Você está na página 1de 57

Devagar e Sempre

52 atividades para crianças de 1 ano

Uma por semana, para o ano todo!

www. PaiProfessor.com.br
Devagar e Sempre
52 atividades para crianças de 1 ano

1ª Edição – Setembro de 2014

Um oferecimento de

www. PaiProfessor.com.br
Tradução livre das páginas 57 a 112 do livro “Slow and Steady, Get
me Ready. A Parent's Handbook”, First Edition, de June R.
Oberlander.

Disponibilizado gratuitamente pelo ERIC (Education Resources


Information Center) do U. S. Department of Education.
Link: http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED332802.pdf.

Aviso: a autora e o tradutor não são responsáveis por qualquer dano


ou acidente decorrentes da má utilização dos materiais e instruções
sugeridas neste ebook. Tal como acontece com todas as atividades
infantis, os materiais devem ser selecionados com cuidado e atenção
para a segurança das crianças; a supervisão de um adulto é essencial.
Índice
1 ano e 1 semana - O jogo da face e da cabeça 1 ano e 26 semanas - Posso carregar uma bandeja

1 ano e 2 semanas - Carretéis 1 ano e 27 semanas - Colocar o peixe no barco

1 ano e 3 semanas - Apanhando objetos 1 ano e 28 semanas - Onde fica o quarto?

1 ano e 4 semanas - Recipientes e suas tampas 1 ano e 29 semanas - Grande e pequeno


1 ano e 5 semanas - Vamos brincar de bola 1 ano e 30 semanas - Primeiro jogo de amarelinha
1 ano e 6 semanas - Vamos andar 1 ano e 31 semanas - Fazendo um estêncil
1 ano e 7 semanas - Olhe para mim 1 ano e 32 semanas - Pintura vegetal
1 ano e 8 semanas - O que faz esse som? 1 ano e 33 semanas - Este lado, aquele lado
1 ano e 9 semanas - O que há lá fora? 1 ano e 34 semanas - Elásticos na porta
1 ano e 10 semanas - O que está se movendo? 1 ano e 35 semanas - Pilha de canudos e carretéis
1 ano e 11 semanas - O que eu posso cheirar? 1 ano e 36 semanas - Coloque a tira na caixa
1 ano e 12 semanas - Vamos pescar 1 ano e 37 semanas - Prendedor de roupa
1 ano e 13 semanas - Posso me vestir? 1 ano e 38 semanas - Balançar e procurar
1 ano e 14 semanas - Explorando com terra, areia ou 1 ano e 39 semanas - Flores na cesta
arroz
1 ano e 40 semanas - Furar e pintar
1 ano e 15 semanas - Minha nova casa
1 ano e 41 semanas - Coletar e Guardar
1 ano e 16 semanas - Banda de música
1 ano e 42 semanas - Rasgue isso
1 ano e 17 semanas - Explorando com água
1 ano e 43 semanas - Panelas e tampas
1 ano e 18 semanas - Passando objetos por um buraco
1 ano e 44 semanas - Diversão com funil
1 ano e 19 semanas - Pintar com os dedos pode ser
divertido 1 ano e 45 semanas - Aprendendo a costurar
1 ano e 20 semanas - Pintando com pincel 1 ano e 46 semanas - Dobrando papéis
1 ano e 21 semanas - Dentro-Fora 1 ano e 47 semanas - Encontrar e Tocar
1 ano e 22 semanas - Subindo e descendo a escada 1 ano e 48 semanas - O Conta-Gotas
1 ano e 23 semanas - Massinha feita em casa 1 ano e 50 semanas - Ouvir e desenhar
1 ano e 24 semanas - Quebra-cabeça 1 ano e 51 semanas - Abrir e fechar
1 ano e 25 semanas - Soltando objetos pequenos 1 ano e 52 semanas - Encontre-me
1 ano e 1 semana
O Jogo da Face e da Cabeça
Toque a cabeça da criança e mova sua mão lentamente do pescoço para o lado esquerdo da cabeça, através da parte
superior até o lado direito, e novamente para o pescoço. Isso dará à criança a sensação do contorno da sua cabeça.
Diga a ela que você moveu sua mão ao redor da cabeça dela.

Desenhe um grande círculo em um pedaço de papel e diga ao seu filho que você está fazendo um desenho da cabeça
dele. Toque suavemente o olho esquerdo do seu filho e diga em seguida que você vai tirar uma foto daquele olho.
Desenhe o olho esquerdo no lugar apropriado no rosto desenhado. Faça o mesmo para o olho direito, o nariz e a
boca. Desenhe um grande sorriso. Diga à criança que você desenhou uma carinha feliz. Em seguida, desenhe as
orelhas, nomeando-as e falando sobre elas enquanto desenha. Para aumentar o realismo, adicione um pouco de
cabelo.

Se a criança ainda estiver interessada, pegue o dedo indicador dela e contorne a linha da cabeça desenhada. Toque
no olho esquerdo, em seguida, toque no olho direito, nomeando-os. E assim para todas as partes do rosto.

Repita esta atividade ao longo da semana. Além disso, aponte para os rostos dos seus familiares, bem como aqueles
encontrados em livros e revistas. Identifique as partes da cabeça todas as vezes que vocês voltarem a esse assunto.
Elogie a criança quando tiver uma resposta positiva.

Em outro momento, reúna botões, carretéis, pedaços de feltro, fichas de papel ou quaisquer coisas que possam ser
usadas como marcadores. Os marcadores devem ser fáceis de pegar e segurar. Não deixe a criança sozinha com
quaisquer objetos que possam ser engolidos! Usando o desenho de um rosto ou qualquer rosto grande (de uma
revista), instrua a criança a colocar um dos marcadores em um dos olhos. Não é aconselhável definir agora o que é
direita e esquerda. Portanto, permita à criança colocar o marcador em qualquer olho. Repita o procedimento para o
outro olho, o nariz, a boca, as orelhas e o cabelo. Ajude a criança, se necessário, e lembre-se de elogiá-la sempre que
possível.

Outra atividade que pode ser executada para reforçar a memória das partes da face é recortar um rosto de uma
revista e colá-lo em um pedaço de papelão. Quando secar, corte a face em duas peças (esquerda e direita). Diga à
criança para juntar as partes.

Durante toda a semana, repita essas atividades com o seu filho, especialmente quando ele parecer precisar de você.
Enquanto você está fazendo as tarefas domésticas, você pode interagir com o seu filho, dizendo-lhe para apontar as
partes da face dele. Ajude-o e corrija-o, se necessário, e lembre-se de elogiá-lo.

Esta atividade desenvolve: ● desenvolvimento da linguagem;


● os sentidos do tato e da audição; ● habilidade de seguir ordens;
● coordenação olho-mão; ● confiança;
● habilidade de associação; ● consciência de esquerda e direita.

4 Pai Professor
1 ano e 2 semanas
Carretéis
Separe alguns carretéis de formatos diversos e os dê à criança para explorá-los. Se ela não mostrar interesse,
incentive-a a olhar, sentir, empurrar, rolar, tocar, empilhar e derrubar os carretéis. Você pode precisar mostrar a ela
como fazer isso, mas não se esqueça de deixá-la brincar e explorar antes de introduzir qualquer nova atividade.

Em outro momento, incentive a criança a juntar dois carretéis, batendo um no outro com o ritmo de 1, 2, 1, 2. Cante
as palavras, “um-dois, um-dois”, batendo palmas ao mesmo tempo. Levante-se e bata os pés no mesmo ritmo.
Incentive a criança a bater os carretéis enquanto você bate palmas ou os pés. Se ela sentir vontade de copiar você,
não interrompa.

Ao longo da semana, mostre à criança como empilhar os carretéis em grupos de dois. Se ela empilhar mais, sugira a
utilização só de dois carretéis. No entanto, se ela se negar, deixe como está e tente novamente mais tarde.

Vocês podem se divertir rolando um carretel de um para o outro. A criança pode também se interessar por amarrar
os carretéis. Eles podem ser amarrados com um barbante ou um fio. Como a criança não consegue ainda passar um
fio pelo buraco do carretel, torça um pedaço de arame para se tornar uma “agulha”. Passe o barbante ou fio através
do buraco da agulha e amarre o primeiro carretel com um grande nó ou um pedaço de fita. Mostre à criança como
ligar os carretéis e incentive-a a fazer isso sozinha. Ajude-a sempre que for necessário. Lembre-se de elogiar as ações
positivas.

Esta atividade desenvolve: ● coordenação olho-mão;


● exploração livre; ● independência.
● ritmo e consciência do padrão 1-2;
● consciência de conjuntos de dois;

5 Pai Professor
1 ano e 3 semanas
Apanhando objetos
Organize uma fila de objetos como uma xícara, um bloco de brinquedo, um carretel, um prendedor de roupa, uma
colher e um saco plástico. O nomeie os objetos para a criança e diga a ela para colocá-los no saco. Depois, peça a ela
para esvaziar o saco. Repita a atividade algumas vezes.

Em outro momento, coloque esses itens em diferentes locais visíveis de um cômodo da casa. Faça como antes. Ajude
a criança, se necessário. Incentive-a a buscar todos os itens e guardá-los no saco. Faça isso no cômodo que você
estiver trabalhando e incentive a criança a brincar de forma independente.

Escolha outros itens que são familiares para a criança, como um bicho de pelúcia, uma pequena bola, um chocalho,
um livro, etc. Nomeie-os para a criança, e depois tente fazer com que ela coloque um objeto no saco de cada vez, à
medida que você os designa pelo nome. Tente colocá-los em uma linha e chamá-los pelo nome da esquerda para a
direita.

A seguinte atividade deve ser feita com rigorosa supervisão. Isso é importante para a consciência de detalhes e da
coordenação olho-mão. Prepare em uma linha: uma uva passa, um botão, um pedaço de fio, um clipes de papel e
uma chave; instrua a criança a pegar esses itens, um de cada vez, da esquerda para a direita, à medida que você os
nomeia. Eles devem ser colocados num recipiente pequeno. Não é necessário usar as palavras esquerda e direita,
apesar dessa consciência ser importante nesta idade. Repita esta atividade apenas com supervisão próxima para
impedir que a criança engula os objetos pequenos.

Esta atividade desenvolve: ● habilidade de seguir ordens;


● consciência do caminho da esquerda para a ● enriquecimento da linguagem;
direita e treino do olho; ● consciência de “dentro” e “fora”, tal como no
● audição; saco ou recipiente.

6 Pai Professor
1 ano e 4 semanas
Recipientes e suas tampas
Junte alguns recipientes que tenham tampas, por exemplo: vasilha plástica, panela com tampa, caixa de sapatos,
entre outros. Certifique-se de que a criança conseguirá retirar e substituir as tampas com facilidade. Se a tarefa for
muito difícil, ela irá se sentir frustrada e perderá o interesse.

Uma vez que os recipientes estejam montados, apresente três deles à criança e deixe-a remover e substituir as
tampas. Ela pode precisar de ajuda para colocar as tampas nos recipientes corretos, mas permita que ela tente e erre o
quanto quiser. No entanto, intervenha sempre que necessário para evitar momentos de frustração.

Altere os tipos de recipientes ao longo da semana e deixe a criança trabalhar de forma independente, sempre que
possível. Use no máximo três recipientes de cada vez. Muitos objetos irão confundi-la. Use palavras como “abriu” e
“fechou”, “colocou” e “tirou”, ou outro par análogo, enquanto as tampas são colocadas e retiradas.

Durante a semana, chame a atenção da criança para outros objetos que têm tampas. Pode ser no quarto, cozinha,
banheiro ou em outros lugares. Isso servirá para expandir a consciência dela acerca dos objetos em seu ambiente
imediato.

Esta atividade desenvolve: ● consciência de tampas correspondentes;


● resolução de problemas através da exploração ● valorização do sentido do tato.
livre;
● consciência de “encaixe” (“abriu” e “fechou”);

7 Pai Professor
1 ano e 5 semanas
Vamos brincar de bola
Você precisará de uma bola de borracha para esta atividade. A bola deve ter aproximadamente 15 centímetros de
diâmetro para que a criança possa segurá-la facilmente com as duas mãos. Por ser macia, a bola de borracha é mais
fácil de agarrar e controlar.

Sente-se com a criança em um local com piso liso, afastando-se dela por uma distância curta. Role a bola em sua
direção. Observe se a criança somente olha para a bola ou se ela tenta pará-la. Inicie uma conversa, incentivando a
criança a pegar a bola. Continue a fazer isto até que ela perca o interesse. Repita esta atividade muitas vezes para
desenvolver a habilidade de observar e receber. Elogie a criança sempre que ela responder positivamente.

Quando o bebê conseguir segurar com facilidade a bola lançada por você, tente fazê-lo rolar a bola de volta. Ele
precisará de muita prática para acertar a mira e o rolamento. Para ajudar, coloque livros, blocos de montar, duas
vassouras, etc. delimitando o caminho da bola. Primeiramente, ensine o bebê a usar as duas mãos para rolar a bola.
Aos poucos, ele irá desenvolver habilidade e será capaz de fazer isso somente com uma mão.

Um túnel pode ser feito em casa com uma caixa de papelão, cortando uma abertura em lados opostos da caixa. A
criança também pode rolar a bola sob uma mesa, cadeira ou um túnel de bloquinhos. Quando ela estiver mais
coordenada, coloque uma garrafa de detergente vazia no final do caminho e incentive-a a usar a bola para derrubar a
garrafa. Não se esqueça de elogiá-la e encorajá-la de uma forma positiva.

Durante uma dada semana, repita muitas das atividades sugeridas para as semanas anteriores. Desta forma, você
ajudará a criança a desenvolver confiança, segurança e também independência. Lembre-se de que nesta idade os
bebês precisam repetir atividades, a fim de construírem uma base sólida para a aprendizagem.

Esta atividade desenvolve: ● associação de diferentes usos para um objeto,


● coordenação olho-mão; a bola;
● sensação tátil (sensação da bola); ● desenvolvimento da linguagem, ouvindo as
● observação de direcionamento; palavras usadas durante a atividade.

8 Pai Professor
1 ano e 6 semanas
Vamos andar
As linhas de um piso de azulejo, fita adesiva, fios ou cordas colocadas em uma linha reta no chão podem ser
utilizados para esta atividade. O comprimento da linha deve ser de aproximadamente 1 metro e meio.

Ande sob a linha enquanto a criança lhe observa. Em seguida, incentive-a a fazer o mesmo. Para tornar esta
atividade mais interessante, diga à criança que a linha é uma ponte que atravessa um rio. Explique a ela que passando
pela ponte, ela não irá se molhar. Certifique-se de que a criança compreende que isto é uma brincadeira e que ela irá
se molhar se pisar fora da linha. Se ela ainda não entender, finja novamente que você está atravessando uma ponte.
Interprete uma cena de desequilíbrio e queda na água. Dê uma boa risada e diga à criança que você se molhou
porque se descuidou, saiu da ponte e caiu na água.

Instrua a criança a colocar um pé na frente do outro, de modo que o calcanhar de um pé toque o dedão do outro pé.
Também sugira a ela manter os dois braços esticados para ajudá-la a manter o equilíbrio. Elogie a criança, mesmo
que ela encontre dificuldades.

Repita esta atividade muitas vezes ao longo da semana. Em breve a criança ficará confiante ao cruzar a ponte de
mentirinha. Ao observar a criança brincar sozinha, há chances dela não usar a linha designada por você na primeira
vez.

Bebês desta idade gostam de andar de costas e eles podem querer fazer isso ao longo da atividade. Se a criança ainda
não desenvolveu esta habilidade, mostre-lhe como andar para trás em uma linha. Saliente que ela deve manter os
olhos na linha enquanto anda para trás.

Em seguida, você pode pedir à criança para andar com as pernas abertas. Mais tarde, a criança pode tentar andar
dessa forma para trás. Pode ser difícil para ela, mas observar uma linha enquanto se anda para trás envolve muita
concentração e coordenação. Deixe para repetir essa parte no futuro se a criança achar a atividade muito difícil.

Esta atividade desenvolve: ● orientação especial (seguir direções);


● coordenação da perna, pés e olhos; ● independência.
● interação verbal;
● concentração;

9 Pai Professor
1 ano e 7 semanas
Olhe para mim
Deite a criança sobre uma folha grande de papel kraft (ou cartolinas). Com lápis ou caneta, trace o contorno do
corpo dela. Diga então a ela para se levantar e olhar para a forma de seu corpo no papel. Diga: “Olha só como você é
grande!”

Desenhe um olho esquerdo no papel. Em seguida, um olho direito. Pergunte à criança o que eles são. Desenhe ainda
um nariz e um belo sorriso e repita a pergunta. Ajude a criança, se necessário. Aponte para o local onde a orelha
esquerda deve estar e pergunte para a criança o que deveria estar lá. Faça um elogio se ela responder corretamente.
Se não, identifique as orelhas enquanto você as desenha.

Chame a criança pelo nome, e a instrua a encontrar os olhos, nariz, boca e orelhas. Ela aponta os próprios olhos ou
para o papel? Independentemente de para onde ela apontar, deixe a criança ciente que o rosto no papel representa o
rosto dela. Use a palavra “imagem” ou “figura” para identificar o rosto no desenho.

Olhe para a roupa da criança e diga o nome da cor predominante. Peça à criança para escolher essa cor entre os lápis
ou giz que você está usando. Se a criança precisar de ajuda, repita a pergunta e a oriente a olhar as cores mais de
perto. Enfatize que a cor escolhida é a mesma cor da roupa. E use agora apenas uma cor para não gerar confusão. Só
acrescente uma segunda cor quando ela estiver muito segura em identificar uma cor específica.

Desenhe as roupas no contorno usando canetinha ou giz de cera. Mostre ao bebê como segurar. Contudo, ele deve
segurar o giz como ela quiser, mesmo que você mostre a forma correta. Comece a colorir a roupa e peça para o bebê
fazer o mesmo. Aproveita para observar a mão de preferência, se houver. É comum nesta idade o bebê trocar o giz
de uma mão para a outra. É melhor permitir a livre circulação do giz para além dos limites de roupa desenhada.

Agora é hora de apreciar os rabiscos. Observe se o corpo, braços e pernas são rabiscados. Note que a maior parte dos
rabiscos é para cima e para baixo ou em círculos. Ignore aqueles fora das linhas, e elogie a criança pelas cores
utilizadas.

Pendure a “obra-prima” na porta da geladeira ou do guarda roupa, e ao longo da semana deixe a criança a rabiscar
um pouco a imagem para preencher os espaços vagos. Use as mesmas cores e repita o nome delas. No final da
semana, corte o contorno, se ele ainda estiver visível depois de tantos rabiscos. A criança vai gostar de assistir você
cortar o bonequinho.

Este é um momento oportuno para apontar as partes do corpo por associação. Nomeie o pescoço, braços, mãos, peito,
barriga, pernas, pés e dedos dos pés. Deixar de fora a palavra “pés” se a criança estiver usando sapatos fechados.

Esta atividade desenvolve: ● mais consciência das partes do corpo;


● consciência da forma do corpo; ● enriquecimento da linguagem;
● habilidade de associar o contorno ao próprio corpo. ● coordenação mão-olho;
● consciência de uma cor específica e o seu nome; ● escolha correta de cores.

10 Pai Professor
1 ano e 8 semanas
O que faz esse som?
Consiga um sino ou use o timer do celular, uma bola (de gude) em um bacia de metal (bowl), e coloque água em um
pequeno recipiente fechado de plástico (não cheio), ou reúna quaisquer três objetos que façam barulhos a sua
escolha.

Toque o sino ou o timer diga a criança o nome do som. Faça o mesmo ao rolar a bola na bacia e balançar o recipiente
com água. Faça isso várias vezes e incentive a criança a dizer o nome de cada coisa enquanto você faz os sons. A
criança pode apenas assistir o que você faz, mas continue a fazer os sons até que ela perca o interesse.

Em outro momento, colocar os recipientes atrás do sofá, de uma cadeira ou algo que vai esconder os três objetos. O
esconderijo deve acessível para a criança pegar os objetos.

Escolha um deles e fazer barulho. Peça à criança para buscar o objeto que fez o respectivo som. Ajude a criança se
ela parecer confusa. Continue o jogo e elogie a criança sempre que puder. Se a criança cometer um erro, continuar
trabalhando com o mesmo objeto até que ela acerte.

Escolha três outros itens diferentes e diga a criança para fechar os olhos ou virar-se enquanto você faz um som com
um dos itens. A criança pode, então, ser instruída a apontar para o item correto. Continue a tornar a criança
consciente de sons específicos dentro e fora de casa.

Esta atividade desenvolve: ● enriquecimento do vocabulário;


● habilidade de escuta; ● confiança.
● habilidade de associação;
● habilidade de seguir ordens;

11 Pai Professor
1 ano e 9 semanas
O que há lá fora?
Pegue emprestado vários livros da seção de jardim de infância na biblioteca mais próxima a sua casa. Os livros
devem conter figuras de árvores, flores, aves e casas. Fale sobre as figuras com a criança e diga-lhe quais delas podem
ser observadas também fora de casa. Será benéfico se você puder levá-la para fora após a leitura para mostrar-lhe
aquelas coisas que ela acabou de ver nos livros.

Em outra ocasião, durante um passeio com sua criança, toque no tronco de uma árvore. Fale sobre quão grande e alta
ela é. Se possível, puxe algumas folhas verdes e deixe a criança senti-las. Diga à criança que a folha é verde. Se é
outono, tente encontrar uma folha que não esteja seca.

Olhe para a grama e diga à criança que a grama também é verde. Permita a ela sentir algumas folhinhas da grama, e
tente mostrar que a árvore é muito mais alta do que a grama. Olhe para cima e para baixo de modo que a criança
entenda o que você quer dizer pela palavra “alto”.

Mostre à criança algumas flores que estejam abertas. Deixe que ela toque e cheire as flores, mas alerte-a que ela não
deve arrancá-las sem autorização. Mostre-lhe que as árvores, a grama e as flores têm folhas verdes.

Se possível, mostre também as raízes de uma planta. Deixe-a tocar e observar as ramificações das raízes. Diga à
criança que as raízes sugam água e minerais para que as árvores, a grama e as flores possam crescer, e que as raízes
prendem as plantas ao solo. Deixe a criança ciente que árvores e flores são seres vivos.

Pegue uma pedra e diga que esta não é um ser vivo. Diga também: “o solo ajuda os seres vivos a crescer, mas não é
um ser vivo”. Não espere que a criança entenda tudo isso. Você a está deixando consciente do seu ambiente. Isso
deve estimular a criança a pensar. Você pode subdividir esta atividade, falando de apenas uma coisa nova por vez.

Em outro momento durante a semana, leia um livro sobre os vegetais. Sua criança é capaz de se lembrar de algo que
vocês viram, sentiram ou conversaram sobre nos seus passeios? A criança reconhece e se recorda da cor verde?

Repita a mesma estratégia com os pássaros. Tente conseguir uma pena. Converse sobre as diferentes espécies, suas
cores e formatos. Mostre para a criança onde os pássaros vivem e descreva os ninhos, ovos e como eles se movem.
Tudo de acordo com o interesse dela.

Continue a conversa somente quando a criança parecer receptiva. Aponte para o sol, o céu azul e as nuvens brancas.
Não permita que a criança fique olhando diretamente para o sol por um longo tempo. À noite, fale sobre a lua e as
estrelas. Não espere que ela se torne agora uma autoridade sobre a vida fora de casa. Nesta idade, o importante é
aumentar o nível de consciência para a natureza nos arredores.

Esta atividade desenvolve: ● aprimoramento do tato;


● consciência do mundo exterior; ● habilidade em associar imagens de um livro
● consciência das cores básicas; aos objetos reais.
● enriquecimento do vocabulário;

12 Pai Professor
1 ano e 10 semanas
O que está se movendo?
Reúna um bicho de pelúcia, um copo de plástico e uma bola – ou outros três objetos que já sejam familiares para a
criança. Relembre a ela o nome dos objetos. Amarre um fio ou um pedaço de barbante em torno de cada um deles,
deixando aproximadamente 30 centímetros de fio livre na ponta. Cubra os três objetos com um pano, manta ou
toalha grande, mas deixe as três pontas dos fios visíveis.

Puxe a corda que está ligada ao bicho de pelúcia e instrua a criança a assistir. Certifique-se de que você não está
expondo os objetos que estão cobertos. Peça à criança para nomear o bichinho (coberto) que está se movendo.
Também diga a ela para olhar a forma do objeto. Se ela está tendo dificuldade para nomear o objeto, descubra-o e
identifique-o novamente. Então cubra o bicho de pelúcia e repita o processo. Faça isso até que a criança esteja segura
em cumprir a atividade. Continue este procedimento até que a criança consiga identificar facilmente todos os três
objetos cobertos.

Brinque com a criança enquanto ela parecer interessada. Em outra oportunidade, altere os objetos e balance a corda
imitando o movimento de uma cobra, enquanto você puxa as cordas, uma de cada vez. É importante utilizar poucas
objetos a cada vez. Muitos itens podem estimular a criança demasiadamente e lhe causar confusão.

Incentive a criança a trabalhar de forma independente, cobrindo sozinha os objetos e puxando as cordas, uma de
cada vez. Ela vai deliciar-se ao observar os objetos em movimento. Também vai perceber que está causando o
movimento e encontrará um desafio ao tentar cobrir os objetos completamente. Isso irá incentivá-la a resolver o
problema para completar a tarefa.

Lembre-se de repetir algumas atividades das semanas anteriores, especialmente aquelas que pareciam difícil num
primeiro momento. As crianças gostam e precisam de repetição.

Esta atividade desenvolve: ● independência;


● interação com a linguagem; ● resolução de problemas.
● discriminação visual;
● coordenação olho-mão;

13 Pai Professor
1 ano e 11 semanas
O que eu posso cheirar?
Separe três bolinhas de algodão. Despeje separadamente em cada uma das bolinhas um pouco de baunilha, café e de
suco de caju, por exemplo, ou outros três líquidos com aromas distintos.

Mostre à criança a embalagem de cada líquido. Deixe a criança cheirar e sentir o cheiro de cada um deles. Nomei-os,
mas não espere que a criança lembre o nome deles agora.

Deixe que a criança cheire novamente o primeiro líquido e peça a ela para apontar o recipiente correto. Se a criança
falhar, repita a atividades desde o começo. Continue até que a criança acerte ou até que ela perca o interesse. Elogie
a criança por qualquer resposta positiva.

Em outro momento, varie os líquidos e repita o procedimento. Podem ser introduzidas outras variedades de cheiros,
como pimentas ou temperos, quando você perceber que a criança estiver pronta para algumas novidades.

Este é um bom momento para dizer ao seu filho que algumas substâncias podem nos machucar se as cheiramos
muito de perto. Enfatize que os adultos irão dizer a ele o que é seguro para cheirar. Sendo assim, é bom dizer que ele
nunca deve cheirar qualquer garrafa ou recipiente sem permissão, pois isso pode ser perigoso.

Quando você estiver na cozinha, incentive seu filho a sentir o cheiro dos diferentes alimentos que você cozinhar.
Deixe a criança consciente dos cheiros de assados como pães, bolos e biscoitos. O cheiro de peixe é diferente, e a
criança poderá ter um pouco de dificuldade para reconhecê-lo.

Algumas crianças são curiosas acerca dos diferentes cheiros de especiarias, especialmente canela. Com supervisão,
seu filho poderia cheirar e sentir o cheiro dos muitos odores das especiarias. Perfumes, cremes, loção pós-barba,
desodorante, pó e sabão são outros cheiros que despertam interesse. Mostre a criança que algumas coisas cheiram
bem e outros não. Fale sobre o nariz e sua localização. Explique a ela que o nariz é usado para respirar e cheirar.

Esta atividade desenvolve: ● exploração livre de cheiros seguros;


● consciência do sentido do olfato; ● tomada de consciência do perigo de alguns
● habilidade em combinar e associar diferentes cheiros;
cheiros; ● mais consciência do nariz e sua finalidade;
● enriquecimento da linguagem.

14 Pai Professor
1 ano e 12 semanas
Vamos pescar
Obtenha uma lata metálica com tampa plástica. Prenda um pedaço de barbante de 30 centímetros a um prendedor
de roupa. Faça um furo na tampa da lata, um pouco maior do que a “ponta” do prendedor. Coloque a tampa de volta.

Abaixe o prendedor de roupa preso ao barbante através do furo na tampa e segure o barbante. Passe o barbante para
a criança e diga a ela para puxar o barbante e tirar o prendedor de dentro da lata. Permita que a criança tente
resolver o problema sozinha. Se ela tiver dificuldades, ajude-a a direcionar o prendedor. Faça elogios pelo esforço
despendido.

Diferentes objetos de tamanho similar podem substituir o prendedor para serem retirados de dentro da lata. Um
recipiente diferente pode ser usado caso um dos objetos seja muito grande para o buraco. A criança deve ser
encorajada a trabalhar de forma independente.

Para tornar esta atividade mais interessante, você pode dizer a criança que o objeto é um peixe de mentira que está
nadando no mar. Enquanto a criança estiver “pescando”, ela pode gostar de cantar a seguinte canção:

“Peixinho, peixinho, peixinho do mar,

saia da água para eu quero te olhar”.

Esta atividade desenvolve: ● a consciência de diferentes materiais usados


● coordenação olho-mão; para ser o “peixe”;
● habilidade de resolver problemas; ● a consciência da rima de “mar” e “olhar”.

15 Pai Professor
1 ano e 13 semanas
Posso me vestir?
Encontre uma caixa de papelão no supermercado que, aberta, seja mais longa do que o seu filho. Use uma faca afiada
ou uma tesoura para abrir a caixa. Deite a criança sobre o papelão e marque o contorno do corpo dela com lápis ou
giz de cera, assim como foi feito na atividade da semana 7. Por razões de segurança, afaste-se para recortar o
contorno. Segure a mão da criança para desenhar os olhos, o nariz e uma boca sorridente. Ela terá a sensação de
movimento no desenho. Elogie a criança pela ajuda. Solicite a ajuda dela para nomear as partes do rosto.

Use uma camisa ou lençol velho para fazer um traje aberto um pouco mais longo do que o boneco de papelão. Não é
preciso fazer as mangas, nem colocar botões. Ajude a criança a vestir o boneco com o traje. Em seguida, ajude na
retirada da peça. Permita à criança vestir e despir o boneco de forma independente. No entanto, ajude quando
necessário para evitar momentos de frustração.

Em outra oportunidade, dê à criança um par de meias compridas, um par de luvas e um chapéu. Explique a ela onde

cada peça de roupa é utilizada. Diga que as meias são usadas para proteger os pés e mantê-los quentes. As luvas são
usadas quando está frio, para aquecer as mãos. E o chapéu é usado para tampar o sol no rosto ou manter a cabeça
quente.

Abrace a criança e diga: “Eu te amo (nome da criança).” Observe como ela reage. Ela lhe imita, abraçando o boneco
de papelão? Beije a criança e diga mais uma vez: “Eu te amo (nome da criança).” Ela ficará aos poucos consciente do
amor e do carinho para com outras pessoas. Amor e carinho são muito necessários para a autoimagem e a confiança
de uma criança.

Deixe que ela brinque à vontade com o boneco de papelão. Ela pode até se interessar em dar um nome ao boneco. As
partes do corpo também podem ser revistas.

Esta atividade desenvolve: ● resolução do problema de vestir e despir a


● consciência da forma do corpo; figura;
● tomada de consciência das partes do corpo; ● consciência do propósito da roupas;
● interação verbal; ● consciência de dar carinho aos outros.

16 Pai Professor
1 ano e 14 semanas
Explorando com terra, areia ou arroz
Esta atividade pode ser realizada dentro de casa, mas é mais adequada para áreas externas. Se feita dentro de casa,
preencha uma bacia pela metade com terra, areia ou arroz. Coloque uma cortina de chuveiro velha ou uma toalha de
mesa debaixo da bacia para evitar que o material se espalhe pelo chão. Uma caixa de areia ou uma área sem grama
cumprem bem essa função quando a atividade é realizada no exterior.

Use uma tigela, um baldinho de areia, uma colher de pau, uma pá, copos e embalagens de diversos tamanhos para
mover o material de um recipiente para outro. Deixe a criança sentir a terra, areia ou arroz e incentive-a a pegar o
material com a mão e colocá-lo de volta nos recipientes. A criança deve explorar livremente; apenas tome cuidado
para ela não comer a terra, areia ou arroz. Peça à criança para falar sobre a sensação de tocar o material. Se não
houver resposta, converse com ela sobre esse tema. Para o enriquecimento da atividade, todos os três tipos de
materiais podem ser utilizados em ocasiões separadas.

Mais tarde, mostre à criança como encher os recipientes usando as mãos, uma colher ou uma pá. Em seguida, mostre
a ela como esvaziar os recipientes e começar de novo. Deixe a criança consciente de que são necessários vários
punhados, colheradas ou “pazadas” para encher um recipiente.

Se a criança preferir apenas brincar com o material, deixe-a fazer isso. A habilidade de encher e esvaziar recipientes
pode ser incentivada em outro momento.

Esta atividade desenvolve: ● exploração livre;


● valorização do sentido do tato; ● habilidade em associar o que pode ser
● coordenação olho-mão; utilizado para encher os recipientes;
● consciência de diferentes tamanhos de recipientes; ● interação verbal.

17 Pai Professor
1 ano e 15 semanas
Minha nova casa
Obtenha uma caixa grande de papelão em uma loja de móveis ou no mercado. Desenhe e corte uma porta grande o
suficiente para que a criança possa entrar e sair facilmente. Se você quiser uma porta de abrir e fechar, não corte o
lado esquerdo da porta. A maçaneta da porta pode ser feita com um carretel preso por parafuso e porca através do
carretel e do papelão. Use fita adesiva para tampar as arestas danificadas. Desenhe e corte duas ou mais janelas, e
incentive a criança a decorar a parte externa da casa.

Convide a criança a entrar em sua nova casa. Uma vez familiarizada com a casa, ela vai gostar de entrar e sair. Você
pode ensiná-la a dar tchau cada vez que ela entrar na casa. Ela pode começar a levar objetos para dentro e para fora,
uma vez que as crianças desta idade gostam de carregar objetos de um lugar para o outro. Se ela ficar cansada, pode
até tirar um cochilo em sua casinha.

Esta atividade desenvolve: ● uma consciência de “fora” e “dentro” com a


● interação verbal; casa de papelão;
● coordenação motora fina e grossa; ● segurança ou uma sensação de posse.

18 Pai Professor
1 ano e 16 semanas
Banda de música
Usa uma lata de leite em pó ou uma caixa rígida para fazer um tambor. De à criança uma colher de pau ou colher
para tocar. Deixe-a tocar até que ela (ou você) se canse.

Em outro momento, cante: “Bor, bor, bor, bata o tambor” ou outra rima simples. Repita o canto até que a criança
tente repetir o que você diz. Este cantar incute a consciência de 1-2-3, 1-2-3, mas usar o canto em vez de números
por um tempo. Em seguida, use o tambor e toque no ritmo de “bor, bor, bor”. Diga à criança para tocar enquanto
você cata. Ela pode tentar cantar com você enquanto bate fora de ritmo. Deixe-a continuar enquanto ela estiver
interessada.

No final de semana, coloque algumas pedrinhas dentro de outra lata ou recipiente plástico fechado. Deixe a criança
agitar e sacudir o recipiente e ouvir o novo som. Enquanto a criança sacode a lata, você pode tocar o ritmo 1-2-3
com o tambor. Observe a criança. Será que ela vai querer o tambor ou vai continuar com o chocalho? Se ela insistir
em pegar o tambor, troque com ela e sacuda as pedras no ritmo 1-2-3. Qualquer resposta mostrará que a criança está
consciente da diferença entre os dois sons.

A “banda” pode aumentar com o som de duas colheres batendo uma na outra. O esfregar de dois blocos de madeira
produz sons diferentes, assim como o agitar de um molho de chaves. Feijões em uma embalagem fechada também
formam um chocalho que muito agrada as crianças. Todos esses materiais podem ser utilizados para realçar o padrão
rítmico de 1-2, bem como o ritmo 1-2-3.

Esta atividade desenvolve: ● interação verbal;


● discriminação auditiva; ● independência;
● consciência de diferentes padrões rítmicos; ● exploração livre.
● coordenação olho-mão;

19 Pai Professor
1 ano e 17 semanas
Explorando com água
Reúna uma esponja, um pano de limpeza, um pedaço de algodão, uma toalha de papel e qualquer outra coisa que
você deseja usar para mostrar à criança como um objeto é capaz de absorver água. Preencha pela metade com água
um recipiente plástico grande ou um banheira. Entregue a esponja à criança. Mergulhe uma ponta da esponja na
água até ela absorver o máximo de água possível. Enquanto isso, segure a mão da criança, ainda com a esponja. A
criança tomará consciência da alteração na sensação de peso da esponja e sentirá a umidade provocada pela água.

Torça a esponja. Deixe a criança repetir a atividade sozinha. Incentive-a a ouvir os sons que a água produz quando
tocada.

Na hora do banho, dê à criança um pano seco e diga-lhe para colocar o pano na banheira. Peça a ela para falar sobre
a sensação do pano molhado. Se não houver resposta, fale sobre a umidade da água e explique que a toalha absorveu
a água, tornando o tecido mais pesado. Segure o pano acima da banheira para que a criança possa ver as gotas
pingando.

Coloque um pequeno recipiente transparente com água dentro da pia da cozinha. Adicione um pouco de corante
alimentar à água. A criança pode gostar de escolher a cor a ser usada. Identifique a cor escolhida pelo nome.
Incentive a criança a segurar e sentir uma bola de algodão. Neste momento, você pode dizer: “Este é o algodão macio
e seco.” Instrua a criança a mergulhar lentamente o algodão na água colorida. A criança vai se deliciar ao ver a
mudança de cor do algodão. Ela pode querer desfiá-lo. A criança também poderá perceber o inchaço do algodão.
Você pode deixá-la consciente disso, dizendo: “o algodão (nome da cor) ficou molhado e maior.” A criança irá
desfrutar a repetição desta atividade. Repita com uma toalha de papel, mas incentive a criança a escolher um corante
de outra cor.

Esta atividade desenvolve: ● mais consciência de cores diferentes;


● a sensibilização para o sentido do tato; ● consciência de umidade, peso, absorção;
● coordenação olho-mão; ● capacidade de observação.
● exploração livre;

20 Pai Professor
1 ano e 18 semanas
Passando objetos por um buraco
Reúna pelo menos cinco chaves mais ou menos do mesmo tamanho. Faça um corte na tampa de uma lata de leite em
pó ou de café. A ranhura deve ser suficientemente grande para que as chaves possam atravessá-la sem muito esforço.
Coloque a tampa no recipiente e encoraje a criança a passar uma chave pelo buraco na tampa. O barulho será mais
interessante se a lata for de metal. Enfatize o som que a chave faz como atinge o fundo do recipiente. Deixe a criança
colocar todas as chaves na lata. Depois, esvazie a lata e repita o processo até que a criança perca o interesse.

Outros objetos podem ser utilizados no lugar de chaves, tais como: botões, moedas (faça seu cofrinho!), arruelas, etc.
Esses materiais podem não só adicionar variação à atividade, mas também melhorar as experiências para a criança.

Esta atividade desenvolve: ● coordenação olho-mão;


● controle motor fino; ● independência e confiança;
● resolução de problemas; ● o sentido do tato.
● habilidade de seguir ordens;

21 Pai Professor
1 ano e 19 semanas
Pintando com os dedos
Pegue duas colheres de sopa de farinha e adicione um pouco de água de cada vez até obter uma pasta fina. Adicione
algumas gotas de corante alimentar. Usando uma colher, coloque um pouco da mistura em uma folha grande de
papel de cera, presa com fita à pia ou à mesa da cozinha. Proteja a roupa da criança com uma camisa velha ou use
um babador antes de permitir que a criança pinte com os dedos.

Mostre à criança como mover e deslizar os dedos e as mãos sobre o papel de cera. Use as palavras "escorregadio" e
"molhado" na conversa. Incentive a criança a movimentar as mãos para cima e para baixo, para trás e para a frente e
em círculos. Use o dedo indicador para fazer alguns pontos em todo o papel. Deixe a criança espalhar a mistura sobre
o papel.

Evite fazer desenhos, pois eles podem agora inibir a criatividade da criança. Esta atividade é para livre circulação e
exploração.

Ao final, se você quiser guardar a imagem, pressione sobre o desenho uma folha de papel colorido ou de caderno.
Levante cuidadosamente a borda superior do papel, separando-o do papel de cera. A imagem ficará impressa no
papel. Elogie a criança e pendure o desenho na geladeira. Quando a imagem secar, deixe a criança senti-la. Diga à
criança que a água evaporou da tinta.

Refazer esta atividade pode ser divertido para a criança. Lembre-se de rever e repetir algumas das atividades que
foram introduzidas no início do ano.

Esta atividade desenvolve: ● consciência de “molhado” “seco” e


● exploração livre; “escorregadio”;
● criatividade; ● independência e confiança.
● controle motor fino;

22 Pai Professor
1 ano e 20 semanas
Pintando com um pincel
Use uma grande folha de papel ou um jornal velho. Prenda o papel de uma mesa ou um balcão. Misture um pouco
de corante alimentar com água e use um pincel regular de aproximadamente cinco centímetros de largura. Coloque
a água colorida em uma frigideira ou uma panela para evitar derramamentos.

Coloque o pincel na água colorida e mostre à criança como retirar o excesso de água na borda da panela. Em seguida,
instrua a criança a pintar o papel cuidadosamente. Permita a ela brincar com o pincel e a água colorida. Ajude-a só
se necessário e elogie-a por tentar. Ela pode querer deixar o pincel de lado e pintar com a mão. Deixe-a continuar.
Quando tiver terminado, pendure o quadro na porta da geladeira para que os outros membros da família possam ver.

Repetir a atividade com cores diferentes pode estimular o hábito da pintura. O progresso será notado com a
continuidade. Quando a criança apresentar alguma destreza, compre um conjunto de aquarelas infantis ou tintas de
têmpera. As cores são mais vivas e terão maior apelo para a criança.

Esta atividade desenvolve:


● coordenação olho-mão;
● livre exploração e criatividade;
● mais consciência de cores diferentes.

23 Pai Professor
1 ano e 21 semanas
Dentro-Fora
Obtenha dois bastidores de madeira (para bordado). Opcionalmente, utilize dois aros de papelão ou outro papel
rígido. Os círculos deve caber um dentro do outro. Aros de cores diferentes vão chamar mais atenção da criança.

Sobre uma superfície plana, coloque o círculo menor à esquerda e o maior à direita. Pegue o menor e mostre à
criança como ele se encaixa dentro do maior. Enquanto você faz isso, diga à criança que você colocou o círculo
menor dentro do maior. Enfatize a palavra “dentro”. Em seguida, pegue o círculo menor e coloque-o do lado
esquerdo do círculo maior. Diga à criança que você colocou o círculo menor do lado de fora do círculo maior.
Enfatize a palavra “fora”.

Realize esta atividade várias vezes e incentive a criança a trabalhar de forma independente. Se a criança não
trabalhar da esquerda para a direita, evite corrigi-la. No entanto, cada vez que você executar essa atividade, tente
trabalhar nesse sentido. Desta forma, você estará treinando a progressão dos olhos da criança da esquerda para a
direita.

Use um bambolê, incentivando a criança a pular dentro e fora do círculo. O bambolê também pode ser utilizado para
que a criança jogue um objeto para “dentro” e para “fora”. Enfatize sempre os conceitos espaciais de “dentro” e “fora”
a fim de que a criança possa compreendê-los.

Esta atividade desenvolve: ● sensibilização para a progressão da esquerda


● consciência de “dentro” e “fora”; para direita;
● consciência de “grande” e “pequeno” ; ● coordenação olho-mão;
● coordenação motora grossa; ● habilidade de seguir ordens.

24 Pai Professor
1 ano e 21 semanas
Subindo e descendo a escada
Agora é um bom momento para a criança começar a prática de subir e descer degraus. Três degraus são suficientes
para realizar esta atividade. Se você não tem escadas em sua casa, você pode usar três caixas com peso dentro, para
dar mais estabilidade. Blocos de cimento ou tijolos também podem ser usados para fazer escadas temporárias. Nesse
caso, apóie os blocos contra a parede. Isso vai dar a ilusão de escadas reais. Enfatize as palavras, "para cima" e "para
baixo" a fim de garantir que a criança compreenda o significado desses conceitos.

À medida que a criança é incentivada a subir e descer as escadas, será interessante para ela se você cantar uma
musiquinha como:

"(nome da criança) sobe, sobe, sobe.

(nome da criança) desce, desce, desce. "

Ela vai gostar de ficar subindo e descendo. Com muita prática, a criança vai em breve ganhar confiança suficiente
para querer ir mais alto. Por razões de segurança, três degraus são suficientes para uma criança desta idade, quando
sem supervisão.

É importante conversar sobre a segurança nas escadas. A criança deve estar ciente das consequências de não tomar
cuidado ao subir e descer. Também deve ser dito a criança para não deixar os brinquedos na escada, porque eles
podem fazer com que alguém caia.

Esta atividade desenvolve: ● coordenação motora grossa;


● consciência de “para cima” e “para baixo”; ● audição.
● autoconfiança;
● Independência;

25 Pai Professor
1 ano e 22 semanas
Subindo e descendo a escada
Agora é um bom momento para a criança começar a prática de subir e descer degraus. Três degraus são suficientes
para realizar esta atividade. Se você não tem escadas em sua casa, você pode usar três caixas com peso dentro, para
dar mais estabilidade. Blocos de cimento ou tijolos também podem ser usados para fazer escadas temporárias. Nesse
caso, apóie os blocos contra a parede. Isso vai dar a ilusão de escadas reais. Enfatize as palavras, "para cima" e "para
baixo" a fim de garantir que a criança compreenda o significado desses conceitos.

À medida que a criança é incentivada a subir e descer as escadas, será interessante para ela se você cantar uma
musiquinha como:

"(nome da criança) sobe, sobe, sobe.

(nome da criança) desce, desce, desce. "

Ela vai gostar de ficar subindo e descendo. Com muita prática, a criança vai em breve ganhar confiança suficiente
para querer ir mais alto. Por razões de segurança, três degraus são suficientes para uma criança desta idade, quando
sem supervisão.

É importante conversar sobre a segurança nas escadas. A criança deve estar ciente das consequências de não tomar
cuidado ao subir e descer. Também deve ser dito a criança para não deixar os brinquedos na escada, porque eles
podem fazer com que alguém caia.

Esta atividade desenvolve: ● coordenação motora grossa;


● consciência de “para cima” e “para baixo”; ● audição.
● autoconfiança;
● Independência;

26 Pai Professor
1 ano e 23 semanas
Massinha feita em casa
Misture duas xícaras de farinha de trigo, meia xícara de sal, e gradualmente adicione um copo de água. Adicione um
pouco de corante alimentar e amasse esta mistura até que ela esteja bem homogênea. Hortelã ou algum outro aroma
agradável pode ser adicionado para aumentar o interesse da criança. No entanto, diga-lhe que a massa não é para
comer. Esta mistura se conserva por vários dias na geladeira, se for mantida em um saco plástico fechado.

Prenda papel de cera em uma mesa. Uma sacola ou folha plástica resistente pode substituir o papel de cera na
proteção da área onde a atividade será realizar. Quaisquer deles facilitarão a limpeza depois.

Dê à criança um pedaço da massinha que ela possa segurar com ambas as mãos. Mostrar a ela como apertar, rolar e
bater na massa. Em seguida, deixe ela brincar livremente até perder o interesse.

Se a criança precisar de alguma motivação, faça uma bolinha e depois bata nela formando um disco. A criança tenta
lhe copiar? Você pode também fazer um rolo e juntar as duas pontas em um círculo ou outra forma. Converse com a
criança sobre cada forma que você faz.

Incentive a criança a apertar, rolar e bater na massinha enquanto você conversa com ela sobre a atividade. Peça a ela
para sentir o cheiro da massa. Descreva o odor. É agradável? Em seguida, encoraje a criança a cutucar, puxar, rolar e
quebrar a massinha em partes, continuando a brincadeira.

Esta atividade desenvolve: ● enriquecimento da linguagem através da


● coordenação motora fina; conversa;
● valorização do sentido do tato; ● criatividade;
● exploração livre; ● independência.

27 Pai Professor
1 ano e 24 semanas
Quebra-cabeça
Corte ou desenhe três grandes imagens de 30 x 20 cm, com cores brilhantes. As figuras devem ter muito poucos
detalhes. Elas podem ser de uma casa, uma árvore e uma borboleta. Mostre à criança cada imagem e identifique-as
pelo nome. Cole as imagens em um papel grosso e deixe secar. Em seguida, corte cada imagem pela metade, não em
linha reta, mas com uma irregularidade no traçado.

Misture as peças sobre o chão ou uma mesa. Incentive a criança a colocar montar a casa com as duas peças. Em
seguida, sugira a ela colocar a árvore no conjunto e, por fim, a borboleta. Ajude-a se ela não estiver entendendo,
falando sobre cada imagem. Por exemplo, você poderia dizer: “A casa é vermelha. Vivemos em uma casa.”

Estes quebra-cabeças podem ser usados repetidas vezes. A criança vai se tornar mais confiante e, talvez, ela vai falar
sobre as fotos usando uma palavra ou uma frase.

Mais três imagens pode ser feitas da mesma maneira. Estas imagens podem ser cortadas em duas ou três peças cada.
A criança será mais bem sucedida se as imagens forem grandes, coloridas e com poucos detalhes. É aconselhável
utilizar apenas três figuras de cada vez. Muitas peças tendem a confundir as crianças.

Esta atividade desenvolve: ● enriquecimento da linguagem através da


● consciência de que duas ou mais partes formam um conversa;
conjunto; ● coordenação olho-mão.
● consciência de cor;

28 Pai Professor
1 ano e 25 semanas
Soltando objetos pequenos
Use uma garrafa plástica de refrigerante para essa atividade. Reúna uma pequena pedra, um palito de picolé, um
lápis sem ponta, um prendedor de roupa ou quaisquer outros objetos seguros com formato tal que possam passar
facilmente pelo gargalo da garrafa. Faça um desenho de um rosto ou de uma flor na garrafa para deixar a atividade
mais interessante.

Incentive a criança a escolher um objeto e solte-o pela abertura da garrafa. Ajude a criança, se necessário.

Ouça o som de cada objeto à medida que eles tocam o fundo da garrafa. Tente imitar o som do baque, exagerando na
expressão. Utilizar palavras como “bum”, “pic” ou “tuc” servirá para deixar a criança mais atenta ao som dos objetos
que são soltos na garrafa.

Quando todos os objetos estiverem dentro da garrafa, vire-a de cabeça para baixo e deixe a criança balançar a garrafa
para retirar os objetos. Repita esta atividade, incentivando a criança a trabalhar sozinha. Ajude a criança só quando
ela parecer precisar de ajuda.

Esta atividade desenvolve: ● auto-confiança;


● coordenação olho-mão; ● habilidade de seguir ordens;
● resolução de problemas; ● interação verbal.
● escutar com um propósito;

29 Pai Professor
1 ano e 26 semanas
Posso carregar uma bandeija
Obtenha uma bandeja de isopor ou de papelão com bordas (marmitex). Coloque sobre ela vários objetos leves e
inquebráveis, por exemplo: um bloco de brinquedo, um carretel, um prendedor de roupa, uma colher, entre outros.

Incentive a criança a equilibrar a bandeja e carregá-la por uma curta distância. Em seguida, instrua a criança a trazer
a bandeja de volta, sem deixar cair nenhum dos objetos. Se um deles cair da bandeja, diga: “Oops!” Diga à criança
para pegar o objeto que caiu e colocá-lo na bandeja. Se a criança tiver alguma dificuldade, esteja pronto(a) para
ajudar, mas deixe a criança agir da forma mais independente possível.

Mais objetos leves podem ser adicionados até a bandeja ficar relativamente pesada. Elogie a criança por ser capaz de
carregar tantas coisas.

Em outro momento, coloque uma pequena bola na bandeja. Instrua a criança a andar com muito cuidado,
observando a bola enquanto caminha. Observe como a criança equilibra a bandeja e dê sugestões para ajudá-la. Se a
bola cair, diga à criança para pegar a bola e tentar de novo. Relembre a criança de que ela deve andar devagar, com
muito cuidado, prestando atenção a bola. Com paciência e orientação, a criança terá sucesso. Elogios irã motivá-las a
fazer o seu melhor.

Esta atividade desenvolve: ● habilidade em manipulação e observação de


● habilidade com o senso de equilíbrio; diferentes objetos na bandeja;
● coordenação com as duas mãos; ● consciência de objetos fixos e do efeito que a
● consciência de "leve" e "pesado"; bola em movimento teve no equilíbrio.

30 Pai Professor
1 ano e 27 semanas
Colocar o peixe no barco
Corte três ou quatro peixes em papel colorido ou papelão fino. O peixe deve ser de aproximadamente 5 x 7 cm. Os
peixes devem ser de cores diferentes. Desenhe olhos e bocas. Isso deixará a atividade mais interessante e motivará a
criança a participar.

Use um envelope grande ou um pedaço de papel dobrado como um barco. Deixe o topo aberto e use durex ou fita
crepe para fechar as laterais. Isso formará um barco achatado. Decore com diferentes cores.

Incentive a criança a pegar um peixe e colocá-lo no barco. Isso exigirá da criança a separação dos duas “paredes” do
barco para colocar o peixe dentro. Quando a criança escolher um peixe, diga a cor dele. Quando todos os peixes
forem "apanhados" e estiverem no barco, tire os peixe e comece de novo.

Esta atividade desenvolve: ● confiança;


● habilidade em pegar um objeto plano; ● independência;
● coordenação olho-mão; ● interação verbal.
● resolução de problemas;

31 Pai Professor
1 ano e 28 semanas
Onde fica o quarto?
Pegue na mão da criança e a leve até o quarto dela. Diga-lhe que este é quarto dela. Agora vá até o seu quarto e diga
a ela que este é o seu quarto. Em seguida, já até o banheiro e identifique-o. Certifique-se de que a criança conhece os
nomes desses três cômodos.

Chame a criança pelo nome e diga-lhe para mostrar o quarto dela. Elogie-a se ela seguir o comando corretamente. Se
ela parecer confusa, leve-a para o quarto dela mais uma vez e diga-lhe que você está no quarto dela. Repita este
procedimento até que a criança consiga mostrar o próprio quarto.

Continue esta atividade com o seu quarto e o banheiro. Se a criança ainda parecer confusa, tente novamente em
outro momento. No entanto, se a criança for bem sucessida e estiver gostando da atividade, escolha três outros
cômodos e repita o processo.

Pode demorar vários dias para que a criança vá para o local correto quando solicitada, mas muitos elogios e incentivo
são as chaves para a motivação e o sucesso.

Esta atividade desenvolve: ● interação verbal;


● uma consciência dos cômodos da casa e de suas ● confiança.
posições;
● habilidade de seguir ordens;

32 Pai Professor
1 ano e 29 semanas
Grande e pequeno
Reúna uma colher grande e uma pequena, uma tampa grande e um apequena, um rolo de papel higiênico vazio e um
rolo de papel toalha vazio, um sapato grande e um pequeno, ou selecione vários pares de itens semelhantes, mas com
diferença de tamanho.

Pegue a colher grande e diga à criança que esta colher é maior do que a outra, que é menor. Diga a palavra “grande”
e “pequeno” várias vezes enquanto você continua a mostrar à criança os objetos. Deixe sempre juntos os pares de
objetos semelhantes, de preferência em uma fileira.

Diga à criança para pegar a colher grande. Se ela acertar, elogie-a e a instrua a colocar a colher de volta no lugar. Se
ela errar, identifique objeto, o tamanho e diga à criança para retornar o objeto ao seu lugar.

Continue a trabalhar apenas com o conceito de “grande” até que a criança esteja confiante na escolha desses itens
nos pares. Introduza o conceito de “pequeno” somente após isso.

Alterar os comandos para a criança escolher entre “grande” e “pequeno” durante uma sessão desta atividade pode ser
muito difícil e confuso para a criança. Introduza estes conceitos com calma quando você sentir que ela está pronta. É
melhor que ela fique segura ao realizar a atividade do ficar confusa e frustrada com ordens muito difíceis.

Esta atividade desenvolve: ● o enriquecimento do vocabulário ao nomear


● tomada de consciência dos conceitos “grande” e os objetos;
“pequeno”; ● habilidade de fazer escolhas;
● habilidade de seguir ordens; ● consciência de comparação;

33 Pai Professor
1 ano e 30 semanas
Primeiro jogo de amarelinha
Pegue um carpete velho e corte dois quadrados: um grande e um pequeno. Os pedaços devem ser pequenos o
suficiente para que a criança possa levantá-los e movê-los para uma posição diferente, mas grandes o suficiente para
que a criança possa pisar neles. Se você tiver um carpete velho, use tapetes de borracha ou quaisquer outros
materiais que não sejam escorregadios.

Coloque o pedaço grande de carpete no chão, com o pequeno à frente. Deixe um pequeno espaço entre os dois
quadrados, de modo que a criança possa distinguir os dois pedaços. No entanto, eles devem estar perto o suficiente
para que a criança possa esticar as pernas um pouco quando se mover de um quadrado para o outro.

A criança deve ser instruída a pisar no quadrado grande em primeiro lugar e, em seguida, dar um passo adiante para
o quadrado pequeno. A criança deve virar-se, pegar o pedaço grande e colocá-lo na frente do pequeno. E assim
sucessivamente, sempre passando para frente o quadrado que ficou atrás.

A criança deve ser encorajada a caminhar dessa forma por uma distância especificada. Você pode dizer que os
quadrados são como pedras que a criança pisa para atravessar um rio. Lembre-se de avisá-la do perigo de perder o
equilíbrio e cair no rio. Se isso acontecer, ela ficará com os pés molhados. Aumentar a distância a cada vez que a
criança repete a atividade irá desafiá-la a se esforçar mais para ter cuidado.

Esta atividade desenvolve: ● consciência da distância;


● melhor coordenação dos músculos grandes e ● habilidade de seguir ordens;
pequenos; ● valorização do sentido do tato em mover as
● maior consciência da “grande” e “pequeno”; peças quadradas;
● independência; ● interação verbal.

34 Pai Professor
1 ano e 31 semanas
Fazendo um estêncil
Obtenha um pedaço de papelão de aproximadamente 30 x 20 cm. Corte, com faca ou tesoura, um retângulo de 5 x
15 cm a partir do centro do papelão.

Coloque um pedaço de jornal ou algum outro tipo de papel abaixo do papelão. Prenda as quinas do papelão ao jornal
com fita adesiva, deixando na vertical os lados maiores do retângulo que foi cortado no meio do papelão. Prenda
também o jornal à mesa em que a atividade for feita para que a montagem não escorregue.

Mova sua mão para cima e para baixo para sentir a área cortada do pedaço de papelão. Incentive a criança a fazer o
mesmo.

Deixe a criança escolher um lápis. Nomeie a cor e diga à criança para mover o lápis para cima e para baixo dentro da
área cortada. Enquanto a mão da criança se move para cima e para baixo, cante para ela: “para cima, para baixo, para
cima, para baixo; estou desenhando para cima e para baixo.” Deixe a criança colorir até perder o interesse. No
entanto, se toda a área for colorida, mova o papelão para outro pedaço do jornal. A criança pode querer escolher
outro lápis de cor. Se assim for, diga o nome da cor do lápis e deixe-a continuar a atividade.

Em outra ocasião, siga o mesmo procedimento, somente rotacione o papelão 90º para deixar na horizontal os lados
maiores do retângulo. Deixe a criança sentir a seção cortada, movendo a mão ou o dedo da esquerda para a direita.
Mais uma vez, deixe ela escolher o lápis. Nomeie a cor e incentive a criança a mover o lápis. À medida que a criança
passar o lápis, cante “para um lado, para o outro, vou desenhar, mas não sei onde vai parar”. Ela pode preferir apenas
rabiscar com um giz de cera por algum tempo. Continue cantando, deixando a criança agir livremente.

Esta atividade desenvolve: ● liberdade de escolha;


● consciência de direção vertical e horizontal; ● consciência de cores diferentes;
● consciência de limites com a peça cortada; ● interação de linguagem com canto;
● coordenação olho-mão; ● audição.

35 Pai Professor
1 ano e 32 semanas
Pintura vegetal
Corte uma das extremidades de uma cenoura. Reúna folhas de jornal ou papel em branco e tinta guache. Tintas à
base de água que tenham sobrado de uma pintura na casa podem substituir a tinta guache. Despeje um pouco de
tinta em uma bandeja de isopor ou de plástico. Prenda o papel sobre uma área plana. Coloque uma camisa velha ou
um babador na criança antes de iniciar esta atividade.

Mergulhe na tinta a extremidade cortada da cenoura. Se a tinta estiver muito grossa, adicione um pouco de água e
mexa. Em seguida, pressione a cenoura com tinta contra o papel. Deixe a criança fazer o mesmo. Ajude-a a
pressionar a cenoura com firmeza. Deixe-a brincar de forma independente enquanto você a supervisiona. A
experiência de utilizar um alimento para pintar deve parecer interessante. Ensine à criança que a cenoura é laranja.

Um talo de aipo também pode ser utilizado. Diga à criança para notar a cor e a forma do aipo. Brócolis, assim como
muitos outros vegetais, geram formatos interessantes quando pressionados. A criança pode fazer imagens cativantes
com uma combinação de diferentes vegetais e cores. No entanto, disponibilize apenas dois ou três vegetais por vez
para evitar o excesso de estimulação.

Esta atividade desenvolve: ● mais consciência de cores diferentes;


● criatividade; ● sentido do tato;
● apreciação da beleza da cor e da forma; ● impressão com os diferentes vegetais.
● coordenação olho-mão;
● exploração livre ao imprimir;

36 Pai Professor
1 ano e 33 semanas
Este lado, aquele lado
Reúna dez objetos pequenos. Eles podem ser brinquedos ou artigos do lar que sejam seguro para a criança. Use fita
adesiva ou um pedaço de fio para dividir uma área entre lado direito e lado esquerdo. Evite usar as palavras “direita”
e “esquerda”.

Pegue um objeto e diga: “Este lado”, enquanto você coloca esse objeto no lado esquerdo da divisão formada pelo fio
ou fita. Pegue outro objeto e diga “Aquele lado”, enquanto você o coloca o no lado direito da divisão.

Incentive a criança a brincar com você. Primeiro, você pode colocar seus itens no lado esquerdo, um de cada vez,
enquanto diz: “este lado”; e a criança coloca um objeto no lado direito, também um de cada vez, dizendo: "aquele
lado.” Se a criança não falar, mas colocar os objetos no lado correto no momento certo, elogie-a e desconsidere o fato
de que ela não estar falando. No entanto, não se esqueça de continuar a enfatizar: “este lado, aquele lado”, à medida
que os objetos são colocados alternadamente na posição correta.

Em outro momento, inverta os lados. À medida que a criança avança nesta habilidade de alterar posições para
melhorar a lateralidade esquerda e direita, ela pode ser encorajada a brincar sozinha. Esteja certo e incentive a
criança a dizer: “este lado, aquele lado.”

Esta atividade desenvolve: ● valorização do sentido do tato dos diferentes


● audição; objetos;
● coordenação olho-mão; ● habilidades verbais;
● sensibilização para esquerda e direita; ● confiança.

37 Pai Professor
1 ano e 34 semanas
Elásticos na porta
Use cerca de dez peças elásticas (liga elástica) para esta atividade. Os elásticos devem ser grandes o suficiente para
caber facilmente sobre a maçaneta. Esta atividade será mais difícil de ser realizada se os elásticos tiverem tamanhos
diferentes. Coloque-os em um pequeno recipiente de plástico ou em uma cesta.

Mostre à criança como colocar um elástico na maçaneta. Em seguida, deixe-a tentar sozinha. Se ela tiver êxito,
permita-lhe continuar colocando os elásticos na maçaneta de forma independente.

Quando todos os elásticos estiverem na porta, mostre à criança como tirá-los e colocá-los no recipiente novamente.
Incentive a criança a repetir essa atividade até que ela perca o interesse.

Em outro momento, a criança pode colocar um elástico em cada maçaneta na casa. Ela vai deliciar-se vendo você
fazer isso. A criança deve ser instruída a remover todos os elásticos das maçanetas e colocá-los no recipiente antes de
repetir a atividade. Quando ela perder o interesse, deve ser incentivada a remover todos os elásticos das maçanetas
antes de parar de brincar.

Esta atividade desenvolve: ● independência;


● habilidade em seguir instruções; ● correspondência um a um;
● consciência de materiais elásticos: ● coordenação olho-mão;
● consciência de encaixe e desencaixe; ● independência.
● resolução de problemas;

38 Pai Professor
1 ano e 35 semanas
Pilha de canudos e carretéis
Reúna vários canudos longos que podem ser encaixados facilmente no centro de carretéis de costura. Use dez ou
mais carretéis de formas e cores diferentes para tornar a atividade mais significativa. Os carretéis de cor neutra
podem ser pintados com canetinha para ficarem mais chamativos. Empilhe vários carretéis e, em seguida, derrube a
pilha formada. Depois, faça outra pilha, mas desta vez passe um canudo no meio dos carretéis. Tente desmontar a
pilha como você fez antes. Aponte para a criança que a pilha de carretéis não se desfez. Monte outra pilha com
carretéis sem o canudo. Peça à criança para tocar delicamente em ambas as pilhas. Ela verá que uma delas não se
desmontará.

Permita que a criança empilhe as bobinas sem o canudo. Incentive-a a montar a pilha mais alta possível. Diga a ela
para ter muito cuidado para que os carretéis não cairem. Se a pilha cair, encoraje a criança a continuar e ajude-a, se
necessário. Em seguida, insira cuidadosamente um canudo no centro dos carretéis empilhados. Se a pilha for muito
alta, podem ser necessários dois canudos. A criança poderá se divertir tentando colocar o canudo no centro dos
carretéis. No entanto, ela ainda pode precisar de sua orientação e ajuda.

Você pode contar os carretéis com a criança para aumentar o interesse na atividade. Se um carretel cair de uma
pilha, diga: “Olha, um carretel caiu.” Continue a empilhar os carretéis e a contá-los. Coloque um carretel no topo da
pilha, quando já não existir apoio suficiente de um canudo. Bata levemente na pilha e faça esse carretel do topo cair.
Deixe a criança consciente de que os outros carretéis não caíram porque eles estavam apoiados no canudo. A criança
pode não entender a palavra “apoio”, portanto, usar a frase, “encostado” para maior clareza.

Deixe a criança brincar com os carretéis e o canudo em outro momento, sem a sua interação. Observe a criança. Será
que ela descobre que os carretéis podem ser rolados para frente a para trás? Será que ela vai começar a empilhar e
usar o canudo para dar suporte aos carretéis, ou será que ela apenas vai gostar assisti-los cair depois de empilhar
alguns? Ela também pode descobrir que os carretéis têm furos em cada extremidade e vai se tornar consciente,
subconscientemente, que os materiais têm usos diferentes.

Esta atividade desenvolve: ● habilidades visuais através da observação dos


● coordenação olho-mão; carretéis;
● consciência de tamanhos diferentes se carretéis de ● consciência de conjuntos;
tamanho diferentes forem utilizados; ● consciência de apoio para evitar que os
● valorização do sentido do tato ao empilhar; carretéis caiam.

39 Pai Professor
1 ano e 36 semanas
Coloque o pano na caixa
Use uma tira longa de pano, várias faixas estreitas de diferentes tecidos texturizados ou de fio de crochê. A faixa deve
ficar com aproximadamente um metro de comprimento depois de atados nós com 7 a 10 centímetros de distância
um dos outros. As tiras de tecido texturizado e os nós são sugerido para adicionar variação tátil e interesse à
atividade.

Pegue uma caixa de sapato com tampa e faça um furo de cerca de 2 centímetros de diâmetro no centro da tampa.
Passe a faixa através do furo na tampa usando as mãos. Continue até que toda a tira de tecido esteja na caixa.
Conscientize a criança de que a tira de pano está toda na caixa. Diga: “A tira foi toda para dentro.”

Levante a tampa e empurre uma pequena parte da tira de pano ou fio através do lado da tampa que fica para dentro
da caixa. Comece a puxar a tira para fora da caixa. Quando ela estiver toda para fora da caixa, diga: “Olha, ela
voltou.”

Repetir esta atividade em diferentes intervalos de tempo servirá para entreter a criança, bem como para desenvolver
habilidades básicas de coordenação olho-mão. Pode ser necessário ajudar a criança a inserir a tira no orifício da
caixa.

Esta atividade desenvolve: ● habilidade na observação visual;


● mais consciência de “dentro” e “fora”;
● perícia na manipulação da tira;
● aprimoramento tátil;

40 Pai Professor
1 ano e 37 semanas
Prendedor de roupa
Use a mesma caixa de sapato da atividade da semana anterior ou selecione outra caixa do mesmo tamanho sem
tampa. Faça marcas circulares na cor vermelha em torno da borda superior da caixa de cerca de 8 centímetros de
distância.

Reúna 12 prendedores de roupa. Dê preferência para prendedores de roupa sem mola.

Coloque um prendedor em um dos pontos na borda superior da caixa. Incentive a criança a tentar colocar um
prendedor no próximo ponto disponível. Continue com a atividade até que todos os prendedores de roupa estejam
sobre os pontos. Ajude a criança, se necessário. Diga ela: “os prendedores de roupa foram todos colocados na caixa.
Agora vamos retirar todos eles”. Enfatize as palavras, “colocados” e “retirados”. Conte os prendedores de roupa com a
criança enquanto colocar e retirar os prendedores para ativar a consciência dos números.

Esta atividade pode ser repetida muitas vezes e ficará ais interessante se os prendedores de roupa forem coloridas ou
pintados, e se a caixa de sapato for decorada com cores brilhantes.

Esta atividade desenvolve: ● combinação 1 a 1 (pontos e prendedores);


● coordenação olho-mão; ● habilidade na observação visual.
● uma consciência de “colocar” e “retirar”;
● aprimoramento tátil;

41 Pai Professor
1 ano e 38 semanas
Balançar e procurar
Reúna 3 a 5 recipientes plásticos, pequenos, com tampa e que não sejam transparentes (antiga caixinha de filme de
máquina fotográfica seria o ideal). Obtenha também um sino ou outro objeto a ser usado para fazer ruído dentro de
um dos recipientes. Coloque o sino dentro de um dos recipientes e coloque a tampa. Coloque todos os recipientes em
uma fileira.

Agite cada recipiente e incentive a criança a ouvir os sons gerados. Depois de balançar todos os recipientes, a criança
deve ser capaz de escolher aquele que tem o sino dentro. Se ela não é capaz de identificar o recipiente correto, repita
a atividade até que ela seja bem sucedida. A ideia é estimar a recuperação da memória do objeto e sua posição na fila.

Mude as posições dos recipientes e repita a atividade. Se a criança tem dificuldade para encontrar novamente o
objeto correto, tente novamente. Continue com este procedimento, desde que a criança pareça estar interessada. Se
não houver interesse, tente em outro momento.

Um clipe de papel, uma bolinha de gude, um botão, uma pequena pedra, uma colher de chá de arroz ou feijão são

alguns dos materiais sugeridos para variar esta atividade. Use apenas um item por vez para comparar com as outras
embalagens vazias, até que a criança fique confiante. Em seguida, dois recipientes cheios podem ser utilizados. No
futuro, a criança pode depois classificar os recipientes pelo tipo de som, e jogar “Este lado, aquele lado”, como na
semana 33.

Esta atividade desenvolve: ● consciência de uma mudança nas posições dos


● habilidade na discriminação auditiva; recipientes;
● escutar com um propósito; ● recuperação da memória.
● habilidade em fazer uma escolha lógica;

42 Pai Professor
1 ano e 39 semanas
Flores na cesta
Use um pedaço de isopor, preso a um copo de plástico, a uma caixa de meia dúzia de ovos ou a um recipiente similar.
Reúna cinco flores. As flores podem ser reais, de plástico, de seda ou feitas em casa, com papel ou outro material.
Perfure cinco pequenos furos no isopor, marque cada ponto com caneta vermelha de modo que os furos sejam
claramente visíveis.

Incentive a criança a colocar uma haste da flor em cada um dos cinco buracos no isopor. Dirija a criança a remover
as flores e, em seguida, colocá-las de volta nos buracos várias vezes.

Converse com ela sobre as belas flores. Deixe-a consciente de que é o caule que segura uma flor quando ela está
plantada no solo ou em um recipiente.

Se for possível, leve a criança para fora e mostre-lhe o caule de uma planta, de preferência uma que tenha flores.
Remova um pouco de mato e mostre à criança a raiz da planta. Conte ela que a raiz está ligada ao caule, mantendo a
planta no solo. Permita à criança sentir e examinar a raiz do pedaço de mato. Fale mais sobre as raízes, se a criança
parecer interessada. Certifique-se de instrui-la a não colher flores sem permissão.

Esta atividade desenvolve: ● consciência sobre flores, caules e raízes;


● habilidade na procura de detalhes (os furos da ● interação verbal.
isopor);
● correspondência um a um (flor no buraco);

43 Pai Professor
1 ano e 40 semanas
Furar e pintar
Para esta atividade, use uma bandeja grande de isopor, tinta, um pincel normal de 5 centímetros, papel sulfite e um
lápis sem ponta.

Diga à criança para segurar o lápis e fazer furos na bandeja de isopor. Incentive a criança a ser delicada, e pressione
com firmeza para fazer bons recortes na bandeja.

Passe uma camada fina de tina ao longo do interior da bandeja furada. Coloque um pedaço de papel de tamanho
aproximado a da bandeja sobre a área pintada. Pressione firmemente e retire o papel com cuidado. Agora você deve
ter uma impressão dos furos feitos pela criança. Se a impressão estiver muito fraca, pincele mais tinta na superfície
da bandeja e tente imprimir novamente.

Permita à criança fazer furos em outra bandeja para estimular a exploração livre. Ela também pode querer espalhar a
tinta e imprimir sozinha. Ajude-a, se necessário. Ela pode querer também apenas fazer furos em outra bandeja, ou
pintar uma folha de papel presa a uma superfície plana.

Se a criança escolher pintar sozinha, observe o curso dos seus movimentos de pintura. Eles estão para cima e para
baixo? Ou são movimentos firmes para e esquerda e para a direita? São circulares? Todos esses movimentos do braço
ajudam no desenvolvimento motor. Através da prática, os movimentos dos braços em breve criarão formas
rudimentares de objetos que têm significado para a criança. À medida que ela desenvolver habilidades na pintura,
você vai ser capaz de reconhecer algumas dessas formas.

Esta atividade desenvolve: ● mais consciência das cores;


● criatividade; ● consciência de impressão;
● exploração livre; ● confiança e independência.
● coordenação olho-mão;

44 Pai Professor
1 ano e 41 semanas
Coletar e guardar
Obtenha uma bolsa pequena ou uma sacola de mercado com uma alça confortável, fácil para a criança carregar.
Planeje três cômodos da casa para a criança visitar. Escolha três objetos seguros e coloque um em cada cômodo
escolhido. Ou você pode permitir que a criança escolha um objeto seguro de cada um dos três cômodos. Dê à criança
a sacola e vá com ela para o primeiro cômodo. Nomeie o objeto e diga a criança para colocar o primeiro objeto
seguro na bolsa.Faça o mesmo nos outros dois cômodos. A criança terá, então, três objetos na sacola.

Vá para um cômodo diferente e tire todos os objetos da sacola. Peça à criança para nomear cada objeto. Se ela
precisar de ajuda, repita os nomes dos objetos. Fale sobre eles e instruia a criança a retornar cada objeto para o seu
cômodo de origem. Vá com a criança e ajude, se necessário.

Esta atividade pode ser variada indo a outras partes da casa e com objetos diferentes. A criança deve ser capaz de
identificar cada quarto por nome ou identificar a quem pertence o quarto. Esta atividade também pode ser repetida
em uma área externa usando árvores, canteiros de flores, postes de luz e outros objetos fixos como marcadores.

Esta atividade desenvolve: ● interação verbal;


● habilidade de recuperação na memória; ● habilidade em observação e em objetos
● associação de posições no espaço; diferenciados;
● habilidade de seguir ordens; ● confiança e independência.

45 Pai Professor
1 ano e 42 semanas
Rasgue isso
Reúna uma revista velha e um saco plástico. Dê à criança a revista e mostre-lhe como rasgar as páginas. Lembre a
criança que ela não pode rasgar qualquer revista, somente aquelas que seus pais lhe derem permissão.

Incentive a criança a arrancar uma página da revista e colocá-la no saco. Deixe-a fazer isso para várias páginas.
Enfatize o som que o papel faz quando as páginas são arrancadas.

Esta atividade pode durar por algum tempo ou a criança pode perder o interesse rapidamente. Se isto ocorrer, diga-
lhe para olhar as fotos da revista e indicar a você a imagem favorita dela.

Rasgar papel é uma boa atividade para crianças desta idade. Deve ser incentivada muitas vezes. Outras atividades
que foram introduzidas anteriormente não devem ser esquecidas. Muitas dessas atividades devem ser repetidas. Não
só elas serão benéficas, mas a criança vai tirar desenvolver novas habilidades, com a repetição.

Esta atividade desenvolve: ● consciência de como arrumar a casa


● consciência de que o papel pode ser mudado por (colocando papel na sacola);
rasgar; ● confiança e independência.
● escuta com um propósito;

46 Pai Professor
1 ano e 43 semanas
Panelas e tampas
Reúna três panelas com as tampas correspondentes. Misture as tampas e panelas e deixe a criança livre para brincar
com elas. Observe a criança. Será que ela tenta encaixar as tampas nas panelas certas, ou será que ela apenas bate as
tampas para fazer barulho? Após um período de atividade livre, incentive a criança a colocar as tampas nas panelas
correspondentes. Ajude a criança, se necessário.

Mais tarde, a criança deve escolher três objetos pequenos para colocar em cada uma das três panelas. Certifique-se de
que a criança conhece os nomes dos três objetos. Diga-lhe para colocar as tampas nas panelas. Novamente ajude, se
necessário. Instrua a criança a encontrar um objeto específico em uma das panelas. Continue com esta atividade até
que todos os três objetos sejam localizados corretamente.

Em outro momento, a criança pode ser instruída a colocar todas as tampas do lado esquerdo de um determinado
limite e todas as panelas do lado direito. Esta atividade foi introduzida na semana 33. O limite pode ser feito com um
fio, fita ou um objeto. A criança vai gostar de jogar novamente “Este lado, aquele lado”. Além disso, ela pode ajudar
você a guardar as panelas quando a atividade acabar.

Esta atividade desenvolve: ● classificação;


● exploração livre; ● independência e confiança.
● resolução de problemas;
● correspondência;

47 Pai Professor
1 ano e 44 semanas
Diversão com funil
Reúna um funil e várias garrafas plásticas de diferentes tamanhos. Agua, areia ou arroz serão utilizados para encher
as garrafas. Reserve cada um desses materiais em um recipiente de plástico ou um jarro. Cada material deve ser
usado separadamente durante esta atividade, muito embora o procedimento será similar. No entanto, você pode
optar por usar todos os três em momentos diferentes para enriquecer a atividade.

A atividade com água deve ser feita no banheiro, cozinha ou na parte externa da residência. As atividades com areia
e com arroz devem ser feitas no exterior, mas se forem feitas no interior, um pano de plástico grande ou uma cortina
velha de chuveiro podem ser usados para cobrir o chão. A atividade também pode ser feita dentro de uma banheira
plástica, para evitar o derramamento dos materiais.

Mostre à criança como usar o funil e os materiais para esvaziar e encher as garrafas. Após o breve período de
instrução, permita que a criança trabalhe de forma independente, enquanto você supervisiona. Despeje o material
dos frascos de volta no recipiente original e repita a atividade, enquanto houver interesse. A criança deve ser
autorizada a sentir cada material enquanto está trabalhando com eles, e ficar livre para fazer sugestões de como os
materiais podem ser usados.

Esta atividade desenvolve: ● coordenação olho-mão;


● consciência de como despejar e encher um ● aprimoramento tátil.
recipiente;
● consciência de “vazio” através da exploração livre;

48 Pai Professor
1 ano e 45 semanas
Aprendendo a costurar
Corte fora as bordas de uma tampa plástica redonda. Ela será utilizada como um grande botão. Obtenha uma peça de
tecido que tenha a largura um pouco maior do que o tamanho do botão e o comprimento maior do que o dobro do
tamanho do botão (2x1). Dobre o tecido ao meio. Costure ou cole em torno da borda para que o pano não abra.
Corte uma fenda no tecido um pouco maior do que o botão plástico. Mostre à criança como abotoar e desabotoar
usando o pano e o botão. Deixe ela tentar sozinha, contanto que se mostre interessada.

Faça quatro furos igualmente espaçados na tampa plástica para que ela se pareça com um botão com quatro furos.
Corte um pedaço de fio, de aproximadamente 50 centímetros de comprimento, e junte-o a um desses arames que são
utilizados para fechar sacos de pão de forma. Para isso, torça a ponta do arame, formando um pequeno buraco, como
se fosse a cabeça de uma agulha. Passe o fio através do buraco, junte as pontas soltas e amarre algumas vezes, fazendo
um grande nó. Mostre à criança como usar a “agulha” para entrar e sair dos furos do botão de mentirinha. Incentive-
a a seguir suas instruções, mas se ela resistir, deixe-a “costurar” livremente. Quando ela terminar, desembole a linha
e comece novamente. Uma criança dessa idade é muito nova para trabalhar com outros materiais. Tentar fazer isso
agora pode frustrá-la.

Uma roupa velha com um botão grande pode ser usado para a prática de abotoar e desabotoar. Abotoar
provavelmente será mais fácil para a criança, mas com muita prática, ela em breve desenvolverá mais habilidade em
desabotoar as peças de vestuário. Quando ela demonstrar habilidade suficiente, introduza peças com botões e furos
menores.

Esta atividade desenvolve: ● habilidade de seguir ordens.


● resolução de problemas;
● coordenação olho-mão;
● aprimoramento tátil;

49 Pai Professor
1 ano e 46 semanas
Dobrando papéis
Consiga uma revista velha que tenha páginas coloridas. Mostre à criança como dobrar as páginas ao meio, enquanto
as páginas ainda estão intactas. Deixe que ela dobre quantas páginas quiser até perder o interesse. Lembre-se de que
o período de interesse nessa idade é muito curto. Use a palavra “metade” ao conversar com a criança, por vezes,
durante todo o dia e durante toda a semana para enfatizar o conceito.

Posteriormente, use a mesma revista ou outra diferente para mostrar à criança como dobrar as pontas superiores
para baixo, formando um triângulo.

Mais tarde, mostre a ela como dobrar as bordas inferiores da folha para cima. Use as palavras, “para cima” e “para
baixo”, sempre que possível, para garantir que a criança tenha um conhecimento prático desses conceitos.

Como uma extensão dessa atividade, repita as mesmas dobras em uma folha de jornal para formar um chapéu. Faça
um em menor escala para a criança. Incentive-a a participar, ajudando a fazer seu próprio chapéu. A criança deve ser
capaz de ajudar nas dobras. No entanto, o papel de jornal pode causar alguma sujeira; por isso, tabalhe em um local
que facilite a limpeza.

Esta atividade desenvolve: ● uma consciência de “para cima” e “para


● sensibilidade tátil ao dobrar o papel; baixo”;
● coordenação olho-mão; ● consciência de que papel tem mais de um uso;
● consciência de “metade” e “todo”; ● confiança e independência em dobradura.

50 Pai Professor
1 ano e 47 semanas
Encontrar e tocar
Para esta atividade, use uma pequena bola de meia, uma bola de fios ou uma bolinha de plástico. Diga à criança para
encontrar e tocar com a bola uma das seguintes partes do corpo:

Cabeça – Braço – Olho – Mão – Nariz – Perna – Orelha – Pé – Boca - Estômago (barriga)

Se a criança tiver dificuldade, faça uma revisão das partes do corpo e recomece a atividade. Quanto mais você repeti-
la, mais confiante a criança se tornará. Esta é uma atividade de três etapas em que a criança deve ouvir, localizar e,
em seguida, tocar em uma parte específica do corpo.

Como uma extensão desta atividade, a criança pode ser instruída a tocar uma parte do corpo de uma boneca. Ela
pode repetir o procedimento segurando uma bola, como foi feito anteriormente.

Em vez de tocar uma parte do corpo, a criança pode querer só apontar. Tocar nas e apontar para partes do corpo são
dois conceitos diferentes. A criança deve ser incentivada a fazer um ou outro quando você está fazendo a atividade
com ela. Segurar um objeto e usá-lo para tocar em algo é mais avançado do que apenas apontar.

Esta atividade desenvolve: ● coordenação motora das mãos;


● habilidade em seguir ordens; ● sensibilização acerca das partes do corpo.
● mais sensação de toque;
● consciência dos comandos “tocar” e “apontar”;

51 Pai Professor
1 ano e 48 semanas
O conta-gotas
Pegue um conta-gotas e dois recipientes transparentes de plástico. Deixe a criança escolher uma cor dentre os
corantes alimentares disponíveis em casa. Encha um dos recipientes e pingue nele uma ou duas gotas do corante
escolhido. Mostre e diga à criança que um dos recipientes está vazio e o outro cheio.

Segure o conta-gotas e coloque a parte inferior do mesmo na água colorida. Aperte o bulbo e chame a atenção da
criança para as bolhas de ar que escapam quando o bulbo é espremido. Solte o bulbo do conta-gotas e mostre à
criança que o conta-gotas aspirou um pouco da água colorida.

Ainda segurando o conta-gotas, coloque-o no recipiente vazio. Solte a água colorida.

Incentive a criança a trabalhar de forma independente, enquanto ela tenta preencher o recipiente vazio com a água
colorida. Ela pode perder o interesse rapidamente. No entanto, a atividade pode ser concluída aos poucos. Depois de
algumas tentativas, haverá quantidade razoável de água colorida no recipiente.

Mostre à criança contêineres vazios e cheios, sempre que surgir a oportunidade. Isso servirá para enriquecer a
consciência da criança desses dois conceitos.

Esta atividade desenvolve: ● coordenação olho-mão;


● capacidade de observação; ● liberdade de escolha (escolher uma cor de
● habilidade de seguir ordens; alimento);
● consciência de “vazio” e “cheio”; ● consciência de bolhas de ar e de ar;
● confiança e independência.

52 Pai Professor
1 ano e 49 semanas
Botão, Zip, Tac, Velcro
Pegue um casaco velho, um vestido ou alguma peça de vestuário que tenha um botão e uma casa para o botão, ou
costure um botão em um pedaço de pano dobrado. Utilize outro pedaço de tecido dobrado para fazer uma casa de
botão ou uma fenda. Permita à criança abotoar e desabotoar usando o mesmo procedimento da semana 45.

Em outro momento, obtenha uma jaqueta, uma calça ou uma saia com um zíper. Deixe que a criança pratique abrir e
fechar o zíper. Enfatize o som que o zíper faz quando a criança passa a guia para cima e para baixo.

Costure botões de pressão em um pedaço dobrado de pano ou use uma roupa velha que contenha vários desses
botões. Incentive a criança apertar e desapertar os botões. Isto irá fasciná-la momentaneamente, mas a atividade
pode ser difícil para ela. Certifique-se de ajudá-la, se necessário. Elogie a ela por tentar, mesmo que você faça a
maior parte do trabalho. Enfatize o som que os botões de pressão fazem quando duas peças se encaixam.

Use um tênis com um fecho de velcro; costure ou cole peças de velcro em um pedaço dobrado de pano. Permita à
criança brincar com o velcro. Incentive-a a ouvir o som que é produzido quando os dois pedaços de velcro são
separados.

A criança deve ficar livre para sentir e explorar os materiais que contenham o botão normal, o zíper, o botão de
encaixe e o velcro. Outros tipos de prendedores podem ser introduzidos se você perceber que a criança já pode
manipulá-los. Tente fazê-la consciente dos vários tipos de peças utilizados para fixar conjuntos.

Esta atividade desenvolve: ● audição de diferentes sons dos fixadores;


● tomada de consciência dos vários materiais ● confiança e independência;
utilizados para a fixação de roupas; ● coordenação olho-mão.
● Solução de problemas;

53 Pai Professor
1 ano e 50 semanas
Ouvir e desenhar
Reúna várias folhas de rascunho, giz de cera e um aparelho que toque músicas (celular, por exemplo). Permita à
criança escolher uma cor. Nomeie essa cor e peça à criança para repetir o nome.

Toque uma música suave ou lenta e incentive a criança a ouvi-la. À medida que a criança ouve, determine a batida,
contando e batendo palmas no ritmo. Encoraje a criança a desenhar no tempo da música. Pode ser necessário guiar a
mão dela para dar-lhe a idéia. Uma vez que ela parecer entender, deixe que ela mova o lápis livremente no papel.
Evite corrigir os movimentos. Continue a contar e a bater palmas no ritmo da música de forma a motivar a criança a
continuar desenhando. Quando a música parar, elogie a criança por fazer uma imagem “musical” tão bonita.
Pendure a imagem na geladeira ou em outro lugar para mostrar à criança que você aprecia os trabalhos de arte dela.
Ela pode se interessar em produzir outra imagem “musical” para uma pessoa especial da família. Para economizar
papel, utilize os dois lados do papel. A criança também pode querer mudar as cores. Este é um bom momento para
pedir à criança para nomear as cores que ela escolher.

Em outro momento, toque uma música mais rápida. Ajude a criança a bater palmas no ritmo da música. Em seguida,
incentive-a a tentar seguir o ritmo da música enquanto traça um retrato “musical” mais rápido. Respeite o ritmo da
criança e continue a contar e bater palmas enquanto ela desenha. Não se esqueça de elogiá-la em qualquer resposta
positiva.

Esta atividade desenvolve: ● os músculos do braço e da mão;


● liberdade de expressão; ● apreciação de arte criativa;
● consciência de ritmo; ● independência e confiança.
● habilidades de escuta;

54 Pai Professor
1 ano e 51 semanas
Abrir e fechar
Leve a criança até um cômodo onde a porta abre e fecha facilmente, e a maçaneta é facilmente acessível. Segurando
a maçaneta da porta, abra e feche a porta suavemente. Deixe a criança praticar o giro da maçaneta, uma vez que ela
pode achar difícil abrir a porta que estiver bem fechada.

Fale sobre o sentido correto do giro da maçaneta para abrir a porta e expliquee que quando a porta está fechada, o
trinco da fechadura trava no batente da porta. O trinco é puxado para dentro à medida que a maçaneta é girada e
então volta para sua posição original quando a porta é fechada. A palavra “mola” pode ser utilizada para explicar o
funcionamento da porta, mas isso pode confundir a criança. Pode ser melhor apenas mostrar a fechadura, o trico e a
contra-testa (a peça retangular na qual o trinco se encaixa) no batente da porta e deixá-la experimentar enquanto
gira a maçaneta. A criança vai se interessar vendo isso e pode querer explorar de forma independente.

Em outro momento, permita que ela abra e feche a porta de outro cômodo. Use as palavras “abrir” e “fechar” e dizer
à criança que não algumas portas sem puxadores podem ser abertas e fechadas. Alguns exemplos são portas de
correr, portas giratórias e portas de armário da cozinha, sem puxador visível. A criança deve ter a possibilidade de
abrir e fechar diferentes tipos de portas sempre que possível.

Fale sobre segurança na cozinha ao abrir e fechar as portas dos armários. Enfatize que a criança não deve abrir e
fechar essas portas sem permissão. Explique o que a palavra “permissão” significa. Diga-lhe que alguns dos armários
contêm materiais que a criança não deve se preocupar. Abra cada gabinete e deixe que ela espie dentro, de modo que
ela não vai ficar tão curiosa sobre o conteúdo de cada um.

Esta atividade desenvolve: ● habilidade de girar maçanetas para abrir e


● tomada de consciência dos conceitos de “abrir” e fechas portas;
“fechar”; ● independência e confiança;
● exploração livre; ● enriquecimento da linguagem quando se
discute maçanetas, portas e segurança.

55 Pai Professor
1 ano e 52 semanas
Encontre-me
Diga à criança que você vai se esconder atrás de uma porta ou de uma peça do mobiliário. Incentive-a a cobrir os
olhos com as mãos. Quando você acabar de se esconder, diga: “Me encontre” ou “Encontre-me”. Como a criança
estará sempre escutando, poderá encontrar você. Faça isso várias vezes se escondendo no mesmo lugar. Quando a
criança estiver muito segura com o jogo, se esconda em um lugar diferente, próximo do primeiro esconderijo.
Continue a fazer isso até que a criança perca o interesse.

Em outro momento, incentive a criança a se esconder. Diga a ela que você vai tentar encontrá-la. Será que a ela vai
se esconder em um dos lugares onde você já se escondeu ou ela busca um novo esconderijo? Encontrar um novo
esconderijo denota que a criança entendeu bem a atividade. Se ela se esconder no mesmo lugar, encoraje-a a
encontrar um lugar diferente. Crianças muito novas podem jogar juntas com a orientação de um adulto.

Esta atividade desenvolve: ● consciência de “escondido” e “à vista”;


● escutar com um propósito (“me encontre”); ● consciência de uma posição no espaço;
● habilidade em rastrear o som da voz de uma ● independência e confiança.
pessoa;

56 Pai Professor
www. PaiProfessor.com.br

57 Pai Professor