso. Vou me certificar de que

você não está amarrada a todas as reuniões da minha família.”

“Sua família é ótima. Eles têm sido incríveis para mim e para Mason.”

“Então eu vou recuar. Vou dar espaço a você, todo o espaço que você precisa, deixar

você ditar o ritmo das coisas a partir de agora.”

“Você não entendeu?” Ela empurrou para fora de seus braços e se afastou. “Esse é

exatamente o problema. Eu não quero qualquer espaço! Eu quero você o tempo todo. A cada

segundo. Eu queria você mais e mais desde a primeira vez que eu conheci você, a primeira vez

que conversamos, a primeira vez que nos beijamos.”

213
Ele não queria assustá-la mais do que já estava, então se obrigou ficar onde estava, em

vez de ir atrás dela. “Isso é bom, não é? Que nós dois queremos a mesma coisa?”

“Não.” Ela balançou a cabeça freneticamente agora. “Como é que pode ser bom me

sentir totalmente fora de controle do meu corpo, do meu coração, da minha cabeça, sempre que

eu estou com você? Sempre que eu sequer penso em você? Como pode ser bom eu me

apaixonar mais e mais por você a cada momento? Como pode ser bom que sua família já se

sente como a minha e de Mason? Como pode ser bom eu querer me apoiar em você para tudo?

Por conforto? Por prazer? Por segurança?” Mas ela não o deixou responder a todas as suas

perguntas, apenas continuou cada vez mais. “Eu estava finalmente — finalmente! — me

sentindo no controle da minha vida novamente. E então você apareceu, destacando-se na frente

de seu ancoradouro, parecendo lindo e perfeito e alcançando Mason como você simplesmente

estivesse esperando nós dois entrarmos em sua vida.”

Ele sabia que poderia ser a coisa errada a dizer a ela agora, mas qualquer outra coisa

seria uma mentira. “Eu estava esperando por você. Por ambos. Eu sempre fui feliz. Sempre

amei a minha vida. Minha família. Mas eu sabia que havia uma peça que faltava lá fora, um

amor e uma família minha própria, como meus pais têm um ao outro e a mim e meus irmãos e

Mia. Eu sabia que eu iria te encontrar um dia, e então, de repente, lá estava você. As peças que

faltam, bem ali na minha frente. Eu me apaixonei por vocês naquele dia, e todos os dias desde

então tem apenas confirmado o que eu sabia ser verdade naquele primeiro momento. Você é

minha, Grace. Ambos são.” Ele estendeu a mão para ela. “Eu quero ser seu também.”

Por um momento, quando ela olhou em seus olhos, ele pensou que ela iria mover-se

para seus braços e dar-lhe tudo o que ele queria: seu amor.

Mas, em seguida, seu rosto estava franzindo de novo, e ela estava se movendo para trás.

Longe dele, em vez de mais perto. “Eu senti sua falta quando você se foi. Não apenas nesta

viagem quando você estava competindo, mas depois daquele primeiro dia que nos conhecemos

214
em seu ancoradouro, quando você foi transportar o barco para o norte. Você não pode ver que

confusão é isso, que eu já sentia tanto a sua falta quando eu mal conhecia você?”

“Eu senti saudade você, também, Grace. Saudades do Mason. O que há de errado com

isso?”

“Tudo! Tudo está errado com isso. De todos em sua família, você é o único solteiro,

Dylan. Você é o único que nunca esteve preso a nada nem ninguém. E ninguém jamais cometeu

o erro de tentar. Não quando sabiam que isso iria machucar você. E quando você quiser ir

navegar ou competir em um dia que eu não possa suportar deixar você ir? E se você souber que

eu vou sentir tanto a sua falta, que você desista da oportunidade e não faça a viagem para o

único lugar que você estava esperando para ver? Você vai me odiar por roubar a sua

liberdade.”

“Nunca. Eu nunca iria te odiar. Você está certa de que eu sempre fui livre para fazer o

que eu quisesse, para ir onde eu quisesse, de viver a vida como uma aventura. Agora eu quero

viver essas aventuras com você e Mason.”

Por um momento ele pensou que ela poderia deixar-se acreditar que o que ele estava

dizendo era verdade, mas então ela balançou a cabeça. “Eu vi como você é determinado, a

maneira como você decide mover céus e terra para transformar seus sonhos em realidade. E

você nunca vai saber o quanto eu te admiro por isso. Ou o quanto eu desejo que eu pudesse ser

como você. Mas eu apenas comecei a acertar minha vida. E eu tenho um bebê para cuidar, para

encontrar uma creche, e matricular na pré-escola em breve. E se eu deixar você desistir de sua

liberdade por nós e, em seguida, a terra começa a fechar em torno de você? E se você planejar

uma viagem muito necessária para que você possa se reconectar com quem você realmente é, e,

em seguida, verificar que você não pode ir porque tem que estar aqui para algo com Mason?

Então você vai se ressentir de nós.”

“Grace—”

215
“Mason e eu estamos apenas começando a criar raízes. Raízes que precisamos

desesperadamente. Raízes que eu nunca iria me perdoar se tudo que elas fizessem fosse

prender você.”

“A única coisa da qual eu iria me ressentir,” ele disse a ela, “a única coisa da qual iria

me chatear, é perder você. Perder Mason. Eu estou pronto para isso, pronto para a mudança,

pronto para aprender a funcionar como três em vez de apenas um.” Ele orou para que suas

palavras sinceras fossem aceitas quando ele disse, “Estar com você, ter um filho, ou, com sorte,

mais de um, não significa que eu nunca vou navegar novamente. Claro que eu vou. Com minha

esposa. Meu filho. Uma filha, também, se tivermos sorte.”

“Você nem sequer sabe se posso velejar,” protestou ela. “talvez eu só vou atrapalhar.”

“Eu vi você agir com minha família. E hoje, a forma como você lidou tão bravamente,

tão brilhantemente, com seu ex. Você vai ser natural na água, Grace. Mason vai, também.” Ele

estendeu a mão para ela, apertou as mãos dela contra seu peito, bem em cima de seu coração.

“Dê-nos a oportunidade de descobrir tudo isso juntos como uma equipe.”

“Eu não deveria me apaixonar por você.” As lágrimas estavam caindo por suas

bochechas. “Era suposto ser apenas eu e Mason. Eu planejei fazer qualquer coisa, tudo, eu podia

mantê-lo seguro. Mas, então, você entrou em nossas vidas e virou tudo de cabeça para baixo tão

rápido. Muito rápido.”

Dylan sabia por que ela estava em dúvida, entendia que seu ex aparecendo de repente

combinado com o pensamento de que ela poderia estar grávida novamente tinha puxado todos

os seus temores, todas as suas preocupações, todos os seus problemas de confiança.

Especialmente quando ela já sentia como se seus sentimentos por ele estivessem fora de seu

controle.

Mas só porque ele entendia não significa que ele não estava mais que frustrado. Ele

desejou poder continuar falando com ela até que a convencesse a ver coisas à sua maneira. Mas

216
tudo o que ele podia fazer, por esta noite, pelo menos, era atraí-la em seus braços e segurá-la

por tanto tempo quanto ela iria deixá-lo.

Ela não romper em lágrimas novamente, simplesmente segurou firme enquanto a sentia

reunir sua força. Ele não sabia quanto tempo eles estavam de pé abraçados no meio da sua sala

de estar quando Mason acordou, chorando.

“Eu tenho que ir buscar Mason.” Ela já havia se retirado dos braços de Dylan, rápido

demais para sua paz de espírito. “Eu consegui o fazer ter a sesta dele tarde demais hoje e agora

está tudo bagunçado.”

Antes, ela o teria convidado para o quarto para acalmar Mason. Teria o deixado tirar

Mason do berço e tê-lo em seus braços. Mas agora, ela estava simplesmente esperando que ele

saísse.

“Amanhã,” disse ele, desesperado para saber se saindo agora não queria dizer nunca

mais vê-la novamente. Desesperado para ter algum tempo para pensar em uma maneira de

convencê-la a mudar de ideia sobre se arriscar em amá-lo. “nós estávamos indo velejar amanhã.

A parte que faltava para sua história.”

“Sua mãe iria tomar conta de Mason, mas agora —”

“Ela o ama, Grace. Você sabe disso. Nada do que acontece entre mim e você vai mudar

isso. Deixe-a tomar conta dele amanhã, enquanto nós vamos velejar.”

Mason chorou novamente a partir de seu berço, desta vez mais alto, e o som perfurou o

coração de Dylan. Deus, como ele odiava não ser capaz de ir até ele, para consolar o menino a

quem ele havia estado orando que em breve seria seu.

“Tudo bem,” disse ela rapidamente. “eu vou encontrar você em seu ancoradouro às três

horas. Mas eu preciso pegar Mason agora. E eu quero ter certeza de trancar a porta atrás de

você.”

O que significava que ela precisava que ele saísse.

217
Mas quando ela abriu a porta para ele, alguns segundos depois, mesmo sabendo que

não tinha escolha, além de ir, havia algo que ele precisava que ela soubesse. “Eu lhe disse antes

que eu nunca tinha experimentado sofrimento, realmente nunca me arrependi de nada. Mas

agora eu sei que se você não se deixar me amar de volta, eu vou finalmente ser machucado. E

eu nunca vou deixar de lamentar perder você e Mason.”

*****

O telefone de Dylan estava tocando no banco da frente do jipe, onde ele havia deixado.

Quando ele viu o nome de seu irmão Rafe na tela, ele imediatamente atendeu.

“Richard Bentley está em Seattle,” disse Rafe sem preâmbulos. “Eu te liguei uma meia

dúzia de vezes na última hora para tentar dizer. Onde diabos você estava?”

“Com a Grace. Lidando com as consequências da visita dele. Ele a ameaçou e tentou

fazer ela entregar Mason.”

Rafe xingou. “Ela está —”

“Ela se defendeu sozinha. Ela disse-lhe para deixar ela e Mason sozinhos e que poderia

se certificar de que ele fizesse.” Ele rapidamente disse a seu irmão sobre a gravação e que ele

precisava que Rafe conseguisse o melhor advogado de custódia o mais rápido possível. “Onde o

desgraçado vai ficar?”

“Você está planejando machucá-lo, não é?”

“Oh sim.”

Rafe poderia ter dito que ele precisava ir com cuidado com alguém famoso para se

certificar de que ele ficou longe da imprensa, fora da cadeia. Mas Dylan sabia que se Brooke

tivesse sido ameaçada, seu irmão faria tudo o que pudesse para vingá-la... e protegê-la.

218
Rafe deu-lhe o nome do hotel de Richard Bentley e o número da suíte.

*****

Dylan bateu na porta de Bentley duro o suficiente que teria feito um buraco na madeira

pesada, se o ex dela não tivesse aberto. Uma pequena abertura era tudo que precisava uma vez

a maçaneta virou, e, em seguida, Dylan estava empurrando e batendo-a fechada atrás dele.

Medo saltou imediatamente nos olhos de Bentley. Claro que, agora Dylan tinha visto

muitas fotos do indivíduo, tanto no relatório de Rafe quanto online. Mas Richard Bentley tinha

sido presunçoso e totalmente no controle em todas essas imagens. Agora, havia medo nu em

seu rosto.

“Quem diabos é você? O que você está fazendo?”

Dylan deu um murro na mandíbula do cara, aproveitando o estalo de osso no osso.

Esse soco forte foi o suficiente para ter o cara implorando. “Toma o meu dinheiro.

Minha carteira está perto da TV. Pegue o que quiser, qualquer coisa de minha bagagem lá no

quarto.”

Com qualquer outra pessoa, a súplica patética poderia ter parado Dylan de usar mais

violência. Mas o que esse cara e sua família tinham feito merecia mais do que um soco. Richard

precisava sentir bastante dor, medo o suficiente para que ele nunca ousasse chegar perto de

Grace ou Mason novamente.

Dylan deu um murro no estômago do cara. “Eu só vou dizer isto uma vez, então é

melhor você prestar atenção. Fique bem longe de Grace e seu filho. Para sempre.”

Os olhos da cara arregalaram. “Você é um Sullivan. O que ela está fod —”

219
As mãos de Dylan foram em torno da garganta do cara antes que ele pudesse terminar a

palavra. “Ela me contou o que aconteceu. Tudo o que aconteceu, tudo o que você e seus pais

tentaram levá-la a fazer. Eu sei que ela tem tudo gravado, cada última palavra que essas pessoas

doentes disseram a ela. Se você tentar colocá-la contra a parede para tentar chegar a uma

criança que não é sua, de qualquer maneira, você vai pagar.”

O cara estava ofegante, chiado no peito agora, mas Dylan não queria que ele

desmaiasse. Ainda não. Não até que ele ouvisse cada palavra.

“Eu sei que você pensa que é poderoso. Eu sei que você e sua família provavelmente

ganharam cada batalha legal que você já disputou. Entre a palavra dela contra a sua e de seus

pais, você provavelmente acha que poderia ganhar por causa de seu histórico com a caridade.

Mesmo depois de ouvir o que ela tem sobre você, você ainda pode ser arrogante o suficiente

para pensar que vai ganhar. Mas Grace e o filho dela estão comigo agora. Com minha família. E

se eu fosse você, eu não cometeria o erro de enganar um Sullivan. Nós vamos rasgar você tão

rápido e quebrar em tantos pedaços que sua família nunca vai se recuperar.”

Dylan teve que forçar-se a soltar as mãos do pescoço do cara antes que ossos fossem

esmagados. O bastardo caiu no chão, apertando sua garganta com ambas as mãos enquanto

tentava engolir oxigênio.

“Jesus, você está louco.” O ex pode apenas arranhar as palavras. “Você poderia ter me

matado.”

“Você não viu o louco ainda.” disse Dylan em um tom ameaçador, mesmo quando

sorriu um sorriso triste, um cheio da promessa de mais dor do que o cara poderia imaginar,

mesmo depois de quase ser esmagado sob as mãos de Dylan. “Se eu ouvir que você chegou

perto de Grace ou do filho dela novamente, se você tentar esgueirar-se em contato com eles, se

você ameaçá-los de qualquer maneira, minha família vai acertar a sua por todos os lados. Nós

vamos deixar pedra sobre pedra. Vamos arrastar cada coisa suja, feia que você e seus

220
antepassados fizeram, pessoal e empresarial, nos últimos cem anos. E vamos ter a maldita

certeza que todo o mundo ouça sobre tudo isso.”

O cara tinha deslizado de volta dele até então, ainda no chão, com as costas contra a

parede. “Nós não queremos nada fazer com eles. Foi um erro. Tudo isso foi um erro. Vindo

aqui. Ter estado com ela em primeiro lugar.”

“Você poderia ter tido tudo.” Dylan tinha visto estúpidos antes, mas nunca nessa

escala. Dinheiro e poder muitas vezes levavam tudo de bom e de ruim sobre as pessoas e

intensificava isto — mas qualquer que fosse de bom que pode ter havido em Richard Bentley

tinha sido enterrado pela crença arrogante de que ele poderia sair com qualquer coisa porque

ninguém podia tocá-lo. “Um passo em falso e eu vou ter certeza que você é deixado com

absolutamente nada. Você entende?”

“Eu não vou falar com ela.” disse Richard, sua voz um gemido de dor. “Não vou fazer

nada com ela ou o garoto. Vou me certificar de que meus pais não o fazem, também. Nós não

vamos incomodá-la novamente. Nunca mais.”

Dylan não confiava nas palavras da cobra, mas ele confiou no medo que viu em seus

olhos, que disse mais do que quaisquer promessas faladas teriam. Obrigou-se a controlar a raiva

ainda queimando através dele. Qualquer mais violência, mesmo que gratificante, só iria levá-lo

para baixo ao nível do cara.

Sem dar ao inútil outro olhar, Dylan deixou o prédio e dirigiu-se para o porto. Ele

precisava, uma navegada selvagem rápido esta noite para limpar sua mente e queimar através

de sua frustração, e mais importante de tudo, para descobrir uma maneira de ganhar Grace e

Mason para sempre.

221
Capítulo Vinte e Oito

“Grace, Mason, é tão maravilhoso ver vocês de novo!” O sorriso de Claudia Sullivan foi

amplo e verdadeiramente feliz quando ela abriu a porta da frente para deixá-los entrar no

domingo à tarde.

Dylan estava tão perto de sua mãe que Grace imaginou se Claudia saberia o que tinha

acontecido ontem. Toda a história horrível, de pensar que ela estava grávida, e Richard

aparecendo, em seguida, Grace empurrando Dylan longe. Mas a expressão de Claudia não

mostrou sequer um traço de raiva.

“Muito obrigado por cuidar de Mason novamente.” disse Grace. “Você tem sido tão

amável por ajudar enquanto eu estive trabalhando na história sobre Dylan.”

Seu nome engasgou em sua garganta, e ela sabia que sua mãe tinha ouvido isso.

“Eu adoro passar o tempo com Mason,” disse Claudia com uma voz suave. “mas eu

também sei o quão difícil pode ser deixar ir. E confiar em alguém.”

Ela poderia facilmente ouvir a mensagem de Claudia: Eu sei que você foi magoada. E eu

concordo que você tem todo o direito de ser cuidadosa e cautelosa antes de confiar novamente. Não houve

julgamento, apenas o entendimento. E isso é o que fez Grace se sentir ainda pior. Porque,

mesmo agora, mesmo depois que ela afastou Dylan, sua família não fez o mesmo com ela.

Uma e outra vez ela disse a si mesma que apenas contos de fadas funcionava assim —

onde a mãe solteira do bebê encontra o cara perfeito com a família perfeita e ele se apaixona

perdidamente pelos dois. Ela lembrou-se apenas como muitas vezes que tudo acontecera muito

rápido e tinha parecido muito bom para que a chama de calor não arrefecesse tão rapidamente

como tinha acendido. Mas nenhuma dessas verdades dolorosas significava que ela queria

222
machucar Dylan ou alguém de sua família. Não quando eles todos foram tão bons para ela e seu

filho.

“Claudia, eu preciso que você saiba...” Ela instintivamente agarrou Mason mais perto,

embora soubesse que não podia proteger seu coração e que nunca deveria usar seu filho para o

efeito, mesmo se pudesse. “Dylan tem sido maravilhoso. Ele tem sido incrível com Mason. E se

eu pudesse —”

Claudia parou seu discurso de improviso e muito doloroso, colocando uma mão quente

sobre a dela. “Vá para seu passeio com o meu filho. Isso vai ajudar a tornar as coisas mais

claras. Eu só sei que vai.”

Várias vezes ao longo das últimas duas semanas, Dylan tinha dito que navegar com ele

lhe daria as respostas de que precisava para finalmente escrever uma história convincente sobre

o coração de um marinheiro. Mas poderia também dar-lhe as respostas às suas outras perguntas

sobre como aprender a confiar-e-amar de novo?

*****

Dylan não tinha se barbeado e parecia que ele não tinha dormido, também. Mas ele

nunca pareceu mais bonito para Grace. Ou mais real — tão real quanto ela sentiu a cada

segundo desde que ela trancou a porta atrás dele no dia anterior.

Ela queria correr para ele, queria se jogar em seus braços e nunca deixá-lo ir. Em vez

disso, ela estava na porta de sua garagem de barcos e tentou não chorar quando disse: “Oi.”

“Oi.” Dylan observou-a por um longo momento. Ela podia ver que ele estava

preocupado com ela — ela não tinha sido capaz de dormir na noite passada, também — mas

tudo o que ele disse foi: “Estou feliz que você está aqui.”

223
Ela sabia melhor do que tentar dizer algo mais do que a palavra de duas letras que ela

mal tinha conseguido sem chorar, então ela simplesmente assentiu.

“Eu teria conseguido o barco pronto para nós,” disse a ela, “mas eu percebi que você

gostaria de fazer o serviço o máximo possível hoje.”

Sabendo que ela precisava se recompor e rápido, ela respirou fundo. “Sim, isso seria

ótimo.” As cinco palavras extras não eram muito, mas foram um progresso, pelo menos.

Grace já conhecia a maior parte do vocabulário básico de um veleiro para sua pesquisa

— estibordo em vez de direita, proa em vez de frente do barco — mas em menos de sessenta

segundos, ela percebeu que a aprendizagem sobre velejar em livros ou na Internet nunca

poderia tomar o lugar da experiência real. E como Dylan falou a ela sobre executar uma

verificação visual detalhada das linhas que levantaram e controlando as velas para se certificar

de que não estavam envolvidos em torno uns dos outros; como ele mostrou-lhe como ter

certeza de que todos eles tinham um nó em forma-de-oito na extremidade livre para que eles

não passassem através das polias ou roldanas; como ele ensinou-lhe como determinar a direção

do vento, utilizando o indicador na parte superior do mastro, ela estava feliz por ser capaz de

afundar no modo de aprendizagem... em vez de afundando-em-lágrimas-a-qualquer-momento.

Dylan falou com ela enquanto manobrava no porto em Sound13. Havia uma brisa fresca

e um brilho de luz, o suficiente para dar lugar a uma boa imagem. Grace não percebeu que

estava sorrindo até que Dylan sorriu de volta.

“É bom, não é?”

O peito dela ficou tão apertado enquanto ela olhava-o, que realmente não podia

respirar por alguns segundos. “É ótimo.”

Você é ótimo, era o que ela realmente queria dizer a ele. Desculpe-me, eu empurrei você para

longe, mas eu tinha que fazer. Eu tenho que ser inteligente neste momento, tenho que estar preparada

para tudo, em vez de apenas ser arrastada novamente.

13
A cidade de Seattle fica às margens do Puget Sound, um braço do Oceano Pacífico, também como estuário de Puget.

224
Mas desde que ela estava aqui para conhecer sobre velejar para a sua história, não para

tornar as coisas ainda piores entre eles, ela disse apenas, “Quando você está em terra o tempo

todo, mesmo em uma cidade com tanta água em torno dela como Seattle, você nunca percebe o

quão incrível é realmente estar na água.”

Ela adorava o gosto da água salgada em seus lábios. Amava ver as velas enchidas sobre

os outros barcos ao redor deles no Sound. Havia lanchas e embarcações de pesca, também, mas

os veleiros foi o que chamou sua fantasia e imaginação.

Quando eles deslizaram sobre a água, e ele guiou-a como o homem ao leme, ele disse:

“Você é natural. Assim como eu sabia que você seria. E se nós içarmos o spinnaker 14 para que

você possa ver o que este bebê pode fazer?”

Estar no Sound com Dylan já era uma corrida, mas exatamente como ela sempre queria

mais quando estava em seus braços, agora que estava em seu veleiro, ela queria mais

velocidade, mais água respingando sobre eles, mais da corrida que ela poderia facilmente

tornar-se viciada.

“Diga-me o que fazer.”

Ele sorriu, um sorriso caloroso e apreciativo que fez seu coração saltar uma batida ou

duas. “Vamos fazer isso juntos.”

O procedimento para içar o balão não parecia tão fácil para Grace, mas com Dylan

pacientemente explicando a ela através de cada passo, eles logo conseguiram a terceira vela, e,

em seguida, eles realmente começaram a voar. Tão rápido que ela não conseguia conter o riso

ou a alegria que borbulhava dela independentemente de tudo o que tinha tentado tão

fortemente suprimir desde ontem.

14
spinnaker ou balão, um tipo de vela.

225
Não admirava que ela tivesse lido que o spinnaker foi muitas vezes chamado de pipa.

Por alguns belos minutos, ela sentiu que estava voando nele, esvoaçante e livre no vento. Ela

sentiu sua mão sobre a dela uma batida antes de ele girá-la para encará-lo.

“Você ama isso,” disse ele sobre o som da água batendo por baixo do barco. “Você ama

a velocidade. Você ama a emoção. E você está destinada a amar isso, Grace. Eu vi isso em você

desde o início — é por isso que Mason adora aprender coisas novas, adora ser empurrado tão

alto nos balanços e fazer seus carros de brinquedo correr tão rápido. Está em seu sangue.” Com

uma mão no leme, ele colocou a outra no ombro dela para fazê-la ouvi-lo, assim como ele tinha

que levantar a voz para ser ouvido sobre o vento crescente. “Eu estou em seu sangue. Assim

como você está no meu.”

Sua boca estava sobre a dela, em seguida, duro e quente e ainda mais emocionante do

que a velocidade enquanto voavam sobre a água. Ela não sabia quanto tempo eles se beijaram,

mas quando a plataforma inclinou sob seus pés, pensou a princípio que deveria ser da forma

como os beijos de Dylan faziam sua cabeça girar e quão desesperadamente queria nunca ter que

parar de beijá-lo. Mas quando de repente ele se afastou, em seguida, olhou para a água e

amaldiçoou, ela percebeu que o barco estava inclinando porque o tempo tinha virado.

Em algum momento durante o seu beijo apaixonado, a leve brisa tinha deslocado para o

norte e tornou-se um vento extremamente forte. “Estamos começando a rolar difícil a

sotavento15,” Dylan a chamou enquanto guiava o arco diretamente sob a costura no centro do

balão. Por um momento, parecia oscilar de volta ao equilíbrio, mas, em seguida, outra rajada de

vento bateu-os outra vez.

Ele ainda estava ocupado no leme quando o balão começou a mergulhar no oceano,

inclinando e arrastando o barco fortemente. Durante o bater das ondas e vento uivante, ela mal

15
Lado oposto ao vento.

226
podia ouvi-lo gritar: “Precisamos liberar a folha para despejar a água para fora da vela, em

seguida, abaixe a adriça16 ao meu sinal!”

Dylan tinha falado sobre o instinto de um marinheiro várias vezes durante suas

entrevistas, e agora Grace sabia exatamente qual era a sensação do instinto assumir. Ela só tinha

lido sobre esta situação antes e quase não tinha experiência suficiente para saber como navegar

em águas fáceis, mas de alguma forma suas mãos sabiam exatamente como para libertar o

balão.

No momento em que a água escorreu e a vela tinha ficado frouxa, Dylan foi recolhendo-

a e puxando a vela molhada de volta para o barco. Ele pediu a ela para liberar a adriça, e ele

puxou o balão para baixo do mastro.

Pelos próximos quinze minutos, eles navegaram rápido de volta para o porto, tentando

superar a tempestade perigosa que tinha vindo de lado nenhum. Da mesma forma, pensou

Grace, que Dylan tinha entrado em sua vida e de Mason de repente — perigosamente sexy e

viciante... e exatamente o que eles tinham precisado para agitá-los fora de sua pequena rotina

segura, também.

16
Cabo para içar vela.

227
Capítulo Vinte e Nove

“Jesus, Grace.” Eles estavam na saída do porto quando os ventos cessaram de repente

como eles surgiram. Flutuando facilmente novamente agora, Dylan finalmente afastou-se do

leme e colocou as mãos em cada lado do rosto dela. “Eu nunca vi o vento bater tão rápido no

Sound. Eu nunca teria levado você com este tipo de onda em seu primeiro passeio à vela se eu

soubesse. Eu planejei para encorajar você hoje no meu barco, mostrar que eu poderia ser tudo o

que você precisa que eu seja, mas então eu não conseguia parar de te beijar, não pude deixar de

ficar perdido demais em você, mesmo para notar a mudança do tempo.” Com profunda

preocupação, seus olhos se moviam sobre seu rosto. “Você está bem?”

Talvez ela devesse ter estado instável. Talvez alguém tivesse odiado o oceano e veleiros,

após isso. Mas Grace se sentiu mais viva do que nunca. E claro, também, por dentro e por fora

— como se as ondas espessas agitadas de água salgada quebrando sobre as plataformas

tivessem lavado as suas dúvidas e seus medos.

Foi apenas como Dylan tinha dito durante uma de suas entrevistas: É exatamente

quando você estava tentando segurar tudo firmemente sob controle que o vento e as ondas

decidem que é chegada a hora de mostrar-lhe não só quão vulnerável você realmente é, mas

também quão precioso cada momento era.

Mas era mais do que apenas o oceano e seu poder de tirar o fôlego que tinha mudado

ela. Grace e Dylan tinham sido uma equipe perfeita quando estes ventos tinham surgido e

tentado derrubá-los. E não importava quanto tempo eles se conheciam, ou quanto tempo eles

não tinham — porque quando a situação ficou crítica, não havia ninguém que ela preferia ter a

seu lado para enfrentar a tempestade.

“Eu te amo.”

228
Suas mãos acalmaram em seus braços onde ele estava deslizando-os sobre ela para se

certificar de que não estava ferida. “Grace?”

“Eu te amo,” disse ela novamente, já planejando dizer a Dylan, pelo menos, um milhão

de vezes ao longo dos próximos setenta anos. “Eu te amo tanto, amei desde o primeiro

momento que você pegou Mason em seus braços, mas eu estava com medo de dizer. Com medo

até de deixar-me sentir esse amor, porque eu pensei que a única maneira de manter Mason e eu

a salvo de perigo potencial era ser cautelosa. Manter minha guarda. Pensar tudo através de

todos os ângulos possíveis. E ficar sempre no controle.” Ela deslizou suas mãos pelo cabelo

encharcado dele, respingando água salgada. “Mas você estava certo de que velejar com você

faria tudo claro. Tão incrivelmente claro que eu posso finalmente ver que eu nunca vou ser

capaz de controlar tudo. Eu nunca vou ser capaz de parar a natureza de se rebelar, eu nunca

vou ser capaz de parar as ondas de cair sobre a terra, e eu não iria querer. Não iria querer virar

as costas novamente sobre o que realmente importa apenas para que eu possa ficar em um

padrão de exploração que se sente mais seguro. E eu não quero nunca tentar parar o que eu

sinto por você novamente, ou me contentar com nada menos do que o amor mais verdadeiro

porque arriscar meu coração parece muito assustador. Você pode me perdoar por machucar

você?”

“Eu iria perdoar qualquer coisa, Grace. Mas não há nada a perdoar. Ontem todos os

seus maiores medos desabaram em você de uma vez. Qualquer um teria reagido da maneira

que você fez. Qualquer um iria querer espaço para respirar.”

“Eu não tinha pensado que eu ia deixar os Bentleys me fazerem sentir como se eu não

fosse boa o suficiente. Mas agora eu estou percebendo que a maneira como eles me trataram

quando souberam que eu estava grávida atingiu diretamente todos os medos que eu não queria

admitir ao longo dos anos.”

“Todo mundo tem o mesmo medo de que nós não somos o suficiente.”

“Você não tem.”

229
Ele sorriu, um de seus belos sorrisos que sempre fizeram seu estômago dar

cambalhotas. “Eu tenho três irmãos mais velhos que praticamente regem o mundo entre eles. E

o que eles não podem fazer, meus primos podem. Às vezes eu acho que a verdadeira razão que

eu escolhi velejar era porque era tudo o que restava. Eu deveria ter levado a minha família em

um barco antes agora, mas eu não podia. Porque acontece que eu precisava de trinta anos para

perceber que eu poderia compartilhar meu amor pela vela com todos eles sem abrir mão de

quem eu sou e o que me faz especial.”

Será que ele tinha alguma ideia de quanto ele mudou-a por ouvi-lo admitir estar com

medo, também? E que ele não tinha medo de mostrar a ela seus defeitos? Os Bentleys foram tão

totalmente consumidos de ser e parecer perfeito que eles também eram absolutamente falsos.

Considerando que a vida real — vida do jeito que os Sullivans viviam — era linda e

maravilhosa... e às vezes confusa e crua.

“Eu não sei o que o futuro nos reserva,” disse ela. “Eu não sei se eu deveria estar muito

apaixonada por alguém, ou desistir desse controle. Eu não sei se algo vai acontecer com você

em um barco um dia, se você navegar por aí e outra tempestade irá te levar para longe de mim.

Mas eu não vou deixar isso me parar de pedir a você para casar comigo. Seja meu marido. Seja o

pai de Mason. E vamos dar-lhe todo o nosso amor. Para sempre.”

Ela esperava que ele a olhasse menos surpreendido pela sua proposta de casamento

como ele fez quando ela tinha dito a ele que o amava, mas não havia espaço em seu rosto para

nada, além de pura alegria.

“Não há nada que eu queira mais do que me casar com você e ser o pai de Mason.” Ele

a puxou contra ele, e sua boca estava quase sobre a dela quando ele hesitou. “Na verdade, há

mais uma coisa que eu quero.”

Mas ela já sabia o que era, podia ler sua mente agora que a tempestade tinha passado

tão bem como ela tinha sido capaz de lê-lo quando as ondas tinham estado caindo sobre eles.

230
“Vamos começar hoje, Dylan. Vamos aumentar a nossa família aqui. Vamos dar Mason um

irmão ou irmã agora.”

Tão rapidamente quanto eles pudessem, eles dirigiram o barco para o refúgio de uma

ilha, jogaram a âncora, em seguida, arrancaram um do outro as roupas molhadas. Gentilmente,

ele a deitou no deck de madeira, quente e seco agora do sol que tinha surgido assim que a

tempestade tinha passado.

“Você é tão bonita.” ele disse quando olhou para ela. “Eu fantasiava sobre fazer amor

com você no meu barco um milhão de vezes.”

O ar estava frio, mas as mãos e os lábios de Dylan contra sua pele quente a aqueceu por

toda parte. “Mesmo fazendo amor com você um milhão de vezes,” ela sussurrou contra seus

lábios quando ele penetrou nela e ela envolveu-se em torno dele, “não seria suficiente para

mim.”

“Eu nunca vou ter o suficiente de amar você, Grace.”

E... oh meu... fez ela amar como ele amava-a.

*****

Na tarde seguinte, Grace estava tão imersa no que estava escrevendo que não percebeu

que Dylan tinha entrado em sua sala de estar carregando Mason, até que estavam bem ao lado

dela.

“Oi.” Ela levantou os lábios para Mason para um beijo e foi muito satisfeita de acabar

com um de Dylan também. “Como foi o parque?”

“Nós tivemos um tempo maravilhoso.” Dylan olhou para Mason. “Não foi?”

Mason respondeu afirmativamente com um bonito pequeno toque de mão, em seguida,

se contorcia para começar a brincar com seus carrinhos de brinquedo.

231
“Parece que você está indo bem com o seu texto.” Mudou-se atrás dela para massagear

seus ombros, e isso se sentiu incrível.

“Eu estou.” ela confirmou. “Finalmente.”

“Você precisa que eu leve Mason de volta para fora, de modo que você pode ter mais

silêncio?”

“Não.” Era a última coisa que ela queria. “Eu quero que você fique.”

Eles sorriram um para o outro, ambos sabendo o quanto a palavra ficar realmente

significava. Seu pedido para ela ficar para o casamento de Mia e Ford na casa de seus pais e, em

seguida, o seu pedido para que ele ficasse com ela naquela noite, pela primeira vez, uma

semana depois, tinha sido seus primeiros passos importantes para o para sempre.

Tudo junto, como ela tinha trabalhado nesta reportagem de capa, ela pensou que

precisava esconder seus sentimentos por Dylan. Ela não tinha estado pronta para que todos

vissem o quanto ela o amava, porque não estava pronta para admitir para si mesma ainda.

Mas a verdade é que tudo o que sabia sobre o coração de um marinheiro tinha vindo de

ser amada por — e amando — ele. Portanto, esta história de capa não foi apenas sobre Dylan.

Era sobre ela também.

O que significava isso para redigir o mais honesto, o mais poderoso pedaço de texto

possível, ela teve que se despir de todas as camadas e colocar seu próprio coração.

Ela tinha sido totalmente vulnerável no veleiro durante a tempestade e tinha acabado se

sentindo mais forte e mais esperançosa do que nunca. E quando tinha estado vulnerável com

Dylan, ela ficado com mais amor do que jamais sonhou. Agora, ela estava tão vulnerável na

página enquanto escreveu sua história de amor pelo homem, o oceano, e os veleiros que tinham

feito muito para moldar-lhe, e ela foi finalmente amando cada palavra que escreveu.

E a cada momento com seu belo marinheiro também.

232
Epílogo

Duas semanas mais tarde...

Adam Sullivan ergueu a taça de champanhe para um brinde para celebrar os votos de

casamento que Dylan e Grace tinham acabado de compartilhar. Eles estavam na casa de barcos

de Dylan — vazia agora quando ele estava pronto para começar a sua nova encomenda de um

tradicional veleiro de 38 pés — e o sol estava brilhando sobre todos eles através dos painéis

abertos no telhado. Quando Adam tinha projetado a garagem de barcos para o seu irmão,

nunca imaginou que um casamento aconteceria no espaço, mas tinha funcionado perfeitamente,

com mais de espaço suficiente para a família e amigos íntimos testemunharem seus votos e ter

uma pequena festa depois.

Dylan e Grace seguraram Mason juntos quando os três sorriram para Mia, que estava

tirando fotos como fotógrafa de casamento não oficial. Um pouco mais tarde, quando era hora

para que todos se despedissem dos três saindo em sua lua de mel navegando para Cabo San

Lucas, no México, Adam — e todos — ficaram surpresos ao ver o veleiro novinho em folha

amarrado à doca fora da casa de barcos.

Adam sabia que algo estava acontecendo antes mesmo de seu irmão dissesse: “Foi um

dia perfeito para casar com o amor da minha vida na frente das pessoas que mais significam

para nós.” Dylan fez uma pausa para beijar Grace e Mason, ambos abraçados por ele. “E

também é o dia perfeito para nós darmos a vocês este barco.”

Mia disparou a Adam um olhar incrédulo antes de voltar para Dylan. “Você está

dizendo que você fez este surpreendente veleiro para nós?”

233
Dylan não foi capaz de fazer mais do que sorrir e acenar com a cabeça antes de Mia

lançar-se em seus braços. Em poucos segundos, Brooke e Tatiana e sua mãe estavam lá, com

todos os homens da família juntando-se no grande abraço Sullivan também. O pequeno Mason

estava em seu momento gritante com a grande família que tinha tão alegremente adotado a

partir daquele primeiro jantar de sexta-feira.

Todo mundo estava nas nuvens, e Adam estava extremamente feliz por todos eles.

Apenas Dylan faria um veleiro assassino como este para dar de presente para sua família. Eles

eram uma família de sorte. Adam sempre tinha apreciado isso.

A única coisa que ele não tinha gostado era ser o último Sullivan solteiro em Seattle.

Porque se ele sabia alguma coisa sobre sua família — e ele podia normalmente ler cada um

deles como um livro aberto — eles não descansariam até que tivessem o visto felizmente

emparelhado também.

Depois que todos tinham tido algum tempo para admirar seu novíssimo veleiro, Rafe

interceptou Adam quando ele voltou para a casa dos barcos para flertar com uma mulher

bonita em uma saia preta curta que estava servindo champanhe e canapés.

“Você é um cachorro,” disse Rafe. “você sabe disso, certo?”

Adam latiu uma vez, fazendo Rafe rir.

“Como está a sua agenda para quarta à tarde?” Perguntou Rafe.

“Eu posso deixá-la livre se você precisar de mim.” Isso era fácil para Adam. A família

sempre vinha em primeiro lugar. “O que está acontecendo?”

“Brooke precisa estar no lago para fazer as entregas de trufas extras esta semana para

algumas novas encomendas, e eu tenho um grande caso em que eu preciso para ir a Portland

para finalizar, mas nós temos um compromisso que nós realmente não podemos adiar por mais

tempo”.

“Com quem vocês têm reunião?”

234
“A organizadora de casamentos. E não culpo Brooke por este pedido,” disse Rafe

quando ele levantou uma mão para indicar que Adam passasse. “Quando isso aconteceu nós

temos compromissos para esse dia, ela me disse para não pedir a você, e disse que ela iria

descobrir algum jeito. Mas eu sei como ela estaria com o coração partido se nós estragássemos

tudo com a organizadora de casamentos, cancelando de novo porque não temos sido capazes de

coordenar nossos horários recentemente.”

Rafe sabia exatamente como jogar — Adam não podia dizer não, porque ele não queria

fazer nada para ferir Brooke tampouco. “Claro, eu posso me encontrar com a organizadora do

casamento.”

“Obrigado,” disse Rafe com um sorriso. “Você é um salva-vidas.”

Mas algo sobre o sorriso de Rafe parecia um tanto satisfeito. Claramente, pensou Adam,

sua família casamenteira já havia começado.

235

Você também pode gostar