Você está na página 1de 3

Quem é Deus?

Deus, que criou o universo em toda a sua imensidão e detalhes criativos, pode ser conhecido por nós.
Ele nos conta sobre si mesmo, mas também nos revela muito mais. Deus nos convida a ter um
relacionamento com ele, onde podemos conhecê-lo pessoalmente. Não somente podemos aprender sobre
ele, como podemos conhecê-lo, intimamente.

Quem é Jesus?
Jesus de Nazaré transformou o mundo. Jamais houve e jamais haverá alguém como Ele. Ele é o tema
de mais livros, peças, poesias, filmes, e manifestações de adoração do que qualquer outro homem na
história da humanidade. Ele dividiu a história humana em a.C. e d.C. – "antes e depois de Cristo".
Ler as Suas palavras cuidadosamente – comparando-as com as de Maomé, Buda, e os escritos hindus,
ou de qualquer outro líder religioso – é ficar atônito diante do seu poder e singularidade. Os que O
ouviram, perguntaram surpresos: "Donde lhe vêm esta sabedoria e poderes miraculosos?" (Mt 13.54).
Observar o que Ele fez é convencer-se intuitivamente das afirmações básicas da fé cristã.
Tudo de bom que o cristianismo fez ao mundo é resultado da influência de Jesus. Mas, quem era esse
homem? As Escrituras hebraicas predisseram com séculos de antecedência a vinda de um Messias divino
para toda a humanidade, e Jesus é o cumprimento dessas profecias.

Quem é Espírito Santo?


Espírito Santo é o termo usado na Bíblia (Velho Testamento) para se referir à presença de Deus na
forma experimentada por um ser humano. A maioria dos cristãos considera o Espírito Santo como o
próprio Deus, parte da Santíssima Trindade.

VIRTUDES CRISTÃS
Entre os cristãos, a virtude consiste num hábito sobrenatural que facilita ao homem o conhecimento e a
prática do bem. As principais virtudes são sete, três delas teologais (referentes à relação do homem com
Deus) e quatro cardeais (que norteiam a conduta na vida). As virtudes teologais são a Fé, a Esperança e a
Caridade. As cardeais são: Prudência, Justiça, Temperança e Fortaleza.

CARIDADE
Dizem os textos cristãos: "A caridade é uma virtude sobrenatural pela qual amamos a Deus sobre todas
as coisas – por quem Ele é – e ao próximo por amor a Deus". É tida como a virtude primordial, a maior de
todas, a mãe das virtudes.

ESPERANÇA
A Esperança, como o próprio nome diz, é um ato de aguardar e não de tomar providências e
manipular. "A esperança é uma virtude sobrenatural pela qual confiamos em que Deus nos dará a glória
mediante sua graça e nossa correspondência a ela."


A fé não pode ser adquirida pela simples vontade do homem: "Não podemos crer, ou seja, praticar atos
de Fé, sem a graça de Deus. A fé é uma virtude sobrenatural pela qual – apoiados na autoridade de Deus –
cremos nas verdades que foram reveladas
As Virtudes Cardeais e os Arcanos Maiores
No caso das virtudes cardeais existe uma relativa facilidade de estabelecer nexos com os arcanos
maiores, pois existe até similaridade de nomes. A Fortaleza e o arcano XI
Na linguagem religiosa "A fortaleza é a virtude que no meio das dificuldades assegura a firmeza e a
constância para praticar o bem".
A Força é a personificação da valentia, da coragem. Aparece com freqüência representada com os
atributos da clava, da espada, do escudo, da bandeira da vitória e do leão.
A 11ª lâmina do Tarô, simboliza a Força de Vontade dirigida para a realização de valores morais, da
retidão. Aplicada no sentido de purificação, constitui base e sustentação de todo arrebatamento místico,
oculto e mágico. A Força, no Tarô, é símbolo da pureza moral, da inocência perfeita que, justamente
nesse estado, encontra as energias para o combate.
O Leão domado por uma Virgem, representa a força moral, a bravura que domina a adversidade, a
liberdade de ação e a confiança em si mesmo; a subjugação das paixões, o êxito. Trata-se de uma virtude
que não nega os poderes terrestres e animais, mas os integram de modo reto, vertical, com suavidade.
A Justiça e o arcano VIII Nos ensinamentos religiosos, "A justiça é a virtude que nos inclina a dar a
Deus e ao próximo o que lhes é devido, tanto individual como socialmente".
A Justiça é representada em geral com os atributos de balança, espada, venda nos olhos e o livro das
leis; referindo-se à execução da lei de modo imparcial e, muitas vezes, implacável. Ela chega a aparecer
com uma cabeça degolada no colo.
Já oitavo arcano maior do Tarô, segundo Wirth, abre o segundo setenário, aquele que diz respeito à
alma, posta assim entre o Espírito (lâminas 1 a 7) e o Corpo (lâminas 15 a 21). A Justiça, ou Têmis ou a
Balança representa a vida eterna, o equilíbrio das forças desencadeadas, as correntes antagonistas, a
conseqüência dos atos, a lei, a disciplina.
A Justiça, cujo número simbólico é o oito, representa a nossa consciência no sentido mais elevado.
Para aqueles que fizeram mau uso de seus poderes só cabe a espada e a condenação; para os verdadeiros
iniciados, a balança mantém o equilíbrio entre o Papa (5) e a Força (11), esse equilíbrio rigoroso que é a
lei da organização do caos no mundo e em nós mesmos.
A Prudência e o arcano IX "A prudência é a virtude que dispõe a razão prática para discernir – em
toda as circunstâncias – nosso verdadeiro bem, escolhendo os meios justos para realiza-lo" – assim
ensinam os religiosos.
A Prudência é com freqüência associada à inteligência e à atenção e aparece muitas vezes representada
com os atributos da serpente, bem como o espelho, a peneira e o archote.
O Eremita, o nono arcano maior do Tarô, o velho sábio, um tanto curvado, apoia-se num bastão, que
simboliza simultaneamente sua longa peregrinação e a arma contra a injustiça e os erros.
Sua lanterna associa-se, para muitos, a de Diógenes, que buscava à luz do dia um verdadeiro homem
em Atenas, mas simboliza também, como a lâmpada de Hermes Trimegisto, a luz velada da sabedoria,
que o Eremita cobre com o seu manto. A iluminação deve permanecer interior, é inútil cegar ou ofuscar
aquele a quem não se destina.
Sua atitude é a do peregrino, atento ao que se passa ao redor, que faz sua caminhada sem provocar
reações por onde passa.
A vida o Sábio é a da Prudência, sem pricipitações, desligado das paixões, em que trabalha no invisível
para condicionar o futuro que se encontra em gestação. A Temperança e o arcano XIV "A
temperança é a virtude que refreia o apetite dos prazeres sensíveis e impõe a moderação no uso dos bens
criados", dizem os textos.
Temperança significa da moderação e comedimento. É representada de diferentes modos e com
diversos atributos: o leão, o camelo, a pomba, o elefante, a caveira, a ampulheta, o compasso ou o ato de
embainhar uma espada.
A 14ª lâmina do Tarô, a Temperança, simboliza a junção do ativo e do passivo, o mistério da criação,
invisível, secreto. Sua origem está na Força (11) e seu complemento é a Justiça (8).
Muitas vezes considerada como símbolo da Alquimia, representa a destilação, a purificação, a
evolução da matéria. É a entrada do espírito na matéria, o símbolo de todas as transfusões espirituais,
propiciando o vivo equilíbrio entre as forças celestes e terrestres.
O gênio alado realiza e encarna sobre o plano material as obras da Justiça. Na simboligia grega
clássica o ato de derramar de um vaso em outro é tomado como sinônimo de metempsicose ou
transmigração das almas.
Entre a Morte (13) e o Diabo (15), a Temperança alada nos faz lembrar a grande lei da eterna
circulação dos fluidos vitais, no plano cósmico, e, no plano psicológico, a necessidade do difícil
equilíbrio interior que devemos manter entre os dois pólos do nosso ser, o terrestre e o celeste.
As Virtudes Teologais e os Arcanos Maiores
Na Ética religiosa, essas três virtudes são chamadas de teologais, porque não são elas produtos de um
hábito, pois o homem não as adquire através do seu próprio esforço. Alguns textos ensinam que "Elas são
essencialmente sobrenaturais, pois, além de serem dons divinos, elas se dirigem a Deus nos seus atos."
No caso das virtudes teologais os nexos com os arcanos maiores, nem sempre são muito evidentes.
A Fé e o arcano XII A fé não pode ser adquirida pela simples vontadedo homem: "Não podemos crer,
ou seja, praticar atos de Fé, sem a graça de Deus. A fé é uma virtude sobrenatural pela qual – apoiados na
autoridade de Deus – cremos nas verdades que foram reveladas".
A carta do Enforcado, se for tida como representação de alguém castigado por faltas cometidas, estará
longe de simbolizar o dom da fé. No entanto, se for entendida como submissão à uma prova, de modo
voluntário, tranqüilo e confiante, poderá então se aproximar do significado da primeira virtude teologal.
Alguns autores destacam o sentido sutil da postura do personagem, um ser que se deixa sustentar por
uma força oposta à gravidade terrestre, que tocou um centro de gravidade superior.
Há menções de que a lâmina do Pendurado retrata uma prova iniciática de cavalaria medieval, na qual
se procedia a uma drástica reversão do corpo, o que em alguns casos provocava ferimentos irreversíveis.
No entanto, essa mesma prova dá testemunho da absoluta confiança que um homem poderia ter na
qualidade da escola à qual se candidatava. Tinha fé de que qualquer sacrifício valeria a pena para se
tornar um iniciado.
A Esperança e o arcano XVII A Esperança, como o próprio nome diz, é um ato de aguardar e não de
tomar providências e manipular. "A esperança é uma virtude sobrenatural pela qual confiamos em que
Deus nos dará a glória mediante sua graça e nossa correspondência a ela."
O arcano 17, a Estrela, dá uma forte ênfase ao plano celeste, com uma Estrela Guia, central, e sete
estrelas menores (os sete planetas tradicionais). Numa acepção astrológica, indica todas as disposições
celestes que estimulam e desafiam a vida dos homens.
Essa mulher é a única personagem do Tarô que se encontra inteiramente despida e que se apoia
diretamente sobre o solo. Indica que ela se mantem intimamente ligada ao plano terrestre mas totalmente
despojada, permeável às determinações celestes.
A sua atitude de despejar o líquido dos cântaros (iguais aos da Temperança) traduz a atitude de
abertura e fluidez, que nada retém para si. Abrir mão, deixar correr, indica uma disposição de absoluta
confiança no futuro, que não é fabricada pelo homem, mas sim um dom celeste.
Esse casamento entre a presença celeste e o deixar fluir na terra, garante a exuberância de vida: é
também a única carta com árvores e pássaro.
A Caridade e o arcano... Dizem os textos cristãos: "A caridade é uma virtude sobrenatural pela qual
amamos a Deus sobre todas as coisas – por quem Ele é – e ao próximo por amor a Deus". É tida como a
virtude primordial, a maior de todas.