Você está na página 1de 7
EDITAL PRG Nº 22/2013 PIB LIC UFLA PROJETO DE ENSINO OFICINAS DE ENSINO DE INGLÊS

EDITAL PRG Nº 22/2013 PIB LIC UFLA

PROJETO DE ENSINO

OFICINAS DE ENSINO DE INGLÊS INSTRUMENTAL PARA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO BÁSICA DE LAVRAS.

PROFA. DRA. NORMA LIRIO DE LEÃO JOSEPH DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS (DCH)

Junho de 2013

1. RESUMO DO PROJETO

O projeto pretende atuar com o ensino de Inglês Instrumental em uma escola pública de Lavras com o objetivo de desenvolver nos professores, o ensino da habilidade de leitura em língua inglesa. Pretende-se aprimorar, nos professores, o entendimento sobre as estratégias de leitura em diversos níveis de compreensão; conhecimento este que não obtiveram em suas graduações. Complementa-se à aquisição dessa habilidade de leitura com conteúdo gramatical presente nos textos; há, dessa forma, a construção de um conhecimento sistêmico, centrada no significado das formas gramaticais em contexto de uso. Os bolsistas, sob a supervisão constante da orientadora do projeto de ensino trabalharão na elaboração do material que os levará a atuar como professores/instrutores em oficinas aos professores de educação básica. Participarão, também, em sala de aula, oferecendo suporte aos professores na aplicação da habilidade de leitura e inclusive em reuniões semanais com a coordenadora para os ajustes necessários. Cabe ressaltar que esse projeto é delineado com a intenção de trazer não só à escola um diferencial de ensino/aprendizagem, mas também de proporcionar aos bolsistas envolvidos, nesse projeto, uma habilidade a mais nas carreiras que abraçam como estudantes do Curso de Letras Português/Inglês, a Prática Docente em Inglês Instrumental.

2. JUSTIFICATIVA

Este projeto pretende dar mais qualificação tanto para os professores/docentes de Educação Básica de Lavras quanto para os discentes de Letras Português/Inglês da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Em um primeiro contato com uma escola pública de Lavras, verifiquei que os professores de língua inglesa necessitam de auxílio para desenvolverem o Inglês Instrumental em suas salas de aula. Pretendo preencher esta lacuna, oferendo à escola e aos professores o conhecimento de Inglês Instrumental para que possam ser professores mais bem-sucedidos no processo de ensino/aprendizagem. Tenciono, também, instrumentalizar os

discentes/professores do Curso de Letras da UFLA para que aprendam mais uma habilidade: de serem professores de Inglês Instrumental.

3-OBJETIVOS

3.1.-OBJETIVOS GERAIS

Instrumentalizar professores de Educação Básica de Lavras para que possam adquirir as técnicas e estratégias de habilidade de leitura que aperfeiçoarão o ensino do Inglês Instrumental em suas salas de aula.

Instrumentalizar os bolsistas para que adquiram uma habilidade: serem professores de leitura: Inglês Instrumental;

Desenvolver qualificada capacidade leitora dos alunos de escola pública de Educação Básica de Lavras.

Contribuir para o crescimento do ser humano e para que tenham acesso ao ensino superior.

3.2 OBJETIVO ESPECÍFICO

Qualificar docentes de Educação Básica de Lavras e discentes da Universidade Federal de Lavras (UFLA), do curso de Letras (Inglês) a serem professores de leitura em língua estrangeira (Reading), da habilidade que gera o “Inglês Instrumental”.

4 PERGUNTAS DE PESQUISA

Este estudo guiar-se-á pelas seguintes perguntas de pesquisa:

A. How is ESP commonly defined?

B. What are the roles of the ESP Practitioner?

D.

What is reading and its communication process?

E. How can an ESP Practitioner make the reading skill be best acquired?

5 METODOLOGIA Um curso de língua instrumental é essencialmente voltado para uma finalidade, finalidade esta detectada pelas necessidades do aluno (needs analysis ) e por isso se diz que é centrado no aluno ( learner-centered). Deste modo, a língua alvo é vista como um meio ou “instrumento” através do qual o aluno procura atingir um objetivo específico. Os propósitos expressos pelo aluno, então, formam a base do projeto específico (Course Design), que é elaborado e construído de acordo as particularidades de cada grupo. Um curso baseado nessa abordagem para desenvolver a

habilidade de leitura tem seu próprio método através do uso de estratégias de leitura adequadas a seu objetivo. Deve-se atentar, portanto, para o fato de que um texto pode ser explorado em diversos níveis de compreensão:

1. Compreensão geral

2. Compreensão dos pontos principais

3. Compreensão detalhada

Para

levar

o

aluno

a

atingir

esses

diferentes

níveis

de

compreensão são utilizadas as seguintes estratégias e habilidades específicas:

1. Para o nível de compreensão geral, orienta-se o aluno a fazer

uma leitura superficial do texto, a explorar o título e subtítulo (quando houver),

a antecipar opiniões sobre o tema central do texto, a inferir a partir do contexto e a explorar aspectos tipográficos do texto, tais como: itálico, parênteses, negrito, tabelas, gráficos, etc.

2. Para o nível de compreensão dos pontos principais, leva-se o

aluno a fazer uma leitura mais cuidadosa do texto, a reconhecer palavras cognatas, a identificar palavras mais frequentes e relevantes no texto e a destacar os pontos principais do seu conteúdo.

3.

Para o nível de compreensão detalhada, solicita-se do aluno

uma leitura mais minuciosa e uma exploração do texto em que são estudados aspectos morfológicos, sintáticos e semânticos relevantes para se atingir o nível de compreensão proposto.

6- SUBSÍDIOS NECESSÁRIOS

O material elaborado é (e deverá ser sempre) atualizado anualmente de acordo com a metodologia ESP e de forma interdisciplinar de modo a se alcançar um duplo objetivo, qual seja: desenvolver a técnica de leitura e compreensão dos

textos em língua inglesa, inserido no contexto da realidade de mundo do aluno, da cultura e língua em estudo e o exame ENEM;

1. Desenvolver a conscientização do processo de leitura e suas

estratégias através de pequenos textos autênticos. Os diferentes níveis de

compreensão e tipos de técnica e objetivo do leitor são abordados individualmente,

2. Ler textos autênticos maiores e com grau de complexidade

gradativo.

(a) Apoio financeiro para realizar cópia do material a ser aplicado aos alunos de escola pública.

7 PLANO DE TRABALHO

Este estudo está previsto para ser desenvolvido ao longo do ano de 2013/2014, mas será um projeto contínuo, já que a necessidade dos alunos é constante. Neste período, serão empreendidos, pela orientadora/pesquisadora e possíveis colaboradores, as ações abaixo explicitadas:

8 BIBLIOGRAFIA

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto/ Secretaria de Educação Fundamental.

Parâmetros curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental:

língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.

AEBERSOLD, Jo Ann & FIELD, MARY Lee. From Reader to Reading Teacher. Cambridge. Cambridge University Press. 1997.

ANDERSON, Neil. Exploring Second Language Reading. Canada. Heinle & Heinle.

1999.

BHATIA,V.K. Analysing Genre: language use in professional settings. New York. Longman Publishing, 1993.

CARRELL, Patricia & DEVINE, Joanne & ESKEY< David. Interactive Approaches to

Second Language Reading. USA. TESOL, Inc, 1993.

CEPRIL: Working Papers # 2, 3, 4, 8, 20. PUC. São Paulo.

CELANI, M. & HOLMES, J. & SCOTT, M. & RAMOS, R. The Brazilian ESP Project:

An Evaluation. São Paulo. PUC. 1988 / Mercado das Letras 2005.

DAY, Richard. R. New Ways in Teaching Reading. USA. TESOL, Inc, 1993.

DUDLEY EVANS, Tony & St JOHN, Maggie. Developments in English for Specific

Purposes. Cambridge. Cambridge University Press. 1998.

FILLMORE, Charles J. Ideal Readers and Real Readers. In: Georgetown University Round Table on Languages and Linguistics. Edited by Deborah Tannen. Washington D.C. Georgetown University Press. 248-270, January 1983

GRELLET, Françoise. Developing Reading Skills. Cambridge. Cambridge University Press, 2004.

GAMA, Ângela, et.al. Introdução à leitura em inglês. Rio de Janeiro: Gama Filho, 1999.

HUTCHINSON, Tom, WATERS, Alan. English for specific purposes. Cambridge:

Cambridge University Press, 1987.

MUNHOZ, Rosângela. Inglês Instrumental. Módulos I e II. São Paulo. CEETEPS. 2001.

MARQUES. Amadeus & TAVARES, Kátia. New Password: Read and Learn. Rio de Janeiro. Editora Ática, 2003, vol # 5,6,7,8.

MARQUES, Amadeus. Inglês Série Brasil. Rio de Janeiro. Editora Ática, 2004

NUTTAL, Cristine. Teaching Reading Skills. Oxford. Macmillan Heinemann. 1996

SAMARA, Samira. Start reading. 19 ed. São Paulo: Saraiva, 1997.

SILBERSTEIN, Sandra. Techiques and Resources in Teaching Reading oxford. Oxford University Press, 1994.

SILVA, João A., GARRIDO, Maria Lina, BARRETO, Tania Pedrosa. Inglês Instrumental: Leitura e compreensão de textos. Salvador: Centro editorial e didático da UFBA, 1995.

SMOAK, Rebecca. What is English for Specific Purposes? English Teaching Forum, April 2003.

SWALES John. Genre Analysis. Cambridge. Cambridge University Press. 1990.

ROBINSON, Pauline. ESP: Today. U.K.Prentice Hall. International. 1991.

TOTIS, V. P. Língua inglesa: leitura. São Paulo: Cortez, 1991.

ZILBERMAN, Regina, SILVA, Ezequiel. (Org.) Leitura: perspectivas interdisciplinares. 5 ed. São Paulo: Ática, 1999.

WEAVER, Constance. Psycholinguistics and Reading from Process to Practice. California. Kinko’s. 1985.