Você está na página 1de 12

EMPREGO DA CRASE

Uso da Crase – quando há (ou não) crase

A fusão de duas vogais idênticas recebe o nome de crase. A junção do artigo a com a preposição a,
resulta no a craseado (à), marcado pelo acento grave.
A junção da preposição a com o pronome demonstrativo e o relativo [qual] também resultará em crase.
Isso só será possível se o verbo ou substantivo [nome] exigirem a preposição A.
O uso apropriado do sinal indicativo de crase, depende da compreensão da fusão das duas vogais. É
fundamental também, para o entendimento da crase, ter um bom conhecimento da regência dos verbos e
substantivos que exigem a preposição "a". Aprender a usar a crase, portanto, consiste em aprender a
verificar a ocorrência simultânea de uma preposição e um artigo ou pronome.
a+a =à
Vou a a festa. = Vou à festa.
Ganhei um quadro semelhante àquele que recebi de presente o ano passado. > semelhante a + aquele
a + aquele = àquele
Ganhei um quadro semelhante àquele que recebi de presente o ano passado. > semelhante a + aquele
a + aquela = àquela;
Não me refiro a aquela mulher. > Refiro-me àquela mulher.
a + a qual = à qual;
A biblioteca à qual me refiro fica no centro da cidade.
O diretor referiu-se à qual documento?
a + as quais = às quais.
Essa foi a conclusão à qual ele chegou.

SEMPRE haverá crase, acento no a (e as)

1. Antes de palavras femininas que exijam o artigo a:


Dei uma flor à menina. [ dar algo A alguém].
Obedeça às ordens ou será demitido. [obedecer A]
Assiste à missa regularmente. [ assistir = ver, presenciar]
Vou à reunião.
2. Com nomes próprios de lugar.
Observação:
Para saber se a palavra aceita ou não artigo, basta usar o seguinte artifício:
a) Se puder empregar a combinação da antes da palavra, é sinal que ela aceita o artigo.
b) Se puder empregar a combinação de, é sinal de que a palavra não aceita o artigo.
Fui a Bahia. [ Vim DA Bahia.] = Fui à Bahia.
Vou a Curitiba. [ Virei DE Curitiba.] = Vou a Curitiba.
Irei a Tijuca. [ Virei DA Tijuca.] = Irei à Tijuca.
Irei a Roma. [ Virei DE Roma.] = Irei a Roma.
Irei a Roma antiga. [ Virei DA Roma antiga.] = Irei à Roma antiga.

2.1 Antes de nome de lugar com forma oculta de rua, avenida, moda, maneira.

Iremos à Conde de Bonfim. (à Rua)


Leve isto à Saraiva. (à editora)

1
Chegaremos à Ouvidor às sete e quinze. ( à Rua)
Fui à Rio Branco, mas o local passa por reformas. ( à Avenida)

3. Antes de numeral que indique horas


Sairemos às 15 horas.
Chegaremos às 2h
O vôo chegará às 20h50mim.
A aula será das quinze às dezoito horas.
O shopping abre às 10 horas.
O jantar será às 20h 30.
O médico chegará às 16h 45 mim.
Observação:

Sendo a crase a fusão da preposição A com o artigo A, não se poderá acentuar o AS das horas quando
se empregar outra preposição (que não seja A). São quatro as possibilidades: para, desde, após, entre.
Com elas é proibido usar o AS craseado, para que não haja uma superposição de preposições.
Exemplos:

A conferência foi marcada para as 10 horas da noite.

Desde as duas estou te esperando!

Não atendemos após as 18 h de sábado.

A Companhia de energia avisa que faltará luz na zona norte do Rio entre as 20 h e as 22 h.

Reafirmando: este ‘as’ não leva crase porque é puro artigo. Nesse último exemplo pode-se verificar mais
claramente tratar-se de artigo ao se trocar “as 20 h” por um horário do gênero masculino:

Faltará luz na zona norte do Rio entre o meio-dia e as 22 h.


As crianças chegarão após as 18 h.
Os pacientes esperam pelo atendimento desde as 5h.
Informamos que haverá falta de energia entre as 13 h e as 17 h.

4. Em locuções adverbiais, conjuntivas ou prepositivas formadas por palavras femininas:


Adverbiais: às pressas, à tarde, à noite, à toa, às escondidas, à força, às cegas, à queima – roupa, às
escuras, às mil maravilhas, à tarde, à noite, às oitos horas, às tontas, à custa de,às expensas de, à força
(de), à vontade, às claras, às fartas, à vista, à direita, à esquerda, às vezes, às claras, à vontade, à
disposição etc.
Exemplos:
Ele saiu às pressas.
Às vezes, a secretária chora.
As crianças vão ao parque às teças, à tarde.

# Com a expressão a vista, significando o oposto de a prazo.


Comprou roupas à vista.

Conjuntivas: à proporção que, à medida que. (Exceção: a prestação.)

2
Exemplos:
À medida que estudava progredia na empresa.
À proporção que escondia os sentimentos adoecia.
Prepositivas: à falta de, à espera de, à vista (de), à beira de, à moda de, à maneira de .
Exemplos:
Ficou à espera de notícias.
Estava à beira de cometer uma loucura.
Saiu à procura de ajuda.

4) Com os pronomes demonstrativos AQUELE, AQUELA, AQUILO, relativos QUE, QUAL


se o verbo ou o nome exigir preposição A.
Exemplos:
Diga isso àquela senhora [ diga a+ aquela = àquela # diz algo A alguém]
Aludiu àquela modelo mais alta. [ aludir A + aquela = Aludir àquela]
Espero que você compre uma peça idêntica à que você quebrou. [Espero que você
compre uma peça idêntica à peça que você quebrou.]
Trata-se de caso menos comum; é uso correto. Na verdade, a crase aí ocorre não pelo
pronome relativo “que”, mas por causa de um substantivo feminino subentendido, que
está oculto justamente porque se pretende evitar sua repetição
Minha mãe, à qual sempre obedeci, ensinou-me a ser honrado
5. À moda
Quando se tratar de uma expressão sinônima que indica segundo os costumes : à moda da casa, à
moda francesa, à moda dela, à moda da Bahia e outros. Com este sentido, a locução a moda, sem acento
indicador de crase, está errada.
Exemplos:

 Vamos àquele restaurante comer o bife à moda da casa.


 Venha jantar comigo e comer macarronada à moda italiana que minha mãe faz.
 Vou sair desse encontro à moda francesa.

A crase é FACULTATIVA:

1) Antes de nome próprio de pessoa feminino:

Entregarei o livro a Carmem amanhã (ou à Carmem). [ Entregar algo A alguém]

Escrevi a Martha Medeiros, autora do meu livro preferido (ou à Martha Medeiros).

2) Antes de pronome possessivo feminino singular:

Diga a sua mãe que ligarei mais tarde (à sua mãe).

Oferecemos gratidão a nossa professora (ou à nossa professora).

Eu escrevi à sua irmã. / Eu escrevi a sua irmã.


Obs.: Se o pronome estiver no plural, temos:
Escrevi às suas irmãs. (obrigatório)

Escrevi a suas irmãs. (proibido: o a é apenas preposição)


.

3
3) Depois da preposição ATÉ.

ATÉ AS OU ÀS
Os portões permanecerão abertos até as 23 horas.

Os portões permanecerão abertos até às 23 horas.

Embora tenhamos dito acima que a crase é proibida depois de uma preposição, é possível – embora
desnecessário – usá-la com ATÉ na frente da hora. Ocorre que a preposição “até”, excepcionalmente e
por motivo de clareza, pode ser seguida da preposição “a”. Sendo assim, escrever até as 23 h ou até às
23 h é indiferente, porque neste caso não há o perigo de confusão com a partícula inclusiva.

Exemplos:

Vamos até à praça. [ Há divergências entre os gramáticos.]


Vamos até a praça.

4) Antes das palavras França, África, Inglaterra, Ásia. Europa, Escócia, Espanha e Holanda.
Exemplo:

Retornarás à França. Retornarás a França.

OBSERVAÇÃO
No final do século XIX, ERA ELEGANTE USAR SEM ARTIGO TOPÔNIMOS COMO
França, Inglaterra, Espanha, Holanda, África, Ásia...., motivo pelo qual está correto
dizer:

Venho de França. / Vou a França.

Venho de Inglaterra. / Vou a Inglaterra.

Hoje, porém, tais construções denotam arrogância.

CASOS PROIBITIVOS

1) Antes de masculino.
Ex.: Eles foram a pé.
Pediu um bife a cavalo.
Estamos a par de tudo.
2) Antes de pronomes pessoais, de tratamento e indefinidos.
Ex.: Mostre a ela a resposta.
Jamais pedi tal coisa a V.Sa.
Deu o livro a alguma colega.
Dedicação total a você.
Entreguei o prêmio a um funcionário arrogante.
Apaixonado, entregou toda a herança a uma vadia.

Obs.: Virão precedidos de à os pronomes de tratamento Senhora, Senhorita, Madame e


Dona.

Exemplos:
Entregue isto à Senhora Josefina.

4
Referiu-se à simpática Dona Augusta.
3) Antes de verbo.
Exemplos:
Preço a combinar.
Preços a partir de.....
A realizar-se às dezoito horas.
A mulher começou a chorar quando soube do acidente.
Esse funcionário está apto a desempenhar a função. [ apto A – mas não há crase antes de verbo.]
4) Toda vez que o ‘a’ estiver no singular e a palavra seguinte no plural, mesmo que o verbo exija
preposição A, não ocorrerá a crase, pois apresenta sentido indefinido.
Exemplos:
Assisto a novelas. [ várias, todas que a emissora ou emissoras apresentam]
Vou a partidas de futebol. [ todas, várias]

5) Em expressões formadas por palavras repetidas


frente a frente, passo a passo, cara a cara, lado a lado, dia a dia, boca a boca.
Exemplos:
Tomou o remédio gota a gota.
Os culpados ficaram frente a frente.
Os ladrões ficaram cara a cara.
6) Com a palavra casa, quando não está determinada ou qualificada.
Exemplos:
Voltarei a casa, pois esqueci a carteira.
Chego tarde a casa.
Mas: Irei à casa de meus tios.
Fui à casa nova.
7) Com a palavra distância, quando não está especificada.
Exemplos:
Ele ficou a distância.
Ficamos a grande distância.
Mas: O menino ficou à distância de cem metros.
8) Com a palavra terra, quando significa oposição a bordo.
Exemplos:
Os marujos foram a terra.
Mas: Irei à terra natal dos meus pais.
9) Antes de nomes de vultos históricos
Exemplos:
Fez alusão a Joana D’Arc.

MÉDOTO PRÁTICO
Troque a palavra feminina por outra que seja masculina.
Se no masculino aparecer obrigatoriamente ‘ao ou aos’, no feminino haverá crase.

Refiro-me a menina. # Refiro-me ao menino. = Refiro-me à menina.


Refiro-me as meninas. # Refiro-me aos meninos. = Refiro-me às meninas

5
CORRETO CORRETO SEM A CRASE
Diz-se das sete às nove horas. De sete as nove.
Da página trinta à quarenta e dois. De trinta a quarenta.
Da quinta à oitava . De dez a quinze.
De quinta a oitava

EXERCÍCIOS
1) Marque C ou E.
1. [ ] Crase é a fusão de dois ‘as’.
2. [ ] O primeiro ‘a’ da crase é uma preposição.
3. [ ] O segundo ‘a’ da crase é uma preposição.
4. [ ] O segundo ‘a’ é um artigo, um pronome demonstrativo ou a vogal inicial dos demonstrativos
aquele(s), aquela(a), aquilo(s).
5. [ ] ‘à ou às’ com acento grave indica a existência de crase, isto é, fusão de dois ‘as’.
6. [ ] ‘à ou às’ indica a existência de substantivo feminino.
7. [ ] O masculino de ‘à’ ou ‘às’ é ao ou aos.
8. [ ] Para haver crase é necessário um termo regendo a preposição ’a’.
9. [ ] Para haver crase é necessário que o termo regido seja feminino.

2) Marque a alternativa em que a crase está correta e justifique todas as alternativas.


a) Àquele passeio foi maravilhoso.
b) Dirijo-me à Vossa Senhoria.
c) Iremos àquele passeio.
d) Ficamos frente à frente com as testemunhas.
e) O jantar cheira à molho de carne.

3) A sequência que preenche corretamente as lacunas da frase “ Os advogados iniciaram -------ação, ------
- partir dos depoimentos, ------medida que os fatos transcorriam, para posteriormente, se dirigirem -------
Vossa Excelência.

a) à, a, à, a

b) a,a,à, á

c) a,a, à, a

d) a, à, à, à

e) à,a, à, a

4) Complete as lacunas do texto abaixo de acordo com a norma culta da língua portuguesa.

“ Todos devem chegar cedo ----festa, para que ----pessoas, uma ----uma, possam ser identificadas. Lá ------
de estar um clima e alegria.

a) à, há, a, a

b) à, as, a há

c) a, as, à, há

6
d) á, as, à, há

e) a, as, a, a,

5) O único caso em que o ‘a’ leva acento indicativo de crase é:

a) Meu filho, não dê atenção a futilidades.

b) Após andarmos a cavalo, fomos almoçar.

c) Ontem assistimos a uma cena desagradável.

d) A essa hora você não encontrará mais ninguém.

e) Nossa esperança está ligada aquela que nossos pais tinham.

6) Preencha corretamente as lacunas.

“ -------noite, todos os operários voltaram ---fábrica e só deixaram o serviço ---- uma da manhã.

7) Empregue o acento indicativo da crase quando necessário.


Joana foi a padaria, a manicura, a modista, e voltou a repartição antes de viajar. Por
pouco não chegava a estação a tempo de tomar o trem que a levaria a Recife. De
Recife viajará a Portugal, a Espanha, a França, a Inglaterra, a Holanda e a Israel. É a
primeira vez que visitará a Europa. No próximo ano, pretende ir a África.

8) Complete as lacunas.
1) Ele se portava -----------Napoleão.
2) Cortou o cabelo --------príncipe Charles.
3) Usava sapatos ------- Luís XV.
9) A crase não é admissível em:

a) Comprou a crédito.

b) Vou a casa de Maria.

c) Fui a Bahia.

d) Cheguei as doze horas.

e) A sentença foi favorável a ré.

10) (AFRESP/3ºG) Assinale a alternativa correta.

Chegou ---------tempo de presenciar ---------pequena discussão entre ---------- e o encarregado da limpeza.

a) à - uma - eu;

b) a - uma -mim;

c) há - a uma - mim;

d) a - a uma eu.

11) ( PRF/2ºG/ANP) Assinale a alternativa que recebe o acento indicativo de crase.

a) O ônibus chegará as cinco horas.

b) Os policiais chegarão a qualquer momento.

c) Não sei como responder a essa pergunta.

d) Não cheguei a nenhuma conclusão.

7
12) ( ALCLDF/3º/G/IDR) Assinale a alternativa correta.

a) O ministro não prendia à nenhuma dificuldade burocrática.

b) O Presidente ia a pé, mas a guarda municipal ia à cavalo.

c) Ouviu-se uma voz igual aquela que nos chamara anteriormente.

d) Solicito â V. Exa. Que reconheça os obstáculos que estamos enfrentando.

13) (FCC/TRE-RN/2011)Graças ___ resistência de portugueses e espanhóis, a Inglaterra furou o


bloqueio imposto por Napoleão e deu início ___ campanha vitoriosa que causaria ___ queda do imperador
francês.

Preenchem as lacunas da frase acima, na ordem dada,


a) a – à – a

b) à – a – a
c) à – à – a
d) a – a – à
e) à – a – à

14) (FCC/TRT – 1ª REGIÃO/2011)

O avanço rumo ___ um desenvolvimento sustentável depende de diversos fatores, entre os quais estão o

estímulo ___ novas tecnologias e o compromisso ético de empresas que tenham como prioridade o

respeito ___ causas ambientais.

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:


a) a – à – as

b) a – a – às
c) à – a – as
d) a – à – às
e) à – à – a

15) (IBGE) Assinale a opção em que o A sublinhado nas duas frases deve receber acento grave indicativo

de crase:

1. Fui a Lisboa receber o prêmio. / Paulo começou a falar em voz alta.

2. Pedimos silêncio a todos. Pouco a pouco, a praça central se esvaziava.

3. Esta música foi dedicada a ele. / Os romeiros chegaram a Bahia.

4. Bateram a porta fui atender. / O carro entrou a direita da rua.

5. Todos a aplaudiram. / Escreve a redação a tinta.

16) CESGRANRIO – 2013 – BNDES – Técnico Administrativo

A frase em que o sinal indicativo de crase está usado de acordo com a norma-padrão é:

a) As determinações do comitê destinam-se àqueles atletas indicados.

b) Ele se apoderou à bola e saiu correndo.

8
c) Ele ajuntou-se à um conjunto de mulheres inteligentes.

d) Este fato é comum à todo campeonato mundial.

e) Tenho todas essas contas à pagar.

17) (ITA – SP)

Dadas as afirmações:

1- Tudo correu as mil maravilhas.

2 – Caminhamos próximo a parede.

3 – Ele jamais foi a festas.

Verificamos que o uso do acento indicador da crase no “a” é obrigatório:

a) apenas na sentença 1

b) apenas na sentença 2

c) apenas nas sentenças 1 e 2

d) em todas as sentenças

18) (SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA/RJ – – ESAF) 1 – Assinale a opção que preenche

corretamente as lacunas do texto.

De todo navio que aporta no país são exigidos, em média, 112 documentos, com __1__ obrigatoriedade

de serem fornecidas 935 informações. É um calhamaço de formulários com diversas vias __2__ serem

remetidas__3__ órgãos diferentes e em duplicidade. Apenas no porto de Santos, o maior do país, __4__

burocracia exige, por ano, o preenchimento de 3.773.800 folhas, 17,4 toneladas de papel, segundo

estimativa do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). Por ser de navio que qualquer país

faz __5__ maior parte das exportações e importações, conclui-se que__6__ burocracia é poderoso

entrave ao comércio exterior brasileiro.

(O Globo, 27/7/2010, com adaptações)

1 2 3 4 5 6

(A) à a à à a a

9
(B) a à a à à a

(C) à à a a à a

(D) a a à à a à

(E) a a a a a a

19) (DETRAN/RN – 2010 – FGV) 7 – Assinale a alternativa em que está correto o uso do acento

indicativo de crase:

(A) O autor se comparou à alguém que tem boa memória.

(B) Ele se referiu às pessoas de boa memória.

(C) As pessoas aludem à uma causa específica.

(D) Ele passou a ser entendido à partir de suas reflexões sobre a memória.

(E) Os livros foram entregues à ele.

20) (FCC/TRF – 5ª REGIÃO/2012) O detetive Gervase Fen, que apareceu em 1944, é um homem de

face corada, muito afeito ___ frases inteligentes e citações dos clássicos; sua esposa, Dolly, uma dama

meiga e sossegada, fica sentada tricotando tranquilamente, impassível ___ propensão de seu marido ___

investigar assassinatos.

(Adaptado de P.D.James, op.cit.)

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:

a) à – à – a

b) a – à – a

c) à – a – à

d) a – à – à

e) à – a – a

10
Regência nominal

Chamamos de regência nominal o nome da relação existente entre um nome (substantivo, adjetivo ou

advérbio) e os termos regidos por esse nome. Essa relação é sempre intermediada por uma preposição.

Veja alguns exemplos (vale lembrar que existem muitos outros):

Substantivos:

Admiração a/por

Devoção a/ para/ com/ por

Medo de

Respeito a/ com/ para com/ por

Adjetivos:

Necessário a

Acostumado a/com

Nocivo a

Agradável a

Equivalente a

Advérbios:

Longe de/ Perto de

Obs.: Os advérbios terminados em -mente tendem a seguir o regime dos adjetivos de que são formados:

Paralela a; paralelamente a

Relativa a; relativamente a

11
Referências
http://www.coladaweb.com/portugues/uso-da-crase-quando-ha-ou-nao-crase [ com adaptação]
https://vintequestoestododia.wordpress.com/2014/11/18/20-questoes-de-crase-bateria-1/
PIMENTEL, Ernani Filgueiras. Gramática pela prática. 3. Ed. – Brasília: Vest-Com, 1998.
http://www.linguabrasil.com.br/nao-tropece-detail.php?id=46
http://www.tudosobreconcursos.com/materiais/portugues/crase-regras
https://duvidas.dicio.com.br/a-moda-ou-a-moda/

12

Você também pode gostar