Você está na página 1de 6

Dificuldade de Aprendizagem

ou Distúrbio de Aprendizagem?

Eloisa Hilsdorf Rocha Gimenez


Doutoranda em Educação - UNICAMP
Professora do Centro Universitário Anhanguera - UNIFIAN
e-mail: rochaeloisa@ig.com.br

Resumo Abstract

Pesquisas têm alertado que os índices de Researches have alerted that the table of
evasão e analfabetismo no Brasil são altos, indicando- contents of evasion and illiteracy in Brazil are high,
nos também que o desempenho de alunos no ensino also indicating the performance of the students in “
fundamental é baixo. Pesquisas mostram também que Fundamental Education” is low. Researches have also
há uma grande quantidade de crianças que continuam shown that there is a great number of children that are
a ser encaminhadas desnecessariamente para still being unnecessary headed for psychologist -
diagnóstico médico-psicológico. A literatura têm medical diagnosis. The literature has stresset that the
Revista de Educação

enfatizado que é a criança o alvo para a justificativa child is the target to na Educational failure justificative,
do fracasso escolar, sendo portanto atribuída a elas therefore being then the responsability of non-learning
as responsabilidades pelo não aprender. Verifica-se skill. As checked, there is na exempt of a bigger and
que há uma isenção de uma análise maior e mais more complex analylis on the subject. On these
complexa sobre a questão. Mediante estas appearances the author proposes to discuss about
constatações a autora se propõe a discutir sobre as several terminologies shown, to appoint a student that
diversas terminologias apontadas para designar um doesn`t learn and show the complex that emvolves
aluno que não aprende e apontar a complexidade que such terminologies. It is intended to discuss the expose
envolve tal temática. Pretende-se discutir o exposto a from the educational psychology contribution that for
partir das contribuições da psicologia escolar que a a long time has been coming on to demonstrate the
tanto vem caminhando para demostrar a importância importance at a critical and wide look about the
de um olhar crítico e amplo sobre as dificuldades difficulties shown on the educational context.
apresentadas no contexto escolar.
Key-words: Difficulty of learning skills or
Palavras-chaves: Processo de ensino- disturbance of learning skills learning and teaching
aprendizagem; Dificuldades de aprendizagem; process.
Distúrbio de aprendizagem.

Os baixos desempenhos e/ou dificuldades Remeter-se à escolarização do aluno


na aprendizagem formal manifestadas pelos significa considerar todo o processo de ensino-
alunos só podem ser compreendidos quando se aprendizagem e a multiplicidade de elementos
considera a pluralidade de variáveis que que este envolve, como: o sistema político e
compõem o processo ensinar/aprender. Esta econômico vigente, a escola, sua política e
compreensão permite afirmar que, apesar das proposta pedagógica, seus professores, sua
dificuldades apresentarem-se no indivíduo, estas formação, crenças e práticas pedagógicas, os
não se constituem como um problema único dele, alunos com suas capacidades e dificuldades, e
portanto, só podem ser compreendidas quando seus familiares.
se olha para todo o processo. Quando se fala em dificuldades
78
Dificuldade de Aprendizagem ou Distúrbio de Aprendizagem?

decorrentes no processo de escolarização torna- e responsabilizar os alunos pelo seu fracasso


se necessário compreender, entre outras coisas, diante da aprendizagem formal (CAMPOS,
aquilo que os autores têm publicado, e como a 1997).
questão tem sido abordada pelos mesmos ao Dessa forma, faz-se necessário apresentar
estudarem os aspectos intervenientes quando os as diferenças relacionadas a estas duas
alunos não aprendem. terminologias: dificuldades de aprendizagem e
Ao se revisar a literatura sobre o assunto distúrbios de aprendizagem, uma vez que elas
encontram-se diversos termos utilizados por possuem significados diferentes, e assim devem
diferentes autores como: dificuldades de ser compreendidas para que possam ser
aprendizagem, dificuldades na aprendizagem, utilizadas de forma mais adequada.
dificuldades escolares, problemas de Almeida e col (1995), Corsini (1998) e
aprendizagem, problemas na aprendizagem, Ciasca e Rossini (2000) já destacaram a
distúrbio de aprendizagem e transtorno de importância em discriminar estes dois termos por
aprendizagem. considerarem também a distinção de seus
Considera-se, aqui, interessante significados. A diferença refere-se às
apresentar as diversas e diferentes terminologias, características orgânicas, biológicas do distúrbio
definições e compreensões utilizadas por que não caracterizam as dificuldades de
diferentes teóricos quando buscam designar um aprendizagem. Este termo, dificuldades de
aluno que não aprende, uma vez que as mesmas aprendizagem, de acordo com as autoras, seria
se apresentam muitas vezes de forma confusa e um termo mais amplo que inclui “qualquer tipo
contraditória (CAMPOS, 1997). de dificuldade apresentada durante o processo
Verifica-se que não há consenso quanto à de aprender, em decorrência de fatores variados,

Revista de Educação
definição do termo dificuldade de aprendizagem que vão desde causas endógenas e exógenas”
quanto à sua compreensão e definição de sua (CIASCA E ROSSINI, 2002, p.13).
etiologia, apesar de ser uma temática amplamente Já distúrbio de aprendizagem , na opinião
discutida e estudada (ALMEIDA, E COL, de Ciasca e Rossini (2000) se caracteriza pela
1995; BORUCHOVITCH, 2001; SISTO, perturbação de um processo, sendo que
2001a). Na opinião de Martin e Marchesi qualquer distúrbio implicaria em uma perturbação
(1996), o ponto principal desta discordância na aquisição, utilização ou na habilidade para
reside no fato de que a população com soluções de problemas. Percebe-se que este
dificuldade de aprendizagem apresenta-se, em termo possui um significado mais restrito em
geral, de forma muito heterogênea. comparação com a dificuldade de aprendizagem,
Outro aspecto que acentua ainda mais a pois envolve uma disfunção específica,
confusão sobre os aspectos citados é a geralmente neurológica e/ou neuropsicológica.
discordância existente entre as terminologias A definição mais aceita hoje, por ser
dificuldade de aprendizagem e distúrbio de considerada a mais completa, é a apresentada
aprendizagem. Muitas vezes estes termos são pelo National Joint Comittee of Learning
utilizados como sinônimos para designar o Disabilities (NJCLD),proposta por Hammil em
problema de um aluno que não aprende 1981 e ratificada em 1990. Ela diz o seguinte:
(CAMPOS, 1997). Além disso, um mesmo
termo é definido diferentemente por diferentes Distúrbio de Aprendizagem é um
autores, como também freqüentemente se termo genérico que se refere a um
observa um autor utilizando-se dos termos, grupo heterogêneo de desordens,
manifestadas por dificuldades na
distúrbios, dificuldades e problemas num mesmo
aquisição e no uso da audição, fala,
texto, sem distinção de seus significados.
escrita e raciocínio matemático.
Esta imprecisão propicia que os termos Essas desordens são intrínsecas ao
sejam utilizados inadequadamente e muitas vezes indivíduo e presume-se serem uma
excessivamente e de forma indiscriminada, sendo disfunção de sistema nervoso central.
que na maioria das vezes isto ocorre para rotular Entretanto, o distúrbio de

79
Eloisa Hilsdorf Rocha Gimenez

aprendizagem pode ocorrer dificuldade de aprendizagem permanente e


concomitantemente com outras dificuldade de aprendizagem transitória ou
desordens como distúrbio sensorial, momentânea.
retardo mental, distúrbio emocional e A definição proposta por Sisto (2001 a e
social, ou sofrer influências
b) de dificuldade de aprendizagem permanente
ambientais como diferenças culturais,
diz que esta é reflexo de base neuropsicológica
instrucionais inapropriadas ou
insuficientes, ou fatores psicogênicos. e/ou constitucional. Percebe-se que esta
Porém, não são resultado direto destas definição, ao referir-se a aspectos orgânicos, está
condições ou influências. de acordo com o que foi exposto sobre distúrbio,
(HAMMILL, 1990, p 77). não havendo portanto distinção entre os termos,
fato este que expressa a controvérsia da literatura
Esta definição indica, então, que os quanto à definição, o que propaga a confusão
processos psicológicos envolvidos na existente.
aprendizagem estão alterados e isto se deve a Ainda, de acordo com o referido autor, a
uma disfunção neurológica, portanto esta é uma dificuldade de aprendizagem transitória ou
condição de origem neurológica, orgânica, uma momentânea refere-se àquelas que aparecem em
vez que envolve falhas no funcionamento do um dado momento escolar e não são afetadas
sistema nervoso central (JOHNSON E por aspectos psicobiológico ou neurológico, uma
MYKLEBUST, 1987; ALMEIDA E COL vez que os parâmetros cognitivos são normais,
1995; CIASCA E ROSSINI, 2000). Este (SISTO, 2001 b), sendo estas o objeto de
referencial aponta, portanto, que a disfunção estudo do campo das dificuldades de
neurológica é a característica fundamental que aprendizagem propriamente ditas.
Revista de Educação

diferencia uma criança com distúrbio de A definição de dificuldade de


aprendizagem daquelas com problemas de aprendizagem apontada por este autor diz que:
inteligência ou com dificuldades de
aprendizagem. “a dificuldade de aprendizagem
Sendo assim, o conceito de distúrbio de engloba um número heterogêneo de
transtornos, manifestando-se por
aprendizagem apresentado a partir do
meio de atrasos ou dificuldades em
entendimento destes autores, relaciona-se a uma
leitura, escrita, soletração, cálculo, em
visão médica, orgânica, uma vez que possui um crianças com inteligência
significado restrito relacionado a uma disfunção potencialmente normal ou superior e
neurológica para explicar atrasos na aquisição sem deficiências visuais, auditivas,
da leitura, escrita ou capacidade de cálculo. motoras ou desvantagem culturais”
Dessa forma, torna-se mais fácil compreender o (SISTO, 2001 c, p. 193).
porque, entre 40% da população indicada com
dificuldade de aprendizagem, somente 3% a 5% Martin e Marchesi (1996) são teóricos
apresentam distúrbio de aprendizagem que entendem a dificuldade de aprendizagem
(CAMPOS, 1997). como qualquer dificuldade observável vivenciada
Em relação à dificuldade de pelo aluno para acompanhar o ritmo de
aprendizagem, observa-se uma grande aprendizagem de seus colegas da mesma idade,
quantidade de teorias sendo empregadas na independentemente do fator determinante da
tentativa de se explicar e definir este termo, defasagem. Assim sendo, dentro da categoria
apesar do mesmo ser empregado dificuldades de aprendizagem podem ser
corriqueiramente por profissionais que atuam na encontrados, mais precisamente, alunos com:
escola, mesmo sem a compreensão de seu real problemas situacionais (apresentando
significado. comprometimento em algumas circunstâncias e
Há teóricos como Sisto (2001 a e b) que não em outras), problemas de comportamento,
apresentam a dificuldade de aprendizagem a problemas emocionais, problemas de
partir de dois tipos genéricos, são eles: comunicação, (distúrbio da fala e da linguagem),
80
Dificuldade de Aprendizagem ou Distúrbio de Aprendizagem?

problemas físicos, de visão e de audição, e por quando se trata das dificuldades de


fim, problemas múltiplos (presença simultânea de aprendizagem.
mais de um dos problemas anteriormente Quanto à definição de dificuldade
mencionados). específica de aprendizagem, Selekowitz (2001,
Percebe-se que esta visão não diferencia p.4) a entende como “uma condição inesperada
o distúrbio de dificuldade de aprendizagem e e inexplicável que ocorre em uma criança de
contradiz aquela que exclui, da definição de inteligência média ou superior, caracterizada por
dificuldade de aprendizagem, os déficits um atraso significativo em uma ou mais áreas de
sensoriais ou intelectuais. aprendizagem”. Fica explícito nesta definição e
Segundo Smith e Strinck (2001, p.15), o também reconhecido pelo autor que a causa das
termo dificuldade de aprendizagem “refere-se dificuldades específicas de aprendizagem
não a um único distúrbio, mas a uma ampla gama apresentam-se desconhecidas, o que implica
de problemas que podem afetar qualquer área dizer que, para alguns teóricos, a ciência ainda
do desempenho acadêmico”. Segundo estas não encontrou as respostas para que se entenda
autoras as dificuldades de aprendizagem têm uma melhor o problema. Este autor aponta ainda, que
base biológica, são condições permanentes, mas é improvável que um único fator possa ser
consideram que é o ambiente da criança que responsável por uma dificuldade de
determina a gravidade do impacto da aprendizagem específica, mas ao contrário, deve
dificuldades. Afirmam ainda que as dificuldades existir uma série de fatores que precisam agir
de aprendizagem podem ser drasticamente em conjunto, reforçando a idéia de causas
melhoradas, fazendo-se mudanças em casa e no multifatoriais.
programa educacional proposto à criança. Sisto (2001 b) também diferenciou as

Revista de Educação
Verifica-se que as autoras entendem a dificuldades de aprendizagem considerando-as
dificuldade de aprendizagem como sinônimo de como específicas ou gerais, sendo que no
distúrbio. Elas consideram que, raramente, as primeiro caso o indivíduo estaria atrasado ou
dificuldades de aprendizagem podem ser defasado em determinadas tarefas específicas,
atribuídas a uma única causa, e mencionam e no segundo caso, ele apresentaria uma
pesquisas que têm encontrado evidências de que aprendizagem mais lenta em uma série de tarefas.
elas podem ser herdadas. Mencionam ainda que Sobre a etiologia das dificuldades de
os fatores biológicos que contribuem para as aprendizagem, autores como Boruchovitch
dificuldades de aprendizagem podem ser (2001) já apontaram para a inexistência de
divididos em quatro categorias: lesão cerebral, concordância entre os teóricos sobre o assunto.
erros no desenvolvimento cerebral, desequilíbrios No entanto considera que, tanto os fatores intra-
neuroquímicos e hereditariedade. Consideram a escolares, como os extra escolares devem ser
existência de várias causas das dificuldades, e o considerados quando se busca conhecer as
ambiente não é entendido como causa, mas sim causas das dificuldades de aprendizagem.
como importante fator de influência. Desta forma, Evidentemente, nesta consideração há o
a ênfase recai sobre os fatores internos do reconhecimento da autora sobre a multiplicidade
indivíduo. de fatores intervenientes nas dificuldades de
Oliveira (2001), ao fazer referência aos aprendizagem Reforça-se um aspecto consensual
termos dificuldades de aprendizagem e que parece único no assunto, sobre o fato de
dificuldades escolares, aponta a necessidade de que dificuldades de aprendizagem não se
distingui-los. Esta autora diz que as dificuldades apresentam sob uma única causa.
escolares relacionam-se à incompetência da Almeida (2001) também compactua com
instituição educacional, não podendo portanto esta compreensão e defende assim como
ser consideradas como problemas dos alunos. Maturano (apud Almeida, 2001) que as
Esta afirmativa permite que se excluam das dificuldades de aprendizagem são decorrentes
dificuldades escolares, problemas relacionados de uma constelação de fatores ( internos e/ou
ao aluno, e que o mesmo não pode ser feito externos) de ordem pessoal, familiar, emocional,

81
Eloisa Hilsdorf Rocha Gimenez

pedagógica e social, que só adquirem sentido distúrbios de aprendizagem, são dificuldades do


quando referidos à história das relações e processo de ensino-aprendizagem, uma vez que
interações do sujeito com o seu meio, inclusive a escola e seus professores são também
e sobretudo, o escolar. Esta também é a elementos integrantes e portanto responsáveis
compreensão defendida neste trabalho. pelo mesmo.
Diante do exposto considera-se que Ressaltamos que esta compreensão deve
estudar a problemática da dificuldade de ocupar o espaço daquela que responsabiliza
aprendizagem implica em considerar as múltiplas somente o aluno e seus familiares pelo não
causas dessas dificuldades e isso faz com que aprender, conforme foi compreendido por muito
se considere a constelação de aspectos que a tempo, e que se perpetua até os dias atuais, na
envolve, como as diferenças culturais e/ou percepção de muitos. Entendemos, então, que,
sociais, fatores familiares, bem como o próprio ao falarmos em distúrbios de aprendizagem,
sistema educacional. Estes devem, portanto, ser dificuldades de aprendizagem ou baixos
considerados quando se buscam os elementos desempenhos escolares, remetemo-nos a uma
determinantes das dificuldades de aprendizagem dificuldade que é do processo de ensino -
e não somente aqueles relacionados a problemas aprendizagem.
inerentes ao sujeito aprendiz.
Percebe-se que as dificuldades de Referências Bibliográficas
aprendizagem só podem ser compreendidas a
ALMEIDA, S. F. C. ; et al (1995). Concepções e práticas
partir da complexa interação desses múltiplos de psicólogos escolares acerca das dificuldades de
fatores, requerendo intervenções tanto no âmbito aprendizagem. Psicologia, Teoria e Pesquisa, 11 (2),
do aluno como o das práticas pedagógicas e de 117-134.
Revista de Educação

formação de professor, quanto no âmbito de ALMEIDA, S. F. C. (2001). O psicólogo escolar e os


mudanças mais amplas de natureza política, impasses da educação: Implicações da(s) teoria (s) na
atuação profissional. In: DEL PRETTE (org).
econômica e social. Psicologia escolar e educacional: Saúde e qualidade
Sendo assim, consideramos que, mais de vida. Campinas. Alínea.
importante do que discutir as terminologias mais BOCK, A. M. B. E AGUIAR, W. M. J. (2003). Psicologia
adequadas para designar um aluno que não da educação: em busca de uma leitura crítica e de uma
aprende, é compreender que as causas de tal atuação compromissada. In: BOCK, A. M. B. (org). A
perspectiva sócio- histórica na formação em
situação, necessariamente, envolve uma psicologia. Petrópolis: Vozes
constelação de fatores e que a escola e seus BORUCHOVITCH, E. (2001). Dificuldades de
professores são sempre elementos que devem aprendizagem, problemas motivacionais e estratégias
ser considerados. As dificuldades existentes no de aprendizagem. In: SISTO, F. F., et al (org.).
processo de escolarização só podem ser Dificuldades de Aprendizagem no Contexto
Psicopedagógico. Petrópolis: Vozes.
compreendidas a partir desta multiplicidade de CAMPOS, L. M. L. (1997). A rotulação de alunos como
fatores. Esta compreensão evidencia que este portadores de “distúrbio ou dificuldades de
processo envolve não apenas o sujeito aprendizagem”: uma questão a ser refletida. Idéias. 28,
aprendente, mas também aquele que ensina, 125-140.
permitindo ainda afirmar que, apesar das CIASCA, S. M. ; ROSSINI, S. D. R. (2000). Distúrbio
de aprendizagem: mudanças ou não? correlação de
dificuldades manifestarem-se no indivíduo, elas dados de uma década de atendimento. Temas de
não são dificuldades apenas dele e portanto só desenvolvimento, 8 (48), 11-16.
podem ser compreendidas quando se observa CORSINI, C. F. (1998). Dificuldade de aprendizagem:
o processo. Concordamos com Bock e Aguiar representações sociais de professores e alunos.
(2003), quando afirmaram que uma dificuldade Dissertação de Mestrado. PUCCAMP.
HAMMIL, D. D. (1990). On defining Learning
do aluno deve ser sempre entendida como uma Disabilities: on emerging consensus: Jornal of
dificuldade do processo de ensino- Learning Disabilities. 23(2): 74-84
aprendizagem. MARTIN, E; MARCHESI, A (1996). Desenvolvimento
Assim, entendemos que, mesmo as metacognitivo e problemas de aprendizagem. In: C.
dificuldades inerentes ao aprendiz como são os COLL; J. PALÁCIOS E A. MARCHESI (orgs.).
Desenvolvimento psicológico e educação:
82
Dificuldade de Aprendizagem ou Distúrbio de Aprendizagem?

Necessidades educativas especiais e aprendizagem


escolar. Porto Alegre: Artes Médicas.
OLIVEIRA, G. C. (2001). Contribuições da
Psicomotricidade para a superação das dificuldades
de aprendizagem. In: Sisto, F. F. et al .(org) Atuação
psicopedagógica e aprendizagem escolar. Petrópolis:
Vozes.
SELEKOWITZ, M. (2001). O que são as dificuldades
específicas de aprendizagem? In: SELEKOWITZ, M.
Dislexia e outras dificuldades de aprendizagem. Rio
de janeiro: Revinter.
SISTO, F. F. ( 2001 a ). Dificuldades de Aprendizagem.
In: Sisto, F. F. , et al (org). Dificuldades de
Aprendizagem no Contexto Psicopedagógico.
Petrópolis: Vozes.
SISTO, F.F. ( 2001 b ). Dificuldades de Aprendizagem
em escrita: um instrumento de avaliação. In: Sisto, F.
F.; et al (org.). Dificuldades de Aprendizagem no
Contexto Psicopedagógico. Petrópolis: Vozes.
SISTO, F. F. (2001 c). Avaliação de dificuldades de
aprendizagem: uma questão em aberto. In: SISTO, F. F.
; DOBRANSZKY, E. A.; MONTEIRO, A.(orgs).
Cotidiano escolar: Questões de leitura, matemática
e aprendizagem. Bragança Paulista: Vozes.
SMITH, C. ; STRINCK, L. (2001). Entendendo as
dificuldades de aprendizagem. In: SMITH, C. ;

Revista de Educação
STRINCK, L.(orgs). Dificuldade de aprendizagem -
de A a Z: Um guia Completo para pais e educadores.
Porto alegre:. Artmed.

83