Você está na página 1de 13

LIDIANE LACERDA SANTIAGO PERÍGOLO

GERENTE DO PROJETO SOCIAL

CAMINHO FELIZ, INCLUSÃO SOCIAL E CIDADANIA


COM FOCO NA CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS

Projeto social inscrito no III Prêmio Conciliar é Legal,


realizado e gerenciado por Lidiane Lacerda Santiago
Perígolo, Bacharel em Direito e Especialista em Direito
Processual

MANHUAÇU/MG
2012
1
PROJETO SOCIAL

TÍTULO: CAMINHO FELIZ, INCLUSÃO SOCIAL E CIDADANIA COM FOCO NA


CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS

GERENTE E TITULAR DO PROJETO: LIDIANE LACERDA SANTIAGO PERÍGOLO,


BACHAREL EM DIREITO E ESPECIALISTA EM DIREITO PROCESSUAL

CLIENTES: A COMUNIDADE LOCAL

1 – APRESENTAÇÃO

Após um breve diagnóstico sobre a situação de uso e comércio ilegal de substâncias


entorpecentes na cidade de Manhuaçu, Estado de Minas Gerais, situada na região Leste da
Zona da Mata Mineira, verificou-se alta incidência de crimes de tal natureza.

Diante disto, este projeto visa apresentar metas e ações preventivas para reduzir esta
incidência criminal, com foco na inclusão social, cidadania com foco na conciliação e
mediação de conflitos.

2 – JUSTIFICATIVA

Verifica-se que as razões de existência do presente projeto remete-se a questão da alta


incidência criminal do delito uso e comércio ilegal de substâncias entorpecentes e respectivo
ato infracional, haja vista ter envolvimento tanto de adultos como de menores infratores.

Observa-se, mormente, a descrição de problemas oriundos da prática de tal natureza, tais


como: a evasão escolar, ou no mínimo o baixo rendimento na escola; a prática de pequenos
delitos, como furtos, roubos, inclusive, para sustentar o próprio consumo, e às vezes, até o
próprio comércio; estes, no caso de menores e adolescentes envolvidos; elevado números de
ocorrências policiais por partes de usuários e traficantes; reincidência altíssima entre os
mesmos usuários e traficantes; uso e comércio de substâncias tóxicas; violência contra
2
crianças e adolescentes; violência doméstica no âmbito familiar; violência urbana; brigas
entre gangues de rua; desrespeito e inobservância aos direitos das mulheres e idosos; exclusão
social; falta de documentos necessários ao exercício da cidadania, dentre eles carteira de
identidade, cadastro de pessoas físicas, carteira de trabalho, entre outros.

Estes crimes, recorrentes na comunidade local, por serem passíveis de conciliação e


mediação, serão submetidos a uma junta que proporcionará a solução pacífica do conflito,
conduzindo os infratores a uma reeducação e ressocialização.

Conforme, verifica-se, os locais de maior abrangência para implementação do aludido projeto,


é nas áreas de maior ocorrência criminal, tais como proximidades de escola municipais,
estaduais e de colégios de bairros carentes, onde se constam baixo nível de escolaridade e
grande desigualdade social.

Urge ainda ressaltar, a prioridade de algumas necessidades como elevar o índice de


escolaridade, principalmente, das crianças e adolescentes, vítimas quase sempre de problemas
sociais, que acabam por se tornar atuantes na esfera criminal como uma forma até de
atividade secular.

Tal proposta se vislumbra com a prática da conciliação e mediação de conflitos que tem como
objetivo conduzir as partes envolvidas no conflito a proporem a própria solução do caso, que
resultará numa maior satisfação entre as partes, bem como a ressocialização dos mesmos,
proporcionando cidadania e uma comunidade melhor para se viver.
A seguir, segue levantamento realizado sobre os índices de criminalidade na cidade de
Manhuaçu/MG, entre os anos de 2004 a 2011, que em tese, tem como motivo e causa o uso de
drogas afins.

OCORRÊ 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 TOTAL
N
C
I
A

3
S

Lesão 249 331 314 305 418 334 363 226 2540
corporal

Vias de 310 301 240 331 367 328 432 224 2533
fato/
Agressão

Atrito 259 277 235 321 485 384 355 198 2514
verbal

Ameaça 172 176 169 225 285 273 336 215 1851

Dano 115 136 154 229 248 270 277 175 1604

Furto 57 80 110 79 145 151 211 131 964


consumado
à
residência

Furtos 20 29 44 65 100 185 199 103 745


qualificado
s a veículos

Dentre as ocorrências tipificadas no quadro acima, observa-se a seguir suas respectivas


causas:

OCORRÊNCIAS ANÁLISE DE SUAS POSSÍVEIS CAUSAS

Lesão corporal Discussões familiares, uso constante de bebidas alcoólicas,


entre conjugues desemprego

Vias de fato / Desentendimento, provocações pessoais, descontrole emocional


agressão

Atrito verbal Desentendimento entre pessoas próximas


4
Ameaça Ciúme, vingança

Dano Ausências de atividades culturais e entretenimento para a classe


juvenil, maiores envolvidos em tais práticas delitivas

Furto consumado Desemprego, dificuldade de manter o uso de substâncias


às residências entorpecentes, bem como residências situadas em locais ermos sem
qualquer tipo de vigilância

Furto qualificado a Desemprego, veículos com pouca segurança e estacionados por um


veículos longo período em locais com pouco tráfego e movimentação de
pessoas

3 – OBJETO

Diminuição da incidência criminal quanto ao uso e comércio de substâncias entorpecentes e


drogas afins, e identificação pessoal para que os clientes alvo deste projeto possam suprir a
necessidade dos documentos necessários ao exercício da cidadania e inclusão social, dentre
estes, carteira de identidade, cadastro de pessoa física, carteira de trabalho, entre outros.
Proporcionar cidadania a comunidade local, bem como a possibilidade da mesma em tratar
seus próprios interesses, realizando a solução pacífica de seus conflitos, conforme a proposta
da conciliação de conflitos.

4 – OBJETIVOS

 Melhorar a condição de acesso e aproveitamento das informações e demandas da


comunidade;
 Proporcionar campanhas de identificação pessoal para que a comunidade possa obter
carteira de identidade, CPF e carteiras de trabalho, entre outros documentos;
 Detecção de locais onde se praticam os crimes e contravenções penais, principalmente
com envolvimento de adolescentes;
5
 Identificar as causas e os meliantes que praticam furtos e roubos nas regiões com
maior incidência dos delitos em foco;
 Levar esclarecimento e informação às famílias mais carentes, mães e pais
adolescentes;
 Reduzir o envolvimento de adolescentes com as drogas, certamente a principal causa
da ocorrência dos crimes diagnosticados, identificando pontos de venda e locais com
maior incidência do comércio de drogas, com um trabalho mais efetivo junto às escolas
da comunidade, associações de bairro e igrejas;
 Minimizar e reduzir a reincidência de crimes referentes a entorpecentes e drogas afins,
inclusive, para os mais necessitados e carentes de apoio e amparo social;
 Implantar, estruturar e dar prosseguimento ao centro comunitário de mediação de
conflitos, seguindo a proposta da solução pacífica de conflitos proposta pelas próprias
partes e envolvidos.

5 – METODOLOGIA

Inicialmente, levantamentos de dados estatísticos, por meio de pesquisas junto à comunidade


local, distribuição de questionários a serem elaborados pela gerente do projeto, visando colher
mais dados e informações, bem como trabalhar na mobilização e sensibilização social e
envolvimento com a comunidade com p desenvolvimento e promoção de palestras educativas,
inclusive, em focos de delitos, com o fim de proporcionar cidadania.

A mobilização da comunidade far-se-á por meio de reuniões com os próprios clientes,


inclusive, com o auxílio do Conselho Municipal de Segurança Pública, bem como por
anúncios via rádio e imprensa televisiva e urnas espalhadas na própria sede da Delegacia e
outros locais públicos e em sedes dos respectivos parceiros.

Tem-se ainda, a promoção e ministração de palestras educativas que visam conscientizar e


alfabetizar os clientes, alvos do mesmo, quanto ao males e prejuízos da prática de tal
incidência criminal.
6 – PARCEIROS

6
 CRPC/ACADEPOL;
 Poder Judiciário da Comarca de Manhuaçu;
 Ministério Público da Comarca de Manhuaçu;
 Polícia Civil do Estado de Minas Gerais;
 Polícia Militar do Estado de Minas Gerais;
 Prefeitura Municipal de Manhuaçu/MG;
 Conselho Municipal de Segurança Pública;
 Conselho Tutelar Municipal;
 Diretores de Escolas Públicas e Particulares;
 Associações de Bairros;
 Igrejas (evangélicas, católicas, etc);
 AMEM – Associação de Ministros Evangélicos de Manhuaçu;
 Imprensa escrita, televisiva;
 Sites e rádios, locais e regionais;
 Empresas privadas, já parceiras desta Unidade Policial em diversas atividades, tais como:
Engelmig Material de Construção, Concessionárias Gm, VW e Fiat, Gulozitos Alimentos,
Ricardo Café, Tristão Comércio e Exportação de Café, Armazéns de Café Leste de Minas;
Rede Opá de Supermercados, Líder Gás Distribuidora de Gás.

7 – METAS

 Melhorar a condição de acesso da comunidade aos setores da Defesa Social, no período


de julho de 2011 a julho de 2012;
 Proporcionar campanhas de identificação pessoal no período de julho a dezembro de
2011, com a realização de duas campanhas neste período;
 Levantamento dos locais onde se praticam os crimes e contravenções penais,
principalmente com envolvimento de adolescentes, no período de outubro de 2011;
 Identificação das causas e dos meliantes que praticam furtos e roubos nas regiões com
maior incidência destes delitos, no período de julho a agosto de 2011;
 Realização de palestras para levar esclarecimento e informação às famílias carentes,
principalmente mães e pais de adolescentes, no período de janeiro a maio de 2012;

7
 Redução do envolvimento de adolescentes com as drogas, e identificação de pontos de
venda e locais com maior incidência do comércio de drogas, com um trabalho mais
efetivo junto às escolas da comunidade, associações de bairro e igrejas, no período de
julho de 2011 a julho de 2012;
 Minimização e redução da reincidência de crimes referentes a entorpecentes e drogas
afins, inclusive aos mais necessitados e carentes de apoio e amparo social, no período
de julho de 2011 a julho de 2012;
 Avaliação do presente projeto durante todo o período de sua execução;
 Elaboração de novo projeto que dê prosseguimento a este, no período de agosto a
dezembro de 2012;

8 – AÇÕES

 Reunir-se com todos os Policiais Civis da 6a DRPC/Manhuaçu/MG, para incentivá-los


e sensibilizá-los da necessidade de executar as atividades específicas dos setores da
Defesa Social com presteza, precisão e respeito aos cidadãos, clientes alvos desta
Instituição;
 Desenvolver os objetivos do projeto com vistas à inclusão social, cidadania e aplicação
da proposta da conciliação e mediação de conflitos;
 Promover reuniões com a comunidade, inicialmente em local neutro (escola ou algum
centro cultural), levando conhecimento e informações sobre os principais serviços que
os setores da Defesa Social presta à comunidade e aos cidadãos;
 Promover campanhas de identificação pessoal;
 Disponibilização de uma equipe específica para realizar levantamentos dos locais onde
se praticam os crimes e contravenções penais, principalmente com envolvimento de
adolescentes e, se necessário, buscar apoio da PMMG;
 Disponibilização de uma equipe específica para identificar as causas e os meliantes que
praticam furtos e roubos nas regiões com maior incidência destes delitos;
 Levantamento de profissionais que possam realizar palestras informativas sobre o uso
de drogas e suas conseqüências;
 Realizar palestras informativas e educativas às famílias carentes, principalmente mães
e pais de adolescentes sobre as conseqüências de uso de drogas e substâncias afins;
8
 Identificar os pontos de venda e locais com maior incidência do comércio de drogas,
com um trabalho mais efetivo junto às escolas da comunidade, associações de bairro e
igrejas;
 Promover a realização de palestras com médicos e profissionais da área da saúde
(psicólogos, psiquiátricos, enfermeiros), peritos criminais, educadores, visando
conscientizar e mobilizar a comunidade local com vistas à minimização e redução da
reincidência de crimes referentes a entorpecentes e drogas afins, inclusive aos mais
necessitados e carentes de apoio e amparo social;
 Avaliar o presente projeto durante todo o período de sua execução;
 Elaborar, com a equipe de execução deste projeto, um novo para dar prosseguimento a
este, para o ano de 2013.

9 – DOCUMENTAÇÃO

 Fotos, panfletos, atas, demonstrativos que forem surgindo durante a execução;


 Relatório das atividades de Polícia Comunitária realizadas pelos setores da Defesa
Social, no período de julho de 2011 a julho de 2012;
 Matérias jornalísticas da participação da Delegacia Regional em eventos e atividades
de Polícia Comunitária no período do projeto;

10 – ANEXO

PROGRAMAS E PARTICIPAÇÕES DA UNIDADE POLICIAL DE MANHUAÇU/MG EM


EVENTOS DE POLÍCIA COMUNITÁRIA, CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO DE
CONFLITOS

Em Manhuaçu/MG, desde o ano de 2004, os Estudantes e Bacharéis em Direito em conjunto


com diversos órgãos públicos, entidades municipais e empresas privadas, e, principalmente,
com a interação de voluntários de todos os segmentos correlacionados, realizam um
movimento social muito significativo na comunidade local, intitulado como “DIA V” - DIA
DO VOLUINTARIADO”, ocorrido no segundo semestre de cada ano, promovendo ações

9
sociais com o intuito de promover cidadania, inclusão social, conciliação e mediação de
conflitos e redução da criminalidade.

Sendo assim, o DIA V oferece serviços em locais e focos de alta incidência de crimes, como
bairros carentes com reiteradas práticas criminosas.

Além da promoção de palestras educativas e desenvolvimento da filosofia de Polícia


Comunitária, outras ações merecem destaque, conforme descrição detalhada a seguir:
 Oferecimento de serviços normalmente prestados na delegacia, para os moradores que
geralmente não têm como buscar ou tem receio de pedir informações, como
informações referentes à Delegacia de Orientação a Menores, Delegacia de
Repressão a Crimes Contra Mulheres/Idosos, confecção de carteira de identidade;

 Participação por meio da Delegacia Adjunta de Tóxicos e Entorpecentes, com a


realização de palestras educativas antidrogas, com explicação detalhada e
demonstrativa de substâncias entorpecentes, e ainda com incentivos a práticas
esportivas;

 Panfletos educativos sobre trânsito;

 Participação efetiva em projetos sociais com envolvimento de diversos órgãos


públicos, particulares e comunitários da cidade e região, como ações e palestras
antidrogas voltadas para crianças e adolescentes carentes, inclusive, nas escolas
públicas estaduais e municipais da cidade;

 Prestação de serviços à comunidade como expedição de carteiras de identidade com


isenção da taxa de segurança pública, além, de carteiras de trabalho e cadastros de
pessoas físicas, estes últimos com o auxilio e orientação dos órgãos competentes
para expedição dos mesmos;

 Realização de eventos culturais, inclusive, com exposição de objetos artesanais feitos


pelas próprias pessoas da comunidade, visando assim difundir, valorizar e
reconhecer o trabalho individual;

10
 Operações especializadas de prevenção realizadas em conjunto com a Polícia Militar,
Polícia Rodoviária Federal e Ministério Público, em locais com alto índice de
criminalidade, o que em tese, tem resultado em brilhantes resultados como
apreensão de grandes quantidades de substâncias entorpecentes, diversas armas de
fogo, identificação de foragidos e cumprimentos de mandados de prisão em aberto;
bem como na identificação, apreensão e retirada de menores e adolescentes em
locais de risco e de intensa promiscuidade;

 Ações sociais de cunho informativo, como prestação de orientações e esclarecimentos


sobre a respectiva atuação e os setores de abrangência dos setores da Defesa
Social, como fornecimento de informações e solução de dúvidas sobre
documentação referentes a veículos, carteira nacional de habilitação, carteira de
identidade, de acordo com as novas exigidas e regulamentações legais.

 Realização semanal as quartas-feiras da “Ronda 170”, um programa firmado com a


parceria da Rádio AM 710, com alcance em toda a região da cidade de
Manhuaçu/MG, inclusive, zona rural, que tem como objetivo difundir as
informações quanto à elucidação de crimes violentos e de maior relevância
praticados na região, bem como incentivar a realização de denúncias e o uso do
disque denúncia 180, visando assim auxiliar e intensificar o trabalho de polícia
judiciária;

 Parceria firmada com a Faculdade de Ciências Gerenciais e Jurídicas de Manhuaçu


– Doctum Campus Manhuaçu/MG, para realização de projetos sociais e de cunho
acadêmico, realizados pelos próprios graduados junto a Cadeia Pública local, sob a
coordenação do respectivo Diretor e professor da Instituição de Ensino, inclusive,
com a panfletagem de trabalhos e relatos feitos pelos próprios presos;

 Orientação de monografia de final de curso de graduação de Direito junto a


FADILESTE – Faculdade de Direito do Leste de Minas, sede em Reduto,
município situado a 7 km de Manhuaçu, por profissionais da segurança pública
atuantes da Polícia Judiciária de Manhuaçu/MG;

11
 Práticas esportivas semanalmente, realizadas aos sábados há cerca de 03 (três)
anos, com a participação de policiais civis e com a integração de aproximadamente
70% de pessoas da comunidade de bairros de baixa renda, inclusive, com a
realização de torneios e campeonatos de futebol, com o respectivo reconhecimento
dos participantes e vencedores.

 Realização do Torneio Integração no âmbito do 12º Departamento de Polícia Civil


de Ipatinga/MG, com a interação de policiais e sociedade civil, interligada aos
serviços de defesa social.

OBJETIVOS TRAÇADOS COM TAIS ATIVIDADES:

 Identificar problemas;
 Analisar as causas;
 Implementar a ação proposta;
 Executar a medida acolhida;
 Avaliar os resultados;
 Solucionar conflitos de forma pacífica;
 Integrar- se com a comunidade.

RESULTADOS E EXPECTATIVAS :

 Reuniões doutrinárias com o público interno dos setores da Defesa Social, visando
mobilizar policiais voluntários a atuar e abraçar a causa;
 Criação de táticas de interação, cidadania e profissionalização junto à comunidade
local;
 Contados com as autoridades e órgãos públicos;
 Levantamentos de dados;
 Aplicação de instrumentos de integração como urnas, disque denúncias e
levantamentos de dados;
 Formação e instalação de CONSEP’s em outros bairros;
 Criação de serviços e núcleos de atendimento às vítimas;
 Implementação de incentivos e fiscalização;

12
Sendo assim, segundo a filosofia de estratégia organizacional da POLÍCIA COMUNITÁRIA,
implantada e difundida pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, e segundo os ditames
das disciplinas de CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS, e considerando a
abrangência de uma visão social referente, urge salientar que a Unidade Policial de
Manhuaçu/MG, encontra-se num processo de desenvolvimento da atuação e participação
conforme propõe a filosofia da Polícia Comunitária, haja vista que o CONSEP – Conselho
Municipal de Segurança Pública local, encontra-se instalado e atuante desde 2004, o qual tem
promovido inúmeras ações conjuntas com as Polícias Civil e Militar de cunho social e
mobilizador.

Conforme descrito acima, algumas das ações policiais em que esta Unidade Policial tem
realizado e atuado segundo a filosofia de Polícia Comunitária, mormente no que tange a
operações pró-ativas, e não apenas repressivas, ressalta-se a participação e interação de outros
órgãos da Defesa Social, tais como Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Sistema Prisional,
bem como Poder Judiciário e Ministério Público locais.

Ressalta-se ainda, o interesse e a necessidade de propor a criação de um Centro de


atendimento às vítimas nesta Unidade Policial, com o incentivo e estruturação de uma equipe
multidisciplinar com médicos (psicólogo, psiquiátrico, terapeuta ocupacional, enfermeiro), e,
principalmente, pelo fato de termos grande contato com as vítimas, inclusive, de crimes
violentos, de acordo com a atuação e competência dos setores da Defesa Social em agir
efetivamente como polícia judiciária junto à comunidade, proporcionado e criando a cultura e
história de uma sociedade digna, justa e igualitária.

13