Você está na página 1de 5

Palavra da Célula – Os 9 tipos de jejum (Is 58.

1-12)
liliana_dinner_prayerÉ importante aprender nessa passagem os tipos de
jejum que não agradam a Deus e compreender os tipos que ele escolhe.
Dos versos 6 a 9 nos mostram 9 tipos de jejum que podemos encontrar na
palavra de Deus. Para exemplificar e esclarecer a importância dessas nove
razões para jejuar, escolhi nove personagens bíblicos cuja vida ilustra cada
um dos aspectos mencionados por Isaías.

1. O jejum do discípulo (Mt 17.21)

O objetivo é “soltar as ligaduras da impiedade” (Is 58.6). Buscar libertação


da escravidão do pecado e do diabo para si mesmo ou para outros.
Existem certas castas de demônios que só saem pela oração acompanhada
de jejum. Os discípulos não jejuavam, por isso não puderam libertar o
garoto.
Atitudes: Renuncie a todo controle falso do inimigo; reconheça o auto-
engano; perdoe para vencer a amargura; submeta-se à autoridade de
Deus e da Igreja; assuma responsabilidades pessoais e livre-se das
influências pecaminosas.

2. O jejum de Esdras (Ed 8.23)

O objetivo é “desfazer as ataduras da servidão” (Is 58.6). Resolver


problemas, invocar a ajuda do Espírito Santo, aliviar pesos e superar
barreiras que nos impedem de caminhar com alegria diante do Senhor.
Deus já havia liberado a benção de voltar para a terra de Israel, mas
haviam inimigos no caminho que tentavam bloquear a bênção. No mesmo
princípio, já temos a bênção do Senhor, mas às vezes precisamos romper
com pesos e resolver problemas.
Atitudes: Escolha os que se comprometerão a jejuar com você;
compartilhe o problema para ser ajudado; jejue com seriedade a espera
de orientação antes de tentar uma solução própria .

3. O jejum de Samuel (1Sm 7.6)

O objetivo é “por em liberdade os oprimidos” (Is. 58.6). Para ganhar


almas, se identificar com pessoas escravizadas, orar e ser usado por Deus
para tirar pessoas do reino das trevas e trazê-las para o reino de Deus. É o
jejum do avivamento. Samuel jejuou para que Israel fosse liberto do
pecado.
Atitudes: Convoque a célula para reunir-se e jejuar (v.5,6); demonstre
arrependimento genuíno (v.3,6); afaste-se do pecado secreto; faça a
confissão do pecado pelo grupo (Dn 9); espere a liberação de uma Palavra
de Deus (1Sm 3.1); faça do seu jejum um símbolo de sua atitude.

4. O jejum de Elias (1Rs 19. 4-8)

O objetivo é “despedaçar todo jugo” (Is 58.6). Superar problemas


emocionais ou mentais que controlam nossas vidas e devolver o controle
ao Espírito do Senhor. Embora não se diga que foi um jejum, Elias
deliberadamente ficou sem se alimentar enquanto fugia de Jezabel.
Depois desse jejum, ele foi ministrado no monte do Senhor.
Atitudes: Prepare-se fisicamente e emocionalmente (v.5-8); reconheça
seus limites; vá para um lugar onde você possa encontrar- se com Deus;
jejue para ouvir a palavra do Senhor (v.9); deixe que a Palavra de Deus
revele sua franqueza; confesse sua fraqueza diante de Deus (v.10); não
espere sempre manifestações extraordinárias de Deus (v.11-13) e veja Sua
palavra de maneira positiva (v.15,16).

5. O Jejum da viúva (1Rs 17. 13-16)


O objetivo é “repartir o pão faminto e abrigar o pobre desamparado” (Is
58.7). Suprir as necessidades básicas das pessoas que estão ao nosso
derredor. Deus enviou o profeta Elias a uma viúva pobre que estava
prestes a morrer de fome. Mas Elias em vez de dar-lhe comida, pediu o
que ela tinha para ele mesmo. Quando a viúva resolveu dar ao profeta a
última comida que lhe restava, ficando ela mesma de jejum, o Senhor fez
o milagre da multiplicação.
Atitudes: Volte-se para o seu próximo; reconheça as próprias bênçãos;
separe uma parte do seu próprio suprimento para suprir outros; jejue e
ore para receber orientação de Deus; ore por aqueles a quem você ajuda;
identifique-se com o sofrimento dos outros.

6. Jejum de Paulo (At 9.9)

O objetivo é “romper a luz como a alvorada” (Is 58.8). Quando temos de


tomar decisões cruciais, precisamos permitir que a luz de Deus venha
trazer discernimento e uma perspectiva esclarecedora. Depois de
encontrar com o Senhor no caminho de Damasco e ficar cego, Paulo
começou a jejuar e, no final deste jejum, Ananias foi enviado a ele para
que voltasse a ver e fosse batizado.
Atitudes: Separe tempo para ouvir o Senhor; faça uma auto-avaliação
honesta; deixe de lado o seu esforço e renda- se a Deus; procure um lugar
apropriado para orar; aplique-se à oração e obedeça o que você ouviu de
Deus.

7. O Jejum de Daniel (Dn 1.8)

O objetivo é “a tua cura brotará sem detença” (Is 58.8). Para conseguir
uma vida mais saudável ou receber cura para alguma enfermidade. Daniel
se absteve de alimentos pagãos e manjares do rei para honrar a Deus. No
final, o resultado foi que ele estava mais saudável que os demais da corte
do rei.
Atitudes: Tenha um compromisso espiritual no seu jejum; faça do seu
jejum um tempo de disciplina; ore para compreender onde há pecado na
sua dieta alimentar; faça do seu jejum uma declaração de fé; entenda que
o próprio jejum é um meio legítimo de ter saúde física.

8. O jejum de João Batista (Lc 1. 15)

O objetivo é “a tua justiça irá adiante de ti” (Is 58.8). Que o nosso
testemunho e influência do sal do Senhor em nossas vidas sejam
realçados diante das pessoas. João Batista tinha o jejum como estilo de
vida, pois era nazireu, não bebia nada que viesse da uva. Isso o
caracterizava como alguém separado pelo senhor para uma missão
especial.
Atitudes: Faça do seu jejum uma proclamação de sua separação para
Deus; decida ser alguém que possui uma vida devotada a Deus; trabalhe
com a possibilidade de fazer do jejum um estilo de vida; registre por
escrito o testemunho que você deseja obter e submeta seu estilo de vida a
Jesus.

9. O Jejum de Ester (Et 4.16; 5.2)

O objetivo é que “a Glória do Senhor esteja sobre nós” (Is. 58.8). O jejum
de Ester não foi para poupar a própria vida, mas para que a Glória do
Senhor se manifestasse livrando o seu povo.
Atitudes: Reconheça o inimigo como a origem do perigo; entenda a
natureza da batalha espiritual; reconheça o poder de Deus para guardá-lo;
jejue para vencer a cegueira espiritual; entenda que o jejum é apenas
parte do processo e que jejum para a batalha são mais efetivos quando
feito em grupo.

Pr. Aluízio A. Silva


fonte: http://www.IgrejaVideira.com