Você está na página 1de 4

1.

O ciclo de vida e a reprodução


1.1 O que é o ciclo de vida?
O ciclo de vida é a sequência de acontecimentos da vida de um ser vivo desde que é forma ou
concebido, até produzir os seus próprios descendentes (filhos).

1.2 O que é a reprodução?


A reprodução é a formação de novos descendentes, semelhantes aos seus progenitores (pais).

1.3 Como se processa a reprodução?


A reprodução implica, normalmente, a fecundação. A fecundação resulta da união da célula
sexual feminina – o óvulo, com uma célula sexual masculina – o espermatozoide. Juntos
contêm toda a informação que lhes permite gerar um novo ser e unindo-se formam uma só célula
– o ovo.

1.4 O que é o crescimento?


O crescimento é o desenvolvimento do novo ser, formando a partir do ovo.

2. Os tipos de reprodução
2.1 A reprodução assexuada
A reprodução assexuada ocorre em animais mais simples como a hidra ou a estrela-do-mar e
resulta na formação de novos seres a partir de um único progenitor (pai).
 Não existem células sexuais e não existe fecundação;
 Apenas intervém um único indivíduo;
 Os descendentes são geneticamente iguais aos progenitores.

2.2 A reprodução sexuada


A reprodução sexuada é a reprodução de novos indivíduos com a intervenção de dois
progenitores de sexos diferentes, um macho e uma fêmea.
A fecundação ocorre com a união de células sexuais (espermatozoide e óvulo), provenientes
de um macho e de uma fêmea.

2.2.1 A fecundação interna


A fecundação é interna quando ocorre no interior do corpo da fêmea – como no lince, pato, vaca,
etc…
2.2.2 A fecundação externa
A fecundação é externa quando ocorre fora do corpo da fêmea, no meio ambiente, em meio líquido
como por exemplo com a rã, o sapo, o crocodilo, a tartaruga, a cobra, etc.

3. Os rituais de Acasalamento
Os animais, na época de acasalamento têm comportamentos característicos, chamados
comportamentos reprodutivos paradas nupciais ou rituais de acasalamento, para atraírem um
parceiro sexual.
Exemplos de comportamentos reprodutivos são: a parada nupcial, luta, sinais sonoros, sinais
olfativos e sinais visuais.

Canto da rã; Libertação de


Veados; odores por parte
Sons emitidos Exibição das penas
A parada das fêmeas veados; no pavão, no
Elefantes; pelos veados;
As borboletas
nupcial dos O melro e o mergulhão-de-
libertam odores crista;
golfinhos; Ursos; pintassilgo para atraírem os A exibição das cores
cantam para seus parceiros, nos eganas-gatas.
atrair as fêmeas. assim como os
tigres.

4. Desenvolvimento dos embriões.


A fecundação é o objetivo do acasalamento e dela resulta um ou mais ovos, que darão origem
a um ou vários embriões. O crescimento e desenvolvimento dos embriões pode ocorrer de
diferentes e esses animais podem ser classificados em vivíparos, ovíparos ou ovovivíparos.
4.1 Vivíparos - Nos animais vivíparos, o desenvolvimento do embrião ocorre no interior do
corpo da fêmea, dentro do útero até ao parto. O embrião é alimentado pela mãe através do
cordão umbilical. A maioria dos mamíferos são animais vivíparos.
4.2 Ovíparos - Nos animais ovíparos, o desenvolvimento do embrião ocorre no exterior do
corpo da fêmea, dentro de um ovo até à sua eclosão (saída do interior do ovo). O embrião
alimenta-se de substâncias existentes no interior do ovo. As aves, a maioria dos répteis, dos
anfíbios, dos peixes e muitos invertebrados são animais ovíparos.

4.3 Ovovivíparos – são animais cujos embriões se desenvolvem no interior de um ovo que
permanece dentro do ventre materno. Durante o seu desenvolvimento, o embrião alimenta-
se de substâncias nutritivas que existem no interior do ovo. Alguns répteis – a víbora, alguns
anfíbios - algumas salamandras e alguns peixes – o tubarão, são animais ovovivíparos.

5. As metamorfoses
5.1 A maioria dos seres vivos tem um desenvolvimento direto, ou seja, apenas aumenta de
tamanho, mas mantém a mesma forma, desde o nascimento até atingirem a idade adulta . A
maioria dos animais tem um desenvolvimento direto.
No entanto, outros animais, como as rãs e os insetos, ao longo do seu desenvolvimento sofrem
metamorfoses, ou seja, passam por um conjunto de transformações que modificam a sua
forma, desde o nascimento até chegar à vida adulta.