Você está na página 1de 9

FISIOLOGIA BACTERIANA

Crescimento bacteriano/divisão celular  ambiente propício c constituintes


químicos e físicos

Algumas espécies apresentam flexibilidade nutricional  Pseudomonas


Outras espécies são mais exigentes  Porphyromonas e Treponema

Estrutura bacteriana  diferentes macromoléculas, proteínas e ácidos nucléicos

 Precursores: retirados do meio ambiente ou sintetizados no interior celular

Disponibilidade do composto no meio


 Depende Capacidade de síntese do microrganismo

Nutrição Bacteriana

Nutrientes  substâncias ou elementos retirados do ambiente utilizados p construir


componentes celulares ou p obter energia

Macronutrientes

Carbono (50%): presente na maioria das substâncias que compõem as células

O2 e H2: material celular e água da célula

N2: ptns e ácido nucléico

Fósforo: ATP, ácidos nucléicos, coenzimas (NAD e flavinas), metabólitos lipídicos,


parede celular, ácido teicóico e lipoteicóico, cápsula e ptns

S, K, Mg, Ca, Fe, Na: coenzimas, vitaminas e de aminoácidos

Micronutrientes ou elementos traço

Manganês, zinco, cobalto, cobre, molibdênio, selênio, cromo, níquel e outros

1
Classificação microbiana quanto à fonte de energia

Fototróficos: luz

Quimiotróficos: compostos orgânicos ou inorgânicos (reações de oxi-redução)

Classificação microbiana quanto à fonte de carbono (C)

Autotróficas  moléculas inorgânicas, como carbonatos e CO2

Heterotróficas  moléculas orgânicas (proteínas, carboidratos e lipídeos)

Meios de Cultura

Fonte de energia e carbono


Substrato doador de elétrons (orgânico ou inorgânico)
Necessidades específicas: vitaminas, cofatores, aminoácidos, etc

2
Meio de cultura:

Influência de fatores ambientais

Temperatura: cada bactéria possui uma ótima de crescimento

  T  desnaturação x T  desaceleração reações metabólicas

psicrófilas: entre 5º C e 20º C


mesófilas: entre 28º C e 45ºC  interesse médico, veterinário e agronômico
termófilas: 46º C e 70ºC
hipertermófilas: entre 71º C e 110º C

termófilas H-termófilas H-termófilas


bactérias arqueas
mesófilas
psicrófilas
Taxa de
crescimento

Temperatura ◦C

3
pH (concentração de íons hidrogênio)

Neutrófilas entre 6 e 8  maioria das bactérias


Acidófilas < 6  Thiobacillus thiooxidans (pH 2,0)
Alcalófilas > 8  Nitrobacter (pH 8,6)

Acidófila Neutrófila Alcalófila

Taxa de
crescimento

pH

Aeração

1. Aeróbias estritas/obrigatórias: O2 é o aceptor final de H2

2. Anaeróbias estritas: não toleram o O2  Clostridium tetani

3. Facultativas: utilizam o O2 qdo disponível, mas são capazes de


crescer na sua ausência  Escherichia coli e várias bactérias entéricas

4. Microaerófilas: necessitam de  teores de O2  Campylobacter jejuni

5. Aerotolerantes:o O2 não as afeta, cresce por todo o tubo

Pressão osmótica

4
Halófilos   [ ] de sal  bactérias marinhas

METABOLISMO  Soma de todas as reações químicas de um organismo vivo

ANABOLISMO (Biossíntese)  reações (R) químicas (Q) endergônicas nas quais


substâncias simples formam moléculas + complexas  requerem energia (E)

CATABOLISMO (Degradação)  RQ exergônicas que resultam na quebra de


moléculas orgânicas + complexas em substâncias + simples  liberam E

Várias funções celulares exigem energia, como transporte e motilidade

Produtos liberados
(ácidos, álcool, CO2)
Nutrientes p
biossíntese (B)

Energia p B

E transporte
Anabolismo nutrientes,
motilidade

Precursores B

Macromoléculas e Catabolismo
outros componentes
celulares

Fonte de energia (E)

5
RESPIRAÇÃO FERMENTAÇÃO

 Glicólise: formação de ácido


pirúvico  rendimento de 2 ATP

 Ciclo de Krebs: oxidação de

ácido pirúvico gerando CO2 

rendimento 2 ATP

 Cadeia transportadora de
elétrons: transferência dos
elétrons p os transportadores
 liberação gradual de
energia

6
Respiração aeróbica

Decomposição microbiana de substratos cujo receptor de H2 é o O2

Bactérias aeróbias: saldo final de 38 ATP por cada molécula de glicose utilizada

Respiração anaeróbica

Quando o O2 é substituído por outro receptor inorgânico de elétrons

Bactérias anaeróbias: ganho menor de 38 moléculas de ATP

Aceptor final de e- na cadeia transportadora: moléculas inorgânicas

- NO3- (nitrato); SO42- (sulfato); CO32- (carbonato)

Fermentação: produz pouco ATP

O produto final depende do microrganismo, as enzimas e do substrato utilizado

Dentre os vários tipos de fermentação, pode-se citar:

– Fermentação homolática: produção de ácido lático


– Fermentação alcoólica: produção de álcool
– Fermentação mista: produção de álcool, ácido e gás
– Fermentação butileno-glicólica: produção do butileno glicol

7
Crescimento bacteriano: Divisão binária simples ou Fissão Binária

 do protoplasma celular pela síntese de ácidos nucléicos, proteínas,


polissacarídeos e lipídeos  divisão celular

 do número de células bacterianas  não há aumento no tamanho da célula

Conhecendo as necessidades nutricionais de um microrganismo pode-se


controlar seu desenvolvimento

ETAPAS:

1. Alongamento celular e replicação do


DNA

2. Início da formação do septo (divisão da


Parede celular e da membrana
citoplasmática)

3. Individualização das células-filhas com


formação de paredes ao redor das regiões
contendo DNA replicado

4. Separação das células-filhas

Tempo de geração (TG): tempo necessário p q uma célula “mãe” origine duas
células “filhas” (dobre a população)

8
 TG pode variar de acordo c a espécie bacteriana e/ou condições físicas e
nutricionais (Ex: Escherichia coli 20 min, Mycobacterium tuberculosis 18 hr)

Curva de crescimento bacteriano

Fase lag (A)

 Não há divisão celular; adaptação das células ao novo ambiente


  volume total em quase 2 a 4 vezes
 Síntese de DNA, proteína e enzimas (pré-requisito para divisão)

Fase exponencial ou log (B)

 Reprodução celular ativa; tempo de geração constante


 Período de maior atividade metabólica da célula; preferido para fins industriais
 Microrganismos são particularmente vulneráveis a mudanças ambientais

Fase estacionária (C)

 O n°. de células morrendo é equivalente ao n°. de células novas


 Velocidade de crescimento diminui
 Depleção de nutrientes,  de O2 (aeróbios); acúmulo de produtos tóxicos

Fase de morte ou declínio (D)

 Condições impróprias p o crescimento; céls mortas excede o números de novas

Fase Estacionária

Número de Fase de
células (log) Declínio
Fase Log
(exponencial)

Fase Lag

Tempo 9