Você está na página 1de 61

EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS

SERMÃO 001 - INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS

EFÉSIOS 1:1 - 2
Introdução.
• Efésios é uma das chamadas “Epístolas da Prisão”, porque foi escrita enquanto Paulo se
encontrava preso, provavelmente, em Roma.

• É considerada por muitos a “Rainha das Epístolas” e era a epístola favorita de João
Calvino.

• Efésios, ainda hoje, pode ser considerado um livro extremamente contemporâneo por
que:

¾ Promete comunhão em um mundo rachado por desuniões de todos os tipos.

¾ Promete reconciliação em um mundo imerso em alienação.

¾ Promete paz em um mundo que sofre com guerras permanentes.

I. O Autor.
• O Autor da Epístola aos Efésios se identifica logo no início como sendo o apóstolo Paulo.

A. Paulo e Éfeso.
• Paulo esteve duas vezes em Éfeso:

¾ A primeira vez foi uma breve passagem já no final da sua segunda viagem
missionária – ver Atos 18:18 – 21.

¾ A segunda vez aconteceu durante a terceira viagem missionária, e desta vez Paulo
permaneceu em Éfeso por três anos – ver Atos 19:1 – 20:31, especialmente o
último versículo onde Paulo, falando aos presbíteros de Éfeso, menciona o tempo
em que havia permanecido naquela cidade.

¾ Durante aqueles 3 anos Paulo se dedicou aos Efésios de maneira completa,


ensinando publicamente bem como de casa em casa. Os Efésios tiveram a
oportunidade de conhecê-lo bem e sua partida dentre eles foi marcada por ternas
demonstrações de afeto – ver Atos 20:17 – 38.

B. Paulo e a Epístola aos Efésios.

• Em Efésios, apesar de ter estado longamente com aqueles irmãos, Paulo não cita
absolutamente nenhum nome. Apenas para efeito comparativo, em Romanos 16, ele cita
nominalmente 26 pessoas. Em Efésios ele se refere aos irmãos apenas como “aqueles
que amam sinceramente a nosso Senhor Jesus Cristo” – ver Efésios 6:23 – 24.

1
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Em Efésios Paulo deixa bem claro sua condição de prisioneiro – Efésios 3:1; 4:1 e 6:20.

• Paulo insiste em sua Epístola aos Efésios para que os irmãos vivam em UNIDADE E
PUREZA SEXUAL.

• Também insiste para que tomem cuidado com falsos mestres – ver Efésios 4:14.

• Independente destas características a Epístola aos Efésios e realmente impessoal e por


este motivo foi entendida como sendo uma epístola do tipo “circular” que deveria ser lida
em todas as igrejas da Ásia Menor que era a região onde Éfeso se encontrava.

C. Paulo, o apóstolo.

• Paulo não pertencia ao grupo original dos 12 apóstolos escolhidos por Jesus – ver Lucas
6:12 – 13.

• Mesmo assim, como os outros apóstolos, ele também havia sido escolhido, pois nos diz
que era apóstolo “de Cristo Jesus, por vontade de Deus”. A expressão grega   –
apóstolos – apóstolo representa alguém delegado ou mensageiro, alguém enviado com
ordens para serem cumpridas. Em sentido mais amplo, podemos dizer que um apóstolo
era alguém que vinha em nome e com as mesmas prerrogativas de quem o havia
enviado e, por este motivo, devia ser tratado de maneira condigna.

II. Os Destinatários.
• Paulo usa várias palavras para descrever ou caracterizar os destinatários desta epístola.

¾ Em primeiro lugar ele os chama de – agíois – santos. Esta palavra representa


algo ou alguém que foi separado. Como tal, os crentes em Éfeso eram santos
porque haviam sido separados por Deus.

¾ Em segundo lugar Paulo os chama de – pistois – fiéis como aqueles que possuem
fé ou que acreditam que Jesus é o Messias prometido, o Salvador da humanidade.

¾ Em terceiro lugar Paulo diz que os efésios estavam - en Chistô Iesoû – em Cristo
Jesus. Estar “em Cristo Jesus” indica estar vitalmente unido tanto ao Senhor Jesus
como a todos os outros cristãos que também estão em Cristo.

¾ Em quarto lugar Paulo diz que aqueles santos e fiéis se encontravam em Éfeso. A
cidade de Éfeso era originalmente uma colônia grega e com o surgimento dos
romanos tornou-se a capital da Província Romana da Ásia. Éfeso era importante
centro comercial e possuía um porto de destaque. Era também o centro do culto
da deusa Diana – Artemis, em grego – cujo templo era considerado uma das sete
maravilhas do Mundo Antigo.

2
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
III. A Mensagem.
• A mensagem central de Efésios diz respeito à tudo aquilo que Deus fez através do
trabalho histórico da pessoa de Seu Filho, Jesus Cristo

• Este trabalho continua hoje, através do Espírito Santo, e visa edificar uma “nova
sociedade” em meio à velha sociedade.

• Efésios nos ensina que somos parte da Família de Deus, o Pai. Que somos membros do
Corpo de Cristo, o Filho e que somos templo ou habitação do Espírito Santo.

• Como tal, devemos demonstrar, na vida do dia a dia, esta nova vida que temos da parte
de Deus. De forma prática devemos:

¾ Viver em unidade mesmo no meio de grande diversidade!

¾ Viver em pureza e amor no nosso dia a dia, nos submetendo uns aos outros,
especialmente nas nossas relações domésticas ou familiares.

¾ Viver de maneira estável lutando contra os verdadeiros inimigos que são os


principados e potestades representativas das forças espirituais do mal.

• Para que possamos realmente viver este tipo de vida precisamos basicamente de duas
coisas, a saber: – cháris kai irene – graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do
Senhor Jesus Cristo. Estas duas palavras são fundamentais para a nossa compreensão de
Efésios, senão vejamos:

¾ O Evangelho ou Boas Novas acerca de Jesus é chamado de “Evangelho da Paz” –


Efésios 6:15.

¾ Jesus Cristo é, Ele mesmo, a nossa Paz! – ver Efésios 2:14. Isto Ele alcançou na cruz
do Calvário – ver Efésios 2:15. E Ele mesmo veio trazendo as Boas Novas de paz –
ver Efésios 2:17. Assim, como Seu povo, nós devemos nos esforçar “diligentemente
por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz – Efésios 4:3.

• Quanto à graça de Deus, Efésio contém inúmeras referências:

¾ Somos salvos pela graça de Deus – Efésios 2:5, 7 – 8.

¾ E é pela graça de Deus que somos capacitados para o serviço cristão - ver Efésios
4:7.

Conclusão:
1. Como a Epístola aos Efésios foi escrita por um “apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de
Deus”, nós precisamos dar ouvidos aos seus ensinamentos com a devida atenção e humildade.

2. Quero incentivar nossa comunidade a ler a Epístola aos Efésios, tantas vezes quantas forem
possíveis, durante esta série.

3
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
3. Como os efésios, nós também somos santos e fiéis. Muitos dos nossos problemas surgem
porque nos esquecemos destas verdades e queremos agir como todo mundo age neste mundo.

4. Eu gostaria sinceramente, tanto para os irmãos quanto para mim que pudéssemos ser
conhecidos como pessoas “que amam sinceramente a nosso Senhor Jesus Cristo”. E amar a
Jesus é, acima de tudo, ser obediente aos seus mandamentos, pois Ele mesmo disse: “Se me
amais, guardareis os meus mandamentos - João 14:15.

4
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 002 – TODA SORTE DE BÊNÇÃO ESPIRITUAL

EFÉSIOS 1:3 - 14
Introdução.
• A passagem que temos diante de nós é, no seu original na língua grega, uma longa
frase, composta de 202 palavras, que se inicia no verso 3 e só termina no verso 14.

• A versão de Almeida Revista e Atualizada, que acabamos de ler, mantém esta estrutura e
faz uso de 222 palavras do verso 3 ao verso 14.

• Estes versículos nos falam da Bênção Espiritual com a qual Deus nos tem abençoado.
Esta bênção é multifacetada e pode ser dividida em:

¾ A bênção referente à nossa eleição e predestinação que nos foi concedida na


eternidade passada, antes da criação do mundo.

¾ A bênção presente que se refere à nossa adoção como filhos de Deus com todos os
benefícios decorrentes desta mesma adoção.

¾ A bênção futura que diz respeito à nossa glorificação na presença de Deus por toda
a eternidade.

• Hoje queremos introduzir estes 12 versículos e queremos também nos concentrar no verso
3. Desejamos falar, de um modo geral, acerca desta grande bênção com que Deus nos
tem abençoado.

I. Paulo Bendiz – abençoa – o Autor de todas as Bênçãos que é Deus.


• Note as palavras: bendito, abençoado e bênção. Estas três palavras possuem uma
mesma origem e raiz. É como se Paulo estivesse dizendo: Seja Abençoado, Aquele que
nos tem abençoado, com toda sorte de bênção espiritual.

• O Deus Bendito que nos abençoa com toda sorte de bênção espiritual é realmente um
Deus trino, manifesto em três pessoas distintas:

¾ Ele é o Deus – Pai que nos elegeu desde antes da fundação do mundo – Efésios
1:4 – 6.

¾ Ele é o Deus – Filho que nos redimiu e que nos lavou os pecados com Seu próprio
Sangue – Efésios 1:7 – 12.

¾ Ele é o Deus – Espírito Santo que nos sela e garante nossa salvação eterna –
Efésios 1:13 – 14.

• Vamos ver como cada uma das Pessoas do Deus trino age no processo da nossa
salvação eterna.
5
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
A. O Deus - Pai.

• Deus, o Pai, é aquele que é a fonte ou a origem de todas as bênçãos que podemos
desfrutar. Verso a verso nós podemos ver que é Deus – Pai que nos:

¾ Abençoa com toda sorte de bênção espiritual – verso 3.

¾ Escolhe – verso 4.

¾ Predestina e Adota em Sua família – verso 5.

¾ Concede sua graça gratuitamente – verso 6.

¾ Derrama sobre nós sua graça com toda a sabedoria e prudência – verso 8.

¾ Desvenda o mistério da sua vontade e faz todas as coisas convergirem em Cristo –


versos 9 - 10.

• Ademais, Deus é Aquele que:

¾ Faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade – verso 11.

• Paulo fala do amor, da graça, da vontade e do beneplácito de Deus, de tal maneira que
estes versículos estão repletos da presença do Deus – Pai.

• Mas Paulo também nos fala acerca de...

B. Deus - Filho.
• O Filho de Deus, Jesus, é o “meio” através do qual a bênção de Deus, mencionada no
verso 3, é dispensada ou chega até nós.

• Nos primeiros 14 versículos de Efésios, Jesus é mencionado diretamente 15 vezes!

¾ Ele é mencionado por Seu nome ou título – Jesus, Senhor e Cristo.

¾ Ele é também chamado pelo nome de “Amado” – verso 6.

¾ Ele é mencionado também através de pronomes tais como: seu (sangue), sua
(graça), nele, no qual.

¾ As expressões “nele”, “em Cristo , “em Jesus Cristo” e “de Jesus Cristo” aparecem
11 vezes!

• É neste “Amado” de Deus, por excelência, que nós:

¾ Temos a redenção de nossas almas e a remissão dos nossos pecados – verso 7.

¾ Somos feitos herança de Deus – verso 11.

¾ Esperamos – verso 12.

6
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• É também em Cristo, que Deus – Pai tem determinado fazer convergir todas as coisas,
tanto as dos céus como as da terra – versos 10.

• Mas Paulo também nos fala acerca do...

C. Deus – Espírito Santo.

• O Espírito Santo é mencionado nominalmente somente no verso 13, mas esta passagem
contém várias menções indiretas.

• A bênção com que Deus nos tem abençoado é caracterizada como sendo “toda sorte de
bênção espiritual”. Ou seja, são bênçãos que nos chegam por causa da presença do
Espírito Santo em nossas vidas – verso 3.

• As bênçãos prometidas a Israel, caso fosse estritamente obediente a Deus, eram: - ver
Deuteronômio 28:1 – 14:

¾ Muitos filhos.

¾ Boas colheitas.

¾ Abundância de gado e ovelhas.

¾ Liderança entre as nações.

¾ Em outras palavras, Deus prometeu abundância de bens materiais.

• Jesus também falou acerca de bens materiais. Só que ele nos disse que:

¾ Não devíamos andar ansiosos por coisa alguma, fosse comida, fosse bebida ou
vestimenta. Deus sabe que precisamos destas coisas. E Deus tem prometido cuidar
de nós.

¾ O apóstolo Paulo disse que se tivermos o que comer e com o que nos vestir, já
devemos estar satisfeitos.

• A bênção distintiva da Nova Aliança não é material e sim espiritual – ver Lucas 11:9 –
13.

• Somos selados pelo Espírito Santo de Deus como uma marca distintiva de que
pertencemos e estamos sob a guarda da proteção divina.

• O Espírito Santo de Deus também nos é concedido como um penhor ou garantia de que
Deus irá cumprir todas as suas promessas referentes à nossa salvação eterna.

II. As Regiões Celestiais.


• A expressão “regiões celestiais” diz respeito à todas as áreas onde a soberania de Deus
se manifesta. Ou seja, diz respeito a todo o Universo, incluindo nosso pequenino planeta.

7
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Na Antigüidade, no Egito, os homens cegos e sem Deus, inventaram uma verdadeira
conversa para boi dormir, para explicar como é que as almas humanas podem se
libertar.

• Esta história está registrada naquilo que é chamado de “A Visão de Hermes”.

• De acordo com esta visão, o universo é composto por sete céus concêntricos sendo a
terra o último e pior, enquanto que Saturno representa o primeiro e o mais elevado.
Acima dos sete céus está a Via - Láctea. As almas existem apenas como “germes de
almas” na região da Via – Láctea. À medida que as almas vão descendo, a partir da Via
– Láctea, para os sete céus vão se tornando cada vez mais pesadas e passam a
experimentar dores e prazeres cada vez maiores. O fundo do poço é representado pelo
planeta Terra chamado, literalmente, de “prisão terrestre”.

• Para retornar novamente à região da Via – Láctea, as almas precisam então iniciar um
processo de ascensão oposto ao que fizeram para chegar à Terra.

• A Bíblia não reconhece absolutamente nada deste besteirol e se refere à esfera da


soberania de Deus, isto é, ao todo o Universo como os lugares “celestiais”.

• Cristo reina sobre todo o Universo. Esta é a parte mais fácil. A parte mais difícil está aqui
mesmo na Terra. Esta parte mais difícil é representada pelos nossos corações.

¾ Pelos corações dos incrédulos que resistem à verdade revelada de Deus.

¾ Pelos corações de nós, os crentes, que resistimos à obra de santificação que o


Espírito Santo deseja fazer em nossas vidas.

¾ Jesus quer expandir Seu reino e Seu domínio a cada dia mais e mais em nossas
vidas, sobre os nossos corações.

Conclusão:
1. Como cristãos acreditamos em um só Deus manifestado em 3 pessoas distintas. Somos,
portanto, Trinitarianos. Efésios 1:3 – 14 deixa bem claro a ação e a soberania conjunta de
Deus, de Jesus Cristo e do Espírito Santo sobre todo o Universo. E esta soberania se estende
desde a eternidade passada até a eternidade futura.

2. Crente:

• O Deus – pai te ama e já tem abençoado você com toda sorte de bênção espiritual no
passado, no presente e no futuro. Ele tem derramado Sua graça de forma abundante
sobre você e tem te adotado com Seu filho.

• O Deus – Filho veio a este mundo e deu a Sua vida para te comprar de volta para
Deus e te perdoar todos os pecados lavando-te com o Seu próprio sangue.

• O Deus – Espírito Santo selou você como propriedade exclusiva de Deus e te foi dado
como penhor ou garantia de que Deus vai concretizar tudo o que planejou a teu
respeito.
8
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Então, que mais você precisa?

3. Precisamos nos voltar para o Deus Bendito e, como Paulo, bendizê-Lo! Precisamos buscar a
Deus para que Ele nos encha com o Seu Espírito Santo e para que possamos, cheios do
Espírito Santo, manifestar, diante de todos, a vida do nosso Senhor Jesus Cristo.

4. Que Deus possa nos abençoar e continuar abençoando a todos.

9
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 003 – A BÊNÇÃO DA NOSSA ESCOLHA POR DEUS

EFÉSIOS 1:4 - 6
Introdução.
Como vimos anteriormente, Deus nos têm abençoado com toda sorte de bênção espiritual.
Esta bênção é multifacetada e inclui bênçãos do passado, do presente e do futuro.

• Hoje queremos nos concentrar na análise das bênçãos que Deus nos concedeu no
passado remoto.

• Paulo nos diz que, Deus, antes que o mundo existisse, já havia iniciado a derramar suas
bênçãos sobre nós.

• Vamos ver no que consistiam estas bênçãos.

I. Nossa Escolha ou Eleição e Predestinação.


• A nossa eleição ou escolha da parte de Deus é descrita de forma sucinta e direta.
Paulo nos diz que “antes da fundação do mundo”, Deus formou um propósito a nosso
respeito. E este propósito consistia de: escolha, predestinação e adoção.

• Mas note como este propósito está diretamente vinculado à pessoa do Senhor Jesus:
“nos escolheu, nEle”.

• Na mente de Deus, nós, os escolhidos, e Jesus, estávamos perfeitamente unidos.

• Estas verdades implicam, necessariamente, que:

¾ Nossa eleição não tem nada a ver com algum tipo de mérito da nossa parte. Note
como fomos eleitos PARA SERMOS santos e irrepreensíveis perante Ele, e não
porque somos santos e irrepreensíveis.

¾ Nossa eleição tem tudo a ver com a graça – favor imerecido – de Deus derramada
a nosso favor.

• A mesma verdade é repetida quando Paulo diz que Deus: “nos predestinou para Ele,
para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo”.

• Novamente Paulo insiste que nossa predestinação e adoção são através de Cristo e
decorrem da graça de Deus nos ser concedida, graciosamente, no Amado.

II. O Ensinamento Acerca da Nossa Escolha ou Eleição é Revelação Divina.

10
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Estas palavras, como as encontramos em Efésios 1:4 – 6, devem ser suficientes para
nós e devemos sempre ter muito cuidado com todos aqueles que querem sistematizar
demais estas verdades!

• Algumas pessoas tolas e desinformadas acham e até ensinam que os ensinamentos


acerca da nossa escolha ou eleição, da parte de Deus, foi inventada por Agostinho de
Hipona ou por João Calvino de Genebra.

• Mas, na realidade este é um ensinamento muito bem fundamentado na Bíblia. No


Antigo Testamento nós já podemos ler como Deus escolheu o povo de Israel – ver
Deuteronômio 7:6 – 8.

• Do mesmo modo, Deus está formando, em nossos dias, uma comunidade


internacional de pessoas às quais ele chama de “santos”. Estas pessoas são descritas
pelo apóstolo Pedro da seguinte maneira: Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio
real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as
virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós, sim,
que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis
alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia– 1 Pedro 2:9 – 10.

• Assim não devemos rejeitar nem desprezar a revelação divina acerca da nossa
eleição, como se fosse invencionice humana, mesmo que não consigamos entendê-la
plenamente. Pelo contrário devemos aceitá-la com humildade e gratidão em nossos
corações.

• Calvino pregou 48 sermões em Efésios do púlpito da Igreja de São Pedro em


Genebra, na Suíça, começando no dia 1º de Maio de 1558. Estas são suas próprias
palavras: “Apesar do fato de que nós não podemos entender, seja por meio de
argumento ou pela razão, como foi, exatamente, que Deus nos elegeu antes da
fundação do mundo, ainda assim nós podemos saber esta verdade porque ela nos
está revelada na Palavra de Deus”.

III. O Ensinamento Acerca da Nossa Escolha Deve nos Incentivar a uma Vida de
Santidade.
• Muitos há que julgam o ensinamento bíblico acerca da nossa eleição como uma
desculpa ou incentivo para pecar. Eles pensam: “Sou escolhido, estou na igreja certa,
posso viver como quiser”. Este tipo de raciocínio reflete um coração não regenerado.
O verdadeiro crente deseja viver uma vida de santidade.

• A Bíblia não deixa nenhuma dúvida: fomos escolhidos PARA SERMOS SANTOS E
IRREPREENSÍVEIS.

• É assim que Deus deseja nos apresentar diante da Sua pessoa: santos, irrepreensíveis,
sem mácula, sem ruga, sem defeito e inculpáveis – ver Efésios 1:4; 5:27 e
Colossenses 1:22.

11
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• A vida de verdadeira santidade é a única prova que podemos ter e fornecer acerca da
nossa escolha ou eleição!

IV. O Ensinamento Acerca da Nossa Escolha ou Eleição Deve nos Conduzir à


Verdadeira Humildade.
• Pessoas que não têm fé – ateus – e pessoas de outras confissões, costumam dizer que
é muita arrogância e pretensão alguém se achar escolhido ou eleito por Deus. E isto
seria mesmo verdadeiro se nós atribuíssemos nossa eleição a algum mérito da nossa
parte.

• A verdade é que, no ensinamento bíblico acerca da nossa eleição, não existe espaço
para nada que possamos fazer. Somos eleitos porque Deus nos ama. Não há nada
que possamos ter feito, até porque, quando Deus nos escolheu, nem o mundo havia
sido criado ainda.

• Quando lemos Efésios 1:3 – 14 nós podemos perceber que o mesmo fala acerca da:
GRAÇA DE DEUS, AMOR DE DEUS, VONTADE DE DEUS, PROPÓSITO DE DEUS E
ESCOLHA DE DEUS!

• Como disse Calvino: “A eleição ou escolha divina é gratuita e detona e aniquila, por
completo, qualquer valor que as boas obras ou virtudes humanas possam possuir”.

Conclusão:
1. A Doutrina ou Ensino acerca da nossa escolha ou eleição da parte de Deus é parte da
revelação bíblica, concedida a todos os crentes, e não devemos aceitar que a mesma seja
caracterizada como invenção humana.

2. Quando a Bíblia fala acerca da nossa escolha ou eleição da parte de Deus, deixa bem claro
que:

• Esta é uma escolha feita por Deus, como um Pai de amor que Ele é, e foi feita “antes
da fundação do mundo”. É uma escolha livre e completamente baseada no amor.

• Além disso, é uma escolha feita em ou através de Jesus Cristo, a quem a Bíblia chama
de: o “Amado” por excelência do Pai. Novamente esta é uma escolha baseada no
amor ou no Amado.

• É uma escolha que resulta no derramar da graça de Deus, gratuitamente, sobre


nossas vidas. Não existe mérito nenhum da nossa parte em todo este processo. Deus
nos escolhe porque ele nos ama.

• Não existe nada que nós possamos fazer para merecer esta escolha da parte de Deus.
Ele nos escolhe, exclusivamente porque nos ama, tal como somos.

3. Nossa escolha ou eleição, todavia, tem profundas implicações para a nossa vida no dia a
dia.

12
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• A Bíblia deixa claro que fomos escolhidos para viver vidas “santas e irrepreensíveis”.
Quem pensa que pode viver uma vida de pecado, ainda não possui um coração
regenerado.

• Não podemos nunca nos orgulhar da nossa eleição como se a mesma fosse resultado
de algo que Deus viu em nós. Deus nos escolheu porque Ele nos ama.

• Nossa escolha, da parte de Deus, deve nos ajudar a manter, sempre, um coração
humilde e agradecido.

4. Você que está aí, agora mesmo, pensando em todos os problemas que tem pela frente, para
enfrentar, lembre-se que o mesmo Deus que te amou, antes de você nascer, continua te
amando e ele tem prometido cuidar de você. E mais uma coisa: Guardemos firme a confissão
da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel - Hebreus 10:23.

5. Que o mesmo Deus, que nos abençoou tão ricamente no passado, antes da fundação do
mundo até, possa continuar a nos abençoar hoje.

13
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 004 – A BÊNÇÃO DA NOSSA REDENÇÃO

EFÉSIOS 1:7 - 8
Introdução.
Há uma novidade teológica sendo cozinhada nos Estados Unidos da América. Chama-se
“Igreja Emergente”. Os maiores expoentes deste movimento, ensinam uma teologia chamada
de “Teologia Relacional”. Esta Teologia é caracterizada por:

• Uma humanização de deus, que o faz muito parecido com os próprios seres
humanos. Nesta situação, este deus é desprovido de atributos tais como onisciência,
onipresença e onipotência.

• Uma divinização dos seres humanos, que os torna muito parecidos com o deus
desprovido de atributos divinos.

• Para os proponentes desta teologia, a mensagem bíblica, como ensinada até o


presente, não satisfaz mais as pessoas e precisa ser adaptada à presente situação. A
mensagem acerca da nossa redenção efetuada por Jesus sobre a cruz do Calvário
não faz sentido, além de ser ofensiva às pessoas que confessam outro tipo de fé, tais
como, os mulçumanos, os hinduístas, os budistas, os judeus etc.

• De acordo com este pessoal, o que nós precisamos pregar, exclusivamente, é que
Deus é amor e que Deus recebe e aceita a todos, independente da fé que professam,
baseado exclusivamente no “amor”. A verdade é então, relativizada, e o amor pode
então ser entronizado como o único atributo tanto de deus como dos homens.

• No Brasil, pastores de projeção nacional, como o Assembleiano Ricardo Gondim e o


Batista Ed René Kivitz já adotaram esta teologia em maior ou menor porcentagem.

• Mas, não é isto o que a Bíblia ensina. Pelo contrário, a Bíblia nos fala da necessidade
que temos de redenção, com a conseqüente remissão ou perdão dos nossos pecados.
Sem estes dois eventos, nós jamais poderemos ser adotados na família de Deus!

I. Nossa Redenção Através do Sangue de Jesus.


• Só podemos ser adotados, na família de Deus – ver Efésios 1:5 – se formos redimidos.

• Qual é o significado de palavra “redenção”?

¾ A palavra redenção, em português, procede da palavra grega – apolútrosis.

14
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ A palavra redenção – apolútrosis – procede do verbo – lútron, que indica o
“preço que era pago por um prisioneiro de guerra”, um resgate ou valor
monetário estipulado que, uma vez pago causava a libertação do cativo.

¾ O uso que o apóstolo Paulo faz da palavra redenção, neste versículo, indica:
“libertação do cativeiro, da escravidão ou de toda espécie de mal”, relacionada à
idéia de um preço a ser pago, de um resgate a ser oferecido em conseqüência do
que o cativo é posto em liberdade.

Mas, precisamos ser redimidos? Precisamos desta tal de redenção? O que é Bíblia diz?

¾ João 8:34 - Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que
comete pecado é escravo do pecado.

¾ Tito 3:3 Pois nós também, outrora, éramos néscios, desobedientes, desgarrados,
escravos de toda sorte de paixões e prazeres, vivendo em malícia e inveja, odiosos
e odiando-nos uns aos outros.

¾ Para descrever nossa precária condição a Bíblia usa, entre outros, os seguintes
adjetivos: desviados, perdidos, fracos, cegos, ímpios, extraviados, inúteis,
pecadores, incapazes de fazer o bem, mortos em delitos e pecados,
transgressores, homens naturais incapazes de aceitar e de entender a revelação de
Deus, néscios, loucos, desobedientes, desgarrados, escravos de toda sorte de
paixões e prazeres.

¾ Como podemos ver, precisamos, desesperadamente, de redenção.

B. Como funciona a Redenção Ensinada na Bíblia? – Parte 1 – Aquilo que Deus


Fez.
• Nossos pecados ofendem, por toda a eternidade, o Deus eterno. Além de sermos
escravos do pecado ainda somos devedores à justiça de Deus eternamente.

• Não temos, por nós mesmos, meios para resolver esta situação. Mas Deus, sendo
gracioso, vem ao nosso socorro.

• Jesus, ao morrer sobre a cruz no Calvário, agiu como nosso representante. Para
Deus é como se nós mesmos estivéssemos morrendo ali. Quando morremos com
Cristo, somos libertos da condenação do pecado que pesava sobre nós.

• Quando Jesus ressuscitou dentre os mortos ele também agiu como nosso
representante. Para Deus é como se nós tivéssemos ressuscitado com Jesus. Quando
ressuscitamos com Jesus o poder do pecado é quebrado de sobre nós, e podemos
então viver uma nova vida.

• Para nos capacitar a viver esta nova vida foi que Deus derramou do seu Espírito
conforme descrito em Atos 2.

15
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Portanto a redenção é algo maravilhoso, da parte de Deus, e sem ela nós não
poderíamos vencer o pecado em nossas vidas.

C. Como funciona a Redenção Ensinada na Bíblia? – Parte 2 – Na Nossa Vida.


• A Bíblia nos diz que fomos resgatados do poder do pecado “por um preço”

¾ 1 Coríntios 6:20 Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a
Deus no vosso corpo.

¾ 1 Coríntios 7:23 Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de
homens.

• A relevância de Romanos 6: Este capítulo da Bíblia nos ensina acerca, tanto daquilo
que Deus fez, quanto acerca da nossa responsabilidade de viver a vida como Deus
nos capacitou. Ver texto marcado mais adiante.

II. A Remissão ou o Perdão dos Pecados.


• Alem de sermos redimidos, ou seja, libertados tanto da condenação do pecado
quanto do poder do pecado, Deus nos concede o perdão de todos os nossos
pecados.

• A Bíblia diz:

¾ 1 Pedro 2:24 - Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os


nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a
justiça; por suas chagas, fostes sarados.

¾ Colossenses 2:13 – 14 - E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas


transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente
com ele, perdoando todos os nossos delitos; tendo cancelado o escrito de
dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era
prejudicial, removeu- o inteiramente, encravando-o na cruz.

¾ O Perdão de Deus – ver página com os textos mais adiante.

• Tudo isto, nos diz o apóstolo Paulo, nos é dado por Deus mediante a riqueza da Sua
graça que Ele derramou sobre nós em toda a sabedoria e prudência.

Conclusão:
1. Que possamos curvar nossas cabeças em santa adoração e reverência pela graça de Deus
que operou nossa redenção e completa remissão dos nossos pecados em Jesus Cristo.

2. Mas, o que acontece quando eu cometo um pecado nos dias de hoje? Deus perdoa! E se eu
cometer 2? Deus perdoa! E se eu cometer um monte, uma montanha de pecados? Deus
perdoa! Veja a Bíblia diz o seguinte:

• 1 João 1:9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os
pecados e nos purificar de toda injustiça. Temos que confessar. Confessar é
16
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
concordar com Deus que aquilo que Deus chama pecado precisa também ser
reconhecido por nós como pecado.

• Como novas criaturas que devem viver em novidade de vida, nós precisamos estar
dispostos não somente a confessar nossos pecados, mas também precisamos estar
dispostos a abandoná-los! - Provérbios 28:13 - O que encobre as suas transgressões
jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.

• Como diz o apóstolo Paulo, Deus faz estas coisas por nós, para sermos santos e
irrepreensíveis.

3. Que o Deus gracioso e misericordioso, Deus redentor e perdoador, possa nos ajudar a nos
manter sempre fiéis à Sua palavra e não deixar que sejamos levados por novos ventos de
doutrinas humanas.

Romanos 6
1 Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante?

2 De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos?

3 Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos
batizados na sua morte?

4 Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi
ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de
vida.

5 Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos
também na semelhança da sua ressurreição,

6 sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do
pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos;

7 porquanto quem morreu está justificado do pecado.

8 Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos,

9 sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já
não tem domínio sobre ele.

10 Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a
viver, vive para Deus.

11 Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo
Jesus.

12 Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas
paixões;

17
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
13 nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de
iniqüidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros,
a Deus, como instrumentos de justiça.

14 Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da
graça.

15 E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça? De modo
nenhum!

16 Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo
a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça?

17 Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de
coração à forma de doutrina a que fostes entregues;

18 e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.

19 Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Assim como oferecestes os
vossos membros para a escravidão da impureza e da maldade para a maldade, assim oferecei,
agora, os vossos membros para servirem à justiça para a santificação.

20 Porque, quando éreis escravos do pecado, estáveis isentos em relação à justiça.

21 Naquele tempo, que resultados colhestes? Somente as coisas de que, agora, vos
envergonhais; porque o fim delas é morte.

22 Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso


fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna;

23 porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em
Cristo Jesus, nosso Senhor.

O PERDÃO DE DEUS

A. Os Pedidos do Povo de Deus.

• Salmos 25:7 - Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas
transgressões. Lembra-te de mim, segundo a tua misericórdia, por causa da tua
bondade, ó SENHOR.

• Salmos 51:9 - Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas
iniqüidades.

• Salmos 79:9 - Assiste-nos, ó Deus e Salvador nosso, pela glória do teu nome; livra-
nos e perdoa-nos os pecados, por amor do teu nome.

B. O Que Deus Faz.

18
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Salmos 85:2 - Perdoaste a iniqüidade de teu povo, encobriste os seus pecados todos.

• Salmos 103:10 - Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui
consoante as nossas iniqüidades.

C. O Que Deus Tem Prometido – Note bem os superlativos utilizados!


• Isaías 1:18 - Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados
sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam
vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã.

• Isaías 38:17 - Eis que foi para minha paz que tive eu grande amargura; tu, porém,
amaste a minha alma e a livraste da cova da corrupção, porque lançaste para trás de
ti todos os meus pecados.

• Isaías 43:25 - Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de
mim e dos teus pecados não me lembro.

• Isaías 44:22 - Desfaço as tuas transgressões como a névoa e os teus pecados, como
a nuvem; torna-te para mim, porque eu te remi.

• Jeremias 31:34 - Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu
irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor
até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniqüidades e dos seus
pecados jamais me lembrarei.

• Miquéias 7:19 - Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas
iniqüidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar.

• Hebreus 8:12 - Pois, para com as suas iniqüidades, usarei de misericórdia e dos seus
pecados jamais me lembrarei.

• Hebreus 10:17 - Acrescenta: Também de nenhum modo me lembrarei dos seus


pecados e das suas iniqüidades, para sempre.

D. Uma Última Palavra.

• 1 João 2:12 - Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados, por
causa do seu nome.

19
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 005 – A BÊNÇÃO DA UNIFICAÇÃO

EFÉSIOS 1:9 - 10
Introdução.
• Já tivemos a oportunidade de ver, como Deus, na eternidade passada:

¾ Nos abençoou com toda sorte de bênção espiritual em Cristo. Entre estas bênçãos
nós encontramos algumas que são do passado, tais como:

™ Nossa escolha para sermos santos e irrepreensíveis diante de Deus.

™ Nossa predestinação para sermos adotados como filhos de Deus.

¾ Outras bênçãos têm a ver com o nosso tempo presente, tais como:

™ A nossa redenção – o fato de que fomos libertados tanto da condenação


quanto do poder do pecado.

™ A remissão ou perdão de todos os nossos pecados.

¾ E tudo isto, nos diz o apóstolo Paulo foi feito:

™ Com amor, ou no Amado por excelência de Deus, o Senhor Jesus Cristo.

™ Segundo o beneplácito ou aprazimento do próprio Deus.

™ Para o louvor da glória da graça do próprio Deus.

™ Gratuitamente por Deus a nosso favor, ou seja, Deus não nos cobra
absolutamente nada por aquilo que ele nos dá.

™ A graça de Deus foi derramada sobre nós de forma abundante com toda a
sabedoria e prudência.

• Hoje queremos falar da bênção futura que iremos chamar de:

A BÊNÇÃO DA UNIFICAÇÃO

I. Deus nos Revela Seus Planos.

• Um dos maiores privilégios que temos como cristãos é que podemos saber os planos de
Deus, em certa medida, porque Deus mesmo nos revela Seus planos.

• Nós encontramos a revelação dos planos de Deus na Sua palavra, a Bíblia!

20
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
A. Os Que Não Acreditam na Revelação.
• Para aqueles que não acreditam na revelação divina não é difícil chegar às seguintes
conclusões:

¾ A vida humana não faz nenhum sentido. Já na Antigüidade havia filósofos gregos
que defendiam a seguinte idéia: “Como a vida humana não faz o menor sentido,
então, comamos e bebamos porque amanhã morreremos!”.

¾ A história da humanidade não tem nenhum tipo de objetivo. Nós fazemos a


história ser o que ela é. O próprio homem é a medida de todas as coisas, desde a
assim chamada Renascença, e o homem é o único capaz de salvar-se a si mesmo.

B. Os Que Acreditam na Revelação.


• Sabem que existe um propósito em tudo isto que aí está.

¾ O próprio Catecismo de Westminster inicia com a pergunta: “Qual é o propósito


supremo do ser humano?” E a resposta: “Conhecer ou glorificar a Deus e
desfrutar da Sua companhia para sempre”.

¾ Sabemos também que a história da humanidade cumpre um propósito


estabelecido por Deus. A parábola da rede, contada nos Jesus, nos ensina que
todos os seres humanos, sem exceção, serão literalmente arrastados para a praia
da eternidade onde serão separados uns dos outros.

• Mas o que é este - mistérion – mistério que Paulo menciona no verso 9?

II. O Mistério Revelado Por Deus.


• De acordo com o texto de Efésios, um dos mistérios que Deus nos revelou, através da
pessoa de Jesus Cristo, e que é algo que realmente lhe alegra o coração ou que lhe traz
verdadeiro aprazimento é:

¾ “de fazer convergir nele, em Cristo, na dispensação da plenitude dos tempos,


todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra – Efésios 1:10”.

¾ Em outras palavras, é o prazer e a alegria de Deus colocar a Jesus como o cabeça


de todas as coisas, sejam do céu sejam da terra.

¾ É fazer uma espécie de síntese de todas as coisas sob a liderança absoluta de


Jesus Cristo.

• Esta soberania de Jesus vai se estendendo gradativamente, começando pela “igreja, a


qual é o Seu corpo” até alcançar e submeter todas as coisas – ver Efésios 1:22 – 23.

• De fato, a soberania de Jesus será tão completa, um dia, que em outra passagem
Deus o exaltou sobremaneira e lhe
podemos ler:  Pelo que também

deu o nome que está acima de todo nome, para que ao


21
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e
debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é
Senhor, para glória de Deus Pai – Filipenses 2:9 - 11.
III. Esta Revelação do Plano de Deus Não Permite a Crença no Universalismo.

• Universalismo é uma doutrina antiga e que agora, mais uma vez, através da Teologia
Relacional, do Teísmo Aberto e da Igreja Emergente, defende a idéia de que todas as
pessoas, indistintamente, serão salvas. Segundo este pessoal, pouco importa se o
indivíduo é Animista, Budista, Hinduísta ou Mulçumano. Todos serão salvos porque o
amor de Deus é capaz de perdoar a todos e levá-los são e salvos para o “lar celestial”.

• Mas esta doutrina não se sustenta diante da verdadeira Revelação Bíblica que diz:

¾ Efésios 2: 1 – 3 – “... éramos, por natureza, filhos da ira, como também os


demais”.

¾ Efésios 5:6 – “Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas,
vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.

• Vamos ler o que diz o Evangelho de João acerca do amor de Deus bem como acerca da
ira de Deus:

¾ Acerca do amor de Deus – João 3:16 – 19.

¾ Acerca da ira de Deus – 3:31 – 36.

• A Bíblia é bem clara: todos os que não aceitam o que Deus fez a nosso favor através de
Jesus, que foi receber em Si mesmo a santa ira de Deus que nossos pecados mereciam,
terão que enfrentar por si mesmos a ira de Deus!

Conclusão:
1. Precisamos ter uma atitude de genuína gratidão a Deus pelo fato de Ele nos revelar Seus
planos e Sua vontade, de tal maneira que tanto nossas vidas, quanto a história humana fazem
perfeito sentido.

2. Precisamos ir já praticando, para nos acostumar, a dobrar nossos joelhos em genuína


humildade e adoração ao Senhor Jesus, pois Deus se agradou de fazer de Jesus, cabeça de
todas as coisas ou soberano sobre todas as coisas.

3. Precisamos ter verdadeira compaixão daqueles que não conhecem nem se submetem agora
a Jesus. O dia da salvação, segundo a Bíblia, “é hoje!” Os que não têm Cristo caminham para
uma surpresa extremamente desagradável: terão que enfrentar, por si mesmos, a ira de do
Deus Santo e Justo, porque se recusaram a aceitar a oferta gratuita que o Amor de Deus lhes
faz!

22
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 006 – A BÊNÇÃO DE DEUS EM PERSPECTIVA

EFÉSIOS 1:11 - 14
Introdução.
• Já tivemos a oportunidade de ver como Deus:

¾ Nos abençoou com toda sorte de bênção espiritual em Cristo. Esta bênçãos se
manifestam, entre outras maneiras, através da:

™ Nossa escolha para sermos santos e irrepreensíveis diante de Deus.

™ Nossa predestinação para sermos adotados como filhos de Deus.

™ Nossa redenção – o fato de que fomos libertados tanto da condenação


quanto do poder do pecado.

™ Da remissão ou perdão de todos os nossos pecados.

™ Da promessa de que todos as coisas serão unificadas ou submetidas ao


Senhor Jesus, que é chamado de “cabeça da Igreja”.

¾ E tudo isto, nos diz o apóstolo Paulo, foi feito por Deus através do Senhor Jesus
Cristo e em amor!

• Jesus é o grande reconciliador entre os homens pecadores e o Deus santo. E hoje


queremos ver, três verdades adicionais que nos dizem respeito por causa daquilo que
Jesus fez a nosso favor. Vamos, portanto, colocar...

A BÊNÇÃO DE DEUS EM PERSPECTIVA

I. O Povo de Deus é Possessão de Deus.


• Este é um conceito antigo. Começou com o Povo de Israel – ver Deuteronômio 4:20.
Inúmeros outros versículos falam acerca deste fato – ver Êxodo 19:4 – 5; Deuteronômio
9:29; 32:9; 1 Reis 8:51; Salmos 33:12; 106:40; Jeremias 10:16 e Zacarias 2:12.

• O mesmo é verdade com relação a nós, pois Paulo diz que: “em Cristo, nós fomos feitos
herança de Deus”.

• O uso da mesma linguagem para descrever o povo de Israel e a Igreja é um claro


indicativo de que existe uma continuidade entre os dois.

• Quando a Bíblia diz que um povo é herança do Senhor está querendo dizer que este
povo é propriedade particular ou pessoal de Deus mesmo.

23
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• De fato o apóstolo Pedro nos diz que somos um povo “de propriedade exclusiva de Deus”
– ver 1 Pedro 2:9. O mesmo era verdadeiro com relação ao povo de Israel – ver
Deuteronômio 7:6; 14:2; 26:18; Isaías 43:21; Malaquias 3:17.

• Então nós temos que nos perguntar: Como é que Alguém se Torna Parte do Povo de
Deus?

II. O Povo de Deus Depende da Vontade de Deus.

A. Como é que alguém se torna parte do “povo de propriedade exclusiva de


Deus”? Note a resposta de Paulo nos versículos a seguir:
• “segundo o beneplácito da Sua vontade” – Efésios 1:5.

• “segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo” – Efésios 1:9.

• “segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua
vontade”- Efésios 1:11.

• Estas passagens nos falam da vontade –thelématos – de Deus, do beneplácito ou bom


prazer – eudokían – de Deus e do propósito – próthesin – de Deus.

• É somente por causa a vontade graciosa de Deus em nos salvar que o evangelismo
possui esperança de ser bem sucedido e a fé se torna possível.

B. A segurança que podemos ter acerca destes fatos nos é concedida, nada mais
nada menos, do que pela presença do próprio Espírito Santo de Deus em nossas
vidas:
• “fostes selados com o Espírito Santo da promessa” – Efésios 1:13.

• “o qual é o penhor da nossa herança” – Efésios 1:14.

• “Selados” – esfragísthete – fostes selados, como expressão da graça de Deus para com seu
povo. Através da selagem, Deus indica claramente que pertencemos a Ele e por este fato somos
distintos de todas as outras pessoas que habitam nosso planeta. Indica também que toda a
afeição de Deus está voltada para nós e como conseqüência somos protegidos e guardados por
Deus mesmo.

• “Penhor” - arrabòn - penhor. A palavra grega tem sua origem na transliteração da


palavra em hebraico – arabon - raiz – arab – penhor, e que significava a concessão de
uma garantia inicial visando à ratificação de algum tipo de contrato. Esta garantia era
oferecida como um sinal ou uma entrada dos nossos dias e, servia para indicar que o
contrato ou acordo seria cumprido até o fim. Era a garantia de que o preço combinado
seria pago integralmente – ver Gênesis 38:17 - 18.

• De acordo com o Dicionário Aurélio Século XXI, penhor é um direito real que, em sentido
figurado, significa “garantia, segurança, prova”. E qual é o penhor, segurança, garantia
ou prova que nosso Deus nos concede, de que Ele ira cumprir tudo o que Ele tem
24
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
prometido a nosso respeito nas páginas das Escrituras Sagradas? Ele mesmo, na pessoa
do Espírito Santo! Oh Aleluia!

Agora chegou a hora de respondermos à seguinte pergunta: Porque Deus nos faz seus filhos?

III. O Povo de Deus Vive para a Glória de Deus.


Por três vezes, Paulo faz uma alusão à glória de Deus em Efésios 1:3 - 14:

• “para o louvor da glória da Sua graça”- Efésios 1:6.

• “para o louvor da Sua glória” – Efésios 1:12.

• “em louvor da Sua glória” – Efésios 1:14.

Mas, qual é o significado destas expressões. O quê, exatamente Paulo está querendo dizer ao
usar: 1) louvor da glória da Sua graça; e, 2) louvor da Sua glória?

• 1. Quando Paulo usa a expressão “louvor da Sua Glória”, ele está se referindo à
revelação de Deus, através de Sua Palavra e especialmente através da pessoa do Senhor
Jesus.

• 2. Quando Paulo usa a expressão “glória da Sua graça”, ele está se referindo à
revelação que Deus faz de Si mesmo, como um Deus gracioso.

• Desta maneira, viver para “o louvor da glória da Sua graça” ou “em louvor da Sua
glória” significa:

¾ Adorar a Deus, mediante atos e palavras, como o Deus gracioso que Ele é.

¾ Fazer com que outros, vendo nosso exemplo, possam se unir a nós com a mesma
atitude!

Conclusão:
1. Somos o povo de Deus. Estamos vivendo à altura deste privilégio? Apenas, como uma breve
ilustração daquilo que isto significa, vamos ler Efésios 4:1 – 3.

2. Como nos tornamos membros do povo de Deus? Somente pela vontade do próprio Deus.
Se dependesse de nós, jamais nos voltaríamos para Deus. Lembrem-se: Deus, nos escolheu em
Cristo, antes da fundação do mundo – ver Efésios 1:4.

3. Devemos viver para a glória de Deus. Isto quer dizer que devemos viver de acordo com a
revelação de Deus. Viver de acordo com a revelação de Deus, como a percebemos em Jesus
Cristo e nas páginas da Bíblia nos faz seguir em uma violenta rota de colisão com o mundo ao
nosso redor, pois as pessoas estão centradas em si mesmas e vivendo, exclusivamente, para si
mesmas.

“Os ser humano caído é escravos de seu próprio egoísmo, e, por este motivo, possui uma
confiança absoluta no poder da sua própria vontade, ao mesmo tempo em que nutre um
insaciável apetite pelo louvor de sua própria glória. Mas o povo de Deus, mediante a ação do
25
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
Espírito Santo no homem interior, procura viver para a glória de Deus. Para o louvor da glória
da graça de Deus. A nova sociedade, que Deus está criando, possui novos valores e novos
ideais. Isto tudo só é possível porque:

• O povo de Deus é um povo de propriedade exclusiva de Deus.

• O povo de Deus é um povo que vive pela vontade do próprio Deus.

• O povo de Deus é um povo que vive para a glória de Deus.

26
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 007 – A IMPORTÂNCIA DA FÉ E DO AMOR

EFÉSIOS 1:15 - 16

Introdução.
• Depois de bendizer a Deus por alguns aspectos, talvez os mais relevantes, com que Deus
tem nos abençoado, Paulo continua em atitude de oração, desta vez intercedendo a favor
dos Efésios.

• Mas antes de fazer quaisquer pedidos, Paulo reconhece duas verdades importantes com
relação aos destinatários da carta:

¾ Em primeiro lugar Paulo fala da fé que os Efésios tinham no Senhor Jesus.

¾ Em segundo lugar Paulo menciona o amor que os Efésios tinham por todos os
santos.

• Hoje queremos falar acerca destas duas palavras – pístis – fé e – agápe – amor.

A IMPORTÂNCIA DA FÉ E DO AMOR

I. A Importância da Fé
Paulo fala da fé que os Efésios tinham no Senhor Jesus. Aqui devemos destacar as seguintes
verdades:

• A fé à qual Paulo alude não é algo que existe em nós ou que nós mesmos produzimos.
Esta fé é um dom ou presente de Deus – ver Efésios 2:8. Esta é a fé que nos habilita crer
em Jesus.

• Fé não é um sentimento. É uma decisão de acreditar em Deus e em Sua Palavra


independente das circunstâncias ao nosso redor.

• Uma vez que Deus nos concede fé para crermos na obra que Jesus fez a nosso favor, na
Cruz do Calvário, e na Sua poderosa ressurreição, nós podemos nos aproximar com
absoluta confiança de Deus com a certeza de que seremos, sempre, bem recebidos – ver
Efésios 3:12.

• No nosso dia a dia precisamos exercer fé na Palavra de Deus e agir de conformidade


com a mesma, independente das circunstâncias ao nosso redor. Com isto, nos diz o
apóstolo Paulo, nós poderemos “apagar todos os dardos inflamados do Maligno” – ver
Efésios 6:16.

• A fé é um dos alicerces apropriados sobre o qual devemos edificar nossas vidas – ver
Efésios 3:17

27
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
O outro alicerce, como acabamos de ver, é o amor. Por este motivo devemos também falar
da...

II. A Importância do Amor.


• O amor se origina também em Deus, porque Deus é Amor – ver 1 João 4:8 e 16.

• O amor, como a fé, também não é um sentimento e sim uma decisão. O amor é uma
decisão de fazer o bem à pessoa amada independente das circunstâncias.

• Deus é o maior exemplo de amor que existe. Note como o amor é sempre,
imediatamente, caracterizado pela prática de alguma ação em benefício daqueles que
são amados por Deus:

¾ João 3:16 - Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. O
amor de Deus é ativo: porque Deus amou, Ele então deu Seu único filho, para
fazer a nosso favor algo que nós não podíamos fazer por nós mesmos. Algo que
não precisa ser feito nunca mais!

¾ Romanos 5:8 - Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter
Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. O Amor de Deus é, portanto,
incondicional, e capaz de amar até Seus próprios inimigos!

¾ Efésios 2:4 – 6 – ilustra o amor de Deus e o que este amor fez por nós.

• Nós também, porque fomos alcançados pelo amor de Deus, estamos em uma aliança de
amor para com Deus e uns com os outros. Note como Paulo ilustra nossa
responsabilidade de amar uns aos outros.

¾ Efésios 4:1 – 2 - Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo
digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão,
com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor.

¾ Devemos seguir a verdade – Jesus – ver João 14:6 - e a Palavra de Deus – ver
João 17:17 – em amor – ver Efésios 4:15. Somente desta maneira podemos
crescer em Jesus.

¾ Nosso andar diário deve ser caracterizado pela prática do amor – ver Efésios 5:2.
Nosso exemplo é o Senhor Jesus que “nos amou e se entregou a si mesmo por
nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave”.

• Paulo termina a epístola aos Efésios usando exatamente estas mesmas duas palavras –
amor e fé – ver Efésios 6:23.

Conclusão:
1. Dissemos que fé e amor são os dois alicerces sobre os quais devemos edificar nossas vidas.
E isto é a mais pura verdade. A única maneira concreta que temos de provar para nós mesmos
e para o mundo ao nosso redor, que temos a verdadeira fé concedida por Deus em nossos
28
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
corações e quando manifestamos amor para com Jesus e Suas palavras e para com os irmãos.
Veja os versículos a seguir que não deixam nenhuma dúvida acerca do que acabamos de dizer:

• João 14:15 - Se me amais, guardareis os meus mandamentos.

• 1 Coríntios 16:22 - Se alguém não ama o Senhor, seja anátema. Maranata!

• 1 João 3:10 - Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo
aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu
irmão.

• 1 João 3:14 - Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos
os irmãos; aquele que não ama permanece na morte.

• 1 João 4:8 - Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.

• 1 João 4:20 - Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois
aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não
vê.

2. Como está o seu amor por Jesus e por Deus nosso Pai?

• Como estão tuas devoções?

¾ Como vai tua vida de oração? Note o exemplo de Paulo: “não cesso de dar graças
por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações”- Efésios 1:16. Você tem sido
agradecido a Deus? Tem intercedido pelos irmãos? Tem intercedido pela
misericórdia de Deus para com os perdidos? Temos muito que orar e pelo que orar.
Quem se dispõe?

¾ Como está teu tempo de leitura e meditação na palavra? Você tem lido os
Evangelhos? Eles são nossa fonte primária acerca de Jesus. Se amamos a Jesus
devemos ler insistentemente os Evangelhos. Mas nós sabemos que a Bíblia toda nos
fala acerca de Jesus e por este motivo também devemos dedicar-nos a ler toda a
Bíblia. Quando lemos as Escrituras, o Espírito Santo nos ajuda a crescer tanto em fé
como em amor para com Deus e para com o próximo, nos mostrando como
devemos confiar em Deus e como devemos amar a Deus e aos nossos irmãos.

¾ Como está tua dedicação no que diz respeito a se envolver com o povo de Deus?
Você é “domingueiro?” A nossa comunidade oferece inúmeras oportunidades de
crescimento e de serviço. Porque você não deseja se envolver? Falta vontade? Falta
interesse? Falta motivação? Falta tempo? Todas estas coisas se resumem em uma
apenas: FALTA AMOR pelo Senhor e pelo povo pelo qual Ele deu Sua vida!

3. Como está o seu amor para com os irmãos?

• Você tem palavras de gratidão, de incentivo, de compaixão ou apenas palavras de


crítica?

29
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Quando algum irmão peca contra você como você reage? Continua amando o irmão de
forma incondicional ou vira a cara e não quer nem saber?

• Somos chamados por Deus para viver em unidade, apesar da diversidade, e em paz,
apesar de sermos tão diferentes uns dos outros. Precisamos exercitar o verdadeiro amor
uns para com os outros. Amor que se manifesta em humildade, mansidão,
longanimidade e, principalmente, em “suportando-nos uns aos outros”.

30
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 008 – A IMPORTÂNCIA DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSAS VIDAS –
EFÉSIOS 1:16 - 17

Introdução.
• Diante das verdades reveladas acerca da grandiosa bênção que Deus a nós concedeu e
que incluem:

¾ Nossa escolha ou eleição antes da fundação do mundo para sermos santos e


irrepreensíveis.

¾ Nossa predestinação, em amor, para sermos adotados como filhos na família de


Deus

¾ Nossa redenção ou libertação da condenação e do poder do pecado.

¾ A remissão ou perdão de todos os nossos pecados.

¾ O derramamento abundante da Sua graça sobre nós.

¾ O fato de termos sido feitos herança de Deus ou parte do povo de Deus.

¾ Termos sido selados com o Espírito Santo, o qual também nos foi dado como um
penhor ou garantia de que Deus irá cumprir tudo o que Ele tem prometido a nosso
respeito.

• Na mensagem anterior nós vimos que, além de todas estas bênçãos, Deus nos tem
concedido:

¾ Verdadeira fé que a capacidade de tomar decisões de acreditar em Deus e em Sua


palavra independente das circunstâncias ao nosso redor.

¾ Verdadeiro amor, que é a capacidade de tomar decisões de fazer o bem ou o que é


certo para com Deus e para com o próximo, independente do fato se as pessoas
merecem ou não merecem!

• Certamente animado por todas estas verdades, Paulo decide continuar orando e
pedindo a Deus que ajude os Efésios, e todos nós, por extensão, para possamos
compreender e experimentar a

A IMPORTÂNCIA DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSAS VIDAS – Parte 1

I. O Deus a Quem Paulo faz Orações.


Quem é o Deus a Quem o apóstolo Paulo faz estas orações que estão registradas em Efésios
capítulo 1? – ver Efésios 1:17.

• Em primeiro lugar Paulo nos diz que este Deus é o Deus de nosso Senhor Jesus
Cristo. Nós só podemos nos aproximar do Deus verdadeiro, daquele Deus que é o
31
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
verdadeiro Pai, se o fizermos através de Jesus – ver Efésios 2:18 e 3:12. Bendito seja
o Senhor Jesus Cristo que nos abriu este maravilhoso acesso ao Deus Todo Poderoso
a quem podemos chamar também de nosso Pai.

• Em segundo lugar Paulo nos diz que este Deus é o “Pai da Glória”. Qual é o
significado desta expressão? Dizer que Deus é o “Pai da Glória” é o mesmo que dizer
que:

¾ Deus é o Pai da magnificência, excelência, preeminência, dignidade e graça.

¾ Deus é o Senhor majestoso.

¾ As qualidades acima mencionadas pertencem exclusivamente a Deus.

¾ A majestade real pertence exclusivamente a Deus, como supremo governador, que


reina com absoluta perfeição e soberania sobre toda a criação.

• Como ficam então, diante destas verdades, os defensores da chamada Teologia


Relacional ou do Teísmo Aberto, que defendem idéias como a de que Deus não é
Onipotente, Onisciente e Onipresente? Que Deus tenha misericórdia deles!

• E o que é que Paulo pede ao Deus de nosso Senhor Jesus Cristo e Pai da Glória?

II. Paulo pede que Deus Conceda Seu Espírito Santo!


• É claro que o Espírito Santo já havia sido concedido aos Efésios: Eles haviam sido:

¾ Selados com o Espírito Santo como sendo propriedade exclusiva de Deus.

¾ O Espírito Santo havia sido concedido a eles como “Penhor” ou garantia de que
Deus irá cumprir tudo o que havia prometido a respeito deles.

• Mas aqui Paulo está dizendo que deseja que Deus lhes conceda mais ainda do Seu
Espírito Santo como:

¾ Espírito de sabedoria – que o mesmo que possuir uma capacidade genuinamente


espiritual, não apenas para conhecer a verdade, mas principalmente para
experimentar, na prática, os benefícios de tomar as decisões certas baseadas em fé
e amor! Quanto mais conhecemos Deus e Sua Palavra tanto mais podemos
responder de maneira apropriada a tudo o que Deus demanda de nós.

¾ Espírito de revelação – que é o mesmo que possuir uma capacidade genuinamente


espiritual, para compreender as implicações daquilo que Deus nos tem revelado,
tanto através da Sua Palavra viva – o Senhor Jesus Cristo – quanto através da Sua
Palavra escrita – a Bíblia. Foi o próprio Senhor Jesus Cristo quem prometeu o
seguinte: “Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;
quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque
não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas
que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há
de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de
32
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
receber do que é meu e vo-lo há de anunciar – João 16:12 - 15. E assim fizeram os
santos apóstolos nos legando o Novo Testamento!

• Tudo isto, nos diz o apóstolo Paulo visa nos conduzir ao pleno conhecimento de Deus
e daquilo que Ele fez, faz e fará por nós através do Senhor Jesus. O propósito da
vida cristã é que possamos crescer em verdadeira sabedoria de tal maneira: “Até
que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho
de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de
Cristo! – Efésios 4:13.

Conclusão:
1. Jesus foi bastante claro quando disse:  Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém
vem ao Pai senão por mim. Por este motivo, nós precisamos, reafirmar sempre, que:

• Atos 4:12 - E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe
nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.

• Lucas 19:10 - Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.

• 1 Timóteo 2:5 - Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os


homens, Cristo Jesus, homem.

2. O Pai da Glória, o único verdadeiro e absoluto soberano Senhor nos tem adotado,
graciosamente em Sua família, para compartilharmos de toda a Sua glória!

3. Porque precisamos que o Espírito Santo nos ajude concedendo-nos verdadeira capacidade de
sabedoria e revelação?

• Porque vivemos em um mundo extremamente manipulado por práticas pagãs,


superstições e muita imoralidade.

¾ A história da televisão é um exemplo bastante claro acerca do que acabamos de


falar – ver anexo acerca da “História da Televisão”.

• Neste contexto, precisamos saber exatamente qual é o melhor caminho a seguir e isto
só nos pode ser concedido pelo Espírito Santo, baseado nos ensinamentos de Jesus e
da Bíblia.

4. O apóstolo Paulo sabia muito bem os riscos que os Efésios corriam e por este motivo ele
investia tempo em oração a favor deles. O mesmo é verdadeiro conosco hoje em dia e, por
este motivo, precisamos orar uns pelos outros.

5. Para refletir: o que exatamente desejamos para nossas vidas? Desejamos crescer até
atingirmos a estatura de Cristo ou desejamos, como todo mundo, apenas nos divertir e entreter
com todo este lixo que aí está?

33
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
6. Que Deus possa nos conceder a graça de termos sempre, de forma abundante do Seu
Espírito Santo, para que sejamos cheios de sabedoria para conhecer e aplicar, em nossas
vidas, as verdades a nos reveladas por este mesmo Espírito Santo.

História da Televisão
• O que é a televisão? Televisão é um sistema de transmissão e recepção de imagens e
de som através de sinais eletrônicos por intermédio de cabos, fibras óticas ou por
radiação eletromagnética.

• O primeiro verdadeiro mecanismo de televisão foi desenvolvido em 1844 pelo


engenheiro alemão Paulo Nipkow. Era na realidade, um scanner que capturava e
mostrava as imagens capturadas.

• O mecanismo inventado por Nipkow foi utilizado entre 1923 a 1925 em sistemas
experimentais de Televisão nos Estados Unidos da América, pelo inventor Charles F.
Jenkins e na Inglaterra, pelo inventor John L. Baird. Naqueles dias, as imagens eram
muito ruins, mas era possível reconhecer o que estava sendo mostrado.

• O primeiro receptor doméstico de imagens televisivas foi apresentado na cidade de


Schenectady, no estado de Nova Iorque, em 13 de Janeiro de 1928, pelo inventor
estadunidense Ernst F. W. Alexanderson. O monitor tinha 7,5 centímetros quadrados
e as imagens eram ruins e bastantes instáveis. Mesmo assim, este primeiro televisor,
podia ser usado nos lares. A General Electric produziu certa quantidade destes
aparelhos e os mesmos foram distribuídos pela cidade de Schenectady. No doa 10
de Maio de 1928, a estação de televisão WGY começou a transmitir sinais para estes
aparelhos naquela área.

• Mais adiante o estadunidense Philo Taylor Farnsworth desenvolveu um sistema de


Televisão eletrônico. Este projeto avançou rapidamente na década de 1930, até ser
abandonado, por falta de apoio financeiro, durante os anos da Segunda Guerra
Mundial – 1939 – 1945.

• A primeira transmissão pública de programas de televisão aconteceu em 1936 em


Londres. Duas empresas de transmissão fizeram demonstrações de seus aparelhos:

¾ A primeira foi a firma Marconi-EMI que produziu um televisor que tinha 405 linhas
de definição horizontal e era capaz de mostrar 25 quadros por segundo.

¾ O Outro foi o aparelho produzido pela Baird Television que tinha 240 linhas de
definição horizontal e também era capaz de mostrar 25 quadros por segundo. O
aparelho de Marconi, por ser visivelmente melhor, foi adotado como padrão.

¾ Em 1941 os Estados Unidos da América adotaram um aparelho de 525 linhas de


definição horizontal com a capacidade de mostrar 30 quadros por segundo como
padrão.

• As primeiras transmissões regulares de imagens televisivas foram iniciadas, nos


Estados Unidos da América, em 1939. Todavia, estas transmissões duraram
34
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
somente dois anos e foram suspensas quando os Estados Unidos entraram,
diretamente, na Segunda Guerra Mundial em 1941. Esta suspensão durou até o
término da Segunda Guerra, em 1945. A partir de 1946 as transmissões se
tornaram regulares e a indústria da transmissão via televisão iniciou uma expansão
que dura até os dias de hoje.

• O que acabamos de relatar, tem a ver com a história da televisão enquanto


processo de transmissão. Mas o que realmente nos interessa, neste contexto, é o
que foi feito com a televisão enquanto poderoso instrumento de formação das
pessoas e da manipulação das massas.

• Os inventores do sistema de transmissão e dos aparelhos receptores, não tinham a


menor idéia de como aquela tecnologia poderia ser realmente aproveitada. Os
ingleses entregaram todo o sistema para ser administrado pela agência estatal BBC
– British Broadcasting Corporation. Este monopólio durou até 1954.

• Os Estados Unidos da América, haviam assumido, depois da Segunda Guerra


Mundial, o papel de nação líder de todo o mundo. Como tal, tornaram-se
extremamente influentes e passaram a ser imitados em, praticamente tudo e por
todos em todo o planeta.

• Ao contrário dos ingleses, os estadunidenses entregaram a administração do


sistema de televisão nas mãos daqueles que controlavam a indústria do
entretenimento. Ou seja, entregaram tudo nas mãos do pessoal de Hollywood. E
quem dava as cartas em Hollywood? Capitães de indústria de todas as
nacionalidades, mas especialmente de origem judaica, cujo interesse exclusivo era o
lucro e somente o lucro que o deus a quem eles, agora adoram! Por outro lado a
indústria também dependia dos produtores e dos artistas, que apesar de todo
glamour, juntamente com os donos da indústria, não passavam de um bando de
imorais devassos que praticavam continuamente e, como modo de vida, todo tipo
de pecados sexuais, desde a fornicação, passando pelo adultério até às detestáveis
práticas homossexuais; eram também bêbados debochados, viciados em drogas
legais e ilegais e que viviam vidas totalmente destrambelhadas.

• Agora, o que podemos esperar, quando entregamos nas mãos de pessoas tão
desqualificadas, um instrumento tão poderoso como o sistema de televisão? Apenas
o que temos colhido nestes anos todos:

¾ Imoralidades Sexuais: fornicação, adultérios, bestialidades, homossexualismo


de todos os tipos.

¾ Bebedeiras e consumo de drogas de todos os tipos

¾ Paganismo do mais grosso calibre com a promoção de mentiras religiosas,


com a adoração de falsos deuses etc.

¾ Triângulos amorosos com todas as variedades possíveis, divórcios e


separações e toda a desagregação familiar resultantes destas práticas

35
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ Violência gratuita, com a sua conseqüente banalização e brutalidades de
todos os tipos, algumas tais que nos deixam realmente doentes só de
presenciá-las;

¾ Assassinatos, torturas, matanças que não fazem o menor sentido, crimes


verdadeiramente hediondos são mostrados com todos os requintes sórdidos e
nojentos de crueldade e sadismo, etc.

• E isto tudo nos é apresentado com se fosse absolutamente normal, correto, bom e
saudável.

• Agora mesmo, tudo isto está sendo levado para dentro dos nossos lares, produzido
e apresentado por um bando de degenerados morais e intelectuais, e nós ainda
temos a coragem de patrocinar – sim, porque nós é que somos os verdadeiros
patrocinadores dos programas de televisão – este lixo, que corrói nossas famílias e
destróis nossos filhos, ensinando tudo o que não presta.

• É por estes motivos meus irmãos e irmãs, que precisamos da ajuda de Deus para
tomar as decisões corretas que precisamos tomar.

36
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 009 – A ESPERANÇA DO SEU CHAMAMENTO

EFÉSIOS 1:18 - 21

Introdução.
• Paulo ora pelos crentes em Éfeso. Em Efésios 1:16 – 17 nós vimos que Paulo estava
pedindo a Deus para que aqueles irmãos tivessem:

¾ Espírito de Sabedoria – que é a capacidade espiritual de tomar decisões baseadas


na verdade e em fé e amor!

¾ Espírito de Revelação – que é também uma capacidade espiritual para


compreender as implicações daquilo que Deus nos tem revelado, tanto através da
Sua Palavra viva – o Senhor Jesus Cristo – quanto através da Sua Palavra escrita –
a Bíblia.

¾ Quanto mais conhecemos Deus e Sua Palavra tanto mais podemos responder de
maneira apropriada a tudo o que Deus demanda de nós.

¾ E Paulo nos diz que faz estes pedidos porque deseja que os Efésios tenham pleno
conhecimento de Deus a quem Paulo chama de:

™ O Deus de nosso Senhor Jesus Cristo.

™ Pai da Glória

¾ Paulo, nos versículos de Efésios 1:18 – 21 segue em sua oração pedindo a Deus
que os crentes em Éfeso possam ter os “olhos de seus corações iluminados” para
que possam saber, em primeiro lugar:

A ESPERANÇA DO SEU CHAMAMENTO

I. Qual é a Esperança do Seu Chamamento.

• Paulo afirma que Deus nos chamou. Quem foi chamado e está sendo chamado? E,
para o quê foi que Deus nos chamou e está nos chamando? Existem várias verdades
na Bíblia que nos ensinam quem são os chamados e exatamente para o quê foi que
Deus nos chamou. Vejamos algumas destas verdades.

A. Quem Deus está chamando?


A Bíblia nos ensina que Deus não tem uma nação, uma raça ou uma tribo a quem Ele chame
de “predileta ou favorita”.

• Pelo contrário, quando o Cordeiro de Deus é louvado nos céus, aqueles que o
louvam estão dizendo: E entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro
e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus

37
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação – Apocalipse 5:9! Ver
ainda 1 Coríntios 1:24.

• E neste processo de chamamento Deus seguiu somente Seu próprio propósito – ver
Romanos 8:28. É por este motivo que o apóstolo Paulo nos exorta em 1 Coríntios
1:26 – 29 a repararmos bem na nossa vocação.

B. Qual é a característica maior da Esperança à qual estamos sendo chamados?

• E esta esperança em que fomos chamados é a única esperança – ver


Efésios 4:4.

C. A Bíblia nos diz exatamente para o quê, Deus nos chamou:

• Deus nos chamou tanto para sermos de Jesus Cristo quanto para mantermos
comunhão com Ele – ver Romanos 1:16 e 1 Coríntios 1:9. Como tal somos
chamados de Filhos do Deus vivo – ver ainda Romanos 9:26 e 1 João 3:1. Ainda
porque somos chamado “em Cristo” somos chamados a viver em paz, e somos
chamados para pertencer à um só corpo – ver Colossenses 3:15. Existe apenas
uma verdadeira Igreja do Senhor Jesus Cristo, a qual é o seu corpo, e esta igreja
não pode ser identificada com nenhuma denominação existente, seja ela Católica
Apostólica Romana, como quer o Papa Bento XVI, seja a Igreja Presbiteriana,
Batista, Assembléia de Deus, Congregação Cristã do Brasil, etc. A Igreja que é o
Corpo de Cristo é constituída por todos aqueles que crêem de forma genuína na
obra salvadora de Jesus e que, por causa da fé, que receberam da parte de Deus,
são pessoas regeneradas ou nascidas de novo.

• Deus nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz – ver 1 Pedro 2:9.

• Somos chamados para sermos santos. Não poderia ser diferente, pois o Deus que
nos chamou É santo e, portanto, somos exortados pelo apóstolo Pedro da seguinte
maneira: “segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós
mesmos em todo o vosso procedimento porque escrito está: Sede santos, porque
eu sou santo – 1 Pedro 1:15 - 16. Ver ainda Romanos 1:7 e 2 Timóteo 1:9.

• Como somos chamados para sermos santos, todo tipo de impureza, seja física
seja moral, deve ser abandonada – ver 1 Tessalonicenses 4:7.

• Deus nos chamou para seguirmos nos passos de Jesus – 1 Pedro 2:21.

• Somos chamados para receber a promessa da eterna herança – ver Hebreus 9:15
e 1 Pedro 3:9; à Sua eterna glória e virtude – ver 1 Pedro 5:10 e 2 Pedro 1:3.

• E, do ponto de vista escatológico, somos chamados a participar da vitória do


Senhor Jesus e da ceia das bodas do cordeiro – ver Apocalipse 19:9.

38
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
II. Que Tipo de Vida Devem Viver os que são assim Chamados por Deus!
• A resposta, nós vamos encontrar na própria epístola aos Efésios onde somos
exortados:

¾ Efésios 4:1- Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo
digno da vocação a que fostes chamados.

¾ Efésios 5:8 - Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor;
andai como filhos da luz.

¾ O apóstolo João diz: E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta
esperança, assim como ele é puro – 1 João 3:3.

Conclusão:
1. Paulo ora pelos crentes em Éfeso e por todos nós, para que os olhos dos nossos corações
possam ser iluminados – ver Efésios 1:18.

2. Esta iluminação é causada pelo Espírito de Deus agindo em nossas vidas e se inicia quando
somos chamados por Deus das trevas para a Sua maravilhosa luz – 1 Pedro 2:9.

3. Porque nossos olhos foram iluminados e nossos corações purificados, Jesus nos promete:
“Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus - Mateus 5:8.

4. O chamado de Deus constitui-se em uma esperança que é única – Efésios 4:4. Esta
esperança funciona como uma âncora bem firmada conforme podemos ler em Hebreus 6:18 –
20: “Para que, mediante duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, forte
alento tenhamos nós que já corremos para o refúgio, a fim de lançar mão da esperança
proposta; a qual temos por âncora da alma, segura e firme e que penetra além do véu, onde
Jesus, como precursor, entrou por nós, tendo-se tornado sumo sacerdote para sempre,
segundo a ordem de Melquisedeque”.

5. A esperança do chamamento de Deus pode ser resumida da seguinte maneira:

¾ Deus nos chamou em Cristo para termos comunhão com Cristo.

¾ Deus nos chamou para vivermos vidas de santidade, de liberdade e de paz em


comunhão uns com os outros.

¾ Deus nos chamou para compartilharmos e até imitarmos a Jesus em seus


sofrimentos. Agindo assim somos também chamados para compartilhar da mesma
glória que Jesus agora experimenta.

¾ Deus nos chama para vivermos um novo tipo de vida. Devemos andar de modo
digno do chamado que recebemos; isto quer dizer que devemos andar como filhos
da luz.

39
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ Nesta nova vida, nós queremos conhecer, amar, obedecer e servir o Senhor Jesus
cada vez mais e mais.

¾ Deus nos chama para olharmos, de maneira expectante, para além das nossas
tribulações do tempo presente, e para as glórias que um dia serão reveladas – ver
Romanos 8:18 - Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo
presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós.

A Esperança do Glorioso Chamamento de Deus


A. Deus chama pessoas de toda tribo, língua, povo e nação:

• Apocalipse 5:9 - E entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e


de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus
os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação.

B. Ao chamar as pessoas, Deus segue somente seu próprio propósito ou conselho e por este
motivo o chamado de Deus alcança realmente os que ele quer e não segue nenhum outro
parâmetro:

• Romanos 8:28 Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que
amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

• 1 Coríntios 1:26 - 29 Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não
foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem
muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do
mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para
envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as
desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de
que ninguém se vanglorie na presença de Deus.

C. A Esperança em que fomos chamados é realmente a única esperança.

• Efésios 4:4 - Há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados


numa só esperança da vossa vocação.

D. Por causa deste chamamento, a Bíblia se refere a nós como:

• Romanos 9:26 - E no lugar em que se lhes disse: Vós não sois meu povo, ali
mesmo serão chamados filhos do Deus vivo.

• 1 João 3:1 - Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos
chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o
mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo.

40
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
E. Exatamente para o quê, Deus está nos chamando?

• Romanos 1:6 - De cujo número sois também vós, chamados para serdes de Jesus
Cristo.

• 1 Coríntios 1:9 - Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho
Jesus Cristo, nosso Senhor.

• Colossenses 3:15 - Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual,


também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos.

• 1 Pedro 2:9 - Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de
propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos
chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.

• 1 Pedro 1:15 – 16 - Pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou,
tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque
escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.

• 1 Tessalonicenses 4:7 - Porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim
para a santificação.

• 1 Pedro 2:21 - Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também
Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus
passos.

• 1 Pedro 3:9 - Não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo
contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados, a fim de receberdes
bênção por herança.

• Hebreus 9:15 - Por isso mesmo, ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que,
intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira
aliança, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados.

• 1 Pedro 5:10 - Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua
eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de
aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar.

• 2 Pedro 1:3 - Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as
coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele
que nos chamou para a sua própria glória e virtude.

• Apocalipse 17:14 - Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá,


pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados,
eleitos e fiéis que se acham com ele.
41
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Apocalipse 19:9 - Então, me falou o anjo: Escreve: Bem-aventurados aqueles que
são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E acrescentou: São estas as
verdadeiras palavras de Deus.

F. Devemos, portanto, andar de modo digno deste chamamento. O motivo porque Paulo ora
pedindo a Deus para que possamos saber qual é a esperança do seu chamamento é para que
possamos:

• Efésios 4:1 Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo
digno da vocação a que fostes chamados.

• Efésios 5:8 - Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai
como filhos da luz.

• 1 João 3:3 - E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim
como ele é puro.

42
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 010 – A RIQUEZA DA GLÓRIA DA SUA HERANÇA NOS SANTOS

EFÉSIOS 1:18 - 21

Introdução.
• Paulo está orando pelos crentes em Éfeso. Na mensagem anterior vimos que ele
pede que Deus lhes conceda o dom ou capacidade espiritual de compreender a
“esperança do Seu chamamento”. Entre os privilégios que alistamos podemos
destacar:

¾ Deus nos chamou tanto para sermos de Jesus Cristo quanto para
mantermos comunhão com Ele e sermos seus imitadores – ver Romanos
1:16, 1 Coríntios 1:9 e 1 Pedro 2:21.

¾ Deus nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz – ver 1 Pedro 2:9.

• Somos chamados para sermos santos - ver 1 Pedro 1:15 - 16. Ver ainda Romanos
1:7 e 2 Timóteo 1:9.

¾ Vimos também que, uma vez tendo recebido este chamado, devemos:

™ Efésios 4:1- Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis


de modo digno da vocação a que fostes chamados.
™ Efésios 5:8 - Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no
Senhor; andai como filhos da luz.
¾ Mas Paulo continua sua oração e ele pede que os Efésios possam saber
qual é:

A RIQUEZA DA GLÓRIA DA SUA HERANÇA NOS SANTOS

I. A Motivação do Apóstolo Paulo.


• Paulo sabe que uma das melhores maneiras de vencer as tendências pecaminosas
que existem em todos nós é procurar deixá-las de lado e concentrar a atenção nas
bênçãos inerentes à salvação. Este é o exemplo que nos vem de Hebreus capítulo
11, que descreve os heróis da fé, que estavam sempre mais interessados na
perenidade da eternidade do que na transitoriedade da vida presente.

• Vimos inúmeros versículos pertinentes ao nosso chamamento e precisamos sempre


nos lembrar destas verdades que acabamos de mencionar na introdução.

A. Nossa Esperança está Baseada nas Promessas de Deus.


• Deus nos tem feito muitas promessas e com relação a estas promessas somos
ensinados:
43
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ Lucas 1:37 - Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas
promessas.

¾ 2 Coríntios 1:20 - Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm


nele – em Cristo - o sim; porquanto também por ele é o amém para glória
de Deus, por nosso intermédio.

B. As Implicações de Possuirmos as Promessas de Deus.


• O motivo porque Deus nos dá suas promessas é para que:

¾ 2 Coríntios 7:1 - Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos


de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa
santidade no temor de Deus.

¾ 2 Pedro 1:4 - Pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui
grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da
natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo.

Paulo pede mais ainda, que Deus conceda aos Efésios o privilégio de saber qual é...

II. A Riqueza da Glória da Sua Herança nos Santos!


• Da mesma maneira como o chamamento que recebemos procede de Deus, assim
também é a herança para a qual estamos destinados e que vamos receber das
mãos de Deus.

• A Bíblia não elabora muito acerca dos detalhes da nossa vida futura, e por este
motivo não devemos ficar especulando acerca destas coisas.

• Mas algumas coisas nos são ensinadas e faremos bem em nos apegar a elas:

¾ Em 1 Coríntios 2:9 – 10 nós lemos: “Mas, como está escrito: Nem olhos
viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o
que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo
revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até
mesmo as profundezas de Deus.

• E o que foi que o Espírito Santo nos revelou, através da Bíblia?

¾ Em primeiro lugar nos revelou com provas incontestáveis que somos seres
imortais – ver 2 Timóteo 1:10. Antes de Jesus nós tínhamos indícios da
nossa imortalidade. Agora, através de Jesus nós podemos ter absoluta
certeza.

¾ Nossa herança está reservada para nós no céu – ver 1 Pedro 1:3 – 4.

¾ Deus nos tem prometido corpos glorificados, iguais ao de Jesus, sobre os


quais a morte não terá mais nenhum poder – ver Filipenses 3:20 - 21.
44
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ Também teremos o privilégio de conviver face a face com o nosso Deus –
ver Apocalipse 22:3 – 4. Ver também João 14:1 – 3 e Filipenses 1:23.

• Devemos encontrar nestas coisas todas, grande consolação para nossas vidas,
além de enorme motivação para vivermos no tempo presente, na perspectiva
constante de que estamos aqui somente de passagem. Nosso destino final é que
deve realmente nos interessar. E por causa deste destino final, devemos viver vidas
santas, justas e equilibradas.
• A história da humanidade está repleta de fatos de que foram as pessoas com esta
visão da eternidade, aquelas que mais fizeram diferença no meio da suas
gerações.
• Somente aqueles que sabem que o mundo foi criado por Deus é que têm genuíno
interesse em preservar este mundo, do qual somos apenas mordomos, da melhor
maneira possível.
• Somente aqueles que sabem que o ser humano foi criado por Deus entendem a
dignidade do ser humano e se empenham por lhe oferecer uma vida que esteja à
altura desta mesma dignidade.
• Exemplos:

¾ O Metodismo fez mais pelos trabalhadores ingleses e pelos sindicatos do


que toda a obra de Karl Marx.
¾ Os pastores ingleses do século XIX foram os únicos que se levantaram
contra a imoralidade que era representada pelo tráfico de drogas e a
imposição do consumo de ópio, administrado pelos ingleses e que estava
destruindo a população chinesa. Os chineses chegaram a travar duas
guerras com os ingleses – guerras do ópio – para tentar se livrar daquela
praga. Foram derrotados as duas vezes. Como penalidade, tiveram que
ceder, entre outras coisas, a localidade conhecida como Hong Kong, para
ser protetorado britânico por 155 anos! – de 1842 até 1997. Londres está
cerca de 15.000 km distante de Hong Kong. Somente quando pastores
evangélicos se levantaram contra tamanha imoralidade é que o governo
britânico abriu mão de lucrativo tráfico de drogas naquela ocasião. Mas só
devolveu Hong Kong ao chineses em 1º de Julho de 1997!

III. A Riqueza da Nossa Herança é Uma Riqueza Coletiva e não Individual.

• Vivemos em um mundo egoísta e egocêntrico. Por este motivo temos a tendência


de nos referir aos benefícios da nossa herança como algo individual.
• A riqueza a que Paulo se refere é tão mais rica devido à variedade de pessoas que
irão compartilhar dela!

45
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
Conclusão:
1. Temos que entender que somente aqueles que possuem o Espírito Santo é que podem ter os
olhos iluminados para entender todas estas verdades. Sem a presença do Espírito Santo em
nossas vidas todos estes ensinamentos não passam de meras palavras.

2. Devemos imitar a fé que nossos antecessores tiveram, como descrito em Hebreus 11. Ver
especialmente Hebreus 11:13 – 16.

3. Quando as pessoas vivem sem a perspectiva da eternidade o resultado direto é o que temos
aí, agora mesmo: um verdadeiro inferno em vida, muita confusão, violência, ilegalidade,
imoralidade, vícios e etc.

4. Devemos ter sempre em mente as palavras do apóstolo quando diz:

• Romanos 8:18 - Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo
presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós.

• 2 Coríntios 4:17 - Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós
eterno peso de glória, acima de toda comparação,

• Jesus, como não poderia deixar de ser é nosso, exemplo também neste quesito:

• Hebreus 12:1 – 2 - Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão
grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado
que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está
proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual,
em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso
da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.

6. O que sabemos acerca da vida futura deve nos bastar. Deve também nos incentivar a viver
vidas de verdadeira santidade. Queremos estar preparados para comparecermos na presença
gloriosa de Deus.

46
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 011 – A SUPREMA GRANDEZA DO SEU PODER

EFÉSIOS 1:18 - 21

Introdução.
• Paulo continua sua oração pelos crentes em Éfeso. Nas duas mensagens
anteriores vimos que ele pede que Deus lhes conceda o dom ou capacidade
espiritual de compreender duas verdades:

¾ A primeira tem a ver coma “esperança do Seu chamamento” e diz respeito


ao início da nossa caminhada com Deus, quando Deus nos chama ou nos
convoca para pertencermos ao Seu povo.

¾ A segunda tem a ver com a “a riqueza da glória da Sua herança” e diz


respeito ao fim da nossa caminhada neste mundo e ao momento quando
seremos admitidos na glória eterna para estarmos com Deus e o Seu Cristo
por toda a eternidade.

¾ Mas Paulo continua sua oração, e tome superlativos, enquanto ele pede
que os Efésios possam saber qual é:

A SUPREMA GRANDEZA DO SEU PODER PARA COM OS QUE CREMOS

I. A Grandeza do Poder de Deus.


• Se o chamado de Deus tem a ver com o início da nossa carreira cristã e a herança
tem a ver com o final da nossa carreira, então toda a distância que temos que
percorrer entre um ponto e o outro devem ser preenchidos pelo “poder de Deus”.

• Para Paulo somente o poder de Deus é capaz de satisfazer as expectativas geradas


pelo chamado que recebemos e somente o poder de Deus pode garantir que
chegaremos seguros à nossa herança.

• Como podemos saber do que trata a expressão “a suprema grandeza do seu


poder”? A resposta se encontra na demonstração pública concedida por Deus
fazendo duas coisas.

A. Em primeiro lugar Deus Ressuscitou a Jesus dentre os Mortos.

• As pessoas costumam dizer que existem somente duas coisas 100% garantidas
nesta vida. A primeira são os impostos e a segunda é a morte.

• A morte é um inimigo duro, persistente e atroz. Mas, se estamos todos destinados


a morrer um dia, pelo menos temos uma consolação no fato de que só
precisamos passar por este tipo de experiência somente uma vez. A bíblia é
inequívoca quando diz:

47
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ E, assim aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois
disto, o juízo – ver Hebreus 9:27.

¾ Felizmente não temos que seguir através de reencarnação atrás de


reencarnação! A Bíblia diz: uma só vez!

• Os seres humanos buscam a imortalidade nesta vida.

¾ Desde a Antigüidade temos ouvido de pessoas que eram embalsamadas


para terem seus corpos preservados para poderem viver do “outro lado”.

¾ Hoje em dia ouvimos falar de pessoas que estão congeladas aguardando


que sejam descobertas curas para as doenças que ceifaram suas vidas.

¾ Também estamos ouvindo falar da possibilidade da existência de clones


humanos, que não possuem cérebros, e são mantidos vivos para suprirem
a substituição de algum órgão do doador original.

• Mas todas estas coisas não passam de tentativas fúteis.

• Aquilo que para o homem é apenas um montão de tentativas inúteis, Deus realiza
através da Ressurreição do Senhor Jesus dentre os mortos.

• Veja bem, Jesus não experimentou uma mera ressuscitação dos mortos. O que
Deus fez em Cristo foi uma verdadeira Ressurreição dentre os mortos. Isto quer
dizer que ao trazer Jesus de volta à vida, Deus o fez trazendo de volta para um
tipo de vida completamente diferente deste a que estamos acostumados. A vida do
Senhor Ressuscitado é caracterizada por ser uma vida:

¾ Imortal.

¾ Gloriosa.

¾ Absolutamente Livre de quaisquer possibilidades de morrer novamente!

• Nesta capacidade, Jesus é o primogênito dos Ressuscitados – ver Romanos 8:29:


“Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem
conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre
muitos irmãos”.

B. Em Segundo Lugar Deus Entronizou Jesus à Sua Direita.


• Isto quer dizer que Jesus está assentado no lugar de maior honra, ao lado do Pai,
e detém a autoridade executiva do próprio Pai.

¾ Ao fazer isto Deus cumpriu a promessa messiânica que encontramos em


Salmos 110:1!

¾ Por este motivo a autoridade de Jesus se estende “acima de todo


principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa
referir, não só no presente século, mas também no vindouro – Efésios 1:21.
48
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
Nós iremos tratar destes “poderes” mais adiante, já que os mesmos são mencionados
novamente na Epístola aos Efésios

II. Qual é a Importância do Supremo Poder de Deus em Nossas Vidas!


• Em primeiro lugar ele é a garantia de que o nosso chamado será consumado.

• Em segundo lugar ele é a garantia de que receberemos nossa herança.

• Ademais, devemos viver dia a dia, nesta dependência do poder de Deus como
somos exortados em várias passagens, entre as quais podemos citar:

¾ Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se,


pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis. Pois
todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus -
Romanos 8:13 - 14.

¾ Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da


carne - Gálatas 5:16 .

¾ Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito – Gálatas 5:25.

¾ Ver também Efésios 4:17 – 32 onde encontramos padrões de


comportamento que só podemos praticar se o poder de Deus estiver
presente em nossas vidas!

• A vida do crente depende da vida do próprio Senhor Jesus. Nós estamos unidos a
Jesus. Se nos separarmos de Jesus nós não podemos experimentar a vida espiritual
aqui no mundo nem ter esperança de uma vida que dure por toda a eternidade. É
porque Jesus está vivo que Ele pode interceder por nós hoje mesmo de tal maneira
que nos podemos viver vidas cheias da graça de Deus e em paz – ver Hebreus
7:25 - e termos a esperança da vida eterna – ver Colossenses 3:4. Vamos nos
lembrar que a vida eterna começa aqui e se estende pela eternidade – ver João
17:3. E mais, sem Jesus nós não podemos fazer absolutamente nada – ver João
15:5. Dependemos completamente de Jesus!

• O fato de que Jesus vive é a garantia de que todos os que crêem nEle serão
salvos. Os anjos se referiram a Jesus como aquele que vive – ver Lucas 24:5 - e o
próprio Senhor se manifestou a João em Patmos como “aquele que vive; estive
morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos - Apocalipse 1:17 – 18.
Porque Jesus está vivo ele tem todo o poder para nos conceder tanto a vitória
sobre todos os nossos inimigos espirituais – ver Colossenses 2:15 - como sobre as
tentações – ver 1 Coríntios 10:13. Em Colossenses Paulo nos diz que nossa
esperança está preservada nos céus – ver Colossenses 1:4 - e por este motivo a
mesma não está sujeita a “chuvas e trovoadas”. Por causa disto ele nos exorta a
não nos afastarmos da esperança do evangelho – ver Colossenses 1:23.

49
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
Conclusão:
1. Jesus está vivo dentre os mortos. Ele mesmo disse a João as seguintes palavras: “Quando o
vi, caí a seus pés como morto. Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas;
eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos
séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno – Apocalipse 1:17 - 18.

2. Este mesmo Jesus nos promete o seguinte: “Porque eu vivo, vós também vivereis – João
14:19.

3. Como uma comunidade cristã nós temos a responsabilidade de manifestar o poder de Deus
em nossas vidas, vivendo vidas que sejam coerentes tanto com o chamado que recebemos,
quanto com a herança que nós aguarda.

4. É uma grande tolice e verdadeiro engano pensar que:

• Temos o chamado de Deus quando não estamos vivendo à altura deste chamado.

• Estamos rumando para receber nossa herança da parte de Deus, quando nossas
vidas no tempo presente não manifestam a presença do poder de Deus em nós.

• Somos advertidos claramente na Bíblia a:

• 1 Ts 5:19 - Não apagueis o Espírito.

• Efésios 4:30 - E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o
dia da redenção.

Que Deus possa nos abrir os olhos para enxergarmos e para nos apoderarmos da suprema
grandeza do Seu poder! Amém.

50
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 012 – A IGREJA E CRISTO COMO PLENITUDE

EFÉSIOS 1:22 - 23

Introdução.
• Paulo tendo estabelecido duas verdades concernentes a Jesus Cristo, verdades
estas que são:

¾ A primeira tem a ver com o fato de que Jesus foi ressuscitado dentre
os mortos para um tipo de vida onde a morte não tem mais
poder sobre Ele. Como conseqüência todos aqueles que crêem em Jesus
deve viver “em novidade de vida” porque estamos destinados a
compartilhar do mesmo tipo de vida que Jesus possui – ver Romanos 6:4.

¾ A segunda tem a ver com o fato de que Jesus assentou-se na posição


mais elevada possível – à destra de Deus – de onde reina desde
então e assim reinará por toda a eternidade.
¾ Estas duas verdades trazem profundas implicações para a vida da Igreja,
tanto para o indivíduo quanto para a coletividade.

• Estes dois versículos – Efésios 1:22 – 23 - constituem uma das passagens mais
difíceis do Novo Testamento. Mas como os autores escreviam inspirados pelo
Espírito Santo, pareceu bem ao Espírito inspirar Paulo para que escrevesse acerca
desta verdade: A Igreja Como Plenitude de Cristo – como continente - e Cristo
como a plenitude da Igreja – como conteúdo.

• É com grande pesar que constatamos que esta verdade está sendo ignorada por
anos, décadas até. Raramente ouve-se um sermão ou estudo tratando desta
questão. Sempre que ignoramos porções das Escrituras porque as mesmas
constituem algo difícil de interpretar, o povo de Deus é privado de verdades
fundamentais. Uma vez privado destas verdades o povo sofre as conseqüências
resultantes da ignorância.

• Esta passagem pode ser difícil de interpretar, mas como está na Bíblia, temos que
fazer o melhor para entender o quê exatamente estas palavras significam e que
relação elas mantêm com nossas vidas hoje.

• Vamos então encarar está dramática realidade que trata da:

A IGREJA E CRISTO COMO PLENITUDE

I. Definindo a Palavra “Plenitude”.


• O Dicionário Aurélio Século XXI define a palavra plenitude como:
51
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ Plenitude = Qualidade ou estado de pleno. E define a palavra “pleno”
como:

¾ Pleno =

™ 1. Cheio, repleto.

™ 2. Completo, inteiro, absoluto; cabal.

™ 3. Perfeito, acabado.

• Já o dicionário grego define a expressão – plíroma – como:

¾ 1. Aquilo que é ou tem sido preenchido.

™ a. um navio, na medida em que está cheio, i.e. tripulado, com


marinheiros, remadores, e soldados.

™ b. No NT, o corpo dos crentes, que está cheio da presença, poder,


ação, riquezas de Deus e de Cristo.

¾ 2. Aquilo que enche ou com o qual algo é preenchido.

™ a. Aquelas coisas com as quais um navio está cheio, bens e


mercadorias, marinheiros, remadores, soldados.

™ b. Consumação ou plenitude do tempo.

¾ 3. Plenitude ou abundância.

¾ 4. Cumprimento ou realização.

• Os dicionários nos ajudam a entender que quando o assunto é plenitude dois


aspectos precisam ser observados:

¾ O primeiro diz respeito ao “continente” ou àquilo que contém algo.

¾ O segundo diz respeito ao conteúdo ou àquilo que é contido.

• Em ambos os casos, a expressão plenitude, agrega o sentido de algo cheio,


repleto, completo, pleno, realizado, perfeito, acabado.

• Vejamos então quais são as implicações para as nossas vidas quando Paulo
menciona a Igreja e Cristo como plenitude.

II. A Plenitude como Descrição Daquilo que Jesus É.


• A Bíblia é clara: Deus pôs todas as coisas debaixo dos pés de Cristo e fez de Cristo
o cabeça de todas as coisas inclusive da Igreja. Quais são as implicações desta
verdade?

• As Epístolas irmãs de Efésios e de Colossenses são as duas cartas onde Paulo mais
elabora esta questão da plenitude.
52
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
A. Cristo como Cabeça de Todas as Coisas
• Ao lermos a Epístola de Paulo aos Colossenses ficamos com a nítida impressão que os
irmãos estavam se sentindo oprimidos por uma heresia que os levava a um temor perverso
dos poderes espirituais que os cercavam. Contra esta heresia, que tem sido reinventada
Cristo é superior a todo
nos nossos dias, o ensino do apóstolo é bem claro.
principado, autoridade, poder ou domínio espiritual – Efésios 1:21.
Vejamos o que a Bíblia ensina acerca deste fato:

¾ Todos os principados, autoridades, poderes e domínios devem submissão à


Cristo e são de fato submetidos a Ele – ver Efésios 1:21 e Colossenses 1:6;
2:10.

¾ Esta superioridade, que foi conferida a Cristo por Deus quando da


exaltação do Nosso Senhor – ver Efésios 1:20 - tem íntima relação com
aquela referente a “todas as coisas” que era de Cristo quando da criação,
no princípio – ver Colossenses 1:15 em diante.

¾ Agora, para satisfazer o desejo e o prazer Divinos, tal submissão absoluta e


completa foi renovada – ver Efésios 1:9 - 10.

¾ Tudo isto é expresso de forma clara quando se diz “porque aprouve a Deus
que nele, i.e. em Cristo, residisse toda a plenitude” – ver Colossenses 1:19.

¾ Outro verso que exprime de maneira bastante clara esta verdade é


Colossenses 2:9 que diz: “porquanto, nele - em Cristo - habita,
corporalmente, toda a plenitude da Divindade”.

¾ Como conseqüência disto tudo, Cristo é o cabeça de “todas as


coisas” – ver Efésios 1:22 - ou “o cabeça de todo principado e
potestade” – ver Colossenses 2:10 - e em virtude da glória que
lhe foi dada por Deus, Cristo “subiu acima de todos os céus,
para encher todas as coisas” – ver Efésios 4:10.

• No Antigo Testamento, o Deus Eterno, afirma que ele enche os céus e a terra – ver
Jeremias 23:24. Diante deste fato a divindade de Cristo é inescapável. Mas um
dia o próprio Senhor Jesus Cristo se sujeitará novamente ao Pai para que “Deus
seja tudo em todos” - ver 1 Coríntios 15:28. Enquanto isto a Igreja é exortada
a permanecer firme em Cristo e não se deixar abalar pelas “filosofias e
vãs sutilezas das tradições dos homens e dos rudimentos do mundo” -
Colossenses 2:8 em diante. Tudo isto é para nos dizer que não existe
vida ou poder independente ou acima de Deus. Nós temos que entender
que a Igreja está em uma posição de “poder compreender, com todos os santos,
qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o
amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de
toda a plenitude de Deus” - ver Efésios 3:18 - 19.
53
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
B. Cristo Como Cabeça da Igreja.
• Este mesma glória de Cristo como “o cabeça de todas as coisas”, determina sua
posição como “cabeça da Igreja”. A linguagem da “plenitude” retorna quando o
assunto é o relacionamento de Cristo com a Igreja. A igreja é o – plíroma –
de Cristo - Efésios 1:23 i.e. a área ou domínio completamente
preenchidos por Cristo. A mesma linguagem ocorre em Colossenses 2:10
onde após afirmar que em “Cristo, habita, corporalmente toda a plenitude da
Divindade” o apóstolo Paulo continua e afirma “em Cristo nós (a Igreja) estamos
aperfeiçoados”. A mesma idéia é repetida em Efésios 3:19 e 4:7 - 17. Nesta
última passagem nós somos lembrados que o cabeça de todas as coisas,
como cabeça da Igreja, tem proporcionado a esta mesma Igreja tudo
o que é necessário para o crescimento dela até que cada indivíduo, na
totalidade do corpo, atinja a estatura de varão perfeito.
• Assim temos que, se por um lado Cristo enche todas as coisas, com sua presença
gloriosa - ver Efésios 1:23 e 4:10 - por outro lado a igreja é chamada de seu
– plíroma –, ou seja, aquele local especial cheio e destinado a ficar
cada vez mais cheio com Sua gloriosa presença.
• Todavia, parece haver uma distinção na forma como Cristo enche todas as coisas
e como ele enche a Igreja:

¾ No primeiro caso fala-se do Seu poder e do fato de que todas as coisas


estão contidas ou submetidas n’Ele.

¾ No caso da Igreja, o enchimento ou plenitude ocupa o lugar da


nossa responsabilidade de irmos nos apropriando de cada um e
de todos os dons com que Cristo encheu a Igreja. Nós podemos
ver isto claramente em Efésios 4:7 a 16 onde a afirmação acerca
da posição de autoridade de Cristo sobre todas as coisas é
imediatamente seguida pela afirmação do desejo deste mesmo
Cristo, de suprir sua Igreja com tudo que ela precisa para atingir
a maturidade.
• O propósito destas afirmações é duplo:

¾ Por um lado, visa impedir a Igreja de cair na tentação de que pode existir
algo maior que Cristo e ela não possua no seu Senhor tudo o que é
necessário para seu, i.e. da Igreja, aperfeiçoamento.

¾ Por outro lado, visa incentivar a Igreja a buscar a mesma plenitude


que existe naquele que é sua cabeça, a saber, Cristo. Esta plenitude
que existe em Cristo, e que a Igreja deve se empenhar em fazer sua própria

54
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
experiência, deve conduzir a Igreja á maturidade, ajudá-la a
encontrar em Cristo tudo o que é necessário para seu
crescimento, de tal forma que, em sua fé e conhecimento de
Cristo, a Igreja, nunca venha ser “agitada de um lado para o
outro e levada ao redor por todo vento de doutrina, pela
artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro”
ver Efésios 4:14, mas que a Igreja possa estar “arraigada e
alicerçada em amor e na verdade” – ver Efésios 3:17.

• À medida que a Igreja se apropria mais e mais da plenitude que está


em Cristo, fica mais evidente o plano de Deus

¾ 1. De “mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da


sua graça” conforme Efésios 2:7.

¾ 2. E por esta mesma apropriação “pela Igreja, a multiforme


sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e
potestades nos lugares celestiais” – ver Efésios 3:10.
• Na sua própria existência e nas suas relações com o mundo a Igreja precisa
mostrar-se a si mesma como a Igreja daquele que é o cabeça de todas as coisas.
A Igreja precisa amadurecer, de forma constante, permanente, incessantemente.

III. As Implicações da Plenitude de Cristo Para Nossas Vidas Hoje.


• Mesmo que Cristo já tenha derrotado o inimigo, pois em Colossenses 2:15 nós
lemos: “e despojando os principados e potestades, publicamente o expôs ao
desprezo, triunfando dele na Cruz”; isto não quer dizer que estes principados e
potestades sejam inofensivos.

• Nós somos advertidos, de forma contínua, que a nossa “luta não é contra o
sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os
dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas
regiões celestes” – ver Efésios 6:12.

• Mas não estamos abandonados. Parte daqueles dons que o Senhor está desejoso
de fornecer à Sua Igreja na sua plenitude, incluem uma completa armadura tão
rica e poderosa que, revestidos com ela, podemos “resistir no dia mau e, depois
de termos vencido tudo, permanecer inabaláveis” – ver Efésios 6:10 – 11 e 13 -
20.

Conclusão:
1. Diante de tudo o que vimos até agora, temos que a igreja não poder ser considerada um
plano alternativo ou de contingência, da parte de Deus, e nem pode estar, como de fato não

55
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
está, submetida a nenhum tipo de manipulação por aqueles que de forma equivocada acham
que são “os donos da igreja”.

2. Papa nenhum, bem como nenhum presidente ou secretário executivo de supremo concílio
nenhum, pastor, apóstolo, profeta, bispo ou o que for possuem qualquer prerrogativas sobre a
Igreja do Senhor.

3. Como acabamos de mencionar, a Igreja é do Senhor. É o corpo de Senhor. O Senhor é o


único cabeça da Igreja. Tudo o que é pertinente ao Senhor é pertinente à Igreja. É impossível
privilegiar a um sem privilegiar o outro. Por semelhante modo é impossível querer prejudicar a
um sem prejudicar o outro - ver Atos 9:1 - 6.

4. Vejam em que situação delicada se colocam estes homens, com seus pomposos títulos,
quando se arrogam no direito de saberem o que é o melhor para a igreja. Quando tomam
decisões que são frontalmente contrárias à vontade revelada do Senhor contida na Bíblia.
Quando se empenham em prejudicar crentes individuais por não concordarem com seus -
deles – excessos ou abusos. Quando ensinam o erro e pretendem que estão falando em nome
do Deus verdadeiro.

5. É realmente uma situação muito precária e eles terão, como de fato darão contas a Deus de
cada um dos seus atos perversos.

6. E tudo isto, para que fique o mais evidente possível, para todo o Universo criado que é “pela
igreja, que a multiforme sabedoria de Deus se torna conhecida, agora, dos principados e
potestades nos lugares celestiais” - conforme Efésios 3:10.

56
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
SERMÃO 013 – A CONDIÇÃO HUMANA SEM DEUS

EFÉSIOS 2:1 - 3

Introdução.
• Na última divisão que estudamos – Efésios 1:15 – 23 – nós vimos o apóstolo
Paulo orando e pedindo para que seus leitores tivessem seus olhos iluminados
pelo Espírito Santo para que pudessem perceber:

¾ As implicações da esperança do chamamento de Deus que representa o


início da nossa vida cristã.

¾ A riqueza da glória da nossa herança que nos aguarda na presença de


Deus e que representa o fim da nossa carreira cristã.

¾ A suprema grandeza do poder de Deus que está disponível para todos nós
hoje.

• E Paulo nos disse que o poder de Deus:

¾ Ressuscitou Jesus dentre os mortos para um tipo de vida em que Ele não
pode mais morrer e nisso Jesus se torna nosso precursor ou irmão
primogênito.

¾ Fez Jesus se assentar à destra de Deus acima de todas as coisas.

• Jesus possui um nome que está acima de todo nome.

• Deus deu Cristo à Igreja e deu a Igreja ã Cristo para que o Senhor Jesus possa
preenche-la com seus maravilhosos dons e para que a igreja seja aquele local,
todo especial, onde a plenitude de Jesus sobre todas as coisas possa ser melhor
apreciada.

• No texto de hoje, Paulo inicia dizendo: “Ele vos deu vida”. Mas na seqüência
Paulo vai descrever, o que é nosso assunto, e que é:

A CONDIÇÃO HUMANA SEM DEUS

I. A Verdadeira Condição Humana ou Aquilo que Somos por Natureza.


• Já fizemos referência, muitas vezes, ao fato de que a Bíblia fala muito francamente
acerca da condição humana sem Deus. Nestes versículos não é diferente. O que
temos aqui é uma descrição devastadora e que diz respeito a todos os seres
humanos sem exceção.

57
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• O que temos diante de nós é uma descrição dos seres humanos caídos e das
sociedades humanas caídas em todos os lugares. Esta é a condição universal dos
seres humanos sem Deus

• Para indicar este estado de absoluta depravação Paulo alista três verdades:

1. Nós Estávamos Mortos.


• A morte a que Paulo se refere não é uma metáfora. É sim a descrição exata do
estado em que se encontram todas as pessoas que não estão “em Cristo”.

• Mas como podemos dizer que estão mortos os atletas tão cheios de vigor, ou o
professor universitário tão inteligente ou mesmo o artista que possui uma
personalidade tão deslumbrante?

• Isto acontece porque a morte a que Paulo está se referindo não mantém relação
nem com o vigor físico, nem com a inteligência nem com a personalidade de
pessoas. Ela tem a ver com a condição espiritual das pessoas diante de Deus.
Nesta condição, os seres humanos:

¾ Andam na vaidade dos seus próprios pensamentos.

¾ Têm obscurecido o entendimento.

¾ São alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem pela
dureza dos seus corações.

¾ Tornaram-se insensíveis.

¾ Entregaram-se à dissolução para com avidez cometerem toda sorte de


impurezas – ver Efésios 4:17 – 18.

• Nesta condição, apesar de estarem vivos estão realmente mortos – ver 1 Timóteo
5:6.

• Este estado de verdadeira morte é atribuído a duas coisas: delitos e pecados.

• Estas duas palavras foram cuidadosamente escolhidas pelo apóstolo Paulo porque
nos fornecem uma descrição abrangente do mal que percebemos nas nossas
sociedades.

• Vamos analisar estas duas palavras de maneira mais aprofundada:

¾ Em primeiro lugar Paulo usa a expressão - paraptóma – traduzida por


delito e que quer dizer, literalmente, “um passo em falso”. Como tal esta
expressão descreve:

™ O ultrapassar um limite estabelecido como uma linha imaginária.

™ Desviar-se do caminho certo.

58
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
¾ Em segundo lugar Paulo usa a expressão - amartía – traduzida por
pecado e que, literalmente, quer dizer:

™ Errar o alvo.

™ Não alcançar determinado padrão estabelecido.

• Estas duas palavras juntas cobrem todos os tipos de transgressões que podemos
imaginar. Elas fazem referência tanto aos nossos pecados ativos quanto passivos;
aos nossos pecados de comissão e de omissão.

• Diante de Deus nós somos tanto pessoas fracassadas quanto rebeldes. O


resultado direto desta condição é que nós estamos mortos ou “alheios à vida de
Deus” – ver Efésios 4:18.

• Quando nós, que somos reformados, falamos acerca da “depravação total”


dos seres humanos não estamos nos referindo a orgias e bebedeiras sem fim ou
práticas pecaminosas perversas de quaisquer natureza. Estamos nos referido ao
pecado, seja ele de comissão ou de omissão. E isto porque não existe nada
pior que um ser humano possa fazer contra Deus, o próximo, a
natureza e contra si mesmo do que pecar!

2. Nós Éramos Escravos.


• Neste texto Paulo nos diz que apesar de uma aparente liberdade, os seres
humanos são realmente escravos do mundo, do diabo e da carne.

¾ Do mundo – Paulo usa a expressão “curso deste mundo”. Esta expressão


descreve um rio caudaloso que vai arrastando as pessoas, apesar de as
pessoas terem bastante “liberdade”, elas estão sendo arrastadas. No
sentido ético o termo descreve a humanidade alienada da vida
de Deus, pecaminosa, sob o severo juízo de Deus e precisando
de salvação.

¾ Do diabo – Aqui chamado de príncipe da potestade do ar e do espírito que


agora atua nos filhos da desobediência. A Bíblia diz que o diabo é o “pai
da mentira” – ver João 8:44. Seu controle se manifesta sobre os centros
políticos e financeiros e sobre os centros culturais. Praticamente tudo que
produzido, culturalmente falando, todas as decisões políticas e financeiras
deste mundo estão envoltas, às vezes, em grossas mentiras e outras vezes
em mentiras sutis, mas é tudo mentira.

¾ Da carne – Paulo diz: segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a


vontade da carne e dos pensamentos. Nossa condição de seres humanos
caídos e possuidores de uma natureza pecaminosa representa realmente
uma enorme escravidão.

59
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
• Somos chamados de “filhos da desobediência” porque nos rebelamos contra
Deus. Nossa rebeldia contra Deus é consciente e voluntária. Porque nos rebelamos
contra Deus somos presas fáceis do diabo e suas hostes.

• A conseqüência disto tudo e...

3. Nós Estávamos Condenados.


• Não estávamos somente mortos e escravizados, mas estávamos também sob a
terrível condenação de Deus. Literalmente Paulo diz que éramos “filhos da ira”.

• A ira acerca da qual Paulo se refere é a santa ira de Deus que se manifesta contra
toda impiedade e perversão – ver Romanos 1:18 – 32.

• Sim, existe um Deus pessoal que manifesta tanto Sua ira quanto sua graça. Certos
ramos do ateísmo bem como as religiões orientais, principalmente aqueles
originárias da Índia, negam a existência de um Deus pessoal. Preferem pensar na
existência de uma força impessoal e desinteressada no que se passa entre os seres
humanos. Para os adeptos do hinduísmo e do budismo os seres humanos estão
presos em um ciclo cármico - A expressão carma tem sua origem na expressão
“karman” do idioma sânscrito e nas filosofias da Índia, e representa o conjunto
das ações dos homens e suas conseqüências. Liga-se o carma às diversas teorias
de transmigração das almas, e por meio dele se definem as noções de destino, do
desejo como força geradora do destino, e do encadeamento necessário, por força
desses dois fatores, entre os diversos momentos da vida dos homens.

• Mas o Deus da Bíblia é um Deus pessoal e que está muito interessado com a sorte
das suas criaturas. É um Deus que se sente pessoalmente ofendido pelos pecados
cometidos pelos seres humanos, porque ele é um Deus santo!

¾ Nossos pecados são terríveis porque ofendem o Deus Eterno. Como tal
ofendem a Deus também eternamente. Sua Santa ira é plenamente
justificada.

¾ Deus derramou Sua ira sobre o Senhor Jesus na cruz do Calvário. Quando
o ser humano recusa aceitar o que Deus fez através de Jesus a nosso favor
nada mais resta ao pecador, senão encarar de frente a “ira de Deus” – ver
João 3:16 e 36.

Conclusão:
1. Já no Antigo Testamento o Senhor havia nos revelado através do profeta Isaías o fato de
que: Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos
pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça – Isaías 59: 2. E mais: “Mas
todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos
nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como um vento, nos arrebatam - Isaías
64:6.

60
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis
2. Esta é a tragédia mais básica ou fundamental do ser humano: Pessoas que foram criadas
por Deus e para Deus, vivem agora suas vidas sem Deus.

3. O apóstolo João deixa bem clara a opção feita pela humanidade: O julgamento é este: que
a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras
eram más – João 3:19.

4. Fora de Cristo o ser humano está morto em seus delitos e pecados, escravizado pelo
mundo, pelo diabo e pela sua própria natureza caída e completamente condenado sob a ira
de Deus.

5. Deus em sua misericórdia nos tem confiado a mensagem das boas novas que oferece,
gratuitamente: vida para aqueles que estão mortos, libertação para aqueles que estão
escravizados e perdão para aqueles que estão condenados no corredor da morte.

61
Sermões na Epístola aos Efésios – Comunidade Presbiteriana Boas Novas – São João da Boa Vista – Alexandros Meimaridis