Você está na página 1de 52

Valores normais do pH

Acidose e Alcalose
[CO2 dissolvido] = PCO2
Adicionando Hidrogênio,
removendo bicarbonato ou
aumentando PCO2 = aumento de
H+
METABOLICA = alteração de
bicarbonato

RESPIRATÓRIA = alteração de
PCO2

pH do sangue = 7,35 – 7,45

6,8 e 7,8 são os limites


extremos
EFEITOS CLÍNICOS DA ÁCIDOSE -ALCALOSE

 Efeito clinico da Acidose:


desorientação, coma e finalmente a morte.
1. Hiperventilação –profundo, rápido e entrecortado (respiração
de Kussmaul)
2. O aumento de hidrogênio leva a um aumento da irritabilidade
neuromuscular. Existe o perigo para as arritmias progredirem
para uma parada cardíaca. A diminuição da consciência pode
progredir para coma e morte.

Efeito clinico da Alcalose


hipoventilação, desnorteamento e, eventualmente, coma.
Alcalose pode causar respiração fraca e irregular,
cãibras musculares e convulsões.

Acidose ou Alcalose podem ser


respiratória ou Metabólica
V. REGULAÇÃO DO pH NO ORGANISMO

REGULAÇÃO PULMONAR OU RESPIRATÓRIA


REGULAÇÃO RENAL OU METABÓLICA
Mecanismo químico - AÇÃO IMEDIATA

Mecanismo respiratório - AÇÃO RÁPIDA

Mecanismo renal - AÇÃO LENTA


SISTEMAS TAMPÃO

1. TAMPÃP BICARBONATO / ÁCIDO CARBÔNICO

HCO3- 20
=
H2CO3 1
H2O

H2CO3

CO2 ELIMINADO

O sistema tampão do bicarbonato/ácido carbônico é


muito poderoso porque os seus componentes podem ser
facilmente regulados. A concentração do dióxido de
carbono é regulada pela eliminação respiratória e ...
ELIMINADO

.... Ea concentração do bicarbonato é


regulada pela eliminação renal.
HCO3- 20
=
H2CO3 1

Quando um ácido invade o organismo:

Ácido

Pulmões
HCO3- 20
=
H2CO3 1

Quando uma base invade o organismo:

Rins
H2O

Base
VII. REGULAÇÃO RESPIRATÓRIA OU PULMONAR DO pH
Alvéolos : trocas gasosas

O pH do sangue, modifica a ventilação alveolar, através do


centro respiratório. Esta estrutura do sistema nervoso
central se comporta como um "sensor" do pH do sangue.
VIII. REGULAÇÃO RENAL DO pH

Rins eliminam :
o urina ácida
o urina alcalina

• Filtração glomerular
• Reabsorção tubular
• Secreção tubular
IX. DISTÚRBIOS DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE

1. CLASSIFICAÇÃO DOS DESVIOS DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE


2. AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO ÁCIDO BASE

PARÂMETROS
pH
p CO2
HCO3-
Diferenças de Bases: BD ou BE
Exame: GASOMETRIA
Aparelho: Analisador de gases

3. ANALISADORES DE GASES

CORNIG 238
I - STAT
4. AMOSTRA DE SANGUE:

sangue arterial
artéria radial ou femural
Heparina- 1 mL “lavar” (~0,25mL)
2 - 4 mL
Técnica anaeróbica
Transporte em gelo
5. TÉCNICA DA PUNÇÃO ARTERIAL

Colheita de Sangue Arterial


6. INTERPRETAÇÃO DO EXAME

1. pH

2. PCO2

3. Bicarbonato

4. BD e BE
oTrês componentes: PCO2; H+ e bicarbonato; não há
necessidade de medir o bicarbonato, uma vez se
sabemos duas unidades podemos calcular a terceira

o[H+] = PCO2
[HCO3-]
6. INTERPRETAÇÃO DO EXAME

VERIFICAÇÃO DO pH

Qual a origem do distúrbio?


VERIFICAÇÃO DA PCO2

CAUSA:

Retenção CO2

Eliminação > CO2


VERIFICAÇÃO DA PCO2

Valores normais?

Verificação das bases


VERIFICAÇÃO DAS BASES

CAUSA:

Excesso de base
disponível

Reserva de base
consumida

BR: bicarbonato real


7. DISTÚRBIOS COMPENSADOS

O resultado dos exames laboratoriais


representa o distúrbio primário e as
tentativas de compensação do organismo.
DISTÚRBIOS COMPENSADOS

 Alterações metabólicas -- > Compensadas


respiratoriamente

 Alterações respiratórias -- > Compensadas


metabolicamente
8. DISTÚRBIOS, COMPENSAÇÃO E TRATAMENTO

8.1 ACIDOSE RESPIRATÓRIA

hipoventilação pulmonar

A acidose respiratória é conseqüência


da insuficiente eliminação do dióxido
de carbono nos alvéolos pulmonares.
CAUSAS: Ácidose respiratória

• obstrução das vias aéreas altas


• asma grave
• ataque cardíaco
• depressão do centro respiratório (drogas)
• fraqueza dos músculos respiratórios 9poliomielite, esclerose
múltipla)
• deformidades torácicas
• intoxicações exógenas
• comas de qualquer natureza
• bloqueadores neuromusculares
• pneumonias extensas
• derrame pleural
• afogamento,
• traumatismo torácico
QUADRO LABORATORIAL
ACIDOSE RESPIRATÓ
RESPIRATÓRIA
Compensação
ACIDOSE RESPIRATÓ
RESPIRATÓRIA

Rins: reter íons bicarbonato, aumentando a


reserva de bases e normalizando o pH.

Tratamento:
estimular a ventilação pulmonar: estímulo
à tosse, fisioterapia respiratória e ventilação com
respiradores mecânicos.
8.2 ALCALOSE RESPIRATÓRIA

hiperventilação pulmonar

menos comum do que a acidose


Respiração excessiva histérica, Superventilação
mecânica, pressão intracraniana aumentada, ou hipóxia,
as quais podem estimular o centro respiratório.
 Hiperventilação (ansiedade, febre)
 Doenças pulmonares/hiperventilação
 Anemia
QUADRO LABORATORIAL
ALCALOSE RESPIRATÓRIA
Compensação
ALCALOSE RESPIRATÓ
RESPIRATÓRIA

Rins: reduzir a absorção dos íons bicarbonato. A


urina se torna alcalina.

Tratamento remover as causas da hiperventilação.


Tratamento:
8.3 ACIDOSE METABÓLICA
Problema primário é a redução da concentração de bicarbonato do líquido extracelular.
Principais causas:
1. Produção aumentada de íons hidrogênio
2. Ingestão de íons hidrogênio, ou de medicamentos que são metabolizados produzindo
ácidos
3. Excreção prejudicada de íons hidrogênio pelos rins
4. Perda de bicarbonato pelo trato gastrintestinal ou pela urina

 O HIATO ANIÔNICO

 O hiato aniônico é uma ferramenta bioquímica que as vezes ajuda na avaliação dos
problemas ácidos-básicos.
 Avaliado examinando-se os resultados dos eletrólitos do soro e calculando-se a
diferença entre a soma dos dois cátions principais, o sódio e o potássio, e a soma dos
dois ânions principais, o cloro e o bicarbonato. Na prática, devido ao fato de que a
concentração de potássio é tão pequena e vária tão pouco, ela é excluída do cálculo.

 Hiato aniônico = [Na+] - ([Cl-]+[HCO3-])

 Valor de referência: 6-18 mmol/L


Causas da ácidose metabólica

(com hiato aniônico elevado)

• Na doença renal – os íons hidrogênio são retidos juntamente com os ânions tais como
sulfato e o fosfato;
• Na cetoacidose diabética;
• Na ácidose lática – esta ocorre devido a várias causas, particularmente hipóxia dos
tecidos. Em estados hipóxicos agudos, tais como na insuficiência respiratória, ou na parada
cardíaca a acidose lática desenvolve-se dentro de minutos e representa risco de vida. Esta
acidose também pode ser causada por doença hepática;
• Dose excessiva ou envenenamento – dose excessiva de salicilato (acúmulo de lactato),
metanol (formato se acumula).

(com hiato aniônico normal) – baixa de bicarbonato é compensado pelo aumento do


cloro

•Diarréia crônica ou fistula intestinal


•Acidose tubular renal – as células tubulares renais são incapazes de excretar os íons
hidrogênios eficazmente, e perde-se bicarbonato na urina.
COMPENSAÇÃO DA ACIDOSE METABÓLICA

O ácido em excesso ao reagir com o bicarbonato e forma ácido


carbônico que é eliminado pelos pulmões, sob a forma de
dióxido de carbono.
O pH baixo estimula o centro respiratório que aumenta a
freqüência respiratória produzindo a taquipnéia
compensatória, reduzindo a PCO2.
QUADRO LABORATORIAL
ACIDOSE MATABÓLICA
TRATAMENTO DA ACIDOSE METABÓLICA

O principal tratamento da acidose metabólica consiste


na remoção das causas do distúrbio.

A administração de bicarbonato de sódio pode controlar


a acidose metabólica
8.4 ALCALOSE METABÓLICA

 Ganho excessivo de bases


 Perda de ácidos ou íons hidrogênio – vômitos/
diuréticos
Perda de íons hidrogênio no líquido gástrico
durante o vômito
Ingestão de álcali absorvível como o bicarbonato
de sódio – são necessárias doses muito altas para
levar a alcalose, a menos que haja deterioração
renal
Deficiência de potássio – terapia com diuréticos-
os íons H+ são retidos no interior da célula para
substituir o potássio perdido.
QUADRO LABORATORIAL
ALCALOSE METABÓLICA
COMPENSAÇÃO DA ALCALOSE METABÓLICA
Ocorre hipoventilação (inspiração profunda) com redução da
eliminação de dióxido de carbono (retenção de CO2 ).

Os rins diminuem a produção de amônia e trocam menos íon


hidrogênio por sódio, para permitir sua maior eliminação. A
reabsorção tubular do íon bicarbonato também fica deprimida.
A urina resultante é bastante alcalina.

TRATAMENTO DA ALCALOSE METABÓLICA

De um modo geral a alcalose metabólica é leve ou moderada e não


requer tratamento especial a não ser a remoção da sua causa, quando
possível.
DISTÚRBIOS MISTOS DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE
ACIDOSE METABÓLICA E RESPIRATÓRIA MISTA

Distúrbio pH pCO2 HCO3-

Acidose Reduzido Reduzida Reduzido


metabólica (compensação (alteração
respiratória) primária)
Acidose Reduzido Aumentada Aumentado
respiratória (alteração (compensação
primária) metabólica)
Acidose Excessiv Aumentada Reduzido
metabólica e amente (acidose (acidose
respiratória reduzido respiratória) metabólica)
ALCALOSE RESPIRATÓRIA E METABÓLICA MISTA

Distúrbio pH pCO2 HCO3-

Alcalose Aumentad Aumentado Aumentado


metabólica o (compensação ( alteração
respiratória) primária)
Alcalose Aumentad Reduzida Reduzido
respiratória o (alteração (compensação
primária) metabólica
Alcalose Excessiva Reduzida Aumentado
metabólica e mente (alcalose (alcalose
respiratória aumentad respiratória) metabólica)
o
Distúrbios do Equilíbrio ácido-base

Distúrbios pH PCO2 [HCO3]


Acidose respiratória descompensada ↓ ↑ ↑
Acidose respiratória compensada
(retenção renal de HCO3 - e excreção de H+ e
Ν ↑ ↑↑
Cl-)
Alcalose respiratória descompensada ↑ ↓ N ou ↓
Alcalose respiratória compensada
(Diminuição da retenção renal de HCO3-)
N ↓ ↓↓
Acidose metabólica descompensada ↓ N ↓
Acidose metabólica compensada
(Hiperventilação e aumento de excreção renal
N ↓ ↓↓
de H+)
Alcalose metabólica descompensada ↑ N ↑
Alcalose metabólica compensada
(Hipoventilação e retenção renal de H+)
N ↑ ↑↑
Gasometria arterial: método prático

pH
7,35-7,45
acidose alcalose

PaCO2 Componente
respiratório
35-45 mm Hg
alcalose acidose
Componente
HCO3- metabólico
22-28 mEq/L
acidose alcalose
Gasometria arterial: método prático

 Qual o dístúrbio primário ?


 É aquele que acompanha a direção do pH. Ex:
pH=7,25
Acidose ? Alcalose ?
PaCO2 = 25 mm Hg
Alcalose ? Acidose ?
HCO3- = 10,7 mEq/L
Acidose ? Alcalose ?
Gasometria arterial: método prático

 Qual o dístúrbio primário ?


 É aquele que acompanha a direção do pH. Ex:
pH=7,25
acidose alcalose
PaCO2 = 25 mm Hg
alcalose acidose
HCO3- = 10,7 mEq/L
acidose alcalose
Caso clinico
Uma paciente de 55 nos de idade, com Diabetes
Mellitus desde os 17 anos,
é levada ao Setor de emergência apresentando
respiração profunda, aumento da frequência
respiratória e exalando hálito cetônico. Os
resultados encontrados na gasometria arterial foram:

pH: 7,15 VR: 7,35 – 7,45


PaCO2: 26 mmHg VR: 35 – 45 mmHg
HCO3-: 5 mM/L VR: 22 – 28 mM/L

Qual o distúrbio ácido-base apresentado?

Caso clinico:
clinico 2
um paciente com bronquite crônica. Os resultados do
gases sanguíneos são: [H+} = 46 nmol/L (35-45 nmol/L); PCO2 =
9,5 kPa (4,4-5,6 Kpa)[HCO3-] = 39 mmol/L (21-28 mmol/L).
Esta presente uma acidose respiratória compensada
2. Analise os resultados encontrados na gasometria e responda qual o distúrbio
ácido-base apresentado:

A) pH: 7,25 VR: 7,35 – 7,45


PaCO2: 51 mmHg VR: 35 – 45 mmHg
HCO3-:: 24 mM/L VR: 22 – 28 mM/L

B) pH: 7,55 VR: 7,35 – 7,45


PaCO2: 56 mmHg VR: 35 – 45 mmHg
HCO3-:: 44 mM/L VR: 22 – 28 mM/L

C) pH: 7,51 VR: 7,35 – 7,45


PaCO2: 26 mmHg VR: 35 – 45 mmHg
HCO3-:: 24 mM/L VR: 22 – 28 mM/L

D) pH: 7,15 VR: 7,35 – 7,45


PaCO2: 56 mmHg VR: 35 – 45 mmHg
HCO3-:: 44 mM/L VR: 22 – 28 mM/L

E) pH: 7,57 VR: 7,35 – 7,45


PaCO2: 26 mmHg VR: 35 – 45 mmHg
HCO3-:: 14 mM/L VR: 22 – 28 mM/L