Você está na página 1de 32

Colégio Estadual Barão do Rio Branco

Curso Técnico em Segurança do Trabalho.

PROGRAMAS DE SEGURANÇA
DO TRABALHO

Segurança do Trabalho
O que é um PSST?
• Conjunto de diretrizes formais de ordem preventiva e
corretiva a ser aplicado ao trabalho.

• Trabalhadores;
• Instalações;
• Equipamentos;
• Processos.
Identificar
Eliminar
Controlar
Prevenir
RISCOS DE
O que é um PSST?
• Conjunto de diretrizes formais de ordem preventiva e
corretiva a ser aplicado ao trabalho.

Caráter:
• Administrativo;
• Técnico;
• Operacional;
• Educacional.
O que é um PSST?

Administrativ
o

Técnico NORMAS
DIRETRIZE E
S PROCEDI-
Operacional MENTOS

Educacional
Objetivos do PSST.
• Cumprimento de normas legais;
• NR’s, Portarias, Leis e demais determinações.

• Cumprimento de normas internas.


• Capacitação;
• Orientações;
• Padronização;
Fundamentos Básicos de um PSST.
• Valorização
•Patrimônios físico e
humano;

• Preservação

•Sistemas e
processos;
• Gestão Compartilhada

•Condições de
segurança
Diretrizes da PSST.
Leis Base
Legal
Diretrizes
Base Formais
NR,
Técnica
NBR

PSST
Diretrizes
Regras Normas Comple-
Orientações internas mentares
Procedimento
s
Diretrizes FORMAIS de PSST’s.
• Condições reconhecidas em LEI!
• C.F/88
• Lei da Previdência Social.
• CLT.
• Códico Civil / Penal
• NR’s.

Aplicáveis (ADM/TEC) ao processo


desenvolvido na empresa.
Diretrizes formais

• Constituição Federal / 88
• Art. 7 – Inciso XXII – “Estabelece como
direitos dos trabalhadores:
- Redução dos riscos de acidentes, por meio
de normas de segurança, saúde e higiene do
trabalho.
Diretrizes formais
• Previdência Social – Lei 8.213/91
• Art. 338:
“A empresa é responsável pela adoção e uso das medidas coletivas e
individuais de proteção a segurança e saúde do trabalho”

• § Único:
“É dever da empresa prestar informações pormenorizadas sobre os riscos
da operação a executar e do produto a manipular.

• Art. 19; § 2º
“Constitui-se contravenção penal, punível com multa, deixar a empresa de
cumprir as normas de segurança e higiene do trabalho
Diretrizes formais
• Consolidação das Leis do Trabalho – CLT
• Art. 157; § I
“Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança do trabalho.

• § II
“ Instruir os empregados, através de Ordens de Serviços, quanto às
precauções a tomar no sentido de evitar os acidentes do trabalho, ou
doenças profissionais.
Diretrizes formais
• Código Civil Brasileiro
• Art. 186
“Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência, ou imperícia,
violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral,
comete ato ilícito.

• Art. 927
“Aquele que, por ato ilícito (Art. 186 e 187) causar dano a outrem, fica
obrigado a repará-lo. Diretrizes formais
Diretrizes formais

• Código Penal Brasileiro


• Art. 132
“Expor a vida ou a saúde do trabalhador a perigo direto e iminente.
Pena: 3 meses a 1 ano de detenção.
Diretrizes básicas FORMAIS de PSST’s.
• NR 4 – SESMT  NR 10 – Eletricidade
 NR 11 – Movimentação de
• NR 5 – CIPA Materiais
 NR 12 – Máquinas e Equipamentos
• NR 6 – EPI  NR 13 – Caldeiras
 NR 15 – Op. Insalubres
• NR 6 – PCMSO  NR 18 – Construção Civil
 NR 22 – Mineração
• NR 9 – PPRA  NR 23 – Proteção contra incêndios
 NR 29 / 30 – Portuário/Aquaviário
• NR 26 -  NR 35 – Trabalho em Altura.
Sinalização
Diretrizes COMPLEMENTARES.

• Aspectos não contemplados pelas NR’s.

• Igualmente relevantes à saúde e segurança.


• Medidas internas;
• Orientações para o cumprimento de
normas;
• Adequações do espaço físico e processos.
Diretrizes COMPLEMENTARES.

Dir. Bas.
Form.

Anális
e de Arranj
Auditoria o Manutençã
Risco o
Diretrizes s físico
PSS Básicas
Complementar
T es Limpeza e Control
organizaçã Gestão e de Treinament
o Visual sinistr os
os
Diretrizes COMPLEMENTARES.

Arranjo Físico
Distâncias Mobilidade Acessibilidade Uso do espaço
• ( ) Em
• ( ) Em • ( ) Em • ( ) Em conformidade
conformidade conformidade conformidade
• ( ) Fora de
• ( ) Fora de • ( ) Fora de • ( ) Fora de conformidade
conformidade conformidade conformidade
Diretrizes COMPLEMENTARES.

Análise de Riscos
Etapas Riscos Gravidade Medidas de
prevenção

• Atividade 1 • Risco 1 • 1 • EPI


• Atividade 2 • Risco 2 • 2 • EPC
• Atividade 3 • Risco 3 • 3 • Sinalização
• Adequação
Desenvolvimento e Estruturação do PSST.
Questionamentos...
Quando
O que é o Quais as
será
Programa? vantagens?
implantado?

Qual seu Quem vai Onde e


objetivo? participar? como?

Quem vai Quanto vai


coordenar? custar?
Implantação de PSST em grupo de 100
empresas.
5%
Possuem PSST
10% de sucesso

Desistiram do
PSST

Desconhecem
/Não se
interessam pelo
85% PSST
Estruturação
Organograma dos elementos com participação direta
Divulgação e Implantação do PSST.
Ações para Divulgação do PSST.
• Reuniões de rotina dos supervisores com suas equipes.

• Informações nos quadros de avisos nos setores de


permanência (refeitório, vestiários, alojamentos, etc).

• Reuniões da CIPA e na SIPAT.

• Diálogos Diários de Segurança – DDS.

• Placas e faixas em locais estratégicos.

• Treinamentos e palestras

• Jornais, revistas e site da empresa.


Ações para Implantação do PSST.
• Palestras programadas em cada setor da empresa, em todas
as unidades;

• Presença da Alta ADM nas palestras;

• Distribuição de cartilha com informações sobre o programa,


sua estrutura, fundamentos, diretrizes, objetivos e vantagens;

• Reunião entre supervisores e suas equipes de colaboradores


para esclarecimentos, sugestões e críticas;

• Aplicação de quadros e outros materiais alusivos ao


programa.
Estruturação do Comitê Gestor
Integrantes Cargo na empresa Setor
Nome Gerente R.H
Nome Gerente / Supervisores Produção
Nome Gerente/ Supervisores Logística
Nome Gerente / Supervisores Manutenção
Técnico ST / Engenheiro
Nome SESMT
ST
Nome Presidente CIPA
Presidente do Comitê Gestor: Gerente de Recursos
Humanos
Atribuições dos principais elementos
envolvidos
Alta
no comitê gestor.
Comitê Gestor SESMT
Administração
•Receber do •Elaborar o documento piloto Desenvolver a proposta inicial
do PSST. do projeto e apresentá-lo à
SESMT proposta Alta ADM.
do projeto PSST •Proceder todos os eventuais
/ documento ajustes necessários. •Proceder todos os eventuais
ajustes necessários.
piloto. •Planejar a divulgação e
implantação do programa. •Formar e integrar o Comitê
•Avaliar e ajustar Gestor do PSST.
•Coordenar o programa e
eventuais realizar os controles •Assessorar técnica e
proposições sistemáticos para aferição de normativamente o comitê
apresentadas resultados gestor.

•Elaborar relatórios mensais •Posicionar-se no comitê na


•Reencaminhar dos resultados, enviando-os condição de Coordenador
à Alta ADM. Técnico do PSST.
Coordenação e Controle do PSST.
Coordenação e Controle do PSST.
• Reuniões mensais para análise de
resultados.

Relatórios estatísticos
SESMT Atas de reuniões
Comitê Gestor Alta ADM.
Fatores básicos para análise.
Descrição de
Fatores e Sub BOM REGULAR RUIM
fatores

1 – ARRANJO FÍSICO
1.1 - Distâncias x
1.2 - Mobilidade x
1.3 - Acessibilidade x
1.4 - Uso do espaço x
1.5 - Organização
Fatores básicos para análise.
Descrição de
Fatores e Sub BOM REGULAR RUIM
fatores

2 – EPI
2.1 – Controle de
Estoque

2.2 – Ficha de
Controle

2.3 – Treinamento de
uso

2.4 – Adequação do
uso
Fatores básicos para análise.
Descrição de
Fatores e Sub BOM REGULAR RUIM
fatores

3–

3.1 -

3.2 -

3.3 -

3.4 -