Você está na página 1de 2

Grade de crenças

Certo
(Eu tenho plena certeza sobre esta crença)

Importante Não importante


(Isto é muito importante para (Isto não é tão importante para
minha meta) minha meta)

Incerto
(Eu não estou muito certo sobre esta crença)

1/2
Grade de crenças

Roteiro de aplicação:
1) [Opcional] Peça ao cliente para explorar uma de suas metas importantes com a
planilha de trabalho “Crenças Limitantes”. Ele descobrirá algumas crenças limitantes
nas áreas da possibilidade, habilidade ou merecimento;
2) [Opcional] Certifique-se de que ele realmente quer a meta e verifique a ecologia da
meta. Ela é realmente apropriada para ele? Ela se enquadra em seus valores? Ela fere
outras pessoas importantes em sua vida?
3) Pergunte-lhe o que o impede de atingir suas metas. Trate os obstáculos que eles
apresentam como crenças, não como realidade. Estes obstáculos normalmente se
encaixam em cinco categorias:
a. O cliente não tem os recursos – pessoas, equipamentos, tempo, etc.;
b. Ele tem os recursos, mas não sabem o que fazer;
c. Ele sabe o que fazer, mas não acredita que tem habilidade para fazê-lo;
d. Ele tem habilidade, mas ela aparentemente não vale a pena;
e. A meta tem valor, mas o cliente julga não merecer atingi-la ou atingi-la não
parece certo em um nível profundo.
4) Peça ao cliente para pensar sobre as crenças limitantes e obstáculos que ele descobriu.
Utilizando a “Grade de Crenças”, peça ao cliente que represente:
a. Quais crenças ele tem certeza e são importantes para atingir a meta? Peça para
escrever no canto superior esquerdo;
b. Sobre quais crenças há dúvidas e ele julga importante para atingir a meta?
Peça para escrever no canto inferior esquerdo;
c. Quais são as crenças que ele tem certeza e julga que não são importantes para
atingir a meta? Peça para escrever no canto superior direito;
d. Sobre quais crenças há dúvidas e ele julga não importante para atingir a meta?
Peça para escrever no canto inferior direito.
5) Peça ao cliente para selecionar uma crença que seja importante;
6) Ajude o cliente a criar uma tarefa para que ele teste esta crença.
a. O objetivo não é provar que a crença é errada, mas sim obter feedback a partir
dela;
b. Crenças limitantes crescem e se proliferam no escuro se elas nunca receberem
a luz do retorno (feedback) do mundo exterior. Este não é um processo
desenhado para mudar uma crença, mas para arrastá-las sob a luz do retorno
para que o cliente a perceba;
c. Com o feedback, a crença será enfraquecida e o cliente, com frequência, a
deixará de lado de maneira espontânea.

2/2