Você está na página 1de 42

CENTRO UNIVERSITÁRIO RITTER DOS REIS – LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE


DISCIPLINA DE AGRESSÃO E DEFESA

Herpes e Hepatites

Prof. Clara Lia C Brandelli


Características

• A família dos herpes vírus contém vários dos mais importantes patógenos humanos.
Podem causar infecções persistentes sofrendo reativação periódica.

• Vírus grandes, DNA fita dupla com envelope. Seu genoma incorpora-se ao do
hospedeiro.

• Mais de 100 tipos de vírus

• Manifestações: Herpes simples, herpes genital, conjuntivite, varicela, anomalias


congênitas com retardo mental (citomegalovirus).
Vírus herpéticos humanos

NOME COMUM DESIGNAÇÃO SIGLA SUBFAMÍLIA


Herpes Simplex Vírus tipo 1 Herpesvírus humano 1 HSV-1 α

Herpes Simplex Vírus tipo 2 Herpesvírus humano 2 HSV-2 α

Vírus da Varicela-Zoster Herpesvírus humano 3 VZV α

Vírus Epstein-Barr Herpesvírus humano 4 EBV γ

Citomegalovírus Herpesvírus humano 5 CMV β

Vírus Herpes Humano tipo 6 Herpesvírus humano 6 HHV-6 β

Vírus Herpes Humano tipo 7 Herpesvírus humano 7 HHV-7 β

Vírus Herpes Humano tipo 8 Herpesvírus humano 8 HHV-8 γ

Fonte: SANTOS; SILVA; PEREIRA JÚNIOR (2000)


Estrutura
• 120 a 300 nm
• Genoma DNA de fita dupla
• Capsídeo - simetria icosaédrica
• Envelope lipoproteíco com espículas de glicoproteínas
HSV-1

• Transmitido principalmente pelas vias orais ou respiratórias


• Infecção ocorre na infância
• 90% da população dos EUA já fora infectadas
• Infecção subclínica mas pode desenvolver para lesões, conhecidas como herpes
labial
• Lesões dolorosas, formadas de vesículas de curta duração
HSV-2

• Transmissão: contato sexual


• Sêmen: vírus
• Herpes genital
• EUA: 1 em cada 4 pessoas
• HSV-1: está ocorrendo um
aumento de casos
• Contato oro-genital
• Incubação: 1 semana
• Vesículas
Herpes viruses

Nucleocapsid

Envelope
Mecanismo de Latência dos HSV- 1 e HSV-2
• Após a infecção lítica nas células (mucosa ou epiderme), os vírus
penetram pelas terminações nervosas = axônio = gânglio sensorial
• HSV-1: latência nos gânglios do nervo trigêmeo =que faz comunicação
com a face e o SNC
• Ativado: sol, problemas emocionais, mudanças hormonais
• HSV-2: latência nos gânglios sacrais próximos a coluna
• Recorrência em 90%
• Diminui com o tempo, independente do tratamento
• Raro: vírus se alastrar para o cérebro causando encefalite herpética
• HSV-2: mais graves, mortalidade 70%
• Aciclovir
INFECÇÃO PRIMÁRIA
IP pode tb. ser
assintomática!

Manifestações Clínicas (alguns exemplos)

Gengivoestomatite herpética

Ceratoconjutivite herpética

Meningoencefalite herpética

Herpes neonatal

Recuperação da infecção primária


O vírus entra em estado de latência,
podendo ser reativado Infecção secundária
TRATAMENTO

• Agentes antivirais que inibem a síntese de DNA viral.

• O Aciclovir é eficaz no controle dos sintomas da herpes genital e do vírus


na cavidade bucal.
• É administrado também em pacientes imunodeprimidos.

• Várias vacinas estão sendo desenvolvidas para evitar infecções


primárias.
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

1. Doença orofaríngea ou gengivoestomatite herpética

• A doença sintomática ocorre mais frequentemente em crianças (1-


5 anos) e afeta a mucosa bucal e gengival
• A doença clínica tem duração de 2-3 semanas - HSV-1
• Sintomas: febre, faringite, lesões vesiculares e ulcerativas, edema,
gengivoestomatite, linfadenopatia submandibular, anorexia, mal-
estar, etc.
• A doença recorrente localiza-se na borda dos lábios, com dor no
início e desaparece em ± 4-5 dias, com recidivas.
HERPES ORO-FARÍNGEO
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

2. Ceratoconjuntivite

• A infecção inicial por HSV-1 pode ocorrer nos olhos,


produzindo ceratoconjuntivite grave.
• Lesões oculares recorrentes são comuns (ulcera de córnea e
vesículas nas pálpebras) podem levar a cegueira
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

3. Herpes Genital (HG)

• Habitualmente causada por HSV-2, mas também por HSV-1


• Infecções genitais primárias podem ser graves e durar cerca de 3
semanas
• Lesões vesículo-ulcerativas do pênis ou colo uterino, vulva, vagina e
períneo
• HG pode estar associado à febre, mal-estar, disúria e linfadenopatia
inguinal
HERPES GENITAL
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

4. Infecções Cutâneas

• A pele intacta é resistente aos HSV


• Contaminação ocorre via escoriações
• São quase sempre graves e potencialmente fatais quando ocorrem
em indivíduos com distúrbios cutâneos, como eczema ou
queimaduras, que permitem a extensa replicação e disseminação do
vírus.
HERPES CUTÂNEA
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

5. Herpes Neonatal
• A infecção por HSV pode ser adquirida in utero, durante o parto
normal ou após o nascimento
+ comum (75%), opção pela
cesariana
• 1 em 5.000 partos por ano
• Recém-nascidos: baixa imunidade - doença grave
• Taxa de mortalidade da doença não tratada: 50%
• Lesões: olhos, pele e boca; encefalite; e doença disseminada em
múltiplos órgãos.
HERPES NEONATAL
Infecções em indivíduos imunocomprometidos

• Pacientes HIV+/AIDS
• Pacientes com alto grau de desnutrição
• Pacientes submetidos a tratamento antineoplásico

• Na maioria dos casos, a doença reflete a reativação de infecção latente por HSV.
Ao contrário do amor
Herpes é para sempre!
http://www.paisefilhos.com.br/noticias/bebe
-quase-morre-depois-de-receber-um-beijo-e-
contrair-herpes/
HEPATITES
Hepatite: distúrbio inflamatório do
fígado
Hepatites
• Álcool:

- dose de alto risco é 5-8 doses de uísque (240 ml), pouco menos de 1 garrafa e meia de vinho (800 ml) ou 2 litros de cerveja.

- Quanto maior o tempo de ingestão (anos), maior é o risco de hepatite alcoólica e cirrose.

- Certas pessoas podem adoecer mesmo com doses e tempo bem menores do que a média acima mencionada.

• Medicamentosa:

- Alguns medicamentos relacionados com hepatite são: anti-inflamatórios; antibióticos e antifúngicos como a eritromicina, tetraciclina,

sulfas, cetoconazol e nitrofurantoína; anabolizantes (hormônios usados para melhorar o desempenho físico - dopping);

• Auto-imune: algumas doenças fazem com que as substâncias de defesa do próprio indivíduo (anticorpos) causem inflamação e dano ao fígado.

Não se sabe porque isso acontece.

• Esteatohepatite não alcoólica (esteatose hepática, fígado gorduroso): é o acúmulo de gordura no fígado. Ocorre em diversas situações

independentes do consumo de álcool, como obesidade, diabete melito, alterações das gorduras sanguíneas (colesterol ou triglicerídeos altos) e

alguns remédios.
Funções e anatomia do fígado
• O fígado é a maior víscera do corpo
humano.
• Situa-se no quadrante superior direito
do abdômen, aderido à superfície
inferior do diafragma.

• Funções Metabólicas importantes:


Carboidratos, proteínas (Albumina),
fatores da coagulação, ciclo da uréia,
etc.
Patogenia
Hepatites virais - classificação

• Vírus da hepatite A (HAV)

• Vírus da hepatite B (HBV)

• Vírus da hepatite C (HCV)

• Vírus da hepatite D (HDV) -agente Delta -depende do HBV

• Vírus da hepatite E (HEV) -hepatite semelhante à HAV


HEPATITE A
• Vírus: HAV (RNA)

• Transmissão fecal-oral (água e alimentos contaminados)

• Endêmica em regiões com condições sanitárias inadequadas (viagens)

• Surtos em meios institucionais (creches, presídios, escolas)

• Nessas regiões, é mais comum na infância, com manifestações leves ou assintomática.

• Em países desenvolvidos, grande parte da população adulta é suscetível


HEPATITE A

• Após entrada via oral, o HAV se multiplica no revestimento epitelial intestinal

• Vírus se dissemina para o fígado, rins e baço

• Quantidade de vírus excretado é maior antes dos sintomas surgirem

• Trabalhador de manuseia alimentos = pode não parecer doente = disseminar o vírus

• Tábuas de corte: vírus sobrevive vários dias

• Água e comida contaminadas: devido a alta resistência do HAV aos desinfetantes clorados

• Ostras: fonte de infecções


HEPATITE A

• 50% das infecções são assintomáticas


• Sintomas iniciais: anorexia, mal-estar, náuseas, diarreia, desconforto
abdominal, febre e calafrios
• Duram de 2 a 21 dias
• Não existe a forma crônica
• Costuma ter evolução benigna, não deixando seqüelas.
• Vacinas = recomendadas para quem viaja para áreas endêmicas
• Faz parte do calendário da vacinação infantil
• A decisão do Ministério da Saúde de incluir a vacina contra Hepatite A
no calendário vacinal foi embasada na incidência da doença no Brasil.
De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), todos os
anos ocorrem cerca de 1,4 milhão de casos de Hepatite A no mundo.
No Brasil, estima-se que ocorram por ano 130 novos casos a cada 100
mil habitantes.
HEPATITE B
• Vírus: HBV (DNA)

• Transmissão: parenteral, vertical, sexual

• Período de incubação (sem sintomas): 30 a 180 dias

• Torna-se crônica em até 5% dos casos

• Dos indivíduos com hepatite B crônica, 25 a 40% evoluem para cirrose e/ou câncer de fígado

• Proporciona ambiente apropriado para o vírus defectivo da hepatite delta.

• Vacina: 3 doses, 95% produzirão os anticorpos e, nestes, a proteção contra a hepatite é


próxima de 100%.
HEPATITE B
HEPATITE C
• Vírus: HCV (RNA)

• No Brasil, há cerca de 3 milhões de pessoas infectadas pelo vírus da hepatite C.

• Transmissão parenteral, vertical e sexual (?)

• Pessoas que receberam transfusões de sangue antes de 1993 devem fazer o teste anti-HCV

•Período de incubação: 20 a 90 dias

• Fase aguda em geral assintomática

• Torna-se crônica em mais de 80% = 20% evoluem para cirrose e/ou câncer de fígado

• Não apresenta forma fulminante


HEPATITE C
Tratamento
• Tratamento: Para a hepatite C crônica, pode-se administrar interferon
convencional ou associado a ribavarina, dependendo do genótipo
infectante. Para a forma aguda, quando sintomática, apenas repouso,
medicamentos para náuseas, febre e monitoramento das
transaminases.
• Quando não há cirrose instalada, as chances de eliminação total do
vírus do organismo variam entre 30% e 70%,
• Prevenção: Não existe vacina contra o vírus. Uso de preservativo, uso
de seringas descartáveis etc.
• Diagnóstico: anti-HCV, exclusão das demais hepatites virais, detecção
do RNA viral por biologia molecular (PCR).
Resumão...
• https://www.youtube.com/watch?v=XYtwT9L7ScM
• https://www.youtube.com/watch?v=f6eqOVCoY5U
• https://www.youtube.com/watch?v=fuubKJ2AIiM
• https://www.youtube.com/watch?v=HRtaAqZZF5Q