Você está na página 1de 3

MANIFESTO 2000

POR UMA CULTURA DE 1 I

PAZ E NÃO VIOLÊNCIA


A intenção que motiva a publicação do Manifesto 2000 em português, espanhol,francês
e inglês na seção Serviços é a de indicar ao leitor de Comunicação & Educação o importante
compromisso que cada cidadão tem com ofuturo, propondo, inclusive, que cada um subscreva
o Manifesto e tome para si a tarefa de buscar a transformagão profunda de que a sociedade
tanto necessita.

O Manifesto 2000 para uma cultura de TEXTO INTEGRAL DO MANIFESTO 20001


paz e não violência foi formulado por perso-
nalidades premiadas com o Nobel da Paz, com Reconhecendo minha parte de respon-
o objetivo de chamar a atenção do indivíduo sabilidade ante o futuro da humanidade, espe-
para que ele assuma sua responsabilidade em cialmente para as crianças de hoje e de ama-
relação a essa questão. Não é um chamamen- nhã, me comprometo, em minha vida diária,
to, nem uma petição dirigida a instâncias su- em minha família, no meu trabalho, na minha
periores. Ele chama a atenção para a respon- comunidade, em meu país e minha região a:
sabilidade de cada ser humano de converter respeitara vida e a dignidadede cada
em realidade os valores, a atitude, os compor- pessoa, sem discriminação nem preconceitos;
tamentos que fomentam a cultura e a paz. Por- praticar a não-violência ativa, recha-
que cada um pode atuar no marco de sua fa- çando a violência em todas as suas formas: físi-
mília, de sua localidade, de sua cidade, de sua ca, sexual, psicológica, econômica e social, em
região e de seu país, praticando e fomentan- particular em defesa dos mais fracos e vulnerá-
do, no dia-a-dia, a não-violência, a tolerân- veis, como as crianças e os adolescentes;
cia, o diálogo, a reconciliação, a justiça e a compartilhar meu tempo e meus re-
solidariedade. cursos materiais cultivando a generosidade a
Em Paris, em 4 de março de 1999, o fim de acabar com a exclusão, a injustiça e a
Manifesto 2000 se fez público e se propôs a opressão política e econômica;
colher adesões através do mundo. defender a liberdade de expressão e
O objetivo é o de reunir 100 milhões a liberdade cultural, privilegiando sempre a
de assinaturas ao amanhecer do Terceiro escuta e o diálogo, sem ceder ao fanatismo,
Milênio, quando terá lugar a Assembléia nem à maledicência e ao rechaço do próximo;
Geral das Nações Unidas, em setembro do promover um consumo responsá-
ano 2000. vel e um modo de desenvolvimento que leve

1. Os interessados podem subescrever o manifesto 2000 através do endereço: www2.unesco.org/manifesto2000/


O manifesto está disponível na rede em espanhol, italiano, francês, inglês. (Esta é uma versão tirada do espanhol.).
116 Manifesto 2000 por uma cultura de paz e não violência

em conta a importância de todas as formas de MANIFESTE 2000 POUR UNE CULTURE


vida e o equilíbrio dos recursos naturais do DE LA PAIX ET DE LA NON-VIOLENCE
planeta;
contribuir para o desenvolvimento Conscient de ma part de responsabilité
de minha comunidade, propiciando a plena face à l'avenir de l'humanité, et en particulier
participação das mulheres e o respeito aos prin- des enfants d'aujourd'hui et de demain, je
cípios democráticos, com o fim de criarmos prends l'engagement dans ma vie quotidienne,
juntos novas formas de solidariedade. ma famille, mon travail, ma communauté, mon
pays et ma région, de:
respecter la vie et la dignité de chaque
MANIFIESTO 2000 POR UNA CULTURA être humain sans discrimination ni préjugé;
DE PAZ Y NO VIOLENCIA pratiquer la non-violence active, en
rejetant la violence sous toutes ses formes:
Reconociendo mi parte de responsabili- physique, sexuelle, psychologique, écono-
dad ante e1futuro de la humanidad,especialmente mique et sociale, en particulier envers les plus
para 10s nifios de hoy y de maÍíana, me compro- démunis et les plus vulnérables tels les enfants
meto en mi vida diaria, en mi farnilia, mi trabajo, et les adolescents;
mi comunidad, mi país y rni región a: partager mon temps et mes ressources
respetar la vida y la dignidad de cada matérielles en cultivant la générosité, afin de
persona, sin discriminación ni prejuicios; mettre fin à l'exclusion, à l'injustice et à
practicar la no violencia activa, l'oppression politique et économique;
rechazando la violencia en todas sus formas: défendre la liberté d'expression et
física, sexual, psicológica, económica y social, la diversité culturelle en privilégiant toujours
en particular hacia 10s más débiles y vulnerables, l'écoute et le dialogue sans céder au fanatisme,
como 10s niííos y 10s adolescentes; à la médisance et au rejet d'autrui;
compartir mi tiempo y mis recursos promouvoir une consommation
materiales cultivando la generosidad a fin de responsable et un mode de développement qui
terminar con la exclusión, la injusticia y la tiennent compte de l'importance de toutes les
opresión política y económica; formes de vie et préservent l'équilibre des
defender la libertad de expresión ressources naturelles de la planète;
y la diversidad cultural privilegiando contribuer au développementde ma
siempre la escucha y e1 diálogo, sin ceder a1 communauté, avec la pleine participation des
fanatismo, ni a la maledicencia y e1 rechazo femmes et dans le respect des principes
de1 prójimó; démocratiques, afin de créer, ensemble, de
promover un consumo responsable y nouvelles formes de solidarité.
un modo de desarrollo que tenga en cuenta la
importancia de todas las formas de vida y e1
equilibrio de 10s recursos naturales de1 planeta; MANIFESTO 2000 FOR A CULTURE
contribuir a1 desarrollo de mi OF PEACE AND NON-VIOLENCE
comunidad,propiciando la plena participación
de las mujeres y e1 respeto de 10s principios Recognising my share of responsibility
democráticos, con e1 fin de crear juntos nuevas for the future of humanity, especially for today's
formas de solidaridad. children and those of future generations, I
Zomunicação & Educação, São Paulo, [ 171: 115 a 117, jan./abr. 2000 117

pledge - in my daily life, in my family, my defend freedom of expression and


work, my community, my country and my cultural diversity giving preference always to
region - to: dialogue and listening rather than fanaticism,
respect the life and dignity of every defamation and the rejection of others;
person without discrimination or prejudice; promote consumer behaviour that
practise active non-violence,rejecting is responsible and development practices that
violence in a11 its forms: physical, sexual, respect a11 forms of life and preserve the bal-
psychological, economical and social, in par- ance of nature on the planet;
ticular towards the most deprived and contribute to the development of
vulnerable such as children and adolescents; my community, with the full participation
share my time and material resources of women and respect for democratic
in a spiritof generosityto put an end to exclusion, principles, in order to create together new
injustice and political and economic oppression; forms of solidarity.