Você está na página 1de 68

Pontos importantes

1- O que são rochas metamórficas?


2- Quais os 3 principais agentes metamórficos?
3- Explique os 3 principais tipos de
metamorfismos?
4- Descreva a textura das seguintes rochas:
mármore, quartzito, ardósia, filito, xisto, gnaisse.
5- Diferencie visualmente as rochas da questão
anterior.
8.1- Conceitos

• Quando a rocha primária que resultou na nova


rocha metamórfica for de origem
– Sedimentar: para-metamórfica
– Ígnea: Orto-metamórfica
• Durante o metamorfismo, a rocha original sofre
mudanças para atingir o equilíbrio com seu
novo ambiente.

• As mudanças podem resultar na formação de


novos minerais e/ou em uma mudança na
textura da rocha pela reorientação dos minerais
originais.
• Em alguns casos, as
mudanças são
menores, e as
características da
rocha original podem
ainda ser
reconhecidas.
• Em outros casos, a
rocha muda tanto que
a sua identidade
petrográfica original
só pode ser
determinada com
grande dificuldade,
isto é, se for
determinada.
8.2- Agentes metamórficos
• Os três agentes do metamorfismo são:
- calor

- pressão

- atividade do fluido
CALOR
• O calor é um agente importante do
metamorfismo porque aumenta a velocidade
das reações químicas

• Tais reações podem produzir minerais diferentes


da rocha original.
CALOR
O calor pode vir de:
• Magmas intrusivos ou extrusivos
ou
• Resultar de rochas profundamente enterradas
na crosta, tal como ocorre durante a subducção
ao longo do limite convergente de placa.
PRESSÃO
• As rochas soterradas estão sujeitas à pressão litostática
crescente; resultante do peso das rochas sobrepostas,
aplicada igualmente em todas as direções.

• À medida que as rochas são submetidas à pressão


litostática, os grãos minerais podem recristalizar-se,
formando minerais menores e mais densos.

• Sob outras condições, os grãos minerais isolados podem


sofrer recristalização e formarem cristais maiores,
conhecidos como porfiroblastos.
PRESSÃO
• As rochas podem sofrer pressão diferencial, que não são
iguais em todos os lados, assim a rocha é distorcida.
• Pressões diferenciais ocorrem normalmente durante a
deformação associada com a formação de montanhas.
ATIVIDADE DO FLUIDO
• Em quase toda região de metamorfismo, a água e
o dióxido de carbono (CO2) estão presentes em
quantidades variadas ao longo das fronteiras dos
grãos minerais ou na porosidade das rochas.

• Esses fluidos que podem conter íons em solução,


aceleram o metamorfismo pelo incremento na
velocidade das reações químicas.
ATIVIDADE DO FLUIDO
Os fluidos quimicamente ativos, que são
importantes no metamorfismo, vêm de três
fontes:
- A primeira é a água capturada na porosidade das
rochas sedimentares quando elas se formam.
- A segunda é o fluido volátil dentro do magma.
- A terceira fonte é a desidratação de minerais que
carregam água, tais como a gipsita (CaSO4.2 H2O)
e algumas argilas.
8.3- Tipos de metamorfismo

a- Regional ou Dinamotermal
b- Termal ou de Contato
c- Dinâmico ou Cataclástico
d- de soterramento; e- hidrotermal;
f- de fundo oceânico; g- de impacto.
TIPOS DE METAMORFISMO
São reconhecidos três grandes tipos de
metamorfismo:
1) metamorfismo de contato ou termal;

2) metamorfismo dinâmico ou cataclástico;

3) metamorfismo regional ou dinamotermal.


METAMORFISMO DE CONTATO ou TERMAL
• O metamorfismo de contato ocorre quando um
corpo de magma modifica a rocha encaixante.
• Importantes fatores no metamorfismo de contato
são a temperatura inicial e o tamanho da
intrusão, assim como o conteúdo do fluido
magmático e/ou a rocha encaixante.
• A temperatura inicial de uma intrusão é
controlada, em parte, pela sua composição.
Magmas máficos são mais quentes que os
magmas félsicos, logo possuem efeito termal
maior sobre as rochas encaixantes.
• Normalmente, no caso de pequenas intrusões como
diques e soleiras, apenas aquelas rochas em contato direto
com a intrusão são afetadas.
• As grandes intrusões, como os batólitos, levam um grande
tempo para resfriar, assim o aumento da temperatura na
rocha encaixante pode durar tempo suficiente para que
uma área mais ampla seja afetada.
• As temperaturas adjacentes à intrusão podem aproximar-se de
900°C, mas elas gradualmente decrescem com a distância.
• Os efeitos térmicos e as reações químicas resultantes ocorrem,
normalmente, em zonas concêntricas conhecidas como auréolas
metamórficas.
• O limite entre uma intrusão e sua auréola pode ser abrupto ou
transicional.
• O mármore é um bom exemplo de rocha formada por este
processo. O mármore tem origem no calcário, que foi
recristalizado por contato com uma intrusão magmática. As duas
rochas são constituídas por calcita, como se pode constatar com
o teste da reação com os ácidos. O calcário formou-se por
precipitação (é uma rocha sedimentar de origem química) e o
mármore por recristalização do calcário.
• O metamorfismo de contato pode resultar não
somente de intrusões ígneas, mas também de
fluxos de lava.
• A lava fluindo sobre a terra pode alterar
termicamente as rochas subjacentes.

• A formação de novos minerais pelo


metamorfismo de contato não depende
somente da proximidade da intrusão, mas
também da composição da rocha encaixante.
• Dois tipos de rochas metamórficas são geralmente
reconhecidos nesse ambiente:
1) aqueles que resultam do aquecimento da rocha
encaixante
2) aqueles modificados pelas soluções quentes.

• Muitas das rochas que resultam do metamorfismo


de contato têm uma textura de porcelana; isto é,
elas são duras e finamente granuladas. Isso é
particularmente verdade para rochas com alto teor
de argila, tais como o folhelho.
• Tal textura é resultante do fato de que os minerais
de argila na rocha são cozidos, da mesma forma
que um vaso de argila é cozido quando queimado
em um forno.
• Durante os estágios finais do resfriamento,
quando um magma intrusivo começa a se
cristalizar, grandes quantidades de soluções
aquosas quentes são liberadas.
• Essas soluções podem reagir com a rocha
encaixante e produzir novos minerais
metamórficos.
• Esse processo, que usualmente ocorre perto da
superfície da Terra, é chamado alteração
hidrotermal e pode resultar em depósitos
minerais.
• Exemplos incluem cobre, ouro, minério de ferro,
estanho e zinco.
METAMORFISMO DINÂMICO OU
CATACLÁSTICO

• A maior parte do metamorfismo dinâmico é


associada a zonas de falha (fraturas ao longo das
quais o movimento ocorreu), onde as rochas são
sujeitas a pressões diferenciais elevadas.
• As rochas metamórficas resultantes do puro
metamorfismo dinâmico são chamadas milonitos
e são, geralmente, restritas às estreitas zonas
adjacente às falhas.
• Os milonitos são rochas duras, densas e
finamente granulada, muitas das quais são
caracterizadas pelas laminações finas.
Metamorfismo
Regional ou
Dinamotermal

• Responsável pela maioria das rochas


metamórficas.
• Ocorre sobre uma grande área e é normalmente
causado pelas elevadas taxas de temperatura,
pressão e deformações localizadas em porções
mais profundas da crosta.
• É mais comum nos limites convergentes das
placas litosféricas ou nas bacias de sedimentação
(as camadas mais profundas vão sendo
compactadas à medida que mais sedimentos vão
chegando).
8.4- Zonas Metamorficas
• Certos minerais se formam somente dentro de
um intervalo específico de temperatura e
pressão.

• Tais minerais são conhecidos como minerais-


índice, porque sua presença permite aos
geólogos reconhecerem zonas metamórficas de
grau baixo, intermediário e alto.
• O aparecimento sucessivo dos minerais-índice
metamórficos indica o aumento ou o
decréscimo gradual da intensidade do
metamorfismo.
• Quando a localização dos primeiros
aparecimentos desse mineral-índice é
interligada em um mapa, o resultado é uma
linha de igual intensidade metamórfica, ou uma
isógrada. A região entre as isógradas é
conhecida como zona metamórfica.
Zonas metamórficas

Profundidade (km)
8.5- Texturas
• (Afanítica: não se observam cristais a olho nu).
• Granoblástica: sem predomínio de uma ou outra
dimensão ou direção dos minerais.
• Lepidobrástica: predomínio de minerais micáceos
orientados.
• Nematobrática: com minerais prismáticos
orientados.
• Porfiroblástica: alguns minerais se destacam por seu
tamanho maior que o restante da rocha. A porção
mais fina é chama de matriz e os cristais maiores
são os porfiroblastos.
Textura nematoblástica
Milonito pode apresentar textura lepidogranoblástica
ou nematoblástica.
Textura granoblástica
Textura granoblástica
• Rochas não-foliadas
• Rochas foliadas: 8.6- Estruturas
- Levemente foliadas;
- Foliação ardosiana;
- Xistos;
- Gnaisses (se houver porfiroblastos na forma de augen
– olhos: augen gnaisse);
- Bandamento (ex: mármore bandado, quartzito
bandado, gnaisse bandado).
Classificação das rochas metamórficas
Rochas metamórficas foliadas
• As rochas submetidas ao calor e à pressão
diferencial durante o metamorfismo possuem,
normalmente, minerais arranjados de modo
paralelo que lhes dá uma textura foliada.
• O tamanho e o formato dos grãos do minerais
determinam se a filiação é fina ou grosseira.
ARDÓSIA
• A ardósia é uma rocha metamórfica muito finamente
granulada que normalmente exibe clivagem ardosiana.
• A ardósia é o resultado de metamorfismo regional de
grau baixo de folhelho ou, mais raramente, de cinza
vulcânica.
• Como ela pode ser dividida facilmente em peças planas,
ao longo dos planos de clivagem, é uma excelente rocha
para construção de telhados, lajotas para o chão,
superfícies para mesas de bilhar, revestimento de piscina
e quadros negros.
• As diferentes cores da maioria das ardósias se devem às
quantidades mínimas de grafite (preta), óxido de ferro
(vermelho e roxa) e/ou clorita(verde).
FILITO
• O filito é semelhante em composição à ardósia,
mas é mais grosseiramente granulado.
• Os minerais, no entanto, são ainda muito pequenos
para serem identificados sem uma ampliação.
Representa um tamanho de grão intermediário
entre ardósia e xisto.
• Filito é uma rocha metassedimentar muito fina,
constituída basicamente de sericita, caulinita e
quartzo. Devido à sua natureza química e
minerológica, pode compor até 50% de massas
cerâmicas.
XISTO
• O xisto é mais comumente produzido pelo
metamorfismo regional.
• O tipo de xisto formado depende da intensidade
do metamorfismo e do caráter da rocha original.
• O metamorfismo de muitos tipos de rocha pode
produzir xisto, mas a maior parte do xisto parece
ter sido formada de rochas sedimentares ricas
em argila.
• Todos os xistos contêm mais de 50% de
minerais achatados e alongados, em que todos
são grandes o suficiente para serem visíveis.
• Sua composição mineral confere xistosidade ou
foliação xistosa à rocha, que normalmente
produz um tipo ondulado de ruptura, quando
quebrada.
• A xistosidade é comum em ambientes
metamórficos de baixo para alto grau, e cada
tipo de xisto é conhecido por seu mineral ou
minerais mais conspícuos, tais como o
micaxisto, o clorita xisto ou o talco xisto.
Xisto pode ser usado como
revestimento rústico
GNAISSE

• O gnaisse é uma rocha metamórfica que é bandada ou


possui faixas segregadas de minerais claros e escuros.
• Os gnaisses são compostos principalmente de minerais
granulares, como quartzo e/ou feldspatos, com
porcentagens menores de minerais alongados e planos,
tais como a mica ou os anfibólios.
• O quartzo e o feldspato são os principais minerais de cor
clara, enquanto a biotita e a hornblenda são os típicos
minerais de cor escura.
• O gnaisse normalmente se quebra de forma irregular,
muito parecida com a maneira com que as rochas não-
foliadas cristalinas grosseiras se quebram.
Rochas metamórficas não-foliadas
• Em algumas rochas metamórficas , os grãos
minerais não mostram uma orientação
preferencial, mas formam um mosaico de
minerais grosseiramente equidimensionais e são
caracterizadas como tendo uma textura não-
foliada.
• A maior parte das rochas metamórficas não-
foliadas resulta do metamorfismo de contato ou
regional, no qual não estão presentes minerais
alongados ou planos.
Rochas metamórficas não-foliadas
Rochas metamórficas não-foliadas são geralmente
de dois tipos:

1) aquelas compostas principalmente de um único


mineral, como o mármore e o quarzito;

2) aquelas nas quais os diferentes grãos dos


minerais são muito pequenos para serem vistos
sem ampliação, como o xisto-verde e o
hornfels.
MÁRMORE
• O mármore composto predominantemente de
calcita ou dolomita.
• O tamanho de seus grãos vai de finamente granular
a grosseiramente granular.
• Resulta do metamorfismo de contato, ou regional,
de calcários ou dolomitos.
• O mármore puro é branco-neve ou azulado, mas
existem variedades de muitas outras cores, por
causa da presença de impurezas minerais na rocha
sedimentar original.
• A suavidade do mármore, sua textura uniforme e
suas várias cores o tornam o favorito dos
construtores e escultores através do tempo.
QUARTZITO
• O quartzito é uma rocha dura e compacta
formada do arenito de quartzo sob condições
metamórficas de médio para alto grau, durante o
metamorfismo de contato ou regional.
• O quartzito puro é branco, mas o ferro e outras
impurezas conferem, entre, outras, uma cor
avermelhada a ele.
• O quartzito é geralmente usado como material
de fundação para estradas de rodagem e leitos
de estradas de ferro.
a- arenito b- Quartzito
8. 6- Metamorfismo e os recursos
naturais
• Muitas rochas metamórficas e minerais são
recursos naturais valiosos.

• As duas rochas metamórficas mais familiares e


mais amplamente usadas são o mármore e a
ardósia.
• Muitos depósitos de minério resultam do
metamorfismo de contato durante o qual os
fluidos ricos em ferro migram das intrusões
ígneas para a rocha circundante, produzindo
importantes depósitos de minerais.
• Os depósitos de minério sulfetados mais comuns,
associados com o metamorfismo de contanto,
são bornita (Cu), calcopirita (Cu), galena (Pb),
pirita (Fe) e esfalerita (Zn).
• No caso dos óxidos, os mais comuns são
hematita e magnetita.

• Estanho e tungstênio também são importantes


minérios associados com o metamorfismo de
contato.
Outros minerais metamórficos
economicamente importantes:
• talco para os cosméticos;
• grafita para os lápis e lubrificantes secos;
• granadas e coríndon como abrasivos ou gemas para
joalheria;
• andaluzita, cianita e sillimanita, que são usados na
fabricação de porcelanas de altas temperaturas e
materiais resistentes à alta temperatura para
produtos como velas de ignição e revestimentos de
fornalhas.