Você está na página 1de 5

Universidade Federal do Ceará – UFC Prof.

Luís Gonzaga
Centro de Tecnologia – CT luisgonzaga@fisica.ufc.br
Exercícios de Física Fundamental BLOCO 710/SALA 17
1a Lista – 5a AP FONE: 33669607/R39

1. A equação horária da posição do MHS é dada por: X(t) = XM cos (ωt + ϕ), onde XM é a amplitude, ω a frequência angular e ϕ a
constante de fase. Mostre que as constantes XM e ϕ, para um dado MHS, são determinadas pelas condições iniciais X(0) e V(0),
2 𝑉(0)
ou seja, mostre que: 𝑋𝑀 = √𝑋(0)2 + 𝑉(0)
𝜔2
e 𝜑 = tan−1 (− ), onde X(0) e V(0) são, respectivamente, a posição e
𝜔𝑋(0)

velocidade no instante t = 0.
2. A figura 2 mostra um sistema bloco – mola, de constante k = 100 N/m e massa m = 4,00 Kg. O bloco encontra – se inicialmente
em repouso em sua posição de equilíbrio. Encontre as equações da posição e velocidade do MHS nos seguintes casos. (a) Você
puxa o bloco para a direita, esticando a mola de 2,00 m e em seguida o abandona. (b) Você puxa o bloco para a direita, esticando
a mola de 2,00 m e em seguida o empurra para a esquerda com uma velocidade inicial de 10,0 m/s. (c) Você empurra o bloco
para a direita a partir de sua posição de equilíbrio com uma velocidade inicial de 12,0 m/s.

3. (a) Com a hipótese de não – deslizamento determine a massa m do bloco que deve ser colocado sobre o carrinho de 6,00 kg
de modo que o período do sistema seja de 0,75 s, figura 03. (b) Qual é o coeficiente de atrito estático mínimo µ para o qual o
bloco não deslizará em relação ao carrinho se este é deslocado de 50,0 mm em relação à sua posição de equilíbrio?

9
4. Uma pequena partícula de massa m é fixa a dois cabos tensos, conforme mostra a figura 04. Determine a frequência angular
do sistema para pequenas oscilações verticais se a tração T atuante em ambos os cabos for considerada constante.

5. Um pequeno bloco de 0,10 kg executa um MHS na extremidade de uma mola horizontal de constante k = 300 N/m. Quando o
bloco está a uma distância de 0,012 m da posição de equilíbrio verifica – se que ele possui uma velocidade de 0,300 m/s. Qual
é (a) a energia mecânica do sistema? (b) a amplitude do movimento? (c) a velocidade máxima atingida pelo bloco?
6. Um balde de massa igual a 2,0 Kg contendo 10,0 Kg de água está pendurado em uma mola vertical ideal de constante 125 N/m
e oscilando verticalmente com uma amplitude igual a 3,00 cm. De repente, surge um vazamento no fundo do balde de tal
modo que a água escoa à taxa constante de 2,0 g/s. Quando o balde estiver cheio até a metade, ache (a) o período de oscilação
e (b) a taxa em que o período está variando em relação ao tempo. (c) Qual é o período mais curto que esse sistema pode ter?
7. Uma expressão aproximada para a energia potencial de uma molécula de KCl é 𝑈 = 𝐴[(𝑅07 /8𝑟 8 ) − 1/𝑟], onde R0 = 2,67 x 10
- 10
m e A = 2,31 x 10 – 28 J∙m. Usando essa aproximação: (a) mostre que o componente radial da força sobre cada átomo é dado
por 𝐹𝑟 = 𝐴[𝑅07 /𝑟 9 − 1/𝑟 2 ]. (b) Mostre que R0 é a separação de equilíbrio. (c) Ache a energia potencial mínima. (d) Faça r = R0
+ x e use os dois primeiros termos do teorema binomial (vê apêndice E/Resnick/8ª edição) para demonstrar que 𝐹𝑟 = −𝑘𝑥,
onde 𝑘 = 7𝐴⁄𝑅03 é a constante de força.
8. Um bloco de massa M = 5,4 kg, em repouso sobre uma mesa horizontal sem atrito, está ligado a um suporte rígido através de
uma mola de constante k = 600 N/m, figura 08. Uma bala de massa m = 9,5 g e velocidade de módulo v = 630 m/s atinge o
bloco e fica retido nele. Supondo que a compressão da mola é desprezível até a bala se alojar no bloco, determine (a) a
velocidade do bloco imediatamente após a colisão e (b) a amplitude do MHS resultante.

bala M k
m
9. Um bloco de 4,00 kg está suspenso por uma mola com k = 500 N/m. Uma bala de 50,0 g é disparada verticalmente contra o
bloco, de baixo para cima, com uma velocidade de 1 50 m/s, e fica alojada no bloco. (a) determine a amplitude
do MHS resultante. (b) Que porcentagem da energia cinética original da bala é transferida para a energia mecânica da
oscilação?
10. Na vista superior da figura 10 uma barra longa e uniforme de massa 0,600 Kg está livre para girar em um plano horizontal em
torno de um eixo vertical que passa pelo seu centro. Uma mola de constante elástica k = 1850 N/m é ligada horizontalmente
entre uma das extremidades da barra e uma parede fixa. Quando a barra está em equilíbrio fica paralela à parede. Qual é o
período das pequenas oscilações que acontecem quando a barra é girada ligeiramente e depois liberada?

parede

Eixo de rotação
11. Uma barra de comprimento L = 2,00 m oscila como um pêndulo físico, figura 11. (a) Que valor da distância x entre o centro de
massa da barra e o ponto de suspensão O corresponde ao menor período? (b) Qual é esse período?

O x
-

12. Uma roda pode girar livremente em torno do seu eixo fixo. Uma mola é presa a um dos raios a uma distância r do eixo,
conforme mostra a figura 12. Supondo que a roda é um aro de massa m e raio R, qual é a freqüência angular das pequenas
oscilações desse sistema em termos de m, R e r e da constante elástica k da mola? (b) Qual o valor da freqüência para r = R e r
= 0?

k
rR

13. Uma placa retangular uniforme é posta a girar em um plano vertical em torno de um de seus vértices, conforme mostra a figura
13. Determine a freqüência angular para pequenas oscilações.

b O
a
14. Determine a expressão para a freqüência natural f para pequenas oscilações em torno do mancal O. A mola possui constante
elástica k e seu comprimento é ajustado de modo que o braço esteja em equilíbrio na posição horizontal mostrada, figura 14.
Despreze a massa da mola e a do braço quando comparada com a massa m.

L
O
m b
k
15. Na figura 15 um cilindro maciço preso a uma mola horizontal (k = 3,00 N/m) rola sem deslizar em uma superfície horizontal. Se
o sistema é liberado a partir do repouso quando a mola está distendida de 0,250 m, determine (a) a energia cinética de
translação e (b) a energia cinética de rotação do cilindro quando ele passa pela posição de equilíbrio. (c) mostre que, nessas
condições, o centro de massa do cilindro executa um MHS de período 𝑇 = 2𝜋√3𝑀⁄2𝑘, onde M é a massa o cilindro. Sugestão:
Calcule a derivada em relação ao tempo da energia mecânica total.

16. Na figura 16 um cubo de 3,00 Kg tem aresta L = 6,00 cm e está montado em um eixo que passa pelo seu centro. Uma mola, de
constante elástica k = 1200 N/m, liga o vértice superior do cubo a uma parede rígida. Inicialmente a mola está relaxada. (a) Se
o cubo é girado de 3o e liberado, qual é o período do MHS resultante? (b) Quais os valores máximos da velocidade e aceleração
angular do MHS resultante?

17. Na figura 17 o bloco possui uma massa de 1,50 kg e a constante elástica é 8,00 N/m. A força de amortecimento é dado por
𝐹 = −𝑏𝑣, onde b = 0,230 Kg/s. O bloco é puxado 12,0 cm para baixo e liberado. (a) Calcule o tempo necessário para que a
amplitude das oscilações diminua para um terço do valor inicial. (b) Qual a energia perdida nesse intervalo de tempo? (c)
Quantas oscilações o bloco realiza nesse intervalo de tempo? Considere o amortecimento pequeno.

18. O sistema de suspensão de um automóvel de massa 2 000 Kg “cede” 10,0 cm quando o chassi é colocado no lugar. Além disso,
a amplitude das oscilações diminui de 50% a cada ciclo. (a) Qual o valor da constante elástica k? (b) Encontre uma expressão
para a constante de amortecimento b do sistema mola – amortecedor de uma das rodas em termos do período, da constante
k e da massa m que cada roda sustenta. (c) Qual o valor da constante de amortecimento b? (d) Calcule b fazendo a seguinte
aproximação: 𝜔′ ≅ 𝜔0 , onde 𝜔0 = √𝑘⁄𝑚.
19. Na figura abaixo três vagões de minério de 10 000 Kg cada um, são mantidos em repouso sobre os trilhos de uma mina por um
cabo paralelo aos trilhos, que possuem uma inclinação θ = 30o em relação à horizontal. O cabo sofre um alongamento de 15,0
cm imediatamente antes do engate entre os dois vagões de baixo se romper, liberando um deles. Supondo que o cabo obedece
à lei de Hooke, determine para os vagões restantes (a) a frequência das oscilações e (b) a velocidade máxima do movimento
dos dois vagões restantes.
20. Na figura 20 o pêndulo é formado por um disco uniforme de raio r = 10,0 cm e 500 g de massa preso a uma barra uniforme de
comprimento L = 50, 0 cm e 270 g de massa. (a) calcule o momento de inércia em relação ao ponto de suspensão. (b) Qual é a
distância entre o ponto de suspensão e o centro de massa do pêndulo? (c) Qual o período de oscilação?

FIGURA 02 FIGURA 03 FIGURA 04

FIGURA 10 FIGURA 15 FIGURA 16

FIGURA 11 FIGURA 12 FIGURA 14

FIGURA 08 FIGURA 13 FIGURA 19

FIGURA 17 FIGURA 20

GABARITO
1. TEÓRICA
2. 𝑥 = 2 cos(5𝑡) , 𝑣 = −10 sin(5𝑡); 𝑥 = 2√2 cos(5𝑡 + 𝜋⁄4) , 𝑣 = −10√2 sin(5𝑡 + 𝜋⁄4); 𝑥 = 2,4 cos(5𝑡 + 3𝜋⁄2) , 𝑣 =
−12 sin(5𝑡 + 3𝜋⁄2).
3. 2,55 Kg; 0,358.
2𝑇
4. 𝜔=√ .
𝑚𝐿

5. 0,0261J; 13,2 mm; 0,722J.


6. 1,49s; 2,12 x 10 – 4 s/s; 0,795s.
7. – 7,57 x 10 – 19 J.
8. 1,1 m/s; 0,. 104m
9. 0,166m; 1,23%.
10. 0,0653s.
11. 𝐿/√12; 2,16s.
𝑘𝑟 2 𝐾
12. 𝜔=√ ; 𝜔 = √ ; ZERO.
𝑀𝑅 2 𝑀
√3𝑔/2
13. 𝜔 = 4 .
√𝑎2 +𝑏 2

𝑏 𝑘
14. 𝑓 = √ .
2𝜋𝐿 𝑚

15. 0,0625J; 0,0312J.


16. 0,18s.
17. 14,3 s; 5,27
18. 4,9 x 102 N/cm; 1086 Kg/s; 1,1 x 103 Kg/s.
19. 1,1 Hz, Vmax = Xmax ω
20. 0,205 Kg m2; 47,7 cm; 1,50s.