Você está na página 1de 127

Inovação para a

Competitividade
PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DE
GESTORES NA INDÚSTRIA

Lucas Arruda
(lucasarruda@lunica.com.br)
Marcelo Nakagawa
(mnakagawa@usp.br)
Marcos Avó
(marcos@lunica.com.br)
Ricardo Altmann
(ricardo@lunica.com.br)

Novembro/2013

Capacitação PAI
Marcos Avó

VIDA ATUAÇÃO DOCÊNCIA


ACADÊMICA PROFISSIONAL

Adm. Empresas, 1999


Grupo de Pesquisa “Decide”

Decisão
Inovação e Empreendedorismo
Plano de Negócio
Avaliação econômico-
Mestrado, Administração de Empresas, financeira de projetos
2006-2008 Cenários e Prospecção
Tecnológica
Estratégia Empresarial
Estratégia em Tempos Turbulentos

Capacitação PAI
CAPACITAÇÃO PAIs
EMENTA

1 Inovação: o Que É (e o que não é!) e o Que Eu Ganho Com Isso?

2 O Que Sua Empresa Faz e Já Fez em Termos de Inovação?

3 Inovação na PME: Por Onde Começar?

4 Que Diretrizes sua Empresa Pode Assumir para a Inovação?

5 Práticas para a Inovação

6 Qual é o Plano de Inovação em sua Empresa?

7 Transformações que a Inovação Traz!

8 3 Ideias para Sua Empresa!

9 Ideias de Fechamento

Capacitação PAI
INOVAÇÃO
O que é (e o que não é!)?
O que eu ganho com isso?

Capacitação PAI
Em sua opinião, quais foram as inovações
mais relevantes para a humanidade nos
últimos 30-40 anos?

Capacitação PAI
Quais as 30 inovações que mudaram mais dramaticamente
o mundo nos últimos 30 anos? (respostas em 2009)
A partir de um processo de consulta a público amplo, com julgamento final de especialistas.
1. Internet, banda larga, WWW (navegador e html) 16. Compressão de arquivos de mídia (jpeg, mpeg,
2. Computadores pessoais e notebooks mp3)
3. Telefones celulares 17. Microfinanças
4. E-mail 18. Energia solar fotovoltaica
5. Teste de DNA testing e mapeamento/sequenciamento do
genoma humano 19. Turbinas de vento de larga escala
6. Imagens por ressonância magnética 20. Redes sociais por Internet
7. Microprocessadores 21. Graphic user interface (GUI)
8. Fibra ótica 22. Fotografias e vídeos digitais
9. Softwares de escritório (planilhas, processadores de 23. RFID e suas aplicações
texto
10. Cirurgias robóticas / com laser não invasivas
24. Organismos geneticamente modificados
(laparoscopia) 25. Biocombustíveis
Na lembrança das
11. Software e serviços de fonte aberta (ex.: Linux, 26. Códigos de barras e scanners pessoas, inovação
Wikipedia) está fortemente
12. LEDs (Light emitting diodes)
27. Caixas automáticos
ligada a tecnologia e
13. Monitores de cristal líquido (LCD) 28. Stents produto!

14. Sistemas de GPS 29. SRAM (memória)


15. Compras e leilões online (ex.: eBay) 30. Tratamento anti-retroviral para AIDS

Fonte: Knowledge at Wharton, fev/2009

Capacitação PAI
Pensando bem...
o que é inovação?

Capacitação PAI
“Thomas Alva Edison percebeu melhor
do que a maioria que o real desafio da
inovação não estava na invenção – no
surgimento de novas idéias – mas sim
em fazê-las funcionar técnica e
comercialmente.”

(Tidd, Bessant, Pavitt, 2001)

• Lâmpada elétrica: boa idéia!


• Mas não funcionaria sem infra-estrutura de geração
e distribuição de energia elétrica...
• Dedicação da equipe de Edison: viabilizar essa
infra-estrutura
• 1882: infra capaz de acender 800 lâmpadas
• Anos seguintes: mais 300 usinas
• 1920: negócio de aproximadamente US$ 21,6
bilhões

Invenção não leva,


necessariamente, a inovação!
Capacitação PAI
O que é inovação?

Depende...

Segundo o Manual de Oslo (3ª edição, 2005)...

• Uma inovação é a implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou


significativamente melhorado, ou um processo, ou um novo método de marketing,
ou um novo método organizacional nas práticas de negócios, na organização do local
de trabalho ou nas relações externas

• O requisito mínimo para se definir uma inovação...é que...sejam novos (ou


significativamente melhorados) para a empresa.

• Um aspecto geral de uma inovação é que ela deve ter sido implementada.
Referência: OECD, Manual de Oslo. 3a. Edição, 2005. Disponível em
http://www.finep.gov.br/dcom/brasil_inovador/arquivos/manual_de_oslo/prefacio.html

Capacitação PAI
Inovação tem que criar VALOR!

Inovação • “Novas ideias” referem-se a novidade ou originalidade, sejam


ideias extrapoladas de outras circunstâncias, setores ou
são “novas contextos.

ideias que • “Adicionar valor” refere-se à necessidade de a inovação


beneficiar pessoas, sejam clientes, sócios/acionistas,
adicionam funcionários ou a sociedade como um todo.

valor”. • Inovação que não adiciona valor geralmente é fútil.

Deve-se ter cuidado para que a inovação


não seja apenas um mudança que gere
Em termos práticos, para a
impactos muito pequenos. Ter a referência PME, inovação tem que gerar
de adicionar valor é estar atento a isso! receita e/ou reduzir custo!

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Uma tipologia clássica da inovação:

(Transformacional)
Impactos irradiados para Internet
toda a sociedade
Percepção da alteração

E&P Águas Aluguel de


(Ultra)Profundas equipamentos
Radical Carro elétrico fotocopiadores
Métodos de
(Xerox)
produção limpa
Leilão na
Internet

Otimização de set-up
de máquinas
Atualização Otimização de
Incremental anual do design Melhorias de processos de
de um carro processos produtivos gestão

Produto / Processo / Modelo de


Serviço operação Negócio
O que é alterado

Fontes: TIDD, Joseph, BESSANT, John, PAVITT, Keith. Managing innovation: integrating technological, market and organizational change, 2001
Manual de Oslo, 2005

Capacitação PAI
Na prática, empresas trabalham
em torno de 3 tipos principais de inovação:
Inovação são Inovação em torno de produtos,
Inovação em serviços, mercados, segmentos ou
“novas ideias que PRODUTO, outras atividades de go-to-market.
adicionam valor”. SERVIÇO E/OU
MERCADO

Inovação que melhora a


efetividade e eficiência dos
“Inovação acontece no Inovação processos e funções essenciais
cruzamento da invenção OPERACIONAL da empresa.
com o insight. Trata-se
da aplicação de
invenções para Inovação em aspectos
solucionar problemas.” estratégicos, estruturais e/ou na
Sam J. Palmisano, CEO IBM Inovação em
MODELO DE lógica financeira do negócio.
NEGÓCIO

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Alguns exemplos (já consagrados) de inovação em
diferentes setores:
Aplicação VOIP par- iPhone CEP Bank
Inovação em a-par gratuita
PRODUTO,
SERVIÇO E/OU Produto/serviço VOIP que Interface com usuário é multi- Serviço de banco turco que permite a
MERCADO oferece serviços telefônicos pela touch screen, incluindo um transferência online, por meio de celular,
internet baratos e customizáveis teclado virtual. de dinheiro para pessoa não bancarizada.

Cross-docking Sistema de Produção Toyota Serviços Compartilhados

Inovação Mercadorias transportadas para CDs


OPERACIONAL de fornecedores são imediatamente
transferidos para caminhões com Sistema de produção é Movimento para compartilhamento de
destino para as lojas, sem serem composto por dois pilares: Just- serviços fim-a-fim de processos que
colocados em estoque. in-time e Jidoka. cruzam área funcionais horizontalmente

Venda direta Modelo de receita Empréstimos pessoa-a-pessoa


Inovação em
MODELO DE
Dell redefiniu a cadeia de valor do
NEGÓCIO PC, utilizando um modelo de vendas Gillette inovou no modelo de preço, Empréstimos financeiros entre pessoas,
diretas ao cliente. Personalização do diminuindo o valor dos aparelhos e sem a intermediação de bancos.
PC pode ser feita na web. ganhando dinheiro nas lâminas.
Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Mudanças de layout e gestão da produção...
BRASCOM METALÚRGICA

• Contexto: produção de escapamentos já


estabelecida e produção iniciante de bancos.
• Metalúrgica de pequeno porte, especializada em
assentos e escapamentos para equipamentos • Foco da inovação: arranjo físico do chão de
pesados – agrícolas, industriais e empilhadeiras. fábrica e implantação de software de gestão
• Fundada em 2004, num galpão de 150 m2 e para a acompanhar resultados de produção
apenas um funcionário. diariamente.
• Integrou-se no programa de apoio a micro e
pequenas empresas na Incubadora Empresarial • Resultados:
de Fernandópolis, apoiado pelo SEBRAE-SP e
– Volume anteriormente produzido em 1 mês passa
pela ACIF (Associação Comercial de
Fernandópolis). a ser produzido em 3 semanas.
• Estrutura em área de 1500 m² no Parque Industrial – Prazo de entrega caiu de 15 para 3 dias.
de Fernandópolis e trabalha com 80 colaboradores
que prestam serviços diretos e indiretos a
empresa.

“Com pouco dinheiro, você tem que


fazer dar certo com criatividade,
parcerias e muita inovação.”
Wilson Pereira da Silva, fundador

Capacitação PAI
Novo produto para posicionamento em mercado complexo
ACS AVIATION

• Empresa de prestação de serviços de


engenharia, especializada em materiais
compostos e suas aplicações aeronáuticas.
• ACS-100 Sora: ultraleve recreacional acrobático
• Fabrica também seus próprios produtos, que
são pequenas aeronaves. avançado.
• A empresa visa consolidar-se nos mercados • Principal inovação: aeronave montada em
náutico e automobilístico, no segmento de
materiais compostos.
apenas dois blocos, com material constituído
• Fundada em 2006.
de tecido de fibra de vidro e recheio de
espuma de PVC enrijecido com resinas.
• Instalações localizam-se em São José dos
Campos.
• “Fica mais resistente e mais leve do que o
alumínio”.
• 6 unidades vendidas já no segundo ano de
operação.

Capacitação PAI
De maneira simples, inovação deve gerar
pelo menos 1 dos 4 impactos abaixo:

AUMENTAR RECEITA

MUDAR
POSICIONAMENTO GANHAR KNOW HOW
OU IMAGEM

REDUZIR CUSTOS

Capacitação PAI
A inovação é fonte de sustentação
da vantagem competitiva!

“Qualidade e serviço ao
INOVAÇÃO
consumidor não são mais
diferenciadores, mas pré-
FLEXIBILIDADE requisitos. Inovação é a melhor
decisão estratégica para
RAPIDEZ sustentar vantagem
competitiva.”
QUALIDADE
How companies approach innovation:
McKinsey Global Survey. Nov 2007
CUSTO

Referência: Fleury & Plonski

Capacitação PAI
O Brasil é inovador?

Capacitação PAI
De acordo com o Global Innovation Index, 2012, é possível avaliar o
grau de inovação de um país pelos seguintes indicadores:

Índice Global de
Inovação

Índice de eficiência
em inovação

Output de
Input de inovação
inovação

Realizações em
Capital humano e Sofisticação do Sofisticação de Realizações
Instituições Infraestrutura Conhecimento e
Pesquisa mercado negócios criativas
Tecnologia

Tecnologia de
Conhecimento dos Criação de Criações
Ambiente Político Educação Informação e Crédito
trabalhadores conhecimento intangíveis
Comunicação

Ambiente Infraestrutura Vínculos com Impacto do Criação de bens e


Ensino Superior Investimentos
Regulatório geral inovação conhecimento serviços

Ambiente de Pesquisa e Comércio e Absorção de Difusão do


Sustentabilidade Criatividade online
Negócios Desenvolvimento Concorrência conhecimento conhecimento

Fonte: The Global Innovation Index 2012

Capacitação PAI
Mundialmente, o
Brasil encontra-
se em situação
equilibrada dado
seu
desenvolvimento
econômico e em
meio a dois
grupos de países.

Underperformers

Brasil:
• 58º do ranking
mundial
• 2º do da
América do Sul
e Caribe (atrás
do Chile, 39º)

Fonte: The Global Innovation Index 2012: INSEAD. 2012

Capacitação PAI
Posição relativa dos BRICs,
tendo por referência a média dos top-10...

Capacitação PAI
O que sua empresa faz
ou já fez em termos de inovação?

Capacitação PAI
Para responder a essa pergunta, é importante ter
em mente os diferentes tipos de inovação:

Inovação em torno de produtos,


Inovação em serviços, mercados, segmentos ou
PRODUTO, outras atividades de go-to-market.
SERVIÇO E/OU
MERCADO

Inovação que melhora a


efetividade e eficiência dos
Inovação processos e funções essenciais
OPERACIONAL da empresa.

Inovação em aspectos
Inovação em estratégicos, estruturais e/ou na
MODELO DE lógica financeira do negócio.
NEGÓCIO

Capacitação PAI
Inovômetro

10 Atividades são realizadas na organização para permitir o intercâmbio de conhecimento e


colaboração entre áreas, funcionários, unidades, clientes, fornecedores, parceiros, etc.? 
9 Todos os departamentos da empresa estão sempre em contato com clientes, identificando
oportunidades, analisando tendências de mercado e propondo novos projetos? 
8 A empresa tem plataformas tecnológicas? 
7 A inovação é mensurada e avaliada sistematicamente? 
6 Sua empresa cultiva histórias que estimulam os funcionários a aprender e praticar inovação? 
5 A empresa reconhece resultados inovadores de maneira significativa? 
4 Os objetivos da organização são desafiadores e ambiciosos para perseguir, ao mesmo tempo
em que há uma tolerância ao erro daqueles que assumiram riscos? 
3 As lideranças da organização estão preparadas para estimular o ambiente de inovação? 
2 A visão da empresa está alinhada com a inovação? 
1 Todos na empresa sabem definir inovação?
 Ref: 3M

Capacitação PAI
Indique até 3 casos de inovação que ocorreram
nos últimos 3 anos em sua empresa.

Como cada caso de inovação foi implementado?


Que dificuldades e facilidades foram
encontradas?

Que impactos/benefícios cada caso citado gerou?

Em termos mais gerais, você julga sua empresa


inovadora? Caracterize e justifique.

Capacitação PAI
Inovação na PME:
Por Onde Começar?

Capacitação PAI
“Empresas fortes entendem o poder
da inovação e, durante uma
recessão, investem.”
Eric Schmidt, Chairman e CEO, Google

Capacitação PAI
1ª Ideia: Empresa inovadora.
Do que estamos falando?

Fortalecimento da
Competitividade
Competitividade
Internacional
Competitividade
Nacional

Competitividade

 Fazer Diferença
Regional

Competitividade
Local
 Fazer Melhor
Sobrevivência
 Fazer Bem
Tempo

Capacitação PAI
2ª Ideia: Respeito às diferenças.
PMEs são diferentes, mas têm desafios semelhantes.

Certificação Automação
Mercados
Gestão
Processos
Capital inicial? Recursos Capital ?
Humanos Concorrência

Oportunidade
de negócio

Capacitação PAI
Há outras formas de se pensar
a evolução da PME, desde o seu surgimento...

Nível de
complexidade ORGANIZAÇÃO ORGANIZAÇÃO INTRA-
BUROCRÁTICA EMPREENDEDORA

Inovação e
empreendedorismo
ORGANIZAÇÃO EM são os remédios para
DESENVOLVIMENTO
que as trajetórias
meramente
burocráticas sejam
ORGANIZAÇÃO evitadas.
NASCENTE

Grau de
empreendedorismo

Fonte: Hashimoto, Avó e Iwashita (2007)

Capacitação PAI
PMEs são diferentes e têm
necessidades tecnológicas diferentes.

Alta P&D&E
tecnologia Interno

Intensivas em
P&D&E
conhecimento
Compartilhado / Falta de
Cooperativo
Recursos
Design
Indústrias de
Dependência da tecnologia

transformação

Intensidade tecnológica
Engenharia
Produção Tradicional Reversa Falta de
e Agrícola Cultura
Aperfeiçoamento da
Serviços tradicionais Gestão da Produção
Produção Artesanal/ Aperfeiçoamento do
Manual Processo Produtivo / TIB
Número de empresas Número de empresas

Capacitação PAI
Uma forma de ver as
necessidades tecnológicas das PMEs…

Capacitação PAI
PMEs... demandam serviços de acesso à tecnologia e
apoio à inovação diferentes.

“demanda pressupõe reconhecimento da necessidade”

APP
Aperfeiçoamento do Processo
Produtivo

VENDA SOB
PRESCRIÇÃO
TECNOLÓGICA

Capacitação PAI
3ª Ideia: Simplicidade.
Inovação precisa ser percebida como uma necessidade e como um conceito simples.

Floricultura

Pizzaria

Capacitação PAI
Mesmo as inovações radicais precisam
ser traduzidas em conceitos simples.

Imposto de Renda
Pessoa Física

Capacitação PAI
...e serviços de acesso à tecnologia precisam ser simples
e dentro da realidade da empresa...

Capacitação PAI
Qual o negócio das empresas abaixo?

Capacitação PAI
Definições básicas da estratégia da empresa:
um ponto de partida estruturado!

Estratégia de Negócio
Objetivos e diretrizes gerais do negócio: missão, visão,
proposta de valor, objetivos de curto-médio prazo,
prioridades do negócio, …
Estratégia

Agenda da Inovação
Direção geral da inovação, prioridades para a inovação,
Agenda da estratégia de inovação, nível de investimento, ...
Inovação

Gestão e Governança da inovação


Gestão e Governança da Estruturas, processos, políticas e ferramentas para
Inovação gerir a inovação

Habilitadores da Inovação
Habilitadores da Inovação Elementos que viabilizam a execução de todo o
processo de inovação

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Como pensar e definir a
estratégia de forma simples?

Bernardo Hess, ex-presidente da ALL

Fonte: Nos trilhos da ALL. Todeschini, M. ‘Epoca Neg’ocios, maio/2009

Capacitação PAI
“Simplicidade trata de subtrair
o óbvio e adicionar o que tem
significado.”
John Maeda

Capacitação PAI
Uma forma de colocar isso em prática...

Você consegue colocar a


estratégia de sua
empresa em um
guardanapo?

Capacitação PAI
É importante observar que ser first mover pode representar
vantagens, custos e riscos. Late movers têm vantagens diferentes.

VANTAGENS COMPETITIVAS POSSÍVEIS


 Marca (por ex., Coca Cola com refrigerantes no mundo)
 Canais e serviços (por ex., Carterpillar com rede internacional para manutenção)
Primeiro Entrante

 Padrões tecnológicos (por ex., Matsushita e padrões do VHS)


(first mover)

CUSTOS E RISCOS TÍPICOS:


• Custos: tecnologia, P&D, marketing know how e canais de distribuição
• Riscos: aceitação do produto pelo mercado

VANTAGENS:
Entrantes Tardios

 Possibilidade de realizar benchmarking


(late movers)

 Mais informações para decidir por explorar nichos


 Vantagem para desafiar as regras estabelecidas (aproveitando inflexibilidade das empresas
atuantes)

Fonte: Barlett e Goshal (HBR, 2000)

Capacitação PAI
A agenda (ou abordagem) da inovação na empresa deve
estar conectada com a estratégia da empresa!

Estratégia de Negócio
Objetivos e diretrizes gerais do negócio: missão, visão,
proposta de valor, objetivos de curto-médio prazo,
prioridades do negócio, …
Estratégia

Agenda da Inovação
Direção geral da inovação, prioridades para a inovação,
Agenda da estratégia de inovação, nível de investimento, ...
Inovação

Gestão e Governança da inovação


Gestão e Governança da Estruturas, processos, políticas e ferramentas para
Inovação gerir a inovação

Habilitadores da Inovação
Habilitadores da Inovação Elementos que viabilizam a execução de todo o
processo de inovação

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Elementos da agenda da inovação:

1 Quais os objetivos para a inovação?


Qual é a direção geral para a
inovação, de modo que a conexão
Estratégia
com a estratégia esteja garantida?
 Redução de custo? Ampliação da atuação?
Mais receitas?
Agenda da
Inovação 2 Qual é a filosofia de inovação? O que
se pretende ser: pioneiro, líder,
seguidor?
Gestão e Governança da
Inovação 3 Quais são os focos prioritários para
inovação: produtos, serviços,
processos internos, renovação de
Habilitadores da Inovação marca, operações, canais de
distribuição?

Fonte: ADAPTADO de Embedding Innovation to Drive Growth: IBM


Corporation. Jun/2011
Capacitação PAI
Capacitação PAI
Sob um espírito de provocação, podemos dizer
que há 4 tipos de empresas no mundo…

Grau de
inovação

BONSAIS ADMIRADAS

EMPREENDEDORISMO
INTERFERE NOS DOIS
VETORES!
MEDÍOCRES BENCHMARKS

Crescimento

…e PMEs podem, no limite, se enquadrar em qualquer dos tipos.

Fonte: adaptado de Kirchhoff, B.A., entrepreneurship and Dynamic


Capitalism. Westport, CT: Wuorum Books, 1994
Capacitação PAI
“Inovação é o instrumento específico
do empreendedorismo. É o ato que
confere recursos com uma nova
capacidade de criar riqueza.”
Bill Gates, Co-Fundador e Chairman, Microsoft

Capacitação PAI
O empreendedor é aquele que tem iniciativa e “acabativa”.

Executor
Tangibilidade

Richard
Visionário Empreendedor Luiz Seabra
Branson

Inventor Empreendedor Miguel


Bill Boeing
Krisgner

Sonhador Empreendedor

Captura de valor

Ícaro Santos Dumont

Sérgio
Ferreira

Capacitação PAI
Um pouco de referencial teórico
(Schumpeter, aprox. 1940)

Fator de
desequilíbrio Elemento de
econômico desenvolvimento
“tomador de risco” – econômico
Cantillon
“Destruição criativa” –
“Produtividade” - Say Schumpeter
“Inovador” - Drucker

BLAUG, Mark. Entrepreneurship Before and After Schumpeter In: SWEDBERG, Richard. Entrepreneurship: The Social Science View. Oxford University Press – USA, 2000. p. 76

Capacitação PAI
Empreendedorismo para Schumpeter

Formas
Introdução de um novo bem
De
Introdução de um novo método de produção Inovação

Introdução de um novo mercado

Introdução de um novas formas de fornecimento

Introdução de um novas formas de organização

SCHUMPETER, Joseph. Entrepreneurship as Innovation In: SWEDBERG, Richard. Entrepreneurship: The Social Science View. Oxford University Press – USA, 2000. p. 51

Capacitação PAI
O que é e o que não é empreendedorismo para Peter Drucker

“Mas nem todo pequeno negócio é empreendedor e


representa o empreendedorismo”

“O marido e a mulher que abrem outra mercearia ou


restaurante mexicano no subúrbio dos Estados
Unidos, com certeza, correm um risco. Mas eles são
empreendedores?”

“Tudo o que eles fazem, tem sido feito há muito


tempo. Eles apostam no crescimento da popularidade
de alimentação fora de casa desta área, mas não
criam novas satisfações ou novas demandas”

“McDonald´s, por outro lado, é empreendedorismo.


Não inventou nada... Mas aplicando conceitos
gerenciais e técnicos... ampliou drasticamente o
retorno sobre os recursos e criou um novo mercado e
um novo consumidor.

DRUCKER, Peter. Innovation and Entrepreneurship. Collins; 1st edition, May 26, 1993, 288p. – página 20

Capacitação PAI
O que é empreendedorismo?

Richard Cantillon Tomador de riscos (~1.710)

Jean Baptiste Say Orientado para o aumento da produtividade e lucro (~1.800)

Joseph Schumpeter Inovação, iniciativa (1.949)

Abordagens atuais Necessidade de realização, independência, controle, poder

+
Idéia, visão, Capacidade de
identificação de
oportunidades
realização

“Empreendedor é um visionário que pode identificar as oportunidades e fazer de suas idéias uma realidade
bem-sucedida. Ser um empreendedor não se limita às pessoas que começam os seus próprios negócios. O
espírito empreendedor existe em todos os setores, em todos os níveis de carreira.”

Necessidade de Disposição para


Autoconfiança
realização assumir riscos

Capacitação PAI
“Muitos empreendedores com quem temos conversado,
especialmente, os mais jovens, consideram que descrever os padrões
de desenvolvimento de empresas iniciantes é uma tarefa impossível
ou mesmo uma redução vergonhosa da arte do empreendedorismo a
números e gráficos. (…) Nós não queremos defender que não há arte
em empreendedorismo, mas sim que o empreendedorismo é mais
forte na intersecção da ciência com a arte. Adquirindo um
entendimento mais aprofundado de padrões que se repetem em
torno de sucessos e fracassos, empreendedores podem aperfeiçoar
dramaticamente sua habilidade de inovar.”

“Empreendedorismo não é uma ciência e


tão pouco uma arte. É uma disciplina.”
Peter Drucker, 1986

Capacitação PAI
ZEPPELIN

Ferdinand Adolf Heinrich August Graf von


Zeppelin (* 8. Juli 1838 in Konstanz; † 8. März
1917 in Berlin).

Capacitação PAI
Empreendedor Zeppelin

• A Zeppelin era uma pequena empresa em seu início!


• Empreendedor de terceira idade no século 19!
 Inicia a construção do primeiro dirigível com 61 anos em 1899. Os primeiros
vôos de teste do LZ 01 ocorreram em 1900.

• A visão (inovadora) e a insistência!


 Fato marcante: o acidente de 1908.

• A arte de conciliar fatores financeiros de marketing e RHs.

• O legado posterior:
 Hugo Eckener
 A fundação e as empresas derivadas (ZF, MTU,....)

Capacitação PAI
Que Diretrizes sua Empresa pode
Assumir para a Inovação?

Capacitação PAI
É relevante ter em mente
os dois blocos de cima de nossa referência!

Estratégia de Negócio
Objetivos e diretrizes gerais do negócio: missão, visão,
proposta de valor, objetivos de curto-médio prazo,
prioridades do negócio, …
Estratégia

Agenda da Inovação
Direção geral da inovação, prioridades para a inovação,
Agenda da estratégia de inovação, nível de investimento, ...
Inovação

Gestão e Governança da inovação


Gestão e Governança da Estruturas, processos, políticas e ferramentas para
Inovação gerir a inovação

Habilitadores da Inovação
Habilitadores da Inovação Elementos que viabilizam a execução de todo o
processo de inovação

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Como você poderia caracterizar a estratégia de
sua empresa de forma simples? (guardanapo...
criança de 7 anos...)

Quais poderiam ser os focos prioritários para a


inovação em sua empresa? (temas específicos?)

Com quais objetivos?

Qual deveria ser a filosofia geral da inovação em


sua empresa?

Capacitação PAI
Práticas para a Inovação

Capacitação PAI
Definições de Gestão da Inovação devem ser tomadas para que a
empresa estabeleça como trabalhar com o tema.

Estratégia de Negócio
Objetivos e diretrizes gerais do negócio: missão, visão,
proposta de valor, objetivos de curto-médio prazo,
prioridades do negócio, …
Estratégia

Agenda da Inovação
Direção geral da inovação, prioridades para a inovação,
Agenda da estratégia de inovação, nível de investimento, ...
Inovação

Gestão e Governança da inovação


Gestão e Governança da Estruturas, processos, políticas e ferramentas para
Inovação gerir a inovação

Habilitadores da Inovação
Habilitadores da Inovação Elementos que viabilizam a execução de todo o
processo de inovação

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Definições de Gestão da Inovação devem ser tomadas para que a
empresa estabeleça como trabalhar com o tema.

1 Onde estão as ideias? Como captura-


las?
Estratégia
2 Como transformar as ideias em algo
gerenciável? Como avaliar as ideias
inovadoras?
Agenda da
Inovação 3 Tenho projetos de inovação? Como
gerencia-los?

Gestão e Governança da 4 Portfolio de projetos: como lidar com


Inovação esse conjunto de iniciativas?

5 Como disseminar a inovação


Habilitadores da Inovação internamente e externamente à
empresa?

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Uma forma de ver a gestão da inovação:
os 4 Ps da Inovação!

Capacitação PAI
O que rege o surgimento da inovação?
A DEMANDA (market pull) OU A OFERTA (technology push)?
TENSÃO CARACTERÍSTICA DO
PROCESSO DE INOVAÇÃO:
Market pull x Technology push

• Technology push:
• Fases iniciais do processo;
• Típico da academia, institutos
de pesquisa e empresas de base
tecnológica
Telecom
• Market pull:
• Fortifica-se à medida em que se
aproximam as fases mais
avançadas do processo;
• Empresas e interesse por
resultados lucrativos
Bens de consumo
• Governos e outros stakeholders
(investidores, por exemplo)
têm influência em tornar o
sistema mais market pull ou
tech push
Fonte: “The UK innovation systems for new and renewable energy
technologies”, Final Report, June2003, DTI

Capacitação PAI
DE ONDE VÊM AS IDEIAS?
Quantos Pontos Pretos?

Capacitação PAI
DE ONDE VÊM AS IDEIAS?
Quantas patas?

Capacitação PAI
DE ONDE VÊM AS IDEIAS?
Linhas Horizontais Tortas?

Capacitação PAI
DE ONDE VÊM AS IDEIAS?
Cabeça de Índio ou Esquimó?

Capacitação PAI
A Técnica de Brainstorming
• A técnica do Brainstorming, desenvolvida em 1941 por Alex Osborn, surgiu na
tentativa de desinibir as novas idéias nas reuniões empresariais convencionais.

• Descreveu a experiência do Brainstorming como “uma técnica de conferência


através da qual um grupo procura uma solução para um problema específico,
juntando todas as idéias geradas de forma espontânea, entre seus participantes.”

• Na busca desse objetivo, qualquer tipo de censura deve ser abandonada e o grupo
dirá, sem inibição, o que vier a mente. Absolutamente tudo é aceitável.

• Mais tarde, em uma etapa complementar, será feita uma seleção de ideias passíveis
de aproveitamento.

Fonte: Alex Osborn, 1953

Capacitação PAI
Regras Fundamentais do Brainstorming

• Nenhuma crítica de idéias

• Produção de uma grande quantidade de idéias

• Aproveitamento das idéias dos outros na construção de suas


próprias

• Encorajamento de idéias exageradas

Fonte: Alex Osborn, 1953

Capacitação PAI
Killer Phrases: Frases a Evitar

Fonte: Livro: “What a Great Idea!”, Charles Chic Thompson, 1992

Capacitação PAI
Principais Killer Phrases

Fonte: Livro: “What a Great Idea!”, Charles Chic Thompson, 1992

Capacitação PAI
Qual a melhor abordagem para gerar,
em grupo, boas ideias?

Capacitação PAI
O poder do chefe...

Capacitação PAI
Alternativas podem ser geradas por diferentes técnicas,
com desempenhos “médios” distintos.
Restrições comuns em processos de
geração de alternativas:
• Pessoas (são potencial e limitação

multidisciplinares
ALTO ao mesmo tempo);
QUALIDADE DAS ALTERNATIVAS

Processos

especialistas
especialistas
• Tempo;

Consulta a
Consulta a
híbridos
• Processo;
Isolado + coletivo;
estruturado + • Condições institucionais e
desestruturado hierárquicas dos participantes.

Brainstorming
Reflexão Brainwriting
individual
Outras técnicas poderiam ser
BAIXO acrescentadas: 6 chapéus do
pensamento, pensamento
BAIXA ALTA metafórico, técnica do grupo
QUANTIDADE DE ALTERNATIVAS nominal, …

Fonte: Lunica (2010)

Capacitação PAI
O Benchmarking não pode ser esquecido.
A “imitação” pode ser um caminho para a inovação!

REFLEXÃO / TRADUÇÃO PARA A SUA


1 OBSERVAÇÃO E CAPTURA 2
DE INFORMAÇÃO
AMADURECIMENTO 3 REALIDADE E APLICAÇÃO

Capacitação PAI
De fato, imitar pode ser um bom caminho!

• Cópia de algo próximo

• Cópia de situação similar

• Cópia de uma situação


muito distante

Ref: David Murray, autor do livro A Arte de Imitar

Capacitação PAI
Cópia de algo próximo

Capacitação PAI
Cópia de algo próximo

Capacitação PAI
Cópia de situação muito distante

Capacitação PAI
Técnica SCAMPER

Elaborar idéias geradas aplicando o checklist de pensamento


criativo conhecido como SCAMPER, sugerido inicialmente por Alex
Osborn, e posteriormente classificado em mnemonico por Bob
Eberle:

S = Substitute?
C = Combine?
A = Adapt?
M = Magnify? Modify?
P = Put to other uses?
E = Eliminate?
R = Rearrange? Reverse?

Fonte: Cracking Creativity – Lory Koerbel, based on book by Michael Michalko

Capacitação PAI
Outros Ângulos

• Pense produtivamente, não reprodutivamente


• Pergunte-se de que outras maneiras o assunto pode ser analisado
• Pense de maneira não-convencional
• Ex.: “What is one-half of thirteen?”
 Resposta óbvia: 6.5
 Six and one-half
 “THIR” and “TEEN”
 13 = 1, 3
 XIII = 11, 2
 XIII = 8, 8

Fonte: Cracking Creativity – Lory Koerbel, based on book by Michael Michalko

Capacitação PAI
Que idéias nós temos?
ELEVADORES

• A administração de um prédio de escritório está recebendo reclamações de


usuários quanto ao serviço de elevadores. Algumas empresas até estão
ameaçando sair do prédio em função da demora dos elevadores,
particularmente nos horários de “rush”.

• O gerente do prédio foi incumbido de


identificar uma solução ao problema de
locomoção interna das pessoas no prédio e
decidiu nos consultar.

• Que alternativas existem?

Capacitação PAI
Brainstorming…

• Novos elevadores
• Elevadores mais rápidos
• Incentivar o uso de escadas
• Programação de horários de entrada e saída
• Elevadores inteligentes (?)
• Programação de parada de elevadores
• TV e rádio nos locais de espera
• Troca de empresas de andar
– Ou estímulo a entrada de empresas com menos funcionários
• Horários distintos para cada empresa – nos picos de demanda
• Construção de restaurante/lanchonete no alto/meio do prédio
• ...................

Capacitação PAI
Tabela de Estratégia

Demanda Oferta
Estratégia
“HW” “SW” “HW” “SW”

Atual Troca de
Uso de escada Turbinar Programação
empresas de
andar de parada
Horários de Mais um
Viagens entrada e elevador
rápidas sem saída
fila

Repaginação
do uso

Capacitação PAI
Tabela de Estratégia

• Uma ferramenta para estruturar alternativas e elaborar estratégias


integradas
• Passo a passo
– Gerar alternativas “desestruturadamente”
– Definir colunas – áreas de interesse para o problema
– Organizar as alternativas existentes
– Pensar alternativas em cada coluna
• Trabalhar com extremos
– Combinar de forma lógica as colunas
• Eliminar conjunções impossíveis
• Escolher número limitado de alternativas para avaliar

Capacitação PAI
De idéias a alternativas…

TECNOLOGIA DE
INTEGRAÇÃO

• Amadurecimento/”limpeza”
das idéias
• Ferramentas integradoras

Capacitação PAI
Inovação numa folha: suporte para a gestão da inovação na
empresa, de forma simples!

• Ideias potencialmente inovadoras são


registradas de forma simples.

• Estabelece-se o registro de ideias que


podem ser inovadoras ao longo do tempo
na empresa: é uma forma de gestão do
conhecimento!

• Naturalmente, forma-se um banco de


ideias, em maior profundidade. Não se
compara à conversa de corredor!

• Único requisito é manter gestão periódica


sobre o tema.

• Em especial, dá elementos que ajudam a


Documento de, no máximo, 2 páginas! priorizar a implementação de ideias.

Capacitação PAI
Campos da “Inovação Numa Folha”

• QUAL É A IDÉIA?: descrição da idéia e sua proposta fundamental.

• POR QUE ELA É BOA?: apontamento das principais razões para que ela seja implementada.

• QUEM ESTÁ ENVOLVIDO COM E NA IDÉIA?: indicação e caracterização dos principais


beneficiários ou clientes, sugestão/caracterização de equipe/responsáveis pela execução,
parceiros e outros interessados na idéia (favoráveis ou desfavoráveis a ela).

• QUANTO TEMPO É NECESSÁRIO PARA DESENVOLVER E IMPLEMENTAR?: estimativa de tempo


para o desenvolvimento da idéia e sua implementação.

• QUAIS OS RECURSOS E RETORNOS ENVOLVIDOS?: estimativa de recursos necessários


(financeiros, materiais e de pessoal) e de retornos possíveis de obter.

• QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS DESAFIOS?: antecipação dos desafios centrais a serem vencidos para
que a idéia seja desenvolvida e implementada.

• COMO ENCAMINHAR A IDÉIA?: sugestão de encaminhamentos/próximos passos para a idéia.

Capacitação PAI
Adicionalmente, sob a ótica de ganhos financeiros, as ideias podem
ser avaliadas em seu fluxo de caixa.
ASPECTOS-CHAVE PARA
AVALIAÇÃO • Para as diferentes oportunidades de
negócio, a curva pode ter diferentes
formas: projetos fracassados não
chegam a passar da linha de retorno
positivo acumulado.

• O tempo de investimento e de
expectativa de retorno são cruciais,
mesmo que numa avaliação qualitativa.

• A dimensão do investimento a ser feito


(“exposição máxima” do projeto) é
outro aspecto relevante.

• A redução da incerteza dos gastos do


projeto pode ser pensada a partir da
lógica de implantações-piloto ou em
escala reduzida.

• Isso estabelece o desafio de definir


pontos de checagem de cada projeto
EXPOSIÇÃO MÁXIMA
escolhido para implantação.

Fonte: Andrew, J., Payback: Reaping the Rewards of Innovation, 2007

Capacitação PAI
“Mesmo que a empresa já tenha uma reputação
de empresa inovadora, é o seu portfólio de
projetos, ou “pipeline de inovação”, que vai
mostrar sua capacidade inovadora em gerar
valor continuamente no futuro.”
José Claudio Terra

Capacitação PAI
Funis de inovação podem ser
instrumentos simples de gestão do portfolio!

CAPTAÇÃO DE IDÉIAS • Não fazem parte do funil ainda


• Idéias desestruturadas ou pouco estruturadas • Fontes diversas
UNIVERSO DAS • Percepções de negócio • Postura passiva ou ativa
IDÉIAS
ENTRADA NO FUNIL
INOVAÇÃO NUMA FOLHA PARA CADA IDEIA
IDEIAS
CARACTERIZADAS

SELEÇÃO PRELIMINAR (consenso?)


?
NOVO NÍVEL DE
AVALIAÇÃO?
SELEÇÃO E PLANO DE
IMPLEMENTAÇÃO

IDEIAS IMPLEMENTADAS
(ou em implementação)
DECISÃO DE LANÇAMENTO
(consenso?)

Fonte: Lunica

Capacitação PAI
Definições de Gestão da Inovação devem ser tomadas para que a
empresa estabeleça como trabalhar com o tema.

1 Cultura interna de apoio à inovação.

Estratégia
2 Necessidade de suporte da alta
direção

Agenda da
Inovação 3 Pessoas ligadas à inovação ao longo
da estrutura da empresa.

Gestão e Governança da 4 Processos e ferramentas


Inovação estabelecidos.

5 Incentivos e premiações.
Habilitadores da Inovação

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Há 4 modelos / comportamentos-padrão para a
geração de inovação entre as empresas.
Estudo da IBM, com 174 empresas de 24 países e diversas indústrias, identificou quatro modelos (arquétipos) de inovação,
que representam a forma como as empresas inovam

“Mercado” de
ideias
ARQUÉTIPOS DA INOVAÇÃO

Líder visionário

Inovação através
do rigor

Inovação
colaborativa

Tanto a cultura quanto o arquétipo de inovação de uma empresa precisam ser


perfeitamente entendidos para que a inovação seja incorporada.

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Um pouco mais sobre os 4 modelos:
“MERCADO” DE IDEIAS LÍDER VISIONÁRIO INOVAÇÃO ATRAVÉS DO RIGOR INOVAÇÃO COLABORATIVA

Os funcionários são estimulados ​a Este arquétipo gira em torno de Empresas criam processos desenhados Empresas que, junto com
do arquétipo

criar novas idéias, vendê-las um executivo sênior que entende o para produzir resultados sistêmicos. stakeholders externos, avaliam uma
Visão geral

internamente para obter apoio e futuro melhor que os clientes, Estrategicamente, essas empresas serie de oportunidades, rapidamente
implementá-las rapidamente para motiva os funcionários a direcionam seus esforços para cenários selecionam as melhores para
testar a viabilidade e aceitação de zelosamente perseguirem essa em que a inovação tem real efeito. análise, e frequentemente, em
mercado. É um ambiente de visão e mantém a geração de Taticamente, focam em projetos de conjunto com seus parceiros,
inovação caótico. idéias profundas e inesperadas execução, buscam eficiência e implementam as ideias
implantação rápida. selecionadas.

• Estratégia de inovação está • Estratégia de inovação gira em • Estratégia de inovação fala sobre o • Estratégia de inovação é baseado
integrada à estratégia de torno de todo o negócio e é foco específico em algumas áreas de no ambiente dos parceiros.
negócios. direcionada a todos os inovação. • Visão da estratégia é algo bem
• Visões da organização e da funcionários. • Visão de inovação é prática, tática e definido para parceiros que
inovação são interligadas. • Visão de inovação impulsionada pragmática. trabalham com objetivo em
• Objetivos da inovação bem pela alta liderança. • Poucas ideias de inovação através do comum da empresa.
definidos para cada integrante da • Rápida implementação das idéias processo formal. • Tomada de decisão robusta,
Características
do arquétipo

equipe. inovadoras selecionadas. • Foco acentuado em times assim como, mecanismo de


• Gerenciamento formal de • Mapas e planos estratégicos interdisciplinares de execução. implementação.
projetos. transmitem a visão executiva • Difusão de linhas de produto; pouco • Pilotos e julgamentos frequentes
• Ambiente que permite para as atividades diárias. controle de pequeno conjunto de envolvendo parceiros e
experimentação. • Pouca interação com terceiros. visionários. consumidores.
• Contratações levam em conta • Necessidade de equipe engajada • Pequenos grupos dedicados a solucionar • A empresa entende a importância
criatividade e paixão. para executar os planos dos problemas. em compreender as necessidades
• Abordagem interna líderes. • Forte cultura da equipe. dos clientes e a participação dos
descentralizada de colaboração • Tomada de decisão centralizada • Processo robusto no ciclo de vida da parceiros.
para as decisões de inovação. em cada fase das decisões de inovação. • Funcionários tem o poder de
• Equipe virtual descentralizada inovação. • Processo de Pesquisa e negociar com vendedores
responsável por desenvolvimento • Estrutura monolítica Desenvolvimento estabelecido como externos.
de idéias e execução. centralizada para colocar em unidade de negócio dentro da empresa. • Organização estruturada em
• Unidade estrutural formal para a prática a visão de inovação. • Visão das limitações e capacidades em torno do sistema de inovação.
condução da cultura da inovação. executar ideias geradas.

Fonte: Embedding Innovation to Drive Growth: IBM Corporation. Jun/2011

Capacitação PAI
Toda a lógica da inovação deve estar envolvida por FATORES
HABILITADORES importantes da inovação:

CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO Fatores


Grandes diretrizes, proposta de valor, ... habilitadores
SUPORTE DA
ALTA DIREÇÃO
PESSOAS
CULTURA INTERNA ALOCADAS AO
DE APOIO À TEMA AO LONGO
INOVAÇÃO DA ESTRUTURA

INCENTIVOS E PROCESSOS E
PREMIAÇÕES FERRAMENTAS
DE APOIO

Fonte: Lunica

Capacitação PAI
“Empresas inovadoras nutrem
culturas que valorizam pessoas
criativas em tempos bons e ruins.”
Bloomberg Businessweek

Capacitação PAI
A atitude inovadora é o sinal mais forte da inovação.
Ações são consequências dessa postura.

Capacitação PAI
Muitas vezes, essa atitude é entendida
como “tábua de salvação” para velhos problemas.

Quem é um agente de
inovação experimenta
tanto o lado positivo de ser
um agente da mudança
como o risco de ser
entendido como o
solucionador de problemas
não resolvidos por
ninguém e em nenhum
tempo…

Capacitação PAI
Ações práticas para HABILITAR A INOVAÇÃO em sua empresa:

Dar espaço para o erro: abertura franca para que o erro seja
1 entendido como uma forma de acesso a boas soluções.

2 Ter envolvimento e posicionamento CLARO e DIRETO da alta


direção em favor da inovação na empresa.
Muitas vezes, aumentar o grau de inovação de uma empresa representa uma mudança
cultural. Esse movimento é facilitado com apoio explícito das lideranças.

Capacitação PAI
Ações práticas para HABILITAR A INOVAÇÃO em sua empresa:
(cont.)

Estabelecer mecanismos de incentivo a quem colabora para


3 o grau de inovação na empresa.
Bônus atrelados a esse quesito?
Incentivos podem ser não-financeiros.

4 Pessoas precisam ter tempo alocado para o avanço da


inovação.
Não há resultado sem esforço correspondente!

5 Além de tempo, mecanismos de apoio precisam estar


disponíveis.

Capacitação PAI
No final, tudo remete à TOMADA DE DECISÃO...
Visão integrada das práticas em torno do processo decisório

MODELOS / ARQUÉTIPOS DA INOVAÇÃO

D
E
ESTRUTURAÇÃO DO C
GERAÇÃO DE AVALIAÇÃO DE IMPLEMENTAÇÃO DA
PROBLEMA I
ALTERNATIVAS ALTERNATIVAS DECISÃO
DECISÓRIO S
Ã
Estratégia num Benchmarking O
guardanapo Brainstorming Funil
Seleção de prioridades Métodos híbridos Cash Curve
para inovação
Inovação Numa Folha

HABILITADORES DA INOVAÇÃO

Capacitação PAI
Qual é o Plano de Inovação
da sua Empresa?

Capacitação PAI
Procure construir um plano
de inovação para sua empresa!
OBJETIVO GERAL: tornar sua empresa mais inovadora ao longo dos próximos 3 anos.
• A abordagem de inovação mais adequada para sua empresa se enquadra em algum dos
arquétipos estudados?

• Quais as fontes de ideias inovadoras? Como essas ideias serão capturadas? Que abordagem e
técnicas serão usadas para tanto?

• Que instrumentos de gestão de inovação devem ser utilizados? Em que aspectos devem ser
adaptados para sua empresa?

• Qual será e como será o tempo da empresa dedicado ao tema inovação?

• Quais são os principais desafios a serem vencidos? Quais são as mudanças críticas em sua
empresa para que a inovação passe a fazer parte do dia a dia?

• Qual a proposta em relação aos fatores habilitadores da inovação?

• Quais são as ações práticas que devem ser tomadas? Como se distribuem no tempo?

• Em qual condição sua empresa deve estar daqui a 3 anos em relação a inovação?

Capacitação PAI
Transformações que a Inovação Traz!

Capacitação PAI
De maneira simples, inovação deve gerar
pelo menos 1 dos 4 impactos abaixo:

AUMENTAR RECEITA

MUDAR
POSICIONAMENTO GANHAR KNOW HOW
OU IMAGEM

REDUZIR CUSTOS

Capacitação PAI
Mudanças de layout e gestão da produção...
BRASCOM METALÚRGICA

• Contexto: produção de escapamentos já


estabelecida e produção iniciante de bancos.
• Metalúrgica de pequeno porte, especializada em
assentos e escapamentos para equipamentos • Foco da inovação: arranjo físico do chão de
pesados – agrícolas, industriais e empilhadeiras. fábrica e implantação de software de gestão
• Fundada em 2004, num galpão de 150 m2 e para a acompanhar resultados de produção
apenas um funcionário. diariamente.
• Integrou-se no programa de apoio a micro e
pequenas empresas na Incubadora Empresarial • Resultados:
de Fernandópolis, apoiado pelo SEBRAE-SP e
– Volume anteriormente produzido em 1 mês passa
pela ACIF (Associação Comercial de
Fernandópolis). a ser produzido em 3 semanas.
• Estrutura em área de 1500 m² no Parque Industrial – Prazo de entrega caiu de 15 para 3 dias.
de Fernandópolis e trabalha com 80 colaboradores
que prestam serviços diretos e indiretos a
empresa.

“Com pouco dinheiro, você tem que


fazer dar certo com criatividade,
parcerias e muita inovação.”
Wilson Pereira da Silva, fundador

Capacitação PAI
Novo produto para posicionamento em mercado complexo
ACS AVIATION

• Empresa de prestação de serviços de


engenharia, especializada em materiais
compostos e suas aplicações aeronáuticas.
• ACS-100 Sora: ultraleve recreacional acrobático
• Fabrica também seus próprios produtos, que
são pequenas aeronaves. avançado.
• A empresa visa consolidar-se nos mercados • Principal inovação: montada em apenas dois
náutico e automobilístico, no segmento de
materiais compostos.
blocos, com material constituído de tecido de
• Fundada em 2006.
fibra de vidro e recheio de espuma de PVC
enrijecido com resinas.
• Instalações localizam-se em São José dos
Campos.
• “Fica mais resistente e mais leve do que o
alumínio”.
• 6 unidades vendidas já no segundo ano de
operação.

Capacitação PAI
Reformulação/renovação da Produção...
CLEPLAX INDÚSTRIA DE PLÁSTICOS

• Foco da inovação: renovação de máquinas


(troca de 8 sopradoras manuais por 4 máquinas
automatizadas).
• Fabricante de embalagens de plástico
“sopradas”, para a indústria alimentícia, • Investimento total: R$ 4 milhões.
automotiva, agropecuária, veterinária,
cosmética, farmacêutica, ... • Desafio para a implantação do novo maquinário
• Localizada em São Paulo, Capital e novos processos:
• Fundada em 1950. – Não se conseguiu extrair os melhores resultados
do maquinário num primeiro momento.
– Problemas na parametrização dos equipamentos.
– Desafio para reduzir o tempo de resfriamento
das peças.

• Resultados:
– Queda do índice de perdas, de 15% para 1%.
– Aumento de 40% na produção.
– Produção de peças mais leves (20% a menos).
– Queda do prazo de entre de 10 para 2 dias.

Capacitação PAI
Produzindo pasta de dente...

Capacitação PAI
A pressão de custos alavancando a inovação…

No contexto, forte diretriz de redução de custos!


• Exemplo do reflexo da busca por economia de custos na ALL: de compra de
trens antigos, usados por companhias ferroviárias dos Estados Unidos, em vez
de novos.
• Média da frota da ALL: 25 anos (5 vezes maior do que a média americana.
• Locomotiva usada: US$ 250 mil + gastos com reforma e colocação de motor
(os americanos vendem só a carcaça do trem). Conta final: R$ 700 mil – um
quarto do valor de uma nova locomotiva.

Em outubro do ano passado, a oficina de máquinas recebeu uma comitiva de empresários escandinavos da
Scania, ávidos por descobrir como a empresa havia conseguido adaptar um motor de caminhão em uma
locomotiva. Os suecos queriam entender o processo para, no futuro, poder desenvolver motores também
para trens.A comitiva escandinava descobriu aquilo que dentro da ALL é chamado de “ideias vietnamitas”:
as que são de simples execução, mas produzem grande impacto. O termo remete a um episódio ocorrido
durante a guerra do Vietnã, nos anos 70. Com poucos recursos para reconstruir as pontes destruídas pelos
ataques aéreos americanos, os vietcongues bolaram a seguinte estratégia: construí-las 20 centímetros
abaixo do nível da água. Assim, não era necessário deslocar homens para vigiá-las e não haveria o risco
de um novo ataque, já que os americanos não conseguiriam vê-las do alto. Uma ideia simples e eficaz.
“Desenvolvemos várias soluções criativas por uma razão muito simples: não tínhamos dinheiro”,
diz Hees.
Fonte: Nos trilhos da ALL. Todeschini, M. ‘Epoca Negócios, maio/2009

Capacitação PAI
A pressão de custos alavancando a inovação…

• Surgiu uma ideia para o corte de gastos com combustível – responsável pela
maior parte dos custos operacionais da ALL. Criou-se a Copa Diesel.
• Por meio dela, os maquinistas competem entre si. Em cada viagem, computa-se
a quantidade de diesel gasto, que pode variar em até 20%, conforme o uso do
freio e a velocidade da locomotiva (daí a importância do comprometimento do
maquinista).
• Ganha um bônus quem conseguir gastar menos por quilômetro rodado.
• A Copa Diesel – simples e eficaz – resultou numa economia de 11% no
consumo de combustível.

• “O que você precisa, para liderar, é fazer as perguntas certas. Quem sabe as respostas são as
pessoas na linha de frente. É lá que vou buscá-las.” (Bernardo Hess)
• Enquanto descia um trecho de serra conduzindo um trem, por exemplo, Hess ouviu um
maquinista mais experiente dizer que o número máximo de vagões poderia ser aumentado
naquele trecho. Os engenheiros diziam que não.
• Hees insistiu para que refizessem os cálculos. Ao final, foi possível aumentar em 15% o
carregamento para aquele trecho. E, por essa ideia, o maquinista ganhou um carro.

Fonte: Nos trilhos da ALL. Todeschini, M. ‘Epoca Negócios, maio/2009

Capacitação PAI
Quando a inovação precisa ser mais profunda…
ALTERAÇÕES INTENSAS NO MODELO DE NEGÓCIO

tempo

O INÍCIO E O ESTABELECIMENTO DA MARCA DECADÊNCIA O COMEÇO DA RECUPERAÇÃO


Fundada em 1870 como farmácia de A empresa foi Em meados da Após passar por diversos controladores,
manipulação, a Granado foi ganhando a próspera e lucrativa década de 80, porém, sempre da família Granado, em 1993 a
confiança dos consumidores brasileiros com por mais de 100 a concorrência empresa foi comprada pelo inglês
produtos de higiene com propriedades anos. Mesmo com o começou a se Christopher Freeman. Inicialmente
terapêuticas, entre eles o polvilho início da modernizar e a contratado pela empresa para buscar
antisséptico e o sabonete de glicerina. concorrência de diversificar seus compradores, acabou se interessando por
empresas produtos. A Granado, ela e a comprou.
internacionais, no entanto, “parou” no
manteve-se em bom tempo, com seus
patamar dentro de mesmos três produtos
seu mercado de e uma operação
atuação. antiga e lenta.

Capacitação PAI
Quando a inovação precisa ser mais profunda…
ALTERAÇÕES INTENSAS NO MODELO DE NEGÓCIO

Após ser comprada em 1993, a Granado passou por mudanças imediatas em seu
modelo de negócio...
Venda das farmácias de Com o capital obtido pelas vendas, Freeman investiu em estrutura de TI e na criação de uma rede de
manipulação distribuição.

Joint Venture para Quando a Procter & Gamble decidiu se desfazer da marca Phebo, a Granado formou uma joint venture
diversificação inicial com a Sara Lee para a compra: Granado responsável pela compra da fábrica e Sara Lee pela compra da
marca. A produção, então, ficaria a cargo da Granado.

...e alterações de mais longo prazo:


Compra da marca Phebo Em 2004, a Granado efetivamente comprou a marca Phebo da Sara Lee.

Diversificação do Marca Phebo foi diversificada e direcionada ao mercado de cosméticos: fórmula original foi resgatada,
embalagens foram reformuladas e linhas como cosméticos, velas perfumadas, perfumes e difusores de
portifolio
ambientes foram lançados com a marca Phebo. A Marca Granado teve sua diversificação direcionada a
produtos fitoterápicos e associados ao bem estar.

Ampliação dos pontos de Além dos já tradicionais supermercados e farmácias, a Granado abriu lojas próprias e inaugurou suas
vendas online em 2010. Também ampliou o alcance de seus produtos fornecendo amenities para hotéis e
venda spas.

Capacitação PAI
Quando a inovação precisa ser mais profunda…
ALTERAÇÕES INTENSAS NO MODELO DE NEGÓCIO

As inovações no modelo de negócio que transformaram a Granado:

GRANADO ANTES DE SER COMPRADA GRANADO APÓS SER COMPRADA


Produtos e público Produtos e público
• 2 produtos: polvilho antisséptico e sabonete de glicerina (água inglesa já • Além dos produtos fitoterápicos, há mais de 300 produtos das marcas
havia sido descontinuada). Direcionados apenas a pessoas com Granado e Phebo, de linhas como colônias, desodorantes, sabonetes
necessidade de utilização de produtos fitotrerápicos. líquidos e cremes, direcionados a todo tipo de público. Há linhas para
• Produtos consumidos por clientes fiéis antigos. mulheres, bebês e até mesmo a linha pet, direcionada a animais.
• Duas farmácias de manipulação. • Não há mais farmácias de manpulação

Marca Marketing Marca Marketing


• Tanto Phebo quanto Granado • Não havia ações de marketing. • Vista como premium, valorizada • Fornecimento de amenities a
vistas como ultrapassadas. por seu tempo no mercado. hotéis e spas como forma de
• Associada a produto antigo • Associada a produto natural e ao marketing da marca.
bem estar. • Eventos de lançamento de
novos produtos.

Infraestrutura Canais de venda Infraestrutura Canais de venda


• Equipamentos antigos • Supermercados e farmácias • Renovação de equipamentos e • Supermercados, farmácias,
• Nada informatizado investimento em nova fábrica. hotéis, lojas próprias tradicionais
• Relações com clientes via • Estrutura de TI para apoio à no Rio de Janeiro e em regiões
correio. operação. nobres de São Paulo.
• Início das exportações.

Capacitação PAI
Quando a inovação precisa ser mais profunda…
ALTERAÇÕES INTENSAS NO MODELO DE NEGÓCIO

As mudanças sofridas pela Granado trouxeram resultados:

Faturamento: Conquista de novos consumidores com


R$ 10 milhões em 1994 novas linhas e reconquista de consumidores
R$ 100 milhões em 2004 antigos com o relançamento das marcas
R$ 180 milhões em 2010 tradicionais

Antes: 30 dias entre o


Status de marca
pedido e a entrega.
premium
Hoje: 24 horas.

Fontes de receita
diversificadas

Meta para os próximos 5 anos: uma loja em cada capital brasileira.

Capacitação PAI
Outro caso de inovação no modelo de negócio…

tempo

O INÍCIO O RÁPIDO CRESCIMENTO A DECADÊNCIA


Lançadas pela Alpargatas em 1962, as As sandálias se popularizaram rapidamente, Em razão de seu preço e qualidade, as
sandálias Havaianas tinham como público- com o lançamento de novas cores, porém sandálias se tornaram populares.
alvo a classe média da época e já chegaram mantido o mesmo modelo. Em menos de um Começaram a ser mais usadas por
inovando, com material de borracha, boa ano, a Alpargatas já fabricava mais de mil consumidores menos favorecidos
qualidade e preço acessível. Inicialmente, a pares por dia. financeiramente, o que afastou o produto
marca oferecia somente um modelo, de uma da classe média. A massificação do
única cor. produto pressionou a rentabilidade da
empresa e, nos anos 80, a maior
preocupação era com corte de custos.

Capacitação PAI
A guinada da marca começou a ocorrer em 1994,
com alterações significativas:
• Alpargatas, até então, dona da marca, torna-se uma empresa de unidades de negócio. Uma
delas, a Havaianas. Com isso, as estratégias de vendas, marketing, fabricação, etc passaram a
ter maior independência das decisões centralizadas do Grupo.
• Estratégia de fabricação diferenciada, com diminuição de lotes para facilitar a distribuição e
agilizar a produção.
• Demais mudanças relevantes:

DIVERSIFICAÇÃO DO PORTIFOLIO COMUNICAÇÃO ESTRATÉGIA DE DISTRIBUIÇÃO

• Inicialmente, foram lançadas as • Propagandas realizadas por • As sandálias começaram a ser destacadas
Havaianas Top, uniformemente coloridas celebridades. nos pontos de venda, por meio de
e não mais com palmilhas brancas como displays.
• Mídia espontânea mostrando
as tradicionais. Depois, a marca celebridades utilizando o produto. • Distribuidores regionais.
expandiu sua atuação para outros
calçados, além de bolsas e acessórios. • Campanhas realizadas o ano inteiro e • Distribuição dos lançamentos
não mais nas temporadas. primeiramente em canais sofisticados e,
• Atualmente, são mais de 70 linhas de somente depois do estabelecimento da
produtos. • Presença em eventos importantes do
marca, em canais de massa.
Brasi (como SPFW) e do mundo (como
Oscar) • Internacionalização como produto
diferenciado, para lojas sofisticadas do
• Entre 1994 e 2003, a verba de
marketing passou de 2% a 3% da receita exterior.
para algo entre 10% e 12%. • Lojas próprias no Brasil e no exterior

Capacitação PAI
As diversas inovações transformaram a Havaianas
novamente em uma marca reconhecida.

Receita aproximada de R$ 1
bilhão em 2010

Mais de 70 linhas de 220 milhões de pares


produtos vendidos em 2010, ante 130
milhões em 2004

131 lojas na forma de


Exportação para mais
franquia até 2010
de 80 países

Capacitação PAI
Quem são
esses caras?
(sob a regência e liderança de John Neschling, até 2008)

Capacitação PAI 119


“Efeito Neschling”

John Neschling: grandes mudanças


artísticas e administrativas

Antes de John Neschling: Depois de John Neschling: um novo


1997 padrão...
“orquestra abandonada”

 Músicos mal remunerados • Músicos bem remunerados (CLT) e de alta


qualidade, selecionados num processo rigorosíssimo

• Sala São Paulo: construída para a OSESP –


apresentações e ensaios
 Ensaios em locais improvisados:
restaurante do Memorial da
América Latina
• Fundação OSESP: agilidade administrativa
 Estrutura administrativa pequena • Parcerias públicas e privadas: funding dinâmico
e emperrada: 3 pessoas
• Sistema de comercialização de "pacotes" de
concertos: muito bem sucedido

Capacitação PAI
“Efeito Neschling”
John Neschling: grandes mudanças
artísticas e administrativas

Antes de John Neschling: Depois de John Neschling: um novo


1997 padrão...
“orquestra abandonada”

 Apenas orquestra (e olhe lá!) • Além da orquestra:


– Nenhuma documentação – Coros Sinfônico, de Câmara e Infantil
– Centro de documentação
– Editora de obras brasileiras
– Academia: formação de músicos jovens
– Programas educacionais: formação de público
– Concursos de instrumentos
 Uma apresentação por mês • Três apresentações por semana, com solistas
convidados do primeiro escalão internacional
da música de concerto
• Turnês internacionais
 Pouquíssimas gravações • Gravações por selo próprio
• Série de dez CDs pela gravadora sueca BIS, com
obras brasileiras e distribuição mundial

Capacitação PAI
Uma visão geral dos casos…
AUMENTAR RECEITA

Modelo de
Processo
Produto

negócio

POSICIONAMENTO
Serviço
GANHOS

OU IMAGEM

KNOW HOW
GANHAR
PRINCIPAIS

MUDAR
Brascom Brasil

ACS Aviation

REDUZIR CUSTOS
Cleplax

Pasta de dente 
ALL 
Granado  
Havaianas  
OSESP    

Capacitação PAI
3 Ideias para Sua Empresa!

Capacitação PAI
Utilizando a “Inovação Numa Folha”, proponha e caracterize
até 3 ideias potencialmente inovadoras para sua empresa.
• QUAL É A IDEIA?: descrição da ideia e sua proposta fundamental.

• POR QUE ELA É BOA?: apontamento das principais razões para que ela
seja implementada.

• QUEM ESTÁ ENVOLVIDO COM E NA IDEIA?: indicação e caracterização dos


principais beneficiários ou clientes, sugestão/caracterização de
equipe/responsáveis pela execução, parceiros e outros interessados na
ideia (favoráveis ou desfavoráveis a ela).

• QUANTO TEMPO É NECESSÁRIO PARA DESENVOLVER E IMPLEMENTAR?:


estimativa de tempo para o desenvolvimento da ideia e sua
implementação.

• QUAIS OS RECURSOS E RETORNOS ENVOLVIDOS?: estimativa de recursos


necessários (financeiros, materiais e de pessoal) e de retornos possíveis de
obter.

• QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS DESAFIOS?: antecipação dos desafios centrais a


serem vencidos para que a ideia seja desenvolvida e implementada.

• COMO ENCAMINHAR A IDEIA?: sugestão de encaminhamentos/próximos


passos para a ideia.

Capacitação PAI
Ideias de Fechamento

Capacitação PAI
“Se você acha que pode fazer algo

ou

acha que não pode fazê-lo, você


sempre estará certo.”

Capacitação PAI
Inovação para a
Competitividade
PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DE GESTORES
NA INDÚSTRIA

OBRIGADO!

Lucas Arruda
(lucasarruda@lunica.com.br)
Marcelo Nakagawa
(mnakagawa@usp.br)
Marcos Avó
(marcos@lunica.com.br)
Ricardo Altmann
(ricardo@lunica.com.br)

Novembro/2013

Capacitação PAI