Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMA SENHORA PROCURADORA GERAL DA

REPÚBLICA RAQUEL DODGE

PGR-00494173/2017

WADIH DAMOUS e PAULO ROBERTO SEVERO


PIMENTA, ambos já qualificados na representação em epígrafe, vêm à
presença de Vossa Excelência requerer a juntada de perícia realizada
pela “La Asociación Española de Peritos Tasadores Judicial” e outros
documentos, bem como expor e, ao final requerer, o quanto segue.

As declarações do advogado Rodrigo Tacla Duran


perante a CPMI da JBS, em 30/11/2017, relativas às perícias por ele
realizadas na Espanha, vieram a ser confirmadas por laudo do
Departamento de Polícia Federal em 23/02/2018 (Laudo nº:
0335/2018-SETEC/SR/PF/PR), em que se constatou a ocorrência de
manipulação do sistema Drousys da empresa Odebrecht, antes e depois
da entrega das referidas cópias ao MPF.
Considerando que constam das páginas 73, 74,
75, 77 e 78, dos autos dos Inquéritos de nº 4327/DF e 4483/DF,
assinadas pelo então Procurador Geral da Republica, Rodrigo Janot
Monteiro de Barros, documentos obtidos no sistema Drousys da
Odebrecht com datas de emissão de 16/08/2017.

Considerando, ainda, conforme informações


prestadas pelo sr. Paulo Sergio da Rocha Soares (administrador do
Drousys), ao Delegado da Policia Federal Filipe Hille Pace, nas
investigações da Operação Abate I e II (44ª e 45ª fases da Lava Jato) que
o sistema Drousys da Odebrecht foi bloqueado pelas autoridades
suíças em março de 2016, e, que portanto, seria impossível a inserção
no sistema de arquivos com data de emissão posterior .

Verifica-se, portanto, diante da impossibilidade


concreta de inserção de arquivos em razão do bloqueio realizado pelas
autoridades estrangeiras, atestada pelo laudo pericial de nº:
0335/2018-SETEC/SR/PF/PR da Policia Federal, que houve
manipulação e adulteração das provas utilizadas pelo Ministério Publico
Federal, em sede dos procedimentos investigatórios mencionados.

Mas, não é só.

O laudo da PF revela (fls. 306), ainda, a


existência de alterações das cópias do sistema Drousys nos períodos em
que o material já estava em posse da Odebrecht e do MPF, constatadas
pela inserção e utilização de provas com data de emissão posterior ao
bloqueio do sistema Drousys. Assim mesmo, esse material foi utilizado
pelo então Procurador Geral da Republica nos inquéritos acima
referidos.

Diante do exposto, é o presente para requerer:

a) aditamento à Representação encaminhada em


05/12/2017 a esta Procuradoria, para que
sejam investigados, também, os fatos aqui
relatados.

b) oitiva do Procurador da República Rodrigo


Janot Monteiro de Barros.

c) Requer-se, ainda, para fins de apurar


responsabilidades e autoria, seja
providenciada a identificação e registros
históricos de alocação de endereço IP:
201.26.148.29, mencionado na página 304 do
Laudo:0335/2018-SETEC/SR/PF/PR,
utilizado no período indicado pela perícia da
Polícia Federal para acesso e adulteração do
sistema Drousys da Odebrecht.

Nesses termos,
Pedem deferimento.
Brasília, 28 de fevereiro de 2018.

WADIH DAMOUS
Deputado Federal PT/RJ

PAULO PIMENTA
Deputado Federal PT/RS